SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
RISCOS ASSOCIADOS À
ILUMINAÇÃO NOS
LOCAIS DE TRABALHO
E.B. 2,3 António Bento Franco – Ericeira
HSST - Prof.ª Isabel Lourenço
Iluminação ideal
   Iluminação ideal → luz natural 
     Dia de sol: 100 000 lux
     Dia de céu encoberto: 20 000 lux

     Noite de lua cheia: 0,25 lux

     Iluminação rodoviária: 20 a 30 lux



   Pode ser necessário complementar com luz
    artificial consoante a estação do ano,
    condições climatéricas e hora do dia. 
   A quantidade de luz necessária depende de:
     Natureza  do trabalho (precisão, …)
     Visão do trabalhador (idade, …)

     Reflexão da superfícies (cores, material, …)

     Dimensão, forma e capacidade de reflexão dos
      materiais com que se trabalha 
Iluminância                    Tarefas                                  Exemplos
    (lux)
     10                             ---                 Iluminação de emergência

 100 a 150      Mínimo para locais de onde não se       Áreas de circulação ou de permanência
                realizem actividades                    temporária

 250 a 500      Tarefas visuais simples, que não        Trabalhos em armazéns, estaleiros
                exigem grande esforço

500 a 1.000     Observação contínua de detalhes         Trabalhos em escritórios, processamento
                médios e finos                          de dados, leitura, rebarbagem com
                                                        pequenos detalhes

1.000 a 1.500   Tarefas visuais contínuas e precisas.   Comparação de cores, desenho técnico,
                                                        montagem de pequenos elementos em
                                                        electrónica
1.500 a 2.000   Trabalho visual muito preciso,          Trabalhos de relojoaria, gravação
                exigindo grande esforço

  > 5.000       Tarefas especiais                       Sala de operações
Consequências de uma má
iluminação 
   Fadiga Ocular;
   Dores de cabeça;
   Stress;
   Posturas incorrectas;
   Menor motivação;
   Menor produtividade;
   Maior probabilidade de ocorrência de
    acidentes
Conforto visual 
Evitar encadeamento directo
e indirecto 
Combinar luz directa e difusa
(reflectida pelas paredes e tectos)

Evitar contrastes entre claridade e
sombra 
Tipos de Lâmpadas
   Lâmpadas incandescentes: luz produzida pelo
    aquecimento do filamento
   Lâmpadas fluorescentes: luz produzida pela
    excitação do gás no tubo de descarga.
Incandescente           Fluorescente

Rendimento         11 a 19                 41 a 69 (compacta)
luminoso (lm/W)                            55 a 93 (linear)
Duração média de   1.000                   10.000 (compacta)
vida (h)           Não afecta pelo nº de   7.500 (linear)
                   vezes que acende        Tempo de vida condicionado
                                           pelo nº de arranques
Preço médio        0,72€                   6,48€ (compacta)




 Comparação… 
O efeito da cor 
   Branco frio para trabalhar
   Branco quente (amarelado) para zonas de repouso

   Áreas de grande permanência de pessoas  cores
    neutras, para não fatigar e ressaltar o mais importante:
    máquinas, obstáculos, sinalizações, etc.
   Áreas de escassa permanência  cores mais intensas,
    quando se quer reforçar, amplitude, intimidade,
    relaxamento: corredores, salas de reuniões, etc.
   Áreas de muita escassa permanência  cores atrativas,
    com fortes contrastes que estimulem, separem e
    caracterizem: cantinas, halls, etc.
Cor        Efeito de distância     Efeito de     Efeito psíquico
                                 temperatura
  Azul        Afastamento            Frio           Calmante
 Verde        Afastamento        Frio e neutro   Muito calmante
Vermelho      Aproximação          Quente             Muito
                                                   estimulante
                                                    Cansativo
Laranja    Muita aproximação     Muito quente       Excitante
Amarelo       Aproximação        Muito quente       Excitante
Castanho   Muita aproximação,       Neutro          Excitante
              claustrofobia
 Violeta   Muita aproximação         Frio           Agressivo
                                                   Cansativo
                                                   Deprimente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agentes físicos
Agentes físicosAgentes físicos
Agentes físicosEdhy Torres
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2IBEST ESCOLA
 
Ruído em higiene e segurança no trabalho
Ruído em  higiene e segurança no trabalhoRuído em  higiene e segurança no trabalho
Ruído em higiene e segurança no trabalhoLucas Vinícius
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introduçãoEliane Blen
 
118985172 2746.ruido ocupacional
118985172 2746.ruido ocupacional118985172 2746.ruido ocupacional
118985172 2746.ruido ocupacionalPelo Siro
 
Riscos profissionais
Riscos profissionaisRiscos profissionais
Riscos profissionaiscattonia
 
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROS
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROSTREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROS
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROSJulio Jayme
 
RISCO FÍSICO
RISCO FÍSICORISCO FÍSICO
RISCO FÍSICOEriclesia
 
Apresentação nr 26 sinalização de segurança
Apresentação nr 26 sinalização de segurança Apresentação nr 26 sinalização de segurança
Apresentação nr 26 sinalização de segurança João Vitor Rocha
 
Aula 4 riscos ocupacionais
Aula 4   riscos ocupacionaisAula 4   riscos ocupacionais
Aula 4 riscos ocupacionaisDaniel Moura
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosHugoDalevedove
 
Noção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoNoção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoFilipa Andrade
 

Mais procurados (20)

NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e PericulosidadeNR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
 
Agentes físicos
Agentes físicosAgentes físicos
Agentes físicos
 
Risco Fisico : Umidade
Risco Fisico : UmidadeRisco Fisico : Umidade
Risco Fisico : Umidade
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
 
NR 17
NR 17NR 17
NR 17
 
Ruído em higiene e segurança no trabalho
Ruído em  higiene e segurança no trabalhoRuído em  higiene e segurança no trabalho
Ruído em higiene e segurança no trabalho
 
Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1Exercicio freq e_grav1
Exercicio freq e_grav1
 
Eng.introdução
Eng.introduçãoEng.introdução
Eng.introdução
 
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICOPRIMEIROS SOCORROS  CHOQUE ELETRICO
PRIMEIROS SOCORROS CHOQUE ELETRICO
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
 
118985172 2746.ruido ocupacional
118985172 2746.ruido ocupacional118985172 2746.ruido ocupacional
118985172 2746.ruido ocupacional
 
Riscos profissionais
Riscos profissionaisRiscos profissionais
Riscos profissionais
 
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROS
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROSTREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROS
TREINAMENTO PRIMEIROS SOCORROS
 
RISCO FÍSICO
RISCO FÍSICORISCO FÍSICO
RISCO FÍSICO
 
Apresentação nr 26 sinalização de segurança
Apresentação nr 26 sinalização de segurança Apresentação nr 26 sinalização de segurança
Apresentação nr 26 sinalização de segurança
 
Aula 4 riscos ocupacionais
Aula 4   riscos ocupacionaisAula 4   riscos ocupacionais
Aula 4 riscos ocupacionais
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Ergonomia
ErgonomiaErgonomia
Ergonomia
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
 
Noção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalhoNoção de acidente de trabalho
Noção de acidente de trabalho
 

Destaque

Má iluminação
Má iluminaçãoMá iluminação
Má iluminaçãoPjpilin
 
Conforto ambiental iluminção
Conforto ambiental iluminçãoConforto ambiental iluminção
Conforto ambiental iluminçãoandersongguedes
 
Visão E Iluminação
Visão E IluminaçãoVisão E Iluminação
Visão E IluminaçãoNelson Sousa
 
Visão e Iluminação
Visão e IluminaçãoVisão e Iluminação
Visão e Iluminaçãodanists
 

Destaque (6)

Má iluminação
Má iluminaçãoMá iluminação
Má iluminação
 
Conforto ambiental iluminção
Conforto ambiental iluminçãoConforto ambiental iluminção
Conforto ambiental iluminção
 
Risco Físico: Iluminação
Risco Físico: IluminaçãoRisco Físico: Iluminação
Risco Físico: Iluminação
 
Visão E Iluminação
Visão E IluminaçãoVisão E Iluminação
Visão E Iluminação
 
Visão e Iluminação
Visão e IluminaçãoVisão e Iluminação
Visão e Iluminação
 
NBR 5413
NBR 5413 NBR 5413
NBR 5413
 

Mais de isabelourenco

Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoisabelourenco
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoisabelourenco
 
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoisabelourenco
 
Riscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeRiscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeisabelourenco
 
Risco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoRisco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoisabelourenco
 
Riscos profissionais i
Riscos profissionais iRiscos profissionais i
Riscos profissionais iisabelourenco
 
Utilizações da Genética
Utilizações da GenéticaUtilizações da Genética
Utilizações da Genéticaisabelourenco
 
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosHereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosisabelourenco
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosisabelourenco
 

Mais de isabelourenco (14)

Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalho
 
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmico
 
Riscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeRiscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidade
 
Risco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoRisco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosão
 
Riscos profissionais i
Riscos profissionais iRiscos profissionais i
Riscos profissionais i
 
Viver No EspaçO
Viver No EspaçOViver No EspaçO
Viver No EspaçO
 
Foi Há 40 Anos
Foi Há 40 AnosFoi Há 40 Anos
Foi Há 40 Anos
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Utilizações da Genética
Utilizações da GenéticaUtilizações da Genética
Utilizações da Genética
 
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosHereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
 
O Material Genetico
O Material GeneticoO Material Genetico
O Material Genetico
 
Hereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhosHereditariedade da cor dos olhos
Hereditariedade da cor dos olhos
 

Último

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 

Último (20)

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 

Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho

  • 1. RISCOS ASSOCIADOS À ILUMINAÇÃO NOS LOCAIS DE TRABALHO E.B. 2,3 António Bento Franco – Ericeira HSST - Prof.ª Isabel Lourenço
  • 2. Iluminação ideal  Iluminação ideal → luz natural   Dia de sol: 100 000 lux  Dia de céu encoberto: 20 000 lux  Noite de lua cheia: 0,25 lux  Iluminação rodoviária: 20 a 30 lux  Pode ser necessário complementar com luz artificial consoante a estação do ano, condições climatéricas e hora do dia. 
  • 3. A quantidade de luz necessária depende de:  Natureza do trabalho (precisão, …)  Visão do trabalhador (idade, …)  Reflexão da superfícies (cores, material, …)  Dimensão, forma e capacidade de reflexão dos materiais com que se trabalha 
  • 4. Iluminância Tarefas Exemplos (lux) 10 --- Iluminação de emergência 100 a 150 Mínimo para locais de onde não se Áreas de circulação ou de permanência realizem actividades temporária 250 a 500 Tarefas visuais simples, que não Trabalhos em armazéns, estaleiros exigem grande esforço 500 a 1.000 Observação contínua de detalhes Trabalhos em escritórios, processamento médios e finos de dados, leitura, rebarbagem com pequenos detalhes 1.000 a 1.500 Tarefas visuais contínuas e precisas. Comparação de cores, desenho técnico, montagem de pequenos elementos em electrónica 1.500 a 2.000 Trabalho visual muito preciso, Trabalhos de relojoaria, gravação exigindo grande esforço > 5.000 Tarefas especiais Sala de operações
  • 5. Consequências de uma má iluminação   Fadiga Ocular;  Dores de cabeça;  Stress;  Posturas incorrectas;  Menor motivação;  Menor produtividade;  Maior probabilidade de ocorrência de acidentes
  • 6. Conforto visual  Evitar encadeamento directo e indirecto 
  • 7. Combinar luz directa e difusa (reflectida pelas paredes e tectos) Evitar contrastes entre claridade e sombra 
  • 8. Tipos de Lâmpadas  Lâmpadas incandescentes: luz produzida pelo aquecimento do filamento  Lâmpadas fluorescentes: luz produzida pela excitação do gás no tubo de descarga.
  • 9. Incandescente Fluorescente Rendimento 11 a 19 41 a 69 (compacta) luminoso (lm/W) 55 a 93 (linear) Duração média de 1.000 10.000 (compacta) vida (h) Não afecta pelo nº de 7.500 (linear) vezes que acende Tempo de vida condicionado pelo nº de arranques Preço médio 0,72€ 6,48€ (compacta) Comparação… 
  • 10. O efeito da cor   Branco frio para trabalhar  Branco quente (amarelado) para zonas de repouso  Áreas de grande permanência de pessoas  cores neutras, para não fatigar e ressaltar o mais importante: máquinas, obstáculos, sinalizações, etc.  Áreas de escassa permanência  cores mais intensas, quando se quer reforçar, amplitude, intimidade, relaxamento: corredores, salas de reuniões, etc.  Áreas de muita escassa permanência  cores atrativas, com fortes contrastes que estimulem, separem e caracterizem: cantinas, halls, etc.
  • 11. Cor Efeito de distância Efeito de Efeito psíquico temperatura Azul Afastamento Frio Calmante Verde Afastamento Frio e neutro Muito calmante Vermelho Aproximação Quente Muito estimulante Cansativo Laranja Muita aproximação Muito quente Excitante Amarelo Aproximação Muito quente Excitante Castanho Muita aproximação, Neutro Excitante claustrofobia Violeta Muita aproximação Frio Agressivo Cansativo Deprimente