SlideShare uma empresa Scribd logo
CINEMA 
PARTE 2 
DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ÉTIENNE-JULES MAREY 
• Nasceu em Beaune, França (1830 – 1904). 
• Seu trabalho foi significativo no desenvolvimento da 
cardiologia, da instrumentação física, da aviação, da 
cinematografia e da ciência da fotografia. 
• Estudou a circulação do ar (observou os grandes 
voadores). Adotou a fotografia e a desenvolveu 
num campo separado da cronofotografia (1880). 
• Ideia revolucionária de gravar as várias fases do 
movimento em uma única superfície fotográfica. Em 
1882, registra o Vôo do pelicano. 
• Tentou fundir a anatomia e a fisiologia. 
www.mauriciomallet.com 
MAREY
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
VÔO DO PELICANO 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
MOVIMENTO 
PRETENDIA FUNDIR A ANATOMIA E A FISIOLOGIA 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CRONOFOTÓGRAFO 
• Construído em 1882. 
• Instrumento capaz de produzir 12 frames por segundo, registrados numa 
mesma imagem. 
O FUZIL FOTOGRÁFICO (1882) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
MARIE-GEORGES-JEAN-MÉLIÈS 
• Nasceu em Paris, França (1861 - 1938). 
• Foi prestidigitador e caricaturista. 
• Criou efeitos como o Stop-action, além de utilizar 
filmagem em alta velocidade e múltiplas exposições. 
• Fez mais de 500 filmes: Joana D’Arc (1900), As 
viagens de Gulliver (1902), Fausto (1904). 
• Em A Viagem à lua (1902) usou técnicas de dupla 
exposição do filme (efeitos especiais inovadores). 
• Primeiro cineasta a usar desenhos de produção e 
storyboards para projetar suas cenas. 
• Construiu o primeiro estúdio cinematográfico da 
Europa (Star-Film). 
www.mauriciomallet.com 
GEORGES MÉLIÈS
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
A VIAGEM À LUA 
LE VOYAGE DANS LA LUNE (1902) - GEORGES MÉLIÈS 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
DAVID LLEWELYN WARK GRIFFITH 
• Nasceu em La Grange, Kentucky (1875 - 1948). 
• Foi jornalista e balconista em lojas e livrarias. 
• Iniciou no cinema em 1908 (curta-metragens: de 
15 a 18 minutos). 
• Em 1914, começou a dirigir filmes de longa-metragem. 
• É o primeiro a utilizar o close, a montagem 
paralela, o suspense e os movimentos de câmera. 
• Inovações profundas na forma de fazer cinema, 
considerado o criador da linguagem 
cinematográfica. 
www.mauriciomallet.com 
D. W. GRIFFITH
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
D. W. GRIFFITH 
• O Nascimento de uma Nação (1915), primeiro longa-metragem americano 
(base da criação da indústria cinematográfica de Hollywood). 
• Em Intolerância (1916), usou quatro histórias diferentes, paralelas, para 
conduzir sua mensagem. 
O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (1915) E INTOLERÂNCIA (1916) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CINEMA NO BRASIL 
• No Rio de Janeiro, em 8 de julho de 1896. 
• Iniciativa do belga, Henri Paillie. 
• Foram projetados oito filmetes de cerca de um minuto cada numa sala 
alugada do Jornal do Commercio (Rua do Ouvidor). 
• Um ano depois já existia uma sala fixa de cinema no Rio, Salão de Novidades 
Paris. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CINEMA NO BRASIL 
AVENIDA RIO BRANCO (ALTURA DA RUA DO OUVIDOR E DA MIGUEL COUTO) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CINEMA MUDO 
• Desde o início, inventores e produtores tentaram casar a imagem com um 
som sincronizado. Mas nenhuma técnica deu certo até a década de 20. 
• Durante 30 anos os filmes foram praticamente silenciosos, acompanhados 
muitas vezes de música ao vivo, outras de efeitos especiais, narração e 
diálogos escritos presentes entre cenas. 
• Destaque para Charles Chaplin. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CHARLES SPENCER CHAPLIN 
• Nasceu em Londres (1889 - 1977). 
• Ator, diretor, produtor, humorista, empresário, 
escritor, comediante, dançarino, roteirista e músico. 
• Conhecido pela mímica e comédia pastelão. 
• Influência do comediante francês Max Linder. 
• É considerado por alguns críticos o maior artista 
cinematográfico de todos os tempos, e um dos 
"pais do cinema” juntamente com os Irmãos 
Lumière, Georges Méliès e D.W. Griffith. 
• Seu principal e mais famoso personagem foi The 
Tramp (O Vagabundo). 
www.mauriciomallet.com 
CHARLES CHAPLIN
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CHARLES CHAPLIN 
Filmes Luzes da Cidade, Tempos Modernos, O Grande Ditador, entre outros. 
TEMPOS MODERNOS E O GRANDE DITADOR 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
NEGÓCIO 
• Em 1896, Georges Méliès exibia seus filmes. 
• Em Life of an American Fireman de 1903, Edwin S. Porter (cameraman de 
Thomas Edison) usou pela primeira vez a técnica de edição de imagens. 
• O desenvolvimento de filmes fez crescer os nickelodeons. 
• Os filmes começam a crescer em duração (de 10 a 15 minutos). 
• Em 1906, o filme australiano The Story of the Kelly Gang foi o primeiro longa 
metragem (60 min.). 
• Em 1914 foi exibido Photo-Drama of Creation, um filme com mais de 8 horas 
de duração apresentado e narrado por Charles Taze Russell (primeiro filme a 
incluir som sincronizado e imagens coloridas). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
NEGÓCIO 
• D. W. Griffith conseguiu destaque com The Birth of a Nation (1915), 
considerado um dos filmes mais populares da época do cinema mudo e 
Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages (1916), considerado uma 
das grandes obras do cinema mudo. 
• Em 1907, os irmãos Lafitte criam os filmes de arte na França. 
• A Itália e França tinham o cinema mais popular e poderoso do mundo. 
• Com a Primeira Guerra Mundial, a indústria européia de cinema foi arrasada. 
• Os EUA começaram a se destacar. 
• Alguns produtores independentes migraram de Nova York à costa oeste 
para um pequeno povoado chamado Hollywoodland (Griffith) - condições 
ideais para filmagem. Nascia a chamada "Meca do Cinema”. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
HOLLYWOOD 
• O letreiro foi construído em 1923 para promover um programa imobiliário 
na época, Hollywoodland. 
• O painel foi comprado em 1939 e no contrato, tiraram a terminação Land, 
para refletir sua nova função (cinematográfica). 
LETREIRO DE HOLLYWOOD 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
HOLLYWOOD 
• Foram fundados os mais importantes estúdios de cinema (Fox, Universal, 
Paramount) controlados por Daryl Zanuck, Samuel Bronston, Samuel 
Goldwyn, Louis Meyer…. Fundem as empresas (Joint Venture): 20th Century 
Fox (da antiga Fox) e Metro Goldwyn Meyer. 
• Os estúdios encontram diretores e atores, nascia o star system, sistema de 
promoção de estrelas (ideologias e pensamentos de Hollywood). 
• Destacam-se nesta época comédias de Charlie Chaplin e Buster Keaton, 
aventuras de Douglas Fairbanks e romances de Clara Bow. 
• O próprio Charles Chaplin e Douglas Fairbanks junto a Mary Pickford e DW 
Griffith criaram a United Artist para desafiar o poder dos grandes estúdios. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
CINEMA NO MUNDO 
• Na França, os cineastas entre 1919 e 1929 criaram um estilo chamado de 
Cinema Impressionista Francês ou Cinema de Vanguarda. Jean Renoir ajudou 
a construir outra escola de cinema, o Realismo Poético Francês. 
• Na Alemanha surgiu o expressionismo alemão com destaque para os filmes, O 
gabinete do Dr. Caligari (1920), Nosferatu e Phantom ambos de 1922. 
• Na Espanha surgiu o cinema surrealista - Um Cão Andaluz (1928) do diretor 
Luis Buñuel. 
• Na Rússia, o cineasta Serguei Eisenstein criou uma nova técnica de montagem 
(intelectual / dialética), destaque para O Encouraçado Potemkin de 1925. 
• O dinamarquês Carl Theodor Dreyer roda Le Passion de Jeanne D’arc (filme 
mudo de 1928). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
A ERA DO SOM 
• O uso do som fez com que o cinema se diversificasse nos gêneros. Dessa 
nova tecnologia nascia o musical e algumas comédias (comédia musical). 
• A Warner Brothers introduziu, em 1926, o sistema de som Vitaphone 
(gravação de som sobre um disco). 
• Em 1927 lançou The Jazz Singer (primeiro musical na história do cinema - 
diálogos e cantorias sincronizados aliados a partes sem som). 
• Em 1928 o filme The Lights of New York, se tornaria o primeiro filme com 
som totalmente sincronizado. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
A ERA DO SOM 
THE JAZZ SINGER E THE LIGHTS OF NEW YORK (WARNER) 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
A ERA DO SOM 
• O sistema Vitaphone foi substituído por outros sistemas, Movietone da Fox, 
DeForest Phonofilm e Photophone da RCA (sistema de som no próprio filme). 
• O Beijo (1929) protagonizado pela atriz sueca Greta Garbo, foi o último filme 
mudo da MGM e o último da história de Hollywood, com exceção de Chaplin: 
Luzes da Cidade e Tempos Modernos. 
• No final de 1929, o cinema de Hollywood era quase totalmente falado. No 
resto do mundo, a transição foi mais lenta. Grandes lançamentos de filmes 
falados: Blackmail de Alfred Hitchcock (o primeiro filme inglês falado), 
Applause de Rouben Mamoulian (musical em preto e branco) e Chinatown 
Nights de William Wellman. 
• Em 1929 foi criado o prêmio Oscar (Prêmios da Academia). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 30 
• Os filmes históricos ou bíblicos na maioria das vezes caminhavam juntos. 
Destaque para: Os dez mandamentos (1923), Rei dos Reis (1932) e 
Cleópatra (1934). 
• Os filmes de gangsters se tornaram populares: Little Caesar e The Public 
Enemy (1931). Forte influência pelo Expressionismo Europeu. 
• O gênero ficção científica se desenvolveu com a produção de clássicos 
como Drácula (Bela Lugosi) e Frankenstein (Boris Karloff) ambos de 1931. 
• Duplo sentido com conotações sexuais de Mae West em She Done Him 
Wrong (1933). 
• Comédia anárquica sem sentido dos Irmãos Marx. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 30 
• Em 1939 os maiores êxitos do cinema foram O Maravilhoso Mágico de Oz e 
o E o vento levou. 
• Na Itália foi criada a Cinecittà por ordem de Mussolini (1937). 
• Na América Latina destacam-se os atores Cantinflas (México) e Carmem 
Miranda (Luso-brasileira) que estréia no filme "Alô, Alô Carnaval" (1936), 
mas somente conseguiria sucesso internacional atuando em Hollywood. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 40 
• A Segunda Guerra Mundial fez com que a Inglaterra e Estados Unidos 
produzissem vários filmes com apelo patriota (propaganda de guerra). No 
final da guerra haviam filmes anti-nazistas. Destaque para Casablanca (1943) 
com Humphrey Bogart. 
• No começo da década, o diretor Orson Welles lançou o filme Cidadão Kane 
com inovações nos ângulos de filmagem e narrativa não linear. 
• Em 1946, o diretor Frank Capra lançou o filme It's a wonderful life. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 40 
• Em 1947, o Comitê de Segurança dos Estados Unidos fez a primeira lista 
negra de Hollywood (acusou 10 diretores e escritores de propaganda 
comunista). 
• Na Itália nascia o Neo-realismo como reação ao cinema fascista do regime 
de Mussolini. Buscava a máxima naturalidade, com atores não profissionais, 
iluminação natural e com uma forte crítica social. Inaugura o gênero com 
Roma, cidade aberta (1945). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 50 
• O Comitê de Segurança (Censura) amplia a lista negra (diretores, atores e 
escritores, inclusive Charles Chaplin). 
• O início da década de 50 marcou para a chanchada brasileira uma enorme 
reviravolta. Embora a Atlântida tenha se consagrado na década anterior 
como uma das mais fortes indústrias cinematográficas do país, suas 
produções ainda eram um tanto desleixadas. 
• Os filmes 3D duraram pouco tempo (1952 a 1954), destaque para o filme 
House of Wax (1953). 
• O cineasta Akira Kurosawa projeta o cinema japonês com os filmes 
Rashomon e Shichinin no Samurai. 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 50 
• No final da década surgiu, na França, o movimento Nouvelle Vague. 
• Marilyn Monroe se destaca como atriz e símbolo sexual feminino nas obras 
de Billy Wilder em The Seven Year Itch (1955) e Some Like it Hot (1959). 
• O cinema da Índia era produzido em grande escala. Em 1955 ganhou 
reconhecimento internacional com o filme Pather Panchali (A canção do 
caminho). 
• O cineasta sueco Ingmar Bergman ganha projeção internacional como um 
dos maiores cineastas de todos os tempos com as obras-primas Det Sjunde 
Inseglet e Smultronstället (1957). 
• Alfred Hitchcock lança Vertigo (um dos maiores êxitos do cinema). 
www.mauriciomallet.com
CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA 
ANOS 60 
• O sistema Hollywood entra em declínio. Muitas produções passaram a ser 
feitas em Pinewood Studios na Inglaterra e Cinecittà na Itália. 
• Mary Poppins (1964) da Walt Disney Productions, My Fair Lady e The Sound 
of Music (1965) foram alguns dos filmes americanos mais rentáveis da 
década. 
• O diretor John Cassavetes inicia o novo rumo do cinema americano com a 
produção independente e orçamento reduzido. 
• Na França o destaque ficou para Jules e Jim de François Truffaut (1962). 
• Na Itália foi o filme La dolce Vita de Federico Fellini (1960). 
• Na Inglaterra o destaque para a série de filmes de 007, Dr. No (1962). 
• Na América Latina o maior destaque vai para a Argentina (Fernando Solanas). 
www.mauriciomallet.com
www.mauriciomallet.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do Cinema
Sthefânia Fauro
 
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdfUnidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
Thiago Assumpção
 
Setima Arte
Setima ArteSetima Arte
Setima Arte
celinho_ingles
 
Aula 1 historia da fotografia
Aula 1 historia da fotografiaAula 1 historia da fotografia
Aula 1 historia da fotografia
Rafael Serra
 
A história do cinema
A história do cinemaA história do cinema
A história do cinema
Rebeca Neiva
 
Introdução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisualIntrodução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisual
Thiago Assumpção
 
Características fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisualCaracterísticas fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisual
Thiago Assumpção
 
Origem cinema
Origem cinemaOrigem cinema
Origem cinema
Ana Roberta Souza
 
A arte da fotografia
A arte da fotografiaA arte da fotografia
A arte da fotografia
Ana Beatriz Cargnin
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Mauricio Mallet Duprat
 
Produção cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiacaProdução cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiaca
Camila Silva Fernandes
 
Breve História da Fotografia
Breve História da FotografiaBreve História da Fotografia
Breve História da Fotografia
João Lima
 
A história do cinema no Brasil
A história do cinema no BrasilA história do cinema no Brasil
A história do cinema no Brasil
João da Mata
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
diogocaetanorodrigues
 
A HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da FotografiaA HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da Fotografia
Victor Marinho
 
Gêneros cinematográficos
Gêneros cinematográficosGêneros cinematográficos
Gêneros cinematográficos
Thiago Assumpção
 
Historia da fotografia parte 1
Historia da fotografia parte 1Historia da fotografia parte 1
Historia da fotografia parte 1
Cláudia
 
Art história do cinema
Art   história do cinemaArt   história do cinema
Art história do cinema
sergioborgato
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da Fotografia
Cid Costa Neto
 
Pré produção audiovisual
Pré produção audiovisualPré produção audiovisual
Pré produção audiovisual
Marcioveras
 

Mais procurados (20)

Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do Cinema
 
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdfUnidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
Unidade A3 - Breve história do cinema BRASILEIRO.pdf
 
Setima Arte
Setima ArteSetima Arte
Setima Arte
 
Aula 1 historia da fotografia
Aula 1 historia da fotografiaAula 1 historia da fotografia
Aula 1 historia da fotografia
 
A história do cinema
A história do cinemaA história do cinema
A história do cinema
 
Introdução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisualIntrodução à linguagem audiovisual
Introdução à linguagem audiovisual
 
Características fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisualCaracterísticas fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisual
 
Origem cinema
Origem cinemaOrigem cinema
Origem cinema
 
A arte da fotografia
A arte da fotografiaA arte da fotografia
A arte da fotografia
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 2 (Ângulos e Efeitos Psicológicos)
 
Produção cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiacaProdução cinematógrafiaca
Produção cinematógrafiaca
 
Breve História da Fotografia
Breve História da FotografiaBreve História da Fotografia
Breve História da Fotografia
 
A história do cinema no Brasil
A história do cinema no BrasilA história do cinema no Brasil
A história do cinema no Brasil
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
 
A HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da FotografiaA HistóRia Da Fotografia
A HistóRia Da Fotografia
 
Gêneros cinematográficos
Gêneros cinematográficosGêneros cinematográficos
Gêneros cinematográficos
 
Historia da fotografia parte 1
Historia da fotografia parte 1Historia da fotografia parte 1
Historia da fotografia parte 1
 
Art história do cinema
Art   história do cinemaArt   história do cinema
Art história do cinema
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da Fotografia
 
Pré produção audiovisual
Pré produção audiovisualPré produção audiovisual
Pré produção audiovisual
 

Destaque

A jornada do herói mítico
A jornada do herói míticoA jornada do herói mítico
A jornada do herói mítico
Karen Soarele
 
AULA 2: História da Animação
AULA 2: História da AnimaçãoAULA 2: História da Animação
AULA 2: História da Animação
Dra. Camila Hamdan
 
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Renato Melo
 
Apostila Photoshop
Apostila Photoshop Apostila Photoshop
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
Guilherme Zaffari
 
Mda e processo_industria
Mda e processo_industriaMda e processo_industria
Mda e processo_industria
Guilherme Zaffari
 
Arquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do HeróiArquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do Herói
Vinicius Carlos Vieira
 
Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1
Oswaldo Hernandez
 
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do HeróiCriação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Kelly Cardoso
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Mauricio Mallet Duprat
 

Destaque (11)

A jornada do herói mítico
A jornada do herói míticoA jornada do herói mítico
A jornada do herói mítico
 
AULA 2: História da Animação
AULA 2: História da AnimaçãoAULA 2: História da Animação
AULA 2: História da Animação
 
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
Tratamento e Edição de Imagens no Photoshop 01
 
Apostila Photoshop
Apostila Photoshop Apostila Photoshop
Apostila Photoshop
 
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.1/3)
 
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da PixarO monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
O monomito, Arquétipos e Estereótipos e as 22 Regras de Narrativa da Pixar
 
Mda e processo_industria
Mda e processo_industriaMda e processo_industria
Mda e processo_industria
 
Arquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do HeróiArquétipos e Jornada do Herói
Arquétipos e Jornada do Herói
 
Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1Photoshop Básico: Aula 1
Photoshop Básico: Aula 1
 
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do HeróiCriação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
Criação de personagens: Arquétipos e Jornada do Herói
 
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
Elementos narrativos do cinema - Parte 1 (Planos e enquadramentos)
 

Semelhante a CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)

A Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudoA Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudo
Luryan da Silva F.
 
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdfcinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
WeslleyDias8
 
cinema-130929154716-phpapp01.pdf
cinema-130929154716-phpapp01.pdfcinema-130929154716-phpapp01.pdf
cinema-130929154716-phpapp01.pdf
WeslleyDias8
 
Cinema.atualizado agora
Cinema.atualizado agoraCinema.atualizado agora
Cinema.atualizado agora
Abner Amiel
 
Cinema ana martins8c
Cinema ana martins8cCinema ana martins8c
Cinema ana martins8c
navegananet
 
Mcs o cinema, c daniel e vero
Mcs   o cinema, c daniel e veroMcs   o cinema, c daniel e vero
Mcs o cinema, c daniel e vero
José Palma
 
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptxCinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
CarolinaMagalhes54
 
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdfapresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
MaxLEspinosa
 
Trabalho artes (carina)
Trabalho artes (carina)Trabalho artes (carina)
Trabalho artes (carina)
Adriano Capilupe
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
riclaetb
 
Oficina teoria
Oficina teoriaOficina teoria
Oficina teoria
atovirtual
 
Senac 2ª aula
Senac    2ª aulaSenac    2ª aula
Senac 2ª aula
Iris Castro
 
Aula 11 - Cinema
Aula 11 - CinemaAula 11 - Cinema
Aula 11 - Cinema
guest051d8a
 
Media e hábitos socioculturais
Media e hábitos socioculturaisMedia e hábitos socioculturais
Media e hábitos socioculturais
RaQuel Oliveira
 
Grandes mestres do cinema
Grandes mestres do cinemaGrandes mestres do cinema
Grandes mestres do cinema
sergioborgato
 
Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012
www.historiadasartes.com
 
The cutting edge
The cutting edgeThe cutting edge
The cutting edge
Faculdade Anhembi Morumbi
 
História do cinema brasileiro - apostila
História do cinema brasileiro -  apostilaHistória do cinema brasileiro -  apostila
História do cinema brasileiro - apostila
Carlos Zaranza
 
Luz-câmera-ação.pptx
Luz-câmera-ação.pptxLuz-câmera-ação.pptx
Luz-câmera-ação.pptx
GianotedeBrito
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
CLEBER LUIS DAMACENO
 

Semelhante a CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria) (20)

A Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudoA Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudo
 
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdfcinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
cinemamudo-150112180744-conversion-gate02.pdf
 
cinema-130929154716-phpapp01.pdf
cinema-130929154716-phpapp01.pdfcinema-130929154716-phpapp01.pdf
cinema-130929154716-phpapp01.pdf
 
Cinema.atualizado agora
Cinema.atualizado agoraCinema.atualizado agora
Cinema.atualizado agora
 
Cinema ana martins8c
Cinema ana martins8cCinema ana martins8c
Cinema ana martins8c
 
Mcs o cinema, c daniel e vero
Mcs   o cinema, c daniel e veroMcs   o cinema, c daniel e vero
Mcs o cinema, c daniel e vero
 
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptxCinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
Cinema transform(ação) ppt1 introdução.pptx
 
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdfapresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
apresentao1-ppt-121016100934-phpapp01.pdf
 
Trabalho artes (carina)
Trabalho artes (carina)Trabalho artes (carina)
Trabalho artes (carina)
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
 
Oficina teoria
Oficina teoriaOficina teoria
Oficina teoria
 
Senac 2ª aula
Senac    2ª aulaSenac    2ª aula
Senac 2ª aula
 
Aula 11 - Cinema
Aula 11 - CinemaAula 11 - Cinema
Aula 11 - Cinema
 
Media e hábitos socioculturais
Media e hábitos socioculturaisMedia e hábitos socioculturais
Media e hábitos socioculturais
 
Grandes mestres do cinema
Grandes mestres do cinemaGrandes mestres do cinema
Grandes mestres do cinema
 
Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012
 
The cutting edge
The cutting edgeThe cutting edge
The cutting edge
 
História do cinema brasileiro - apostila
História do cinema brasileiro -  apostilaHistória do cinema brasileiro -  apostila
História do cinema brasileiro - apostila
 
Luz-câmera-ação.pptx
Luz-câmera-ação.pptxLuz-câmera-ação.pptx
Luz-câmera-ação.pptx
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat

Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)
Mauricio Mallet Duprat
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Mauricio Mallet Duprat
 
Projeto para WEB
Projeto para WEBProjeto para WEB
Projeto para WEB
Mauricio Mallet Duprat
 
Projeto de Jogos
Projeto de JogosProjeto de Jogos
Projeto de Jogos
Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Mauricio Mallet Duprat
 
Proporção Áurea
Proporção ÁureaProporção Áurea
Proporção Áurea
Mauricio Mallet Duprat
 
Design - O que é?
Design - O que é?Design - O que é?
Design - O que é?
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Mauricio Mallet Duprat
 
Design de Animação
Design de AnimaçãoDesign de Animação
Design de Animação
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
Mauricio Mallet Duprat
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Mauricio Mallet Duprat
 
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Mauricio Mallet Duprat
 

Mais de Mauricio Mallet Duprat (19)

Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)Sistemas Organizacionais (FOCW)
Sistemas Organizacionais (FOCW)
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
 
Projeto para WEB
Projeto para WEBProjeto para WEB
Projeto para WEB
 
Projeto de Jogos
Projeto de JogosProjeto de Jogos
Projeto de Jogos
 
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.3/3)
 
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
Conceitos Básicos da Animação (p.2/3)
 
Proporção Áurea
Proporção ÁureaProporção Áurea
Proporção Áurea
 
Design - O que é?
Design - O que é?Design - O que é?
Design - O que é?
 
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
Teoria de Desenho (Textura / Iluminação / Signos)
 
Design de Animação
Design de AnimaçãoDesign de Animação
Design de Animação
 
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
Teoria de Desenho (Plano / Forma / Movimento)
 
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
Teoria de Desenho (Ponto e Linha)
 
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
História da Arte:: do Pós-Impressionismo ao Minimalismo.
 
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.História da Arte:: da Pré-história a Roma.
História da Arte:: da Pré-história a Roma.
 
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismoHistória da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
História da Arte:: Do realismo ao pós-impressionismo
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
 
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
História da Arte:: do Maneirismo ao Romântismo.
 
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
Teoria das Cores:: da harmônia a sobreposição transparente.
 
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
Teoria das Cores: natureza, classificação e características.
 

Último

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 

Último (20)

O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 

CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)

  • 1. CINEMA PARTE 2 DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA
  • 2. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ÉTIENNE-JULES MAREY • Nasceu em Beaune, França (1830 – 1904). • Seu trabalho foi significativo no desenvolvimento da cardiologia, da instrumentação física, da aviação, da cinematografia e da ciência da fotografia. • Estudou a circulação do ar (observou os grandes voadores). Adotou a fotografia e a desenvolveu num campo separado da cronofotografia (1880). • Ideia revolucionária de gravar as várias fases do movimento em uma única superfície fotográfica. Em 1882, registra o Vôo do pelicano. • Tentou fundir a anatomia e a fisiologia. www.mauriciomallet.com MAREY
  • 3. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA VÔO DO PELICANO www.mauriciomallet.com
  • 4. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA MOVIMENTO PRETENDIA FUNDIR A ANATOMIA E A FISIOLOGIA www.mauriciomallet.com
  • 5. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CRONOFOTÓGRAFO • Construído em 1882. • Instrumento capaz de produzir 12 frames por segundo, registrados numa mesma imagem. O FUZIL FOTOGRÁFICO (1882) www.mauriciomallet.com
  • 6. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA MARIE-GEORGES-JEAN-MÉLIÈS • Nasceu em Paris, França (1861 - 1938). • Foi prestidigitador e caricaturista. • Criou efeitos como o Stop-action, além de utilizar filmagem em alta velocidade e múltiplas exposições. • Fez mais de 500 filmes: Joana D’Arc (1900), As viagens de Gulliver (1902), Fausto (1904). • Em A Viagem à lua (1902) usou técnicas de dupla exposição do filme (efeitos especiais inovadores). • Primeiro cineasta a usar desenhos de produção e storyboards para projetar suas cenas. • Construiu o primeiro estúdio cinematográfico da Europa (Star-Film). www.mauriciomallet.com GEORGES MÉLIÈS
  • 7. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA A VIAGEM À LUA LE VOYAGE DANS LA LUNE (1902) - GEORGES MÉLIÈS www.mauriciomallet.com
  • 8. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA DAVID LLEWELYN WARK GRIFFITH • Nasceu em La Grange, Kentucky (1875 - 1948). • Foi jornalista e balconista em lojas e livrarias. • Iniciou no cinema em 1908 (curta-metragens: de 15 a 18 minutos). • Em 1914, começou a dirigir filmes de longa-metragem. • É o primeiro a utilizar o close, a montagem paralela, o suspense e os movimentos de câmera. • Inovações profundas na forma de fazer cinema, considerado o criador da linguagem cinematográfica. www.mauriciomallet.com D. W. GRIFFITH
  • 9. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA D. W. GRIFFITH • O Nascimento de uma Nação (1915), primeiro longa-metragem americano (base da criação da indústria cinematográfica de Hollywood). • Em Intolerância (1916), usou quatro histórias diferentes, paralelas, para conduzir sua mensagem. O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO (1915) E INTOLERÂNCIA (1916) www.mauriciomallet.com
  • 10. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CINEMA NO BRASIL • No Rio de Janeiro, em 8 de julho de 1896. • Iniciativa do belga, Henri Paillie. • Foram projetados oito filmetes de cerca de um minuto cada numa sala alugada do Jornal do Commercio (Rua do Ouvidor). • Um ano depois já existia uma sala fixa de cinema no Rio, Salão de Novidades Paris. www.mauriciomallet.com
  • 11. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CINEMA NO BRASIL AVENIDA RIO BRANCO (ALTURA DA RUA DO OUVIDOR E DA MIGUEL COUTO) www.mauriciomallet.com
  • 12. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CINEMA MUDO • Desde o início, inventores e produtores tentaram casar a imagem com um som sincronizado. Mas nenhuma técnica deu certo até a década de 20. • Durante 30 anos os filmes foram praticamente silenciosos, acompanhados muitas vezes de música ao vivo, outras de efeitos especiais, narração e diálogos escritos presentes entre cenas. • Destaque para Charles Chaplin. www.mauriciomallet.com
  • 13. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CHARLES SPENCER CHAPLIN • Nasceu em Londres (1889 - 1977). • Ator, diretor, produtor, humorista, empresário, escritor, comediante, dançarino, roteirista e músico. • Conhecido pela mímica e comédia pastelão. • Influência do comediante francês Max Linder. • É considerado por alguns críticos o maior artista cinematográfico de todos os tempos, e um dos "pais do cinema” juntamente com os Irmãos Lumière, Georges Méliès e D.W. Griffith. • Seu principal e mais famoso personagem foi The Tramp (O Vagabundo). www.mauriciomallet.com CHARLES CHAPLIN
  • 14. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CHARLES CHAPLIN Filmes Luzes da Cidade, Tempos Modernos, O Grande Ditador, entre outros. TEMPOS MODERNOS E O GRANDE DITADOR www.mauriciomallet.com
  • 15. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA NEGÓCIO • Em 1896, Georges Méliès exibia seus filmes. • Em Life of an American Fireman de 1903, Edwin S. Porter (cameraman de Thomas Edison) usou pela primeira vez a técnica de edição de imagens. • O desenvolvimento de filmes fez crescer os nickelodeons. • Os filmes começam a crescer em duração (de 10 a 15 minutos). • Em 1906, o filme australiano The Story of the Kelly Gang foi o primeiro longa metragem (60 min.). • Em 1914 foi exibido Photo-Drama of Creation, um filme com mais de 8 horas de duração apresentado e narrado por Charles Taze Russell (primeiro filme a incluir som sincronizado e imagens coloridas). www.mauriciomallet.com
  • 16. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA NEGÓCIO • D. W. Griffith conseguiu destaque com The Birth of a Nation (1915), considerado um dos filmes mais populares da época do cinema mudo e Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages (1916), considerado uma das grandes obras do cinema mudo. • Em 1907, os irmãos Lafitte criam os filmes de arte na França. • A Itália e França tinham o cinema mais popular e poderoso do mundo. • Com a Primeira Guerra Mundial, a indústria européia de cinema foi arrasada. • Os EUA começaram a se destacar. • Alguns produtores independentes migraram de Nova York à costa oeste para um pequeno povoado chamado Hollywoodland (Griffith) - condições ideais para filmagem. Nascia a chamada "Meca do Cinema”. www.mauriciomallet.com
  • 17. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA HOLLYWOOD • O letreiro foi construído em 1923 para promover um programa imobiliário na época, Hollywoodland. • O painel foi comprado em 1939 e no contrato, tiraram a terminação Land, para refletir sua nova função (cinematográfica). LETREIRO DE HOLLYWOOD www.mauriciomallet.com
  • 18. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA HOLLYWOOD • Foram fundados os mais importantes estúdios de cinema (Fox, Universal, Paramount) controlados por Daryl Zanuck, Samuel Bronston, Samuel Goldwyn, Louis Meyer…. Fundem as empresas (Joint Venture): 20th Century Fox (da antiga Fox) e Metro Goldwyn Meyer. • Os estúdios encontram diretores e atores, nascia o star system, sistema de promoção de estrelas (ideologias e pensamentos de Hollywood). • Destacam-se nesta época comédias de Charlie Chaplin e Buster Keaton, aventuras de Douglas Fairbanks e romances de Clara Bow. • O próprio Charles Chaplin e Douglas Fairbanks junto a Mary Pickford e DW Griffith criaram a United Artist para desafiar o poder dos grandes estúdios. www.mauriciomallet.com
  • 19. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA CINEMA NO MUNDO • Na França, os cineastas entre 1919 e 1929 criaram um estilo chamado de Cinema Impressionista Francês ou Cinema de Vanguarda. Jean Renoir ajudou a construir outra escola de cinema, o Realismo Poético Francês. • Na Alemanha surgiu o expressionismo alemão com destaque para os filmes, O gabinete do Dr. Caligari (1920), Nosferatu e Phantom ambos de 1922. • Na Espanha surgiu o cinema surrealista - Um Cão Andaluz (1928) do diretor Luis Buñuel. • Na Rússia, o cineasta Serguei Eisenstein criou uma nova técnica de montagem (intelectual / dialética), destaque para O Encouraçado Potemkin de 1925. • O dinamarquês Carl Theodor Dreyer roda Le Passion de Jeanne D’arc (filme mudo de 1928). www.mauriciomallet.com
  • 20. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA A ERA DO SOM • O uso do som fez com que o cinema se diversificasse nos gêneros. Dessa nova tecnologia nascia o musical e algumas comédias (comédia musical). • A Warner Brothers introduziu, em 1926, o sistema de som Vitaphone (gravação de som sobre um disco). • Em 1927 lançou The Jazz Singer (primeiro musical na história do cinema - diálogos e cantorias sincronizados aliados a partes sem som). • Em 1928 o filme The Lights of New York, se tornaria o primeiro filme com som totalmente sincronizado. www.mauriciomallet.com
  • 21. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA A ERA DO SOM THE JAZZ SINGER E THE LIGHTS OF NEW YORK (WARNER) www.mauriciomallet.com
  • 22. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA A ERA DO SOM • O sistema Vitaphone foi substituído por outros sistemas, Movietone da Fox, DeForest Phonofilm e Photophone da RCA (sistema de som no próprio filme). • O Beijo (1929) protagonizado pela atriz sueca Greta Garbo, foi o último filme mudo da MGM e o último da história de Hollywood, com exceção de Chaplin: Luzes da Cidade e Tempos Modernos. • No final de 1929, o cinema de Hollywood era quase totalmente falado. No resto do mundo, a transição foi mais lenta. Grandes lançamentos de filmes falados: Blackmail de Alfred Hitchcock (o primeiro filme inglês falado), Applause de Rouben Mamoulian (musical em preto e branco) e Chinatown Nights de William Wellman. • Em 1929 foi criado o prêmio Oscar (Prêmios da Academia). www.mauriciomallet.com
  • 23. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 30 • Os filmes históricos ou bíblicos na maioria das vezes caminhavam juntos. Destaque para: Os dez mandamentos (1923), Rei dos Reis (1932) e Cleópatra (1934). • Os filmes de gangsters se tornaram populares: Little Caesar e The Public Enemy (1931). Forte influência pelo Expressionismo Europeu. • O gênero ficção científica se desenvolveu com a produção de clássicos como Drácula (Bela Lugosi) e Frankenstein (Boris Karloff) ambos de 1931. • Duplo sentido com conotações sexuais de Mae West em She Done Him Wrong (1933). • Comédia anárquica sem sentido dos Irmãos Marx. www.mauriciomallet.com
  • 24. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 30 • Em 1939 os maiores êxitos do cinema foram O Maravilhoso Mágico de Oz e o E o vento levou. • Na Itália foi criada a Cinecittà por ordem de Mussolini (1937). • Na América Latina destacam-se os atores Cantinflas (México) e Carmem Miranda (Luso-brasileira) que estréia no filme "Alô, Alô Carnaval" (1936), mas somente conseguiria sucesso internacional atuando em Hollywood. www.mauriciomallet.com
  • 25. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 40 • A Segunda Guerra Mundial fez com que a Inglaterra e Estados Unidos produzissem vários filmes com apelo patriota (propaganda de guerra). No final da guerra haviam filmes anti-nazistas. Destaque para Casablanca (1943) com Humphrey Bogart. • No começo da década, o diretor Orson Welles lançou o filme Cidadão Kane com inovações nos ângulos de filmagem e narrativa não linear. • Em 1946, o diretor Frank Capra lançou o filme It's a wonderful life. www.mauriciomallet.com
  • 26. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 40 • Em 1947, o Comitê de Segurança dos Estados Unidos fez a primeira lista negra de Hollywood (acusou 10 diretores e escritores de propaganda comunista). • Na Itália nascia o Neo-realismo como reação ao cinema fascista do regime de Mussolini. Buscava a máxima naturalidade, com atores não profissionais, iluminação natural e com uma forte crítica social. Inaugura o gênero com Roma, cidade aberta (1945). www.mauriciomallet.com
  • 27. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 50 • O Comitê de Segurança (Censura) amplia a lista negra (diretores, atores e escritores, inclusive Charles Chaplin). • O início da década de 50 marcou para a chanchada brasileira uma enorme reviravolta. Embora a Atlântida tenha se consagrado na década anterior como uma das mais fortes indústrias cinematográficas do país, suas produções ainda eram um tanto desleixadas. • Os filmes 3D duraram pouco tempo (1952 a 1954), destaque para o filme House of Wax (1953). • O cineasta Akira Kurosawa projeta o cinema japonês com os filmes Rashomon e Shichinin no Samurai. www.mauriciomallet.com
  • 28. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 50 • No final da década surgiu, na França, o movimento Nouvelle Vague. • Marilyn Monroe se destaca como atriz e símbolo sexual feminino nas obras de Billy Wilder em The Seven Year Itch (1955) e Some Like it Hot (1959). • O cinema da Índia era produzido em grande escala. Em 1955 ganhou reconhecimento internacional com o filme Pather Panchali (A canção do caminho). • O cineasta sueco Ingmar Bergman ganha projeção internacional como um dos maiores cineastas de todos os tempos com as obras-primas Det Sjunde Inseglet e Smultronstället (1957). • Alfred Hitchcock lança Vertigo (um dos maiores êxitos do cinema). www.mauriciomallet.com
  • 29. CINEMA - DESENVOLVIMENTO E INDÚSTRIA ANOS 60 • O sistema Hollywood entra em declínio. Muitas produções passaram a ser feitas em Pinewood Studios na Inglaterra e Cinecittà na Itália. • Mary Poppins (1964) da Walt Disney Productions, My Fair Lady e The Sound of Music (1965) foram alguns dos filmes americanos mais rentáveis da década. • O diretor John Cassavetes inicia o novo rumo do cinema americano com a produção independente e orçamento reduzido. • Na França o destaque ficou para Jules e Jim de François Truffaut (1962). • Na Itália foi o filme La dolce Vita de Federico Fellini (1960). • Na Inglaterra o destaque para a série de filmes de 007, Dr. No (1962). • Na América Latina o maior destaque vai para a Argentina (Fernando Solanas). www.mauriciomallet.com