Francis bacon

861 visualizações

Publicada em

O Empirismo na modernidade

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
861
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Francis bacon

  1. 1. *RACIONALISMO X EMPIRISMO
  2. 2. *As transformações ocorridas a partir da modernidade levaram ao questionamento dos critérios e métodos para elaboração de um conhecimento verdadeiro. *As 02 principais correntes que surgiram foram o Empirismo e o Racionalismo. RACIONALISMO EMPIRISMO A principal forma de conhecimento é a razão. O conhecimento se origina nas experiências. A razão é inata, a priori. Não existem ideias inatas. A sensação é conhecimento a posteriori.
  3. 3. *O Racionalismo teve em Descartes seu principal expoente (o sujeito pensante com ideias inatas). *O Empirismo ganha forças na Inglaterra em meio à Revolução Gloriosa com ascensão da burguesia (valorização da experiência e do liberalismo político). *Teve como principais filósofos Bacon, Hobbes, Locke e Hume. *Em seguida, Kant irá descontruir essa dicotomia (Empirismo x Racionalismo) criando uma síntese entre as duas teorias.
  4. 4. O MÉTODO EXPERIMENTAL *FRANCIS BACON
  5. 5. *Considerado um dos primeiros filósofos modernos, contemporâneo a Descartes, tinha um pensamento diferente do francês, pois propunha o uso do método experimental (tentativa e erro) contra a especulação da metafísica. Contrário ao pensamento abstrato da escolástica, busca realizar uma filosofia experimental, voltada para o real. *“Saber é poder” -> os conhecimentos científicos são importantes instrumentos para controle da realidade. *Afirmava que a filosofia experimental influenciava diretamente nos avanços da sociedade, por trazia resultados objetivos para o homem. *Divide a ciência em 03 classes: 1º) a poesia ou ciência da imaginação; 2º) a história ou ciência da memória; 3º) a filosofia ou ciência da razão.
  6. 6. *A primeira forma de experiência é pela sucessão temporal, ou seja, a associação de ideias uma após a outra, criando uma antecipação intelectual (há necessidade de uma relação temporal). *(Colocar a mão na panela quente). *Também as associações podem ser feitas a partir de repetições de fenômenos (o nosso cotidiano é feito de dia e noite), ou ainda por proximidade ou contiguidade física, ou seja, se eu noto que um evento ocorre muito próximo a outro , posso dizer que há uma relação entre eles. Não há nenhum tipo de semelhança entre eles, mas há uma ligação (eu vejo um instrumento musical e uma pessoa que toca o instrumento musical). *Por estas três vias associativas os pensamentos ganham forma, mas estas associações ocorrem na medida em que posso experimentar as sensações
  7. 7. *Busca realizar a Instauratio Magna, pela qual visou criar um novo sistema de conhecimento. Essa reforma do conhecimento é justificada a partir da escolástica, pois segundo o autor, não trouxe nenhum conhecimento prático. *Novo Organum (1620) foi uma obra na qual ele fez uma crítica a Aristóteles e onde apresenta o método indutivo, bem como faz uma reflexão crítica com relação àquilo que pode comprometer o progresso do conhecimento (Teoria dos Ídolos). *Em seguida, lança mão de uma crítica a Aristóteles, que segundo ele, fez da experiência uma escrava para confirmar suas opiniões (método dedutivo). Para ele, o método dedutivo é falho.
  8. 8. *A razão estava em alta. Preocupado com a utilização dos meios científicos na vida prática, manifestava grande entusiasmo pelas conquistas técnicas de seu tempo, como por exemplo, a bússola, a pólvora e a imprensa. *Assim, o progresso traria o domínio da natureza e traria o avanço social.
  9. 9. *TEORIA DOS ÍDOLOS *São distrações que podem prejudicar o processo cientifico do método empírico e indutivo. *Se há uma distração, talvez você não chegue ao resultado esperado. *Para isso, era necessário se libertar do que ele denominou de ídolos, isto é, as falsas noções e maus hábitos mentais.
  10. 10. *Por isso, faz uma análise dos erros que possam barrar esse avanço. *Recebe esse nome para simbolizar aquilo que é uma distorção da realidade, compondo 04 categorias.
  11. 11. *1 – ÍDOLOS DA TRIBO *“O intelecto humano é igual a um espelho que reflete desigualmente os raios das coisas, e dessa forma, as distorce e corrompe.” *Afirma não ser possível confiar numa aptidão natural da razão em compreender o mundo, pois nem mesmo a razão é perfeita. *A razão não é capaz de conhecer tudo => o ser humano é limitado.
  12. 12. *2 – ÍDOLOS DA CAVERNA *“O espírito humano, tal como se acha disposto em cada um, é coisa variável, sujeita a múltiplas perturbações e, até certo ponto, sujeita ao acaso.” *Trata das dificuldades provenientes das inúmeras diferenças, sejam físicas ou intelectuais, normalmente encontradas entre os homens. A nossa subjetividade pode intervir negativamente na experiência. *É preciso deixar de lado a Parcialidade.
  13. 13. *3 – ÍDOLOS DO FORO *“As palavras forçam o intelecto e o perturbam por completo. E os homens são assim, arrastados a inúmeras e inúteis controvérsias.” *É relação entre os homens e a comunicação que se dá através da linguagem, podendo surgir diversos significados para uma única coisa. Muitas indagações filosóficas se dão por conta da linguagem e não de questões autênticas de conteúdo. *A linguagem deve ser clara.
  14. 14. *4 – ÍDOLOS DO TEATRO *Aquelas ilusões advindas das doutrinas filosóficas, científicas e religiosas, que criam outros mundos porque não conseguem explicar este próprio. *Crítica aos filósofos, principalmente a Platão e Aristóteles.
  15. 15. *MÉTODO INDUTIVO *É a observação dos fenômenos por meio das experiências, tentando chegar a algo regular, constante. *Através dessa regularidade, pode-se chegar a conclusões generalizadas. *É preciso fazer experiências para compreender como a natureza funciona, para que possamos controlá-la a nosso favor. *Ideia de que os conhecimentos científicos são um instrumento prático de controle da realidade.
  16. 16. *O método indutivo é baseado na observação rigorosa dos fenômenos naturais, e deve seguir as seguintes etapas: *OBSERVAÇÃO da natureza para coletar informações. *ORGANIZAÇÃO RACIONAL dos dados coletados empiricamente. *OBSERVAR A REGULARIDADE. *FORMULAÇÃO DE HIPÓTESES para os fenômenos estudados. *EXPERIMENTAÇÕES repetidas e em novas situações. *LEIS GERAIS *“Aquele que inicia uma investigação com muita certeza, acaba cheio de dúvidas”.
  17. 17. *Thomas Hobbes
  18. 18. *Teve sua filosofia influenciada por Bacon e Galileu, abandonando as grandes pretensões metafísicas e investigando a essência das coisas. *A filosofia seria então a ciência dos corpos, que se dividem em corpos naturais (filosofia da natureza) e corpo artificial ou Estado (filosofia política). *Assim, a realidade pode ser compreendida a partir dos corpos e do movimento -> relação de causa e efeito (materialismo e mecanicismo). *Assim, os movimentos resultam necessa- riamente dos nexos causais que lhe dão Origem.
  19. 19. *John Locke
  20. 20. *“Quem não quiser se equivocar deve construir sua hipótese, derivada da experiência sensível sobre um fato, e não supor um fato devido a esta hipótese.” *Combateu o inatismo, defendendo que nossa mente é uma tábula rasa, um papel em branco sem nenhuma ideia previamente escrita. *As ideias que possuímos são adquiridas ao longo da vida, mediante o exercício da experiência sensorial e da nossa reflexão. *Experiência sensorial são criadas a partir do contato com o objeto do conhecimento. Por exemplo, a ideia de amarelo, quente, etc. *Reflexão depois, combinando as sensações por um processo de reflexão, a mente desenvolve outras ideias, que não poderiam ser obtidas somente com o contato com o mundo externo.
  21. 21. *David Hume Empirismo Lógico
  22. 22. *Raciocina sobre os limites da experiência, mudando a forma de fazer ciência. A força do hábito pode nos enganar. *O hábito não nos dá nenhuma garantia válida sobre o acontecimento das coisas. *Interpreta as ideias de Bacon de forma diferenciada: segundo Hume, o tempo, quanto maior for entre a análise e a experiência, menos nítido ele é. *As percepções particulares é que formam as ideias gerais (são ideias pessoais, o homem é baseado na subjetividade).
  23. 23. *Divide tudo o que conhecemos em IMPRESSÕES e IDEIAS (Investigação acerca do entendimento humano). *IMPRESSÕES: dados fornecidos pelos sentidos. *IDEIAS: são as representações mentais derivadas das impressões (memória, imaginação, etc.) *Logo, toda ideia é uma reapresentação de alguma impressão, que apresenta diferentes graus de fidelidade. *“O costume é, pois, o grande guia da vida humana. É o único princípio que torna útil nossa experiência e nos faz esperar, no futuro, uma série de eventos semelhantes àqueles que apareceram no passado”.
  24. 24. * *Para Hume, o fato de se partir de uma premissa particular para o geral, por maior que seja o número de percepções repetidas sobre o mesmo fato, não possui nenhum fundamento lógico. *É produto de uma crença e de um hábito, ou seja, repetidos acontecimentos nos levam a crer que estes irão ocorrer novamente. *Porém, nada pode garantir... *Assim, retoma o pensamento dedutivo, e cria a ideia do ceticismo teórico, pois segundo ele, o conhecimento científico se baseava em métodos não racionais, como crença e habito intelectual. *Portanto, todo cientista deve apresentar suas probabilidades e não certezas inquestionáveis.
  25. 25. *Relação entre ideias x Questões de fato *É uma dedução lógica Experiência *Não depende da existência concreta Não precisa demonstrar.

×