SlideShare uma empresa Scribd logo
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
Soluções Organizacionais de Planejamento
Para o Negócio e Gestão de Pessoas.
W H I T E P A P E R : Q U A N D O H Á
E Q U I L I B R I O E N T R E P L A N E J A M E N T O
E S T O Q U E , V E N D A S E L I Q U I D E Z .
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
1. GESTÃO DE ESTOQUES E FATORES DE EQUILIBRIO.
A sustentabilidade. Tão pronunciada e de uso
tão subestimado, ela deveria ser a palavra de
ordem - por ser a base de qualquer modelo de
gestão world class; porém, ainda é pouco praticada.
É a realidade que, independente do
seguimento de negócios ou porte da empresa, o
comprometimento com foco aos resultados de
curto prazo se sobrepõem à realização de planos e
ações para o longo prazo. Vamos deixar isso mais
claro com um simples exemplo:
“O processo comercial deve ser administrado
com a mesma estratégia do pescador consciente.
Ou seja, ele pesca somente no período fora da
época de reprodução, caso contrário, ele eliminará
a geração futura de peixes ainda em
desenvolvimento”. Isto é real senso de harmonia.
Neste sentido, a excelência no processo
comercial é aquela em que o planejamento e
decisão andam juntos e geram a garantia de
obtermos o produto certo, no mercado correto,
com preços adequados, em razão de estratégias de
comunicação com o mercado consumidor e cadeia
de fornecimento. Isto é sustentabilidade, pois, cria-
se mecanismos estruturados, viabilizadores do
amanhã empresarial.
Pergunto: Considerando a não flutuação da
demanda média, é possível afirmar que o capital
investido para atender o mercado será
eficientemente remunerado? Depende! Pois, na
relação entre Investimento x retorno, a receita que
a organização obterá com vendas irá gerar valor
somente:
 Quando o dinheiro recebido não sofreu perda
significativa ao longo do tempo. O que
promove a cobertura dos custos e gera boa
liquidez.
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
Assim, é importante considerar o índice de
inflação e seu efeito na economia. Não existe
cenário onde o dinheiro parado gere renda (capital
não investido), não perdendo o valor ao longo do
tempo. Veja o fechamento do exercício 2015,
quando o valor investido na poupança sofreu
rentabilidade a menor que a inflação – ou seja, o
mesmo R$ 1,00 (um real) no passado investido,
após um ano, mesmo obtendo valor, não manteve
seu poder de compra.
E, por que é necessário considerar estes
pontos na administração dos estoques e processos
de vendas? Porque o estoque parado é igual a
dinheiro parado, ele não sofre capitalização, e é
desvalorizado! Porém, é possível pensar que: “se
ainda é possível vender, então, a receita ainda
oferece valor, correto? Não. É preciso,
primariamente, separar os conceitos de “receita” e
“remuneração do investimento” (que é a
valorização do dinheiro no tempo). Deve também
ser considerado que:
a) Os valores (R$) usados para investir em
insumos/ produtos acabados são custos
praticados de um exercício, devendo estes
serem contabilizados e fazer parte do
processo orçamentário e precificação do
mesmo.
b) E, mesmo vendendo a um preço maior – no
intuito de recuperar as perdas, será possível
recuperar todas as perdas de valor (em todo
todos os portfólios de produtos) no tempo e
obter o mesmo percentual de lucratividade
almejada?
A questão a ser observada é que uma vez
comprados os insumos para manufatura ou
produtos acabados para revenda, eles devem ser o
mais rapidamente escoados para o mercado. Não
somente em razão de obtenção de receita, mas,
para que o planejamento financeiro no que diz
respeito ao seu mark-up seja materializado ao
ponto de que, este mesmo capital, ainda ofereça
poder para liquidez de caixa, reinvestimento e gere
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
remuneração, de forma rentável, aos investidores
do negócio.
Porém, é importante salientar que vender o
mais rapidamente “não significa” vender
desordenadamente, com o intuito apenas de gerar
pedidos. Pois isso gera ruídos na relação Sell-in x
Sell-out, ocasionando falta de sustentabilidade na
cadeia e, por sua vez, de demanda (Tema para outro
White Paper).
Neste contexto, o fato é que seu estoque
precisa ser girado (O giro é dado pela quantidade de
entradas e saídas de um item em estoque.) Não
subestime esta medida, pois ela diz respeito a
controle – seja seu negócio de pequeno ou grande
porte, esteja certo de que é altamente relevante
você ter controle do seu estoque, à formação de
seus níveis e fomento planejado de seu giro.
Talvez você esteja se perguntando sobre a
quantidade de vezes ideal para um estoque girar, e
a resposta é simples: Pela quantidade de vezes que
você planejou para que que ele ocorresse. Pois:
 Com o estoque girando menos que o planejado,
significará falta de receita, estoque acima do
planejado e que seu processo de previsão de
vendas não é assertivo;
 Com o estoque girando a mais que o planejado,
significará uma possível entrada de receita
(dependente do acordo de entrega), pois, ainda
que considerando as margens de estoque de
segurança, haverá riscos de incapacidade de
atendimento ao cliente.
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
Volume de vendas realizadas
Estoque final planejado
Estoque acima do planejado (resultado de vendas que não se positivaram)
Estoque negativo (Resultado de vendas realizadas acima do planejado)
OTIF On Time In Full
Contabilmente, o estoque faz parte do Ativo e é um item de realização a curto prazo. Este tempo, para
efeito de lei, é de 01 (um) ano, quando se dá o fechamento do exercício contábil de um empreendimento.
Cenário A. Estouro de estoque.
OTIF impactado
Previsibilidade baixa
Cenário B. Estoque nivelado
OTIF otimizado.
Previsibilidade assertiva
OTIF impactado
Cenário B. Estoque desnivelado
Liquidez impactada.
Previsibilidade baixa
OTIF impactado
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
Desta forma, fica evidente que há expectativa
que estoques sejam girados, que o capital não seja
imobilizado em um bem que não sofra incremento
de valor e ao mesmo tempo obtenha aumento de
demanda no tempo.
O controle eficiente do estoque é essencial
para a manutenção da competitividade e honraria
de compromissos com os clientes e fornecedores.
Há dois modelos produtivos para atendimento ao
mercado:
1. O orientado a ⁽*⁾pedidos. O item é produzido/
comprado face a entrada de um pedido (Just in
time). Neste caso, não há estoques do produto
(ou ele é bastante reduzido), o tempo de
atendimento ao cliente (lead time) poderá ser
alto, porém, o empreendedor tem menor
necessidade de capital imobilizado;
2. O orientado a ⁽*⁾estoques. O item é produzido/
comprado previamente à entrada de pedidos.
Dar-se por um processo de previsão, se
desdobrando em formação de estoques e uma
necessidade de maior capital imobilizado. As
políticas de estoque devem ser corretamente
definidas com seus valores: mínimos, máximo e
de segurança. E, havendo eficiência na previsão
de vendas, o estoque terá giro de forma
ordenada, o tempo de atendimento ao cliente
deverá ser mais baixo, a utilização de máquinas e
capacidade produtiva (ou de compras) será
otimizada.
⁽*⁾A adoção de cada modelo deve ser
observada de acordo com o tipo de produto e
mercado. É possível também a aplicação integrada
dos dois modelos.
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
2. CALCULANDO O GIRO DE ESTOQUES
O giro é a quantidade vendida, em determinado período, do estoque mantido pela empresa. Sendo sua
formula: GIRO = Quantidade vendida ÷ Quantidade do estoque médio
Vejamos alguns exemplos:
a. O estoque médio de um Notebook é de 100 unidades, e a empresa vende 10 unidades ao ano. Neste
caso temos: 10 ÷ 100 = 0,1 giro ao ano.
Produtos com giro abaixo de ZERO significa:
- Estoques acima do planejado (sobra do ano anterior, neste exemplo);
- Possível uso inadequado de espaço logístico;
- Sobra nas prateleiras e, no caso de perecíveis, perda de produto e receita;
- Aumento nos custos
- Outros.
b. O estoque médio de um Notebook é de 100 unidades, e a empresa vende 511 unidades ao ano. Neste
caso temos: 511 ÷ 100 = 5,11 giros ao ano.
- Significa que, após a primeira compra, para poder suprir o mercado, o estoque foi reabastecido mais
aprox. 04 vezes, em média.
Produtos com alto giro significa:
- Uso de espaço logístico otimizado;
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
- Não há sobras nas prateleiras. No caso de perecíveis, não há perdas;
- Custos dentro do planejamento;
- Outros.
3. PLANEJAMENTO DE DEMANDA E O GIRO
É importante frisar que o GIRO do estoque,
seja alto ou baixo, somente poderá significar
asserto de previsão se o volume deste GIRO for
aquele pelo qual planejamos outrora. Portanto, é
importante esclarecer que, ter um produto com
alto giro, pode ser bom no sentido de “ vislumbre
de receita”, mas, não significa que o processo de
vendas esteja devidamente estruturado. É
necessário garantir dois importantes pontos:
1. Que a Força de Vendas, venda conforme o
planejado por SKU, por família, por canal, etc.. E
que, nos desvios, a necessidade seja suprida em
acordo prévio com o time de S&OP
(Planejamento de vendas e operações), evitando
descompassos com outros pedidos, capacidade
de estoque e/ de produção;
2. Que as promessas de entrega estejam
devidamente alinhadas ao lead time e à
capacidade produtiva e/ou de estoque,
conforme o planejamento mensal. Ao caso de
desvios, estes também devem ser alinhados com
o time de S&OP e acordos feitos de forma
respeitosa com os clientes.
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
4. SOLUÇÃO
Organizações que planejam são eficientes, pois
possuem processos robustos de planejamento. São
estruturadas com bases de Inteligência de negócios
(BI) e de previsão de vendas – do curto ao longo
prazo. Neste grau de maturidade, é possível realizar
a previsão orçamentária de forma a obter os
retornos almejados, otimizar o uso dos recursos
físicos, humanos e financeiros.
Estoques adequados, capacidade produtiva
orientada às demandas, decisão assertivamente
tomada por um colegiado que atua de forma
integrada e focada a objetivos para atendimento ao
negócio, atendimento aos pedidos com promessas
de entregas factíveis e atendidas, custos
controlados e obtenção de lucro de forma
consolidada, força de vendas atuantes de forma
eficiente e colaborativa, time de operações e
BackOffice atuantes de forma engajadas, times
realmente integrados – São estas, dentre outras, as
conquistas que se obtém com o estabelecimento de
processos de S&OP (Planejamento de vendas e
Operações.
Conheça o método PERFORMA® SV.
w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r
SOP BRASIL
Conte com a nossa parceria em suas mudanças!
A SOP Brasil – Soluções Organizacionais de Planejamento possui meios seguros para
fortalecer e desenvolver sua organização.
Conheça mais detalhes sobre nossos serviços, cases e propulsores de resultados.
contato@sopbrasil.com.br
www.sopbrasil.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de custos para Empreendedores.
Gestão de custos para Empreendedores.Gestão de custos para Empreendedores.
Gestão de custos para Empreendedores.
JODI TECNOLOGIAS INDUSTRIAIS
 
Gestão da demanda
Gestão da demandaGestão da demanda
Gestão da demanda
Victor Costa
 
Aticidade1
Aticidade1Aticidade1
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
France Michel Ferreira
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresa
Eduardo Vilas Boas
 
Ebook a magia_das_metricas_no_marketing
Ebook a magia_das_metricas_no_marketingEbook a magia_das_metricas_no_marketing
Ebook a magia_das_metricas_no_marketing
Marco Boeng
 
Avaliação de Empresas
Avaliação de EmpresasAvaliação de Empresas
Avaliação de Empresas
Milton Henrique do Couto Neto
 
Aula 6 adm estr 2014va
Aula 6   adm estr 2014vaAula 6   adm estr 2014va
Aula 6 adm estr 2014va
katiagomide
 
Apostila de Gestão e Controle de Custos
Apostila de Gestão e Controle de CustosApostila de Gestão e Controle de Custos
Apostila de Gestão e Controle de Custos
Cássio Morelli
 
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
France Michel Ferreira
 
Apostila 04 orçamento de produção
Apostila 04   orçamento de produçãoApostila 04   orçamento de produção
Apostila 04 orçamento de produção
katiagomide
 
PlanejamentoestratéGico
PlanejamentoestratéGicoPlanejamentoestratéGico
PlanejamentoestratéGico
cesar
 
Palestra Pricing - Formação do Preço de Venda
Palestra Pricing - Formação do Preço de VendaPalestra Pricing - Formação do Preço de Venda
Palestra Pricing - Formação do Preço de Venda
ADVB
 
Quem não mede não melhora
Quem não mede não melhoraQuem não mede não melhora
Quem não mede não melhora
Ivan Tojal
 
Matriz bcg
Matriz bcgMatriz bcg
Matriz bcg
bacardifaat
 
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-CommerceE-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
Samuel Gonsales
 
Planejamento financeiro e precificação
Planejamento financeiro e precificaçãoPlanejamento financeiro e precificação
Planejamento financeiro e precificação
ADM Soluções
 
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
France Michel Ferreira
 
Informativo ti agosto 2014
Informativo ti  agosto 2014Informativo ti  agosto 2014
Informativo ti agosto 2014
Mercado Consultoria
 

Mais procurados (19)

Gestão de custos para Empreendedores.
Gestão de custos para Empreendedores.Gestão de custos para Empreendedores.
Gestão de custos para Empreendedores.
 
Gestão da demanda
Gestão da demandaGestão da demanda
Gestão da demanda
 
Aticidade1
Aticidade1Aticidade1
Aticidade1
 
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Primeiro Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
 
Como calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresaComo calcular o valor da empresa
Como calcular o valor da empresa
 
Ebook a magia_das_metricas_no_marketing
Ebook a magia_das_metricas_no_marketingEbook a magia_das_metricas_no_marketing
Ebook a magia_das_metricas_no_marketing
 
Avaliação de Empresas
Avaliação de EmpresasAvaliação de Empresas
Avaliação de Empresas
 
Aula 6 adm estr 2014va
Aula 6   adm estr 2014vaAula 6   adm estr 2014va
Aula 6 adm estr 2014va
 
Apostila de Gestão e Controle de Custos
Apostila de Gestão e Controle de CustosApostila de Gestão e Controle de Custos
Apostila de Gestão e Controle de Custos
 
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
Relatório do Segundo Quadrimestre – Jogo de Negócios – T2
 
Apostila 04 orçamento de produção
Apostila 04   orçamento de produçãoApostila 04   orçamento de produção
Apostila 04 orçamento de produção
 
PlanejamentoestratéGico
PlanejamentoestratéGicoPlanejamentoestratéGico
PlanejamentoestratéGico
 
Palestra Pricing - Formação do Preço de Venda
Palestra Pricing - Formação do Preço de VendaPalestra Pricing - Formação do Preço de Venda
Palestra Pricing - Formação do Preço de Venda
 
Quem não mede não melhora
Quem não mede não melhoraQuem não mede não melhora
Quem não mede não melhora
 
Matriz bcg
Matriz bcgMatriz bcg
Matriz bcg
 
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-CommerceE-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
E-BOOK: Gestão de custos e formação de preços de venda no e-Commerce
 
Planejamento financeiro e precificação
Planejamento financeiro e precificaçãoPlanejamento financeiro e precificação
Planejamento financeiro e precificação
 
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
Alavancagem Estratégica da Empresa EIT Microcomputadores S.A. em Concorrência...
 
Informativo ti agosto 2014
Informativo ti  agosto 2014Informativo ti  agosto 2014
Informativo ti agosto 2014
 

Destaque

Estoque
Estoque Estoque
Estoque
Laercio27
 
Descontos concedidos e obtidos
Descontos concedidos e obtidosDescontos concedidos e obtidos
Descontos concedidos e obtidos
zeramento contabil
 
Exercicio aula razonetes
Exercicio aula razonetesExercicio aula razonetes
Exercicio aula razonetes
simuladocontabil
 
Adm. Controle de Estoque
Adm. Controle de EstoqueAdm. Controle de Estoque
Adm. Controle de Estoque
guestcfd79b
 
Gestão de estoque farmácias
Gestão de estoque farmáciasGestão de estoque farmácias
Gestão de estoque farmácias
DESENVOLVA CONSULTORIA
 
Balancetes e razonetes gabarito
Balancetes e razonetes gabaritoBalancetes e razonetes gabarito
Balancetes e razonetes gabarito
zeramento contabil
 
DRE
DREDRE
Estrutura dre
Estrutura dreEstrutura dre
Estrutura dre
simuladocontabil
 
gestão de estoques
gestão de estoquesgestão de estoques
gestão de estoques
Walter Moraes
 
Lançamentos em razonetes resolvidos 00
Lançamentos em razonetes resolvidos 00Lançamentos em razonetes resolvidos 00
Lançamentos em razonetes resolvidos 00
capitulocontabil
 
Balancetes e razonetes
Balancetes e razonetesBalancetes e razonetes
Balancetes e razonetes
zeramento contabil
 
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
Vera Gomes
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
Charles Rebouças
 
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Adélia Aparecida Da Silva Cossoniche
 

Destaque (14)

Estoque
Estoque Estoque
Estoque
 
Descontos concedidos e obtidos
Descontos concedidos e obtidosDescontos concedidos e obtidos
Descontos concedidos e obtidos
 
Exercicio aula razonetes
Exercicio aula razonetesExercicio aula razonetes
Exercicio aula razonetes
 
Adm. Controle de Estoque
Adm. Controle de EstoqueAdm. Controle de Estoque
Adm. Controle de Estoque
 
Gestão de estoque farmácias
Gestão de estoque farmáciasGestão de estoque farmácias
Gestão de estoque farmácias
 
Balancetes e razonetes gabarito
Balancetes e razonetes gabaritoBalancetes e razonetes gabarito
Balancetes e razonetes gabarito
 
DRE
DREDRE
DRE
 
Estrutura dre
Estrutura dreEstrutura dre
Estrutura dre
 
gestão de estoques
gestão de estoquesgestão de estoques
gestão de estoques
 
Lançamentos em razonetes resolvidos 00
Lançamentos em razonetes resolvidos 00Lançamentos em razonetes resolvidos 00
Lançamentos em razonetes resolvidos 00
 
Balancetes e razonetes
Balancetes e razonetesBalancetes e razonetes
Balancetes e razonetes
 
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
61321330 adm-estoque-e-almoxarifado
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de EstoqueApresentação Armazenagem e Controle de Estoque
Apresentação Armazenagem e Controle de Estoque
 

Semelhante a Quando há equilíbrio entre planejamento estoque, vendas e liquidez

Logistica eficiente
Logistica eficienteLogistica eficiente
Logistica eficiente
Ligia Mattge
 
Custo de Aquisição Cliente.docx
Custo de Aquisição Cliente.docxCusto de Aquisição Cliente.docx
Custo de Aquisição Cliente.docx
Enéas Kroll
 
A Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-CommerceA Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-Commerce
MILLENNIUM NETWORK®
 
12
1212
12
Fasup
 
12 4 Capí
12 4 Capí12 4 Capí
12 4 Capí
Fasup
 
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
J. Barbato
 
Consultoria sebrae relatórios 4ª rodada (1)
Consultoria sebrae   relatórios 4ª rodada (1)Consultoria sebrae   relatórios 4ª rodada (1)
Consultoria sebrae relatórios 4ª rodada (1)
Fernanda Nascimento
 
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printingBrazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
Brice Barberon
 
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
Samuel Gonsales
 
A LÓGICA DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
A LÓGICA  DA GESTÃO EMPRESARIAL.pptA LÓGICA  DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
A LÓGICA DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
AsclarSenior
 
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
Reinaldo Miguel Messias
 
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Felipe Pontes
 
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
MILLENNIUM NETWORK®
 
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
JET e-Commerce
 
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
Gerson Ramos
 
Apuracão de Custos e Inventários
Apuracão de Custos e InventáriosApuracão de Custos e Inventários
Apuracão de Custos e Inventários
Jairo Dias Santos, MBA
 
Custo das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidasCusto das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidas
simuladocontabil
 
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamentoCapital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
Ueliton Carvalho
 
2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa
Antonio Cesar Celente .`.
 
2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa
Antonio Cesar Celente .`.
 

Semelhante a Quando há equilíbrio entre planejamento estoque, vendas e liquidez (20)

Logistica eficiente
Logistica eficienteLogistica eficiente
Logistica eficiente
 
Custo de Aquisição Cliente.docx
Custo de Aquisição Cliente.docxCusto de Aquisição Cliente.docx
Custo de Aquisição Cliente.docx
 
A Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-CommerceA Torre de Controle do e-Commerce
A Torre de Controle do e-Commerce
 
12
1212
12
 
12 4 Capí
12 4 Capí12 4 Capí
12 4 Capí
 
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
Técnicas em Compras e Solicitação de Compras. Ajudando pessoas a entender est...
 
Consultoria sebrae relatórios 4ª rodada (1)
Consultoria sebrae   relatórios 4ª rodada (1)Consultoria sebrae   relatórios 4ª rodada (1)
Consultoria sebrae relatórios 4ª rodada (1)
 
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printingBrazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
Brazil paper_A busca pela eficiência em tempos de crise_not for printing
 
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
1 digitalize-me rj-23.09.2015_v.final
 
A LÓGICA DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
A LÓGICA  DA GESTÃO EMPRESARIAL.pptA LÓGICA  DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
A LÓGICA DA GESTÃO EMPRESARIAL.ppt
 
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
Discutindo aspectos sobre "LUCRO"
 
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro formaModelagem financeira e demonstrações pro forma
Modelagem financeira e demonstrações pro forma
 
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
 
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
5 lições-chave para aumentar a rentabilidade de seu e-commerce
 
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
Canais dedistribuiçãoagosto2011dia2
 
Apuracão de Custos e Inventários
Apuracão de Custos e InventáriosApuracão de Custos e Inventários
Apuracão de Custos e Inventários
 
Custo das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidasCusto das mercadoria vendidas
Custo das mercadoria vendidas
 
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamentoCapital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
Capital de giro: decisão de investimento e estratégia de financiamento
 
2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa
 
2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa2. projetar o fluxo de caixa
2. projetar o fluxo de caixa
 

Quando há equilíbrio entre planejamento estoque, vendas e liquidez

  • 1. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL Soluções Organizacionais de Planejamento Para o Negócio e Gestão de Pessoas. W H I T E P A P E R : Q U A N D O H Á E Q U I L I B R I O E N T R E P L A N E J A M E N T O E S T O Q U E , V E N D A S E L I Q U I D E Z .
  • 2. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL 1. GESTÃO DE ESTOQUES E FATORES DE EQUILIBRIO. A sustentabilidade. Tão pronunciada e de uso tão subestimado, ela deveria ser a palavra de ordem - por ser a base de qualquer modelo de gestão world class; porém, ainda é pouco praticada. É a realidade que, independente do seguimento de negócios ou porte da empresa, o comprometimento com foco aos resultados de curto prazo se sobrepõem à realização de planos e ações para o longo prazo. Vamos deixar isso mais claro com um simples exemplo: “O processo comercial deve ser administrado com a mesma estratégia do pescador consciente. Ou seja, ele pesca somente no período fora da época de reprodução, caso contrário, ele eliminará a geração futura de peixes ainda em desenvolvimento”. Isto é real senso de harmonia. Neste sentido, a excelência no processo comercial é aquela em que o planejamento e decisão andam juntos e geram a garantia de obtermos o produto certo, no mercado correto, com preços adequados, em razão de estratégias de comunicação com o mercado consumidor e cadeia de fornecimento. Isto é sustentabilidade, pois, cria- se mecanismos estruturados, viabilizadores do amanhã empresarial. Pergunto: Considerando a não flutuação da demanda média, é possível afirmar que o capital investido para atender o mercado será eficientemente remunerado? Depende! Pois, na relação entre Investimento x retorno, a receita que a organização obterá com vendas irá gerar valor somente:  Quando o dinheiro recebido não sofreu perda significativa ao longo do tempo. O que promove a cobertura dos custos e gera boa liquidez.
  • 3. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL Assim, é importante considerar o índice de inflação e seu efeito na economia. Não existe cenário onde o dinheiro parado gere renda (capital não investido), não perdendo o valor ao longo do tempo. Veja o fechamento do exercício 2015, quando o valor investido na poupança sofreu rentabilidade a menor que a inflação – ou seja, o mesmo R$ 1,00 (um real) no passado investido, após um ano, mesmo obtendo valor, não manteve seu poder de compra. E, por que é necessário considerar estes pontos na administração dos estoques e processos de vendas? Porque o estoque parado é igual a dinheiro parado, ele não sofre capitalização, e é desvalorizado! Porém, é possível pensar que: “se ainda é possível vender, então, a receita ainda oferece valor, correto? Não. É preciso, primariamente, separar os conceitos de “receita” e “remuneração do investimento” (que é a valorização do dinheiro no tempo). Deve também ser considerado que: a) Os valores (R$) usados para investir em insumos/ produtos acabados são custos praticados de um exercício, devendo estes serem contabilizados e fazer parte do processo orçamentário e precificação do mesmo. b) E, mesmo vendendo a um preço maior – no intuito de recuperar as perdas, será possível recuperar todas as perdas de valor (em todo todos os portfólios de produtos) no tempo e obter o mesmo percentual de lucratividade almejada? A questão a ser observada é que uma vez comprados os insumos para manufatura ou produtos acabados para revenda, eles devem ser o mais rapidamente escoados para o mercado. Não somente em razão de obtenção de receita, mas, para que o planejamento financeiro no que diz respeito ao seu mark-up seja materializado ao ponto de que, este mesmo capital, ainda ofereça poder para liquidez de caixa, reinvestimento e gere
  • 4. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL remuneração, de forma rentável, aos investidores do negócio. Porém, é importante salientar que vender o mais rapidamente “não significa” vender desordenadamente, com o intuito apenas de gerar pedidos. Pois isso gera ruídos na relação Sell-in x Sell-out, ocasionando falta de sustentabilidade na cadeia e, por sua vez, de demanda (Tema para outro White Paper). Neste contexto, o fato é que seu estoque precisa ser girado (O giro é dado pela quantidade de entradas e saídas de um item em estoque.) Não subestime esta medida, pois ela diz respeito a controle – seja seu negócio de pequeno ou grande porte, esteja certo de que é altamente relevante você ter controle do seu estoque, à formação de seus níveis e fomento planejado de seu giro. Talvez você esteja se perguntando sobre a quantidade de vezes ideal para um estoque girar, e a resposta é simples: Pela quantidade de vezes que você planejou para que que ele ocorresse. Pois:  Com o estoque girando menos que o planejado, significará falta de receita, estoque acima do planejado e que seu processo de previsão de vendas não é assertivo;  Com o estoque girando a mais que o planejado, significará uma possível entrada de receita (dependente do acordo de entrega), pois, ainda que considerando as margens de estoque de segurança, haverá riscos de incapacidade de atendimento ao cliente.
  • 5. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL Volume de vendas realizadas Estoque final planejado Estoque acima do planejado (resultado de vendas que não se positivaram) Estoque negativo (Resultado de vendas realizadas acima do planejado) OTIF On Time In Full Contabilmente, o estoque faz parte do Ativo e é um item de realização a curto prazo. Este tempo, para efeito de lei, é de 01 (um) ano, quando se dá o fechamento do exercício contábil de um empreendimento. Cenário A. Estouro de estoque. OTIF impactado Previsibilidade baixa Cenário B. Estoque nivelado OTIF otimizado. Previsibilidade assertiva OTIF impactado Cenário B. Estoque desnivelado Liquidez impactada. Previsibilidade baixa OTIF impactado
  • 6. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL Desta forma, fica evidente que há expectativa que estoques sejam girados, que o capital não seja imobilizado em um bem que não sofra incremento de valor e ao mesmo tempo obtenha aumento de demanda no tempo. O controle eficiente do estoque é essencial para a manutenção da competitividade e honraria de compromissos com os clientes e fornecedores. Há dois modelos produtivos para atendimento ao mercado: 1. O orientado a ⁽*⁾pedidos. O item é produzido/ comprado face a entrada de um pedido (Just in time). Neste caso, não há estoques do produto (ou ele é bastante reduzido), o tempo de atendimento ao cliente (lead time) poderá ser alto, porém, o empreendedor tem menor necessidade de capital imobilizado; 2. O orientado a ⁽*⁾estoques. O item é produzido/ comprado previamente à entrada de pedidos. Dar-se por um processo de previsão, se desdobrando em formação de estoques e uma necessidade de maior capital imobilizado. As políticas de estoque devem ser corretamente definidas com seus valores: mínimos, máximo e de segurança. E, havendo eficiência na previsão de vendas, o estoque terá giro de forma ordenada, o tempo de atendimento ao cliente deverá ser mais baixo, a utilização de máquinas e capacidade produtiva (ou de compras) será otimizada. ⁽*⁾A adoção de cada modelo deve ser observada de acordo com o tipo de produto e mercado. É possível também a aplicação integrada dos dois modelos.
  • 7. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL 2. CALCULANDO O GIRO DE ESTOQUES O giro é a quantidade vendida, em determinado período, do estoque mantido pela empresa. Sendo sua formula: GIRO = Quantidade vendida ÷ Quantidade do estoque médio Vejamos alguns exemplos: a. O estoque médio de um Notebook é de 100 unidades, e a empresa vende 10 unidades ao ano. Neste caso temos: 10 ÷ 100 = 0,1 giro ao ano. Produtos com giro abaixo de ZERO significa: - Estoques acima do planejado (sobra do ano anterior, neste exemplo); - Possível uso inadequado de espaço logístico; - Sobra nas prateleiras e, no caso de perecíveis, perda de produto e receita; - Aumento nos custos - Outros. b. O estoque médio de um Notebook é de 100 unidades, e a empresa vende 511 unidades ao ano. Neste caso temos: 511 ÷ 100 = 5,11 giros ao ano. - Significa que, após a primeira compra, para poder suprir o mercado, o estoque foi reabastecido mais aprox. 04 vezes, em média. Produtos com alto giro significa: - Uso de espaço logístico otimizado;
  • 8. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL - Não há sobras nas prateleiras. No caso de perecíveis, não há perdas; - Custos dentro do planejamento; - Outros. 3. PLANEJAMENTO DE DEMANDA E O GIRO É importante frisar que o GIRO do estoque, seja alto ou baixo, somente poderá significar asserto de previsão se o volume deste GIRO for aquele pelo qual planejamos outrora. Portanto, é importante esclarecer que, ter um produto com alto giro, pode ser bom no sentido de “ vislumbre de receita”, mas, não significa que o processo de vendas esteja devidamente estruturado. É necessário garantir dois importantes pontos: 1. Que a Força de Vendas, venda conforme o planejado por SKU, por família, por canal, etc.. E que, nos desvios, a necessidade seja suprida em acordo prévio com o time de S&OP (Planejamento de vendas e operações), evitando descompassos com outros pedidos, capacidade de estoque e/ de produção; 2. Que as promessas de entrega estejam devidamente alinhadas ao lead time e à capacidade produtiva e/ou de estoque, conforme o planejamento mensal. Ao caso de desvios, estes também devem ser alinhados com o time de S&OP e acordos feitos de forma respeitosa com os clientes.
  • 9. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL 4. SOLUÇÃO Organizações que planejam são eficientes, pois possuem processos robustos de planejamento. São estruturadas com bases de Inteligência de negócios (BI) e de previsão de vendas – do curto ao longo prazo. Neste grau de maturidade, é possível realizar a previsão orçamentária de forma a obter os retornos almejados, otimizar o uso dos recursos físicos, humanos e financeiros. Estoques adequados, capacidade produtiva orientada às demandas, decisão assertivamente tomada por um colegiado que atua de forma integrada e focada a objetivos para atendimento ao negócio, atendimento aos pedidos com promessas de entregas factíveis e atendidas, custos controlados e obtenção de lucro de forma consolidada, força de vendas atuantes de forma eficiente e colaborativa, time de operações e BackOffice atuantes de forma engajadas, times realmente integrados – São estas, dentre outras, as conquistas que se obtém com o estabelecimento de processos de S&OP (Planejamento de vendas e Operações. Conheça o método PERFORMA® SV.
  • 10. w w w . s o p b r a s i l . c o m . b r SOP BRASIL Conte com a nossa parceria em suas mudanças! A SOP Brasil – Soluções Organizacionais de Planejamento possui meios seguros para fortalecer e desenvolver sua organização. Conheça mais detalhes sobre nossos serviços, cases e propulsores de resultados. contato@sopbrasil.com.br www.sopbrasil.com.br