SlideShare uma empresa Scribd logo
TREINAMENTO
ÁGIL / SCRUM
Gerente de Projetos e Scrum Master
Alessandro_rodrigues@terra.com.br
ALESSANDRO RODRIGUES, CSM
COMO SURGIU O ÁGIL?
• O ágil surgiu dado a necessidade de
melhorarmos a forma como estamos
desenvolvendo SW e nosso foco principal é
satisfazer o cliente.
MANIFESTO ÁGIL
Mesmo havendo valor nos itens à direita,
valorizamos mais os itens à esquerda.
PRINCÍPIOS ÁGIL
• Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega
adiantada e contínua de software de valor.
• Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento.
Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa
tirar vantagens competitivas.
• Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas
até meses, com preferência aos períodos mais curtos.
• Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar
em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto.
• Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o
ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho.
• O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por
dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa
cara a cara.
PRINCÍPIOS ÁGIL
• Software funcional é a medida primária de progresso.
• Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os
patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de
manter indefinidamente, passos constantes.
• Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a
agilidade.
• Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não
precisou ser feito.
• As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto
organizáveis.
• Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo,
então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo.
TRADICIONAIS X ÁGIL
• TODAS metodologias de projetos existem
planejamento antes da execução.
• Tradicionais (PMI e PRINCE, podia usar a palavra
burocracia) se planeja muito com antecedência.
• Plano de Projeto.
• Cronograma detalhado de atividades.
• ...
• Ágeis (SCRUM, DSDM, XP e FDD) se planeja de
forma iterativa e incremental, descobrindo o
percurso no caminho.
TRADICIONAIS X ÁGIL
• Tradicionais: As especificações são mais importantes
que o prazo e custo: o cliente pode querer um carro
com 140 HPs, 5 portas, completo e não menos do
que isso.
• Ágeis: Focam em resolver o problema com um
orçamento e prazo fixo. O cliente precisa de um
veículo e está disposto a aceitar uma bicicleta, uma
moto um carro
TRADICIONAIS X ÁGIL
O QUE É SER ÁGIL?
• Ágil é uma nova forma de gestão e desenvolvimento
de Software que usa uma abordagem de
planejamento e execução iterativa e incremental
• Divide o problema em produtos menores e que visa
entregar software funcionando regularmente
• Visa a aproximação e maior colaboração do time de
desenvolvimento com os experts de negócios
O QUE É SER ÁGIL?
• Então quer dizer que ser Ágil não é entregar mais
rápido?
QUAL O MOTIVO DE SER ÁGIL?
• Maior produtividade e menores custos.
• Projetos ágeis são no mínimo 16% mais produtivos.
• Maior engajamento e satisfação no trabalho da
equipe.
• Melhoria mínima de 10% e média de 63%.
• Maior qualidade
• Maior satisfação dos envolvidos.
QUAL O MOTIVO DE SER ÁGIL?
• Ágil é tão apaixonante quanto um bebe panda.
• Uma gestão transparente e participativa
(management 3.0)
• Porque ser ágil não é simplesmente rodar sprints,
fazer daily meeting ou então montar um kanban
na parede, e sim saber ser transparente, dar e
receber feedback, conflitar, confiar, sempre
enxergar o valor além do código escrito e
entender que o seu melhor amigo é o cliente.
• É por isso que foi tão fácil se apaixonar pelo ágil:
ele te move, te energiza e acima de tudo é
inovação.
VANTAGENS PARA O CLIENTE.
• Foco e maximização do ROI (Retorno do Investimento) e do
Valor de Negócio;
• Entregas do produto + rápida, frequentes e regulares;
• Aceleração do Time-to-market o que se traduz em ganho de
competitividade;
• Foco no que é prioritário e traz mais valor para o usuário, o
que se traduz em ganho de usabilidade;
• Transparência e visibilidade do status do projeto;
• Flexibilidade para mudanças de requisitos e prioridades além
de maior agilidade na tomada de decisões;
• Melhoria da Qualidade do produto final;
• Produtividade;
• Redução dos riscos e das indesejáveis surpresas.
VANTAGENS PARA O EQUIPE.
• Escopo e objetivos claros e priorizados;
• Equipes auto gerenciáveis, maior autonomia, disciplina e
regularidade;
• Maximização do comprometimento;
• Melhoria na comunicação. A comunicação intensa com o
cliente e a gestão de suas expectativas são parte do processo;
• Inspeção e Adaptação constantes do processo em busca da
melhoria contínua e a redução dos desperdícios;
• Antecipação dos problemas e maior agilidade na tomada de
ações.
SCRUM
• Desenvolvimento Incremental
• Que aumenta gradualmente
• Entrega de Valores
• Desenvolvimento Iterativo
• reiterado, repetido
• Teoria da Complexidade
• Timebox
• Lean
TEORIA DA COMPLEXIDADE
Auto
Organização
A  ?
Especialista
A 
A B
C
Processos
A  B
Reação
?  ?
AGILIDADE
Valor de
Negócio
Qualidade
Cultura
AGILIDADE
AGILIDADE
Valor de
Negócio
Qualidade
Técnica
Cultura
(Pessoas e Processos)
Agilidade
AGILIDADE
O QUE É SCRUM?
Scrum é uma estrutura processual (framework) para suportar o
desenvolvimento e manutenção de produtos complexos. O Scrum
consiste em Equipes do Scrum associadas a seus papéis, eventos,
artefatos e regras. Cada componente dentro do framework serve
a um propósito específico e é essencial para o uso e o sucesso do
Scrum.
É um framework ágil para gestão e planejamento de projetos de
software que permite manter o foco na entrega do maior valor de
negócio, no menor tempo possível;
Permite a rápida e contínua inspeção do software em produção;
O QUE É SCRUM?
FRAMEWORK
FRAMEWORKFRAMEWORKFRAMEWORK
- Kanban
- Burndow
SCRUM BUT
O QUE É SCRUM?
Fluxo Papéis
Artefatos Eventos
Valores
e
Princípios
SCRUM E SEUS VALORES
• Foco
• Vamos concentrar em apenas em um pouco de coisas. Nós entregamos
itens valiosos mais cedo
• Coragem
• Trabalhamos como equipe. Coragem para assumir desafios maiores
• Abertura
• A medida que trabalhamos juntos, expressamos como estamos fazendo,
o que está em nossos caminhos e as nossas preocupações.
• Compromisso
• Temos grande controle sobre os nossos compromissos, estamos
comprometidos com o sucesso.
• Respeito
• A medida que trabalhamos juntos, compartilhamos os sucessos e
fracassos.
PAPEIS
PAPEIS
SCRUM TEAM
POSICIONAMENTO DOS PAPEIS
PRODUCT OWNER
Composição: 1 PO  1 DEV TEAM
Habilidades:
• Negócio
• Análise de Negócio
• Gestão do Projeto e/ou Produto
Responsabilidades:
• Dono do Product Backlog
• Dono das prioridades
• Sabe o que deve ser feito e o porque deve ser feito
• Gestão da Visão
• Escreve, Refina e Prioriza os Requisitos
• Gestão dos Releases
• Aceitar ou Rejeitar as entregas do DEV Team
• Forte comunicação com o DEV Team
• Gestão do BUDGET
• Comunica Status Report para os Envolvidos
DEV TEAM
Composição: (3) 5 – 9 pessoas
Habilidades:
• Possuir todo conhecimento técnico necessário
para entregar incremento de produto pronto.
• Auto-Organização (Gestão)
• Comunicação
Responsabilidades:
• Planejar e Gerenciar a Sprint
• Se comprometer e entregar uma meta ao PO.
• Apontar os Impedimentos
• Resolver seus próprios problemas
• Definir soluções técnicas para o produto.
DEV TEAM
Cobra
Ajuda
Auto-Organização
PO
Compartilha as
Metas
“Isso não é
problema meu”
SCRUM MASTER
Composição: 1 SM  1 DEV TEAM
Habilidades:
• MAIOR conhecedor de Scrum naquele projeto.
• Conhecer outros processos.
• Gestão de Pessoas (Soft Skills)
Responsabilidades:
• Ensinar o processo / Manter o processo funcionando
• É um facilitador
• Garante o correto uso dos processos
• Remove os impedimentos do DEV Team
• Energiza as pessoas mantendo-as focadas e
comprometidas
• Facilita as reuniões e discussões
• Fornece coaching aos envolvidos no projeto
SPRINT
SPRINT: O coração do Scrum é a Sprint, um time-box de um mês ou menos, durante o
qual um “Pronto”, versão incremental potencialmente utilizável do produto, é criado
SPRINT
Produto / Serviço (Valor):
• Cliente / Usuários-Alvo
• Problemas
• Benefícios
• Diferenciais
• Macro Funcionalidades
(Product Backlog)
Projeto (Restrições)
• Custo / Prazo
• Contratos e Aquisições
• Arquitetura e Tecnologia
• Riscos
• ...
Processos (Conformidades)
• Governança
• Certificações, Modelos
• CMMI2...
• Primeiras definições
• Tamanho do Sprint
• Def. of Ready
• Def. of Done
• ...
Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
Reunião de Visão (Pre Game)
SPRINT
+ Valor
+ Granularidade
+ Detalhes
Negócio
BUG
Pesquisa
PBI
Product Backlog
SPRINT
Meta
Reunião de Planejamento (Planning)
Objetivo:
• Primeira Parte (O que?): Apresentação dos Product Backlog Priorizado e
Definir a Meta
• Durante o Sprint Planning Meeting, o Product Owner descreve as
funcionalidades de maior prioridade para a equipe.
• A equipe faz perguntas durante a reunião de modo que seja capaz de
quebrar as funcionalidades em tarefas técnicas, após a reunião. Essas
tarefas irão dar origem ao Sprint Backlog.
• Define o Sprint Backlog Inicial.
• Jogas-se o Planning Poker.
• Define um objetivo para o Sprint, que é uma breve descrição daquilo que
se tentará alcançar no Sprint.
• Segunda Parte (Como): Equipe discute para definir o que cabe o Sprint.
• Depois do Sprint Planning Meeting, a equipe Scrum se encontra
separadamente para conversar sobre o que eles escutaram e decidir
quanto eles podem se comprometer a fazer no Sprint que será iniciado.
Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
SPRINT
Meta
Reunião de Planejamento (Planning)
Objetivo:
• Segunda Parte (Como): Equipe discute para definir o que cabe o Sprint.
• Depois do Sprint Planning Meeting, a equipe Scrum se encontra
separadamente para conversar sobre o que eles escutaram e decidir
quanto eles podem se comprometer a fazer no Sprint que será iniciado.
• Cria-se as atividades
• Cria-se o quadro Kanban
• Cria-se o Burndow.
Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
SPRINT
Reunião de Planejamento (Planning)
Meta
PO
PO
DEV Team
DEV Team
3 5
3
Def. Of Done
• Codificado seguindo o padrão X
• Testado.
• Documentado
• Liberado em ambiente de QA
• Reduz dívidas técnicas
• Ajuda nas “Alterações de 2
minutos”
SPRINT
Reunião de Planejamento (Planning)
SPRINT
Burndow
O Burndown chart ou gráfico de Burndown é o gráfico utilizado pelas equipes Scrum
(somente para o Dev Team) para representar diariamente o progresso do trabalho em
desenvolvimento. Saber o quanto falta de trabalho. Ou seja, após cada dia de trabalho
o gráfico apresenta a porção de trabalho finalizada em comparação com o trabalho
total planejado.
SPRINT
Objetivo:
• Disseminar conhecimento sobre o que foi feito no dia anterior, identificar
impedimentos e priorizar o trabalho a ser realizado no dia que se inicia.
• Ocorre no mesmo lugar, no mesmo horário com duração máxima de 15
minutos. REALIZADA EM PÉ.
• Daily Scrum não deve ser usado como uma reunião para resolução de
problemas.
• Cada membro da equipe provê respostas para cada uma destas três
perguntas:
• O que você fez ontem?
• O que você fará hoje?
• Há algum impedimento no seu caminho?
• O Daily Scrum não é uma reunião de status report na qual um chefe fica
coletando informações sobre quem está atrasado. É uma reunião na qual
membros da equipe assumem compromissos perante os demais.
• Os impedimentos identificados no Daily Scrum devem ser tratados pelo Scrum
Master o mais rapidamente possível.
Participantes: SM e DEV TEAM. PO se necessário
Reunião Diária (Daily)
SPRINT
Sprint – Reunião de Revisão do Sprint (Review)
Objetivo:
• O Dev Team mostra o que foi alcançado durante o Sprint. Tipicamente, isso
tem o formato de um demo das novas funcionalidades.
• Durante o Sprint Review, o projeto é avaliado em relação aos objetivos do
Sprint, determinados durante o Sprint Planning Meeting. Idealmente, a equipe
completou cada um dos itens do Product Backlog trazidos para fazer parte do
Sprint, mas o importante mesmo é que a equipe atinja o objetivo geral do
Sprint.
• Não deve ocorrer surpresa, pois houve a DAILY com todos os envolvidos.
• Atualizar o status do projeto.
• Os itens que deram problemas será tratados no próximo Sprint.
Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
SPRINT
Sprint – Reunião de Retrospectiva (Retrospective)
Objetivo:
• Ocorre ao final de um Sprint e serve para identificar o que funcionou bem, o
que pode ser melhorado e que ações serão tomadas para melhora.
• Apontar quais foram os pontos críticos do Sprint para discutir com todos os
envolvidos na intenção de melhorar no próximo Sprint.
• Utilizar o método de o que foi BOM, RUIM e o que pode MELHORAR criando
planos de ação para os itens que foram ruins e as melhorias apontadas.
• As melhorias podem virar item no Sprint Backlog
Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
Sprint RetroMelhoria
SPRINT
Sprint Planning
1
Sprint Planning
2
Sprint Review
Daily Daily Daily
Sprint na prática
O que?
Como?
Progresso Progresso Progresso
Resultado
SPRINT
Definição de Pronto (Def. Of Done)
Def. Of Done
• Codificado seguindo o padrão X
• Testado utilizando as técnicas X e Y
• Documentado.
• Liberado em ambiente de QA
• Reduz dívidas técnicas
• Ajuda nas “Alterações de 2
minutos”
Quando o item do Backlog do Produto ou um incremento é descrito como “Pronto”,
todos devem entender o que o “Pronto” significa.
Com um Time Scrum maduro, é esperado que a sua definição de “Pronto” seja expandida
para incluir critérios mais rigorosos de alta qualidade.
SPRINT
E NA PRÁTICA
DÚVIDAS?
MUITO
OBRIGADO!
MAIORES INFORMAÇÕES
Estou a disposição

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Paulo Junior
 
Scrum
ScrumScrum
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
CEULJI/ULBRA Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
Rodrigo Cascarrolho
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
ScrumScrum
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - IntroduçãoMétodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Yuri Morais
 
Palestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia ScrumPalestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia Scrum
Personal
 
Scrum com Lego ®
Scrum com Lego ®Scrum com Lego ®
Scrum com Lego ®
Rodolfo Colares
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
Serge Rehem
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUMPalestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
Rafael Targino
 
Scrum na Prática
Scrum na PráticaScrum na Prática
Scrum na Prática
Alexandre Amorim
 
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão PúblicaGanhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
Teresa Maciel
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
Eduardo Bregaida
 
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de ProjetosApostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
Léo De Melo
 
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo AçãoWebinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
Coletivo AÇÃO | Criando ambientes colaborativos e criativos
 
Mindset Ágil
Mindset ÁgilMindset Ágil
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
Alex Vieira, MBA
 
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOKNovidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
Rildo (@rildosan) Santos
 

Mais procurados (20)

Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de ProjetosGerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
Gerenciamento de Projetos - Aula01 - Uma Introdução ao Gerenciamento de Projetos
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - IntroduçãoMétodos Ágeis e Scrum - Introdução
Métodos Ágeis e Scrum - Introdução
 
Palestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia ScrumPalestra sobre metodologia Scrum
Palestra sobre metodologia Scrum
 
Scrum com Lego ®
Scrum com Lego ®Scrum com Lego ®
Scrum com Lego ®
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetos
 
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUMPalestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
Palestra PUC-Rio - Métodos Ágeis & SCRUM
 
Scrum na Prática
Scrum na PráticaScrum na Prática
Scrum na Prática
 
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão PúblicaGanhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
Ganhos e Desafios no uso do OKR na Gestão Pública
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
 
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de ProjetosApostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
Apostila Fundamentos do Gerenciamento de Projetos
 
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo AçãoWebinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
Webinar: Introdução ao Management 3.0 | Coletivo Ação
 
Mindset Ágil
Mindset ÁgilMindset Ágil
Mindset Ágil
 
Metodologia Ágil
Metodologia ÁgilMetodologia Ágil
Metodologia Ágil
 
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOKNovidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
Novidades da Sétima Edição do Guia PMBOK
 

Destaque

Scrum
ScrumScrum
Scrum feito com soluções simples e de baixo custo
Scrum feito com soluções simples e de baixo custoScrum feito com soluções simples e de baixo custo
Scrum feito com soluções simples e de baixo custo
Luiz Faias Junior
 
Scrum
ScrumScrum
Artigo qfd 1
Artigo qfd 1Artigo qfd 1
Artigo qfd 1
Renan Simões
 
Projeto educa samu
Projeto educa samuProjeto educa samu
Projeto educa samu
educasamu
 
Gerenciamento de Custos em Projetos
Gerenciamento de Custos em ProjetosGerenciamento de Custos em Projetos
Gerenciamento de Custos em Projetos
renneralves
 
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Rodrigo Lopes - Eng. - MBA - PMP - SCRUM - ITIL - COBIT
 

Destaque (7)

Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Scrum feito com soluções simples e de baixo custo
Scrum feito com soluções simples e de baixo custoScrum feito com soluções simples e de baixo custo
Scrum feito com soluções simples e de baixo custo
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Artigo qfd 1
Artigo qfd 1Artigo qfd 1
Artigo qfd 1
 
Projeto educa samu
Projeto educa samuProjeto educa samu
Projeto educa samu
 
Gerenciamento de Custos em Projetos
Gerenciamento de Custos em ProjetosGerenciamento de Custos em Projetos
Gerenciamento de Custos em Projetos
 
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 ediçãoGerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
Gerenciamento de Custos - Ano 2013 - PMBOK 5 edição
 

Semelhante a Treinamento Ágil / Scrum

Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando além
ilegra
 
Entregando Software com Valor
Entregando Software com ValorEntregando Software com Valor
Entregando Software com Valor
Maicon Carlos Pereira
 
Scrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de ProjetosScrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de Projetos
William Lima
 
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Rafael de Oliveira
 
Processos Ágeis
Processos Ágeis Processos Ágeis
Processos Ágeis
ProfThiagoAAlves
 
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos DigitaisSlides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Márcio Oya
 
Scrum
ScrumScrum
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Sabrina Mariana
 
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
Sabrina Mariana
 
Workshop Desenvolvimento Ágil
Workshop Desenvolvimento ÁgilWorkshop Desenvolvimento Ágil
Workshop Desenvolvimento Ágil
Ricardo Infante
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horas
Wise Systems
 
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
Rosa Sampaio
 
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para QA | Desenvolvedores | e para o...
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para  QA | Desenvolvedores  | e para o...Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para  QA | Desenvolvedores  | e para o...
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para QA | Desenvolvedores | e para o...
Rosa Sampaio
 
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
Dionisio Chiuratto Agourakis
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Agile Think® Share
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
André Vidal
 
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do ConhecimentoMétodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
Claudia Hofart Guzzo
 
Métodos ágeis
Métodos ágeisMétodos ágeis
Métodos ágeis
Evandro Agnes
 
Scrum em 1h.
Scrum em 1h.Scrum em 1h.
Scrum em 1h.
Márcio Oya
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
João Clineu - CTFL, CSM, CSD
 

Semelhante a Treinamento Ágil / Scrum (20)

Desenvolvimento ágil pensando além
Desenvolvimento ágil   pensando alémDesenvolvimento ágil   pensando além
Desenvolvimento ágil pensando além
 
Entregando Software com Valor
Entregando Software com ValorEntregando Software com Valor
Entregando Software com Valor
 
Scrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de ProjetosScrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de Projetos
 
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
 
Processos Ágeis
Processos Ágeis Processos Ágeis
Processos Ágeis
 
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos DigitaisSlides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágilGestão da Qualidade - Metodologia ágil
Gestão da Qualidade - Metodologia ágil
 
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)Gestão da qualidade   metodologia ágil v01 (2)
Gestão da qualidade metodologia ágil v01 (2)
 
Workshop Desenvolvimento Ágil
Workshop Desenvolvimento ÁgilWorkshop Desenvolvimento Ágil
Workshop Desenvolvimento Ágil
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horas
 
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
Scrum | Estimativas Ágil Consciente | Apresentação para Empresa Desenvolvedor...
 
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para QA | Desenvolvedores | e para o...
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para  QA | Desenvolvedores  | e para o...Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para  QA | Desenvolvedores  | e para o...
Scrum | Estimativa ágil | Apresentação para QA | Desenvolvedores | e para o...
 
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
Fazendo acontecer com Scrum e a Filosofia Ágil.
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
 
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
Cursos Agile Think - Feature Driven Development (FDD) - 4/4
 
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do ConhecimentoMétodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
Métodos Ágeis de Gestão de Projetos aplicados à Gestão do Conhecimento
 
Métodos ágeis
Métodos ágeisMétodos ágeis
Métodos ágeis
 
Scrum em 1h.
Scrum em 1h.Scrum em 1h.
Scrum em 1h.
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
 

Último

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
snerdct
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
zetec10
 

Último (6)

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimizaçãoApresentação sobre Deep Web e anonimização
Apresentação sobre Deep Web e anonimização
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústriaAula combustiveis mais utilizados na indústria
Aula combustiveis mais utilizados na indústria
 

Treinamento Ágil / Scrum

  • 2. Gerente de Projetos e Scrum Master Alessandro_rodrigues@terra.com.br ALESSANDRO RODRIGUES, CSM
  • 3. COMO SURGIU O ÁGIL? • O ágil surgiu dado a necessidade de melhorarmos a forma como estamos desenvolvendo SW e nosso foco principal é satisfazer o cliente.
  • 4. MANIFESTO ÁGIL Mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.
  • 5. PRINCÍPIOS ÁGIL • Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor. • Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas. • Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos. • Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto. • Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho. • O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara.
  • 6. PRINCÍPIOS ÁGIL • Software funcional é a medida primária de progresso. • Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos constantes. • Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade. • Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito. • As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto organizáveis. • Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo.
  • 7. TRADICIONAIS X ÁGIL • TODAS metodologias de projetos existem planejamento antes da execução. • Tradicionais (PMI e PRINCE, podia usar a palavra burocracia) se planeja muito com antecedência. • Plano de Projeto. • Cronograma detalhado de atividades. • ... • Ágeis (SCRUM, DSDM, XP e FDD) se planeja de forma iterativa e incremental, descobrindo o percurso no caminho.
  • 8. TRADICIONAIS X ÁGIL • Tradicionais: As especificações são mais importantes que o prazo e custo: o cliente pode querer um carro com 140 HPs, 5 portas, completo e não menos do que isso. • Ágeis: Focam em resolver o problema com um orçamento e prazo fixo. O cliente precisa de um veículo e está disposto a aceitar uma bicicleta, uma moto um carro
  • 10. O QUE É SER ÁGIL? • Ágil é uma nova forma de gestão e desenvolvimento de Software que usa uma abordagem de planejamento e execução iterativa e incremental • Divide o problema em produtos menores e que visa entregar software funcionando regularmente • Visa a aproximação e maior colaboração do time de desenvolvimento com os experts de negócios
  • 11. O QUE É SER ÁGIL? • Então quer dizer que ser Ágil não é entregar mais rápido?
  • 12. QUAL O MOTIVO DE SER ÁGIL? • Maior produtividade e menores custos. • Projetos ágeis são no mínimo 16% mais produtivos. • Maior engajamento e satisfação no trabalho da equipe. • Melhoria mínima de 10% e média de 63%. • Maior qualidade • Maior satisfação dos envolvidos.
  • 13. QUAL O MOTIVO DE SER ÁGIL? • Ágil é tão apaixonante quanto um bebe panda. • Uma gestão transparente e participativa (management 3.0) • Porque ser ágil não é simplesmente rodar sprints, fazer daily meeting ou então montar um kanban na parede, e sim saber ser transparente, dar e receber feedback, conflitar, confiar, sempre enxergar o valor além do código escrito e entender que o seu melhor amigo é o cliente. • É por isso que foi tão fácil se apaixonar pelo ágil: ele te move, te energiza e acima de tudo é inovação.
  • 14. VANTAGENS PARA O CLIENTE. • Foco e maximização do ROI (Retorno do Investimento) e do Valor de Negócio; • Entregas do produto + rápida, frequentes e regulares; • Aceleração do Time-to-market o que se traduz em ganho de competitividade; • Foco no que é prioritário e traz mais valor para o usuário, o que se traduz em ganho de usabilidade; • Transparência e visibilidade do status do projeto; • Flexibilidade para mudanças de requisitos e prioridades além de maior agilidade na tomada de decisões; • Melhoria da Qualidade do produto final; • Produtividade; • Redução dos riscos e das indesejáveis surpresas.
  • 15. VANTAGENS PARA O EQUIPE. • Escopo e objetivos claros e priorizados; • Equipes auto gerenciáveis, maior autonomia, disciplina e regularidade; • Maximização do comprometimento; • Melhoria na comunicação. A comunicação intensa com o cliente e a gestão de suas expectativas são parte do processo; • Inspeção e Adaptação constantes do processo em busca da melhoria contínua e a redução dos desperdícios; • Antecipação dos problemas e maior agilidade na tomada de ações.
  • 16. SCRUM • Desenvolvimento Incremental • Que aumenta gradualmente • Entrega de Valores • Desenvolvimento Iterativo • reiterado, repetido • Teoria da Complexidade • Timebox • Lean
  • 17. TEORIA DA COMPLEXIDADE Auto Organização A  ? Especialista A  A B C Processos A  B Reação ?  ?
  • 21. O QUE É SCRUM? Scrum é uma estrutura processual (framework) para suportar o desenvolvimento e manutenção de produtos complexos. O Scrum consiste em Equipes do Scrum associadas a seus papéis, eventos, artefatos e regras. Cada componente dentro do framework serve a um propósito específico e é essencial para o uso e o sucesso do Scrum. É um framework ágil para gestão e planejamento de projetos de software que permite manter o foco na entrega do maior valor de negócio, no menor tempo possível; Permite a rápida e contínua inspeção do software em produção;
  • 22. O QUE É SCRUM? FRAMEWORK FRAMEWORKFRAMEWORKFRAMEWORK - Kanban - Burndow SCRUM BUT
  • 23. O QUE É SCRUM? Fluxo Papéis Artefatos Eventos Valores e Princípios
  • 24. SCRUM E SEUS VALORES • Foco • Vamos concentrar em apenas em um pouco de coisas. Nós entregamos itens valiosos mais cedo • Coragem • Trabalhamos como equipe. Coragem para assumir desafios maiores • Abertura • A medida que trabalhamos juntos, expressamos como estamos fazendo, o que está em nossos caminhos e as nossas preocupações. • Compromisso • Temos grande controle sobre os nossos compromissos, estamos comprometidos com o sucesso. • Respeito • A medida que trabalhamos juntos, compartilhamos os sucessos e fracassos.
  • 28. PRODUCT OWNER Composição: 1 PO  1 DEV TEAM Habilidades: • Negócio • Análise de Negócio • Gestão do Projeto e/ou Produto Responsabilidades: • Dono do Product Backlog • Dono das prioridades • Sabe o que deve ser feito e o porque deve ser feito • Gestão da Visão • Escreve, Refina e Prioriza os Requisitos • Gestão dos Releases • Aceitar ou Rejeitar as entregas do DEV Team • Forte comunicação com o DEV Team • Gestão do BUDGET • Comunica Status Report para os Envolvidos
  • 29. DEV TEAM Composição: (3) 5 – 9 pessoas Habilidades: • Possuir todo conhecimento técnico necessário para entregar incremento de produto pronto. • Auto-Organização (Gestão) • Comunicação Responsabilidades: • Planejar e Gerenciar a Sprint • Se comprometer e entregar uma meta ao PO. • Apontar os Impedimentos • Resolver seus próprios problemas • Definir soluções técnicas para o produto.
  • 31. SCRUM MASTER Composição: 1 SM  1 DEV TEAM Habilidades: • MAIOR conhecedor de Scrum naquele projeto. • Conhecer outros processos. • Gestão de Pessoas (Soft Skills) Responsabilidades: • Ensinar o processo / Manter o processo funcionando • É um facilitador • Garante o correto uso dos processos • Remove os impedimentos do DEV Team • Energiza as pessoas mantendo-as focadas e comprometidas • Facilita as reuniões e discussões • Fornece coaching aos envolvidos no projeto
  • 32. SPRINT SPRINT: O coração do Scrum é a Sprint, um time-box de um mês ou menos, durante o qual um “Pronto”, versão incremental potencialmente utilizável do produto, é criado
  • 33. SPRINT Produto / Serviço (Valor): • Cliente / Usuários-Alvo • Problemas • Benefícios • Diferenciais • Macro Funcionalidades (Product Backlog) Projeto (Restrições) • Custo / Prazo • Contratos e Aquisições • Arquitetura e Tecnologia • Riscos • ... Processos (Conformidades) • Governança • Certificações, Modelos • CMMI2... • Primeiras definições • Tamanho do Sprint • Def. of Ready • Def. of Done • ... Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados Reunião de Visão (Pre Game)
  • 34. SPRINT + Valor + Granularidade + Detalhes Negócio BUG Pesquisa PBI Product Backlog
  • 35. SPRINT Meta Reunião de Planejamento (Planning) Objetivo: • Primeira Parte (O que?): Apresentação dos Product Backlog Priorizado e Definir a Meta • Durante o Sprint Planning Meeting, o Product Owner descreve as funcionalidades de maior prioridade para a equipe. • A equipe faz perguntas durante a reunião de modo que seja capaz de quebrar as funcionalidades em tarefas técnicas, após a reunião. Essas tarefas irão dar origem ao Sprint Backlog. • Define o Sprint Backlog Inicial. • Jogas-se o Planning Poker. • Define um objetivo para o Sprint, que é uma breve descrição daquilo que se tentará alcançar no Sprint. • Segunda Parte (Como): Equipe discute para definir o que cabe o Sprint. • Depois do Sprint Planning Meeting, a equipe Scrum se encontra separadamente para conversar sobre o que eles escutaram e decidir quanto eles podem se comprometer a fazer no Sprint que será iniciado. Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
  • 36. SPRINT Meta Reunião de Planejamento (Planning) Objetivo: • Segunda Parte (Como): Equipe discute para definir o que cabe o Sprint. • Depois do Sprint Planning Meeting, a equipe Scrum se encontra separadamente para conversar sobre o que eles escutaram e decidir quanto eles podem se comprometer a fazer no Sprint que será iniciado. • Cria-se as atividades • Cria-se o quadro Kanban • Cria-se o Burndow. Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
  • 37. SPRINT Reunião de Planejamento (Planning) Meta PO PO DEV Team DEV Team 3 5 3 Def. Of Done • Codificado seguindo o padrão X • Testado. • Documentado • Liberado em ambiente de QA • Reduz dívidas técnicas • Ajuda nas “Alterações de 2 minutos”
  • 39. SPRINT Burndow O Burndown chart ou gráfico de Burndown é o gráfico utilizado pelas equipes Scrum (somente para o Dev Team) para representar diariamente o progresso do trabalho em desenvolvimento. Saber o quanto falta de trabalho. Ou seja, após cada dia de trabalho o gráfico apresenta a porção de trabalho finalizada em comparação com o trabalho total planejado.
  • 40. SPRINT Objetivo: • Disseminar conhecimento sobre o que foi feito no dia anterior, identificar impedimentos e priorizar o trabalho a ser realizado no dia que se inicia. • Ocorre no mesmo lugar, no mesmo horário com duração máxima de 15 minutos. REALIZADA EM PÉ. • Daily Scrum não deve ser usado como uma reunião para resolução de problemas. • Cada membro da equipe provê respostas para cada uma destas três perguntas: • O que você fez ontem? • O que você fará hoje? • Há algum impedimento no seu caminho? • O Daily Scrum não é uma reunião de status report na qual um chefe fica coletando informações sobre quem está atrasado. É uma reunião na qual membros da equipe assumem compromissos perante os demais. • Os impedimentos identificados no Daily Scrum devem ser tratados pelo Scrum Master o mais rapidamente possível. Participantes: SM e DEV TEAM. PO se necessário Reunião Diária (Daily)
  • 41. SPRINT Sprint – Reunião de Revisão do Sprint (Review) Objetivo: • O Dev Team mostra o que foi alcançado durante o Sprint. Tipicamente, isso tem o formato de um demo das novas funcionalidades. • Durante o Sprint Review, o projeto é avaliado em relação aos objetivos do Sprint, determinados durante o Sprint Planning Meeting. Idealmente, a equipe completou cada um dos itens do Product Backlog trazidos para fazer parte do Sprint, mas o importante mesmo é que a equipe atinja o objetivo geral do Sprint. • Não deve ocorrer surpresa, pois houve a DAILY com todos os envolvidos. • Atualizar o status do projeto. • Os itens que deram problemas será tratados no próximo Sprint. Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
  • 42. SPRINT Sprint – Reunião de Retrospectiva (Retrospective) Objetivo: • Ocorre ao final de um Sprint e serve para identificar o que funcionou bem, o que pode ser melhorado e que ações serão tomadas para melhora. • Apontar quais foram os pontos críticos do Sprint para discutir com todos os envolvidos na intenção de melhorar no próximo Sprint. • Utilizar o método de o que foi BOM, RUIM e o que pode MELHORAR criando planos de ação para os itens que foram ruins e as melhorias apontadas. • As melhorias podem virar item no Sprint Backlog Participantes: PO, SM, DEV TEAM e Outros Interessados
  • 43. Sprint RetroMelhoria SPRINT Sprint Planning 1 Sprint Planning 2 Sprint Review Daily Daily Daily Sprint na prática O que? Como? Progresso Progresso Progresso Resultado
  • 44. SPRINT Definição de Pronto (Def. Of Done) Def. Of Done • Codificado seguindo o padrão X • Testado utilizando as técnicas X e Y • Documentado. • Liberado em ambiente de QA • Reduz dívidas técnicas • Ajuda nas “Alterações de 2 minutos” Quando o item do Backlog do Produto ou um incremento é descrito como “Pronto”, todos devem entender o que o “Pronto” significa. Com um Time Scrum maduro, é esperado que a sua definição de “Pronto” seja expandida para incluir critérios mais rigorosos de alta qualidade.

Notas do Editor

  1. Oficialmente surgiu em 2001.
  2. Oficialmente surgiu em 2001.
  3. Desenvolvimento Incremental Que aumenta gradualmente Desenvolvimento Iterativo reiterado, repetido
  4. Então quer dizer que não posso usar Scrum em sistemas Complicado (Esforço Definido).
  5. Cliente não fica esperando meses para ver os sistema. No final do Sprint ele tem um Sistema funcionando (PRONTO)>
  6. SCRUM É UM FRAMEWORK... VC PODE ACRESCENTAR SUAS NECESSIDADES. MAS NÃO PODE TIRAR
  7. As Sprints são compostas por uma reunião de planejamento da Sprint, reuniões diárias, o trabalho de desenvolvimento, uma revisão da Sprint e a restrospectiva da Sprint.
  8. Não serve para status report. Mostra por time
  9. Problemas: Demora, Pessoas Atrasadas, Resposta mecânica as perguntas, Não são levados impedimentos.