SlideShare uma empresa Scribd logo
Equipe: Ádila Vaz Adriano Almeida Árquisa Sousa Tayane Praxedes
O trabalho altera à saúde mental e comportamental das pessoas, a partir do contexto de trabalho em interação com o corpo e o aparato psíquico; Atividades desenvolvidas no trabalho afeta o biológico e o psíquico, devido as presentes condições de trabalho oferecida à ele para execução de tarefas; O trabalho pode ser positivo ou negativo; Comunicação: Entre trabalhador  chefe  Saúde mental.
Jornada de trabalho longas; Falta de pausas; Ritmos intensos; Refeição de curta duração e má qualidade; Pressão de supervisores ou chefias; Submissão do trabalhador ao ritmo das máquinas.
Síndrome do esgotamento profissional: Relacionadas aos altos níveis de concentração, atenção e pressão exercida pela supervisão do trabalho, provocando tensão, fadiga e esgotamento profissional. Síndromes psíquicas pós-traumáticas:  Experiência vivida pelo trabalhador, diante de acidentes de trabalho que envolve risco de vida ou que ameaçam a integridade física.
CONCEITO: Trata-se de uma síndrome crônica e progressiva.
ETIOLOGIA :Pode está ligado a doenças que atinjam o cérebro.
FATOR EPIDEMIOLÓGICO: Alguns casos de demência são causados pelos efeitos de exposição ocupacional à substâncias tóxicas. QUADRO CLÍNICO: Baseia-se na decadência das funções cognitivas. FORMA DE TRATAMENTO: Realizado através de suporte médico.
HISTÓRICO: HIPÓCRATES (460-366 a.c.) O termo delirium deriva do latim “Delirare”, que significa literalmente, “estar fora do lugar”. A palavra delirium foi introduzida no século I d.c por Celsus: Agitação e sonolência excessiva.  Século XIX: Significado ambíguo Século XVII, o médico anatomista e fisiologista Thomas Willis dissertou sobre a etiologia e a patogênese do delirium. Estabeleceu relações causais como a ingestão alcoólica  excessiva, com a intoxicação por Mandracke, hemorragias, quadro histéricos  (LEIPOWSKY, 1990b apud WACKER, 2005).
É uma síndrome caracterizada por degradação do nível de consciência, com distúrbio da orientação (no tempo e no espaço) e da atenção, associada ao comprometimento geral das funções. FATOR EPIDEMIOLÓGICO:  Exposição ocupacional às substâncias químicas: Monóxido de carbono (CO), dissulfeto de hidrogênio (H 2 S), sulfeto de carbono, manganês, mercúrio, chumbo, arsênio e em situações quando há o trauma crânio-encefálico
GARIMPEIRO  METALÚRGICO Fonte: internet PROFISSIONAIS MAIS SUSEPTIVEL AO DELIRIUM
PROFISSIONAIS MAIS SUSEPTIVEL AO DELIRIUM Cortador de cana  Carpinteiro
Fonte: internet
EM RELAÇÃO AOS SINAIS E SINTOMAS OBSERVA-SE: Cognição: Consciência; Atenção; Desorientação; Linguagem; Memória; Função executiva. QUADRO CLÍNICO
Sintomas psicóticos: Delírio; Percepções alteradas. Distúrbios do sono: Ciclo sono-vígilia:  Distúrbios psicomotores: Agitação, disfagia, tremores, ataxia, quedas e convulsões. Distúrbios afetivos: Disforia Outros distúrbios :   Taquicardia, midríase, febre, sudorese, constipação ou diarréia.
OCORRÊNCIA DE ANTECESSORES DIMINUIÇÃO DA CONCENTRAÇÃO; ANSIEDADE; IRRITABILIDADE; AGITAÇÃO; HIPERSENSIBILIDADE À ESTÍMULOS OU PESADELO. (WACKER et al, 2005)
DIAGNÓSTICO CLINÍCO: Baseado na observação cautelosa do  paciente e na valorização dos dados fornecidos pela família,  companheiros do trabalho e pela equipe de saúde que presta  a assistência ao paciente.
FORMA DE TRATAMENTO É CONSIDERADO UMA EMERGÊNCIA MÉDICA; Duas abordagens estão envolvidas no tratamento ao delirium: A identificação e o tratamento do fator precipitante; Controle dos sintomas. TRATAMENTO FARMACOLÓGICO: É necessário em casos em que há insônia e sintomas psicóticos. Neurolépticos são as drogas de escolha médica. Haloperidol
Transtorno Cognitivo Leve CONCEITO:  Transtorno cognitivo leve caracteriza-se por alterações da memória, da orientação, da capacidade de aprendizado e redução da capacidade de concentração em tarefas prolongadas.
Fatores de Risco Exposição ocupacional às substâncias químicas tóxicas e agentes físicos: Brometo de metila; Chumbo  e seus compostos tóxicos; Manganês  e seus compostos tóxicos; Mercúrio  e seus compostos tóxicos; Sulfeto de carbono ; Outros solventes orgânicos neurotóxicos; Níveis elevados de ruído.
Quadro clínico e diagnóstico É um declínio no desempenho cognitivo, que inclui queixas de comprometimento da memória, dificuldades de aprendizado ou de concentração; Testes psicológicos objetivos podem ser úteis; O diagnóstico diferencial com as síndromes pós-encefalítica e pós-traumática pode ser feito a partir da etiologia e da menor amplitude dos sintomas, geralmente mais leves e de mais curta duração.
Tratamento A principal medida terapêutica é o afastamento do paciente do trabalho; As conduções médica, psicológica e social do caso incluem o tratamento farmacológico e sintomático; Dependendo do grau de disfunção e/ou lesão, pode-se avaliar a utilidade da reabilitação neuropsicológica do paciente e da reabilitação profissional.
Prevenção Observar atividades e locais de trabalho onde possa existir substâncias químicas, agentes físicos e/ou biológicos; Identificação dos problemas ou danos potenciais decorrente da exposição aos fatores de risco identificados; Identificação e proposição de medidas para eliminação ou controle da exposição; Educação e informação aos trabalhadores e empregadores.
 
Suspeita ou confirmada a relação da doença com o trabalho, deve-se: Informar ao trabalhador; Examinar os expostos, visando a identificar outros casos; Notificar o caso aos sistemas de informação em saúde (epidemiológica, sanitária e/ou de saúde do trabalhador), por meio dos instrumentos próprios, à DRT/MTE e ao sindicato da categoria; Providenciar a emissão da CAT, caso o trabalhador seja segurado pelo SAT da Previdência Social; Orientar o empregador para que adote os recursos técnicos e gerenciais adequados para eliminação ou controle dos fatores de risco.
Educação em Saúde Enclausuramento de processos e isolamento de setores; Normas de higiene e segurança rigorosos, incluindo sistemas de exaustão e ventilação; Monitoramento sistemático das concentrações no ar ambiente; Adoção de normas de organização do trabalho; Medidas de limpeza; Fornecimento de EPI; Requer a ação de uma equipe multiprofissional.
Sistematização da Assistência de Enfermagem Histórico: Dados diretos e indiretos Diagnóstico: Análise e interpretação  Planejamento; Implementação; Evolução.
REFERÊNCIA  MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL; ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE NO BRASIL.  Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde  / organizado por Elizabeth Costa Dias ; colaboradores Idelberto Muniz Almeida et al. – Brasília: Ministério da Saúde do Brasil, 2001. WACKER, Priscilla; NUNES, Paula V.; FORLENZA, Orestes  V.Delirium: uma perspectiva histórica.  Rev. psiquiatr. clín . ,  São Paulo,  v. 32,  n. 3, June  2005 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000300001&lng=en&nrm=iso>. access on  04  Nov.  2010.  doi: 10.1590/S0101-60832005000300001.  TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A. M. P.  SAE Sistematização da Assistência de Enfermagem: Guia Prático.  Rio de Janeiro: Guanabara, 2009.
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

saude mental
saude mental saude mental
saude mental
IsabeldaCosta5
 
Stress No Trabalho
Stress No TrabalhoStress No Trabalho
Stress No Trabalho
Aristides Faria
 
Adoecimento no Trabalho Slides
Adoecimento no Trabalho SlidesAdoecimento no Trabalho Slides
Adoecimento no Trabalho Slides
adrim.silva
 
Síndrome De Burnout Seminário
Síndrome De Burnout   SeminárioSíndrome De Burnout   Seminário
Síndrome De Burnout Seminário
Professor Robson
 
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptxAula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
MonicaMartins86
 
Riscos psicossociais
Riscos psicossociaisRiscos psicossociais
Riscos psicossociais
Jhonas de Queiroz
 
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Crícia Silva
 
Qualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalhoQualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalho
niedsonsantana
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
Simone Elisa Heitor
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Fernando R. G. Paolini
 
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptxSAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
JoodeOliveira31
 
Introdução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúdeIntrodução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúde
Maria Clara Teixeira
 
Sindrome de burnout
Sindrome de burnoutSindrome de burnout
Sindrome de burnout
Anissis Ramos
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Andressa Macena
 
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho Resumo Da ApresentaçãO
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho   Resumo Da ApresentaçãOLidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho   Resumo Da ApresentaçãO
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho Resumo Da ApresentaçãO
Thiago de Almeida
 
Seminário de saúde do trabalhador
Seminário de saúde do trabalhador Seminário de saúde do trabalhador
Seminário de saúde do trabalhador
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Psicologia do trabalho
Psicologia do trabalhoPsicologia do trabalho
Psicologia do trabalho
Hugo Cordeiro
 
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalhoSíndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
Fabiana Abath
 
Atualizacao burnout
Atualizacao burnoutAtualizacao burnout
5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)
Ana Ferraz
 

Mais procurados (20)

saude mental
saude mental saude mental
saude mental
 
Stress No Trabalho
Stress No TrabalhoStress No Trabalho
Stress No Trabalho
 
Adoecimento no Trabalho Slides
Adoecimento no Trabalho SlidesAdoecimento no Trabalho Slides
Adoecimento no Trabalho Slides
 
Síndrome De Burnout Seminário
Síndrome De Burnout   SeminárioSíndrome De Burnout   Seminário
Síndrome De Burnout Seminário
 
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptxAula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
Aula 1_ Saude Mental do Trab.pptx
 
Riscos psicossociais
Riscos psicossociaisRiscos psicossociais
Riscos psicossociais
 
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no TrabalhoSlide Qualidade de Vida no Trabalho
Slide Qualidade de Vida no Trabalho
 
Qualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalhoQualidade de vida no trabalho
Qualidade de vida no trabalho
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vida
 
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptxSAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
SAÚDE MENTAL E TRABALHO.pptx
 
Introdução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúdeIntrodução à psicologia da saúde
Introdução à psicologia da saúde
 
Sindrome de burnout
Sindrome de burnoutSindrome de burnout
Sindrome de burnout
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho Resumo Da ApresentaçãO
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho   Resumo Da ApresentaçãOLidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho   Resumo Da ApresentaçãO
Lidando Com O Estresse No Ambiente De Trabalho Resumo Da ApresentaçãO
 
Seminário de saúde do trabalhador
Seminário de saúde do trabalhador Seminário de saúde do trabalhador
Seminário de saúde do trabalhador
 
Psicologia do trabalho
Psicologia do trabalhoPsicologia do trabalho
Psicologia do trabalho
 
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalhoSíndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
Síndrome de Burnout: precisamos falar de saúde mental no ambiente de trabalho
 
Atualizacao burnout
Atualizacao burnoutAtualizacao burnout
Atualizacao burnout
 
5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)
 

Destaque

Riscos à saúde do trabalhador ramo metalúrgico
Riscos à saúde do trabalhador  ramo metalúrgicoRiscos à saúde do trabalhador  ramo metalúrgico
Riscos à saúde do trabalhador ramo metalúrgico
Luis Rodolfo Fragoso Corrêa
 
Trabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde MentalTrabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde Mental
Faculdade União das Américas
 
Meta metalurgica
Meta metalurgicaMeta metalurgica
Meta metalurgica
Manoelcespedes
 
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
Gleyce Pinheiro
 
Sofrimento psiquico e trabalho
Sofrimento psiquico e trabalhoSofrimento psiquico e trabalho
Sofrimento psiquico e trabalho
Cosmo Palasio
 
Dejours
DejoursDejours
Dejours
nanda_enfe
 
Mba 2010 - pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
Mba   2010 -  pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1Mba   2010 -  pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
Mba 2010 - pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
Cândida Alves
 
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalhoPalestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução deSegurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
JLMeneghetti
 
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneoSofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
Cosmo Palasio
 
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ngMdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
Rafael Marega
 
Aula 4 - teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
Aula 4 -   teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalhoAula 4 -   teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
Aula 4 - teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Saúde do trabalhador
Saúde do trabalhadorSaúde do trabalhador
Saúde do trabalhador
Heloísa Ximenes
 
A carga psíquica do trabalho
A carga psíquica do trabalhoA carga psíquica do trabalho
A carga psíquica do trabalho
Sergio Luis dos Santos Lima
 
PPRA
PPRAPPRA
PPRA
CEWK2010
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
nilsonbelvio
 
Contrato psicologico de trabalho
Contrato psicologico de trabalhoContrato psicologico de trabalho
Contrato psicologico de trabalho
1006061
 
SaúDe Do Trabalhador I Aula
SaúDe Do Trabalhador I AulaSaúDe Do Trabalhador I Aula
SaúDe Do Trabalhador I Aula
cybelly
 
Segurança na Industria
Segurança na IndustriaSegurança na Industria
Segurança na Industria
Iago Caldas
 
Resiliência
ResiliênciaResiliência
Resiliência
Mary Kay do Brasil
 

Destaque (20)

Riscos à saúde do trabalhador ramo metalúrgico
Riscos à saúde do trabalhador  ramo metalúrgicoRiscos à saúde do trabalhador  ramo metalúrgico
Riscos à saúde do trabalhador ramo metalúrgico
 
Trabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde MentalTrabalho Saúde Mental
Trabalho Saúde Mental
 
Meta metalurgica
Meta metalurgicaMeta metalurgica
Meta metalurgica
 
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
Riscossadedotrabalhadornoramometalrgico 120312071035-phpapp01
 
Sofrimento psiquico e trabalho
Sofrimento psiquico e trabalhoSofrimento psiquico e trabalho
Sofrimento psiquico e trabalho
 
Dejours
DejoursDejours
Dejours
 
Mba 2010 - pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
Mba   2010 -  pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1Mba   2010 -  pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
Mba 2010 - pensamento de christophe dejours - 1 - feg - unesp1
 
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalhoPalestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
Palestra dos desprazeres aos prazeres no trabalho
 
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução deSegurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
Segurança no trabalho benefícios ao empregado e redução de
 
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneoSofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
Sofrimento psíquico no trabalho contemporâneo
 
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ngMdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
Mdt 2010 totvs medicina e seguranca do trabalho ng
 
Aula 4 - teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
Aula 4 -   teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalhoAula 4 -   teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
Aula 4 - teoria psicanalítica e psicodinâmica do trabalho
 
Saúde do trabalhador
Saúde do trabalhadorSaúde do trabalhador
Saúde do trabalhador
 
A carga psíquica do trabalho
A carga psíquica do trabalhoA carga psíquica do trabalho
A carga psíquica do trabalho
 
PPRA
PPRAPPRA
PPRA
 
Assédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power pointAssédio moral no trabalho power point
Assédio moral no trabalho power point
 
Contrato psicologico de trabalho
Contrato psicologico de trabalhoContrato psicologico de trabalho
Contrato psicologico de trabalho
 
SaúDe Do Trabalhador I Aula
SaúDe Do Trabalhador I AulaSaúDe Do Trabalhador I Aula
SaúDe Do Trabalhador I Aula
 
Segurança na Industria
Segurança na IndustriaSegurança na Industria
Segurança na Industria
 
Resiliência
ResiliênciaResiliência
Resiliência
 

Semelhante a Saúde do Trabalhador:

Sinasefe 2011 sst riscos e cargas no trabalho
Sinasefe 2011 sst riscos e cargas  no trabalhoSinasefe 2011 sst riscos e cargas  no trabalho
Sinasefe 2011 sst riscos e cargas no trabalho
Sinasefe Pará
 
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptxApresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
HelenKatharine1
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptx
lvaroCosta22
 
00 tccitpac
00 tccitpac00 tccitpac
00 tccitpac
Gustavo de Tarso
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
Tássia Oliveira
 
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de SaúdeRiscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
Ninsaúde Software
 
CIPA Treinamento.ppt
CIPA Treinamento.pptCIPA Treinamento.ppt
CIPA Treinamento.ppt
AdelmaSiles
 
Palestra de PPDQ 2.pptx
Palestra de PPDQ 2.pptxPalestra de PPDQ 2.pptx
Palestra de PPDQ 2.pptx
MarianaRM11
 
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura BrasileiraDelirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptx
lvaroCosta22
 
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e RastreamenntoEstrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
Simone Almeida
 
12647998 alzheimer
12647998 alzheimer12647998 alzheimer
12647998 alzheimer
Pelo Siro
 
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba maisDepressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
Sergio de Carvalho
 
Seminário doenças ocupacionais
Seminário  doenças ocupacionaisSeminário  doenças ocupacionais
Seminário doenças ocupacionais
Laíz Coutinho
 
Doença ocupacionais aula01
Doença ocupacionais   aula01Doença ocupacionais   aula01
Doença ocupacionais aula01
Thalles Henrique Marcelino
 
Delirium em idosos
Delirium em idososDelirium em idosos
Delirium em idosos
janinemagalhaes
 
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita losRiscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Acd. Layane -UESPI Nunes de Sousa
 
Ler e dort
Ler e dortLer e dort
Ler e dort
Luana Diógenes
 
Aula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_riscoAula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_risco
pamcolbano
 
Diálogo Diário de Segurança - Falando sobre drogas
Diálogo Diário de Segurança -  Falando sobre drogasDiálogo Diário de Segurança -  Falando sobre drogas
Diálogo Diário de Segurança - Falando sobre drogas
JoaoCarlosMiquiliniC
 

Semelhante a Saúde do Trabalhador: (20)

Sinasefe 2011 sst riscos e cargas no trabalho
Sinasefe 2011 sst riscos e cargas  no trabalhoSinasefe 2011 sst riscos e cargas  no trabalho
Sinasefe 2011 sst riscos e cargas no trabalho
 
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptxApresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
Apresentação cepeti-delirium-na-uti.pptx
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptx
 
00 tccitpac
00 tccitpac00 tccitpac
00 tccitpac
 
Síndrome de burnout
Síndrome de burnoutSíndrome de burnout
Síndrome de burnout
 
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de SaúdeRiscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
Riscos Ocupacionais dos Profissionais de Saúde
 
CIPA Treinamento.ppt
CIPA Treinamento.pptCIPA Treinamento.ppt
CIPA Treinamento.ppt
 
Palestra de PPDQ 2.pptx
Palestra de PPDQ 2.pptxPalestra de PPDQ 2.pptx
Palestra de PPDQ 2.pptx
 
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura BrasileiraDelirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
Delirium no Paciente Idoso: Características Descritas na Literatura Brasileira
 
Aula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptxAula 01 Semiologia.pptx
Aula 01 Semiologia.pptx
 
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e RastreamenntoEstrategias de Prevencao e Rastreamennto
Estrategias de Prevencao e Rastreamennto
 
12647998 alzheimer
12647998 alzheimer12647998 alzheimer
12647998 alzheimer
 
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba maisDepressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
Depressão ocupacional ocupacional (CID-10: F32_): saiba mais
 
Seminário doenças ocupacionais
Seminário  doenças ocupacionaisSeminário  doenças ocupacionais
Seminário doenças ocupacionais
 
Doença ocupacionais aula01
Doença ocupacionais   aula01Doença ocupacionais   aula01
Doença ocupacionais aula01
 
Delirium em idosos
Delirium em idososDelirium em idosos
Delirium em idosos
 
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita losRiscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
 
Ler e dort
Ler e dortLer e dort
Ler e dort
 
Aula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_riscoAula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_risco
 
Diálogo Diário de Segurança - Falando sobre drogas
Diálogo Diário de Segurança -  Falando sobre drogasDiálogo Diário de Segurança -  Falando sobre drogas
Diálogo Diário de Segurança - Falando sobre drogas
 

Saúde do Trabalhador:

  • 1. Equipe: Ádila Vaz Adriano Almeida Árquisa Sousa Tayane Praxedes
  • 2. O trabalho altera à saúde mental e comportamental das pessoas, a partir do contexto de trabalho em interação com o corpo e o aparato psíquico; Atividades desenvolvidas no trabalho afeta o biológico e o psíquico, devido as presentes condições de trabalho oferecida à ele para execução de tarefas; O trabalho pode ser positivo ou negativo; Comunicação: Entre trabalhador chefe Saúde mental.
  • 3. Jornada de trabalho longas; Falta de pausas; Ritmos intensos; Refeição de curta duração e má qualidade; Pressão de supervisores ou chefias; Submissão do trabalhador ao ritmo das máquinas.
  • 4. Síndrome do esgotamento profissional: Relacionadas aos altos níveis de concentração, atenção e pressão exercida pela supervisão do trabalho, provocando tensão, fadiga e esgotamento profissional. Síndromes psíquicas pós-traumáticas: Experiência vivida pelo trabalhador, diante de acidentes de trabalho que envolve risco de vida ou que ameaçam a integridade física.
  • 5. CONCEITO: Trata-se de uma síndrome crônica e progressiva.
  • 6. ETIOLOGIA :Pode está ligado a doenças que atinjam o cérebro.
  • 7. FATOR EPIDEMIOLÓGICO: Alguns casos de demência são causados pelos efeitos de exposição ocupacional à substâncias tóxicas. QUADRO CLÍNICO: Baseia-se na decadência das funções cognitivas. FORMA DE TRATAMENTO: Realizado através de suporte médico.
  • 8. HISTÓRICO: HIPÓCRATES (460-366 a.c.) O termo delirium deriva do latim “Delirare”, que significa literalmente, “estar fora do lugar”. A palavra delirium foi introduzida no século I d.c por Celsus: Agitação e sonolência excessiva. Século XIX: Significado ambíguo Século XVII, o médico anatomista e fisiologista Thomas Willis dissertou sobre a etiologia e a patogênese do delirium. Estabeleceu relações causais como a ingestão alcoólica excessiva, com a intoxicação por Mandracke, hemorragias, quadro histéricos (LEIPOWSKY, 1990b apud WACKER, 2005).
  • 9. É uma síndrome caracterizada por degradação do nível de consciência, com distúrbio da orientação (no tempo e no espaço) e da atenção, associada ao comprometimento geral das funções. FATOR EPIDEMIOLÓGICO: Exposição ocupacional às substâncias químicas: Monóxido de carbono (CO), dissulfeto de hidrogênio (H 2 S), sulfeto de carbono, manganês, mercúrio, chumbo, arsênio e em situações quando há o trauma crânio-encefálico
  • 10. GARIMPEIRO METALÚRGICO Fonte: internet PROFISSIONAIS MAIS SUSEPTIVEL AO DELIRIUM
  • 11. PROFISSIONAIS MAIS SUSEPTIVEL AO DELIRIUM Cortador de cana Carpinteiro
  • 13. EM RELAÇÃO AOS SINAIS E SINTOMAS OBSERVA-SE: Cognição: Consciência; Atenção; Desorientação; Linguagem; Memória; Função executiva. QUADRO CLÍNICO
  • 14. Sintomas psicóticos: Delírio; Percepções alteradas. Distúrbios do sono: Ciclo sono-vígilia: Distúrbios psicomotores: Agitação, disfagia, tremores, ataxia, quedas e convulsões. Distúrbios afetivos: Disforia Outros distúrbios : Taquicardia, midríase, febre, sudorese, constipação ou diarréia.
  • 15. OCORRÊNCIA DE ANTECESSORES DIMINUIÇÃO DA CONCENTRAÇÃO; ANSIEDADE; IRRITABILIDADE; AGITAÇÃO; HIPERSENSIBILIDADE À ESTÍMULOS OU PESADELO. (WACKER et al, 2005)
  • 16. DIAGNÓSTICO CLINÍCO: Baseado na observação cautelosa do paciente e na valorização dos dados fornecidos pela família, companheiros do trabalho e pela equipe de saúde que presta a assistência ao paciente.
  • 17. FORMA DE TRATAMENTO É CONSIDERADO UMA EMERGÊNCIA MÉDICA; Duas abordagens estão envolvidas no tratamento ao delirium: A identificação e o tratamento do fator precipitante; Controle dos sintomas. TRATAMENTO FARMACOLÓGICO: É necessário em casos em que há insônia e sintomas psicóticos. Neurolépticos são as drogas de escolha médica. Haloperidol
  • 18. Transtorno Cognitivo Leve CONCEITO: Transtorno cognitivo leve caracteriza-se por alterações da memória, da orientação, da capacidade de aprendizado e redução da capacidade de concentração em tarefas prolongadas.
  • 19. Fatores de Risco Exposição ocupacional às substâncias químicas tóxicas e agentes físicos: Brometo de metila; Chumbo e seus compostos tóxicos; Manganês e seus compostos tóxicos; Mercúrio e seus compostos tóxicos; Sulfeto de carbono ; Outros solventes orgânicos neurotóxicos; Níveis elevados de ruído.
  • 20. Quadro clínico e diagnóstico É um declínio no desempenho cognitivo, que inclui queixas de comprometimento da memória, dificuldades de aprendizado ou de concentração; Testes psicológicos objetivos podem ser úteis; O diagnóstico diferencial com as síndromes pós-encefalítica e pós-traumática pode ser feito a partir da etiologia e da menor amplitude dos sintomas, geralmente mais leves e de mais curta duração.
  • 21. Tratamento A principal medida terapêutica é o afastamento do paciente do trabalho; As conduções médica, psicológica e social do caso incluem o tratamento farmacológico e sintomático; Dependendo do grau de disfunção e/ou lesão, pode-se avaliar a utilidade da reabilitação neuropsicológica do paciente e da reabilitação profissional.
  • 22. Prevenção Observar atividades e locais de trabalho onde possa existir substâncias químicas, agentes físicos e/ou biológicos; Identificação dos problemas ou danos potenciais decorrente da exposição aos fatores de risco identificados; Identificação e proposição de medidas para eliminação ou controle da exposição; Educação e informação aos trabalhadores e empregadores.
  • 23.  
  • 24. Suspeita ou confirmada a relação da doença com o trabalho, deve-se: Informar ao trabalhador; Examinar os expostos, visando a identificar outros casos; Notificar o caso aos sistemas de informação em saúde (epidemiológica, sanitária e/ou de saúde do trabalhador), por meio dos instrumentos próprios, à DRT/MTE e ao sindicato da categoria; Providenciar a emissão da CAT, caso o trabalhador seja segurado pelo SAT da Previdência Social; Orientar o empregador para que adote os recursos técnicos e gerenciais adequados para eliminação ou controle dos fatores de risco.
  • 25. Educação em Saúde Enclausuramento de processos e isolamento de setores; Normas de higiene e segurança rigorosos, incluindo sistemas de exaustão e ventilação; Monitoramento sistemático das concentrações no ar ambiente; Adoção de normas de organização do trabalho; Medidas de limpeza; Fornecimento de EPI; Requer a ação de uma equipe multiprofissional.
  • 26. Sistematização da Assistência de Enfermagem Histórico: Dados diretos e indiretos Diagnóstico: Análise e interpretação Planejamento; Implementação; Evolução.
  • 27. REFERÊNCIA MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL; ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE NO BRASIL. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde / organizado por Elizabeth Costa Dias ; colaboradores Idelberto Muniz Almeida et al. – Brasília: Ministério da Saúde do Brasil, 2001. WACKER, Priscilla; NUNES, Paula V.; FORLENZA, Orestes V.Delirium: uma perspectiva histórica. Rev. psiquiatr. clín . ,  São Paulo,  v. 32,  n. 3, June  2005 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832005000300001&lng=en&nrm=iso>. access on  04  Nov.  2010.  doi: 10.1590/S0101-60832005000300001. TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A. M. P. SAE Sistematização da Assistência de Enfermagem: Guia Prático. Rio de Janeiro: Guanabara, 2009.