SlideShare uma empresa Scribd logo
ACTIVIDADES
ECONÓMICAS
DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS
   Rede Social é uma das formas de representação
    dos relacionamentos afectivos ou profissionais dos
    seres entre si ou entre seus agrupamentos de
    interesses mútuos. A rede é responsável pelo
    compartilhamento de ideias entre pessoas que
    possuem interesses e objectivo em comum e
    também valores a serem compartilhados.




                                                         2
DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS
    Assim, um grupo de discussão é composto por
    indivíduos que possuem identidades semelhantes.
    Essas redes sociais estão hoje instaladas
    principalmente na Internet devido ao facto desta
    possibilitar uma aceleração e ampla maneira das
    ideias serem divulgadas e da absorção de novos
    elementos em busca de algo em comum.




                                                       3
DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS
   Segundo Fritjof Capra, "redes sociais são redes de
    comunicação que envolvem a linguagem simbólica,
    os limites culturais e as relações de poder". São
    também consideradas como uma medida de
    política social que reconhece e incentiva a
    actuação das redes de solidariedade local no
    combate à pobreza e à exclusão social e na
    promoção do desenvolvimento local.




                                                         4
DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS
   As redes sociais são capazes de expressar ideias
    políticas e económicas inovadoras com o
    surgimento de novos valores, pensamentos e
    atitudes. Esse segmento que proporciona a ampla
    informação a ser compartilhada por todos, sem
    canais reservados e fornecendo a formação de
    uma cultura de participação,




                                                       5
DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS
   é possível, graças ao desenvolvimento das
    tecnologias de comunicação e da informação, à
    globalização, à evolução da cidadania, à evolução
    do conhecimento científico sobre a vida etc. as
    redes unem os indivíduos organizando-os de forma
    igualitária e democrática e em relação aos
    objectivos que eles possuem em comum.




                                                        6
REDES         SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS
                    VERTENTES
   Rede Social Primária ou Informal: São redes de
    relações entre indivíduos , em decorrência de conexões
    pré-existentes, relações semi-formalizadas que dão
    origem a quase grupos. Ela é formada por todas as
    relações que as pessoas estabelecem durante a vida
    quotidiana, que pode ser composta por familiares,
    vizinhos, amigos, colegas de trabalho, organizações
    etc. as redes de relacionamento começam na infância e
    contribuem para a formação das identidades.




                                                             7
REDES         SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS
                    VERTENTES
   Rede Social Secundária ou Global: é formada por
    profissionais e funcionários de instituições públicas
    ou privadas, por organizações não-
    governamentais, organizações sociais etc., e
    fornecem atenção, orientação e informação.




                                                            8
REDES          SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS
                      VERTENTES
   Rede Social Intermediária ou Rede Associativa: é formada
    por pessoas que receberam capacitação especializada, tendo
    como função a prevenção e apoio. Podem vir do sector da
    saúde, igreja e até da própria comunidade
   As redes sociais secundárias e intermediárias são formadas
    pelo colectivo, instituições e pessoas que possuem interesses
    comuns. Elas podem ter um grande poder de mobilização e
    articulação para que seus objectivos sejam atingidos.




                                                                    9
EXEMPLO DE REDES SOCIAIS
 Twitter;
 Facebook;

 Hi5;

 MySpace;

 LinkedIn;

 Xing ;

 The Star Tracker ;

 Etc…



                               10
11
REDES SOCIAIS – TOP MUNDIAL
 O Facebook é o 2º site mais visto no mundo, sendo
  a 1ª rede social mais utilizada a nível mundial;
 O Myspace é o 12º site mais visto no mundo, sendo
  o 2ª rede social mais utilizada a nível mundial;
 O Twitter é o 14º site mais visto no mundo, sendo a
  3ª rede social mais utilizada a nível mundial;
 O Blogspot é o 48º site mais visto no mundo, sendo
  a 4ª rede social mais utilizada a nível mundial;
 O Hi5 é o 52º site mais visto no mundo, sendo a 5ª
  rede social mais utilizada a nível mundial.
                                                        12
REDES SOCIAIS – TOP PORTUGAL
 O Hi5 é o 5º site mais visto em Portugal, sendo que
  é a rede social mais utilizada;
 O Facebook é o 8º site mais visto em Portugal,
  sendo que é a 2ª rede social mais utilizada;
 O Blogspot é o 20º site mais visto em Portugal,
  sendo que é a 3ª rede social mais utilizada;
 O Myspace é o 29º site mais visto em Portugal,
  sendo que é a 4ª rede social mais utilizada;
 O Twitter é o 30º site mais visto em Portugal, sendo
  que é a 5ª rede social mais utilizada.
 (((((http://www.alexa.com))))))                        13
RECRUTAR EM REDES SOCIAIS
              Algumas Testemunhas:

 Stephan Morais;
 Pedro Amorim;

 Ricardo Correia;

 Artur Ferreira Da Silva;

 Assunção Loureiro;

 Nuno Duarte;

 Miguel Alarcão Júdice;

 André Macedo.
                                     14
STEPHAN MORAIS
   “A grande vantagem destas redes sociais prende-
    se com a possibilidade de construção e difusão
    massiva da imagem publica que se quer
    transparecer. Estas redes possibilitam portanto a
    busca de perfis profissionais adequados aos
    diversos fins, baseada na facilidade de
    estabelecimento de contacto com alguém que não
    se conhece, frequentemente através de alguém
    que já se conhecesse na rede.”


                                                        15
PEDRO AMORIM
   “Diria, de uma forma mais alargada, que recrutar
    na internet é hoje uma realidade indesmentível e
    quem não o assumir poderá ver reduzidas as
    possibilidades de sucesso. A nível de pesquisa de
    talento existem hoje uma miríade de ferramentas
    de comunicação que devem completar um
    processo de pesquisa quando se pretende aceder
    a melhor lista de potenciais candidatos a uma
    determinada posição.”


                                                        16
RICARDO CORREIA
   “Escolhemos os nossos colaboradores através da
    internet e postings em sites como infroempregos e
    desportos radicais.”




                                                        17
ARTUR FERREIRA DA SILVA
   “Empresas nacionais e internacionais aproveitam,
    cada vez mais, a rapidez e a amplitude que as
    redes sociais profissionais criam para facilitar os
    processos de recrutamento.”




                                                          18
ASSUNÇÃO LOUREIRO
   “Como ponto de encontro as redes sociais são
    imbatíveis. Entre amigos, conhecidos, ex-colegas e
    também parceiros é fácil saber quem é quem, onde
    está e a fazer o quê.”




                                                         19
MIGUEL ALARCÃO JÚDICE
   “Tenho vários casos de ligações feitas através das
    redes, desde pessoas que recrutei, fornecedores
    que conheci, parceiros que criei.”




                                                         20
NUNO DUARTE
   “As redes sociais são fenómenos interessantes e
    crescentes que acompanha, ate porque
    comprovam o papel cada vez maior que a
    tecnologia ocupa na vida das pessoas.”




                                                      21
ANDRÉ MACEDO
   “A Actualsales tem vindo a contratar muitos
    colaboradores, não só em Portugal como nos
    países onde estamos presentes, como em
    Espanha e no Brasil, e através do Linkedin
    podemos facilmente analisar o perfil dos
    candidatos.”




                                                  22
Este trabalho foi realizado através de pesquisas na
internet e revistas, das quais retira-mos alguns excertos.
Retira-mos apenas o que era mais importante, no
contexto do titulo, “Recrutar em Redes Sociais”
Sendo que em poucas palavras e de maneiras diferentes
explicasse-mos o que são as Redes Sociais, para que
servem, no que podem ser utilizadas, qual o seu
interesse e o seu aumento a nível mundial.

                          Obrigado pela atenção de todos




               Trabalho Realizado por:
                   Sara Gonçalves                            23
                    Sandro Cunha
                  Verónica Mafra

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
Carolina Terra
 
Teias Na Midia Social
Teias Na Midia SocialTeias Na Midia Social
Teias Na Midia Social
Comunidadeampliar
 
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
marthanmd
 
Aula 5 redes sociais - gestao de pessoas i
Aula 5   redes sociais - gestao de pessoas iAula 5   redes sociais - gestao de pessoas i
Aula 5 redes sociais - gestao de pessoas i
Angelo Peres
 
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Talita Moretto
 
Redes sociais no ambiente educacional
Redes sociais no ambiente educacionalRedes sociais no ambiente educacional
Redes sociais no ambiente educacional
paulomenor
 
Network e Mídias Sociais
Network e Mídias SociaisNetwork e Mídias Sociais
Network e Mídias Sociais
Eduardo Sangion
 
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em MassaA Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
guestfbbe779f
 
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
Márcio Coutinho
 
Redessociais
RedessociaisRedessociais
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
Larissa Martins
 
Digicorp aula1 07 05 2010
Digicorp aula1 07 05 2010Digicorp aula1 07 05 2010
Digicorp aula1 07 05 2010
guest7491be
 
MíDia Social Catalogando Aves Raras
MíDia Social Catalogando Aves RarasMíDia Social Catalogando Aves Raras
MíDia Social Catalogando Aves Raras
vida simples
 
Thiago silva monografia - redes sociais
Thiago silva   monografia - redes sociaisThiago silva   monografia - redes sociais
Thiago silva monografia - redes sociais
Thiago Fernandes da Silva
 
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicasPolíticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
Laís Bueno
 
Relançamento da Rede Vivo Educação
Relançamento da Rede Vivo EducaçãoRelançamento da Rede Vivo Educação
Relançamento da Rede Vivo Educação
Luis Fernando Guggenberger
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na EscolaRedes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
Vanessa Nogueira
 

Mais procurados (17)

Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
Curso de Planejamento de Comunicação aplicado às Mídias Sociais - DARP Univer...
 
Teias Na Midia Social
Teias Na Midia SocialTeias Na Midia Social
Teias Na Midia Social
 
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
01 02-redes e-sociais_conceitos-e-numeros_martha_gabriel
 
Aula 5 redes sociais - gestao de pessoas i
Aula 5   redes sociais - gestao de pessoas iAula 5   redes sociais - gestao de pessoas i
Aula 5 redes sociais - gestao de pessoas i
 
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
Mídias Digitais - Apresentação da aula 02 (11/08/2012)
 
Redes sociais no ambiente educacional
Redes sociais no ambiente educacionalRedes sociais no ambiente educacional
Redes sociais no ambiente educacional
 
Network e Mídias Sociais
Network e Mídias SociaisNetwork e Mídias Sociais
Network e Mídias Sociais
 
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em MassaA Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
 
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
Redes sociais e o seu papel na construção da imagem - Análise dos casos Rosa ...
 
Redessociais
RedessociaisRedessociais
Redessociais
 
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
O papel das mídias sociais na construção da identidade do sujeito pós-moderno
 
Digicorp aula1 07 05 2010
Digicorp aula1 07 05 2010Digicorp aula1 07 05 2010
Digicorp aula1 07 05 2010
 
MíDia Social Catalogando Aves Raras
MíDia Social Catalogando Aves RarasMíDia Social Catalogando Aves Raras
MíDia Social Catalogando Aves Raras
 
Thiago silva monografia - redes sociais
Thiago silva   monografia - redes sociaisThiago silva   monografia - redes sociais
Thiago silva monografia - redes sociais
 
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicasPolíticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
Políticas de conduta em mídias sociais: atribuição de relações públicas
 
Relançamento da Rede Vivo Educação
Relançamento da Rede Vivo EducaçãoRelançamento da Rede Vivo Educação
Relançamento da Rede Vivo Educação
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na EscolaRedes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
 

Semelhante a Redes sociais atividades economicas

Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docxSociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
ssuser1198af
 
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Talita Moretto
 
Palestra: O impacto das midias e redes sociais
Palestra: O impacto das midias e redes sociaisPalestra: O impacto das midias e redes sociais
Palestra: O impacto das midias e redes sociais
Estácio FAP e UFPA
 
Redes Sociais
Redes SociaisRedes Sociais
Redes Sociais
Marques Silva
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
minasinvest
 
A Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na InternetA Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na Internet
Fernando Bombassaro
 
Aula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao temaAula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao tema
Carolina Terra
 
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em MassaA Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
minasinvest
 
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Social Good Brasil
 
Social Media Influence in Portugal
Social Media Influence in PortugalSocial Media Influence in Portugal
Social Media Influence in Portugal
Nuno Ferreira
 
3 marketing nas redes sociais
3   marketing nas redes sociais3   marketing nas redes sociais
3 marketing nas redes sociais
cefaprodematupa
 
Comunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas MidiasComunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas Midias
Pricilla Farina Soares
 
Teias na midia social
Teias na midia socialTeias na midia social
Teias na midia social
minasinvest
 
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
Paola Muller
 
Rede cidadao digital
Rede cidadao digitalRede cidadao digital
Rede cidadao digital
cidadaoemrede
 
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais portuguêsTecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Fernanda Bornhausen Sá
 
Média Social
Média SocialMédia Social
Média Social
marade
 
Midia social
Midia socialMidia social
Midia social
carla1568
 
Cap5netsmart
Cap5netsmartCap5netsmart
Cap5netsmart
Aparecida Dias
 
Cap5 netsmart
Cap5 netsmartCap5 netsmart
Cap5 netsmart
Ana Toscano
 

Semelhante a Redes sociais atividades economicas (20)

Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docxSociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
 
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
 
Palestra: O impacto das midias e redes sociais
Palestra: O impacto das midias e redes sociaisPalestra: O impacto das midias e redes sociais
Palestra: O impacto das midias e redes sociais
 
Redes Sociais
Redes SociaisRedes Sociais
Redes Sociais
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
 
A Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na InternetA Democratização da Informação na Internet
A Democratização da Informação na Internet
 
Aula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao temaAula 1 introdução ao tema
Aula 1 introdução ao tema
 
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em MassaA Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
A Engrenagem E AforçA Da ColaboraçãO Em Massa
 
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
 
Social Media Influence in Portugal
Social Media Influence in PortugalSocial Media Influence in Portugal
Social Media Influence in Portugal
 
3 marketing nas redes sociais
3   marketing nas redes sociais3   marketing nas redes sociais
3 marketing nas redes sociais
 
Comunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas MidiasComunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas Midias
 
Teias na midia social
Teias na midia socialTeias na midia social
Teias na midia social
 
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
A utilização de redes sociais como ferramentas no processo de recrutamento ex...
 
Rede cidadao digital
Rede cidadao digitalRede cidadao digital
Rede cidadao digital
 
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais portuguêsTecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
 
Média Social
Média SocialMédia Social
Média Social
 
Midia social
Midia socialMidia social
Midia social
 
Cap5netsmart
Cap5netsmartCap5netsmart
Cap5netsmart
 
Cap5 netsmart
Cap5 netsmartCap5 netsmart
Cap5 netsmart
 

Mais de Sara Gonçalves

Violência
ViolênciaViolência
Violência
Sara Gonçalves
 
áCidos e bases
áCidos e basesáCidos e bases
áCidos e bases
Sara Gonçalves
 
Pontos de interesse viseu antigo
Pontos de interesse viseu antigoPontos de interesse viseu antigo
Pontos de interesse viseu antigo
Sara Gonçalves
 
Leis de murphy
Leis de murphyLeis de murphy
Leis de murphy
Sara Gonçalves
 
Diferenças entre português de portugal
Diferenças entre português de portugalDiferenças entre português de portugal
Diferenças entre português de portugal
Sara Gonçalves
 
Go!animate
Go!animateGo!animate
Go!animate
Sara Gonçalves
 
Conto a Saga 2
Conto a Saga 2Conto a Saga 2
Conto a Saga 2
Sara Gonçalves
 
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moedaHistoria e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
Sara Gonçalves
 
London Bridge
London BridgeLondon Bridge
London Bridge
Sara Gonçalves
 
Paises da Uniao Europeia
Paises da Uniao EuropeiaPaises da Uniao Europeia
Paises da Uniao Europeia
Sara Gonçalves
 
Reducao de custos e motivacao dos colaboradores
Reducao de custos e motivacao dos colaboradoresReducao de custos e motivacao dos colaboradores
Reducao de custos e motivacao dos colaboradores
Sara Gonçalves
 
A Importante funcao de uma secretaria
A Importante funcao de uma secretaria A Importante funcao de uma secretaria
A Importante funcao de uma secretaria
Sara Gonçalves
 
Reciclagem de Computadores
Reciclagem de ComputadoresReciclagem de Computadores
Reciclagem de Computadores
Sara Gonçalves
 
Biografia sophia melo breyner andresen
Biografia sophia melo breyner andresenBiografia sophia melo breyner andresen
Biografia sophia melo breyner andresen
Sara Gonçalves
 
Varios tipos de clientes
Varios tipos de clientesVarios tipos de clientes
Varios tipos de clientes
Sara Gonçalves
 
Servico Pós Venda
Servico Pós VendaServico Pós Venda
Servico Pós Venda
Sara Gonçalves
 
Gays Lesbicas e afins
Gays Lesbicas e afinsGays Lesbicas e afins
Gays Lesbicas e afins
Sara Gonçalves
 
Lince Iberico
Lince IbericoLince Iberico
Lince Iberico
Sara Gonçalves
 
Cegonha preta
Cegonha pretaCegonha preta
Cegonha preta
Sara Gonçalves
 
Setores de Atividade
Setores de AtividadeSetores de Atividade
Setores de Atividade
Sara Gonçalves
 

Mais de Sara Gonçalves (20)

Violência
ViolênciaViolência
Violência
 
áCidos e bases
áCidos e basesáCidos e bases
áCidos e bases
 
Pontos de interesse viseu antigo
Pontos de interesse viseu antigoPontos de interesse viseu antigo
Pontos de interesse viseu antigo
 
Leis de murphy
Leis de murphyLeis de murphy
Leis de murphy
 
Diferenças entre português de portugal
Diferenças entre português de portugalDiferenças entre português de portugal
Diferenças entre português de portugal
 
Go!animate
Go!animateGo!animate
Go!animate
 
Conto a Saga 2
Conto a Saga 2Conto a Saga 2
Conto a Saga 2
 
Historia e evolução da moeda
Historia e evolução da moedaHistoria e evolução da moeda
Historia e evolução da moeda
 
London Bridge
London BridgeLondon Bridge
London Bridge
 
Paises da Uniao Europeia
Paises da Uniao EuropeiaPaises da Uniao Europeia
Paises da Uniao Europeia
 
Reducao de custos e motivacao dos colaboradores
Reducao de custos e motivacao dos colaboradoresReducao de custos e motivacao dos colaboradores
Reducao de custos e motivacao dos colaboradores
 
A Importante funcao de uma secretaria
A Importante funcao de uma secretaria A Importante funcao de uma secretaria
A Importante funcao de uma secretaria
 
Reciclagem de Computadores
Reciclagem de ComputadoresReciclagem de Computadores
Reciclagem de Computadores
 
Biografia sophia melo breyner andresen
Biografia sophia melo breyner andresenBiografia sophia melo breyner andresen
Biografia sophia melo breyner andresen
 
Varios tipos de clientes
Varios tipos de clientesVarios tipos de clientes
Varios tipos de clientes
 
Servico Pós Venda
Servico Pós VendaServico Pós Venda
Servico Pós Venda
 
Gays Lesbicas e afins
Gays Lesbicas e afinsGays Lesbicas e afins
Gays Lesbicas e afins
 
Lince Iberico
Lince IbericoLince Iberico
Lince Iberico
 
Cegonha preta
Cegonha pretaCegonha preta
Cegonha preta
 
Setores de Atividade
Setores de AtividadeSetores de Atividade
Setores de Atividade
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

Redes sociais atividades economicas

  • 2. DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS  Rede Social é uma das formas de representação dos relacionamentos afectivos ou profissionais dos seres entre si ou entre seus agrupamentos de interesses mútuos. A rede é responsável pelo compartilhamento de ideias entre pessoas que possuem interesses e objectivo em comum e também valores a serem compartilhados. 2
  • 3. DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS  Assim, um grupo de discussão é composto por indivíduos que possuem identidades semelhantes. Essas redes sociais estão hoje instaladas principalmente na Internet devido ao facto desta possibilitar uma aceleração e ampla maneira das ideias serem divulgadas e da absorção de novos elementos em busca de algo em comum. 3
  • 4. DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS  Segundo Fritjof Capra, "redes sociais são redes de comunicação que envolvem a linguagem simbólica, os limites culturais e as relações de poder". São também consideradas como uma medida de política social que reconhece e incentiva a actuação das redes de solidariedade local no combate à pobreza e à exclusão social e na promoção do desenvolvimento local. 4
  • 5. DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS  As redes sociais são capazes de expressar ideias políticas e económicas inovadoras com o surgimento de novos valores, pensamentos e atitudes. Esse segmento que proporciona a ampla informação a ser compartilhada por todos, sem canais reservados e fornecendo a formação de uma cultura de participação, 5
  • 6. DEFINIÇÃO DE REDES SOCIAIS  é possível, graças ao desenvolvimento das tecnologias de comunicação e da informação, à globalização, à evolução da cidadania, à evolução do conhecimento científico sobre a vida etc. as redes unem os indivíduos organizando-os de forma igualitária e democrática e em relação aos objectivos que eles possuem em comum. 6
  • 7. REDES SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS VERTENTES  Rede Social Primária ou Informal: São redes de relações entre indivíduos , em decorrência de conexões pré-existentes, relações semi-formalizadas que dão origem a quase grupos. Ela é formada por todas as relações que as pessoas estabelecem durante a vida quotidiana, que pode ser composta por familiares, vizinhos, amigos, colegas de trabalho, organizações etc. as redes de relacionamento começam na infância e contribuem para a formação das identidades. 7
  • 8. REDES SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS VERTENTES  Rede Social Secundária ou Global: é formada por profissionais e funcionários de instituições públicas ou privadas, por organizações não- governamentais, organizações sociais etc., e fornecem atenção, orientação e informação. 8
  • 9. REDES SOCIAIS DIVIDIDA EM TRÊS VERTENTES  Rede Social Intermediária ou Rede Associativa: é formada por pessoas que receberam capacitação especializada, tendo como função a prevenção e apoio. Podem vir do sector da saúde, igreja e até da própria comunidade  As redes sociais secundárias e intermediárias são formadas pelo colectivo, instituições e pessoas que possuem interesses comuns. Elas podem ter um grande poder de mobilização e articulação para que seus objectivos sejam atingidos. 9
  • 10. EXEMPLO DE REDES SOCIAIS  Twitter;  Facebook;  Hi5;  MySpace;  LinkedIn;  Xing ;  The Star Tracker ;  Etc… 10
  • 11. 11
  • 12. REDES SOCIAIS – TOP MUNDIAL  O Facebook é o 2º site mais visto no mundo, sendo a 1ª rede social mais utilizada a nível mundial;  O Myspace é o 12º site mais visto no mundo, sendo o 2ª rede social mais utilizada a nível mundial;  O Twitter é o 14º site mais visto no mundo, sendo a 3ª rede social mais utilizada a nível mundial;  O Blogspot é o 48º site mais visto no mundo, sendo a 4ª rede social mais utilizada a nível mundial;  O Hi5 é o 52º site mais visto no mundo, sendo a 5ª rede social mais utilizada a nível mundial. 12
  • 13. REDES SOCIAIS – TOP PORTUGAL  O Hi5 é o 5º site mais visto em Portugal, sendo que é a rede social mais utilizada;  O Facebook é o 8º site mais visto em Portugal, sendo que é a 2ª rede social mais utilizada;  O Blogspot é o 20º site mais visto em Portugal, sendo que é a 3ª rede social mais utilizada;  O Myspace é o 29º site mais visto em Portugal, sendo que é a 4ª rede social mais utilizada;  O Twitter é o 30º site mais visto em Portugal, sendo que é a 5ª rede social mais utilizada.  (((((http://www.alexa.com)))))) 13
  • 14. RECRUTAR EM REDES SOCIAIS Algumas Testemunhas:  Stephan Morais;  Pedro Amorim;  Ricardo Correia;  Artur Ferreira Da Silva;  Assunção Loureiro;  Nuno Duarte;  Miguel Alarcão Júdice;  André Macedo. 14
  • 15. STEPHAN MORAIS  “A grande vantagem destas redes sociais prende- se com a possibilidade de construção e difusão massiva da imagem publica que se quer transparecer. Estas redes possibilitam portanto a busca de perfis profissionais adequados aos diversos fins, baseada na facilidade de estabelecimento de contacto com alguém que não se conhece, frequentemente através de alguém que já se conhecesse na rede.” 15
  • 16. PEDRO AMORIM  “Diria, de uma forma mais alargada, que recrutar na internet é hoje uma realidade indesmentível e quem não o assumir poderá ver reduzidas as possibilidades de sucesso. A nível de pesquisa de talento existem hoje uma miríade de ferramentas de comunicação que devem completar um processo de pesquisa quando se pretende aceder a melhor lista de potenciais candidatos a uma determinada posição.” 16
  • 17. RICARDO CORREIA  “Escolhemos os nossos colaboradores através da internet e postings em sites como infroempregos e desportos radicais.” 17
  • 18. ARTUR FERREIRA DA SILVA  “Empresas nacionais e internacionais aproveitam, cada vez mais, a rapidez e a amplitude que as redes sociais profissionais criam para facilitar os processos de recrutamento.” 18
  • 19. ASSUNÇÃO LOUREIRO  “Como ponto de encontro as redes sociais são imbatíveis. Entre amigos, conhecidos, ex-colegas e também parceiros é fácil saber quem é quem, onde está e a fazer o quê.” 19
  • 20. MIGUEL ALARCÃO JÚDICE  “Tenho vários casos de ligações feitas através das redes, desde pessoas que recrutei, fornecedores que conheci, parceiros que criei.” 20
  • 21. NUNO DUARTE  “As redes sociais são fenómenos interessantes e crescentes que acompanha, ate porque comprovam o papel cada vez maior que a tecnologia ocupa na vida das pessoas.” 21
  • 22. ANDRÉ MACEDO  “A Actualsales tem vindo a contratar muitos colaboradores, não só em Portugal como nos países onde estamos presentes, como em Espanha e no Brasil, e através do Linkedin podemos facilmente analisar o perfil dos candidatos.” 22
  • 23. Este trabalho foi realizado através de pesquisas na internet e revistas, das quais retira-mos alguns excertos. Retira-mos apenas o que era mais importante, no contexto do titulo, “Recrutar em Redes Sociais” Sendo que em poucas palavras e de maneiras diferentes explicasse-mos o que são as Redes Sociais, para que servem, no que podem ser utilizadas, qual o seu interesse e o seu aumento a nível mundial. Obrigado pela atenção de todos Trabalho Realizado por: Sara Gonçalves 23 Sandro Cunha Verónica Mafra