SlideShare uma empresa Scribd logo
Relações de 
Além Túmulo 
(“O Livro dos Espíritos”, 
questões 274 a 290)
Para nos ajudar a entender 
as questões que serão 
apresentadas: 
Os espíritos são classificados 
em 3 ordens principais :
1a Ordem – Espíritos Puros: os 
que já chegaram à perfeição. 
2a Ordem – Bons Espíritos: 
desejo do bem é predominante. 
3a Ordem – Espíritos Imperfeitos: 
predominam a ignorância, o 
desejo do mal e todas as 
paixões más, que lhes retardam 
o progresso.
Questão 274: 
Da existência de diferentes 
ordens de Espíritos, resulta 
para estes alguma hierarquia 
de poderes? Há entre eles 
subordinação e autoridade?

Recomendado para você

providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina

Conceituar providência divina. Explicar como se realiza a ação providencial de Deus para com as criaturas.

espiritismo. programa. estudo. esde i.deusprovidencia divina
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO

Estudo da desobsessão sob o enfoque de "como se estabelece" e de que formas podemos ajudar no tratamento de um processo obsessivo.

ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...

Vídeos do estudo: (Parte 1) https://www.youtube.com/watch?v=w5vVOHhlV2A&feature=youtu.be (Parte 2) http://youtu.be/vL4ZQsNOGpo http://www.nvinhadeluz.com

brasil.esdeespiritismo
“Muito grande. Os Espíritos 
têm uns sobre os outros a 
autoridade correspondente 
ao grau de superioridade que 
hajam alcançado, autoridade 
que eles exercem por um 
ascendente moral 
irresistível.”
Questão 274-a: 
Podem os Espíritos inferiores 
subtrair-se à autoridade dos 
que lhes são superiores?
“Eu disse: irresistível.”
“Eu disse: irresistível.” 
“Segue-me.” 
(Marcos 2,14)

Recomendado para você

Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx

O documento discute o planejamento reencarnatório, explicando que ele é feito de forma planejada e lógica para promover o progresso espiritual, levando em conta as condições do Espírito. O planejamento pode ser feito pelo próprio Espírito ou por um guia, e considera fatores como pais, local e provas, mas nem sempre é cumprido conforme planejado devido ao livre-arbítrio.

#esde#espiritismo
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos

As entidades espirituais designadas pelos nomes de “anjo da guarda”, “anjo guardião”, “protetor espiritual” ou “mentor espiritual” nada têm que ver com os anjos propriamente ditos. Os protetores espirituais, que Deus concede a cada uma de suas criaturas, são Espíritos como nós mesmos, ainda no caminho da evolução, e não Espíritos puros, chegados ao ápice da evolução, embora muitos protetores espirituais sejam Espíritos de alta envergadura moral. Espírito protetor, anjo da guarda ou bom gênio - É o Espírito que tem por missão acompanhar o homem na vida e ajudá-lo a progredir. É ele sempre de natureza superior com relação ao seu protegido. Sua missão é como a de um pai com relação ao filho: guiá-lo pela senda do bem, auxiliá-lo com seus conselhos, consolá-lo em suas aflições, levantar-lhe o ânimo nas provas da vida. Espíritos familiares - São os que se ligam a certas pessoas por laços mais ou menos duráveis com o fim de lhes serem úteis, dentro dos limites do poder de que dispõem. Podem ser bons, porém muitas vezes são pouco adiantados e, por isso, se ocupam com as particularidades da vida íntima das pessoas, só atuando por ordem ou com permissão dos Espíritos protetores. Espíritos simpáticos - São os que se sentem atraídos para o nosso lado por afeições particulares e também por uma certa semelhança de gostos e de sentimentos, tanto para o bem quanto para o mal. Pressentimento – sentir antes, perceber antes. Se colocar em uma situação que ainda não existe. Os pressentimentos e intuições são meios de nos comunicarmos com nossos mentores Espirituais, assim como com o nosso próprio íntimo. É através desse tipo de mediunidade que é possível receber os auxílios para o cumprimento de nossa encarnação.

anjos guardiãesespíritos protetoresespíritos familiares
Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec

Allan Kardec (Hippolyte Léon Denizard Rivail) foi o codificador do Espiritismo. Ele estudou com o educador Pestalozzi e fundou escolas na França. Após observações científicas dos fenômenos espíritas, codificou cinco livros fundamentais entre 1857-1868. Kardec dedicou sua vida a difundir o Espiritismo através de palestras, viagens, pesquisas e a Revista Espírita.

Questão 275: 
O poder e a consideração de 
que um homem gozou na 
Terra lhe dão supremacia no 
mundo dos Espíritos?
“Não; pois que os pequenos 
serão elevados e os grandes 
rebaixados. Lê os salmos.”
Questão 275-a: 
Como devemos entender 
essa elevação e esse 
rebaixamento?
“Não sabes que os Espíritos 
são de diferentes ordens, 
conforme seus méritos? Pois 
bem! O maior da Terra pode 
pertencer à última categoria 
entre os Espíritos, ao passo 
que o seu servo pode estar 
na primeira. Compreendes 
isto?”

Recomendado para você

Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios

Os Mundos Transitórios são mundos, provavelmente planetas ou astros, sem condições para abrigar vida material, mas que servem como habitação temporária para espíritos errantes durante o intervalo entre encarnações, onde podem repousar e adquirir conhecimentos. A condição desses mundos e dos espíritos que os habitam é transitória, e ambos progridem com o tempo. A Terra já foi um Mundo Transitório durante sua formação.

espiritismo
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2

O documento discute a reencarnação como um processo natural e necessário para a evolução espiritual através de múltiplas vidas. A reencarnação permite a reparação de erros do passado e a continuação do aprendizado, de acordo com os princípios de justiça e misericórdia divinas.

Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec

O documento discute a vida espírita após a morte corporal e antes do renascimento. Segundo o texto, os Espíritos escolhem livremente as próximas existências terrenas e as provas que enfrentarão, visando seu amadurecimento moral, embora inicialmente sejam ignorantes. As tribulações da vida não são castigos impostos, mas consequência das escolhas dos Espíritos em busca de evolução.

espiritismodoutrina espiritaescolha das provas
“Não disse Jesus: aquele que 
se humilhar será exaltado e 
aquele que se exaltar será 
humilhado?”
Questão 276: 
Aquele que foi grande na 
Terra e que, como Espírito, 
vem a achar-se entre os de 
ordem inferior, experimenta 
com isso alguma 
humilhação?
“Às vezes bem grande, 
mormente se era orgulhoso e 
invejoso.”
"Que trouxe eu comigo da minha 
realeza terrena? Nada, absolutamente 
nada... Rainha entre os homens, como 
rainha julguei que penetrasse no reino 
dos céus! Que desilusão! Que 
humilhação, quando, em vez de ser 
recebida aqui qual soberana, vi acima 
de mim, mas muito acima, homens que 
eu julgava insignificantes e aos quais 
desprezava, por não terem sangue 
nobre! " 
(Uma Rainha de França - ESE, Cap. II, item 8).

Recomendado para você

Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais

O documento discute as causas e tratamento da obsessão espiritual. Resumidamente: 1) A obsessão ocorre quando espíritos imperfeitos adquirem domínio sobre pessoas, geralmente devido a falhas morais como apegos ou paixões. 2) O obsessor não é um monstro, mas sim um espírito com quem a vítima teve vínculos afetivos. 3) O tratamento envolve reforma moral, oração, fluidoterapia e apoio do círculo social para que o obsessor abandone seus propósit

obsessãopalestra espiritainfluencias espirituais
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos

Palestra Espírita baseada nas questões 132 e 133 de "O Livro dos Espíritos" codificado por Allan Kardec, falando sobre provas e expiações, missão dos espíritos.

expiiaçãoprovamissão
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal

O documento discute a influência dos espíritos nos pensamentos, atos e acontecimentos da vida humana. Explica que os espíritos influenciam através das energias, fluidos e vibrações que são absorvidos e irradiados pelo perispírito. Cabe ao ser humano atrair bons ou maus espíritos com base em sua conduta moral, podendo neutralizar más influências praticando o bem e orando.

Questão 277: 
O soldado que depois da 
batalha se encontra com o seu 
general, no mundo dos 
Espíritos, ainda o tem por seu 
superior? 
“O título nada vale, a 
superioridade real é que tem 
valor.”
“Suas atitudes falam tão alto 
que eu não consigo ouvir o 
que você diz.” 
(Ralph Emerson, filósofo e 
poeta americano)
Questão 278: 
Os Espíritos das diferentes 
ordens se acham misturados 
uns com os outros?
“Sim e não. Quer dizer: eles 
se vêem, mas se distinguem 
uns dos outros. Evitam-se ou 
se aproximam, conforme à 
simpatia ou à antipatia que 
reciprocamente uns inspiram 
aos outros, tal qual sucede 
entre vós.”

Recomendado para você

Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita

[1] O documento discute o processo de desencarne espiritual após a morte física, explicando que o desligamento da alma do corpo ocorre gradualmente e de forma variável dependendo de cada indivíduo. [2] É destacado que a família deve evitar críticas e pensamentos negativos no velório, ajudando a alma do falecido no processo de transição para a pátria espiritual. [3] Referências bíblicas e obras espíritas são citadas para explicar que a alma pode

Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritos

O documento discute a influência dos espíritos nos pensamentos, ações e acontecimentos da vida humana. Explica que os espíritos, bons ou maus, podem influenciar as pessoas através dos pensamentos. Cabe a cada um distinguir a natureza dessas influências e não ceder às sugestões de espíritos imperfeitos. A conduta moral de cada um atrai certos tipos de espíritos e estabelece o tipo de influência recebida.

banco de aulasana luzcentro espirita
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações

O documento descreve a Terra como um planeta de expiação e provas, onde o mal predomina e causa misérias. Apresenta os diferentes tipos de espíritos que habitam o planeta, incluindo aqueles em expiação, selvagens em educação e povos em progresso. Explica que os planetas, incluindo a Terra, progridem material e moralmente através da transformação dos elementos e depuração dos espíritos. A futura destinação da Terra é se tornar um mundo de regeneração habitado apenas por espíritos bons

terraprovasexpiações
- Reúnem-se por afinidade: 
* Os bons pelo desejo de 
fazer o bem; 
* Os maus pelo desejo de 
fazer o mal, pela vergonha de 
suas faltas e necessidade de 
estar entre os seus iguais.
Questão 279: 
Todos os Espíritos têm 
reciprocamente acesso aos 
diferentes grupos ou 
sociedades que eles 
formam?
“Os bons vão a toda parte e 
assim deve ser, para que 
possam influir sobre os maus. 
As regiões, porém, que os 
bons habitam estão 
interditadas aos Espíritos 
imperfeitos, a fim de que não 
as perturbem com suas 
paixões inferiores.”
Nosso Lar 
Cena do filme Nosso Lar - Clarêncio, Lísias 
e Tobias resgatam André Luiz no Umbral.

Recomendado para você

2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita

Os Espíritos são de diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado, podendo ser ilimitadas em número, porém considerando-se os caracteres gerais dos Espíritos, elas podem reduzir-se a três principais: Espíritos puros, Espíritos bons, Espíritos imperfeitos.

escala espíritaespiritos purosespíritos bons
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado

O documento discute questões sobre o esquecimento do passado de acordo com o Espiritismo. Segundo os Espíritos, o homem esquece seu passado para ser mais livre e evitar perturbações, mas guarda a intuição do passado. Lembrar do passado pode ser perigoso em mundos inferiores, mas é possível em mundos superiores onde o espírito está mais equilibrado. Algumas pessoas podem ter revelações sobre vidas passadas, mas também pode ser mera ilusão, então cuidado é necessário.

Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo

O documento descreve a classificação de espíritos em três ordens principais - Espíritos Puros, Bons Espíritos e Espíritos Imperfeitos - de acordo com seu grau de perfeição e qualidades adquiridas. Detalha ainda que os espíritos se misturam mas se distinguem de acordo com afinidades, e que os bons espíritos podem acessar todos os grupos para influenciar os maus, enquanto as regiões dos bons são interditadas aos espíritos imperfeitos.

Questão 280: 
De que natureza são as 
relações entre os bons e os 
maus Espíritos?
“Os bons se ocupam em 
combater as más inclinações 
dos outros, a fim de ajudá-los 
a subir. É sua missão.”
Questão 281: 
Por que os Espíritos 
inferiores se comprazem em 
nos induzir ao mal?
“Pelo despeito que lhes 
causa o não terem merecido 
estar entre os bons... Querem 
que os outros experimentem 
o que eles próprios 
experimentam. 
Isto não se dá também entre 
vós outros?”

Recomendado para você

Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os EspíritosRelações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos

As relações entre os espíritos podem incluir simpatia ou antipatia, dependendo de sua pureza. Espíritos puros sentem simpatia uns pelos outros, enquanto espíritos impuros podem nutrir ódio. Após a morte, inimigos na Terra compreendem a estupidez de seu ódio e se aproximam com prazer, a menos que ainda sejam imperfeitos.

Das ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritosDas ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritos

O documento discute as missões e ocupações dos espíritos após a morte. Afirma que os espíritos ajudam na harmonia do universo executando os desígnios de Deus e que sua vida é contínua, sem cansaço físico. Também diz que todos, inclusive espíritos imperfeitos, têm deveres e que Deus permite o mal para que resulte em um bem maior.

sergio menezes kardecista grupo espirita conceio d
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas

O documento discute as forças magnéticas de simpatia e antipatia que atraem ou repelem os seres humanos uns dos outros. Explica que a simpatia pode levar ao encontro de almas afins mesmo sem uma conexão passada, enquanto a antipatia pode surgir de diferenças de pensamento e ser superada à medida que os espíritos se elevam. Também descreve como os padrões de atração e repulsão de cada pessoa contêm aspectos individuais e compartilhados.

Questão 282: 
Como se comunicam entre si 
os Espíritos?
“Eles se vêem e se 
compreendem. O fluido 
universal estabelece entre 
eles constante comunicação; 
é o veiculo da transmissão de 
seus pensamentos... que liga 
todos os mundos e permite 
que os Espíritos se 
correspondam”
Questão 283: 
Podem os Espíritos, 
reciprocamente, dissimular 
seus pensamentos? Podem 
ocultar-se uns dos outros?
“Não; para os Espíritos, tudo é 
patente, sobretudo para os 
perfeitos. Podem afastar-se uns 
dos outros, mas sempre se 
vêem. Isto, porém, não constitui 
regra absoluta, porquanto certos 
Espíritos podem muito bem 
tornar-se invisíveis a outros 
Espíritos, se julgarem útil fazê-lo.”

Recomendado para você

Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!

O documento discute as ocupações e missões dos espíritos. Alguns espíritos guiam o progresso humano ou encarnam para ajudar a humanidade, enquanto outros cuidam da natureza. As missões dos espíritos encarnados incluem instruir e auxiliar os homens. A paternidade também é considerada uma importante missão espiritual.

leonardo pereiragelpespíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos

Os espíritos desempenham diversas ocupações e missões no universo, de acordo com seus níveis de evolução. Suas atividades incluem ajudar na harmonia do universo, executar a vontade de Deus, influenciar humanos de forma positiva ou negativa, e pedir missões específicas. Missões menores podem ser dadas a espíritos menos evoluídos.

Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritosPalestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos

O documento descreve as ocupações e missões dos espíritos no mundo material e espiritual, incluindo missionários, espíritos protetores como guias espirituais, e como eles evoluem através de seu trabalho contínuo, seja cumprindo missões relevantes ou sofrendo as consequências de falhas.

espíritosocupaçõesmissões
Questão 284: 
Como podem os Espíritos, 
não tendo corpo, comprovar 
suas individualidades e 
distinguir-se dos outros seres 
espirituais que os rodeiam?
“Comprovam suas 
individualidades pelo 
perispírito, que os torna 
distinguíveis uns dos outros, 
como faz o corpo entre os 
homens.”
Questão 285: 
Os Espíritos se reconhecem 
por terem coabitado a Terra? 
O filho reconhece o pai, o 
amigo reconhece o seu 
amigo?
“Perfeitamente e, assim, de 
geração em geração.”

Recomendado para você

Ocupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritosOcupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritos

O documento discute a natureza das ocupações e missões dos espíritos. Apresenta exemplos de ocupações como o trabalho de assistência aos espíritos errantes e encarnados. Também discute possíveis falhas nas missões espirituais e cita três espíritos missionários notáveis.

ocupacoesmissoesespiritismo
Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo

O documento descreve a classificação de espíritos em três ordens principais - Espíritos Puros, Bons Espíritos e Espíritos Imperfeitos - de acordo com seu grau de perfeição e qualidades adquiridas. Também discute que os espíritos se misturam, mas se distinguem e se agrupam com base em afinidade, e que os bons espíritos podem acessar todos os grupos para influenciar os maus, enquanto as regiões dos bons são interditadas aos espíritos imperfeitos

081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont

O documento discute as ocupações e missões dos espíritos, listando exemplos de grandes missionários como Sócrates, Jesus e Gandhi. Também aborda como os espíritos podem receber missões de Deus para instruir os homens e auxiliar o progresso, seja através de ocupações como cultivar a terra ou governar.

Questão 285-a: 
Como é que os que se 
conheceram na Terra se 
reconhecem no mundo dos 
Espíritos?
“Vemos a nossa vida pretérita 
e lemos nela como em um 
livro. Vendo a dos nossos 
amigos e dos nossos 
inimigos, aí vemos a 
passagem deles da vida 
corporal à outra.”
Questão 286: 
Deixando seus despojos 
mortais, a alma vê 
imediatamente os parentes e 
amigos que a precederam no 
mundo dos Espíritos?
“Imediatamente, ainda aqui, 
não é o termo próprio. Como 
já dissemos, é-lhe necessário 
algum tempo para que ela se 
reconheça a si mesma e alije 
o véu material.”

Recomendado para você

Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas

A missão dos espíritas é esclarecer as leis de Deus ensinadas por Jesus e preparar o reino do bem, combatendo a ignorância, a hipocrisia e falseamento da lei de amor e caridade. Os espíritas devem propagar os ensinamentos espíritas através da pregação e do exemplo de virtudes como a caridade, abnegação e desinteresse pessoal.

espiritismoallan kardecespirita
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11

Reunião Publica GECD - Dubai www.livestream.com - transmissão http://www.espacodespertar.blogspot.ae

entes queridospuniçaozaqueu
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12

Este documento discute a mediunidade e sua relação com as qualidades morais. Afirma que a mediunidade é uma faculdade inerente a certas disposições orgânicas e pode ser concedida a pessoas de qualquer caráter. No entanto, apenas os médiuns com virtudes elevadas, como simpatia e devoção ao bem, receberão a assistência dos bons Espíritos.

amorafeicaolacos de familia
Questão 287: 
Como é acolhida a alma no 
seu regresso ao mundo dos 
Espíritos?
“A do justo, como bem-amado 
irmão, desde muito 
tempo esperado. A do mau, 
como um ser desprezível.”
Questão 288: 
Que sentimento desperta nos 
Espíritos impuros a chegada 
entre eles de outro Espírito 
mau?
“Os maus ficam satisfeitos 
quando vêem seres que se 
lhes assemelham e privados, 
também, da infinita ventura, 
qual na Terra um tratante 
entre seus iguais.”

Recomendado para você

Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6

O documento discute as ideias inatas e como as experiências e conhecimentos adquiridos nas existências passadas influenciam a encarnação atual. As faculdades desenvolvidas pelo Espírito podem ficar latentes ou adormecidas para que outras se desenvolvam. Dois casos exemplificam como habilidades extraordinárias surgem como reflexo do progresso espiritual anterior.

ideias inatasreencarnacaobezerra de menezes
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5

Este documento discute três tópicos: 1) idéias inatas e a pluralidade das existências, onde o Espírito traz consigo conhecimentos adquiridos em vidas passadas; 2) a parábola do mau rico e Lázaro no Evangelho de Lucas; 3) uma citação sobre seguir o caminho espiritual elevado, apesar das dificuldades da vida material.

transformacao pessoalideias inatasdepois da morte
Uniões antipáticas
Uniões antipáticasUniões antipáticas
Uniões antipáticas

O documento discute as causas de uniões antipáticas entre pessoas. Afirma que a falta de conhecimento mútuo e ilusões sobre a aparência física ou status social frequentemente levam ao desenvolvimento de antipatia. Também aponta que preconceitos sociais e a busca por satisfação do ego em vez de felicidade mútua contribuem para relacionamentos infelizes.

Questão 289: 
Nossos parentes e amigos 
costumam vir-nos ao 
encontro quando deixamos a 
Terra?
“Sim, os Espíritos vão ao 
encontro da alma a quem são 
afeiçoados. Felicitam-na, 
como se regressasse de uma 
viagem, por haver escapado 
aos perigos da estrada, e 
ajudam-na a desprender-se 
dos liames corporais.”
“É uma graça concedida aos 
bons Espíritos o lhes virem 
ao encontro os que os amam, 
ao passo que aquele que se 
acha maculado permanece 
em insulamento, ou só tem a 
rodeá-lo os que lhe são 
semelhantes. É uma 
punição.”
Questão 290: 
Os parentes e amigos 
sempre se reúnem depois da 
morte?

Recomendado para você

Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28 Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28

Este documento discute vários tópicos relacionados à doutrina espírita, incluindo: 1) A importância dos anjos da guarda que acompanham os espíritos; 2) Como os espíritos amigos podem se comunicar através de sonhos; 3) A oração do Pai Nosso e seu significado espírita de confiar na providência divina e no trabalho para obter o necessário.

pai nossoanjo da guardareencarnação
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1

1) O documento discute os fenômenos dos "convulsionários" e o papel dos espíritos nisso, com alguns espíritos de baixo nível contribuindo para a produção desses fenômenos. 2) É explicado como o estado anormal pode se espalhar rapidamente em uma população através da simpatia, e como os convulsionários estão em um estado de sonambulismo desperto induzido uns pelos outros. 3) A insensibilidade física observada em alguns convulsionários é atribuída ao magnetismo que atua no

a revelação de pedroconvulsionariosinfluÊncia dos espÍritos
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6

O documento discute vários tópicos relacionados à vida após a morte, incluindo espíritos errantes, mundos transitórios, percepções e sofrimentos dos espíritos, escolha das provas, relações entre espíritos, lembranças da existência corporal e comemoração dos mortos.

“Depende isso da elevação 
deles e do caminho que 
seguem, procurando 
progredir. Se um está mais 
adiantado e caminha mais 
depressa do que outro, não 
podem os dois conservar-se 
juntos.”
“Ver-se-ão de tempos a 
tempos, mas não estarão 
reunidos para sempre, senão 
quando puderem caminhar 
lado a lado, ou quando se 
houverem igualado na 
perfeição. Acresce que a 
privação de ver os parentes e 
amigos é, às vezes, uma 
punição."
No mundo espiritual, “o velho 
patrício contemplou a figura 
radiosa da companheira e, 
extasiado, fechou os olhos 
banhados no pranto da 
compunção e do 
arrependimento [...]”. 
(Trecho de “Há 2.000 anos”, referindo-se 
a Públio Lentulus e Lívia)
Relações de além tumulo

Recomendado para você

Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11

O documento discute as relações hierárquicas entre espíritos e a existência de falsos profetas e falsos cristos, citando passagens bíblicas de Jeremias sobre falsos profetas. Também aborda a mediunidade e a necessidade de distinguir entre bons e maus espíritos para não se tornar um falso profeta.

fraternidade sem fronteirasas relações no além-túmulo
2.6.6 relacoes de alem-tumulo
2.6.6   relacoes de alem-tumulo2.6.6   relacoes de alem-tumulo
2.6.6 relacoes de alem-tumulo

Os Espíritos de diferentes ordens se misturam uns com os outros, quando é necessário. Eles cumprem a vontade de Deus, porém, têm a sua vida interna, que não se mistura. O inferior não pode subir aos planos elevados, entretanto, os elevados podem descer aos planos inferiores para ajudar, enriquecendo ainda mais suas experiências. Nas colônias espirituais, como a Colônia Espiritual Nosso Lar, há uma reunião de Espíritos que vibram na mesma sintonia, que mentém interesses semelhantes. Os afins se atraem.

relações de além-túmuloalém-túmulotumulo
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6

O documento discute vários aspectos da vida após a morte segundo o Livro dos Espíritos, incluindo as relações entre espíritos, a hierarquia no mundo espiritual, a recordação da vida terrena e a continuação do progresso espiritual após a morte.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
Graça Maciel
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
Rodrigo Leite
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
Denise Aguiar
 
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
Lar Irmã Zarabatana
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Rosimeire Alves
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
Marta Gomes
 
Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
Power Point
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
igmateus
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
sndteixeira
 
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais
Lisete B.
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
Marcos Antônio Alves
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
carlos freire
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritos
Bruno Cechinel Filho
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
Graça Maciel
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
Marta Gomes
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
meebpeixotinho
 

Mais procurados (20)

Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
providência divina
providência divinaprovidência divina
providência divina
 
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
25/10/1013 OBSESSÃO E DESOBSESSÃO
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
 
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos2.9.4   Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
2.9.4 Anjos guardiaes, espiritos protetores, familiares ou simpaticos
 
Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
 
Mundos Transitórios
Mundos TransitóriosMundos Transitórios
Mundos Transitórios
 
Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2Finalidades da reencarnação.pptx2
Finalidades da reencarnação.pptx2
 
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escolha das provas - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Influencias espirituais
Influencias espirituaisInfluencias espirituais
Influencias espirituais
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 
Desencarne na visão espírita
Desencarne na visão espíritaDesencarne na visão espírita
Desencarne na visão espírita
 
Roteiro 1 influência dos espíritos
Roteiro 1   influência dos espíritosRoteiro 1   influência dos espíritos
Roteiro 1 influência dos espíritos
 
A terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiaçõesA terra planeta de provas e expiações
A terra planeta de provas e expiações
 
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita2.1.5   diferentes ordens de espiritos - escala espirita
2.1.5 diferentes ordens de espiritos - escala espirita
 
Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado Esquecimento do Passado
Esquecimento do Passado
 

Destaque

Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo
wanderespiritismo
 
Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os EspíritosRelações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
wanderespiritismo
 
Das ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritosDas ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritos
Izabel Cristina Fonseca
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
Leonardo Pereira
 
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritosPalestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Divulgador do Espiritismo
 
Ocupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritosOcupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritos
Angelo Baptista
 
Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo
wanderespiritismo
 
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Patricia Farias
 
Uniões antipáticas
Uniões antipáticasUniões antipáticas
Uniões antipáticas
Humberto E. Hasegawa
 
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28 Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Patricia Farias
 
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Patricia Farias
 
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
contatodoutrina2013
 
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Patricia Farias
 

Destaque (20)

Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo
 
Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os EspíritosRelações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
Relações de Simpatia e Antipatia entre os Espíritos
 
Das ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritosDas ocupações e missões dos espíritos
Das ocupações e missões dos espíritos
 
Simpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenasSimpatias e antipatias terrenas
Simpatias e antipatias terrenas
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
 
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
081210 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos
 
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritosPalestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
Palestra Espírita - Ocupações e missões dos espíritos
 
Ocupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritosOcupacoes e missoes dos espiritos
Ocupacoes e missoes dos espiritos
 
Relação no além túmulo
Relação no além túmuloRelação no além túmulo
Relação no além túmulo
 
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
081217 le–livro ii, cap.10-da ocupação e missão dos espíritos-cont
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
Livro dos Espíritos Q.289 ESE cap24 item11
 
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
Livro dos Espiritos Q.291 ESE cap. 24 item12
 
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
Livro dos Espiritos 219 Evangelho cap16 item 6
 
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
Livro dos Espiritos q218 Evangelho cap 16 item 5
 
Uniões antipáticas
Uniões antipáticasUniões antipáticas
Uniões antipáticas
 
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28 Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
Livro dos Espíritos Questao 341, 342 e 343 ESE cap 28
 
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
Livro dos Espíritos 481 e ESE cap 4 item1
 
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
Visa Espírita - Livro dos Espíritos - Cap. 6
 
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
Livro dos Espiritos Q.274 ESE cap 21 item 10e11
 

Semelhante a Relações de além tumulo

2.6.6 relacoes de alem-tumulo
2.6.6   relacoes de alem-tumulo2.6.6   relacoes de alem-tumulo
2.6.6 relacoes de alem-tumulo
Marta Gomes
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
hannahxa
 
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritualPrimeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
CeiClarencio
 
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritualSegundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
CeiClarencio
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
Antonino Silva
 
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
Patricia Farias
 
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
Marta Gomes
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Patricia Farias
 
O que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescerO que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescer
igmateus
 
Livro dos mediuns das evocaçõe
Livro dos mediuns  das evocaçõeLivro dos mediuns  das evocaçõe
Livro dos mediuns das evocaçõe
JoiceCicilino1
 
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
nelmarvoc
 
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada" Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
nelmarvoc
 
Anjos Da Guarda
Anjos Da GuardaAnjos Da Guarda
Anjos Da Guarda
Sergio Menezes
 
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Escala espírita!
Escala espírita!Escala espírita!
Escala espírita!
Leonardo Pereira
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Afeições e simpatias
Afeições e simpatiasAfeições e simpatias
Afeições e simpatias
Graça Maciel
 
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
Patricia Farias
 
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
Patricia Farias
 

Semelhante a Relações de além tumulo (20)

2.6.6 relacoes de alem-tumulo
2.6.6   relacoes de alem-tumulo2.6.6   relacoes de alem-tumulo
2.6.6 relacoes de alem-tumulo
 
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
090916 as relações de além túmulo-metades eternas-recordações – livro ii, cap 6
 
Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6Livro dos espiritos capitulo 6
Livro dos espiritos capitulo 6
 
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritualPrimeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Primeiro Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
 
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritualSegundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
Segundo Módulo - Aula 14 - Vida espiritual
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
 
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
Livro dos Espiritos Q281 ESE cap23 item4
 
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres2.7.7   Simpatias e antipatias terrestres
2.7.7 Simpatias e antipatias terrestres
 
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8 Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
Livro dos espíritos Q.465 e ESE cap3 item 8
 
O que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescerO que você quer ser quando crescer
O que você quer ser quando crescer
 
Livro dos mediuns das evocaçõe
Livro dos mediuns  das evocaçõeLivro dos mediuns  das evocaçõe
Livro dos mediuns das evocaçõe
 
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
Palestra Pública Doutrina Espírita Tema Casa adornada
 
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada" Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
Palestra Espírita- Sua casa Mental "Casa adornada"
 
Anjos Da Guarda
Anjos Da GuardaAnjos Da Guarda
Anjos Da Guarda
 
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
091007 funerais-cap6-a infância-simpatias e antipatias terrenas-cap7-livro ii
 
Escala espírita!
Escala espírita!Escala espírita!
Escala espírita!
 
( Espiritismo) # - influencia do meio
( Espiritismo)   # - influencia do meio( Espiritismo)   # - influencia do meio
( Espiritismo) # - influencia do meio
 
Afeições e simpatias
Afeições e simpatiasAfeições e simpatias
Afeições e simpatias
 
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12LE - 186 Evangelho cap13 item 12
LE - 186 Evangelho cap13 item 12
 
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
Livro dos Espiritos Q.467 a 472 e ESE cap3 item13
 

Mais de Marcos Antônio Alves

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
Marcos Antônio Alves
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
Marcos Antônio Alves
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
Marcos Antônio Alves
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
Marcos Antônio Alves
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
Marcos Antônio Alves
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Marcos Antônio Alves
 

Mais de Marcos Antônio Alves (14)

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
 
Indulgencia
IndulgenciaIndulgencia
Indulgencia
 
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 

Último

O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 

Último (20)

O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 

Relações de além tumulo

  • 1. Relações de Além Túmulo (“O Livro dos Espíritos”, questões 274 a 290)
  • 2. Para nos ajudar a entender as questões que serão apresentadas: Os espíritos são classificados em 3 ordens principais :
  • 3. 1a Ordem – Espíritos Puros: os que já chegaram à perfeição. 2a Ordem – Bons Espíritos: desejo do bem é predominante. 3a Ordem – Espíritos Imperfeitos: predominam a ignorância, o desejo do mal e todas as paixões más, que lhes retardam o progresso.
  • 4. Questão 274: Da existência de diferentes ordens de Espíritos, resulta para estes alguma hierarquia de poderes? Há entre eles subordinação e autoridade?
  • 5. “Muito grande. Os Espíritos têm uns sobre os outros a autoridade correspondente ao grau de superioridade que hajam alcançado, autoridade que eles exercem por um ascendente moral irresistível.”
  • 6. Questão 274-a: Podem os Espíritos inferiores subtrair-se à autoridade dos que lhes são superiores?
  • 8. “Eu disse: irresistível.” “Segue-me.” (Marcos 2,14)
  • 9. Questão 275: O poder e a consideração de que um homem gozou na Terra lhe dão supremacia no mundo dos Espíritos?
  • 10. “Não; pois que os pequenos serão elevados e os grandes rebaixados. Lê os salmos.”
  • 11. Questão 275-a: Como devemos entender essa elevação e esse rebaixamento?
  • 12. “Não sabes que os Espíritos são de diferentes ordens, conforme seus méritos? Pois bem! O maior da Terra pode pertencer à última categoria entre os Espíritos, ao passo que o seu servo pode estar na primeira. Compreendes isto?”
  • 13. “Não disse Jesus: aquele que se humilhar será exaltado e aquele que se exaltar será humilhado?”
  • 14. Questão 276: Aquele que foi grande na Terra e que, como Espírito, vem a achar-se entre os de ordem inferior, experimenta com isso alguma humilhação?
  • 15. “Às vezes bem grande, mormente se era orgulhoso e invejoso.”
  • 16. "Que trouxe eu comigo da minha realeza terrena? Nada, absolutamente nada... Rainha entre os homens, como rainha julguei que penetrasse no reino dos céus! Que desilusão! Que humilhação, quando, em vez de ser recebida aqui qual soberana, vi acima de mim, mas muito acima, homens que eu julgava insignificantes e aos quais desprezava, por não terem sangue nobre! " (Uma Rainha de França - ESE, Cap. II, item 8).
  • 17. Questão 277: O soldado que depois da batalha se encontra com o seu general, no mundo dos Espíritos, ainda o tem por seu superior? “O título nada vale, a superioridade real é que tem valor.”
  • 18. “Suas atitudes falam tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz.” (Ralph Emerson, filósofo e poeta americano)
  • 19. Questão 278: Os Espíritos das diferentes ordens se acham misturados uns com os outros?
  • 20. “Sim e não. Quer dizer: eles se vêem, mas se distinguem uns dos outros. Evitam-se ou se aproximam, conforme à simpatia ou à antipatia que reciprocamente uns inspiram aos outros, tal qual sucede entre vós.”
  • 21. - Reúnem-se por afinidade: * Os bons pelo desejo de fazer o bem; * Os maus pelo desejo de fazer o mal, pela vergonha de suas faltas e necessidade de estar entre os seus iguais.
  • 22. Questão 279: Todos os Espíritos têm reciprocamente acesso aos diferentes grupos ou sociedades que eles formam?
  • 23. “Os bons vão a toda parte e assim deve ser, para que possam influir sobre os maus. As regiões, porém, que os bons habitam estão interditadas aos Espíritos imperfeitos, a fim de que não as perturbem com suas paixões inferiores.”
  • 24. Nosso Lar Cena do filme Nosso Lar - Clarêncio, Lísias e Tobias resgatam André Luiz no Umbral.
  • 25. Questão 280: De que natureza são as relações entre os bons e os maus Espíritos?
  • 26. “Os bons se ocupam em combater as más inclinações dos outros, a fim de ajudá-los a subir. É sua missão.”
  • 27. Questão 281: Por que os Espíritos inferiores se comprazem em nos induzir ao mal?
  • 28. “Pelo despeito que lhes causa o não terem merecido estar entre os bons... Querem que os outros experimentem o que eles próprios experimentam. Isto não se dá também entre vós outros?”
  • 29. Questão 282: Como se comunicam entre si os Espíritos?
  • 30. “Eles se vêem e se compreendem. O fluido universal estabelece entre eles constante comunicação; é o veiculo da transmissão de seus pensamentos... que liga todos os mundos e permite que os Espíritos se correspondam”
  • 31. Questão 283: Podem os Espíritos, reciprocamente, dissimular seus pensamentos? Podem ocultar-se uns dos outros?
  • 32. “Não; para os Espíritos, tudo é patente, sobretudo para os perfeitos. Podem afastar-se uns dos outros, mas sempre se vêem. Isto, porém, não constitui regra absoluta, porquanto certos Espíritos podem muito bem tornar-se invisíveis a outros Espíritos, se julgarem útil fazê-lo.”
  • 33. Questão 284: Como podem os Espíritos, não tendo corpo, comprovar suas individualidades e distinguir-se dos outros seres espirituais que os rodeiam?
  • 34. “Comprovam suas individualidades pelo perispírito, que os torna distinguíveis uns dos outros, como faz o corpo entre os homens.”
  • 35. Questão 285: Os Espíritos se reconhecem por terem coabitado a Terra? O filho reconhece o pai, o amigo reconhece o seu amigo?
  • 36. “Perfeitamente e, assim, de geração em geração.”
  • 37. Questão 285-a: Como é que os que se conheceram na Terra se reconhecem no mundo dos Espíritos?
  • 38. “Vemos a nossa vida pretérita e lemos nela como em um livro. Vendo a dos nossos amigos e dos nossos inimigos, aí vemos a passagem deles da vida corporal à outra.”
  • 39. Questão 286: Deixando seus despojos mortais, a alma vê imediatamente os parentes e amigos que a precederam no mundo dos Espíritos?
  • 40. “Imediatamente, ainda aqui, não é o termo próprio. Como já dissemos, é-lhe necessário algum tempo para que ela se reconheça a si mesma e alije o véu material.”
  • 41. Questão 287: Como é acolhida a alma no seu regresso ao mundo dos Espíritos?
  • 42. “A do justo, como bem-amado irmão, desde muito tempo esperado. A do mau, como um ser desprezível.”
  • 43. Questão 288: Que sentimento desperta nos Espíritos impuros a chegada entre eles de outro Espírito mau?
  • 44. “Os maus ficam satisfeitos quando vêem seres que se lhes assemelham e privados, também, da infinita ventura, qual na Terra um tratante entre seus iguais.”
  • 45. Questão 289: Nossos parentes e amigos costumam vir-nos ao encontro quando deixamos a Terra?
  • 46. “Sim, os Espíritos vão ao encontro da alma a quem são afeiçoados. Felicitam-na, como se regressasse de uma viagem, por haver escapado aos perigos da estrada, e ajudam-na a desprender-se dos liames corporais.”
  • 47. “É uma graça concedida aos bons Espíritos o lhes virem ao encontro os que os amam, ao passo que aquele que se acha maculado permanece em insulamento, ou só tem a rodeá-lo os que lhe são semelhantes. É uma punição.”
  • 48. Questão 290: Os parentes e amigos sempre se reúnem depois da morte?
  • 49. “Depende isso da elevação deles e do caminho que seguem, procurando progredir. Se um está mais adiantado e caminha mais depressa do que outro, não podem os dois conservar-se juntos.”
  • 50. “Ver-se-ão de tempos a tempos, mas não estarão reunidos para sempre, senão quando puderem caminhar lado a lado, ou quando se houverem igualado na perfeição. Acresce que a privação de ver os parentes e amigos é, às vezes, uma punição."
  • 51. No mundo espiritual, “o velho patrício contemplou a figura radiosa da companheira e, extasiado, fechou os olhos banhados no pranto da compunção e do arrependimento [...]”. (Trecho de “Há 2.000 anos”, referindo-se a Públio Lentulus e Lívia)