SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Sinonímia e paráfrase
 A presente apresentação é fichamento do capítulo
“Outras propriedades semânticas” do livro de
Márcia Cançado, Manual de Semântica, e foi
produzida com fins didáticos, para uso interno em
aulas presenciais.
 Sinonímia lexical ocorre entre pares de palavras
ou expressões.
 Não há definição exata da relação de sinonímia.
 Não é possível reduzi-la à mera identidade de
significados.
 Para que duas expressões sejam sinônimas, não
basta que tenham a mesma referência no mundo.
 A) Os alunos de Educação Física da USP.
 B) Os alunos mais fortes da USP.
 A) Os alunos de Letras do IFSP.
 B) Os alunos mais cultos do IFSP.
 A) Mãe.
 B) Melhor pessoa que conheço.
 As expressões se referem aos mesmos objetos
no mundo (têm a mesma referência), mas não às
mesmas propriedades desses objetos.
 As expressões precisam, além de ter a mesma
referência, ter o mesmo sentido.
 Duas sentenças têm o mesmo sentido quando, ao
se referirem ao mesmo conjunto de fatos no
mundo, são ambas verdadeiras ou ambas falsas.
 A mãe desses cachorrinhos come ração e dorme
em uma casinha de madeira.
 *A melhor pessoa que conheço desses
cachorrinhos come ração e dorme em uma
casinha de madeira.
 A necessidade é a mãe da invenção.
 *A necessidade é a melhor pessoa que conheço
da invenção.
 Palavras são sinônimas quando podem ser
substituídas no contexto de qualquer frase sem
que a frase passe de falsa a verdadeira.
 Menina/garota.
 Toda menina sonha ser mulher um dia.
 Toda garota sonha ser mulher um dia.
 Sempre será possível encontrar um contexto em
que a sinonímia não se sustenta.
 A Maria não se irrita quando a chamam de
menina, mas não suporta ser chamada de garota.
 A Maria não se irrita quando a chamam de garota,
mas não suporta ser chamada de menina.
 Portanto, não é possível pensar em sinonímia de
palavras fora do contexto em que são
empregadas.
 Na maioria dos casos, sinonímia é baseada no
significado conceitual da palavra, sem se levar em
conta outros fatores.
 Não há sinônimos perfeitos, só sinonímia gradual,
pois as palavras sempre sofrem algum tipo de
especialização de sentido ou uso.
 Bandido/meliante
 Esposa/mulher
 Medo/temor
 Ilusão/fantasia
 Prédio/edifício
 Texto/redação
 Alegria/felicidade
 É a sinonímia entre sentenças.
 Questão é tão complexa quanto a das palavras ou
expressões isoladas.
 Para Cançado, noção de acarretamento resolve a
questão da sinonímia de conteúdo.
 Duas sentenças seriam sinônimas quando a
primeira acarreta a segunda e a segunda acarreta
a primeira.
 A) Aquelas três damas do canto estão chamando.
 B) Aquelas três mulheres do canto estão
chamando.
 Embora, em sentido meramente informacional,
possa se dizer que há acarretamento mútuo, o
uso de “mulheres” e “damas” remete a sentidos
distintos, dependendo do contexto.
 A) Todo mundo nesta sala fala duas línguas.
 B) Duas línguas são faladas por todo mundo
nesta sala.
 A) A polícia procura a Sara.
 B) A Sara é procurada pela polícia.
 Clareza sobre a informação da primeira sentença
interfere na noção de acarretamento mútuo.
 Escolha do tópico da sentença altera a
informação construída. Topicalização nunca é
ingênua por parte do falante.
 Da mesma forma, a entonação e o foco mudam o
significado da sentença.
 A) O DOUGLAS escolheu aquele terno.
 B) O Douglas escolheu AQUELE TERNO.
 A) Agora que cheguei em casa, pretendo
DESCANSAR.
 B) Agora que cheguei em casa, PRETENDO
descansar.
 Não há sinonímia perfeita nem entre palavras
nem entre sentenças.
 Jamais duas palavras, expressões ou sentenças
são idênticas em termos de estrutura sintática,
entonação, sugestões, possibilidades metafóricas
ou estruturas fonéticas e fonológicas.
 Mas algum tipo de sinonímia deve ser levado em
conta, para possibilitar a recuperação de
informações pela linguagem.
 Traduções e recontações exigem algum tipo de
equivalência semântica com o original.
 O ponto de partida mínimo, para Cançado, é o
acarretamento mútuo.
 Entretanto, sempre é preciso estar atento para o
fato de que a aproximação conceitual isolada do
contexto é incapaz de recuperar o sentido na
maioria das situações.
 A) A Maria não está viva.
 B) A Maria está morta.
 A) O Carlos é pai do André.
 B) O André é filho do Carlos.
 A) Aquela pessoa é muito esperta.
 B) Aquele indivíduo é muito esperto.
 A) A Maria falou que o André saiu.
 B) A Maria disse que o André saiu.
 A) Todos os trabalhadores dessa empresa
recebem dois benefícios.
 B) Dois benefícios são recebidos por todos os
trabalhadores dessa empresa.
 A) A Maria é linda.
 B) A Maria é muito bonita.
 A) O Pedro trabalha comigo.
 B) Eu trabalho com o Pedro.
 A) EU comi um chocolate.
 B) Eu comi UM CHOCOLATE.
 Para Ilari, duas sentenças são paráfrase quando
descrevem um mesmo acontecimento ou estado
de coisas de maneira equivalente.
 Há dois tipos principais de mecanismos para
construção de paráfrases:
 1) Por transformações de caráter sintático.
 2) Por transformações com base no
conhecimento do léxico, pela equivalência de
palavras e expressões.
 Principais tipos de paráfrase baseada no léxico:
 1) Pelo predicado converso.
 2) Por predicados simétricos.
 3) Pela troca de verbos-suporte.
 4) Por palavras que expressam as mesmas
relações em classes morfossintáticas diferentes.
 5) Por termos sinônimos.
 Com substantivos:
 José é filho de Pedro. // Pedro é pai de
José.
 Com adjetivos:
 Federer é superior a Nadal. // Nadal é
inferior a Federer.
 Com preposições:
 A padaria fica depois do açougue. // O
açougue fica antes da padaria.
 Com verbos:
 José emprestou um livro a Pedro. // Pedro
tomou um livro emprestado a José.
 Com substantivos:
 José é irmão de Pedro. // Pedro é irmão de
José.
 Com adjetivos:
 Federer é tão bom quanto Djokovic. //
Djokovic é tão bom quanto Federer.
 Com verbos:
 Maria namora José. // José namora Maria.
 Com preposições e locuções prepositivas:
 A padaria fica perto do açougue. // O
açougue fica perto da padaria.
 José tem barba. // José é barbudo.
 José tem muita idade. // José é idoso.
 José tem paciência. // José é paciente.
 Atenção: não há paráfrase em:
 José tem cabeça. // José é cabeçudo.
 Antes de jantar, o presidente fez um
discurso. // O jantar foi precedido pelo
discurso do presidente.
 Por causa da chuva, os convidados se
atrasaram. // A chuva provocou o atraso
dos convidados.
 A aula foi tediosa.
 A aula foi chata.
 A aula foi maçante.
 CANÇADO, M. Manual de Semântica: noções
básicas e exercícios. 1. ed., 1ª reimpressão. São
Paulo: Contexto, 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
ionasilva
 
Coesão e coerência – o que são
Coesão e coerência – o que sãoCoesão e coerência – o que são
Coesão e coerência – o que são
Renally Arruda
 
Ambiguidade e polissemia
Ambiguidade e polissemiaAmbiguidade e polissemia
Ambiguidade e polissemia
Evilane Alves
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
ISJ
 

Mais procurados (20)

Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Ambiguidade
AmbiguidadeAmbiguidade
Ambiguidade
 
Coesão e coerência – o que são
Coesão e coerência – o que sãoCoesão e coerência – o que são
Coesão e coerência – o que são
 
Frase, oração e período
Frase, oração e períodoFrase, oração e período
Frase, oração e período
 
Coesão exóforica ou dêitica
Coesão exóforica ou dêiticaCoesão exóforica ou dêitica
Coesão exóforica ou dêitica
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Ambiguidade e polissemia
Ambiguidade e polissemiaAmbiguidade e polissemia
Ambiguidade e polissemia
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
 
Paralelismo
ParalelismoParalelismo
Paralelismo
 
Morfossintaxe
MorfossintaxeMorfossintaxe
Morfossintaxe
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
 
Coesão e coerência
Coesão e coerênciaCoesão e coerência
Coesão e coerência
 
Poesias rima e metrica
Poesias rima e metricaPoesias rima e metrica
Poesias rima e metrica
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
 
Aula 13 vozes verbais
Aula 13   vozes verbaisAula 13   vozes verbais
Aula 13 vozes verbais
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Semelhante a Semântica sinonímia e paráfrase

Concordâncias nominal e verbal.pptx
Concordâncias nominal e verbal.pptxConcordâncias nominal e verbal.pptx
Concordâncias nominal e verbal.pptx
AnaCarolina853021
 
Simulado MACVEST - 3 2012
Simulado MACVEST - 3 2012Simulado MACVEST - 3 2012
Simulado MACVEST - 3 2012
Matheus Ronconi
 
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide share
Caroline Indayara
 
Aula 1 Concordância
Aula 1 ConcordânciaAula 1 Concordância
Aula 1 Concordância
2º ano CSR
 

Semelhante a Semântica sinonímia e paráfrase (20)

Concordâncias nominal e verbal.pptx
Concordâncias nominal e verbal.pptxConcordâncias nominal e verbal.pptx
Concordâncias nominal e verbal.pptx
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 03
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 03
 
estilística.pdf
estilística.pdfestilística.pdf
estilística.pdf
 
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Simulado MACVEST - 3 2012
Simulado MACVEST - 3 2012Simulado MACVEST - 3 2012
Simulado MACVEST - 3 2012
 
Concordância verbal
Concordância verbal Concordância verbal
Concordância verbal
 
Concordância Verbal
Concordância Verbal Concordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide share
 
AULA 1
AULA 1 AULA 1
AULA 1
 
Português 1
Português 1Português 1
Português 1
 
Aula 1 Concordância
Aula 1 ConcordânciaAula 1 Concordância
Aula 1 Concordância
 
Aula Semântica.pdf
Aula Semântica.pdfAula Semântica.pdf
Aula Semântica.pdf
 
Figuras de Linguagem- antítese - paradoxo - eufemismo - ironia.pptx
Figuras de Linguagem- antítese - paradoxo - eufemismo  - ironia.pptxFiguras de Linguagem- antítese - paradoxo - eufemismo  - ironia.pptx
Figuras de Linguagem- antítese - paradoxo - eufemismo - ironia.pptx
 
Adjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbialAdjunto adnominal e adverbial
Adjunto adnominal e adverbial
 
Thayssa
ThayssaThayssa
Thayssa
 

Mais de vinivs

Semântica implicações
Semântica   implicaçõesSemântica   implicações
Semântica implicações
vinivs
 

Mais de vinivs (20)

Sociologia da Educacao - apresentacao inicial da disciplina.pptx
Sociologia da Educacao - apresentacao inicial da disciplina.pptxSociologia da Educacao - apresentacao inicial da disciplina.pptx
Sociologia da Educacao - apresentacao inicial da disciplina.pptx
 
Sociologia da educacao apresentacao inicial da disciplina
Sociologia da educacao   apresentacao inicial da disciplinaSociologia da educacao   apresentacao inicial da disciplina
Sociologia da educacao apresentacao inicial da disciplina
 
Apresentação - Manuel Bandeira - Libertinagem
Apresentação - Manuel Bandeira - LibertinagemApresentação - Manuel Bandeira - Libertinagem
Apresentação - Manuel Bandeira - Libertinagem
 
Modernismo Brasileiro - contexto histórico
Modernismo Brasileiro - contexto históricoModernismo Brasileiro - contexto histórico
Modernismo Brasileiro - contexto histórico
 
Aula de Literatura Ocidental - Emily Bronte
Aula de Literatura Ocidental - Emily BronteAula de Literatura Ocidental - Emily Bronte
Aula de Literatura Ocidental - Emily Bronte
 
Estudos da comunicacao humana
Estudos da comunicacao humanaEstudos da comunicacao humana
Estudos da comunicacao humana
 
Literatura do século XVII
Literatura do século XVIILiteratura do século XVII
Literatura do século XVII
 
Semântica: dêixis e anáfora
Semântica: dêixis e anáforaSemântica: dêixis e anáfora
Semântica: dêixis e anáfora
 
Semântica: anomalias
Semântica: anomaliasSemântica: anomalias
Semântica: anomalias
 
Literatura jesuítica
Literatura jesuíticaLiteratura jesuítica
Literatura jesuítica
 
Semântica implicações
Semântica   implicaçõesSemântica   implicações
Semântica implicações
 
Semântica implicações
Semântica   implicaçõesSemântica   implicações
Semântica implicações
 
Pré modernismo - introdução
Pré modernismo - introduçãoPré modernismo - introdução
Pré modernismo - introdução
 
Elementos de História do Brasil Colonial
Elementos de História do Brasil ColonialElementos de História do Brasil Colonial
Elementos de História do Brasil Colonial
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Literaturas de expressão portuguesa 3o ano - apresentação geral
Literaturas de expressão portuguesa   3o ano - apresentação geralLiteraturas de expressão portuguesa   3o ano - apresentação geral
Literaturas de expressão portuguesa 3o ano - apresentação geral
 
Literatura brasileira 1 programação
Literatura brasileira 1 programaçãoLiteratura brasileira 1 programação
Literatura brasileira 1 programação
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Tropicalismo
TropicalismoTropicalismo
Tropicalismo
 
Teoria semiótica do texto 1
Teoria semiótica do texto 1Teoria semiótica do texto 1
Teoria semiótica do texto 1
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 

Semântica sinonímia e paráfrase

  • 2.  A presente apresentação é fichamento do capítulo “Outras propriedades semânticas” do livro de Márcia Cançado, Manual de Semântica, e foi produzida com fins didáticos, para uso interno em aulas presenciais.
  • 3.  Sinonímia lexical ocorre entre pares de palavras ou expressões.  Não há definição exata da relação de sinonímia.  Não é possível reduzi-la à mera identidade de significados.  Para que duas expressões sejam sinônimas, não basta que tenham a mesma referência no mundo.
  • 4.  A) Os alunos de Educação Física da USP.  B) Os alunos mais fortes da USP.  A) Os alunos de Letras do IFSP.  B) Os alunos mais cultos do IFSP.  A) Mãe.  B) Melhor pessoa que conheço.
  • 5.  As expressões se referem aos mesmos objetos no mundo (têm a mesma referência), mas não às mesmas propriedades desses objetos.  As expressões precisam, além de ter a mesma referência, ter o mesmo sentido.  Duas sentenças têm o mesmo sentido quando, ao se referirem ao mesmo conjunto de fatos no mundo, são ambas verdadeiras ou ambas falsas.
  • 6.  A mãe desses cachorrinhos come ração e dorme em uma casinha de madeira.  *A melhor pessoa que conheço desses cachorrinhos come ração e dorme em uma casinha de madeira.  A necessidade é a mãe da invenção.  *A necessidade é a melhor pessoa que conheço da invenção.
  • 7.  Palavras são sinônimas quando podem ser substituídas no contexto de qualquer frase sem que a frase passe de falsa a verdadeira.  Menina/garota.  Toda menina sonha ser mulher um dia.  Toda garota sonha ser mulher um dia.
  • 8.  Sempre será possível encontrar um contexto em que a sinonímia não se sustenta.  A Maria não se irrita quando a chamam de menina, mas não suporta ser chamada de garota.  A Maria não se irrita quando a chamam de garota, mas não suporta ser chamada de menina.
  • 9.  Portanto, não é possível pensar em sinonímia de palavras fora do contexto em que são empregadas.  Na maioria dos casos, sinonímia é baseada no significado conceitual da palavra, sem se levar em conta outros fatores.  Não há sinônimos perfeitos, só sinonímia gradual, pois as palavras sempre sofrem algum tipo de especialização de sentido ou uso.
  • 10.  Bandido/meliante  Esposa/mulher  Medo/temor  Ilusão/fantasia  Prédio/edifício  Texto/redação  Alegria/felicidade
  • 11.  É a sinonímia entre sentenças.  Questão é tão complexa quanto a das palavras ou expressões isoladas.  Para Cançado, noção de acarretamento resolve a questão da sinonímia de conteúdo.  Duas sentenças seriam sinônimas quando a primeira acarreta a segunda e a segunda acarreta a primeira.
  • 12.  A) Aquelas três damas do canto estão chamando.  B) Aquelas três mulheres do canto estão chamando.  Embora, em sentido meramente informacional, possa se dizer que há acarretamento mútuo, o uso de “mulheres” e “damas” remete a sentidos distintos, dependendo do contexto.
  • 13.  A) Todo mundo nesta sala fala duas línguas.  B) Duas línguas são faladas por todo mundo nesta sala.  A) A polícia procura a Sara.  B) A Sara é procurada pela polícia.
  • 14.  Clareza sobre a informação da primeira sentença interfere na noção de acarretamento mútuo.  Escolha do tópico da sentença altera a informação construída. Topicalização nunca é ingênua por parte do falante.  Da mesma forma, a entonação e o foco mudam o significado da sentença.
  • 15.  A) O DOUGLAS escolheu aquele terno.  B) O Douglas escolheu AQUELE TERNO.  A) Agora que cheguei em casa, pretendo DESCANSAR.  B) Agora que cheguei em casa, PRETENDO descansar.
  • 16.  Não há sinonímia perfeita nem entre palavras nem entre sentenças.  Jamais duas palavras, expressões ou sentenças são idênticas em termos de estrutura sintática, entonação, sugestões, possibilidades metafóricas ou estruturas fonéticas e fonológicas.  Mas algum tipo de sinonímia deve ser levado em conta, para possibilitar a recuperação de informações pela linguagem.
  • 17.  Traduções e recontações exigem algum tipo de equivalência semântica com o original.  O ponto de partida mínimo, para Cançado, é o acarretamento mútuo.  Entretanto, sempre é preciso estar atento para o fato de que a aproximação conceitual isolada do contexto é incapaz de recuperar o sentido na maioria das situações.
  • 18.  A) A Maria não está viva.  B) A Maria está morta.  A) O Carlos é pai do André.  B) O André é filho do Carlos.  A) Aquela pessoa é muito esperta.  B) Aquele indivíduo é muito esperto.
  • 19.  A) A Maria falou que o André saiu.  B) A Maria disse que o André saiu.  A) Todos os trabalhadores dessa empresa recebem dois benefícios.  B) Dois benefícios são recebidos por todos os trabalhadores dessa empresa.
  • 20.  A) A Maria é linda.  B) A Maria é muito bonita.  A) O Pedro trabalha comigo.  B) Eu trabalho com o Pedro.  A) EU comi um chocolate.  B) Eu comi UM CHOCOLATE.
  • 21.  Para Ilari, duas sentenças são paráfrase quando descrevem um mesmo acontecimento ou estado de coisas de maneira equivalente.  Há dois tipos principais de mecanismos para construção de paráfrases:  1) Por transformações de caráter sintático.  2) Por transformações com base no conhecimento do léxico, pela equivalência de palavras e expressões.
  • 22.  Principais tipos de paráfrase baseada no léxico:  1) Pelo predicado converso.  2) Por predicados simétricos.  3) Pela troca de verbos-suporte.  4) Por palavras que expressam as mesmas relações em classes morfossintáticas diferentes.  5) Por termos sinônimos.
  • 23.  Com substantivos:  José é filho de Pedro. // Pedro é pai de José.  Com adjetivos:  Federer é superior a Nadal. // Nadal é inferior a Federer.
  • 24.  Com preposições:  A padaria fica depois do açougue. // O açougue fica antes da padaria.  Com verbos:  José emprestou um livro a Pedro. // Pedro tomou um livro emprestado a José.
  • 25.  Com substantivos:  José é irmão de Pedro. // Pedro é irmão de José.  Com adjetivos:  Federer é tão bom quanto Djokovic. // Djokovic é tão bom quanto Federer.
  • 26.  Com verbos:  Maria namora José. // José namora Maria.  Com preposições e locuções prepositivas:  A padaria fica perto do açougue. // O açougue fica perto da padaria.
  • 27.  José tem barba. // José é barbudo.  José tem muita idade. // José é idoso.  José tem paciência. // José é paciente.  Atenção: não há paráfrase em:  José tem cabeça. // José é cabeçudo.
  • 28.  Antes de jantar, o presidente fez um discurso. // O jantar foi precedido pelo discurso do presidente.  Por causa da chuva, os convidados se atrasaram. // A chuva provocou o atraso dos convidados.
  • 29.  A aula foi tediosa.  A aula foi chata.  A aula foi maçante.
  • 30.  CANÇADO, M. Manual de Semântica: noções básicas e exercícios. 1. ed., 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2013.