SlideShare uma empresa Scribd logo
TCC:
      Seções
Métodos e Resultados
 Profa.
 Profa. Rilva Lopes de Sousa-Muñoz
                       Sousa-
           rilva@ccm.ufpb.br
Métodos

   Terminologia
     • Metodologia
  • Material e Métodos
• Pacientes e Métodos
• Casuística e Métodos

                    2
Métodos
   Etimologia
  Grego Methodos
  “Caminho para
 chegar a um fim”

                3
Métodos
• Um método com falhas e
    inadequações pode
   comprometer toda a
investigação e invalidar as
     conclusões de uma
         pesquisa
                          4
Métodos
        • Modelo da pesquisa
    • Abordagem metodológica
         • Local da pesquisa
       • População e amostra
• Instrumentos de coleta dos dados
           • Procedimentos
         • Análise estatística
          • Aspectos éticos
                                 5
Métodos
   • Descrevem-se todos os
         passos do estudo
• Com subtítulos ou subseções
• Procedimentos (“o como”) e
    instrumentos (“com que”)
       • Verbo no passado
                            6
Métodos
     Amostra
Definição detalhada da
 população/amostra do
          estudo:
  Critérios de inclusão e
  exclusão da amostra
       Processo de
       amostragem
  Tamanho da amostra    7
Métodos
 Variáveis
Descrição das
   variáveis:
   Primária e
 secundárias;
Dependente e
independente
                8
Métodos
Definições das Variáveis
 •Deve haver coerência
 entre a conceitualização
 (na Seção de Introdução
  da Pesquisa) e a forma
   de operacionalização
     (na Metodologia)
   • Definição nominal e
   definição operacional
                           9
Métodos
    Quanto
detalhamento é
 necessário na
   descrição
metodológica?...
                   10
Métodos
      A descrição
metodológica deve ser
suficiente para permitir
     uma eventual
 replicação do estudo


                           11
Métodos
  Sequência para
   descrição dos
     métodos:
        Ordem
    cronológica
    Ordem lógica
       Técnicas
    semelhantes
                   12
Métodos
Instrumentos de coleta de dados:
          • Questionário
            • Formulário
            • Entrevista
    • Medidas biológicas (citar
  “telegraficamente: aparelho de
medição, modelo, empresa®, país de
               origem).
                               13
Métodos
Instrumentos de coleta de
dados (escalas padronizadas):
        •Validade
      •Confiabilidade
   •Validação no Brasil
                            14
Métodos
Instrumentos de coleta de dados
  elaborados pelo pesquisador:
 •Pré-teste ou estudo-piloto:
compreensão das questões, verificação
  das dúvidas e das dificuldades de
   preenchimento, necessidade de
  introdução ou supressão de itens.

                                   15
Métodos
  Descrição dos Métodos:
•Método conhecido: citar artigo
 •Método novo: descrição mais
         pormenorizada
  •Método conhecido, com
    modificação: descrição da
      alteração introduzida
                                16
Métodos
Se pesquisa experimental:
     • Além dos itens
  mencionados, descrever
  também mascaramento,
        intervenção e
       randomização
                       17
Métodos:
             Análise estatística
• Estatística descritiva: resumo dos dados
  de variáveis quantitativas
  frequências absolutas e relativas, razão;
  medidas de tendência central e medidas de
  dispersão
• Distribuição normal – média e desvio padrão
• Distribuição assimétrica – mediana, amplitude e
  intervalo interquartil
• Estatística inferencial: testes estatísticos
  usados, nível de significância adotado
• Programa estatístico usado e sua versão
                                                    18
Métodos
    Último parágrafo da
 Metodologia: Aspectos éticos
• Submissão do projeto ao Comitê de
    Ética em Pesquisa da instituição
             (CCS; HULW)
  • Termo de Consentimento Livre e
              Esclarecido
                                  19
Métodos: Verificar
– Foi descrito o modelo do estudo?
– Os critérios (inclusão e exclusão) e a
  técnica de seleção da amostra foram
  definidos?
– Foi calculado o tamanho da amostra?
– O número de sujeitos é suficiente para
  ostudo do problema de pesquisa?
– Foram descritos os instrumentos para a
  coleta de dados?
                                       20
Métodos: Verificar
– Foram descritos os procedimentos da
  coleta de dados?
– Foi mencionada reprodutibilidade e
  acurácia? (em caso de escalas)
– Há coerência entre as definições
  nominal e operacional da pesquisa?
– A metodologia é suficientemente
  descrita possibilitando sua replicação?

                                        21
Métodos: Verificar
– Foram descritas as variáveis? Qual a
 variável dependente? Qual a variável
 independente? Qual a variável primária?
– Os testes estatísticos empregados
  foram adequados à pesquisa?
– Há alguma problema estatístico
  relacionado à homogeneidade ou à
  normalidade da distribuição da
  variável?
– O nível de significância foi definido?
                                           22
Resultados
 Seção mais importante do
      artigo/relatório
  Esta seção é descritiva:
informações de natureza factual;
  aqui não cabem argumentos,
  explicações ou interpretações
Texto complementado com
    tabelas ou gráficos
                               23
Resultados
 RESULTADOS E DISCUSSÃO:
 - A seção RESULTADOS pode
incorporar a seção DISCUSSÃO:
    depende das normas de
   publicação do periódico




                                24
Resultados
   Primeiro a análise
descritiva seguida pela
  análise inferenciais




                          25
Resultados
   Parte descritiva
   Iniciar fornecendo a
    informação sócio-
  demográfica clara da
    amostra: perfil das
características da amostra
       populacional
                             26
Resultados
     Descrição da amostra:
  • possibilidade dos resultados
servirem para outras populações
        (generalização);
 • comparações com estudos
           anteriores
As características encontradas são exclusivas da
    amostra ou da população do estudo em
                     análise?                 27
Resultados
      Estatística descritiva
Medida de tendência central
    (MTC) + medida de
       variabilidade
Média com desvio-padrão para variáveis
intervalares e com distribuição simétrica;
   mediana com amplitude e intervalo
interquartil para variáveis ordinais e para
         intervalares assimétricas
                                        28
Resultados
    Estatística descritiva
   Apresentação de detalhes
numéricos no texto: frequências
         e porcentagens
   Amostra pequena ou grupo
   pequeno: porcentagens e
    frequências absolutas em
 relação ao número de sujeitos
           (25%; 5/10)       29
Resultados
    Estatística inferencial
   Escolher testes paramétricos
 para variáveis intervalares e de
      distribuição simétrica
Escolher testes não-paramétricos
  para variáveis ordinais e para
     variáveis intervalares de
     distribuição assimétrica
                               30
Resultados
                     Usar tabelas para
                     apresentar números
                     exatos




Usar gráficos para
  longas séries
numéricas: mostrar
   tendências
                                      31
Elementos essenciais da tabela
Normas para organização de tabelas:
    Associação Brasileira de Normas Técnicas
                        (ABNT)
   • Título: indicação que precede a tabela
          contendo a designação do fato
              observado, amostra, local
• Corpo: conjunto de linhas e colunas onde
               estão inseridos os dados
 • Cabeçalho: parte superior da tabela que
          indica o conteúdo das colunas
  • Coluna indicadora: parte da tabela que
           indica o conteúdo das linhas
Organização de tabelas
Normas para organização de tabelas:
                ABNT
    A ABNT define normas para
 tabelas e figuras através das NBR
          6029 e NBR 6822;
   A ABNT também recomenda o
  uso da Norma de apresentação
       tabular do IBGE (1993).
Apresentação da tabela
• O corpo deve ser delimitado, no
mínimo, por três traços horizontais
   • Não delimitar as tabelas
            lateralmente
 • É facultativo o uso de traços
  verticais para a separação de
   colunas no corpo da tabela
• Não deve conter excesso de
  dados: dividir em duas tabelas
  pode minimizar este problema
Apresentação da tabela
                                                 (exemplo)
 Tabela 1- Comparação das concentrações plasmáticas de FSH e
 estradiol (médias e desvios-padrão) entre os grupos experimental
 (GE) e controle (GC) antes e após o tratamento (n=84)
     Variável             Grupos                       VT1                            VT3                     p

   FSH (UI/mL)                GE                  80,7±29,2                       73,6±28,9                 0,02*

                             GC                   73,6±30,3                       74,2±25,9                  NS

     Estradiol                GE                   13,0±7,1                       16,7±9,3                   NS
     (pg/mL)
                             GC                    14,1±7,6                       14,3±8,3                   NS

FSH: hormônio folículo-estimulante; VT1: primeira visita de tratamento; VT3: terceira visita de tratamento; GE: grupo
experimental; GC: grupo controle;
*Teste t para amostras independentes, p estatisticamente significativo a ≤0,05. NS= Não significativo


      Fonte: SOUSA-MUÑOZ, R. L.; FILIZOLA, R. G. Efficacy of soy isoflavones for depressive
                   symptoms of the climacteric syndrome. Maturitas, 63 (1):89-93, 2009.
Representação gráfica de variáveis
             qualitativas
            Gráficos em barras e colunas
      • A construção do gráfico em colunas é
     semelhante ao em barras, com a diferença
    de que os retângulos são sustentados no eixo
                     horizontal




Figuras 1 e 2: Internações em estabelecimento de saúde, por clínica (Fonte:
IBGE 1992).
Gráficos para variáveis qualitativas

                                    Sexo
                                                                         Gráfico de
                                                        M                setores
                                                       45%
                                                                         circulares
      F                                                                  (pizza, torta)
     55%




                normal
Tipo de parto




                cesárea

                pélvico
                                                                         Gráfico em
                 fórcipe
                                                                         barras

                           0   50    100   150   200      250      300
                                                   Nº de Gestantes
Diagrama de Caixas (Box-plot):
                                           variáveis quantitativas
                                     190

                                     180

      Pressão Sistólica (mm de Hg)   170

                                     160

                                     150

                                     140
         ssão




                                     130

                                     120

                                     110
                                             Não (n = 15)        Sim (n = 17)

                                                     Hábito de Fumar

Figura 1: Valores representativos da pressão arterial
  sistólica em função do hábito de fumar
Diagrama de dispersão
    variáveis quantitativas




                          FONTE: ROSSI, W. B. et al. Pé
                           diabético: tratamento das
                               úlceras plantares com
                             gesso de contato total e
                              análise dos fatores que
                             interferem no tempo de
                               cicatrização. Rev Bras
                              Ortop 40 (3):89-97, 2005.
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




FONTE: ROSSI, W. B. et al. Pé diabético: tratamento das úlceras plantares com gesso de contato
total e análise dos fatores que interferem no tempo de cicatrização. Rev Bras Ortop 40 (3):89-97,
                                                                                            2005.
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




 FONTE: SODRE, L. G. P. Estudo de crianças na reprodução dos componentes
                     gráficos da escrita. Psicol. esc. educ., 6 (1): 39-50, 2002.
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




       FONTE:PARENTI, C. et al. Perfil dos pacientes com AIDS acompanhados pelo Serviço de
Assistência Domiciliar Terapêutica do Município de Contagem, Estado de Minas Gerais, Brasil,
                                           2000-2003. Epidemiol. Serv. Saúde, 14 (2): 91-96, 2005.
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




FONTE:JERONIMO, M. et al. Efeitos da exposição pré-natal e pós-natal ao etanol no
córtex cerebral de ratos: um estudo do neurópilo. J. Bras. Patol. Med. Lab.44 (1): 59-
                                                                           64, 2008 .
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




FONTE:PEREIRA, M. P. et al. Evaluation of discordant results using thick blood smears for the diagnosis of malaria
      in the brazilian states of Amapá and Maranhão, 2001 to 2003. Epidemiol. Serv. Saúde, 15 (2): 35-45, 2006.
Gráfico de colunas para variáveis quantitativas




FONTE:GUEDE, D. Rompimento amoroso, depressão e auto-estima: estudo de caso.
                                      Rev. Mal-Estar Subj.,8 (3): 603-643, 2008.
Resultados
  • Não esquecer de descrever
    resultados que respondam à
        pergunta da pesquisa
• Não há necessidade de publicar
      todos os dados coletados



                              46
Resultados
  • Ordem: lógica científica ou do
    mais para o menos importante
   • Dados em tabelas ou figuras;
        poucos dados no texto
 • Dados em tabelas ou gráficos:
      apenas enfatizados no texto
    • Condensar: evitar repetição
• Tabela e Figura: Inicial maiúscula
                                  47
Resultados
• Citar tabelas ou figuras entre
 parênteses, após afirmativa
 que descreva resultados
 (Tabela 1)
• Resultados mais importantes
 no começo do parágrafo e
 detalhes em seguida
                               48
Resultados: Verificar
  • As tabelas e gráficos são auto-
             explicativos?
• As medidas de tendência central
    escolhidas são adequadas? Os
  desvios-padrão são apresentados
     para cada variável (quando
necessário)? Há uma grande variabilidade
           em alguma variável?
• Todos os dados apresentados são
   descritos nos métodos (ou vice-
               versa)?                49
Uso de Softwares Estatísticos
Relatórios de leituras
           críticas de artigos
           científicos originais
         Análises críticas de artigos
       podem ser vistos no Semioblog -
                link abaixo

http://semiologiamedica.blogspot.co
m/search/label/Leitura%20cr%C3%AD
tica%20de%20artigos%20cient%C3%A
                Dficos
                                    52
“Há uma coisa mais importante
que as mais belas descobertas:
 é o conhecimento do método
         pelo qual são feitas”.
                      (Leibniz)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
Isabella Marra
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
Rosane Domingues
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Nicolau Chaud
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
marildabacana
 
Revisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da LiteraturaRevisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da Literatura
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Revisão sistemática
Revisão sistemáticaRevisão sistemática
Revisão sistemática
Iared
 
Referencial teórico + abnt3
Referencial teórico  + abnt3Referencial teórico  + abnt3
Referencial teórico + abnt3
aula123456
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Rodrigo Abreu
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
David Daniel Abacar
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
Taiane Arruda
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Guia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCCGuia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCC
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso
 
Aula como elaborar um artigo científico
Aula   como elaborar um artigo científicoAula   como elaborar um artigo científico
Aula como elaborar um artigo científico
Ludmila Moura
 
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
http://bvsalud.org/
 
Tipos De Estudo
Tipos De EstudoTipos De Estudo
Tipos De Estudo
Eduardo Vilas Boas
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
Joao Balbi
 
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de PesquisasAula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
ntebrusque
 
O que é pesquisa?
O que é pesquisa?O que é pesquisa?
O que é pesquisa?
Lucila Pesce
 

Mais procurados (20)

Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
 
Modelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tccModelo de pre projeto tcc
Modelo de pre projeto tcc
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Revisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da LiteraturaRevisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da Literatura
 
Revisão sistemática
Revisão sistemáticaRevisão sistemática
Revisão sistemática
 
Referencial teórico + abnt3
Referencial teórico  + abnt3Referencial teórico  + abnt3
Referencial teórico + abnt3
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Guia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCCGuia para Construção de Projeto TCC
Guia para Construção de Projeto TCC
 
Aula como elaborar um artigo científico
Aula   como elaborar um artigo científicoAula   como elaborar um artigo científico
Aula como elaborar um artigo científico
 
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
 
Tipos De Estudo
Tipos De EstudoTipos De Estudo
Tipos De Estudo
 
19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia19 elaboração da metodologia
19 elaboração da metodologia
 
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de PesquisasAula 02 - Tipos de Pesquisas
Aula 02 - Tipos de Pesquisas
 
Apresentação TCC
Apresentação TCCApresentação TCC
Apresentação TCC
 
O que é pesquisa?
O que é pesquisa?O que é pesquisa?
O que é pesquisa?
 

Destaque

ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATEESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
Fernando A. Barbeiro Campos
 
Banner dani e debora TCC
Banner dani e debora TCCBanner dani e debora TCC
Banner dani e debora TCC
Débora Freitas
 
TCC Com os gráficos
TCC Com os gráficosTCC Com os gráficos
TCC Com os gráficos
Patricia Veras
 
Estrutura do modelo de tcc pronto
Estrutura do modelo de tcc prontoEstrutura do modelo de tcc pronto
Estrutura do modelo de tcc pronto
Nathalya_Vera
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química
Rui Barqueiro
 
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Rosineia Oliveira dos Santos
 

Destaque (6)

ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATEESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
ESTUDO DE MAPEAMENTO OBJETO-RELACIONAL COM FRAMEWORK HIBERNATE
 
Banner dani e debora TCC
Banner dani e debora TCCBanner dani e debora TCC
Banner dani e debora TCC
 
TCC Com os gráficos
TCC Com os gráficosTCC Com os gráficos
TCC Com os gráficos
 
Estrutura do modelo de tcc pronto
Estrutura do modelo de tcc prontoEstrutura do modelo de tcc pronto
Estrutura do modelo de tcc pronto
 
Medição em Química
Medição em Química Medição em Química
Medição em Química
 
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
 

Semelhante a TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz

Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESMEUma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Curso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisaCurso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisa
Renato Sebastião Saladino
 
Metanálise
MetanáliseMetanálise
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionaisPesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
Rodrigo Rodrigues
 
Método quantitativo-finalizado- slides
Método quantitativo-finalizado- slidesMétodo quantitativo-finalizado- slides
Método quantitativo-finalizado- slides
Emanuele Chaia
 
EST008_Amostragem_19092023.ppt
EST008_Amostragem_19092023.pptEST008_Amostragem_19092023.ppt
EST008_Amostragem_19092023.ppt
BolaoTavares
 
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaaAula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
santsjf72
 
Capacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativosCapacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativos
Aliny Lima
 
Aula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
Aula 2 Teoria Da Amostragem DanielAula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
Aula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
guest8af68839
 
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
GuilhermeMonteiro141694
 
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.pptCurso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
ssuser2b53fe
 
Apresentacao quanti v4
Apresentacao quanti v4Apresentacao quanti v4
Apresentacao quanti v4
Procambiental
 
Atps estatistica 2
Atps estatistica 2Atps estatistica 2
Atps estatistica 2
Marco Antonio Rosa
 
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.pptCurso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
ssuser2b53fe
 
STROBE (1)
STROBE (1)STROBE (1)
STROBE (1)
MateusSouza481676
 
1-Sequencia analítica.pdf
1-Sequencia analítica.pdf1-Sequencia analítica.pdf
1-Sequencia analítica.pdf
jefferson BARROS
 
Analise de dados ccill end
Analise de dados ccill endAnalise de dados ccill end
Analise de dados ccill end
cruz ant
 
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
http://bvsalud.org/
 
MI - Amostragem.pptx
MI - Amostragem.pptxMI - Amostragem.pptx
MI - Amostragem.pptx
RitaQuintela4
 
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana CarlaAula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
HERALDICA CORRETORA E ADM DE SEGUROS
 

Semelhante a TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz (20)

Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESMEUma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
Uma Breve Revisão sobre Bioestatística no GESME
 
Curso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisaCurso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisa
 
Metanálise
MetanáliseMetanálise
Metanálise
 
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionaisPesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
Pesquisa Quantitativa: aspectos teóricos e computacionais
 
Método quantitativo-finalizado- slides
Método quantitativo-finalizado- slidesMétodo quantitativo-finalizado- slides
Método quantitativo-finalizado- slides
 
EST008_Amostragem_19092023.ppt
EST008_Amostragem_19092023.pptEST008_Amostragem_19092023.ppt
EST008_Amostragem_19092023.ppt
 
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaaAula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
Aula 1 - Introdução, Validação.pdf.aulaa
 
Capacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativosCapacitação em análise de dados quantitativos
Capacitação em análise de dados quantitativos
 
Aula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
Aula 2 Teoria Da Amostragem DanielAula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
Aula 2 Teoria Da Amostragem Daniel
 
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
4. Aula MPC Capítulo da Metodologia Alunos CAO 2º ano EsAO 2023.pptx
 
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.pptCurso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
 
Apresentacao quanti v4
Apresentacao quanti v4Apresentacao quanti v4
Apresentacao quanti v4
 
Atps estatistica 2
Atps estatistica 2Atps estatistica 2
Atps estatistica 2
 
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.pptCurso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
Curso_de_Estatística_Aplicada_Usando_o_R.ppt
 
STROBE (1)
STROBE (1)STROBE (1)
STROBE (1)
 
1-Sequencia analítica.pdf
1-Sequencia analítica.pdf1-Sequencia analítica.pdf
1-Sequencia analítica.pdf
 
Analise de dados ccill end
Analise de dados ccill endAnalise de dados ccill end
Analise de dados ccill end
 
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
Avaliação das estratégias de busca com a ferramenta AMSTAR dos estudos de Rev...
 
MI - Amostragem.pptx
MI - Amostragem.pptxMI - Amostragem.pptx
MI - Amostragem.pptx
 
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana CarlaAula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
Aula Saúde Coletiva III - Profa Ana Carla
 

Mais de Rilva Lopes de Sousa Muñoz

Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOSA RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no BrasilHistória da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no Brasil
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História da Saúde Pública - Parte 1
História da Saúde Pública - Parte 1História da Saúde Pública - Parte 1
História da Saúde Pública - Parte 1
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História da Teoria Microbiana das Doenças
História da Teoria Microbiana das DoençasHistória da Teoria Microbiana das Doenças
História da Teoria Microbiana das Doenças
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História da Medicina no Brasil
História da Medicina no BrasilHistória da Medicina no Brasil
História da Medicina no Brasil
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História da Cirurgia
História da CirurgiaHistória da Cirurgia
História da Cirurgia
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História do Ensino Médico
História do Ensino MédicoHistória do Ensino Médico
História do Ensino Médico
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em MedicinaTeorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICAORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
História das Doenças Negligenciadas
História das Doenças NegligenciadasHistória das Doenças Negligenciadas
História das Doenças Negligenciadas
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Semiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em EvidênciasSemiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em Evidências
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Aula "Atestados Médicos"
Aula "Atestados Médicos" Aula "Atestados Médicos"
Aula "Atestados Médicos"
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESMEElaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESMEValidade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. RilvaNoções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESMETeoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 

Mais de Rilva Lopes de Sousa Muñoz (20)

Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
Introdução à Estatística Inferencial - Parte 1
 
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOSA RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
A RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE ATRAVÉS DOS TEMPOS
 
História da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no BrasilHistória da Saúde Pública no Brasil
História da Saúde Pública no Brasil
 
História da Saúde Pública - Parte 1
História da Saúde Pública - Parte 1História da Saúde Pública - Parte 1
História da Saúde Pública - Parte 1
 
História da Teoria Microbiana das Doenças
História da Teoria Microbiana das DoençasHistória da Teoria Microbiana das Doenças
História da Teoria Microbiana das Doenças
 
História da Medicina no Brasil
História da Medicina no BrasilHistória da Medicina no Brasil
História da Medicina no Brasil
 
História da Cirurgia
História da CirurgiaHistória da Cirurgia
História da Cirurgia
 
História do Ensino Médico
História do Ensino MédicoHistória do Ensino Médico
História do Ensino Médico
 
Teorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em MedicinaTeorias de Aprendizagem em Medicina
Teorias de Aprendizagem em Medicina
 
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICAORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO  INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
ORIGEM E EVOLUÇÃO DO CONSENTIMENTO INFORMADO NA PRÁTICA MÉDICA
 
História das Doenças Negligenciadas
História das Doenças NegligenciadasHistória das Doenças Negligenciadas
História das Doenças Negligenciadas
 
Semiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em EvidênciasSemiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em Evidências
 
Aula "Atestados Médicos"
Aula "Atestados Médicos" Aula "Atestados Médicos"
Aula "Atestados Médicos"
 
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESMEElaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
Elaboração e Publicação de um Artigo Científico Original - GESME
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
 
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESMEValidade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
Validade e Reprodutibilidade de Exames - Profa. Rilva Muñoz - GESME
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
 
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. RilvaNoções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
 
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESMETeoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
Teoria da Amostragem - Profa. Rilva - GESME
 
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem QuantitativaModelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
Modelos de Pesquisa Científica de Abordagem Quantitativa
 

Último

A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

TCC: Métodos e Resultados - Profa. Rilva Muñoz

  • 1. TCC: Seções Métodos e Resultados Profa. Profa. Rilva Lopes de Sousa-Muñoz Sousa- rilva@ccm.ufpb.br
  • 2. Métodos Terminologia • Metodologia • Material e Métodos • Pacientes e Métodos • Casuística e Métodos 2
  • 3. Métodos Etimologia Grego Methodos “Caminho para chegar a um fim” 3
  • 4. Métodos • Um método com falhas e inadequações pode comprometer toda a investigação e invalidar as conclusões de uma pesquisa 4
  • 5. Métodos • Modelo da pesquisa • Abordagem metodológica • Local da pesquisa • População e amostra • Instrumentos de coleta dos dados • Procedimentos • Análise estatística • Aspectos éticos 5
  • 6. Métodos • Descrevem-se todos os passos do estudo • Com subtítulos ou subseções • Procedimentos (“o como”) e instrumentos (“com que”) • Verbo no passado 6
  • 7. Métodos Amostra Definição detalhada da população/amostra do estudo: Critérios de inclusão e exclusão da amostra Processo de amostragem Tamanho da amostra 7
  • 8. Métodos Variáveis Descrição das variáveis: Primária e secundárias; Dependente e independente 8
  • 9. Métodos Definições das Variáveis •Deve haver coerência entre a conceitualização (na Seção de Introdução da Pesquisa) e a forma de operacionalização (na Metodologia) • Definição nominal e definição operacional 9
  • 10. Métodos Quanto detalhamento é necessário na descrição metodológica?... 10
  • 11. Métodos A descrição metodológica deve ser suficiente para permitir uma eventual replicação do estudo 11
  • 12. Métodos Sequência para descrição dos métodos: Ordem cronológica Ordem lógica Técnicas semelhantes 12
  • 13. Métodos Instrumentos de coleta de dados: • Questionário • Formulário • Entrevista • Medidas biológicas (citar “telegraficamente: aparelho de medição, modelo, empresa®, país de origem). 13
  • 14. Métodos Instrumentos de coleta de dados (escalas padronizadas): •Validade •Confiabilidade •Validação no Brasil 14
  • 15. Métodos Instrumentos de coleta de dados elaborados pelo pesquisador: •Pré-teste ou estudo-piloto: compreensão das questões, verificação das dúvidas e das dificuldades de preenchimento, necessidade de introdução ou supressão de itens. 15
  • 16. Métodos Descrição dos Métodos: •Método conhecido: citar artigo •Método novo: descrição mais pormenorizada •Método conhecido, com modificação: descrição da alteração introduzida 16
  • 17. Métodos Se pesquisa experimental: • Além dos itens mencionados, descrever também mascaramento, intervenção e randomização 17
  • 18. Métodos: Análise estatística • Estatística descritiva: resumo dos dados de variáveis quantitativas frequências absolutas e relativas, razão; medidas de tendência central e medidas de dispersão • Distribuição normal – média e desvio padrão • Distribuição assimétrica – mediana, amplitude e intervalo interquartil • Estatística inferencial: testes estatísticos usados, nível de significância adotado • Programa estatístico usado e sua versão 18
  • 19. Métodos Último parágrafo da Metodologia: Aspectos éticos • Submissão do projeto ao Comitê de Ética em Pesquisa da instituição (CCS; HULW) • Termo de Consentimento Livre e Esclarecido 19
  • 20. Métodos: Verificar – Foi descrito o modelo do estudo? – Os critérios (inclusão e exclusão) e a técnica de seleção da amostra foram definidos? – Foi calculado o tamanho da amostra? – O número de sujeitos é suficiente para ostudo do problema de pesquisa? – Foram descritos os instrumentos para a coleta de dados? 20
  • 21. Métodos: Verificar – Foram descritos os procedimentos da coleta de dados? – Foi mencionada reprodutibilidade e acurácia? (em caso de escalas) – Há coerência entre as definições nominal e operacional da pesquisa? – A metodologia é suficientemente descrita possibilitando sua replicação? 21
  • 22. Métodos: Verificar – Foram descritas as variáveis? Qual a variável dependente? Qual a variável independente? Qual a variável primária? – Os testes estatísticos empregados foram adequados à pesquisa? – Há alguma problema estatístico relacionado à homogeneidade ou à normalidade da distribuição da variável? – O nível de significância foi definido? 22
  • 23. Resultados Seção mais importante do artigo/relatório Esta seção é descritiva: informações de natureza factual; aqui não cabem argumentos, explicações ou interpretações Texto complementado com tabelas ou gráficos 23
  • 24. Resultados RESULTADOS E DISCUSSÃO: - A seção RESULTADOS pode incorporar a seção DISCUSSÃO: depende das normas de publicação do periódico 24
  • 25. Resultados Primeiro a análise descritiva seguida pela análise inferenciais 25
  • 26. Resultados Parte descritiva Iniciar fornecendo a informação sócio- demográfica clara da amostra: perfil das características da amostra populacional 26
  • 27. Resultados Descrição da amostra: • possibilidade dos resultados servirem para outras populações (generalização); • comparações com estudos anteriores As características encontradas são exclusivas da amostra ou da população do estudo em análise? 27
  • 28. Resultados Estatística descritiva Medida de tendência central (MTC) + medida de variabilidade Média com desvio-padrão para variáveis intervalares e com distribuição simétrica; mediana com amplitude e intervalo interquartil para variáveis ordinais e para intervalares assimétricas 28
  • 29. Resultados Estatística descritiva Apresentação de detalhes numéricos no texto: frequências e porcentagens Amostra pequena ou grupo pequeno: porcentagens e frequências absolutas em relação ao número de sujeitos (25%; 5/10) 29
  • 30. Resultados Estatística inferencial Escolher testes paramétricos para variáveis intervalares e de distribuição simétrica Escolher testes não-paramétricos para variáveis ordinais e para variáveis intervalares de distribuição assimétrica 30
  • 31. Resultados Usar tabelas para apresentar números exatos Usar gráficos para longas séries numéricas: mostrar tendências 31
  • 32. Elementos essenciais da tabela Normas para organização de tabelas: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) • Título: indicação que precede a tabela contendo a designação do fato observado, amostra, local • Corpo: conjunto de linhas e colunas onde estão inseridos os dados • Cabeçalho: parte superior da tabela que indica o conteúdo das colunas • Coluna indicadora: parte da tabela que indica o conteúdo das linhas
  • 33. Organização de tabelas Normas para organização de tabelas: ABNT A ABNT define normas para tabelas e figuras através das NBR 6029 e NBR 6822; A ABNT também recomenda o uso da Norma de apresentação tabular do IBGE (1993).
  • 34. Apresentação da tabela • O corpo deve ser delimitado, no mínimo, por três traços horizontais • Não delimitar as tabelas lateralmente • É facultativo o uso de traços verticais para a separação de colunas no corpo da tabela • Não deve conter excesso de dados: dividir em duas tabelas pode minimizar este problema
  • 35. Apresentação da tabela (exemplo) Tabela 1- Comparação das concentrações plasmáticas de FSH e estradiol (médias e desvios-padrão) entre os grupos experimental (GE) e controle (GC) antes e após o tratamento (n=84) Variável Grupos VT1 VT3 p FSH (UI/mL) GE 80,7±29,2 73,6±28,9 0,02* GC 73,6±30,3 74,2±25,9 NS Estradiol GE 13,0±7,1 16,7±9,3 NS (pg/mL) GC 14,1±7,6 14,3±8,3 NS FSH: hormônio folículo-estimulante; VT1: primeira visita de tratamento; VT3: terceira visita de tratamento; GE: grupo experimental; GC: grupo controle; *Teste t para amostras independentes, p estatisticamente significativo a ≤0,05. NS= Não significativo Fonte: SOUSA-MUÑOZ, R. L.; FILIZOLA, R. G. Efficacy of soy isoflavones for depressive symptoms of the climacteric syndrome. Maturitas, 63 (1):89-93, 2009.
  • 36. Representação gráfica de variáveis qualitativas Gráficos em barras e colunas • A construção do gráfico em colunas é semelhante ao em barras, com a diferença de que os retângulos são sustentados no eixo horizontal Figuras 1 e 2: Internações em estabelecimento de saúde, por clínica (Fonte: IBGE 1992).
  • 37. Gráficos para variáveis qualitativas Sexo Gráfico de M setores 45% circulares F (pizza, torta) 55% normal Tipo de parto cesárea pélvico Gráfico em fórcipe barras 0 50 100 150 200 250 300 Nº de Gestantes
  • 38. Diagrama de Caixas (Box-plot): variáveis quantitativas 190 180 Pressão Sistólica (mm de Hg) 170 160 150 140 ssão 130 120 110 Não (n = 15) Sim (n = 17) Hábito de Fumar Figura 1: Valores representativos da pressão arterial sistólica em função do hábito de fumar
  • 39. Diagrama de dispersão variáveis quantitativas FONTE: ROSSI, W. B. et al. Pé diabético: tratamento das úlceras plantares com gesso de contato total e análise dos fatores que interferem no tempo de cicatrização. Rev Bras Ortop 40 (3):89-97, 2005.
  • 40. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE: ROSSI, W. B. et al. Pé diabético: tratamento das úlceras plantares com gesso de contato total e análise dos fatores que interferem no tempo de cicatrização. Rev Bras Ortop 40 (3):89-97, 2005.
  • 41. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE: SODRE, L. G. P. Estudo de crianças na reprodução dos componentes gráficos da escrita. Psicol. esc. educ., 6 (1): 39-50, 2002.
  • 42. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE:PARENTI, C. et al. Perfil dos pacientes com AIDS acompanhados pelo Serviço de Assistência Domiciliar Terapêutica do Município de Contagem, Estado de Minas Gerais, Brasil, 2000-2003. Epidemiol. Serv. Saúde, 14 (2): 91-96, 2005.
  • 43. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE:JERONIMO, M. et al. Efeitos da exposição pré-natal e pós-natal ao etanol no córtex cerebral de ratos: um estudo do neurópilo. J. Bras. Patol. Med. Lab.44 (1): 59- 64, 2008 .
  • 44. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE:PEREIRA, M. P. et al. Evaluation of discordant results using thick blood smears for the diagnosis of malaria in the brazilian states of Amapá and Maranhão, 2001 to 2003. Epidemiol. Serv. Saúde, 15 (2): 35-45, 2006.
  • 45. Gráfico de colunas para variáveis quantitativas FONTE:GUEDE, D. Rompimento amoroso, depressão e auto-estima: estudo de caso. Rev. Mal-Estar Subj.,8 (3): 603-643, 2008.
  • 46. Resultados • Não esquecer de descrever resultados que respondam à pergunta da pesquisa • Não há necessidade de publicar todos os dados coletados 46
  • 47. Resultados • Ordem: lógica científica ou do mais para o menos importante • Dados em tabelas ou figuras; poucos dados no texto • Dados em tabelas ou gráficos: apenas enfatizados no texto • Condensar: evitar repetição • Tabela e Figura: Inicial maiúscula 47
  • 48. Resultados • Citar tabelas ou figuras entre parênteses, após afirmativa que descreva resultados (Tabela 1) • Resultados mais importantes no começo do parágrafo e detalhes em seguida 48
  • 49. Resultados: Verificar • As tabelas e gráficos são auto- explicativos? • As medidas de tendência central escolhidas são adequadas? Os desvios-padrão são apresentados para cada variável (quando necessário)? Há uma grande variabilidade em alguma variável? • Todos os dados apresentados são descritos nos métodos (ou vice- versa)? 49
  • 50. Uso de Softwares Estatísticos
  • 51.
  • 52. Relatórios de leituras críticas de artigos científicos originais Análises críticas de artigos podem ser vistos no Semioblog - link abaixo http://semiologiamedica.blogspot.co m/search/label/Leitura%20cr%C3%AD tica%20de%20artigos%20cient%C3%A Dficos 52
  • 53. “Há uma coisa mais importante que as mais belas descobertas: é o conhecimento do método pelo qual são feitas”. (Leibniz)