SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Registos de Língua Prof. Arminda Almeida
►  a situação em que se encontra; ►  o receptor da sua mensagem;   ►   a sua cultura;   ►   a sua idade.  Cada  emissor  utiliza o registo  de língua segundo:
Registo Literário   (registo corrente, linguagem padrão) Registo cuidado   Registo familiar Registo popular - vocabulário reduzido; - sintaxe simplificada; - expressões pitorescas; - uso frequente de interjeições; - dicção usual. - vocabulário muito escasso e concreto; - sintaxe descuidada; - frases inacabadas;  (...) - vocabulário corrente, afectivo e pouco abstracto; - sintaxe simplificada, directa; - frases curtas, inacabadas; - interjeições, apartes frequentes, vocativos...; - frases de tipo exclamativo e/ou interrogativo; - expressões sugestivas; - explicitação da intimidade;  (…) - vocabulário rebuscado, concreto e abstracto; - sintaxe de complexidade elaborada; - frases sentenciosas; - citações eruditas...;  (..) - desvios semânticos e sintácticos intencionados; - figuras de estilo; - conotação; - polissemia; - a representação pela imagem; - o aproveitamento significativo do ritmo e das sonoridades; - a modalização.
Gíria  Calão Regionalismos Linguagens  socioprofissionais A gíria é uma variedade linguística própria de certos grupos socioprofissionais.    È uma forma exagerada do uso familiar confinado a certos meios sociais.   É utilizada por aqueles que estão ligados a uma actividade profissional ou cultural (médicos, marinheiros, operários especializados, advogados, etc.). É uma linguagem caracterizada por uma terminologia própria, precisa e exacta.  Pode considerar-se um caso particular de gíria. Apresenta-se como reflexo de uma situação particular e marginalizada, com utilização de palavras mais ou menos grosseiras.   Nos dicionários, designam-se como regionalismos os vocábulos e expressões que se confinam a variantes regionais.   Alguns exemplos de regionalismos portugueses: morcão = indivíduo bisonho; aigue = águia-real; abondar = ser suficiente; adua = rebanho de animais de vários donos, pastagem comum, quinhão de águas de rega.
Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "A minha mãe tem feito um esforço para falar comigo, mas não tem jeito, não é por mal. Falta de hábito... Quando não sabe que assunto puxar, põe-se a falar das clientes da loja, as Xaxões, as Pituchas, as Ninis, as Dadinhas, as Doidinhas, as Coitadinhas... O meu pai anda triste, mas não diz nada. No outro dia, quando olhou para mim, percebi que se comoveu (talvez por eu estar muito magra), mas segue à risca o velho ditado «um homem não chora» e disfarça, põe um sorriso de plástico e faz de conta que está tudo a correr bem. Tenho pena do meu pai, tenho mesmo muita pena. Deve ser frustrante ter uma filha como eu, pior ainda do que ser pai do Pré-histórico, embora me custe um bocado admiti-lo. (...) Que será feito do Diogo? Também não sei nada do Luís, da Sara, das gémeas... Só o João Pedro é que telefona de vez em quando, sempre animador. «Daqui a uns dias já estás na maior, miúda, vais ver. É só uma questão de tempo»." Maria Teresa Maia Conzalez, in A Lua de Joana PUBLICADA POR HELENA EM  5:52               ETIQUETAS:  REGISTOS DE LÍNGUA   7/Fev/2008 Registos de Língua                                                                 Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Apontou o armário e pediu que o abríssemos. Bem para além do espanto, se revelavam os vestidos envelhecidos que meu pai lhe ofertara. Bastou, porém, a brisa da porta se abrindo para que os vestidos se desfizessem em pó e, como cinzas, se enevoassem pelo chão. Apenas os cabides balançavam, esqueletos sem corpo. E agora, disse a mãe, olhem para estas cartas. Eram apaixonados bilhetes, antigos, que minha mãe conservava numa caixa. Mas os papéis estavam brancos, toda a tinta se desbotara." Mia Couto, "Inundação" in Pública, n°. 331 PUBLICADA POR HELENA EM  5:47               ETIQUETAS:  REGISTOS DE LÍNGUA   27/Jan/2008 Registos de língua   Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Adelaide Magrinha tinha uma pergunta a fazer: 'Ó Renato, tu desculpa, mas como é que esse fulano, lá tão longe, soube que a gente existe?'   'Bom... foi o Lucíen.'   'O Lucien? Quem, o Obelix?!'   Ficaram todos de pé atrás.   'Pois foi o Lucien, e daí?'. É verdade que o rapaz se portara mal naquela noite, acontece a todos, podia estar doente, mas tinha o seu prestígio e muitas boas relações, gente graúda, até italianos de Palermo, quando lhe perguntaram se conhecia malta competente em Lisboa recomendara-os logo, a eles, Renato e sua quadrilha. Deviam estar agradecidos.   Tá bestial. Obrigadinho, ó Obelix! Mas agora diz-nos o que vamos fazer e quanto se ganha', supli­cou Arnaldo, mas o chefe ainda molhou a goela num lento copo de água, como um conferencista que sabe o auditório em suspenso." Mário Zambujal, in  Crónica dos Bons Malandros                                                                      PUBLICADA POR HELENA EM  5:38               ETIQUETAS:  REGISTOS DE LÍNGUA   24/Jan/2008 Registo de Língua                                                               Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Na quarta-feira passada, o correspondente da Focus em Los Angeles, Nuno Guerreiro, telefonou-me para ler um curto telegrama da agência de notícias UPI: um filme mexicano, com estreia prevista para dias depois, estava a causar um grande escândalo no México, com a Igreja Católica ameaçando boicote. (...) 'Sabes como se chama o filme? El Crimen dei Padre Amaro'." In Focus, n° 149 PUBLICADA POR HELENA EM  5:50               ETIQUETAS:  REGISTOS DE LÍNGUA   7/Jan/2008                    Lê o seguinte excerto de um conto popular: "Era uma vez um rapaz que foi embarcar não sei agora para onde; chegou a uma estalagem; per-guntou se havia que comer; a dona da estalagem disse-lhe que não tinha senão ovos cozidos e ele respondeu-lhe: «Pois ponha cá um vintém deles». Comeu os ovos; deu-lhe um pinto para cia trocar; ela disse-lhe que não tinha troco: «Quando você por aqui passar me pagará». O homem embarcou. Dava ele sempre uma esmola na terra para onde foi pelas almas do purgatório e, se via o diabo pintado ao pé das almas, dizia: «Pelas almas que me ajudem e tu, diabo, que nem me ajudes, nem me estorves». Passados alguns anos, voltou ele à terra e passou aonde a estalajadeira e disse-lhe: «Ó mulher, vou-lhe pagar uma dívida que lhe devo!». E ela disse: «Que dívida é?». Respondeu: «Quando eu fui que embar¬quei, comprei-lhe um vintém de ovos e não lhos paguei». E ela disse: «Ah, você cuida que rne paga 10 com um vintém os ovos? Eu vou-lhe mandar fazer a conta. Seis ovos eram seis galinhas que punham ovos...» e mandou-lhe assim fazer a conta que botava a uns poucos de centos de mil-réis. O homem não trazia tanto dinheiro; não trazia com que lhe pagar: foi para a cadeia. (...)" In  Contos Populares Portugueses Reescreve os seguintes segmentos de modo a aproximá-los da correcção do registo escrito: "Apontou o armário e pediu que o abríssemos. Bem para além do espanto, se revelavam os vestidos envelhecidos que meu pai lhe ofertara. Bastou, porém, a brisa da porta se abrindo para que os vestidos se desfizessem em pó e, como cinzas, se enevoassem pelo chão. Apenas os cabides balançavam, esqueletos sem corpo.” Mia Couto, "Inundação" in Pública, n°. 331 "Na quarta-feira passada, o correspondente da Focus em Los Angeles, Nuno Guerreiro, telefonou-me para ler um curto telegrama da agência de notícias UPI: um filme mexicano, com estreia prevista para dias depois, estava a causar um grande escândalo no México, com a Igreja Católica ameaçando boicote. (...) 'Sabes como se chama o filme? El Crimen dei Padre Amaro.” In Focus, n° 149 "Era uma vez um rapaz que foi embarcar não sei agora para onde; chegou a uma estalagem; per-guntou se havia que comer; a dona da estalagem disse-lhe que não tinha senão ovos cozidos e ele respondeu-lhe: «Pois ponha cá um vintém deles». Comeu os ovos; deu-lhe um pinto para cia trocar; ela disse-lhe que não tinha troco: «Quando você por aqui passar   me pagará».   In  Contos Populares Portugueses   Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas.
Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursosexpressivos
RecursosexpressivosRecursosexpressivos
Recursosexpressivosaly pereira
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Rosalina Simão Nunes
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosFernanda Monteiro
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do infernoVanda Marques
 
Variedades e registos de língua
Variedades e registos de línguaVariedades e registos de língua
Variedades e registos de línguacarlagrande
 
ANÁLISE DO CONTO A PALAVRA MÁGICA" - Português
ANÁLISE DO CONTO  A PALAVRA MÁGICA" - PortuguêsANÁLISE DO CONTO  A PALAVRA MÁGICA" - Português
ANÁLISE DO CONTO A PALAVRA MÁGICA" - PortuguêsJoão Pedro Costa
 
Exercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasExercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasma.no.el.ne.ves
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesDaniel Sousa
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesbeonline5
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosLurdes Augusto
 
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando Pessoa
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando PessoaEstrutura Tripartida da Mensagem - Fernando Pessoa
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando PessoaRicardo Santos
 

Mais procurados (20)

Recursosexpressivos
RecursosexpressivosRecursosexpressivos
Recursosexpressivos
 
Relação entre palavras
Relação entre palavrasRelação entre palavras
Relação entre palavras
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
 
Auto da barca do inferno
Auto da barca do infernoAuto da barca do inferno
Auto da barca do inferno
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Variedades e registos de língua
Variedades e registos de línguaVariedades e registos de língua
Variedades e registos de língua
 
Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
ANÁLISE DO CONTO A PALAVRA MÁGICA" - Português
ANÁLISE DO CONTO  A PALAVRA MÁGICA" - PortuguêsANÁLISE DO CONTO  A PALAVRA MÁGICA" - Português
ANÁLISE DO CONTO A PALAVRA MÁGICA" - Português
 
Exercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavrasExercícios sobre classes de palavras
Exercícios sobre classes de palavras
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Quantificadores
QuantificadoresQuantificadores
Quantificadores
 
Texto Dramático
Texto DramáticoTexto Dramático
Texto Dramático
 
Canto v 92_100
Canto v 92_100Canto v 92_100
Canto v 92_100
 
Texto dramático
Texto dramáticoTexto dramático
Texto dramático
 
Classes abertas
Classes abertasClasses abertas
Classes abertas
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Tempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostosTempos verbais simples e compostos
Tempos verbais simples e compostos
 
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando Pessoa
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando PessoaEstrutura Tripartida da Mensagem - Fernando Pessoa
Estrutura Tripartida da Mensagem - Fernando Pessoa
 
Oracoes subordinadas
Oracoes subordinadasOracoes subordinadas
Oracoes subordinadas
 

Semelhante a Registos LíNgua

Monteiro lobato -_O_Colocador_de_Pronomes
Monteiro lobato -_O_Colocador_de_PronomesMonteiro lobato -_O_Colocador_de_Pronomes
Monteiro lobato -_O_Colocador_de_PronomesTânia Sampaio
 
Atividades de português ortografia, paragrafação
Atividades de português   ortografia, paragrafaçãoAtividades de português   ortografia, paragrafação
Atividades de português ortografia, paragrafaçãoPriscila Castro de Cara
 
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdf
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdfRealismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdf
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdfCyntiaJorge
 
Manuel da cachaca contos & casos de boteco
Manuel da cachaca contos & casos de botecoManuel da cachaca contos & casos de boteco
Manuel da cachaca contos & casos de botecoJader Moreira Almeida
 
romance-da-raposa
 romance-da-raposa romance-da-raposa
romance-da-raposaRute Simão
 
Annefrank ficha
Annefrank fichaAnnefrank ficha
Annefrank fichaNuno Belo
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccIedaGoethe
 
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]Tatiane Pechiori
 
Jornalismo literário tecnicas - pratica
Jornalismo literário  tecnicas - praticaJornalismo literário  tecnicas - pratica
Jornalismo literário tecnicas - praticaaulasdejornalismo
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118luisprista
 
Teste 6º ano Chocolate chuva
Teste 6º ano Chocolate chuvaTeste 6º ano Chocolate chuva
Teste 6º ano Chocolate chuvastarlightmimi
 

Semelhante a Registos LíNgua (20)

Casos do romualdo
Casos do romualdoCasos do romualdo
Casos do romualdo
 
Monteiro lobato -_O_Colocador_de_Pronomes
Monteiro lobato -_O_Colocador_de_PronomesMonteiro lobato -_O_Colocador_de_Pronomes
Monteiro lobato -_O_Colocador_de_Pronomes
 
Til jose de alencar
Til jose de alencarTil jose de alencar
Til jose de alencar
 
Mf Tempo
Mf TempoMf Tempo
Mf Tempo
 
Chicos 17 - Julho 2008
Chicos 17 -  Julho 2008Chicos 17 -  Julho 2008
Chicos 17 - Julho 2008
 
Atividades de português ortografia, paragrafação
Atividades de português   ortografia, paragrafaçãoAtividades de português   ortografia, paragrafação
Atividades de português ortografia, paragrafação
 
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdf
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdfRealismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdf
Realismo_e_Naturalismo_Lista_de_Exercicios_Literatura_ENEM (2) (1).pdf
 
Fichas gramaticais
Fichas gramaticaisFichas gramaticais
Fichas gramaticais
 
03i2pdf
03i2pdf03i2pdf
03i2pdf
 
174626
174626174626
174626
 
Manuel da cachaca contos & casos de boteco
Manuel da cachaca contos & casos de botecoManuel da cachaca contos & casos de boteco
Manuel da cachaca contos & casos de boteco
 
romance-da-raposa
 romance-da-raposa romance-da-raposa
romance-da-raposa
 
Annefrank ficha
Annefrank fichaAnnefrank ficha
Annefrank ficha
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
 
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
 
Atividade autorregulada
Atividade autorreguladaAtividade autorregulada
Atividade autorregulada
 
Jornalismo literário tecnicas - pratica
Jornalismo literário  tecnicas - praticaJornalismo literário  tecnicas - pratica
Jornalismo literário tecnicas - pratica
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 117-118
 
40
4040
40
 
Teste 6º ano Chocolate chuva
Teste 6º ano Chocolate chuvaTeste 6º ano Chocolate chuva
Teste 6º ano Chocolate chuva
 

Mais de armindaalmeida

Introdução texto poético
Introdução texto poéticoIntrodução texto poético
Introdução texto poéticoarmindaalmeida
 
A estrela vergílio_ferreira
A estrela vergílio_ferreiraA estrela vergílio_ferreira
A estrela vergílio_ferreiraarmindaalmeida
 
Categoriasdanarrativa i
Categoriasdanarrativa iCategoriasdanarrativa i
Categoriasdanarrativa iarmindaalmeida
 
Fi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicionalFi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicionalarmindaalmeida
 
Literaturaoraletradicionaltipologia
LiteraturaoraletradicionaltipologiaLiteraturaoraletradicionaltipologia
Literaturaoraletradicionaltipologiaarmindaalmeida
 
Sintese funcoes sintaticas
Sintese funcoes sintaticasSintese funcoes sintaticas
Sintese funcoes sintaticasarmindaalmeida
 
Frase grupos constituintes
Frase grupos constituintesFrase grupos constituintes
Frase grupos constituintesarmindaalmeida
 
Frase classificacao oracoes
Frase classificacao oracoesFrase classificacao oracoes
Frase classificacao oracoesarmindaalmeida
 
Insdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoInsdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoarmindaalmeida
 
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlaceInesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlacearmindaalmeida
 
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlaceInesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlacearmindaalmeida
 
Insdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoInsdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoarmindaalmeida
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasarmindaalmeida
 
Idade Media Renascimento
Idade Media RenascimentoIdade Media Renascimento
Idade Media Renascimentoarmindaalmeida
 

Mais de armindaalmeida (20)

Descrição aa
Descrição aaDescrição aa
Descrição aa
 
Conto igagc
Conto igagcConto igagc
Conto igagc
 
Introdução texto poético
Introdução texto poéticoIntrodução texto poético
Introdução texto poético
 
A estrela vergílio_ferreira
A estrela vergílio_ferreiraA estrela vergílio_ferreira
A estrela vergílio_ferreira
 
Gigante adamastor
Gigante adamastorGigante adamastor
Gigante adamastor
 
Categoriasdanarrativa i
Categoriasdanarrativa iCategoriasdanarrativa i
Categoriasdanarrativa i
 
Fi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicionalFi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicional
 
Conto popular aa
Conto popular aaConto popular aa
Conto popular aa
 
Literaturaoraletradicionaltipologia
LiteraturaoraletradicionaltipologiaLiteraturaoraletradicionaltipologia
Literaturaoraletradicionaltipologia
 
Sintese funcoes sintaticas
Sintese funcoes sintaticasSintese funcoes sintaticas
Sintese funcoes sintaticas
 
Frase grupos constituintes
Frase grupos constituintesFrase grupos constituintes
Frase grupos constituintes
 
Frase classificacao oracoes
Frase classificacao oracoesFrase classificacao oracoes
Frase classificacao oracoes
 
Classes palavras
Classes palavrasClasses palavras
Classes palavras
 
Insdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoInsdecastro apresentao
Insdecastro apresentao
 
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlaceInesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
 
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlaceInesdecastro exposioconflitoedesenlace
Inesdecastro exposioconflitoedesenlace
 
Insdecastro apresentao
Insdecastro apresentaoInsdecastro apresentao
Insdecastro apresentao
 
Processos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavrasProcessos morfologicos formação_palavras
Processos morfologicos formação_palavras
 
A Publicidade
A PublicidadeA Publicidade
A Publicidade
 
Idade Media Renascimento
Idade Media RenascimentoIdade Media Renascimento
Idade Media Renascimento
 

Último

Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 

Último (20)

Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 

Registos LíNgua

  • 1. Registos de Língua Prof. Arminda Almeida
  • 2. ► a situação em que se encontra; ► o receptor da sua mensagem; ► a sua cultura; ► a sua idade. Cada emissor utiliza o registo de língua segundo:
  • 3. Registo Literário   (registo corrente, linguagem padrão) Registo cuidado   Registo familiar Registo popular - vocabulário reduzido; - sintaxe simplificada; - expressões pitorescas; - uso frequente de interjeições; - dicção usual. - vocabulário muito escasso e concreto; - sintaxe descuidada; - frases inacabadas; (...) - vocabulário corrente, afectivo e pouco abstracto; - sintaxe simplificada, directa; - frases curtas, inacabadas; - interjeições, apartes frequentes, vocativos...; - frases de tipo exclamativo e/ou interrogativo; - expressões sugestivas; - explicitação da intimidade; (…) - vocabulário rebuscado, concreto e abstracto; - sintaxe de complexidade elaborada; - frases sentenciosas; - citações eruditas...; (..) - desvios semânticos e sintácticos intencionados; - figuras de estilo; - conotação; - polissemia; - a representação pela imagem; - o aproveitamento significativo do ritmo e das sonoridades; - a modalização.
  • 4. Gíria Calão Regionalismos Linguagens socioprofissionais A gíria é uma variedade linguística própria de certos grupos socioprofissionais. È uma forma exagerada do uso familiar confinado a certos meios sociais. É utilizada por aqueles que estão ligados a uma actividade profissional ou cultural (médicos, marinheiros, operários especializados, advogados, etc.). É uma linguagem caracterizada por uma terminologia própria, precisa e exacta. Pode considerar-se um caso particular de gíria. Apresenta-se como reflexo de uma situação particular e marginalizada, com utilização de palavras mais ou menos grosseiras. Nos dicionários, designam-se como regionalismos os vocábulos e expressões que se confinam a variantes regionais. Alguns exemplos de regionalismos portugueses: morcão = indivíduo bisonho; aigue = águia-real; abondar = ser suficiente; adua = rebanho de animais de vários donos, pastagem comum, quinhão de águas de rega.
  • 5. Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "A minha mãe tem feito um esforço para falar comigo, mas não tem jeito, não é por mal. Falta de hábito... Quando não sabe que assunto puxar, põe-se a falar das clientes da loja, as Xaxões, as Pituchas, as Ninis, as Dadinhas, as Doidinhas, as Coitadinhas... O meu pai anda triste, mas não diz nada. No outro dia, quando olhou para mim, percebi que se comoveu (talvez por eu estar muito magra), mas segue à risca o velho ditado «um homem não chora» e disfarça, põe um sorriso de plástico e faz de conta que está tudo a correr bem. Tenho pena do meu pai, tenho mesmo muita pena. Deve ser frustrante ter uma filha como eu, pior ainda do que ser pai do Pré-histórico, embora me custe um bocado admiti-lo. (...) Que será feito do Diogo? Também não sei nada do Luís, da Sara, das gémeas... Só o João Pedro é que telefona de vez em quando, sempre animador. «Daqui a uns dias já estás na maior, miúda, vais ver. É só uma questão de tempo»." Maria Teresa Maia Conzalez, in A Lua de Joana PUBLICADA POR HELENA EM 5:52         ETIQUETAS: REGISTOS DE LÍNGUA 7/Fev/2008 Registos de Língua                                                            Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Apontou o armário e pediu que o abríssemos. Bem para além do espanto, se revelavam os vestidos envelhecidos que meu pai lhe ofertara. Bastou, porém, a brisa da porta se abrindo para que os vestidos se desfizessem em pó e, como cinzas, se enevoassem pelo chão. Apenas os cabides balançavam, esqueletos sem corpo. E agora, disse a mãe, olhem para estas cartas. Eram apaixonados bilhetes, antigos, que minha mãe conservava numa caixa. Mas os papéis estavam brancos, toda a tinta se desbotara." Mia Couto, "Inundação" in Pública, n°. 331 PUBLICADA POR HELENA EM 5:47         ETIQUETAS: REGISTOS DE LÍNGUA 27/Jan/2008 Registos de língua Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Adelaide Magrinha tinha uma pergunta a fazer: 'Ó Renato, tu desculpa, mas como é que esse fulano, lá tão longe, soube que a gente existe?' 'Bom... foi o Lucíen.' 'O Lucien? Quem, o Obelix?!' Ficaram todos de pé atrás. 'Pois foi o Lucien, e daí?'. É verdade que o rapaz se portara mal naquela noite, acontece a todos, podia estar doente, mas tinha o seu prestígio e muitas boas relações, gente graúda, até italianos de Palermo, quando lhe perguntaram se conhecia malta competente em Lisboa recomendara-os logo, a eles, Renato e sua quadrilha. Deviam estar agradecidos. Tá bestial. Obrigadinho, ó Obelix! Mas agora diz-nos o que vamos fazer e quanto se ganha', supli­cou Arnaldo, mas o chefe ainda molhou a goela num lento copo de água, como um conferencista que sabe o auditório em suspenso." Mário Zambujal, in Crónica dos Bons Malandros                                                                   PUBLICADA POR HELENA EM 5:38         ETIQUETAS: REGISTOS DE LÍNGUA 24/Jan/2008 Registo de Língua                                                          Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas. "Na quarta-feira passada, o correspondente da Focus em Los Angeles, Nuno Guerreiro, telefonou-me para ler um curto telegrama da agência de notícias UPI: um filme mexicano, com estreia prevista para dias depois, estava a causar um grande escândalo no México, com a Igreja Católica ameaçando boicote. (...) 'Sabes como se chama o filme? El Crimen dei Padre Amaro'." In Focus, n° 149 PUBLICADA POR HELENA EM 5:50         ETIQUETAS: REGISTOS DE LÍNGUA 7/Jan/2008                 Lê o seguinte excerto de um conto popular: "Era uma vez um rapaz que foi embarcar não sei agora para onde; chegou a uma estalagem; per-guntou se havia que comer; a dona da estalagem disse-lhe que não tinha senão ovos cozidos e ele respondeu-lhe: «Pois ponha cá um vintém deles». Comeu os ovos; deu-lhe um pinto para cia trocar; ela disse-lhe que não tinha troco: «Quando você por aqui passar me pagará». O homem embarcou. Dava ele sempre uma esmola na terra para onde foi pelas almas do purgatório e, se via o diabo pintado ao pé das almas, dizia: «Pelas almas que me ajudem e tu, diabo, que nem me ajudes, nem me estorves». Passados alguns anos, voltou ele à terra e passou aonde a estalajadeira e disse-lhe: «Ó mulher, vou-lhe pagar uma dívida que lhe devo!». E ela disse: «Que dívida é?». Respondeu: «Quando eu fui que embar¬quei, comprei-lhe um vintém de ovos e não lhos paguei». E ela disse: «Ah, você cuida que rne paga 10 com um vintém os ovos? Eu vou-lhe mandar fazer a conta. Seis ovos eram seis galinhas que punham ovos...» e mandou-lhe assim fazer a conta que botava a uns poucos de centos de mil-réis. O homem não trazia tanto dinheiro; não trazia com que lhe pagar: foi para a cadeia. (...)" In Contos Populares Portugueses Reescreve os seguintes segmentos de modo a aproximá-los da correcção do registo escrito: "Apontou o armário e pediu que o abríssemos. Bem para além do espanto, se revelavam os vestidos envelhecidos que meu pai lhe ofertara. Bastou, porém, a brisa da porta se abrindo para que os vestidos se desfizessem em pó e, como cinzas, se enevoassem pelo chão. Apenas os cabides balançavam, esqueletos sem corpo.” Mia Couto, "Inundação" in Pública, n°. 331 "Na quarta-feira passada, o correspondente da Focus em Los Angeles, Nuno Guerreiro, telefonou-me para ler um curto telegrama da agência de notícias UPI: um filme mexicano, com estreia prevista para dias depois, estava a causar um grande escândalo no México, com a Igreja Católica ameaçando boicote. (...) 'Sabes como se chama o filme? El Crimen dei Padre Amaro.” In Focus, n° 149 "Era uma vez um rapaz que foi embarcar não sei agora para onde; chegou a uma estalagem; per-guntou se havia que comer; a dona da estalagem disse-lhe que não tinha senão ovos cozidos e ele respondeu-lhe: «Pois ponha cá um vintém deles». Comeu os ovos; deu-lhe um pinto para cia trocar; ela disse-lhe que não tinha troco: «Quando você por aqui passar me pagará». In Contos Populares Portugueses Identifica os registos de língua predominantes no excerto apresentado, fazendo o levantamento das respectivas marcas.
  • 6. Fim