SlideShare uma empresa Scribd logo
A FORÇA DA COLABORAÇÃO EM MASSA www.vidasimples.ning.com
As tecnologias digitais estão orientando invenções  em novos processos empresariais, estruturas organizacionais e estratégias de negócios. Esses aspectos intangíveis são menos visíveis do que os avanços industriais, mas terão e já estão tendo impacto econômico muito maior. A era industrial esgotou seu modelo para dar lugar a uma era em que uma massa hiperconectada de indivíduos auto-organizados segura suas necessidades econômicas em uma mão e seus destinos econômicos em outra. “  Nada no universo resiste ao impulso convergente de um número significativamente grande de inteligências ordenadas e agrupadas.” Teillard Chardin A força da convergência
“  Enquanto o comunismo sufocou o individualismo, a colaboração em massa se baseia em indivíduos e empresas utilizando a computação e tecnologias de comunicação amplamente distribuídas para alcançar resultados compartilhados, através de associações voluntárias livres. A revolução de participação que está acontecendo agora abre novas possibilidades para que bilhões de pessoas desempenhem papéis ativos em seus locais de trabalho, comunidades, democracias nacionais e na economia global. Os benefícios sociais são profundos e incluem a oportunidade de atribuir maior responsabilidade aos governos e tirar milhões de pessoas da pobreza.”    Don Tapscot - Wikinomics Colaboração para inclusão
A criação de valor está sendo cada vez mais rápida e fluída... Uma nova e dura regra empresarial está surgindo: use a nova colaboração ou morra. Firmas que cultivam relacionamento agéis baseados na confiança com seus colaboradores externos estão bem posicionadas para formas dinâmicos ecossistemas empresariais, que criam valor de forma mais eficaz do que empresas hierarquicamente organizadas. ... O conhecimento, a competência e os recursos coletivos reunidos em amplas  redes horizontais de participantes podem ser mobilizados para realizar muito mais do que uma única empresa agindo sozinha seria capaz. E, nos próximos anos, esse novo modo de peering/colaboração substituirá as hierarquias empresariais tradicionais como o mecanismo essencial para criação de riqueza na economia. Don Tapscot - Wikinomics Colaboração para inclusão
A  Internet deixa de ser a Rede Mundial de Computadores e  se torna a Rede Mundial de Pessoas. “  Mudanças profundas na natureza da tecnologia, da demografia e da economia global estão fazendo emergir novos e poderosos  modelos de produção baseados em comunidade, colaboração e auto-organização, e não em hierarquia e controle. Com um número cada vez maior de empresas percebendo os benefícios da colaboração em massa, esse novo modo de organização acabará por substituir as estruturas empresariais tradicionais como o motor primário de criação de riqueza na economia.” Don Tapscot - Wikinomics UM NOVO MODELO
FERRAMENTA: Mídia social Essas redes de pessoas vem, a cada dia, se tornando mais poderosa, independente e articuladora de novas formas de organização do conhecimento, trabalho, economia, comunicação, política, consumo.  Esta rede está construindo uma nova sociedade.
FERRAMENTA: Mídia social Mídia Social  descreve as tecnologias e práticas  online  que as pessoas usam para compartilhar opiniões, experiências, perspectivas e a própria mídia.  A mídia social pode assumir diferentes formas, tais como textos, imagens, video. Esses espacos na Internet geralmente usam tecnologias como blogs, painéis de mensagens, podcasts, wikis que permitem que os usuários interajam
Segundo Fritjot Capra, ‘’redes sociais são redes de comunicação que envolvem a linguagem simbólica, os limites culturais e as relações de poder’’.  São também consideradas como uma medida de política social que reconhece e incentiva a atuação das redes de solidariedade local no combate à pobreza e à exclusão social e na promoção do desenvolvimento local. As redes sociais são capazes de expressar idéias políticas e econômicas inovadoras com o surgimento de novos valores, pensamentos e atitudes. Esse segmento que proporciona a ampla informação a ser compartilhada por todos, sem canais reservados e fornecendo a formação de uma cultura de participação, é possível, graças ao desenvolvimento das tecnologias de comunicação e da informática, à  globalização , à evolução da  cidadania , à evolução do conhecimento  científico  sobre a vida etc. as redes unem os indivíduos organizando-os de forma igualitária e democrática e em relação aos objetivos que eles possuem em comum. Que são redes sociais?
WEB 2.0: O termo WEB 2.0, utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web , é muito mais do que um termo de marketing. É o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais, graças à consolidação da nuvem computacional, que promove o processamento na rede e não no computador do usuário.  Este novo contexto tecnológico permite e fomenta a oferta e distribuição de informação, conhecimento e serviços  on-line  interligados,viralmente. FERRAMENTA: Mídia social
Entre outros... AMBIENTES E FERRAMENTAS WIDGTES CONTAINNERS COMPARTILHAMENTO DE VÍDEOS, DOCS E MP3 IM e VOIP MAPAS BLOGS SITES E PORTAIS MECANISMOS DE BUSCA MICRO BLOGGING BOOKMARKS SOCIAIS REDES SOCIAIS EXEMPLOS AMBIENTES
Relacionamento Pessoal Relacionamento Profissional Relacionamento Educacional ORKUT MYSPACE GAZZAG LINKEDIN VIA 6 ECONOZCO COLEGAS BEBO EX-ALUNOS Para que serve a rede?
DIVULGUE seu conhecimento,seus projetos,suas áreas de interesse e suas competências. COMPARTILHE seus conhecimentos através da publicação de textos, vídeos, fotos, áudios e notícias COMUNIQUE-SE trocando mensagens de texto, áudio e vídeo com seus páreos MULTIPLIQUE-SE copiando e colando o widget de suas referências no seu site, portal ou blog INOVE e use sua criatividade para  Gerar seus próprios conteúdos e página Web 2.0 RELACIONE-S E com outras comunidades para trocar conhecimentos, aumentar seu network, trocar ou vender idéias AGRUPE-SE em redes de comunidades para ter maior   força setorial CONVIDE seus contatos, clientes potenciais, páreos para participar de suas comunidades FOMENTE   A interação através de fóruns de discussão MOBILIZE os atores de seu setor em ações estratégicas Entre na Rede e:
COMUNIDADES / GRUPOS Os atores elegem ou criam comunidades temáticas, indicam os mediadores destas comunidades e exercem um papel fundamental na expansão do processo convidando outros da cadeia de valor para participar da rede.  Caso tenham dificuldades, eles podem transitar na rede para identificar alguém que tenha conhecimento na área e pedir que ele participe da discussão. Ao se cadastrarem na rede, os atores definem seus perfis declarando seus interesses, participam de fóruns de discussão e compartilham conteúdos. Neste processo, vão definindo seus interesses e o Administrador geral gerencia a rede como um todo na consecução de seus objetivos.
NÍVEIS DE INTERAÇÃO A estrutura da rede, seu conteúdo, registro de membros, formação de grupos e fóruns forma o primeiro nível de articulação da rede. A interação dos atores através de seus perfis pessoais, fóruns e comunidades, fomentados pela ação de mediadores ou “animadores”  etc é o que forma o segundo nível de articulação da rede A interação com outras fontes de conhecimento e informação (redes, sites, portais, blogs etc) forma o terceiro nível de articulação da rede
Uma estrutura em rede (...) corresponde também ao que seu próprio nome indica: seus integrantes se ligam horizontalmente a todos os demais, diretamente ou através dos que os cercam. O conjunto resultante é como uma malha de múltiplos fios, que pode se espalhar indefinidamente para todos os lados, sem que nenhum dos seus nós possa ser considerado principal ou central, nem representante dos demais. Não há um “chefe”, o que há é uma vontade coletiva de realizar determinado objetivo. (Withaker, 1998 ) META SÍNTESE: COMUNICAR, INTEGRAR, COLABORAR EM REDE O QUE ESPERAMOS DA REDE :  gerar conhecimento coletivo a partir de conexões multi-direcionais construídas pelo próprio ator. É ele que deve estar no centro da ação. Tem um papel de protagonista, constrói seus próprios conteúdos, define e se conecta a grupos e outros atores sinérgicos e faz a informação e o conhecimento andar em múltiplas direções e gerar os resultados esperados .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redes sociais atividades economicas
Redes sociais   atividades economicasRedes sociais   atividades economicas
Redes sociais atividades economicas
Sara Gonçalves
 
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organizaçãoRedes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
Colaborativismo
 
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Viviane de Carvalho
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
minasinvest
 
Rede social
Rede socialRede social
Rede social
chuqih
 
Artigo abrapcorp
Artigo abrapcorpArtigo abrapcorp
Artigo abrapcorp
Laís Bueno
 
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
Patricia Neubert
 
Tecnologias sociais de partilha
Tecnologias sociais de partilhaTecnologias sociais de partilha
Tecnologias sociais de partilha
ivideira
 
Comunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticasComunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticas
Danila Dourado
 
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para AComunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
Rafael Arza
 
Inteligência Coletiva e Inclusão Digital
Inteligência Coletiva e Inclusão DigitalInteligência Coletiva e Inclusão Digital
Inteligência Coletiva e Inclusão Digital
Daniel Magril
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
Rafael Dorigom
 
Rede Interativa
Rede InterativaRede Interativa
Rede Interativa
guest0625883
 
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teóricoA construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
Allan Kardec Lima
 
Comunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas MidiasComunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas Midias
Pricilla Farina Soares
 
Armando levy
Armando levyArmando levy
Armando levy
petulianogueira
 
P
PP
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacionalArtigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Laís Bueno
 
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Social Good Brasil
 

Mais procurados (19)

Redes sociais atividades economicas
Redes sociais   atividades economicasRedes sociais   atividades economicas
Redes sociais atividades economicas
 
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organizaçãoRedes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
Redes - uma introdução às dinamicas da conectividade e da auto-organização
 
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
Quando o virtual transforma-se em real: as Redes Sociais como Ferramentas da ...
 
Apresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizadaApresentacao teias atualizada
Apresentacao teias atualizada
 
Rede social
Rede socialRede social
Rede social
 
Artigo abrapcorp
Artigo abrapcorpArtigo abrapcorp
Artigo abrapcorp
 
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
Seminário paty joana aula 12-25-05-2011
 
Tecnologias sociais de partilha
Tecnologias sociais de partilhaTecnologias sociais de partilha
Tecnologias sociais de partilha
 
Comunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticasComunidades virtuais de práticas
Comunidades virtuais de práticas
 
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para AComunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
Comunidades De Prática E Comunidades Virtuais: Ferramentas Estratégicas Para A
 
Inteligência Coletiva e Inclusão Digital
Inteligência Coletiva e Inclusão DigitalInteligência Coletiva e Inclusão Digital
Inteligência Coletiva e Inclusão Digital
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Rede Interativa
Rede InterativaRede Interativa
Rede Interativa
 
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teóricoA construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
A construção coletiva: Mídias Sociais no âmbito teórico
 
Comunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas MidiasComunicacao E Novas Midias
Comunicacao E Novas Midias
 
Armando levy
Armando levyArmando levy
Armando levy
 
P
PP
P
 
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacionalArtigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
Artigo - Os microblogs como ferramenta de comunicação organizacional
 
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais                     s soci...
Tecnologias e Mídias Sociais para Mudanças Sociais s soci...
 

Destaque

Programme2
Programme2Programme2
áLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAsáLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAs
guest4842268
 
...Evaluación virtual
...Evaluación virtual...Evaluación virtual
...Evaluación virtual
NELLYKATTY
 
Tgas memel
Tgas memelTgas memel
Tgas memel
Kamalia Mel Fies
 
Horários HENFIL
Horários HENFILHorários HENFIL
Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
 Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
SauloGuim
 
Controle Seu Impulso De Compra
Controle Seu Impulso De Compra Controle Seu Impulso De Compra
Controle Seu Impulso De Compra
SPC Brasil
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
alissarca
 
Y O G A S A N A D E M O N S T R A T I O N Dr
Y O G A S A N A  D E M O N S T R A T I O N  DrY O G A S A N A  D E M O N S T R A T I O N  Dr
Y O G A S A N A D E M O N S T R A T I O N Dr
Monika Gavali
 
Blog
BlogBlog
Bandeira (convertido)
Bandeira (convertido)Bandeira (convertido)
Bandeira (convertido)
guestee98e4
 
Los antivirus: carmen rodríguez fernandez
Los antivirus: carmen rodríguez fernandezLos antivirus: carmen rodríguez fernandez
Los antivirus: carmen rodríguez fernandez
guadalinfobusquistar
 
Base Projeto
Base ProjetoBase Projeto
Base Projeto
projeto.colaborativo
 
Preciado con vega barranquilla
Preciado con vega barranquillaPreciado con vega barranquilla
Preciado con vega barranquilla
joseeliecerpreciado
 
Prestação de Contas - Outubro 2010
Prestação de Contas - Outubro 2010Prestação de Contas - Outubro 2010
Prestação de Contas - Outubro 2010
cdmhigienopolis
 
O Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaO Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da Urodinâmica
Urovideo.org
 
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaDisfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Urovideo.org
 
Prevencion 2015 clase_2
Prevencion 2015 clase_2Prevencion 2015 clase_2
Prevencion 2015 clase_2
Laura Disandro
 
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
Urovideo.org
 

Destaque (20)

Programme2
Programme2Programme2
Programme2
 
áLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAsáLbum De FotografíAs
áLbum De FotografíAs
 
...Evaluación virtual
...Evaluación virtual...Evaluación virtual
...Evaluación virtual
 
Fotos
FotosFotos
Fotos
 
Tgas memel
Tgas memelTgas memel
Tgas memel
 
Horários HENFIL
Horários HENFILHorários HENFIL
Horários HENFIL
 
Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
 Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
Lição para Escola Bíblica Dominical: Alegria incondicional
 
Controle Seu Impulso De Compra
Controle Seu Impulso De Compra Controle Seu Impulso De Compra
Controle Seu Impulso De Compra
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
 
Y O G A S A N A D E M O N S T R A T I O N Dr
Y O G A S A N A  D E M O N S T R A T I O N  DrY O G A S A N A  D E M O N S T R A T I O N  Dr
Y O G A S A N A D E M O N S T R A T I O N Dr
 
Blog
BlogBlog
Blog
 
Bandeira (convertido)
Bandeira (convertido)Bandeira (convertido)
Bandeira (convertido)
 
Los antivirus: carmen rodríguez fernandez
Los antivirus: carmen rodríguez fernandezLos antivirus: carmen rodríguez fernandez
Los antivirus: carmen rodríguez fernandez
 
Base Projeto
Base ProjetoBase Projeto
Base Projeto
 
Preciado con vega barranquilla
Preciado con vega barranquillaPreciado con vega barranquilla
Preciado con vega barranquilla
 
Prestação de Contas - Outubro 2010
Prestação de Contas - Outubro 2010Prestação de Contas - Outubro 2010
Prestação de Contas - Outubro 2010
 
O Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da UrodinâmicaO Imprescindível da Urodinâmica
O Imprescindível da Urodinâmica
 
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga NeurogênicaDisfunção miccional Bexiga Neurogênica
Disfunção miccional Bexiga Neurogênica
 
Prevencion 2015 clase_2
Prevencion 2015 clase_2Prevencion 2015 clase_2
Prevencion 2015 clase_2
 
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
II FÓRUM DE CHEFES DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM UROLOGIA DA S.B.U.
 

Semelhante a fazendo juntos

A engrenagem e aforça da colaboração em massa
A engrenagem e aforça da colaboração em massaA engrenagem e aforça da colaboração em massa
A engrenagem e aforça da colaboração em massa
minasinvest
 
Teias na midia social
Teias na midia socialTeias na midia social
Teias na midia social
minasinvest
 
O impacto da coilaboração em massa
O impacto da coilaboração em massaO impacto da coilaboração em massa
O impacto da coilaboração em massa
minasdecide
 
O Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
O Impacto Da CoilaboraçãO Em MassaO Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
O Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
minasdecide
 
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Talita Moretto
 
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves ConsideraçõesProjeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
Vívian Freitas
 
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internetPersonal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
Editora Abril
 
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociaisEvolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
Gabriel Bemfica
 
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing DigitalMonografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
Márjorye Cruz
 
Projeto advogados em rede
Projeto advogados em redeProjeto advogados em rede
Projeto advogados em rede
Projeto Criança em Rede
 
Trabalho Jonathan 23/09/2009
Trabalho Jonathan 23/09/2009Trabalho Jonathan 23/09/2009
Trabalho Jonathan 23/09/2009
Ricardo
 
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docxSociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
ssuser1198af
 
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
Alynne Cid
 
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresasMidias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Felipe Castro
 
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais portuguêsTecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Fernanda Bornhausen Sá
 
3 marketing nas redes sociais
3   marketing nas redes sociais3   marketing nas redes sociais
3 marketing nas redes sociais
cefaprodematupa
 
Brasil participativo
Brasil participativoBrasil participativo
Brasil participativo
minasdecide
 
Brasil participativo
Brasil participativoBrasil participativo
Brasil participativo
minasdecide
 
Economia Peer-to-Peer
Economia Peer-to-PeerEconomia Peer-to-Peer
Economia Peer-to-Peer
Bia Martins
 
Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede
Gabriela Agustini
 

Semelhante a fazendo juntos (20)

A engrenagem e aforça da colaboração em massa
A engrenagem e aforça da colaboração em massaA engrenagem e aforça da colaboração em massa
A engrenagem e aforça da colaboração em massa
 
Teias na midia social
Teias na midia socialTeias na midia social
Teias na midia social
 
O impacto da coilaboração em massa
O impacto da coilaboração em massaO impacto da coilaboração em massa
O impacto da coilaboração em massa
 
O Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
O Impacto Da CoilaboraçãO Em MassaO Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
O Impacto Da CoilaboraçãO Em Massa
 
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
Mídias digitais - Apresentação da Aula 01 (04/08/12)
 
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves ConsideraçõesProjeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
Projeto de Monografia - Marketing Digital e Direito Online: Breves Considerações
 
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internetPersonal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
Personal Brand online: Instrumentos para criar a sua imagem na internet
 
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociaisEvolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
Evolução das TICs e o crescimento das mídias sociais
 
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing DigitalMonografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
Monografia FECAP | Pós-Graduação Marketing Digital
 
Projeto advogados em rede
Projeto advogados em redeProjeto advogados em rede
Projeto advogados em rede
 
Trabalho Jonathan 23/09/2009
Trabalho Jonathan 23/09/2009Trabalho Jonathan 23/09/2009
Trabalho Jonathan 23/09/2009
 
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docxSociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
Sociedade da Informação x Sociedade do Conhecimento.docx
 
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
Gestão de Crises de Imagem na Web - Intercom Norte 2014
 
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresasMidias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
Midias Sociais como canal de comunicação em pequenas empresas
 
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais portuguêsTecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
Tecnologia e Mídias Sociais para Mudanças sociais português
 
3 marketing nas redes sociais
3   marketing nas redes sociais3   marketing nas redes sociais
3 marketing nas redes sociais
 
Brasil participativo
Brasil participativoBrasil participativo
Brasil participativo
 
Brasil participativo
Brasil participativoBrasil participativo
Brasil participativo
 
Economia Peer-to-Peer
Economia Peer-to-PeerEconomia Peer-to-Peer
Economia Peer-to-Peer
 
Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede Economia Criativa e Cultura de Rede
Economia Criativa e Cultura de Rede
 

Mais de vida simples

23 Um Novo Comeco
23   Um Novo Comeco23   Um Novo Comeco
23 Um Novo Comeco
vida simples
 
Veneza Com Pavarotti
Veneza Com PavarottiVeneza Com Pavarotti
Veneza Com Pavarotti
vida simples
 
Aprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
Aprendendo A Olhar Com Alberto CaeiroAprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
Aprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
vida simples
 
Fazendo Uma Faxina Drummond
Fazendo Uma Faxina DrummondFazendo Uma Faxina Drummond
Fazendo Uma Faxina Drummond
vida simples
 
Gregory Colbert
Gregory ColbertGregory Colbert
Gregory Colbert
vida simples
 
Quintana
QuintanaQuintana
Quintana
vida simples
 
Frasesprofundas
FrasesprofundasFrasesprofundas
Frasesprofundas
vida simples
 
Guardar Tenencia Simples
Guardar Tenencia SimplesGuardar Tenencia Simples
Guardar Tenencia Simples
vida simples
 
NãO Sei Cora Coralina
NãO Sei   Cora CoralinaNãO Sei   Cora Coralina
NãO Sei Cora Coralina
vida simples
 
Verdadeiramenteamor
VerdadeiramenteamorVerdadeiramenteamor
Verdadeiramenteamor
vida simples
 
Gostodegente
GostodegenteGostodegente
Gostodegente
vida simples
 
Um Novo Comeco
Um Novo ComecoUm Novo Comeco
Um Novo Comeco
vida simples
 
Gabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
Gabriel Garcia Marquez Pablo PicasoGabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
Gabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
vida simples
 
Metade Osvaldo Montenegro Josecarlos
Metade Osvaldo Montenegro JosecarlosMetade Osvaldo Montenegro Josecarlos
Metade Osvaldo Montenegro Josecarlos
vida simples
 
Poema Fernando Pessoa Com M Sica
Poema   Fernando Pessoa   Com M SicaPoema   Fernando Pessoa   Com M Sica
Poema Fernando Pessoa Com M Sica
vida simples
 
Fragmentos....!!!
Fragmentos....!!!Fragmentos....!!!
Fragmentos....!!!
vida simples
 
Obradearte
ObradearteObradearte
Obradearte
vida simples
 
ReflexõEs..
ReflexõEs..ReflexõEs..
ReflexõEs..
vida simples
 
Tocandoemfrente2 Almir Sater
Tocandoemfrente2 Almir SaterTocandoemfrente2 Almir Sater
Tocandoemfrente2 Almir Sater
vida simples
 
Vibrar O CoraçÃO
Vibrar O CoraçÃOVibrar O CoraçÃO
Vibrar O CoraçÃO
vida simples
 

Mais de vida simples (20)

23 Um Novo Comeco
23   Um Novo Comeco23   Um Novo Comeco
23 Um Novo Comeco
 
Veneza Com Pavarotti
Veneza Com PavarottiVeneza Com Pavarotti
Veneza Com Pavarotti
 
Aprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
Aprendendo A Olhar Com Alberto CaeiroAprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
Aprendendo A Olhar Com Alberto Caeiro
 
Fazendo Uma Faxina Drummond
Fazendo Uma Faxina DrummondFazendo Uma Faxina Drummond
Fazendo Uma Faxina Drummond
 
Gregory Colbert
Gregory ColbertGregory Colbert
Gregory Colbert
 
Quintana
QuintanaQuintana
Quintana
 
Frasesprofundas
FrasesprofundasFrasesprofundas
Frasesprofundas
 
Guardar Tenencia Simples
Guardar Tenencia SimplesGuardar Tenencia Simples
Guardar Tenencia Simples
 
NãO Sei Cora Coralina
NãO Sei   Cora CoralinaNãO Sei   Cora Coralina
NãO Sei Cora Coralina
 
Verdadeiramenteamor
VerdadeiramenteamorVerdadeiramenteamor
Verdadeiramenteamor
 
Gostodegente
GostodegenteGostodegente
Gostodegente
 
Um Novo Comeco
Um Novo ComecoUm Novo Comeco
Um Novo Comeco
 
Gabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
Gabriel Garcia Marquez Pablo PicasoGabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
Gabriel Garcia Marquez Pablo Picaso
 
Metade Osvaldo Montenegro Josecarlos
Metade Osvaldo Montenegro JosecarlosMetade Osvaldo Montenegro Josecarlos
Metade Osvaldo Montenegro Josecarlos
 
Poema Fernando Pessoa Com M Sica
Poema   Fernando Pessoa   Com M SicaPoema   Fernando Pessoa   Com M Sica
Poema Fernando Pessoa Com M Sica
 
Fragmentos....!!!
Fragmentos....!!!Fragmentos....!!!
Fragmentos....!!!
 
Obradearte
ObradearteObradearte
Obradearte
 
ReflexõEs..
ReflexõEs..ReflexõEs..
ReflexõEs..
 
Tocandoemfrente2 Almir Sater
Tocandoemfrente2 Almir SaterTocandoemfrente2 Almir Sater
Tocandoemfrente2 Almir Sater
 
Vibrar O CoraçÃO
Vibrar O CoraçÃOVibrar O CoraçÃO
Vibrar O CoraçÃO
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 

fazendo juntos

  • 1. A FORÇA DA COLABORAÇÃO EM MASSA www.vidasimples.ning.com
  • 2. As tecnologias digitais estão orientando invenções em novos processos empresariais, estruturas organizacionais e estratégias de negócios. Esses aspectos intangíveis são menos visíveis do que os avanços industriais, mas terão e já estão tendo impacto econômico muito maior. A era industrial esgotou seu modelo para dar lugar a uma era em que uma massa hiperconectada de indivíduos auto-organizados segura suas necessidades econômicas em uma mão e seus destinos econômicos em outra. “ Nada no universo resiste ao impulso convergente de um número significativamente grande de inteligências ordenadas e agrupadas.” Teillard Chardin A força da convergência
  • 3. “ Enquanto o comunismo sufocou o individualismo, a colaboração em massa se baseia em indivíduos e empresas utilizando a computação e tecnologias de comunicação amplamente distribuídas para alcançar resultados compartilhados, através de associações voluntárias livres. A revolução de participação que está acontecendo agora abre novas possibilidades para que bilhões de pessoas desempenhem papéis ativos em seus locais de trabalho, comunidades, democracias nacionais e na economia global. Os benefícios sociais são profundos e incluem a oportunidade de atribuir maior responsabilidade aos governos e tirar milhões de pessoas da pobreza.” Don Tapscot - Wikinomics Colaboração para inclusão
  • 4. A criação de valor está sendo cada vez mais rápida e fluída... Uma nova e dura regra empresarial está surgindo: use a nova colaboração ou morra. Firmas que cultivam relacionamento agéis baseados na confiança com seus colaboradores externos estão bem posicionadas para formas dinâmicos ecossistemas empresariais, que criam valor de forma mais eficaz do que empresas hierarquicamente organizadas. ... O conhecimento, a competência e os recursos coletivos reunidos em amplas redes horizontais de participantes podem ser mobilizados para realizar muito mais do que uma única empresa agindo sozinha seria capaz. E, nos próximos anos, esse novo modo de peering/colaboração substituirá as hierarquias empresariais tradicionais como o mecanismo essencial para criação de riqueza na economia. Don Tapscot - Wikinomics Colaboração para inclusão
  • 5. A Internet deixa de ser a Rede Mundial de Computadores e se torna a Rede Mundial de Pessoas. “ Mudanças profundas na natureza da tecnologia, da demografia e da economia global estão fazendo emergir novos e poderosos modelos de produção baseados em comunidade, colaboração e auto-organização, e não em hierarquia e controle. Com um número cada vez maior de empresas percebendo os benefícios da colaboração em massa, esse novo modo de organização acabará por substituir as estruturas empresariais tradicionais como o motor primário de criação de riqueza na economia.” Don Tapscot - Wikinomics UM NOVO MODELO
  • 6. FERRAMENTA: Mídia social Essas redes de pessoas vem, a cada dia, se tornando mais poderosa, independente e articuladora de novas formas de organização do conhecimento, trabalho, economia, comunicação, política, consumo. Esta rede está construindo uma nova sociedade.
  • 7. FERRAMENTA: Mídia social Mídia Social descreve as tecnologias e práticas online que as pessoas usam para compartilhar opiniões, experiências, perspectivas e a própria mídia. A mídia social pode assumir diferentes formas, tais como textos, imagens, video. Esses espacos na Internet geralmente usam tecnologias como blogs, painéis de mensagens, podcasts, wikis que permitem que os usuários interajam
  • 8. Segundo Fritjot Capra, ‘’redes sociais são redes de comunicação que envolvem a linguagem simbólica, os limites culturais e as relações de poder’’. São também consideradas como uma medida de política social que reconhece e incentiva a atuação das redes de solidariedade local no combate à pobreza e à exclusão social e na promoção do desenvolvimento local. As redes sociais são capazes de expressar idéias políticas e econômicas inovadoras com o surgimento de novos valores, pensamentos e atitudes. Esse segmento que proporciona a ampla informação a ser compartilhada por todos, sem canais reservados e fornecendo a formação de uma cultura de participação, é possível, graças ao desenvolvimento das tecnologias de comunicação e da informática, à globalização , à evolução da cidadania , à evolução do conhecimento científico sobre a vida etc. as redes unem os indivíduos organizando-os de forma igualitária e democrática e em relação aos objetivos que eles possuem em comum. Que são redes sociais?
  • 9. WEB 2.0: O termo WEB 2.0, utilizado para descrever a segunda geração da World Wide Web , é muito mais do que um termo de marketing. É o conceito de troca de informações e colaboração dos internautas com sites e serviços virtuais, graças à consolidação da nuvem computacional, que promove o processamento na rede e não no computador do usuário. Este novo contexto tecnológico permite e fomenta a oferta e distribuição de informação, conhecimento e serviços on-line interligados,viralmente. FERRAMENTA: Mídia social
  • 10. Entre outros... AMBIENTES E FERRAMENTAS WIDGTES CONTAINNERS COMPARTILHAMENTO DE VÍDEOS, DOCS E MP3 IM e VOIP MAPAS BLOGS SITES E PORTAIS MECANISMOS DE BUSCA MICRO BLOGGING BOOKMARKS SOCIAIS REDES SOCIAIS EXEMPLOS AMBIENTES
  • 11. Relacionamento Pessoal Relacionamento Profissional Relacionamento Educacional ORKUT MYSPACE GAZZAG LINKEDIN VIA 6 ECONOZCO COLEGAS BEBO EX-ALUNOS Para que serve a rede?
  • 12. DIVULGUE seu conhecimento,seus projetos,suas áreas de interesse e suas competências. COMPARTILHE seus conhecimentos através da publicação de textos, vídeos, fotos, áudios e notícias COMUNIQUE-SE trocando mensagens de texto, áudio e vídeo com seus páreos MULTIPLIQUE-SE copiando e colando o widget de suas referências no seu site, portal ou blog INOVE e use sua criatividade para Gerar seus próprios conteúdos e página Web 2.0 RELACIONE-S E com outras comunidades para trocar conhecimentos, aumentar seu network, trocar ou vender idéias AGRUPE-SE em redes de comunidades para ter maior força setorial CONVIDE seus contatos, clientes potenciais, páreos para participar de suas comunidades FOMENTE A interação através de fóruns de discussão MOBILIZE os atores de seu setor em ações estratégicas Entre na Rede e:
  • 13. COMUNIDADES / GRUPOS Os atores elegem ou criam comunidades temáticas, indicam os mediadores destas comunidades e exercem um papel fundamental na expansão do processo convidando outros da cadeia de valor para participar da rede. Caso tenham dificuldades, eles podem transitar na rede para identificar alguém que tenha conhecimento na área e pedir que ele participe da discussão. Ao se cadastrarem na rede, os atores definem seus perfis declarando seus interesses, participam de fóruns de discussão e compartilham conteúdos. Neste processo, vão definindo seus interesses e o Administrador geral gerencia a rede como um todo na consecução de seus objetivos.
  • 14. NÍVEIS DE INTERAÇÃO A estrutura da rede, seu conteúdo, registro de membros, formação de grupos e fóruns forma o primeiro nível de articulação da rede. A interação dos atores através de seus perfis pessoais, fóruns e comunidades, fomentados pela ação de mediadores ou “animadores” etc é o que forma o segundo nível de articulação da rede A interação com outras fontes de conhecimento e informação (redes, sites, portais, blogs etc) forma o terceiro nível de articulação da rede
  • 15. Uma estrutura em rede (...) corresponde também ao que seu próprio nome indica: seus integrantes se ligam horizontalmente a todos os demais, diretamente ou através dos que os cercam. O conjunto resultante é como uma malha de múltiplos fios, que pode se espalhar indefinidamente para todos os lados, sem que nenhum dos seus nós possa ser considerado principal ou central, nem representante dos demais. Não há um “chefe”, o que há é uma vontade coletiva de realizar determinado objetivo. (Withaker, 1998 ) META SÍNTESE: COMUNICAR, INTEGRAR, COLABORAR EM REDE O QUE ESPERAMOS DA REDE : gerar conhecimento coletivo a partir de conexões multi-direcionais construídas pelo próprio ator. É ele que deve estar no centro da ação. Tem um papel de protagonista, constrói seus próprios conteúdos, define e se conecta a grupos e outros atores sinérgicos e faz a informação e o conhecimento andar em múltiplas direções e gerar os resultados esperados .