SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 70
O PEDAGOGO NAO PEDAGOGO NA
ARTICULAÇÃO DOARTICULAÇÃO DO
TRABALHOTRABALHO
PEDAGÓGICO!PEDAGÓGICO!
O Papel do Pedagogo
 Docentes:
Silvana Ferro Zonatto
Especialista em Educação Metodologia de 1º e 2º graus
Viviane Apª Carvalho Langer
Especialista em Educação Psicopedagogia Clínica
Cursando pós-graduação em Gestão Escolar
Ser pedagogo significa ter o
domínio sistemático e
intencional das formas(método)
através dos quais se deve
realizar o processo de formação
cultural.
(Saviani 1985)
PEDAGOGO
UNITÁRIO
PROFESSOR
ENSINO
DOCUMENTOS
ESCOLARES
INSTÂNCIAS
COLEGIADAS
GESTÃO
OTP
ALUNO
APRENDIZAGEM
TOTALIDADE
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
PEDAGOGO
UNITÁRIO
GESTÃO
TOTALIDADE
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
GESTÃO DEMOCRÁTICA
 A gestão democrática é, portanto,
atitude e método. A atitude
democrática é necessária, mas não é
suficiente. Precisamos de métodos
democráticos de efetivo exercício da
democracia. Ela também é um
aprendizado. Demanda tempo,
atenção e trabalho.”
(Gadotti, 1980, p.4)
GESTÃO DEMOCRÁTICA
 “... A gestão democrática poderá constituir
um caminho real de melhoria da qualidade
de ensino se ela for concebida, em
profundidade, como mecanismo capaz de
alterar práticas pedagógicas.”
(Sposito, Marília Pontes)
PRESSUPOSTO BÁSICO
O QUE É REALMENTE DEMOCRÁTICO
NA ESCOLA PÚBLICA?
A SOCIALIZAÇÃO DO
CONHECIMENTO
FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA PÚBLICA
GESTÃO DEMOCRÁTICA
“... Trata-se também de se pensar em uma
educação, compreendida enquanto
processo de formação humana e não
apenas instrução escolar, que permita aos
sujeitos que estão no cotidiano da escola,
ter acesso a experiências democráticas,
seja através de estudos e troca de
experiências, seja através do próprio
currículo.” (Apple)
PEDAGOGO
UNITÁRIO
INSTÂNCIAS
COLEGIADAS
TOTALIDADE
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
INSTÂNCIAS COLEGIADAS
Gestão Escolar
Papel do Pedagogo/ Direção
Responde pela mediação, organização,
integração e articulação do trabalho
pedagógico,
legitimando –se também no movimento de
organização do currículo pela via da
gestão.
INSTÂNCIAS COLEGIADAS
“...mais do que integração da escola com a
família e a comunidade ou colaboração dos
pais, é preciso entender essa presença como
mecanismo de representação e participação
política.” ( Spósito )
INSTÂNCIAS COLEGIADAS
“... Trata-se da percepção de que, para
funcionar a contento, a escola necessita da
adesão de seus usuários (não só de alunos,
mas também de seus pais ou responsáveis)
aos propósitos educativos a que ela deve
visar, e que essa adesão precisa redundar
em ações efetivas que contribuam para o
bom desempenho do estudante.” (Paro)
GRÊMIO ESTUDANTIL
Papel do Pedagogo
ENTENDIMENTO DO SIGNIFICADO DO REPRESENTANTE
DO CORPO DISCENTE
CONCEPÇÃO DE
REPRESENTAÇÃO/REPRESENTATIVIDADE
CONSELHO DE CLASSE
“Percebe-se que o Conselho de Classe é um
dos poucos organismos na escola, talvez o
único, que permite a discussão do trabalho
pedagógico em sua especificidade, de
forma espontânea e natural, já que discute
o próprio resultado do aluno, a própria
relação que tem sido estabelecida entre
aluno, professor e conteúdo, num momento
de análise e decisão para a tomada de
novos rumos desse mesmo processo. É
uma relação imediata, direta,que orienta
novas relações próximas e futuras.”
CONSELHO DE CLASSE
“O Conselho de Classe é um órgão colegiado
que pode propiciar o debate permanente e a
geração de idéias numa produção social. A
dimensão dos espaços coletivos é essencial
para o estabelecimento de uma relação
social transformadora, e torna-se
fundamental o resgate das instâncias
colegiadas na escola.”
Segundo Dalben, A.I.L.de F.
PRÉ- CONSELHO
Papel da equipe pedagógica é mediar a
relação ensino e aprendizagem buscando
no professor e no aluno os condicionantes
desse processo.
PRÉ- CONSELHO(com aluno)
fundamenta-se no diálogo
PÓS- CONSELHO
Implica nas providências previstas em C.C.
que possam dar condições para que a
aprendizagem ocorra como a retomada de
conteúdos por parte do professor, retomada
da metodologia de ensino, orientações aos
alunos e familiares.
DOCUMENTOS ESCOLARES
 Acompanhamento constante do LRC.
 LRC tomado como concretização do PTD,
que registra a ação pedagógica.
 LRC é um documento “da” escola.
 Deve estar de acordo com a instrução
14/08 DAE/CDE.
PEDAGOGO
UNITÁRIO
OTP
TOTALIDADE
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGICO
PAPEL DO PEDAGOGO
 O pedagogo visto em uma multidimensão:
social, política, humana e cultural, sem implicar
na plurifunção;
 Intelectual orgânico das massas (como diria
Gramsci) profissional que compreenda a natureza
do trabalho coletivo na escola e que percebe a
necessidade de pensar a educação neste processo
de contradição,
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGIGO( cont.)
que toma por base as condições concretas e articula
a educação às relações sociais democráticas e
emancipadoras;
 Pensa o papel da escola historicamente
mediando as relações pedagógicas: professor,
aluno, currículo, metodologia, processo de
avaliação, processo de ensino e aprendizagem
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGIGO
(cont.)
à luz de uma concepção de educação voltada a
um projeto de sociedade: não excludente, não
alienada, não reacionária ou conservadora e
sim projeto de educação coletivo, democrático e
comprometido com o acesso das classes
populares ao conhecimento sistematizado.
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGIGO
(cont.)
 Pedagogo delineia a ação intencional que
media e orienta a prática docente à luz de
uma concepção progressista.
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGIGO
E como fica o Pedagogo unitário frente a
OTP?
Mudamos os termos, não é mais Supervisor
e Orientador?
 Segundo Kuenzer...
“ A ampliação do trabalho do pedagogo é
necessária, mas não se basta senão fundamentada
nas categorias de uma pedagogia emancipatória.
Somente mudar os termos não basta, corremos o
risco de promover a substituição do trabalho
especializado do taylorismo/fordismo pelo
trabalhador multitarefa, em ações esvaziadas.
PEDAGOGO
UNITÁRIO
PROFESSOR
ENSINO
ALUNO
APRENDIZAGEM
TOTALIDADE
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
MÉTODO
ENSINO (professor)
Papel do Pedagogo
 Assessorar o professor na identificação e
planejamento para o atendimento às
dificuldades de aprendizagem.
 Acompanhar o planejamento das aulas dos
professores se está de acordo com a
Proposta Curricular Pedagógica e o Projeto
Político Pedagógico;
ENSINO (professor)
Papel do Pedagogo
 Contribuir com encaminhamentos
metodológicos, sugestões de leitura em
torno de uma prática comum e articulada
com a concepção de escola pública.
 Assessorar os professores frente a
concepção de avaliação da
aprendizagem, adequando-as à prática
pedagógica.
Organizar atendimento na hora- atividade de
maneira que garanta o espaço- tempo seja
para reflexão-ação sobre o processo
pedagógico desenvolvido em sala de aula.
ENSINO (professor)
Papel do Pedagogo
 Subsidiar o aprimoramento teórico-
metodológico do coletivo de professores
da escola, promovendo estudos
sistemáticos, troca de experiência, debates
e oficinas pedagógicas;
 Orientar o processo de elaboração do
plano de trabalho docente junto ao coletivo
APRENDIZAGEM (ALUNO)
 Organizar meios de intervenção para
trabalhar com os que apresentam
dificuldades de aprendizagem;
 Acompanhar o aluno em suas
dificuldades, encaminhando-o a outros
especialistas ou espaços de aprendizagem
(sala de recurso, sala de apoio à
aprendizagem);
•APRENDIZAGEM (ALUNO)
- Escuta
- Acompanhamento escola/ família
- Diálogo
- Orientação de estudos
- Acompanhar freqüência
“ A Educação numa concepção
transformadora, pressupõe tomar o aluno
na sua totalidade, não em um momento
reduzido como “aluno”, e isso implica em
entendê-lo dentro de uma dinâmica social,
onde as ações são determinadas” .SEED
TEXTO FINAL
Por definição, o pedagogo não pode ser nem
um puro e simples prático nem um puro e
simples teórico. Ele está entre os dois. A
ligação deve ser ao mesmo tempo
permanente e irredutível, por que não pode
deixar um fosso entre teoria e prática. É
esta abertura que permite a produção
pedagógica.
Em conseqüência, o prático em si mesmo
não é um pedagogo, é mais um utilizador
de elementos, de idéias ou de sistemas
pedagógicos. Mas o teórico da educação
como tal não é também um pedagogo;
pensar o ato pedagógico não basta.
Somente será considerado pedagogo aquele
que fará surgir um “ mais” na e pela
articulação teoria – prática na educação. Tal
é a caldeira da fabricação pedagógica.
( Libâneo 1996)
Proposta de Trabalho
 Divididos em grupo analisar os casos a
partir das colocações realizadas em relação
a cada categoria fazendo possíveis
intervenções pedagógicas a luz da teoria e
da concepção trabalhada no dia de hoje.
Caso 2
 Organização do Trabalho Pedagógico
 Análise de atas de Conselho de Classe
 A partir das colocações realizadas com
relação ao Conselho de Classe, analise a
seguinte ata fazendo possíveis
intervenções pedagógicas a luz da
concepção trabalhada no dia de hoje.
Ata 1º Bimestre 2º B
 A Diretora fez a explanação sobre a
importância de verificarmos questões de
aprendizagem e rendimento dos alunos,
refletindo sobre a metodologia aplicada em
sala de aula, questões sobre avaliação e
recuperação paralela.
 Perfil da turma: chamar os pais dos alunos
indisciplinados para assinarem termo de
 Comprometimento, assumindo dar apoio e
assistência à seus filhos, após as pedagogas
mostrarem rendimentos e dificuldades;
 Os alunos deverão sentar-se em ordem do
“espelho” da sala;
 Divulgar aos professores quando tomada
atitude em relação ao aluno.
 A equipe pedagógica orientou os
professores a necessidade de verificar
 Sua metodologia tendo em vista o baixo
rendimento de alguns alunos conforme
consta no Boletim dos mesmos, também
pediu-se aos professores que uma hora-
atividade da semana seja destinada a
atendimento individualizado aos pais e
aluno para esclarecimentos e dúvidas dos
mesmos dos procedimentos pedagógicos
por disciplina desenvolvido em sala de
aula
Ata 2º Bimestre 2º B
 Baixo rendimento, indisciplinados os
alunos:.... Alunos que não se apropriaram
dos conteúdos básicos no 2º bimestre...
 Encaminhamentos: Luan tem laudo médico
poderá realizar atividades em 2ª
chamada.Aos alunos que não se
apropriaram dos conteúdos básicos nas
disciplinas conforme ata, planilha em
anexo, os professores deveram continuar
 Com os encaminhamentos no primeiro
bimestre que diversificaram suas
metodologias e atendimento
individualizado que apresentam maior
dificuldade.
Ata 3º Bimestre 2º B
 Perfil da turma: alunos que não atingiram
conteúdos básicos desta série que poderão
ter resultado final comprometido:...
 Encaminhamentos: os responsáveis serão
convocados para tomarem ciência do baixo
rendimento e que o Colégio oferecerá no
quarto bimestre, como ocorreu nos três
bimestres anteriores, a oportunidade de
 Recuperação de estudos e reavaliação, e a
equipe pedagógica realizará estudos
didáticos e pedagógicos com os
professores das disciplinas de Português,
Matemática, Biologia, Física, inglês nas
quais os alunos apresentam maiores
dificuldades de aprendizagem.
 A partir das colocações realizadas com
relação as Instâncias Colegiadas ,
analisar os seguintes fatos fazendo
possíveis intervenções pedagógicas a luz
da concepção trabalhada no dia de hoje.
Caso 3
 Instâncias Colegiadas
 Grêmio Estudantil
 Em uma escola o senhor Diretor e a Equipe
Pedagógica resolveram instituir o Grêmio
Estudantil no estabelecimento de ensino
onde trabalham. Para tanto, escolheram
para fazer parte do Grêmio Estudantil
alguns alunos, utilizando como critério o
comportamento e o desempenho escolar
dos mesmos “bons alunos”.
Caso 4
 Instâncias Colegiadas
 Conselho Escolar
 Em uma escola, a pedagoga foi dispensada
pelo sr. Diretor, para ficar em casa, a fim
de escrever o Projeto Político Pedagógico
do estabelecimento de ensino. Depois do
documento pronto, foi passado ata de
aprovação deste documento para todos os
membros do Conselho Escolar assinarem,
mesmo os mesmos não tendo
conhecimento do teor deste documento.
Caso 5
 Instâncias Colegiadas
 APMF
 Em uma escola, a cantina comercial é
administrada pelo Sr. “B”, cunhado do
presidente da APMF. No acordo, realizado
entre as partes, ficou decidido que a escola
receberá ao final de cada mês, 10% dos
rendimentos obtidos pela referida cantina
comercial.
Caso 6
 Organização do Trabalho Pedagógico
 Atas de Conselho de Classe
 Reuniões do Conselho de Classe do 1º e do 2º
bimestre do período noturno. Decidiu-se que, em
tempo serão registradas as análises e as tomadas
de decisões referente, digo, retroativas ao 1º e 2º
bimestre no texto que se segue: Aos 12 dias do
mês de abril do ano de 2008 reuniram-se os
docentes do Ensino Médio do período noturno, a
equipe pedagógica, o diretor e a secretária. O
diretor abriu a reunião às 19:00 horas e declarou
que a finalidade do Conselho de Classe é de
análise e tomada de decisões sobre o trabalho
pedagógico desenvolvido na escola, favorecendo
um repensar das práticas de todos os envolvidos
no processo educativo, reforçando as positivas,
de sucesso, e melhorando o fazer pedagógico a
cada dia. Em seguida o diretor passou a palavra
para a pedagoga, que fez considerações a respeito
de todas as turmas, iniciando as análises e
tomadas de decisões pela 1ª série d que no 1º
bimestre apresentou vários casos de
indisciplina e de alunos e alunas
faltosos(as) em relação, digo, ao
rendimento, todos(as) alunos(as)
apresentam baixo desempenho em uma ou
mais disciplinas, conforme relação a
seguir:.....
 ...Para tentar superar os problemas de baixo rendimento
em relação à aprendizagem a recuperação dos conteúdos
ocorre e a equipe pedagógica dará ciência ao responsável
pelparalelamente ao trabalho dos demais conteúdos
planejados, mesmo assim os professores e professoras
continuarão realizando a retomada dos conteúdos,
utilizando as metodologias de ensino diversificadas. Na
questão da indisciplina, a direção irá reunir a turma para
deliberar possíveis soluções o(a) aluno(a) sobre o
comportamento, a fim de que sejam tomadas as devidas
providências. Os responsáveis também tomarão
conhecimento das faltas, caso necessário, haverá
convocação por escrito para que compareça,justifique as
faltas a fim de reintegrar o(a) aluno(a) à sala de aula.
Ata do 4º bimestre
 palavra para cada professor (a) representante de turma,
que fizeram explanações sobre a importância de verificar
as questões de aprendizagem e rendimento dos alunos
e ... Após a abertura dos trabalhos o Presidente concedeu
a alunas, bem como de reflexões sobre as metodologias
aplicadas em sala de aula, questões sobre a avaliação e
recuperação paralela foram analisadas caso a caso dos
alunos(as) de cada turma. Inicialmente, o Presidente
concedeu a palavra para a professora... Que listou alunos
(as) que obtiveram resultado final Aprovado
(a)....aprovados por Conselho de Classe ....e reprovados...
Caso 7
 Gestão Democrática
 A partir das colocações realizadas a
Gestão Democrática, analise o seguinte
fato fazendo possíveis intervenções
pedagógicas a luz da concepção
trabalhada no dia de hoje.
 Ao término do ano letivo de 2007, o aluno “X” foi reprovado na 1ª
série do Ensino Médio, nas disciplinas de Química, Física e
Matemática.No início do ano letivo de 2008, o aluno “X” estava
frequentando a 2ª série do Ensino Médio, fato percebido pelos
professores, após 15 dias de aula, momento em que foram entregues
os espelhos dos Livros Registro de Classe .Frente a isso, os
professores das disciplinas onde ocorreu a reprovação, questionaram
a secretária do estabelecimento de ensino, a qual informou aos
professores que, durante as férias, os responsáveis pelo aluno
solicitaram revisão do resultado final. Como os professores e
pedagogos estavam viajando, o Diretor, solicitoi à ela que alterasse
as notas do aluno a fim de que o mesmo fosse aprovado, uma vez
que não havia jeito de ser realizado o Conselho de Classe
Extraordinário.
Caso 8
 Papel do pedagogo
 A partir das colocações realizadas com
relação ao papel do pedagogo, analise o
seguinte fato fazendo possíveis
intervenções pedagógicas a luz e da
concepção trabalhada no dia de hoje.
 Durante o “ recreio”, dois alunos de
Ensino Fundamental, quinta série,
agrediram-se verbalmente e fisicamente. O
pedagogo que passava por ali presenciou o
fato, porém nada fez: solicitou a um aluno
que chamasse o Diretor para tomar
providências cabíveis.
Caso 9
 Pedagogo “ Unitário”
 A partir das colocações realizadas com
relação ao papel do Pedagogo Unitário,
analise o seguinte fato fazendo possíveis
intervenções pedagógicas a luz da
concepção trabalhada no dia de hoje.
 Com o advento da LDB9394/96, fez-se necessário uma
reconfiguração do trabalho do pedagogo nos
estabelecimentos de ensino. Frente a esta situação, na
Escola Flor de Liz, os pedagogos especialistas em
orientação e supervisão tiveram que assumir a função do
Pedagogo “ Unitário”. As duas passaram a trabalhar na
mesma sala. No entanto, a pedagoga A (orientadora) não
pode comparecer a escola por um período de 15 dias; a
pedagoga B
(supervisora) evitou realizar atendimento aos pais e aos
alunos, alegando não ter formação ou perfil para tais
ações. Todos os pais que compareceram à escola neste
período, foram orientados a retornar em outro momento,
ou seja, quando a pedagoga A estivesse
presente .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Magda Marques
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
 
Formação continuada de professores em exercício
Formação continuada de professores em exercícioFormação continuada de professores em exercício
Formação continuada de professores em exercícioShirley Lauria
 
Reunião pedagógica rosane gorges
Reunião pedagógica   rosane gorgesReunião pedagógica   rosane gorges
Reunião pedagógica rosane gorgesluannagorges
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaRoselene Rocha
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professoresditadoida
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professorcarmemlima
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolarAnanda Lima
 
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosasSemana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosasSeduc MT
 
Formação de docentes
Formação de docentesFormação de docentes
Formação de docentesrosangelamenta
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolarfolilim
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Carlos Caldas
 
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista Ana Mara Oliveira de Sousa
 
Didática
DidáticaDidática
Didáticagadea
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRiaSilvia Marina Anaruma
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaUlisses Vakirtzis
 

Mais procurados (20)

Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Formação continuada de professores em exercício
Formação continuada de professores em exercícioFormação continuada de professores em exercício
Formação continuada de professores em exercício
 
Reunião pedagógica rosane gorges
Reunião pedagógica   rosane gorgesReunião pedagógica   rosane gorges
Reunião pedagógica rosane gorges
 
Aula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
 
Formação continuada de professores
Formação continuada de professoresFormação continuada de professores
Formação continuada de professores
 
EDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTILEDUCAÇÃO INFANTIL
EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosasSemana Pedagógica. 13 dicas valiosas
Semana Pedagógica. 13 dicas valiosas
 
Formação de docentes
Formação de docentesFormação de docentes
Formação de docentes
 
Planejamento Escolar
Planejamento EscolarPlanejamento Escolar
Planejamento Escolar
 
Psicologia da Educação
Psicologia da Educação Psicologia da Educação
Psicologia da Educação
 
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
Slides Tendência Pedagógica Renovada Progressivista
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
Metodologias Ativas: O que queremos com elas?
 

Destaque

O papel do pedagogo na escola
O papel do pedagogo na escolaO papel do pedagogo na escola
O papel do pedagogo na escolaCleia Printes
 
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGO
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGOPedagogia, O QUE É SER PEDAGOGO
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGOMírian Barbosa
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaCamilla Follador
 
Áreas de atuação do pedagogo
Áreas de atuação do pedagogoÁreas de atuação do pedagogo
Áreas de atuação do pedagogoBeatriz
 
Apresentação do pedagogo
Apresentação do pedagogoApresentação do pedagogo
Apresentação do pedagogoAndréa Kochhann
 
Caminhos históricos da pedagogia!
Caminhos históricos da pedagogia!Caminhos históricos da pedagogia!
Caminhos históricos da pedagogia!Pcneves
 
Educação formal e não formal
Educação formal e não formalEducação formal e não formal
Educação formal e não formalAna Vilalva
 
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporâneaO pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporâneaMirianne Almeida
 
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na AtualidadeC:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na AtualidadeSolange Soares
 
introdução a pedagogia
introdução a pedagogiaintrodução a pedagogia
introdução a pedagogiaBraga Santos
 
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18UFPB
 
Educação Formal e Não Formal
Educação Formal e Não FormalEducação Formal e Não Formal
Educação Formal e Não FormalThayseH
 
Pedagogia Empresarial
Pedagogia EmpresarialPedagogia Empresarial
Pedagogia EmpresarialSimone Lucas
 
Marx e Pedagogia Moderna
Marx e Pedagogia ModernaMarx e Pedagogia Moderna
Marx e Pedagogia ModernaJoselaine
 

Destaque (20)

O papel do pedagogo na escola
O papel do pedagogo na escolaO papel do pedagogo na escola
O papel do pedagogo na escola
 
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGO
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGOPedagogia, O QUE É SER PEDAGOGO
Pedagogia, O QUE É SER PEDAGOGO
 
O papel do Pedagogo
O papel do PedagogoO papel do Pedagogo
O papel do Pedagogo
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
 
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
Áreas de atuação do pedagogo
Áreas de atuação do pedagogoÁreas de atuação do pedagogo
Áreas de atuação do pedagogo
 
Slide história da pedagogia
Slide   história da pedagogiaSlide   história da pedagogia
Slide história da pedagogia
 
Apresentação do pedagogo
Apresentação do pedagogoApresentação do pedagogo
Apresentação do pedagogo
 
Espaços não formais de educação
Espaços não formais de educaçãoEspaços não formais de educação
Espaços não formais de educação
 
Caminhos históricos da pedagogia!
Caminhos históricos da pedagogia!Caminhos históricos da pedagogia!
Caminhos históricos da pedagogia!
 
Educação formal e não formal
Educação formal e não formalEducação formal e não formal
Educação formal e não formal
 
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporâneaO pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea
 
Pedagogia empresarial
Pedagogia empresarialPedagogia empresarial
Pedagogia empresarial
 
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na AtualidadeC:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
C:\Fakepath\Papel Do Pedagogo Na Atualidade
 
introdução a pedagogia
introdução a pedagogiaintrodução a pedagogia
introdução a pedagogia
 
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
Campo de atuação_do_pedagogo- aula do dia 18
 
Educação Formal e Não Formal
Educação Formal e Não FormalEducação Formal e Não Formal
Educação Formal e Não Formal
 
Pedagogia Empresarial
Pedagogia EmpresarialPedagogia Empresarial
Pedagogia Empresarial
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Marx e Pedagogia Moderna
Marx e Pedagogia ModernaMarx e Pedagogia Moderna
Marx e Pedagogia Moderna
 

Semelhante a Papel pedagogo

Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosmarcaocampos
 
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosmarcaocampos
 
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1ArtigoCONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigocefaprodematupa
 
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVA
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVAMETODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVA
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVASuperTec1
 
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuhAndressa Rafaela Bandeira
 
Profissão especialista da educacao 2
Profissão especialista da educacao 2Profissão especialista da educacao 2
Profissão especialista da educacao 2Francismar Lopes
 
A atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógicoA atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógicoIvaneide B S
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisrenatalguterres
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisRosinara Azeredo
 
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103Maria Rosa Lopes
 
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTEProfessorPrincipiante
 
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptx
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptxUNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptx
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptxfnzrb5pnbp
 
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdfTEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdfDrikaSato
 
O coordenador pedagógico e o espaço de mudança
O coordenador pedagógico e o espaço de mudançaO coordenador pedagógico e o espaço de mudança
O coordenador pedagógico e o espaço de mudançagabrielbertoldo
 

Semelhante a Papel pedagogo (20)

Gestão Democrática Sônia_02
Gestão Democrática Sônia_02Gestão Democrática Sônia_02
Gestão Democrática Sônia_02
 
A Aula Universitária
A Aula UniversitáriaA Aula Universitária
A Aula Universitária
 
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
 
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todosMacedo, lino, como construir uma escola para todos
Macedo, lino, como construir uma escola para todos
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1ArtigoCONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
CONTRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA1Artigo
 
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVA
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVAMETODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVA
METODOLOGIAS ATIVAS FERRAMENTAS PARA EDUCACAO INCLUSIVA
 
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh
2009 unioeste pedagogo_artigo_itagira_vigo_schuh
 
Profissão especialista da educacao 2
Profissão especialista da educacao 2Profissão especialista da educacao 2
Profissão especialista da educacao 2
 
A atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógicoA atuação do coordenador pedagógico
A atuação do coordenador pedagógico
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103
Trabalho ev056 md4_sa7_id9614_15082016091103
 
Escola e sociedade
Escola e sociedadeEscola e sociedade
Escola e sociedade
 
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSOR INICIANTE: O SER E ESTAR NA PROFISSÃO DOCENTE
 
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptx
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptxUNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptx
UNIESP_PED03CG_DIDÁTICA_AULA 01 do curso de pedagogia.pptx
 
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdfTEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
TEXTO3.2-Percepção acerca do prof reflexivo.pdf
 
O coordenador pedagógico e o espaço de mudança
O coordenador pedagógico e o espaço de mudançaO coordenador pedagógico e o espaço de mudança
O coordenador pedagógico e o espaço de mudança
 
PCN
PCNPCN
PCN
 
Artigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinaresArtigo sobre projetos interdisciplinares
Artigo sobre projetos interdisciplinares
 

Último

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioWyngDaFelyzitahLamba
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................mariagrave
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 

Último (20)

ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 

Papel pedagogo

  • 1. O PEDAGOGO NAO PEDAGOGO NA ARTICULAÇÃO DOARTICULAÇÃO DO TRABALHOTRABALHO PEDAGÓGICO!PEDAGÓGICO!
  • 2. O Papel do Pedagogo  Docentes: Silvana Ferro Zonatto Especialista em Educação Metodologia de 1º e 2º graus Viviane Apª Carvalho Langer Especialista em Educação Psicopedagogia Clínica Cursando pós-graduação em Gestão Escolar
  • 3. Ser pedagogo significa ter o domínio sistemático e intencional das formas(método) através dos quais se deve realizar o processo de formação cultural. (Saviani 1985)
  • 6. GESTÃO DEMOCRÁTICA  A gestão democrática é, portanto, atitude e método. A atitude democrática é necessária, mas não é suficiente. Precisamos de métodos democráticos de efetivo exercício da democracia. Ela também é um aprendizado. Demanda tempo, atenção e trabalho.” (Gadotti, 1980, p.4)
  • 7. GESTÃO DEMOCRÁTICA  “... A gestão democrática poderá constituir um caminho real de melhoria da qualidade de ensino se ela for concebida, em profundidade, como mecanismo capaz de alterar práticas pedagógicas.” (Sposito, Marília Pontes)
  • 8. PRESSUPOSTO BÁSICO O QUE É REALMENTE DEMOCRÁTICO NA ESCOLA PÚBLICA? A SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA PÚBLICA
  • 9. GESTÃO DEMOCRÁTICA “... Trata-se também de se pensar em uma educação, compreendida enquanto processo de formação humana e não apenas instrução escolar, que permita aos sujeitos que estão no cotidiano da escola, ter acesso a experiências democráticas, seja através de estudos e troca de experiências, seja através do próprio currículo.” (Apple)
  • 11. INSTÂNCIAS COLEGIADAS Gestão Escolar Papel do Pedagogo/ Direção Responde pela mediação, organização, integração e articulação do trabalho pedagógico, legitimando –se também no movimento de organização do currículo pela via da gestão.
  • 12. INSTÂNCIAS COLEGIADAS “...mais do que integração da escola com a família e a comunidade ou colaboração dos pais, é preciso entender essa presença como mecanismo de representação e participação política.” ( Spósito )
  • 13. INSTÂNCIAS COLEGIADAS “... Trata-se da percepção de que, para funcionar a contento, a escola necessita da adesão de seus usuários (não só de alunos, mas também de seus pais ou responsáveis) aos propósitos educativos a que ela deve visar, e que essa adesão precisa redundar em ações efetivas que contribuam para o bom desempenho do estudante.” (Paro)
  • 14. GRÊMIO ESTUDANTIL Papel do Pedagogo ENTENDIMENTO DO SIGNIFICADO DO REPRESENTANTE DO CORPO DISCENTE CONCEPÇÃO DE REPRESENTAÇÃO/REPRESENTATIVIDADE
  • 15. CONSELHO DE CLASSE “Percebe-se que o Conselho de Classe é um dos poucos organismos na escola, talvez o único, que permite a discussão do trabalho pedagógico em sua especificidade, de forma espontânea e natural, já que discute o próprio resultado do aluno, a própria relação que tem sido estabelecida entre aluno, professor e conteúdo, num momento de análise e decisão para a tomada de novos rumos desse mesmo processo. É uma relação imediata, direta,que orienta novas relações próximas e futuras.”
  • 16. CONSELHO DE CLASSE “O Conselho de Classe é um órgão colegiado que pode propiciar o debate permanente e a geração de idéias numa produção social. A dimensão dos espaços coletivos é essencial para o estabelecimento de uma relação social transformadora, e torna-se fundamental o resgate das instâncias colegiadas na escola.” Segundo Dalben, A.I.L.de F.
  • 17. PRÉ- CONSELHO Papel da equipe pedagógica é mediar a relação ensino e aprendizagem buscando no professor e no aluno os condicionantes desse processo.
  • 19. PÓS- CONSELHO Implica nas providências previstas em C.C. que possam dar condições para que a aprendizagem ocorra como a retomada de conteúdos por parte do professor, retomada da metodologia de ensino, orientações aos alunos e familiares.
  • 20. DOCUMENTOS ESCOLARES  Acompanhamento constante do LRC.  LRC tomado como concretização do PTD, que registra a ação pedagógica.  LRC é um documento “da” escola.  Deve estar de acordo com a instrução 14/08 DAE/CDE.
  • 22. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO PAPEL DO PEDAGOGO  O pedagogo visto em uma multidimensão: social, política, humana e cultural, sem implicar na plurifunção;  Intelectual orgânico das massas (como diria Gramsci) profissional que compreenda a natureza do trabalho coletivo na escola e que percebe a necessidade de pensar a educação neste processo de contradição,
  • 23. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGIGO( cont.) que toma por base as condições concretas e articula a educação às relações sociais democráticas e emancipadoras;  Pensa o papel da escola historicamente mediando as relações pedagógicas: professor, aluno, currículo, metodologia, processo de avaliação, processo de ensino e aprendizagem
  • 24. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGIGO (cont.) à luz de uma concepção de educação voltada a um projeto de sociedade: não excludente, não alienada, não reacionária ou conservadora e sim projeto de educação coletivo, democrático e comprometido com o acesso das classes populares ao conhecimento sistematizado.
  • 25. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGIGO (cont.)  Pedagogo delineia a ação intencional que media e orienta a prática docente à luz de uma concepção progressista.
  • 26. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGIGO E como fica o Pedagogo unitário frente a OTP? Mudamos os termos, não é mais Supervisor e Orientador?
  • 27.  Segundo Kuenzer... “ A ampliação do trabalho do pedagogo é necessária, mas não se basta senão fundamentada nas categorias de uma pedagogia emancipatória. Somente mudar os termos não basta, corremos o risco de promover a substituição do trabalho especializado do taylorismo/fordismo pelo trabalhador multitarefa, em ações esvaziadas.
  • 29. ENSINO (professor) Papel do Pedagogo  Assessorar o professor na identificação e planejamento para o atendimento às dificuldades de aprendizagem.  Acompanhar o planejamento das aulas dos professores se está de acordo com a Proposta Curricular Pedagógica e o Projeto Político Pedagógico;
  • 30. ENSINO (professor) Papel do Pedagogo  Contribuir com encaminhamentos metodológicos, sugestões de leitura em torno de uma prática comum e articulada com a concepção de escola pública.  Assessorar os professores frente a concepção de avaliação da aprendizagem, adequando-as à prática pedagógica.
  • 31. Organizar atendimento na hora- atividade de maneira que garanta o espaço- tempo seja para reflexão-ação sobre o processo pedagógico desenvolvido em sala de aula.
  • 32. ENSINO (professor) Papel do Pedagogo  Subsidiar o aprimoramento teórico- metodológico do coletivo de professores da escola, promovendo estudos sistemáticos, troca de experiência, debates e oficinas pedagógicas;  Orientar o processo de elaboração do plano de trabalho docente junto ao coletivo
  • 33. APRENDIZAGEM (ALUNO)  Organizar meios de intervenção para trabalhar com os que apresentam dificuldades de aprendizagem;  Acompanhar o aluno em suas dificuldades, encaminhando-o a outros especialistas ou espaços de aprendizagem (sala de recurso, sala de apoio à aprendizagem);
  • 34. •APRENDIZAGEM (ALUNO) - Escuta - Acompanhamento escola/ família - Diálogo - Orientação de estudos - Acompanhar freqüência
  • 35. “ A Educação numa concepção transformadora, pressupõe tomar o aluno na sua totalidade, não em um momento reduzido como “aluno”, e isso implica em entendê-lo dentro de uma dinâmica social, onde as ações são determinadas” .SEED
  • 36. TEXTO FINAL Por definição, o pedagogo não pode ser nem um puro e simples prático nem um puro e simples teórico. Ele está entre os dois. A ligação deve ser ao mesmo tempo permanente e irredutível, por que não pode deixar um fosso entre teoria e prática. É esta abertura que permite a produção pedagógica.
  • 37. Em conseqüência, o prático em si mesmo não é um pedagogo, é mais um utilizador de elementos, de idéias ou de sistemas pedagógicos. Mas o teórico da educação como tal não é também um pedagogo; pensar o ato pedagógico não basta.
  • 38. Somente será considerado pedagogo aquele que fará surgir um “ mais” na e pela articulação teoria – prática na educação. Tal é a caldeira da fabricação pedagógica. ( Libâneo 1996)
  • 39. Proposta de Trabalho  Divididos em grupo analisar os casos a partir das colocações realizadas em relação a cada categoria fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz da teoria e da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 40. Caso 2  Organização do Trabalho Pedagógico  Análise de atas de Conselho de Classe
  • 41.  A partir das colocações realizadas com relação ao Conselho de Classe, analise a seguinte ata fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 42. Ata 1º Bimestre 2º B  A Diretora fez a explanação sobre a importância de verificarmos questões de aprendizagem e rendimento dos alunos, refletindo sobre a metodologia aplicada em sala de aula, questões sobre avaliação e recuperação paralela.  Perfil da turma: chamar os pais dos alunos indisciplinados para assinarem termo de
  • 43.  Comprometimento, assumindo dar apoio e assistência à seus filhos, após as pedagogas mostrarem rendimentos e dificuldades;  Os alunos deverão sentar-se em ordem do “espelho” da sala;  Divulgar aos professores quando tomada atitude em relação ao aluno.  A equipe pedagógica orientou os professores a necessidade de verificar
  • 44.  Sua metodologia tendo em vista o baixo rendimento de alguns alunos conforme consta no Boletim dos mesmos, também pediu-se aos professores que uma hora- atividade da semana seja destinada a atendimento individualizado aos pais e aluno para esclarecimentos e dúvidas dos mesmos dos procedimentos pedagógicos por disciplina desenvolvido em sala de aula
  • 45. Ata 2º Bimestre 2º B  Baixo rendimento, indisciplinados os alunos:.... Alunos que não se apropriaram dos conteúdos básicos no 2º bimestre...  Encaminhamentos: Luan tem laudo médico poderá realizar atividades em 2ª chamada.Aos alunos que não se apropriaram dos conteúdos básicos nas disciplinas conforme ata, planilha em anexo, os professores deveram continuar
  • 46.  Com os encaminhamentos no primeiro bimestre que diversificaram suas metodologias e atendimento individualizado que apresentam maior dificuldade.
  • 47. Ata 3º Bimestre 2º B  Perfil da turma: alunos que não atingiram conteúdos básicos desta série que poderão ter resultado final comprometido:...  Encaminhamentos: os responsáveis serão convocados para tomarem ciência do baixo rendimento e que o Colégio oferecerá no quarto bimestre, como ocorreu nos três bimestres anteriores, a oportunidade de
  • 48.  Recuperação de estudos e reavaliação, e a equipe pedagógica realizará estudos didáticos e pedagógicos com os professores das disciplinas de Português, Matemática, Biologia, Física, inglês nas quais os alunos apresentam maiores dificuldades de aprendizagem.
  • 49.  A partir das colocações realizadas com relação as Instâncias Colegiadas , analisar os seguintes fatos fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 50. Caso 3  Instâncias Colegiadas  Grêmio Estudantil
  • 51.  Em uma escola o senhor Diretor e a Equipe Pedagógica resolveram instituir o Grêmio Estudantil no estabelecimento de ensino onde trabalham. Para tanto, escolheram para fazer parte do Grêmio Estudantil alguns alunos, utilizando como critério o comportamento e o desempenho escolar dos mesmos “bons alunos”.
  • 52. Caso 4  Instâncias Colegiadas  Conselho Escolar
  • 53.  Em uma escola, a pedagoga foi dispensada pelo sr. Diretor, para ficar em casa, a fim de escrever o Projeto Político Pedagógico do estabelecimento de ensino. Depois do documento pronto, foi passado ata de aprovação deste documento para todos os membros do Conselho Escolar assinarem, mesmo os mesmos não tendo conhecimento do teor deste documento.
  • 54. Caso 5  Instâncias Colegiadas  APMF
  • 55.  Em uma escola, a cantina comercial é administrada pelo Sr. “B”, cunhado do presidente da APMF. No acordo, realizado entre as partes, ficou decidido que a escola receberá ao final de cada mês, 10% dos rendimentos obtidos pela referida cantina comercial.
  • 56. Caso 6  Organização do Trabalho Pedagógico  Atas de Conselho de Classe
  • 57.  Reuniões do Conselho de Classe do 1º e do 2º bimestre do período noturno. Decidiu-se que, em tempo serão registradas as análises e as tomadas de decisões referente, digo, retroativas ao 1º e 2º bimestre no texto que se segue: Aos 12 dias do mês de abril do ano de 2008 reuniram-se os docentes do Ensino Médio do período noturno, a equipe pedagógica, o diretor e a secretária. O diretor abriu a reunião às 19:00 horas e declarou
  • 58. que a finalidade do Conselho de Classe é de análise e tomada de decisões sobre o trabalho pedagógico desenvolvido na escola, favorecendo um repensar das práticas de todos os envolvidos no processo educativo, reforçando as positivas, de sucesso, e melhorando o fazer pedagógico a cada dia. Em seguida o diretor passou a palavra para a pedagoga, que fez considerações a respeito de todas as turmas, iniciando as análises e tomadas de decisões pela 1ª série d que no 1º
  • 59. bimestre apresentou vários casos de indisciplina e de alunos e alunas faltosos(as) em relação, digo, ao rendimento, todos(as) alunos(as) apresentam baixo desempenho em uma ou mais disciplinas, conforme relação a seguir:.....
  • 60.  ...Para tentar superar os problemas de baixo rendimento em relação à aprendizagem a recuperação dos conteúdos ocorre e a equipe pedagógica dará ciência ao responsável pelparalelamente ao trabalho dos demais conteúdos planejados, mesmo assim os professores e professoras continuarão realizando a retomada dos conteúdos, utilizando as metodologias de ensino diversificadas. Na questão da indisciplina, a direção irá reunir a turma para deliberar possíveis soluções o(a) aluno(a) sobre o comportamento, a fim de que sejam tomadas as devidas providências. Os responsáveis também tomarão conhecimento das faltas, caso necessário, haverá convocação por escrito para que compareça,justifique as faltas a fim de reintegrar o(a) aluno(a) à sala de aula.
  • 61. Ata do 4º bimestre  palavra para cada professor (a) representante de turma, que fizeram explanações sobre a importância de verificar as questões de aprendizagem e rendimento dos alunos e ... Após a abertura dos trabalhos o Presidente concedeu a alunas, bem como de reflexões sobre as metodologias aplicadas em sala de aula, questões sobre a avaliação e recuperação paralela foram analisadas caso a caso dos alunos(as) de cada turma. Inicialmente, o Presidente concedeu a palavra para a professora... Que listou alunos (as) que obtiveram resultado final Aprovado (a)....aprovados por Conselho de Classe ....e reprovados...
  • 62. Caso 7  Gestão Democrática
  • 63.  A partir das colocações realizadas a Gestão Democrática, analise o seguinte fato fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 64.  Ao término do ano letivo de 2007, o aluno “X” foi reprovado na 1ª série do Ensino Médio, nas disciplinas de Química, Física e Matemática.No início do ano letivo de 2008, o aluno “X” estava frequentando a 2ª série do Ensino Médio, fato percebido pelos professores, após 15 dias de aula, momento em que foram entregues os espelhos dos Livros Registro de Classe .Frente a isso, os professores das disciplinas onde ocorreu a reprovação, questionaram a secretária do estabelecimento de ensino, a qual informou aos professores que, durante as férias, os responsáveis pelo aluno solicitaram revisão do resultado final. Como os professores e pedagogos estavam viajando, o Diretor, solicitoi à ela que alterasse as notas do aluno a fim de que o mesmo fosse aprovado, uma vez que não havia jeito de ser realizado o Conselho de Classe Extraordinário.
  • 65. Caso 8  Papel do pedagogo
  • 66.  A partir das colocações realizadas com relação ao papel do pedagogo, analise o seguinte fato fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz e da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 67.  Durante o “ recreio”, dois alunos de Ensino Fundamental, quinta série, agrediram-se verbalmente e fisicamente. O pedagogo que passava por ali presenciou o fato, porém nada fez: solicitou a um aluno que chamasse o Diretor para tomar providências cabíveis.
  • 68. Caso 9  Pedagogo “ Unitário”
  • 69.  A partir das colocações realizadas com relação ao papel do Pedagogo Unitário, analise o seguinte fato fazendo possíveis intervenções pedagógicas a luz da concepção trabalhada no dia de hoje.
  • 70.  Com o advento da LDB9394/96, fez-se necessário uma reconfiguração do trabalho do pedagogo nos estabelecimentos de ensino. Frente a esta situação, na Escola Flor de Liz, os pedagogos especialistas em orientação e supervisão tiveram que assumir a função do Pedagogo “ Unitário”. As duas passaram a trabalhar na mesma sala. No entanto, a pedagoga A (orientadora) não pode comparecer a escola por um período de 15 dias; a pedagoga B (supervisora) evitou realizar atendimento aos pais e aos alunos, alegando não ter formação ou perfil para tais ações. Todos os pais que compareceram à escola neste período, foram orientados a retornar em outro momento, ou seja, quando a pedagoga A estivesse presente .