SlideShare uma empresa Scribd logo
PROPORÇÃO ÁUREA
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORIGEM
“Quantos pares de coelhos podem ser gerados em
um ano, à partir de um par de coelhos?”
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORIGEM
• Leonardo Pisano (1180 – 1250).
• Matemático italiano apelidado
Fibonacci.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
SEQUÊNCIA DE FIBONACCI
• Resolveu a questão onde criou a
sequência mais intrigante da
matemática.
• Cada número da série é resultado da
soma dos dois anteriores (0, 1, 1, 2, 3,
5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233…).
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
SEQUÊNCIA DE FIBONACCI
• O número áureo está presente na fórmula do termo geral da Série de
Fibonacci:
• Pode ser aproximado pela divisão do n-ésimo termo da Série de Fibonacci
pelo termo anterior:
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• Ao dividirmos dois números consecutivos da sequência de Fibonacci (o
maior pelo menor) chegamos próximos ao número PHI (1,618…).
• O número PHI é uma sequência infinita:
1,61803398874989484820458683436563811772030917980576…
SEQUÊNCIA DE FIBONACCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
PHI
• Proporção áurea, número de ouro, número áureo, seção áurea, segmento
áureo, proporção de ouro ou proporção divina.
• Recebeu esse nome em homenagem à Phidias, escultor grego que o
utilizava em suas obras.
• É uma constante real algébrica irracional.
LETRA GREGA (PHI)
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• O resultado é encarado como expressão do belo (o ideal da beleza), pelo
equilíbrio de suas proporções.
• É usada na arte desde a antiguidade.
• É frequente a sua utilização em pinturas renascentistas (Giotto).
• Está envolvido com a natureza do crescimento.
• O fascinante é o fato de ser encontrado através de desenvolvimento
matemático.
O QUE É?
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
DIVISÃO EM MÉDIA E EXTREMA RAZÃO
• A partir de um segmento de 10 unidades, determina-se a sua seção áurea
multiplicando-o por 0,618 (média). Para encontrar-se um segmento maior,
em extrema razão, deve-se multiplicar as dez unidades iniciais por 1,618.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
• Determine o ponto de médio (M) de
AB. Levante por B uma
perpendicular BC, sendo BC = BM.
• Com centro em C trace uma
circunferência de raio CB.
• Trace uma semi-reta AC.
• A interseção entre a circunferência e a
semi-reta determina os pontos D e D’.
• Com centro do compasso em A e
abertura AD, trace um arco e
determine o ponto E.
• AE é o segmento áureo de AB.
CONSTRUÇÃO COM RÉGUA E COMPASSO
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
• Com centro do compasso em A e
abertura AD', trace um arco e
determine o ponto E’.
• E'A é o segmento áureo de E’B.
CONSTRUÇÃO COM RÉGUA E COMPASSO
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
PROPORÇÃO ÁUREA
PROPORÇÃO ÁUREA, NÚMERO DE OURO OU PROPORÇÃO DIVINA
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
PROPORÇÃO ÁUREA
PROPORÇÃO ÁUREA EM RETÂNGULOS
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ONDE SE ENCONTRA
• Nas espirais das galáxias, nos furacões, nas ondas, no comportamento dos
átomos, na refração do som, na conversão de milhas para quilômetros…
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
FIGURAS GEOMÉTRICAS
• Um decágono regular, inscrito numa circunferência, tem os lados em
proporção áurea com o raio da circunferência.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
FIGURAS GEOMÉTRICAS
• Chamando os vértices de um
pentagrama de A, L, O, K e B, o
triângulo isósceles formado por
A, L e O tem seus lados em
relação dourada com a base, e o
triângulo isósceles A, H e O tem
sua base em relação dourada
com os lados.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
TUDO É NÚMERO - PITÁGORAS
• Ao descobrir que as proporções no pentagrama eram a proporção áurea,
Pitágoras tornou esse símbolo “estrelado" como a representação da
Irmandade Pitagórica. (Um dos motivos que o levou a dizer que "tudo é
número“, onde a natureza segue padrões matemáticos).
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• O pentagrama é obtido
traçando-se as diagonais de um
pentágono regular. O
pentágono menor, formado
pelas interseções das diagonais,
está em proporção com o
pentágono maior, de onde se
originou o pentagrama. A razão
entre as medidas dos lados dos
dois pentágonos é igual ao
quadrado da razão áurea.
SEGMENTOS PENTAGRAMA
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• O molusco bombeia gás para dentro de sua concha repleta de câmaras para
regular a profundidade de sua flutuação, proporcionando um crescimento
do raio aproximado a seção áurea.
ANIMAIS
CONCHA DO CARAMUJO NAUTILUS (MEDIDAS APROXIMADAS)
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• População de abelhas: A proporção entre abelhas fêmeas e machos em
qualquer colmeia.
• Presas de elefantes, escamas de peixes…
ANIMAIS
MEDIDAS APROXIMADAS
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• Observada no crescimento das plantas, algumas vezes na formação de seus
galhos, outras na posição ou número de folhas ou pétalas.
VEGETAIS
MEDIDAS APROXIMADAS
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• A altura do corpo humano e a
medida do umbigo até o chão.
• A altura do crânio e a medida
da mandíbula até o alto da
cabeça.
• A medida da cintura até a
cabeça e o tamanho do tórax.
• A medida do ombro à ponta do
dedo e a medida do cotovelo à
ponta do dedo.
CORPO HUMANO
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
• O tamanho dos dedos e a medida da dobra central até a ponta.
• A medida da dobra central até a ponta dividido e da segunda dobra até a
ponta.
CORPO HUMANO
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
AS IDEIAS DE PROPORÇÃO E SIMETRIA APLICADAS
À CONCEPÇÃO DA BELEZA HUMANA
LEONARDO DA VINCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
HOMEM VITRUVIANO
• É baseado numa famosa passagem do
arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio
na sua série de dez livros intitulados de
“De Architectura” (no terceiro livro, ele
descreve as proporções do corpo
humano masculino). Contudo suas
tentativas ficaram imperfeitas.
• Leonardo da Vinci fez com que o encaixe
ficasse perfeito dentro dos padrões
matemáticos esperados. HOMEM VITRUVIANO - LEONARDO DA VINCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
HOMEM VITRUVIANO
• Um palmo é o comprimento de quatro dedos.
• Um pé é o comprimento de quatro palmos.
• Um côvado é o comprimento de seis palmos.
• Um passo são quatro côvados.
• A altura de um homem é quatro côvados.
• O comprimento dos braços abertos de um
homem (envergadura dos braços) é igual à sua
altura.
• A distância entre a linha de cabelo na testa e o
fundo do queixo é um décimo da altura de um
homem.
• A distância entre o topo da cabeça e o fundo do
queixo é um oitavo da altura de um homem.
HOMEM VITRUVIANO - LEONARDO DA VINCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
HOMEM VITRUVIANO
• A distância entre o fundo do pescoço e a linha
de cabelo na testa é um sexto da altura de
um homem.
• O comprimento máximo nos ombros é um
quarto da altura de um homem.
• A distância entre o meio do peito e o topo da
cabeça é um quarto da altura de um homem.
• A distância entre o cotovelo e a ponta da mão
é um quarto da altura de um homem.
• A distância entre o cotovelo e a axila é um
oitavo da altura de um homem.
• O comprimento da mão é um décimo da
altura de um homem.
HOMEM VITRUVIANO - LEONARDO DA VINCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
HOMEM VITRUVIANO
• A distância entre o fundo do queixo e o
nariz é um terço do comprimento do
rosto.
• A distância entre a linha de cabelo na
testa e as sobrancelhas é um terço do
comprimento do rosto.
• O comprimento da orelha é um terço do
da face.
• O comprimento do pé é um sexto da
altura. HOMEM VITRUVIANO - LEONARDO DA VINCI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
HOMEM VITRUVIANO
• O re-descobrimento das proporções matemáticas do corpo humano no
século XV foi considerado uma das grandes realizações que conduzem ao
Renascimento Italiano.
• O desenho foi considerado como um símbolo da simetria básica do corpo
humano e, por extensão, para o universo como um todo.
• É interessante observar que a área total do círculo é idêntica à área total do
quadrado (quadratura do círculo) que pode ser considerado um algoritmo
matemático para calcular o valor do número irracional PHI.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ARTES
O NASCIMENTO DE VÊNUS - BOTTICELLI
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ARTES
O SACRAMENTO DA ÚLTIMA CEIA - SALVADOR DALÍ
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ARTES
O SACRAMENTO DA ÚLTIMA CEIA - SALVADOR DALÍ
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ARTES
• Na história da arte renascentista, a perfeição da beleza nos quadros foi
bastante explorada. Vários pintores e escultores lançaram mão das
possibilidades que a proporção lhes dava para retratar a realidade com mais
perfeição.
• As proporções podem ser encontradas na maioria das pinturas em que a
anatomia tenha sido respeitada (característica inerente ao ser humano).
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ARTES
• A Mona Lisa (Leonardo da Vinci) tem a proporção áurea nas relações entre o
tronco e a cabeça, bem como nos elementos da face.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
MÚSICA
• O número de ouro está presente em diversas obras de compositores
clássicos: sinfonia n.º 5, de Ludwig van Beethoven.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
LITERATURA
• Nos clássicos Ilíada (Homero) e Eneida (Virgílio), a proporção se apresenta
na razão entres as estrofes maiores e menores.
• No trecho da chegada às Índias no “Os Lusíadas” (Camões).
• Matila Ghyka em seu livro "O Número de Ouro”, demonstrou a existência da
proporção áurea em textos escritos por Victor Hugo, Shakespeare, Paul
Valéry, Pierre Louys, entre outros. Ghyka relacionou as estrofes de acordo
com o ritmo da leitura (Ritmo Prosodico).
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
CINEMA
• O diretor russo Sergei Eisenstein se utilizou do número PHI no filme O
Encouraçado Potemkin para marcar os inícios de cenas importantes da
trama, medindo a razão pelo tamanho das fitas de película.
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
DISPOSIÇÃO DO CONTEÚDO
DIVISÃO DA ÁREA PARA ENFOQUE NO CONTEÚDO MAIS IMPORTANTE
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORDEM DE LEITURA
OCIDENTAL
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORDEM DE LEITURA
OCIDENTAL
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORDEM DE LEITURA
OCIDENTAL
www.mauriciomallet.com
PROPORÇÃO ÁUREA
ORDEM DE LEITURA
OCIDENTAL
www.mauriciomallet.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História da matematica
História da matematicaHistória da matematica
História da matematica
angerba7
 
Simetria: Arte e Matemática
Simetria: Arte e MatemáticaSimetria: Arte e Matemática
Simetria: Arte e Matemática
Daniela F Almenara
 
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláterosDecomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
aldaalves
 
Números inteiros
Números inteirosNúmeros inteiros
Números inteiros
Helena Borralho
 
Razao e proporção
Razao e proporçãoRazao e proporção
Razao e proporção
Jéssica Oliveira
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
LIDIADASILVASANTOS
 
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidianoPonto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
Raphael Lanzillotte
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
Kadu Sp
 
Número de Ouro
Número de OuroNúmero de Ouro
Número de Ouro
empaul_harris
 
2ª lista de exercícios 9º ano (eq. 2º grau)
2ª lista de exercícios   9º ano (eq. 2º grau)2ª lista de exercícios   9º ano (eq. 2º grau)
2ª lista de exercícios 9º ano (eq. 2º grau)
Ilton Bruno
 
Ficha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da retaFicha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da reta
ruiseixas
 
Homotetia.pptx
Homotetia.pptxHomotetia.pptx
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia JuniorElementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Secretaria de Educação do Maranhão e Imagética Consultoria e Design
 
O Numero De Ouro
O Numero De OuroO Numero De Ouro
O Numero De Ouro
fragoso7
 
Porcentagem
PorcentagemPorcentagem
Porcentagem
Letinha47
 
Aula11 geometria fractal
Aula11   geometria fractalAula11   geometria fractal
Aula11 geometria fractal
alexandre-samuel1
 
Aula 2 composição visual
Aula  2 composição visualAula  2 composição visual
Aula 2 composição visual
Artedoiscmb Cmb
 
Triângulos
TriângulosTriângulos
Triângulos
Rodrigo Carvalho
 
Regra de três simples e composta
Regra de três simples e compostaRegra de três simples e composta
Regra de três simples e composta
Marcelo Pinheiro
 
Simetria
SimetriaSimetria
Simetria
guest19460a
 

Mais procurados (20)

História da matematica
História da matematicaHistória da matematica
História da matematica
 
Simetria: Arte e Matemática
Simetria: Arte e MatemáticaSimetria: Arte e Matemática
Simetria: Arte e Matemática
 
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláterosDecomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
Decomposição de figuras em triângulos e quadriláteros
 
Números inteiros
Números inteirosNúmeros inteiros
Números inteiros
 
Razao e proporção
Razao e proporçãoRazao e proporção
Razao e proporção
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
 
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidianoPonto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
 
Número de Ouro
Número de OuroNúmero de Ouro
Número de Ouro
 
2ª lista de exercícios 9º ano (eq. 2º grau)
2ª lista de exercícios   9º ano (eq. 2º grau)2ª lista de exercícios   9º ano (eq. 2º grau)
2ª lista de exercícios 9º ano (eq. 2º grau)
 
Ficha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da retaFicha nº 1 estudo da reta
Ficha nº 1 estudo da reta
 
Homotetia.pptx
Homotetia.pptxHomotetia.pptx
Homotetia.pptx
 
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia JuniorElementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
Elementos Básicos da Linguagem Visual. Prof. Garcia Junior
 
O Numero De Ouro
O Numero De OuroO Numero De Ouro
O Numero De Ouro
 
Porcentagem
PorcentagemPorcentagem
Porcentagem
 
Aula11 geometria fractal
Aula11   geometria fractalAula11   geometria fractal
Aula11 geometria fractal
 
Aula 2 composição visual
Aula  2 composição visualAula  2 composição visual
Aula 2 composição visual
 
Triângulos
TriângulosTriângulos
Triângulos
 
Regra de três simples e composta
Regra de três simples e compostaRegra de três simples e composta
Regra de três simples e composta
 
Simetria
SimetriaSimetria
Simetria
 

Semelhante a Proporção Áurea

CEAL/MAC
CEAL/MACCEAL/MAC
CEAL/MAC
guestc591f0
 
PHI e o mundo hoje
PHI e o mundo hojePHI e o mundo hoje
PHI e o mundo hoje
guestc591f0
 
Proporção
ProporçãoProporção
Proporção
Ana Lucia
 
Números Incomensuráveis
Números IncomensuráveisNúmeros Incomensuráveis
Números Incomensuráveis
Vanyse Andrade
 
Teorema de Pitágoras
Teorema de PitágorasTeorema de Pitágoras
Teorema de Pitágoras
Luan Libório
 
Millena forte
Millena forteMillena forte
Millena forte
Millena Forte
 
Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento
Maiara Giordani
 
Fibonacci
FibonacciFibonacci
Números Incomensuráveis
Números IncomensuráveisNúmeros Incomensuráveis
Números Incomensuráveis
Vanyse Andrade
 
Adc números de fibonacci
Adc números de fibonacciAdc números de fibonacci
Adc números de fibonacci
BiiancaAlvess
 
Homem vitruviano2
Homem vitruviano2Homem vitruviano2
Homem vitruviano2
janloterio
 
11 aureo
11 aureo11 aureo
11 aureo
jwfb
 
O misterioso número de ouro
O misterioso número de ouroO misterioso número de ouro
O misterioso número de ouro
Marcela Magri
 
Apresentação sobre a " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
Apresentação sobre a  " sequencia Fibonacci e Número de ouro"Apresentação sobre a  " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
Apresentação sobre a " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
lucasrossidossantos
 
8o ano 7
8o ano 78o ano 7
8o ano 7
Otávio Sales
 
Segmentos proporcionais 1
Segmentos proporcionais 1Segmentos proporcionais 1
Segmentos proporcionais 1
luciaoliv
 
Artigo cientifico laís clarissa 3ºc
Artigo cientifico laís clarissa 3ºcArtigo cientifico laís clarissa 3ºc
Artigo cientifico laís clarissa 3ºc
Taciana Santos
 
Número de ouro
Número de ouro Número de ouro
Número de ouro
Laryssa Prudencio
 
CEAL/Mac
CEAL/MacCEAL/Mac
CEAL/Mac
bethbal
 
Teorema De PitáGoras
Teorema De PitáGorasTeorema De PitáGoras
Teorema De PitáGoras
Liliane Ribas
 

Semelhante a Proporção Áurea (20)

CEAL/MAC
CEAL/MACCEAL/MAC
CEAL/MAC
 
PHI e o mundo hoje
PHI e o mundo hojePHI e o mundo hoje
PHI e o mundo hoje
 
Proporção
ProporçãoProporção
Proporção
 
Números Incomensuráveis
Números IncomensuráveisNúmeros Incomensuráveis
Números Incomensuráveis
 
Teorema de Pitágoras
Teorema de PitágorasTeorema de Pitágoras
Teorema de Pitágoras
 
Millena forte
Millena forteMillena forte
Millena forte
 
Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento Final da Idade Média - Renascimento
Final da Idade Média - Renascimento
 
Fibonacci
FibonacciFibonacci
Fibonacci
 
Números Incomensuráveis
Números IncomensuráveisNúmeros Incomensuráveis
Números Incomensuráveis
 
Adc números de fibonacci
Adc números de fibonacciAdc números de fibonacci
Adc números de fibonacci
 
Homem vitruviano2
Homem vitruviano2Homem vitruviano2
Homem vitruviano2
 
11 aureo
11 aureo11 aureo
11 aureo
 
O misterioso número de ouro
O misterioso número de ouroO misterioso número de ouro
O misterioso número de ouro
 
Apresentação sobre a " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
Apresentação sobre a  " sequencia Fibonacci e Número de ouro"Apresentação sobre a  " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
Apresentação sobre a " sequencia Fibonacci e Número de ouro"
 
8o ano 7
8o ano 78o ano 7
8o ano 7
 
Segmentos proporcionais 1
Segmentos proporcionais 1Segmentos proporcionais 1
Segmentos proporcionais 1
 
Artigo cientifico laís clarissa 3ºc
Artigo cientifico laís clarissa 3ºcArtigo cientifico laís clarissa 3ºc
Artigo cientifico laís clarissa 3ºc
 
Número de ouro
Número de ouro Número de ouro
Número de ouro
 
CEAL/Mac
CEAL/MacCEAL/Mac
CEAL/Mac
 
Teorema De PitáGoras
Teorema De PitáGorasTeorema De PitáGoras
Teorema De PitáGoras
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat

Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)
Mauricio Mallet Duprat
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Mauricio Mallet Duprat
 
Projeto para WEB
Projeto para WEBProjeto para WEB
Projeto para WEB
Mauricio Mallet Duprat
 
Projeto de Jogos
Projeto de JogosProjeto de Jogos
Projeto de Jogos
Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Mauricio Mallet Duprat
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Mauricio Mallet Duprat
 
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
Mauricio Mallet Duprat
 
CINEMA - Parte 1 (O início da história)
CINEMA - Parte 1 (O início da história)CINEMA - Parte 1 (O início da história)
CINEMA - Parte 1 (O início da história)
Mauricio Mallet Duprat
 
Design - O que é?
Design - O que é?Design - O que é?
Design - O que é?
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Mauricio Mallet Duprat
 
Design de Animação
Design de AnimaçãoDesign de Animação
Design de Animação
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
Mauricio Mallet Duprat
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat (20)

Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
 
Projeto para WEB
Projeto para WEBProjeto para WEB
Projeto para WEB
 
Projeto de Jogos
Projeto de JogosProjeto de Jogos
Projeto de Jogos
 
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
 
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
 
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
 
CINEMA - Parte 1 (O início da história)
CINEMA - Parte 1 (O início da história)CINEMA - Parte 1 (O início da história)
CINEMA - Parte 1 (O início da história)
 
Design - O que é?
Design - O que é?Design - O que é?
Design - O que é?
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
 
Design de Animação
Design de AnimaçãoDesign de Animação
Design de Animação
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
 
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
 

Último

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Proporção Áurea