SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCORDÂNCIAS
NOMINAL E
VERBAL
Estagiária: Ana Carolina
CONCORDÂNCIA NOMINAL
A concordância nominal é o nome (substantivo) concordando com os seus
determinantes, as palavras que o acompanham. Dessa forma, o nome (termo principal) concorda
em gênero e número com o adjetivo, pronome, artigo e tudo o que tiver se relacionando a ele (e
vice-versa).
O QUE FAZER QUANDO?
Quando temos um nome principal,
só teremos uma opção:
Eu amo o sábado divertido e agitado.
Quando temos mais de um nome podemos
concordar com o mais próximo ou com os
dois, indo para o plural. Passa para o
feminino se os dois nomes forem feminino
e no masculino se um deles for masculino
ou se os dois forem masculinos:
Estudo a língua e a literatura
portuguesa/portuguesas.
Gosto dos costumes e da culinária
brasileira/ brasileiros.
Quando o determinante
(adjetivo, por exemplo) está
antes dos nomes, concorda
com o mais próximo:
Calada a natureza, a
terra, os homens.
01
02 03
O QUE FAZER QUANDO?
Mais de um nome, mas que se refere à
mesma pessoa/coisa, o(s) termo(s) que
os acompanha(m) fica(m) no singular:
A professora, a amiga, a
companheira dedicada.
Um nome e mais de um determinante. O
nome fica no singular se há o artigo
acompanhando os determinantes (no caso,
adjetivo) ou vai para o plural, se não há
artigo:
A literatura brasileira e a inglesa.
As literaturas brasileira e inglesa.
04
05
O QUE FAZER QUANDO?
É necessário, é preciso, é proibido.
Concorda quando há artigo, caso
contrário, fica no masculino.
É proibido entrar.
É proibido entrada de estranhos.
É proibida a entrada de estranhos.
06
É necessário esperar.
É necessário paciência.
É necessária a paciência de todos.
CONCORDÂNCIA VERBAL
O verbo concorda com a palavra a que se refere. De quem ou do que na frase se fala. A
essa palavra ou conjunto de palavras chamamos de sujeito.
O QUE FAZER QUANDO?
1) Quando há apenas uma palavra ou um sujeito simples singular. Verbo no singular:
O amor é lindo.
2) Apenas uma palavra, um sujeito simples, mas agora no plural. Verbo no plural:
Os jogos são legais.
As canetas são coloridas.
O QUE FAZER QUANDO?
3) Mais de uma palavra ou sujeito composto pode variar:
 Geralmente verbo no plural:
Os professores e os alunos estão em casa.
 Palavras sinônimas. Verbo no singular ou plural:
A felicidade e a alegria tomou/tomaram conta de mim.
 Gradação. Verbo no singular ou plural:
O barulho, a algazarra, a bagunça atrapalha/atrapalham a concentração.
 Mais de uma palavra compondo o sujeito, mas que se referem à mesma pessoa. Verbo no singular:
O homem, educador, honesto acredita na mudança.
 Quando as palavras do sujeito estiverem ligados por ou. O verbo irá para o singular quando a ideia for de
exclusão, e para o plural quando for de inclusão:
Ana ou Beatriz ganhará a competição. (exclusão)
A poluição sonora ou a poluição do ar são prejudiciais ao homem. (adição, inclusão)
O QUE FAZER QUANDO?
4) Sujeito formado por uma palavra indicando coletivos ou partes (a maioria/o grupo/ o bando/
metade de/ parte de):
 Acompanhado de palavra no plural. Verbo no singular ou plural. Somente a palavra indicando
coletivo, verbo no singular.
A maioria dos eleitores vota/votam na oposição.
A maioria vota na oposição.
5) O sujeito é formado pelas expressões: mais de um, menos de dois, cerca de…, etc. Verbo
concorda com o numeral:
Mais de um aluno não compareceu à aula.
Mais de cinco alunos não compareceram à aula.
O QUE FAZER QUANDO?
6) Sujeito formado pela expressão “Cada um”. Verbo no singular:
Cada um dos inscritos deve preencher as fichas. (Observe: Dos concorrentes cada um deve…)
7) Sujeito formado “Um dos que”. Verbo no plural:
Aquele homem é um dos que estavam na festa. (Observe: Dos que estavam na festa ele é um...)
8) Sujeito formado por nomes que só aparecem no plural:
 Sem artigo, o verbo ficará no singular.
Estados Unidos é uma nação poderosa.
Campinas possui muitos carros.
Caso venha antecipado de artigo, o verbo concordará com o artigo.
Os Estados Unidos são uma potência mundial.
O QUE FAZER QUANDO?
9) Partícula “SE”:
 Partícula apassivadora: o verbo concordará com o sujeito passivo. (Voz passiva é quando a
frase está invertida, o sujeito está no final da frase).
Vende-se casa./ Vendem-se casas. (Observe: Carro é vendido. Carros são vendidos.)
 Índice de indeterminação do sujeito: o verbo ficará, obrigatoriamente, no singular. Aqui não há
sujeito, não está dito a quem/que o verbo se refere.
Precisa-se de faxineiras.
10) Verbos impessoais: são aqueles que não possuem sujeito. Portanto, ficarão sempre na 3ª
pessoa do singular:
Havia sérios problemas na cidade. /Houve sérios problemas na cidade (Observe: NÃO
haviam/houveram)
O QUE FAZER QUANDO?
11) Verbos dar, bater e soar. Quando usados na indicação de horas, possuem sujeito (relógio, hora,
horas, badaladas…), e com ele devem concordar.
Deram duas horas no meu relógio.
Deu uma hora no meu relógio.
12) Com o verbo ser, a concordância verbal poderá ser feita de acordo com o sujeito, como
normalmente, ou poderá ainda ser feita de acordo com o predicativo do sujeito.
 Com os sujeitos tudo, nada, o, isto, isso e aquilo. O verbo pode ficar no singular ou no plural
dependendo do que vier completando a frase (predicativo do sujeito).
Isto é um exemplo do que aconteceu.
Isto são exemplos do que aconteceu.
O QUE FAZER QUANDO?
 Com pronomes interrogativos que ou quem, o verbo fica no singular ou plural dependendo do
que vier completando a frase (predicativo do sujeito).
Quem é esta moça?
Quem são estas moças?
Que é este embrulho?
Que são estes embrulhos?
 Na indicação de noções temporais e distâncias, a concordância verbal é feita de acordo com o
numeral.
É uma da tarde.
São seis da tarde.
É um quarteirão para a direita.
São três quarteirões para a direita.
O QUE FAZER QUANDO?
 Se o sujeito for pessoa, a concordância nunca se fará com o predicativo:
O menino era as esperanças da família.
 Com é pouco, é muito, é mais de, é menos de, junto a especificações de preço, peso,
quantidade, distância e etc., o verbo fica sempre no singular:
Cento e cinquenta é pouco.
Cem metros é muito.
 Nas expressões do tipo: ser preciso, ser necessário, ser bom, o verbo e o adjetivo pode ficar
invariável (verbo na 3ª pessoa do singular e adjetivo no masculino singular) ou concordar com
o sujeito posposto:
É necessário aqueles materiais.
São necessários aqueles materiais.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Concordâncias nominal e verbal.pptx

Concordancia Verbal
Concordancia VerbalConcordancia Verbal
Concordancia Verbalguest927573a
 
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareCaroline Indayara
 
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdfGizelyaMorais
 
Concordância verbal ii
Concordância verbal iiConcordância verbal ii
Concordância verbal iiNádia França
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalRebeca Kaus
 
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...Fladimy Rocha
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)Marcos Emídio
 
Casos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCasos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCaroline Capellari
 

Semelhante a Concordâncias nominal e verbal.pptx (20)

Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordancia Verbal
Concordancia VerbalConcordancia Verbal
Concordancia Verbal
 
Concordância Verbal
Concordância Verbal Concordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide share
 
Concordância verbal
Concordância verbal Concordância verbal
Concordância verbal
 
Concordancia verbal
Concordancia verbalConcordancia verbal
Concordancia verbal
 
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
03.09.2022 - CONCORDÂNCIA NOMINAL.pdf
 
Concordância verbal ii
Concordância verbal iiConcordância verbal ii
Concordância verbal ii
 
1 concordância verbal
1   concordância verbal1   concordância verbal
1 concordância verbal
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
CONCORDÂNCIA VERBAL
CONCORDÂNCIA VERBALCONCORDÂNCIA VERBAL
CONCORDÂNCIA VERBAL
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...
11389 3274 27.11.2012 21.03.23_11389_3274_30.05.2012 16.37.46_concordã¢ncia i...
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Intensivo Aula 4 morfologia
Intensivo  Aula 4   morfologiaIntensivo  Aula 4   morfologia
Intensivo Aula 4 morfologia
 
Casos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCasos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbal
 

Último

Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 

Último (20)

Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 

Concordâncias nominal e verbal.pptx

  • 2. CONCORDÂNCIA NOMINAL A concordância nominal é o nome (substantivo) concordando com os seus determinantes, as palavras que o acompanham. Dessa forma, o nome (termo principal) concorda em gênero e número com o adjetivo, pronome, artigo e tudo o que tiver se relacionando a ele (e vice-versa).
  • 3.
  • 4. O QUE FAZER QUANDO? Quando temos um nome principal, só teremos uma opção: Eu amo o sábado divertido e agitado. Quando temos mais de um nome podemos concordar com o mais próximo ou com os dois, indo para o plural. Passa para o feminino se os dois nomes forem feminino e no masculino se um deles for masculino ou se os dois forem masculinos: Estudo a língua e a literatura portuguesa/portuguesas. Gosto dos costumes e da culinária brasileira/ brasileiros. Quando o determinante (adjetivo, por exemplo) está antes dos nomes, concorda com o mais próximo: Calada a natureza, a terra, os homens. 01 02 03
  • 5. O QUE FAZER QUANDO? Mais de um nome, mas que se refere à mesma pessoa/coisa, o(s) termo(s) que os acompanha(m) fica(m) no singular: A professora, a amiga, a companheira dedicada. Um nome e mais de um determinante. O nome fica no singular se há o artigo acompanhando os determinantes (no caso, adjetivo) ou vai para o plural, se não há artigo: A literatura brasileira e a inglesa. As literaturas brasileira e inglesa. 04 05
  • 6. O QUE FAZER QUANDO? É necessário, é preciso, é proibido. Concorda quando há artigo, caso contrário, fica no masculino. É proibido entrar. É proibido entrada de estranhos. É proibida a entrada de estranhos. 06 É necessário esperar. É necessário paciência. É necessária a paciência de todos.
  • 7. CONCORDÂNCIA VERBAL O verbo concorda com a palavra a que se refere. De quem ou do que na frase se fala. A essa palavra ou conjunto de palavras chamamos de sujeito.
  • 8.
  • 9. O QUE FAZER QUANDO? 1) Quando há apenas uma palavra ou um sujeito simples singular. Verbo no singular: O amor é lindo. 2) Apenas uma palavra, um sujeito simples, mas agora no plural. Verbo no plural: Os jogos são legais. As canetas são coloridas.
  • 10. O QUE FAZER QUANDO? 3) Mais de uma palavra ou sujeito composto pode variar:  Geralmente verbo no plural: Os professores e os alunos estão em casa.  Palavras sinônimas. Verbo no singular ou plural: A felicidade e a alegria tomou/tomaram conta de mim.  Gradação. Verbo no singular ou plural: O barulho, a algazarra, a bagunça atrapalha/atrapalham a concentração.  Mais de uma palavra compondo o sujeito, mas que se referem à mesma pessoa. Verbo no singular: O homem, educador, honesto acredita na mudança.  Quando as palavras do sujeito estiverem ligados por ou. O verbo irá para o singular quando a ideia for de exclusão, e para o plural quando for de inclusão: Ana ou Beatriz ganhará a competição. (exclusão) A poluição sonora ou a poluição do ar são prejudiciais ao homem. (adição, inclusão)
  • 11. O QUE FAZER QUANDO? 4) Sujeito formado por uma palavra indicando coletivos ou partes (a maioria/o grupo/ o bando/ metade de/ parte de):  Acompanhado de palavra no plural. Verbo no singular ou plural. Somente a palavra indicando coletivo, verbo no singular. A maioria dos eleitores vota/votam na oposição. A maioria vota na oposição. 5) O sujeito é formado pelas expressões: mais de um, menos de dois, cerca de…, etc. Verbo concorda com o numeral: Mais de um aluno não compareceu à aula. Mais de cinco alunos não compareceram à aula.
  • 12. O QUE FAZER QUANDO? 6) Sujeito formado pela expressão “Cada um”. Verbo no singular: Cada um dos inscritos deve preencher as fichas. (Observe: Dos concorrentes cada um deve…) 7) Sujeito formado “Um dos que”. Verbo no plural: Aquele homem é um dos que estavam na festa. (Observe: Dos que estavam na festa ele é um...) 8) Sujeito formado por nomes que só aparecem no plural:  Sem artigo, o verbo ficará no singular. Estados Unidos é uma nação poderosa. Campinas possui muitos carros. Caso venha antecipado de artigo, o verbo concordará com o artigo. Os Estados Unidos são uma potência mundial.
  • 13. O QUE FAZER QUANDO? 9) Partícula “SE”:  Partícula apassivadora: o verbo concordará com o sujeito passivo. (Voz passiva é quando a frase está invertida, o sujeito está no final da frase). Vende-se casa./ Vendem-se casas. (Observe: Carro é vendido. Carros são vendidos.)  Índice de indeterminação do sujeito: o verbo ficará, obrigatoriamente, no singular. Aqui não há sujeito, não está dito a quem/que o verbo se refere. Precisa-se de faxineiras. 10) Verbos impessoais: são aqueles que não possuem sujeito. Portanto, ficarão sempre na 3ª pessoa do singular: Havia sérios problemas na cidade. /Houve sérios problemas na cidade (Observe: NÃO haviam/houveram)
  • 14. O QUE FAZER QUANDO? 11) Verbos dar, bater e soar. Quando usados na indicação de horas, possuem sujeito (relógio, hora, horas, badaladas…), e com ele devem concordar. Deram duas horas no meu relógio. Deu uma hora no meu relógio. 12) Com o verbo ser, a concordância verbal poderá ser feita de acordo com o sujeito, como normalmente, ou poderá ainda ser feita de acordo com o predicativo do sujeito.  Com os sujeitos tudo, nada, o, isto, isso e aquilo. O verbo pode ficar no singular ou no plural dependendo do que vier completando a frase (predicativo do sujeito). Isto é um exemplo do que aconteceu. Isto são exemplos do que aconteceu.
  • 15. O QUE FAZER QUANDO?  Com pronomes interrogativos que ou quem, o verbo fica no singular ou plural dependendo do que vier completando a frase (predicativo do sujeito). Quem é esta moça? Quem são estas moças? Que é este embrulho? Que são estes embrulhos?  Na indicação de noções temporais e distâncias, a concordância verbal é feita de acordo com o numeral. É uma da tarde. São seis da tarde. É um quarteirão para a direita. São três quarteirões para a direita.
  • 16. O QUE FAZER QUANDO?  Se o sujeito for pessoa, a concordância nunca se fará com o predicativo: O menino era as esperanças da família.  Com é pouco, é muito, é mais de, é menos de, junto a especificações de preço, peso, quantidade, distância e etc., o verbo fica sempre no singular: Cento e cinquenta é pouco. Cem metros é muito.  Nas expressões do tipo: ser preciso, ser necessário, ser bom, o verbo e o adjetivo pode ficar invariável (verbo na 3ª pessoa do singular e adjetivo no masculino singular) ou concordar com o sujeito posposto: É necessário aqueles materiais. São necessários aqueles materiais.