Slide a origem da filosofia1

689 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Slide a origem da filosofia1

  1. 1. A ORIGEM DA FILOSOFIA FASES HISTÓRICAS FACULDADE CASTRO AVES ANTROPOLOGIA FILOS ÓFICA Curso: Psicologia – 1º Semestre – Matutino Alunos:Iranildes Pereira Josenildo Ferreira Kátia Ferreira Laisa Naiara Risoneide Gomes Raimundo dos Santos Sérgio Santana Shana Márcia
  2. 2. A ORIGEM DA FILOSOFIA FILOSOFIA: significa “amizade pela sabedoria”. FILÓSOFO: o que ama ser sábio ou tem amizade pelo saber. Atribui-se ao filósofo grego Pitágoras de Samos a invenção da palavra “FILOSOFIA”. Pitágoras teria afirmado que a sabedoria plena pertence aos deuses, mas que os homens podem desejá-la ou amá-la, tornando-se filósofos.
  3. 3. A ORIGEM DA FILOSOFIA República romana do Discóbolo esculpida pelo grego Miron no século V a.C.
  4. 4. OS PRINCIPAIS TRAÇOS QUE DEFINEM A ATIVIDADE FILOSÓFICA NA ÉPOCA DE SEU NASCIMENTO <ul><ul><li>Tendência à racionalidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Recusa de explicações preestabelecidas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tendência à argumentação e ao debate; </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacidade de generalização; </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacidade de diferenciação. </li></ul></ul>
  5. 5. PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DA FILOSOFIA PARA A FORMAÇÃO DA SOCIEDADE <ul><ul><ul><li>A idéia de que o conhecimento verdadeiro deve encontrar as leis e os princípios; A idéia de que a natureza segue uma ordem necessária e não causal ou acidental; A idéia de que os acontecimentos naturais e humanos são necessários;A idéia de que as leis necessárias e universais da natureza podem ser plenamente conhecidas pelo nosso pensamento; A idéia de que a razão ou o nosso pensamento também opera obedecendo a príncipios, leis, regras e normas universais e necessárias; A idéia de que as práticas humanas, dependem da vontade livre, da deliberação e da discussão; A idéia de que seres humanos naturalmente aspiram ao acontecimento verdadeiro à justiça e à felicidade. </li></ul></ul></ul>
  6. 6. O NASCIMENTO DA FILOSOFIA <ul><li>O que perguntavam os primeiros filósofos? </li></ul><ul><ul><ul><li>Por que os serem nascem e morrem? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Por que dão origem aos semelhantes? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Por que tudo muda? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>De onde vem e para onde vão os seres? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Por que se transformam e se diferenciam uns dos outros? </li></ul></ul></ul><ul><li>Foram perguntas como essas que eles fizeram e para elas buscaram respostas. </li></ul>
  7. 7. O NASCIMENTO DA FILOSOFIA Desde o final do século XIX da nossa era e durante o século XX, estudos históricos, arqueológicos, lingüísticos, literários e artísticos corrigiam os exageros das duas teses, isto é, tanto a redução da Filosofia à sua origem oriental quanto ao “milagre grego”. De fato, Filosofia tem dívidas com a sabedoria dos orientais, devido as suas contribuições e mudanças .
  8. 8. O NASCIMENTO DA FILOSOFIA <ul><li>Dessas mudanças podemos mencionar quatro que nos darão a idéia da originalidade grega: </li></ul><ul><ul><li>Com relação aos mitos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Com relação aos conhecimentos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Com relação à organização social e política; </li></ul></ul><ul><ul><li>Com relação ao pensamento. </li></ul></ul>
  9. 9. Mito e Filosofia <ul><li>Um mito é uma narrativa sobre a origem de alguma coisa. </li></ul><ul><li>Sua palavra é sagrada porque vem de uma revelação divina. </li></ul><ul><li>É incontestável e inquestionável. </li></ul><ul><li>Ele narra a origem do mundo e de tudo o que nele existe. </li></ul><ul><li>O mito narra a origem das coisas por meio de lutas, alianças e relações sexuais entre forças sobrenaturais que governam o mundo e o destino dos homens. </li></ul>
  10. 10. Quais são as diferenças entre mito e Filosofia <ul><li>O mito pretendia narrar como as coisas eram ou tinham sido no passado, e a Filosofia se preocupa em explicar como e por que, no passado, no presente e no futuro. </li></ul><ul><li>O mito narrava a origem por meio de genealogias e rivalidades ou alianças entre forças divinas sobrenaturais e personalizadas, enquanto a Filosofia, explica a produção natural das coisas por elementos naturais primordiais. </li></ul><ul><li>O mito não se importava com contradições, com o fabuloso e o incompreensível, a Filosofia, não admira contradições, fabulação e coisas incompreensíveis, mas exige que a explicação seja coerente, lógica e racional. </li></ul>
  11. 11. CONDIÇÕES HISTÓRICAS PARA O SURGIMENTO DA FILOSOFIA <ul><ul><ul><li>As viagens marítimas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A invenção do calendário; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A invenção da moeda; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O surgimento da vida urbana; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A invenção da escrita alfabética; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A invenção da política. </li></ul></ul></ul>
  12. 12. OS PERÍODOS DA FILOSOFIA GREGA <ul><li>Os quatro grandes períodos da Filosofia grega, nos quais seu conteúdo muda e se enriquece, são: </li></ul><ul><ul><ul><li>Período pré-socrático ou cosmológico – quando a Filosofia se ocupa fundamentalmente e com a origem do mundo e as causas das transformações na natureza. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Período socrático ou antropológico - quando a Filosofia investiga as questões humanas, isto é, a ética, a política e as técnicas, e busca compreender qual é o lugar do homem no mundo. </li></ul></ul></ul>
  13. 13. OS PERÍODOS DA FILOSOFIA GREGA <ul><ul><ul><li>Período sistemático – quando a Filosofia busca reunir e sistematizar tudo o quanto foi pensado pela cosmologia e pelas investigações sobre a ação humana na ética, na política e nas técnicas. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Período helenístico ou greco-romano - a Filosofia se ocupa sobretudo com as questões da ética, do conhecimento humano e das relações entre o homem e a natureza e de ambos com Deus. </li></ul></ul></ul>
  14. 14. OS PERÍODOS DA FILOSOFIA GREGA “ Homem de Vitruvius”, desenho feito por Leonardo da Vinci, no Período Socrático ou antropológico. “ Arquimedes, no Período Sistemático . “ Morte de Sócrates, detalhe da pintura de Jean-Louis David, de 1787, no Período Socrático ou antropológico.
  15. 15. PLATÃO E O MITO DA CAVERNA <ul><li>O mito da caverna é uma metáfora da condição humana perante o mundo, no que diz respeito à importância do conhecimento filosófico e à educação como forma de superação da ignorância. </li></ul><ul><li>O mito da caverna , também chamada de Alegoria da caverna , foi escrita pelo filósofo Platão, e encontra-se na obra intitulada A República (livro VII). </li></ul>Platão (428-347) Livre é quem pensa
  16. 16. PRINCIPAIS PERÍODOS DA HISTÓRIA DA FILOSOFIA <ul><ul><ul><li>Filosofia Antiga (do século VI a. C. ao século VI d. C.) – compreende-se os quatros períodos da Filosofia Greco-romana; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Filosofia Patrístic a (do século I ao século VII) – inicia-se com as Epístolas de São Paulo e São João; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Filosofia Medieval (do século VIII ao século XIV) – teve como influências principais Platão e Aristóteles; </li></ul></ul></ul>
  17. 17. SANTO AGOSTINHO <ul><li>Agostinho considera a filosofia praticamente, platonicamente, como solucionadora do problema da vida, ao qual só o cristianismo pode dar uma solução integral. Todo o seu interesse central está portanto, circunscrito aos problemas de Deus e da alma, visto serem os mais importantes e os mais imediatos para a solução integral do problema da vida. </li></ul><ul><li>Santo Agostinho (354 – 430) </li></ul>
  18. 18. SÃO TOMÁS DE AQUINO <ul><li>Com a visão aristotélica do mundo, sustentou que a filosofia não pode ser substituída pela teologia e que ambas não se opõem. Afirmou que não pode haver contradição entre fé e razão. </li></ul><ul><li>Explica que toda a criação é boa, tudo o que existe é bom, por participar do ser de Deus , o mal é a ausência de uma perfeição devida e a essência do mal é a privação ou ausência do bem. </li></ul><ul><li>Santo Tomás de Aquino por Fra Angelico (1395 – 1455) </li></ul>
  19. 19. PRINCIPAIS PERÍODOS DA HISTÓRIA DA FILOSOFIA <ul><ul><ul><li>Filosofia da Renascença ( do século XIV ao século XVI) – é marcada pela descobertas de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e de novas obras de Aristóteles; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Filosofia Moderna (do século XVII a meados XVIII) – é marcada pelo ceticismo, ou seja, a atitude filosófica que duvida da capacidade da razão humana para conhecer a realidade exterior e o homem, os principais pensadores desse período foram: Bacon, Descartes, Galileu, dentre outros; </li></ul></ul></ul>
  20. 20. PRINCIPAIS PERÍODOS DA HISTÓRIA DA FILOSOFIA <ul><ul><ul><li>Filosofia da Ilustração ou Iluminismo (meados do século XVIII ao começo do século XIX) – esse período também crê nos poderes da razão, os principais pensadores desse período foram: Voltaire, Rousseau, Kant, dentre outros; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Filosofia Contemporânea – abrange o pensamento filosófico que vai de meados do século XIX e chega aos nosso dias. </li></ul></ul></ul>
  21. 21. O EMPIRISMO E RACIONALISMO <ul><li>EMPIRISMO- Corrente filosófica que considera a experiência sensível externa (as sensações) e interna (os nossos sentimentos tal como são vividos) como fonte única, direta ou indireta, do conhecimento. </li></ul><ul><li>RACIONALISMO - Os filósofos racionalistas atribuem à razão um papel determinante na construção do conhecimento. Os grandes filósofos racionalistas (Platão, Descartes, Leibniz) procuram explicar o conhecimento (que só merece este nome quando é logicamente necessário e universalmente válido) como resultado exclusivo da razão. </li></ul>
  22. 22. RENÉ DESCARTES <ul><li>Foi um filósofo racionalista, matemático, físico e fisiólogo. </li></ul><ul><li>A dúvida era o ponto de partida de toda sua argumentação e raciocínio. </li></ul><ul><li>A dúvida existe, porque existe um ser pensante. </li></ul><ul><li>Ficou célebre a sua frase: “penso, logo existo”. </li></ul><ul><li>Para ele, a ação do corpo tem função mecânica, no entanto, a alma pensante, que o homem possui, atua e modifica estes mecanismos. </li></ul><ul><li>René Descartes em pintura de Frans Hals (1596 – 1650) </li></ul>
  23. 23. REFERÊNCIAS <ul><li>CHAUI, Marilena. Convite a filosofia – São Paulo – Ática, 2003. </li></ul><ul><li>FREIRE, Izabel Ribeiro. Raízes da Psicologia – Petrópolis, RJ: Vozes, 1997. </li></ul><ul><li>www.filosofos.com.br </li></ul><ul><li>www.historias.interativas.nom.br </li></ul><ul><li>www.algosobre.com.br </li></ul><ul><li>www.suapesquisa.com </li></ul><ul><li>www.mundodosfilosofos.com </li></ul>

×