Pedagogia Profunda - Céline Lorthiois

771 visualizações

Publicada em

http://igovsp.net/inovaday

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
141
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pedagogia Profunda - Céline Lorthiois

  1. 1. O EDUCADOR Princípio da Pedagogia Profunda
  2. 2. Pedagogia Profunda, o que é?
  3. 3. É uma pedagogia junguiana, e de outros pensadores afins. A Pedagogia Profunda conta também com a contribuição de todos os alunos dos cursos, dos educadores ou outros profissionais que a praticam, e das crianças que apontam caminhos.
  4. 4. O que tem de junguiano? A arte de lidar com o ser humano. A relação com o outro é dialética: mesmo oferecendo contorno, limites, o educador está em um pé de igualdade com o educando.
  5. 5. Junguiano também é o modelo da psique.
  6. 6. - Além da consciência, o inconsciente coletivo; este contém memórias de toda a humanidade, de tudo o que antecedeu o momento atual, de tudo o que existe, e conteúdos que ainda não fazem parte do universo consciente do homem.
  7. 7. - Essas memórias atuam no ser. • O educador considera a atuação dessas memórias e assim acolhe a alma dos alunos no espaço educacional.
  8. 8. • A compreensão, pelo educador, do caráter sensato de comportamentos infantis, ou seja, de sua direção e dos seus propósitos, possibilita o crescimento sadio da criança. • Explicar x compreender, na Pedagogia Profunda.
  9. 9. A psicologia junguiana comporta o ser humano na sua integralidade e permite suprir carências de propostas educacionais atuais.
  10. 10. • A questão da aprendizagem: - Integridade psíquica em 1º lugar. • Um caso exemplar... • Na Pedagogia Profunda, a criança atua não apenas no mundo exterior, mas também ocupa seu mundo interior.
  11. 11. Da mesma maneira que entro em contato com o mundo exterior através do corpo, é através da alma que atinjo o mundo interior. Jung
  12. 12. Proposta: liberdade e confiança
  13. 13. • Educar é respeitar as características e atender às necessidades do educando. • Livre escolha de atividades. • A criança sabe o que é bom para ela: a lição de uma criança. • Inclusão da alma e guiança interior.
  14. 14. • Atenção ao corpo, aos sonhos, às emoções, ao intelecto, à espiritualidade. As práticas para o corpo – expressões da alma: trabalhos corporais, danças circulares ou outras, trabalho com a matéria, por meio de técnicas artesanais e trabalhos manuais, brincadeiras, jogos e confecção de brinquedos.
  15. 15. Comunicação com pais e escolas
  16. 16. • Dificuldade em explicar a Pedagogia Profunda em escolas. • A escola pode demonstrar surpresa por não focarmos as dificuldades do aluno (nosso foco são os elementos positivos) nem determinar onde queremos chegar e os caminhos que queremos percorrer.
  17. 17. • Escola: Não sabe para onde vai conduzir o aluno! • Pedagogia Profunda: O aluno vai mostrar aonde quer ir!
  18. 18. • Surpresa com os resultados de um trabalho pedagógico que não tem meta. (O aluno melhora, fica mais organizado, interage mais, demonstra interesse, melhora em certas matérias...) • Objetivo da Pedagogia Profunda.
  19. 19. O currículo é a vida, e o foco da atenção do educador é o seu próprio desenvolvimento e o da personalidade do educando.
  20. 20. Autoconhecimento • O autoconhecimento permite o desenvolvimento do educador e evita que projete nas crianças seus próprios temores, necessidades e insatisfações.
  21. 21. • Evita a criação de expectativas em relação aos educandos: uma expectativa equivale a uma prescrição e obstaculiza o desenvolvimento da criança. • O propósito da Pedagogia Profunda não é a performance. É a verdade. É zelar para que cada educando possa desenvolver o talento de ser ele mesmo.
  22. 22. O ambiente da Pedagogia Profunda é a personalidade do educador; mais importante que qualquer espaço físico, ele é o conteúdo verdadeiro, que ajuda o educando a crescer.
  23. 23. • Acessar uma sabedoria interna, utilizar os recursos da intuição, assim como das funções de sensação, intelecto e sentimento, desenvolvidas e aguçadas pelo conhecimento teórico, pela prática do trabalho com a matéria, os trabalhos corporais e as danças circulares.
  24. 24. • Qualificação do educador por meio do experimentar subjetivo, para que ele possa vir a ser o receptáculo das vivências infantis.
  25. 25. O educador como princípio na Pedagogia Profunda
  26. 26. • O início e o lugar. • Educadores da Pedagogia Profunda encontram brechas e soluções • - com trabalhos corporais; • - com a dança circular; • - com trabalhos manuais.
  27. 27. Dança Circular
  28. 28. • Sagrada. • Dança circular nem sempre é realizada na forma de roda. • Circularidade do anseio pela harmonia. • União em torno de um centro. • Encontro de cada um com o seu próprio centro.
  29. 29. • Na dança, contato com o imaginário cultural. • Com crianças pequenas, cirandas e cantigas de roda da cultura infantil brasileira, e danças de outras culturas, quando dizem respeito ao momento e ao interesse das crianças.
  30. 30. Trabalho Corporal
  31. 31. • Técnicas de relaxamento – Toques sutis de Pethö Sándor. • Os trabalhos corporais atuam nos planos físico, emocional, intelectual e espiritual da pessoa. • Criação espontânea de trabalhos corporais pelas crianças.
  32. 32. Trabalhos Manuais
  33. 33. • Prática de trabalhos artesanais e manuais: contato prazeroso com a matéria e com os elementos – terra, fogo, água e ar – em seus diferentes estados. • No contato com a matéria, a criança entra em contato com o mundo, a natureza, e se constrói.
  34. 34. • O contato com a matéria, as técnicas de artesanato, formam, informam e vivificam a criança: através desse contato, a criança aprende o manejo dos elementos e das substâncias. • Aprendizagem de limites pelo trabalho manual.
  35. 35. • Através de modalidades antiquíssimas de produção de artefatos (tecelagem, cerâmica, macramê...), a criança recebe informações sutis sobre a sua ancestralidade, familiariza-se com diversos materiais, e se abastece de raízes planetárias e humanas.
  36. 36. Trabalho com diversos materiais
  37. 37. • Permite a autoexpressão do ser. • Isso não quer dizer que a criança não possa satisfazer também suas necessidades intelectuais. • A criança que apreende o mundo de modo concreto e espontâneo, naturalmente desenvolve um pensamento abstrato.
  38. 38. Educação, profilaxia e terapia
  39. 39. • A Pedagogia Profunda sana problemas afetivos, situações de sofrimento e dificuldades de aprendizagem vinculadas à ausência de uma atenção para a totalidade do ser.
  40. 40. • Ela tem aplicabilidade em todos os contextos educacionais: escolares, terapêuticos, familiares, recreativos, nos quais se possa estabelecer um ambiente descontraído. Nesses contextos, ela demonstra ter, além de uma ação educativa, um efeito profilático e terapêutico.
  41. 41. Ateliê Fazer e Ser
  42. 42. • Espaço complementar à escola, a fim de amenizar o sofrimento de crianças que carecem de um espaço para o autoconhecimento, a expressão de sua criatividade e o atendimento de todos os planos de seu ser. • As oficinas do Ateliê são oferecidas para crianças entre 3 e 14 anos e também para adultos.
  43. 43. O Curso de Formação em Pedagogia Profunda Destina-se a pedagogos, professores, psicopedagogos, psicólogos e profissionais que atuam na área de educação e cultura infantil.

×