SlideShare uma empresa Scribd logo
A Indulgência
“O Evangelho Segundo
o Espiritismo”
Cap. X, Itens 16 a 18
O que é indulgência?
• do latim indulgentia, que provém de
indulgeo, "para ser gentil".
• clemência, tolerância ou perdão.
• Caracteriza-se pela compaixão que se
demonstra pelo próximo e pelas suas
imperfeições.
O que é indulgência?
• A indulgência é um dos sentimentos
mais elevados que pode ser
desenvolvido pelos seres humanos.
“A indulgência não vê os defeitos
alheios, e se os vê, evita comentá-los e
divulgá-los... “ (ESE, Cap X, item16)
O que é indulgência?
• É principalmente a facilidade para
perdoar os erros cometidos pelos
outros.
Indulgência – questões
• Por que devemos perdoar?
• Por que é tão difícil perdoar?
• Quais os benefícios do perdão?
• Como perdoar?
Por que devemos perdoar?
• “Porque, se perdoardes aos homens
as suas ofensas, também vosso Pai
celeste vos perdoará” (Mateus, 6:14)
• Perdão é escolha. Escolha perdoar
todo o mal para não levar para o
futuro focos de tormento.
Por que devemos perdoar?
• Ficamos livres de sentimentos ruins
como raiva, rancor, ódio.
• Quebramos o ciclo de ódio, vingança
e às vezes, violência, entre as partes.
• Evitamos casos graves de obsessão,
tais como subjugação e possessão.
Por que devemos perdoar?
• Perdoando, poderíamos fazer do
mundo um lugar melhor para viver.
Por que devemos perdoar?
• “... não julgueis com severidade
senão as vossas próprias ações e o
Senhor usará de indulgência para
convosco, como de indulgência
houverdes usado para com os
outros.” (ESE, Cap X, Item 17)
Por que é tão difícil perdoar?
• Alguns motivos, algumas razões...
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque ninguém gosta de perder.
Sofrer o dano, ser prejudicado e
ainda perdoar, passa a ideia de que
somos tolos. Portanto, negamos o
perdão.
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque o sentimento de vingança é
mais forte e mais fácil. Como somos
imperfeitos, o perdão fica no andar
de cima e o desejo de vingança é
muito mais acessível, no andar de
baixo.
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque não apreendemos o quanto é
benéfico perdoar. Perdoar nos liberta
do outro, nos livra da amargura, da
angustia e do ressentimento (sentir
de novo, a cada vez que se lembra do
fato).
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque somos orgulhosos. Nossa
importância pessoal cresce, quando
não perdoamos. Por causa do
orgulho, por causa da honra, maus
sentimentos são alimentados para
que não esqueçamos que não
podemos perdoar.
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque nos autopunimos, só para
punir aqueles que nos fizeram mal.
Nos comportamos como uma criança
que faz birra para chamar a atenção
dos adultos. Eu me machuco para
poder dizer: “Veja o que está
acontecendo comigo, por sua causa”.
Por que é tão difícil perdoar?
• Porque não queremos sofrer de
forma alguma. Quando acontece,
não queremos nem sequer ouvir
falar na pessoa que nos feriu e nos
fez sofrer. Só aceitamos o prazer da
vida, não o sofrimento.
Por que é tão difícil perdoar?
“Ninguém se pode considerar irretocável
enquanto no processo da evolução.
Mesmo aquele que segue retamente o
caminho do bem está sujeito a
alternância de conduta, tendo em vista os
desafios que se apresentam e o estado
emocional do momento.” (J.Angelis)
Por que é tão difícil perdoar?
“...como poderá um homem, bastante
presunçoso para acreditar na importância
da sua personalidade e na supremacia
das suas qualidades, possuir ao mesmo
tempo abnegação bastante para fazer
ressaltar em outrem o bem que o
eclipsaria, em vez do mal que o
exaltaria?”
Por que é tão difícil perdoar?
“O orgulho... se encontra na base e
como móvel de quase todas as ações
humanas. Essa a razão por que Jesus
se empenhou tanto em combatê-lo,
como principal obstáculo ao
progresso.” (ESE, Cap X, Item 10)
Descubra o perdão
O que dizemos sobre o perdão?
• Há quem diga: “
-Não consigo perdoar.
• Outros asseveram:
-Perdoo, mas não esqueço.
• E ainda há os que dizem:
- Perdoar é para Deus.
Quais os benefícios do perdão?
• Estudos comprovam os benefícios,
tanto mentais quanto físicos, do ato
de perdoar. Não perdoar causa
estresse sempre que se pensa em
alguém que nos feriu e com quem
não fizemos as pazes, prejudica o
corpo e provoca emoções negativas.
Quais os benefícios do perdão?
• O perdão é bom para o coração.
Estudos sugerem que as pessoas que
guardam rancor tendem a ter ritmos
cardíacos mais altos, enquanto
aqueles que são capazes de perdoar
tendem a ter ritmos mais baixos.
Também reduz a pressão arterial.
Quais os benefícios do perdão?
• Pesquisa americana mostrou, em
pacientes com dores crônicas nas
costas: quem perdoava, reportava
níveis de dor menores. Concluíram
que "existe uma relação entre o
perdão e aspectos importantes de
viver com constantes dores".
Quais os benefícios do perdão?
• Religiões pregam a importância do
perdão principalmente como um ato
necessário para a saúde do espírito.
Quais os benefícios do perdão?
• Quando adotamos o perdão em
nossos corações, estamos nos
desvinculando da faixa vibratória por
onde transitam as emanações
mentais de inteligências voltadas
para o mal; consequentemente,
adquirimos a paz.
Quais os benefícios do perdão?
“Perdoai, usai de indulgência, sede
caridosos, generosos... perdoai, que o
Senhor vos perdoará; abaixai-vos, que
o Senhor vos elevará; humilhai-vos,
que o Senhor fará vos assenteis à sua
direita.” (ESE, Cap X, Item 14)
Como perdoar?
• Perdoar é esquecer?
Como perdoar?
• Se a nossa memória é saudável, não
há possibilidade de esquecer
nenhum acontecimento, seja ele
bom, seja mau. Perdoar é enxugar o
fato, retirando-lhe, do conteúdo, a
energia nervosa. Ficará apenas o
fato. Isso é esquecer.
Como perdoar?
• Perdoar é esquecer?
Como perdoar?
• Não retribua o mal com o mal;
• Não guarde rancor e nem raiva;
• Não deseje vingança;
• Ofereça a outra face, o que significa
agir de outra forma, de
conformidade com as Leis Divinas
Como perdoar?
• Ame os seus inimigos. Isto significa
perdoá-los, incondicionalmente.
• Devemos perdoar tantas vezes
quantas formos ofendidos. Limitar o
perdão é negá-lo. Contabilizar erros
do passado significa que eles não
foram esquecidos.
Como perdoar?
“Sede severos convosco, indulgentes
para as fraquezas dos outros. É esta
uma prática da santa caridade, que
bem poucas pessoas observam...”
Como perdoar?
“... Todos vós tendes maus pendores a
vencer, defeitos a corrigir, hábitos a
modificar; todos tendes um fardo mais
ou menos pesado a alijar, para
poderdes galgar o cume da montanha
do progresso...”
Como perdoar?
“... Por que, então, haveis de mostrar-
vos tão clarividentes com relação ao
próximo e tão cegos com relação a vós
mesmos?”
(ESE, Cap X, Item 18)
Indulgência – reflexão final
• Com que facilidade estamos
perdoando o outro?
• Com que facilidade estamos nos
perdoando?
Jesus e a mulher adúltera
Segundo relatos bíblicos (João 8:1-11),
tudo aconteceu porque as autoridades
religiosas daquela época (judeus)
estavam procurando um motivo para
acusar Jesus (por causa do milagre em
que curou o paralítico em dia de
sábado).
Jesus e a mulher adúltera
Jesus foi para o Monte das Oliveiras. Ao amanhecer, ele voltou
ao Templo, e todo o povo ia ao seu encontro. Então Jesus
sentou-se e começou a ensinar.
Jesus e a mulher adúltera
Chegaram os doutores da Lei e os fariseus trazendo uma
mulher, que tinha sido pega cometendo adultério.
Jesus e a mulher adúltera
Eles colocaram a mulher no meio e disseram a Jesus: “Mestre,
essa mulher foi pega em flagrante cometendo adultério. A Lei
de Moisés manda que mulheres desse tipo devem ser
apedrejadas. E tu, o que dizes?”
Jesus e a mulher adúltera
Eles diziam isso para pôr Jesus à prova e ter um motivo para
acusá-lo. Então Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão
com o dedo. Os doutores da Lei e os fariseus continuaram
insistindo na pergunta.
Jesus e a mulher adúltera
Então Jesus se levantou e disse: “Quem de vocês não tiver
pecado, atire nela a primeira pedra”.
Jesus e a mulher adúltera
E, inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão.
Ouvindo isso, eles foram saindo um a um, começando pelos
mais velhos.
Jesus e a mulher adúltera
E Jesus ficou sozinho. Ora, a mulher continuava ali no meio.
Jesus e a mulher adúltera
Jesus então se levantou e perguntou: “Mulher, onde estão os
outros? Ninguém condenou você?”
Jesus e a mulher adúltera
Ela respondeu: “Ninguém, Senhor.” Então Jesus disse: “Eu
também não a condeno. Pode ir, e não peque mais.”
Perdoar...
Que Jesus Nos Perdoe e Abençoe.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
Marcos Antônio Alves
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
gmo1973
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
O bem e mal sofrer
O bem e  mal sofrerO bem e  mal sofrer
O bem e mal sofrer
Henrique Vieira
 
O PODER DA GRATIDÃO
O PODER DA GRATIDÃOO PODER DA GRATIDÃO
O PODER DA GRATIDÃO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
Divulgador do Espiritismo
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
Izabel Cristina Fonseca
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
Thiago Garcia
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016
Ricardo Azevedo
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
Ricardo Azevedo
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçura
igmateus
 

Mais procurados (20)

Se alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direitaSe alguem te ferir a face direita
Se alguem te ferir a face direita
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
O bem e mal sofrer
O bem e  mal sofrerO bem e  mal sofrer
O bem e mal sofrer
 
O PODER DA GRATIDÃO
O PODER DA GRATIDÃOO PODER DA GRATIDÃO
O PODER DA GRATIDÃO
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira). Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
Dai a Cezar o que é de Cezar ( Leonardo Pereira).
 
A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016Pedi e Obtereis 2016
Pedi e Obtereis 2016
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
 
A afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a DoçuraA afabilidade e a Doçura
A afabilidade e a Doçura
 

Semelhante a Indulgencia

O Perdão - Espirtismo
O Perdão - EspirtismoO Perdão - Espirtismo
O Perdão - Espirtismo
Valéria Domingues
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
Ceile Bernardo
 
Seminário sobre Família Ponciano
Seminário sobre Família PoncianoSeminário sobre Família Ponciano
Seminário sobre Família Ponciano
PoncianoGreff
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOSBEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
Sergio Menezes
 
(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf
LeonardoRangelCruz
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
Projeto Crisálida
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
Jose Ferreira Almeida
 
Não estás deprimido
Não estás deprimidoNão estás deprimido
Não estás deprimido
Dr. Walter Cury
 
Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
Luciane Belchior
 
Perdão
PerdãoPerdão
vencendo a depressão
vencendo a depressãovencendo a depressão
vencendo a depressão
Rômulo Martins
 
A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão
Leonardo Pereira
 
A prece
A preceA prece
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
Noimix
 
10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia
Rogerio Sena
 
10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia
weleson fernandes
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
LUCAS CANAVARRO
 
Indulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.netIndulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.net
Fórum Espírita
 

Semelhante a Indulgencia (20)

O Perdão - Espirtismo
O Perdão - EspirtismoO Perdão - Espirtismo
O Perdão - Espirtismo
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
 
Seminário sobre Família Ponciano
Seminário sobre Família PoncianoSeminário sobre Família Ponciano
Seminário sobre Família Ponciano
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOSBEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
BEM AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS
 
(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf(28) Cura Interior.pdf
(28) Cura Interior.pdf
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
 
Não estás deprimido
Não estás deprimidoNão estás deprimido
Não estás deprimido
 
Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
vencendo a depressão
vencendo a depressãovencendo a depressão
vencendo a depressão
 
A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão A dinãmica do perdão
A dinãmica do perdão
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
Evangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismoEvangelho segundo o e spiritismo
Evangelho segundo o e spiritismo
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia
 
10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia10 Lições de Perdão na Bíblia
10 Lições de Perdão na Bíblia
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
 
Indulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.netIndulgencia www.forumespirita.net
Indulgencia www.forumespirita.net
 

Mais de Marcos Antônio Alves

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
Marcos Antônio Alves
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
Marcos Antônio Alves
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
Marcos Antônio Alves
 
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
Marcos Antônio Alves
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Marcos Antônio Alves
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
Marcos Antônio Alves
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
Marcos Antônio Alves
 

Mais de Marcos Antônio Alves (13)

Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
 
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
A crise dos valores na sociedade atual (Palestra Espírita)
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
 
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
Meu Reino não é deste mundo (Palestra Espírita)
 
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
Conhecimento do Futuro (Palestra Espírita)
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Os sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntariosOs sofrimentos voluntarios
Os sofrimentos voluntarios
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
 
Anjos e demonios
Anjos e demoniosAnjos e demonios
Anjos e demonios
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 
Da encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritosDa encarnação dos espíritos
Da encarnação dos espíritos
 
Relações de além tumulo
Relações de além tumuloRelações de além tumulo
Relações de além tumulo
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 

Último (20)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 

Indulgencia

  • 1. A Indulgência “O Evangelho Segundo o Espiritismo” Cap. X, Itens 16 a 18
  • 2. O que é indulgência? • do latim indulgentia, que provém de indulgeo, "para ser gentil". • clemência, tolerância ou perdão. • Caracteriza-se pela compaixão que se demonstra pelo próximo e pelas suas imperfeições.
  • 3. O que é indulgência? • A indulgência é um dos sentimentos mais elevados que pode ser desenvolvido pelos seres humanos. “A indulgência não vê os defeitos alheios, e se os vê, evita comentá-los e divulgá-los... “ (ESE, Cap X, item16)
  • 4. O que é indulgência? • É principalmente a facilidade para perdoar os erros cometidos pelos outros.
  • 5. Indulgência – questões • Por que devemos perdoar? • Por que é tão difícil perdoar? • Quais os benefícios do perdão? • Como perdoar?
  • 6. Por que devemos perdoar? • “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará” (Mateus, 6:14) • Perdão é escolha. Escolha perdoar todo o mal para não levar para o futuro focos de tormento.
  • 7. Por que devemos perdoar? • Ficamos livres de sentimentos ruins como raiva, rancor, ódio. • Quebramos o ciclo de ódio, vingança e às vezes, violência, entre as partes. • Evitamos casos graves de obsessão, tais como subjugação e possessão.
  • 8. Por que devemos perdoar? • Perdoando, poderíamos fazer do mundo um lugar melhor para viver.
  • 9. Por que devemos perdoar? • “... não julgueis com severidade senão as vossas próprias ações e o Senhor usará de indulgência para convosco, como de indulgência houverdes usado para com os outros.” (ESE, Cap X, Item 17)
  • 10. Por que é tão difícil perdoar? • Alguns motivos, algumas razões...
  • 11. Por que é tão difícil perdoar? • Porque ninguém gosta de perder. Sofrer o dano, ser prejudicado e ainda perdoar, passa a ideia de que somos tolos. Portanto, negamos o perdão.
  • 12. Por que é tão difícil perdoar? • Porque o sentimento de vingança é mais forte e mais fácil. Como somos imperfeitos, o perdão fica no andar de cima e o desejo de vingança é muito mais acessível, no andar de baixo.
  • 13. Por que é tão difícil perdoar? • Porque não apreendemos o quanto é benéfico perdoar. Perdoar nos liberta do outro, nos livra da amargura, da angustia e do ressentimento (sentir de novo, a cada vez que se lembra do fato).
  • 14. Por que é tão difícil perdoar? • Porque somos orgulhosos. Nossa importância pessoal cresce, quando não perdoamos. Por causa do orgulho, por causa da honra, maus sentimentos são alimentados para que não esqueçamos que não podemos perdoar.
  • 15. Por que é tão difícil perdoar? • Porque nos autopunimos, só para punir aqueles que nos fizeram mal. Nos comportamos como uma criança que faz birra para chamar a atenção dos adultos. Eu me machuco para poder dizer: “Veja o que está acontecendo comigo, por sua causa”.
  • 16. Por que é tão difícil perdoar? • Porque não queremos sofrer de forma alguma. Quando acontece, não queremos nem sequer ouvir falar na pessoa que nos feriu e nos fez sofrer. Só aceitamos o prazer da vida, não o sofrimento.
  • 17. Por que é tão difícil perdoar? “Ninguém se pode considerar irretocável enquanto no processo da evolução. Mesmo aquele que segue retamente o caminho do bem está sujeito a alternância de conduta, tendo em vista os desafios que se apresentam e o estado emocional do momento.” (J.Angelis)
  • 18. Por que é tão difícil perdoar? “...como poderá um homem, bastante presunçoso para acreditar na importância da sua personalidade e na supremacia das suas qualidades, possuir ao mesmo tempo abnegação bastante para fazer ressaltar em outrem o bem que o eclipsaria, em vez do mal que o exaltaria?”
  • 19. Por que é tão difícil perdoar? “O orgulho... se encontra na base e como móvel de quase todas as ações humanas. Essa a razão por que Jesus se empenhou tanto em combatê-lo, como principal obstáculo ao progresso.” (ESE, Cap X, Item 10)
  • 21. O que dizemos sobre o perdão? • Há quem diga: “ -Não consigo perdoar. • Outros asseveram: -Perdoo, mas não esqueço. • E ainda há os que dizem: - Perdoar é para Deus.
  • 22. Quais os benefícios do perdão? • Estudos comprovam os benefícios, tanto mentais quanto físicos, do ato de perdoar. Não perdoar causa estresse sempre que se pensa em alguém que nos feriu e com quem não fizemos as pazes, prejudica o corpo e provoca emoções negativas.
  • 23. Quais os benefícios do perdão? • O perdão é bom para o coração. Estudos sugerem que as pessoas que guardam rancor tendem a ter ritmos cardíacos mais altos, enquanto aqueles que são capazes de perdoar tendem a ter ritmos mais baixos. Também reduz a pressão arterial.
  • 24. Quais os benefícios do perdão? • Pesquisa americana mostrou, em pacientes com dores crônicas nas costas: quem perdoava, reportava níveis de dor menores. Concluíram que "existe uma relação entre o perdão e aspectos importantes de viver com constantes dores".
  • 25. Quais os benefícios do perdão? • Religiões pregam a importância do perdão principalmente como um ato necessário para a saúde do espírito.
  • 26. Quais os benefícios do perdão? • Quando adotamos o perdão em nossos corações, estamos nos desvinculando da faixa vibratória por onde transitam as emanações mentais de inteligências voltadas para o mal; consequentemente, adquirimos a paz.
  • 27. Quais os benefícios do perdão? “Perdoai, usai de indulgência, sede caridosos, generosos... perdoai, que o Senhor vos perdoará; abaixai-vos, que o Senhor vos elevará; humilhai-vos, que o Senhor fará vos assenteis à sua direita.” (ESE, Cap X, Item 14)
  • 29. Como perdoar? • Se a nossa memória é saudável, não há possibilidade de esquecer nenhum acontecimento, seja ele bom, seja mau. Perdoar é enxugar o fato, retirando-lhe, do conteúdo, a energia nervosa. Ficará apenas o fato. Isso é esquecer.
  • 31. Como perdoar? • Não retribua o mal com o mal; • Não guarde rancor e nem raiva; • Não deseje vingança; • Ofereça a outra face, o que significa agir de outra forma, de conformidade com as Leis Divinas
  • 32. Como perdoar? • Ame os seus inimigos. Isto significa perdoá-los, incondicionalmente. • Devemos perdoar tantas vezes quantas formos ofendidos. Limitar o perdão é negá-lo. Contabilizar erros do passado significa que eles não foram esquecidos.
  • 33. Como perdoar? “Sede severos convosco, indulgentes para as fraquezas dos outros. É esta uma prática da santa caridade, que bem poucas pessoas observam...”
  • 34. Como perdoar? “... Todos vós tendes maus pendores a vencer, defeitos a corrigir, hábitos a modificar; todos tendes um fardo mais ou menos pesado a alijar, para poderdes galgar o cume da montanha do progresso...”
  • 35. Como perdoar? “... Por que, então, haveis de mostrar- vos tão clarividentes com relação ao próximo e tão cegos com relação a vós mesmos?” (ESE, Cap X, Item 18)
  • 36. Indulgência – reflexão final • Com que facilidade estamos perdoando o outro? • Com que facilidade estamos nos perdoando?
  • 37. Jesus e a mulher adúltera Segundo relatos bíblicos (João 8:1-11), tudo aconteceu porque as autoridades religiosas daquela época (judeus) estavam procurando um motivo para acusar Jesus (por causa do milagre em que curou o paralítico em dia de sábado).
  • 38. Jesus e a mulher adúltera Jesus foi para o Monte das Oliveiras. Ao amanhecer, ele voltou ao Templo, e todo o povo ia ao seu encontro. Então Jesus sentou-se e começou a ensinar.
  • 39. Jesus e a mulher adúltera Chegaram os doutores da Lei e os fariseus trazendo uma mulher, que tinha sido pega cometendo adultério.
  • 40. Jesus e a mulher adúltera Eles colocaram a mulher no meio e disseram a Jesus: “Mestre, essa mulher foi pega em flagrante cometendo adultério. A Lei de Moisés manda que mulheres desse tipo devem ser apedrejadas. E tu, o que dizes?”
  • 41. Jesus e a mulher adúltera Eles diziam isso para pôr Jesus à prova e ter um motivo para acusá-lo. Então Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo. Os doutores da Lei e os fariseus continuaram insistindo na pergunta.
  • 42. Jesus e a mulher adúltera Então Jesus se levantou e disse: “Quem de vocês não tiver pecado, atire nela a primeira pedra”.
  • 43. Jesus e a mulher adúltera E, inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão. Ouvindo isso, eles foram saindo um a um, começando pelos mais velhos.
  • 44. Jesus e a mulher adúltera E Jesus ficou sozinho. Ora, a mulher continuava ali no meio.
  • 45. Jesus e a mulher adúltera Jesus então se levantou e perguntou: “Mulher, onde estão os outros? Ninguém condenou você?”
  • 46. Jesus e a mulher adúltera Ela respondeu: “Ninguém, Senhor.” Então Jesus disse: “Eu também não a condeno. Pode ir, e não peque mais.”
  • 48. Que Jesus Nos Perdoe e Abençoe.