SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Castanhos ou azuis ?
Hereditariedade da cor dos olhos
Olhem uns para os outros:
Quantos têm olhos azuis? Quantos têm olhos castanhos?
Se eu não tiver olhos azuis os meus filhos podem ter?
E se eu casar com alguém de olhos azuis ?
Já vou ter filhos de olhos azuis?
2
Quantas cores podem ter os olhos ?
3
Vejamos o caso desta família:
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
4
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Como se chamam os pais da Clara?
Quem é o avô paterno da Teresa?
Qual a relação familiar entre a Inês e o João ? E entre o João e a Maria ?
5
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
♂ homem
♀ mulher
Indivíduos com os
olhos de cor azul
Indivíduos com os
olhos de cor castanhos
casamento
descendência
Árvore genealógica
6existem mais simbologias para outras situações
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Quantos membros da família têm olhos azuis? E castanhos?
De uma maneira geral é mais frequente encontrar pessoas de olhos
castanhos do que de olhos azuis!
7
Cada característica é determinada por um ou vários genes.
Cada um de nós recebeu duas cópias desse gene (alelos):
uma do nosso pai e outra da nossa mãe.
A interacção entre os alelos do gene determina a forma da característica.
Neste caso a interacção entre os dois alelos do gene “cor dos olhos”
vai determinar se eles serão azuis ou castanhos.
8
Cromossoma que contém o gene que
determina a cor dos olhos
Gene que determina a
cor dos olhos (versão
“olhos castanhos”)
Quando os dois alelos são iguais
não há dúvidas quanto à forma
da característica.
Dois alelos “olhos castanhos” =
olhos castanhos.
Dois alelos “olhos azuis” = olhos
azuis.
Quando os dois alelos são
diferentes eles interagem e
normalmente só um deles se
manifesta.
Um alelo “olhos castanhos” e
outro alelo “olhos azuis” = olhos
castanhos
9
Combinação de alelos  característica
Castanho + Castanho  olhos castanhos
Castanho + Azul  olhos castanhos
Azul + Azul  olhos azuis
10
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Indica o conjunto de informações (genes) para a cor dos olhos:
do Rui: do Joaquim: do António:
11
Rui (pai do António) Marisa (mãe do António)
Como ficou o António com olhos castanhos?
AntónioA distribuição dos alelos do gene
na formação dos gâmetas é
aleatória (“ao calhas”).
Da mesma maneira, a combinação
dos alelos na fecundação também
é aleatória.
12
C – gene que determina cor dos olhos castanha
c – gene que determina cor dos olhos azul
Combinação possíveis dos genes dos pais do António na fecundação
♀
♂
c c
C Cc Cc
C Cc Cc
Marisa (mãe)
Rui
(pai)
O alelo C é dominante
sobre o c que é recessivo.
A interacção entre dois alelos
diferentes determina que seja o
dominante a manifestar-se
Como ficou o António com olhos castanhos?
Marisa (mãe do António)
cc
= alelo versão “olhos azuis”
+ alelo versão “olhos azuis”
Rui (pai do António)
CC
= alelo versão “olhos castanhos”
+ alelo versão “olhos castanho”
Alelo “olhos castanhos” + alelo “olhos azuis” = Cc  olhos castanhos 13
Genótipo Fenótipo
Rui CC Olhos castanhos
Marisa cc Olhos azuis
António Cc Olhos castanhos
Joaquim cc Olhos azuis
Maria CC Olhos castanhos
Clara Cc Olhos castanhos
Em Genética é habitual usar a mesma
letra para representar o gene:
usa-se uma maiúscula para o dominante
e uma minúscula para o recessivo e
escreve-se sempre a letra do dominante
primeiro.
Genótipo
Combinação de genes para uma
determinada característica
Exemplo: CC
(os dois alelos para a cor dos olhos
determinam a cor castanha)
Fenótipo
Forma como a característica se
manifesta (determinada pelos genes)
Exemplo: olhos castanhos
(a pessoa tem olhos castanhos)
14
C – alelo que determina cor castanha
c – alelo que determina cor azul
Como se distribuíram os genes nos filhos do António e da Clara?
António Clara
Cc Cc
Probabilidade de combinação
dos genes na fecundação
Genótipo ¼  25% CC
¼ + ¼ =1/2  50% Cc
¼  25% cc
Fenótipo 75% Olhos castanhos
25% Olhos azuis
♀
♂ C c
C CC Cc
c Cc cc
15
João Teresa
Carolina
Inês
Genótipo Fenótipo
António Cc Olhos castanhos
Clara Cc Olhos castanhos
João CC Olhos castanhos
Teresa Cc Olhos castanhos
Carolina Cc Olhos castanhos
Inês cc Olhos azuis
Quando se possui as duas
versões do gene iguais (CC,
cc) diz-se que é homozigótico.
Quando se possui as duas
versões do gene diferentes
(Cc) diz-se que é
heterozigótico.
Como se distribuiram os genes nos filhos do António e da Clara?
16
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Quais são os genótipos da Teresa, do Joaquim e da Maria?
E os fenótipos?
17
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Quais são os indivíduos homozigóticos? E heterozigóticos?
18
Marisa
António
Joaquim Maria
Clara
João Teresa Carolina Inês
Rui
Comenta a frase: “A Clara tem olhos castanhos, é homozigótica e o seu genótipo é
Cc.”
19
20
BIBLIOGRAFIA:
•ANTUNES, Cristina; BISPO, Manuela e GUINDEIRA, Paula - Descobrir
a Terra (Ciências Naturais – 3ºciclo do ensino básico). Porto: Areal
Editores, 2004.
•STOPPARD, Miriam - O corpo da mulher. Círculo de Leitores. Edição
original: 1994, Dorling Kindersley Limited)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante""Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"VniaRodrigues30
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos HumanosMINV
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a geneticaUERGS
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicosSílvia Faim
 
Mensagem, D. Filipa de Lencastre
Mensagem,  D. Filipa de Lencastre Mensagem,  D. Filipa de Lencastre
Mensagem, D. Filipa de Lencastre Ana Cristina Matias
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadePatrícia Santos
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoGijasilvelitz 2
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textualgracacruz
 
Filosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os ValoresFilosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os ValoresInesTeixeiraDuarte
 
Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modeloAngela Boucinha
 

Mais procurados (20)

Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante""Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
"Mensagem" de Fernando Pessoa- "O Infante"
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
 
Introdução a genetica
Introdução a geneticaIntrodução a genetica
Introdução a genetica
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Albinismo
AlbinismoAlbinismo
Albinismo
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Mensagem, D. Filipa de Lencastre
Mensagem,  D. Filipa de Lencastre Mensagem,  D. Filipa de Lencastre
Mensagem, D. Filipa de Lencastre
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Noções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedadeNoções básicas de hereditariedade
Noções básicas de hereditariedade
 
Poesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - ResumoPoesia Trovadoresca - Resumo
Poesia Trovadoresca - Resumo
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Filosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os ValoresFilosofia 10º Ano - Os Valores
Filosofia 10º Ano - Os Valores
 
Relatório experimental modelo
Relatório experimental modeloRelatório experimental modelo
Relatório experimental modelo
 

Destaque

282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues
282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues
282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portuguesSónia Pereira
 
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02Sónia Pereira
 
Português estudar para os testes - 1º ano
Português  estudar para os testes - 1º anoPortuguês  estudar para os testes - 1º ano
Português estudar para os testes - 1º anoSónia Pereira
 
Educateca 3º ano desafios
Educateca 3º ano desafiosEducateca 3º ano desafios
Educateca 3º ano desafiosSílvia Rocha
 
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficas
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficasAtividade para trabalhar com dificuldades ortográficas
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficasDaiana Neumann
 
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºanoSónia Pereira
 
Fichas de avaliao carochinha
Fichas de avaliao carochinhaFichas de avaliao carochinha
Fichas de avaliao carochinhamarcio083
 
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º Ano
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º AnoFichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º Ano
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º AnoMarta Viegas
 
Apostila de-matemática_adaptada
Apostila de-matemática_adaptadaApostila de-matemática_adaptada
Apostila de-matemática_adaptadaIsa ...
 
Livro treino caligráfico 1º ano
Livro treino caligráfico 1º anoLivro treino caligráfico 1º ano
Livro treino caligráfico 1º anoSílvia Carneiro
 
Fichas de Trabalho Carochinha 1º ano
Fichas de Trabalho Carochinha 1º anoFichas de Trabalho Carochinha 1º ano
Fichas de Trabalho Carochinha 1º anoAna Picão
 
Fichas 28 palavras
Fichas 28 palavrasFichas 28 palavras
Fichas 28 palavrasCelina Sousa
 
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacaoEduardo Lopes
 
Apostila matemática em pdf
Apostila  matemática em pdfApostila  matemática em pdf
Apostila matemática em pdfIsa ...
 

Destaque (15)

Fichas grafemas
Fichas grafemasFichas grafemas
Fichas grafemas
 
282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues
282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues
282168192 a-grande-aventura-1º-ano-portugues
 
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02
Fichasavaliaomensal1ano 130524102908-phpapp02
 
Português estudar para os testes - 1º ano
Português  estudar para os testes - 1º anoPortuguês  estudar para os testes - 1º ano
Português estudar para os testes - 1º ano
 
Educateca 3º ano desafios
Educateca 3º ano desafiosEducateca 3º ano desafios
Educateca 3º ano desafios
 
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficas
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficasAtividade para trabalhar com dificuldades ortográficas
Atividade para trabalhar com dificuldades ortográficas
 
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano
282722852 a-grande-aventura-caderno-de-fichas-portugues-1ºano
 
Fichas de avaliao carochinha
Fichas de avaliao carochinhaFichas de avaliao carochinha
Fichas de avaliao carochinha
 
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º Ano
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º AnoFichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º Ano
Fichas de Avaliação Estudo do Meio_3.º Ano
 
Apostila de-matemática_adaptada
Apostila de-matemática_adaptadaApostila de-matemática_adaptada
Apostila de-matemática_adaptada
 
Livro treino caligráfico 1º ano
Livro treino caligráfico 1º anoLivro treino caligráfico 1º ano
Livro treino caligráfico 1º ano
 
Fichas de Trabalho Carochinha 1º ano
Fichas de Trabalho Carochinha 1º anoFichas de Trabalho Carochinha 1º ano
Fichas de Trabalho Carochinha 1º ano
 
Fichas 28 palavras
Fichas 28 palavrasFichas 28 palavras
Fichas 28 palavras
 
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao
94071757 caderno-de-atividades-alfabetizacao
 
Apostila matemática em pdf
Apostila  matemática em pdfApostila  matemática em pdf
Apostila matemática em pdf
 

Semelhante a hereditariedade cor olhos família

07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humanaTeresa Monteiro
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genéticaAdrianne Mendonça
 
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp015 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01Pelo Siro
 
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdfmariagrave
 
Biologia 1º ano gametogênese
Biologia 1º ano  gametogêneseBiologia 1º ano  gametogênese
Biologia 1º ano gametogêneseCarlos Magno Braga
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Genética.
www.CentroApoio.com -  Biologia - Genética.www.CentroApoio.com -  Biologia - Genética.
www.CentroApoio.com - Biologia - Genética.Vídeo Aulas Apoio
 
9.genetica.ppt.hereditariedade
9.genetica.ppt.hereditariedade9.genetica.ppt.hereditariedade
9.genetica.ppt.hereditariedadejuniortaro
 
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.com
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.comCalopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.com
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.comAntonio Silva
 
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...James Martins
 

Semelhante a hereditariedade cor olhos família (12)

07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana
 
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia    noções de probabilidade aplicadas à genéticaBiologia    noções de probabilidade aplicadas à genética
Biologia noções de probabilidade aplicadas à genética
 
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp015 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01
5 2008-2009-9ano-noesbsicasdehereditariedade-110204162534-phpapp01
 
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf
355611509-HEREDITARIEDADE-pdf.pdf
 
Biologia 1º ano gametogênese
Biologia 1º ano  gametogêneseBiologia 1º ano  gametogênese
Biologia 1º ano gametogênese
 
Genetica
GeneticaGenetica
Genetica
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Genética.
www.CentroApoio.com -  Biologia - Genética.www.CentroApoio.com -  Biologia - Genética.
www.CentroApoio.com - Biologia - Genética.
 
9.genetica.ppt.hereditariedade
9.genetica.ppt.hereditariedade9.genetica.ppt.hereditariedade
9.genetica.ppt.hereditariedade
 
9º 4.1
9º 4.19º 4.1
9º 4.1
 
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.com
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.comCalopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.com
Calopsitas Mansas - www.calopsitabr.blogspot.com
 
genetica.ppt
genetica.pptgenetica.ppt
genetica.ppt
 
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...Lista de exercícios   genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
Lista de exercícios genetica I - 3º ano 2016 - profo james martins com gaba...
 

Mais de isabelourenco

Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoisabelourenco
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoisabelourenco
 
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoisabelourenco
 
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoisabelourenco
 
Riscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeRiscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeisabelourenco
 
Risco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoRisco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoisabelourenco
 
Riscos profissionais i
Riscos profissionais iRiscos profissionais i
Riscos profissionais iisabelourenco
 
Utilizações da Genética
Utilizações da GenéticaUtilizações da Genética
Utilizações da Genéticaisabelourenco
 
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosHereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosisabelourenco
 

Mais de isabelourenco (14)

Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalho
 
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmico
 
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalhoRiscos associados à iluminação nos locais de trabalho
Riscos associados à iluminação nos locais de trabalho
 
Riscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidadeRiscos associados a electricidade
Riscos associados a electricidade
 
Risco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosãoRisco de incêndio e explosão
Risco de incêndio e explosão
 
Riscos profissionais i
Riscos profissionais iRiscos profissionais i
Riscos profissionais i
 
Viver No EspaçO
Viver No EspaçOViver No EspaçO
Viver No EspaçO
 
Foi Há 40 Anos
Foi Há 40 AnosFoi Há 40 Anos
Foi Há 40 Anos
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Utilizações da Genética
Utilizações da GenéticaUtilizações da Genética
Utilizações da Genética
 
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeosHereditariedade dos Grupos SanguíNeos
Hereditariedade dos Grupos SanguíNeos
 
O Material Genetico
O Material GeneticoO Material Genetico
O Material Genetico
 

Último

geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 

Último (20)

geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 

hereditariedade cor olhos família

  • 1. Castanhos ou azuis ? Hereditariedade da cor dos olhos
  • 2. Olhem uns para os outros: Quantos têm olhos azuis? Quantos têm olhos castanhos? Se eu não tiver olhos azuis os meus filhos podem ter? E se eu casar com alguém de olhos azuis ? Já vou ter filhos de olhos azuis? 2
  • 3. Quantas cores podem ter os olhos ? 3
  • 4. Vejamos o caso desta família: Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui 4
  • 5. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Como se chamam os pais da Clara? Quem é o avô paterno da Teresa? Qual a relação familiar entre a Inês e o João ? E entre o João e a Maria ? 5
  • 6. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui ♂ homem ♀ mulher Indivíduos com os olhos de cor azul Indivíduos com os olhos de cor castanhos casamento descendência Árvore genealógica 6existem mais simbologias para outras situações
  • 7. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Quantos membros da família têm olhos azuis? E castanhos? De uma maneira geral é mais frequente encontrar pessoas de olhos castanhos do que de olhos azuis! 7
  • 8. Cada característica é determinada por um ou vários genes. Cada um de nós recebeu duas cópias desse gene (alelos): uma do nosso pai e outra da nossa mãe. A interacção entre os alelos do gene determina a forma da característica. Neste caso a interacção entre os dois alelos do gene “cor dos olhos” vai determinar se eles serão azuis ou castanhos. 8
  • 9. Cromossoma que contém o gene que determina a cor dos olhos Gene que determina a cor dos olhos (versão “olhos castanhos”) Quando os dois alelos são iguais não há dúvidas quanto à forma da característica. Dois alelos “olhos castanhos” = olhos castanhos. Dois alelos “olhos azuis” = olhos azuis. Quando os dois alelos são diferentes eles interagem e normalmente só um deles se manifesta. Um alelo “olhos castanhos” e outro alelo “olhos azuis” = olhos castanhos 9
  • 10. Combinação de alelos  característica Castanho + Castanho  olhos castanhos Castanho + Azul  olhos castanhos Azul + Azul  olhos azuis 10
  • 11. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Indica o conjunto de informações (genes) para a cor dos olhos: do Rui: do Joaquim: do António: 11
  • 12. Rui (pai do António) Marisa (mãe do António) Como ficou o António com olhos castanhos? AntónioA distribuição dos alelos do gene na formação dos gâmetas é aleatória (“ao calhas”). Da mesma maneira, a combinação dos alelos na fecundação também é aleatória. 12
  • 13. C – gene que determina cor dos olhos castanha c – gene que determina cor dos olhos azul Combinação possíveis dos genes dos pais do António na fecundação ♀ ♂ c c C Cc Cc C Cc Cc Marisa (mãe) Rui (pai) O alelo C é dominante sobre o c que é recessivo. A interacção entre dois alelos diferentes determina que seja o dominante a manifestar-se Como ficou o António com olhos castanhos? Marisa (mãe do António) cc = alelo versão “olhos azuis” + alelo versão “olhos azuis” Rui (pai do António) CC = alelo versão “olhos castanhos” + alelo versão “olhos castanho” Alelo “olhos castanhos” + alelo “olhos azuis” = Cc  olhos castanhos 13
  • 14. Genótipo Fenótipo Rui CC Olhos castanhos Marisa cc Olhos azuis António Cc Olhos castanhos Joaquim cc Olhos azuis Maria CC Olhos castanhos Clara Cc Olhos castanhos Em Genética é habitual usar a mesma letra para representar o gene: usa-se uma maiúscula para o dominante e uma minúscula para o recessivo e escreve-se sempre a letra do dominante primeiro. Genótipo Combinação de genes para uma determinada característica Exemplo: CC (os dois alelos para a cor dos olhos determinam a cor castanha) Fenótipo Forma como a característica se manifesta (determinada pelos genes) Exemplo: olhos castanhos (a pessoa tem olhos castanhos) 14 C – alelo que determina cor castanha c – alelo que determina cor azul
  • 15. Como se distribuíram os genes nos filhos do António e da Clara? António Clara Cc Cc Probabilidade de combinação dos genes na fecundação Genótipo ¼  25% CC ¼ + ¼ =1/2  50% Cc ¼  25% cc Fenótipo 75% Olhos castanhos 25% Olhos azuis ♀ ♂ C c C CC Cc c Cc cc 15
  • 16. João Teresa Carolina Inês Genótipo Fenótipo António Cc Olhos castanhos Clara Cc Olhos castanhos João CC Olhos castanhos Teresa Cc Olhos castanhos Carolina Cc Olhos castanhos Inês cc Olhos azuis Quando se possui as duas versões do gene iguais (CC, cc) diz-se que é homozigótico. Quando se possui as duas versões do gene diferentes (Cc) diz-se que é heterozigótico. Como se distribuiram os genes nos filhos do António e da Clara? 16
  • 17. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Quais são os genótipos da Teresa, do Joaquim e da Maria? E os fenótipos? 17
  • 18. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Quais são os indivíduos homozigóticos? E heterozigóticos? 18
  • 19. Marisa António Joaquim Maria Clara João Teresa Carolina Inês Rui Comenta a frase: “A Clara tem olhos castanhos, é homozigótica e o seu genótipo é Cc.” 19
  • 20. 20 BIBLIOGRAFIA: •ANTUNES, Cristina; BISPO, Manuela e GUINDEIRA, Paula - Descobrir a Terra (Ciências Naturais – 3ºciclo do ensino básico). Porto: Areal Editores, 2004. •STOPPARD, Miriam - O corpo da mulher. Círculo de Leitores. Edição original: 1994, Dorling Kindersley Limited)