O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea

10.657 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.657
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
151
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O pedagogo e sua práxis: desafios e possibilidades na sociedade contemporânea

  1. 1. O PEDAGOGO E SUA PRÁXIS: DESAFIOS E POSSIBILIDADES NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEAMirianne Santos de AlmeidaRESUMO Os avanços provenientes da contemporaneidade, em particular a acessibilidadea novas tecnologias, têm provocado mudanças em todos os setores da sociedade, emespecial na educação, a qual vem sofrendo alterações ao longo do tempo, tanto naampliação do conceito como nas formas de concebê-la. Diante disso, o presente estudodiscorre sobre a importância da educação na sociedade contemporânea destacando opedagogo como o profissional apto a desenvolver tal função. A partir de uma breveretrospectiva histórica do campo de atuação do pedagogo, pretende-se mostrar quea pedagogia não se limita à instituição escolar, desmistificando o paradigma de que opedagogo atua única e exclusivamente na educação infantil. Sabendo que o ato docente éapenas uma das instâncias dos diversos atos pedagógicos, convém ressaltar o surgimentode novas possibilidades de atuação, até então não pensadas, e consequentemente osdesafios encontrados no ato do oficio. O aporte teórico perpassa os estudos de JoséCarlos Libâneo (1998), Selma Garrido Pimenta (2001) e Carlos Rodrigues Brandão (2007),os quais refletem sobre a educação além do ambiente escolar bem como sobre a novaconfiguração profissional do pedagogo.PALAVRAS-CHAVE Educação, papel do pedagogo, desafios, contemporaneidade.ABSTRACT Advances originating from contemporaneity, in particular the accessibility of newtechnologies has caused changes in all sectors of society and in particular in education thathave suffered mutations throughout time, as much in the expansion of the concept as inthe forms to conceive them. In this light, this study discusses the importance of educationin contemporary society, highlighting the professional of pedagogy as apt to developsuch function. From a brief historical overview of the performance of the professionalof pedagogy, we shall show that pedagogy is not just a school, and thus demystify theparadigm that the teacher acts exclusively in education. Knowing that the act of teachingis just one of several instances of acts of teaching, it is worth emphasizing the emergence Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais (ISSN 1980-1784) - v. 11 - n.11 - 2010
  2. 2. of new possibilities for action, not previously thought of, and consequently the challenges encountered in the act of the craft. The theoretical framework encompasses the studies of José Carlos Libâneo (1998), Selma Garrido Pimenta (2001), and Carlos Rodrigues Brandão (2007) which reflect on education beyond the school environment as well as about the new professional configuration of the pedagogist. KEYWORDS Education, educator’s role, challenges, contemporary. INTRODUÇÃO Atualmente, a educação tem se tornado pauta em diversas discussões. Anteriormente pensada como uma mera transmissão de conteúdo daquele que tudo sabia para aquele que nada sabia num ato tecnicista, em que o planejamento era desmembrado em conteúdos isolados, hoje é pensada como um processo de construção simultâneo que integra conhecimentos conceituais, procedimentais e atitudinais partindo do cotidiano social, enfocando-a como fruto de um processo de construção de saberes que promovem o desenvolvimento intelectual e moral do indivíduo, construído culturalmente a partir do seu contexto familiar e social, num ato de educar para a vida, porque educação nada mais é que a própria vida.130 A sociedade moderna apresenta demandas de caráter social e educacional que ultrapassam os limites formais e regulares da escola, fato que a torna detentora de um saber vivo e não fragmentado. Daí a necessidade de transformá-la em conhecimento sistemático integrando as tecnologias ao currículo, para que o processo ensino-aprendizagem seja obra desse saber vivo, condizente com a realidade. Não do saber fragmentado distante do contexto social. Isso requer a intermediação do pedagogo como articulador, mediador de uma práxis pedagógica voltada para a interdisciplinaridade. Tendo em vista que a pedagogia é a ciência da educação, a mesma ocorre em todos os espaços, pois é fruto da socialização. O pedagogo é o profissional competente para desenvolver uma práxis comprometida com a transformação social, que não colabore para perpetuar o distanciamento entre o saber da experiência e o saber sistematizado, mas que valorize esses saberes que são distintos, porém complementares. Desse modo, a atuação do pedagogo é uma tarefa no mínimo difícil, tendo em vista os mais variados paradigmas que rondam a temática. Considerando o leque de possibilidades que a pedagogia proporciona numa sociedade em constante processo de transformação, o presente estudo visa a facilitar a compreensão da função do novo perfil do pedagogo, um profissional multifacetado, apto a atuar em diversos setores na sociedade contemporânea. A análise do tema consiste no cerne deste trabalho, conectando indagações referentes às possibilidades e atribuições desse profissional: ora pedagogo, ora especialista, ora professor-pedagogo. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  3. 3. A opção pelo tema deve-se a uma inquietação minha que, na condição de bolsistado Programa Universidade Para Todos (PROUNI), tive a oportunidade de optar por três cursosde graduação. Então, fiz uma pesquisa sobre o campo de atuação de cada um deles, e pudeconhecer a amplitude de possibilidades para atuar como pedagoga. Ao ingressar na universidadepercebi a carência de informações por parte dos colegas de classe e da sociedade em geral,além dos paradigmas sociais sobre a atuação do pedagogo, que é taxado como professor deeducação infantil. Um dos principais fatores que contribuem para perpetuar esse paradigmaé a escassez de informações nos espaços acadêmicos, visto que os Cursos de Pedagogiaoferecidos por outras Instituições de Ensino Superior centram o enfoque na formação doprofessor para atuar na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Daí a importância individual e coletiva deste estudo, tanto para construção deum discurso próprio com base teórica sobre as múltiplas possibilidades de atuação comofutura pedagoga, que vez por outra é ocupado por outros profissionais em função dodesconhecimento acerca do espaço que este pode ocupar, como também para disseminaro conhecimento em meio à sociedade sobre a polivalência que compõe a formação desteprofissional, contribuindo assim para a valorização do mesmo. De caráter descritivo e reflexivo, o presente estudo desenvolve-se numa abordagemqualitativa, de modo a permitir lidar com um embasamento teórico colhido no ato dapesquisa bibliográfica “que consiste no exame da literatura científica, para levantamentoe análise do que já se produziu sobre determinado tema” (RIBEIRO; SOUZA, 2006, p. 57). 131 Com os dados subjetivos para a análise e elaboração do presente texto, tomeicomo aporte teórico de análise alguns intelectuais renomados como: José Carlos Libâneo(1998), Selma Garrido Pimenta (2001) e Carlos Rodrigues Brandão (2007), que defendema educação como um processo gradativo e contínuo que extrapola o ambiente escolar,bem como a nova configuração profissional do pedagogo na sociedade contemporânea. A partir de uma breve retrospectiva histórica, pretende-se mostrar as conquistasde espaço do pedagogo, consequentemente, a ampliação das funções atribuídas a ele,analisando seu relevante papel social nos diversos espaços de atuação e pontuando osdesafios encontrados no ato do ofício. Diante do exposto, convém ressaltar a necessidade de uma formação acadêmicasólida e crítica do portador de um diploma do curso de pedagogia, para que esseprofissional seja consciente do seu papel na sociedade nas múltiplas dimensões que lhesão atribuídas, pois, pensar que o pedagogo é por excelência apenas professor é esvaziare restringir a amplitude da sua formação.2. DO RESTRITO ESPAÇO DA ESCOLA A UMA VISÃO MULTIFACETADA DOPROCESSO PEDAGÓGICO: O NOVO ESPAÇO DE ATUAÇÃO DO PEDAGOGO A educação está estreitamente ligada à origem e à evolução da humanidade.A fim de situar historicamente a temática discutida, convém repensar a origem da Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  4. 4. pedagogia em âmbito global, visto que os paradigmas hodiernos têm origem na função que esse profissional sempre ocupou. O termo Pedagogia, oriundo da Grécia Antiga, tem seu conceito construído desde os primórdios da história por meio de uma tarefa escrava acoplada à morfologia da palavra que reflete o significado de mestre, preceptor, aquele que conduz a criança ao espaço de aprendizagem. Criado na década de 30, o Curso de Pedagogia remonta a sua instalação durante o regime ditatorial de Getúlio Vargas em 1939, por meio do Decreto-Lei nº 1190, de 4 de abril de 1939, interpretado como uma “extensão” do curso normal com a proposta de uma formação dual, “visando à dupla função de formar bacharéis e licenciados para várias áreas, inclusive para o setor pedagógico, ficou instituído como o chamado ‘padrão federal’”. (SILVA, 1999, p.33). Desde a sua criação no Brasil o curso tem dado ênfase a questões referentes à formação do pedagogo para atuar na educação formal, no sistema regular de ensino. O referido decreto universalizava o currículo dos cursos de pedagogia que tinham duração de três anos em caráter de bacharel para atuar como gestor educacional, popularmente reconhecido como técnico em educação, acoplado a mais um ano dedicado ao estudo da didática em caráter de licenciado com a função de lecionar nas séries iniciais do ensino fundamental e nas antigas Escolas Normais. Essa dualidade na formação acadêmica do pedagogo acarretou uma crise de identidade, quanto ao seu campo de atuação. Mesmo sendo regulamentado várias vezes, o curso apresentava pouca flexibilidade no currículo132 mínimo, fato que contribuía para restrição do campo de atuação do pedagogo. Movida pelo processo de industrialização, fortalecido com fim da Revolução de 1930, a sociedade brasileira enfrentou, nessa época, intensas mudanças no panorama social, em particular na educação, em que a nova arma para promover o crescimento do Brasil era a indústria. A restrição quanto ao espaço de trabalho para o pedagogo é reflexo deste cenário social, pois não havia necessidade, naquela época, deste profissional em outro espaço, o que se esperava era apenas a atuação no ambiente escolar. Paralelamente a essas mudanças, destaca-se a promulgação da Constituição Federal de 1934, na qual garante o direito à educação e, posteriormente, em 1988, expresso como direito universal. A educação ganha nova configuração e maior organização, expressa nos artigos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB (Lei 9394/96), criada em 1961 seguida por uma versão em 1971 e sancionada em 1996, que atualmente define e regulariza o sistema educacional com base nos princípios da universalização da educação, previstos na Constituição Federal. Em 15 de maio de 2006 foi publicada no Diário Oficial da União a Resolução CP/ CNE nº. 1/2006 que instituía as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Graduação em Pedagogia, propiciando discussões sobre novas demandas de trabalho que possibilitam a atuação desse profissional em diferentes espaços e trazendo uma nova proposta para a formação do pedagogo que rompe com a concepção dicotomizada de formação do pedagogo como professor, que leciona na educação infantil e nas séries iniciais do ensino Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  5. 5. fundamental, e do pedagogo como gestor, visto como especialista ou técnico, dividindoa pedagogia em licenciatura e bacharelado com o intuito de unir os dois no desafio deformar um profissional apto a desenvolver inúmeras funções. Diante disso, cabe repensar oconceito de docência no sentido mais amplo, considerando suas diversas instâncias. Compreende-se a docência como ação educativa e processo pedagógico metódico e intencional, construído em relações sociais, étnico-raciais e produtivas, as quais influenciam conceitos, princípios e objetivos da Pedagogia, desenvolvendo-se na articulação entre conhecimentos científicos e culturais, valores éticos e estéticos inerentes a processos de aprendizagem, de socialização e de construção do conhecimento, no âmbito do diálogo entre diferentes visões de mundo. (CNE/CES nº.1, Art. 2 inc. 1 2006). As Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Pedagogia redimensionam afunção docente ao entendê-la na sua pluralidade, não restringindo apenas ao espaçoescolar, ao processo ensino-aprendizagem, mas compreendendo-a como valiosaexperiência que perpassa valores, princípios e contextos político, econômico, social ecultural. Nesse sentido, constrói-se a identidade do novo profissional da pedagogia. AsDiretrizes se coadunam, assim, aos novos paradigmas sociais, mostrando que a pedagogianão está restrita apenas ao exercício da docência em sala de aula, e sim à formação deprofissionais críticos e reflexivos acerca da sua função social, sendo capaz de criar e recriar,construir e reconstruir conceitos práticos que atendam as necessidades de uma sociedadeque se encontra em pleno estágio de metamorfose e evolução. 133 A expansão do conceito de educação e as novas formas de concebê-la acarretaramo surgimento de novos campos de atuação e, consequentemente, a necessidade deprofissionais capacitados para atender as múltiplas necessidades da sociedade moderna,caracterizando esta como a era da informação, do conhecimento. Todavia, a minoria das Instituições de Ensino Superior no estado de Sergipefoge ao padrão da formação acadêmica para atuação em sala de aula, ofertando nasmatrizes curriculares dos Cursos de Pedagogia disciplinas, como Pedagogia Empresarial,que ampliam a discussão acerca das atribuições que estão sendo lançadas ao Pedagogona sociedade contemporânea por meio de mudanças imensuráveis. Nesse contexto, asInstituições precisam expandir a visão para o novo cenário que está se formando. Estedemanda a atuação de pedagogo em diversos espaços, mas que só serão devidamenteocupados a partir do momento em que os profissionais tomarem ciência para conquistaro seu lugar no mercado de trabalho e, consequentemente, a valorização da sociedade.3. PEDAGOGIA EMPRESARIAL, SOCIAL E HOSPITALAR.3.1. PEDAGOGIA EMPRESARIAL Nas empresas, sejam elas públicas ou privadas, o conhecimento destaca-se comoinstrumento de qualidade e produtividade. É crescente a competitividade e, consequentemente, Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  6. 6. a necessidade de qualificação e desenvolvimento de competências dos funcionários. Com isso surgem inúmeros desafios para as organizações que precisam de profissionais polivalentes para suprir as novas demandas, em que a principal arma para enfrentar a competitividade é o conhecimento. Por essa razão, a educação é idealizada dentro e fora da empresa como um diferencial, privilegiando o desenvolvimento de atitudes e habilidades exigidas no contexto da sociedade contemporânea que demanda muito mais que técnicos e operadores de máquinas. “A nova sociedade será uma sociedade do conhecimento. O conhecimento será seu principal recurso e os trabalhadores do conhecimento constituirão o grupo dominante da força de trabalho” (DRUCKER, 1993, p. 125). Neste espaço é fundamental a presença do pedagogo zelando pelas ações de caráter educativo relacionadas ao desenvolvimento do trabalhador com capacitação, além de avaliar e diagnosticar constantemente futuras necessidades ou falhas indicando metodologias adequadas ao contexto empresa. Se a pedagogia é a ciência da educação, o pedagogo deve ser considerado o profissional de maior cabedal para atuar em diversos espaços de conhecimento, como por exemplo, nas empresas, pois o cerne da sua formação acadêmica consiste na promoção da educação como um todo. A educação como um todo não dispõe de ingredientes e receitas infalíveis. No âmbito empresarial não ocorre diferente, não se delimita a atuação do pedagogo nesse contexto em decorrência da pluralidade de funções que este pode ocupar, muito pelo contrário, a atuação deste profissional será marcada pela necessidade,134 caráter educativo, diagnosticada na organização empresarial. Visando auxiliar o bom desenvolvimento dos integrantes da corporação, o pedagogo empresarial elabora e coordena projetos e programas de formação continuada, contribuindo assim para o aprimoramento, bem como a promoção do conhecimento neste novo espaço. Além de promover o acesso ao conhecimento dentro da empresa, este profissional, de forma interdisciplinar e fazendo uso de metodologias diversificadas e adequadas ao público com o qual vai lidar, deve ter o olhar atento para o alcance dos objetivos traçados pela empresa quanto ao aprendizado dos funcionários, visto que este será o diferencial no mercado. Os funcionários precisam ser analisados individualmente, pois as pessoas respondem de formas diferentes a estímulos iguais, e a união destas diferenças leva à soma de idéias, construindo uma ‘corrente’. O conjunto de inspirações de cada indivíduo do grupo é que torna uma equipe construtiva, desta forma, fazê-los ter satisfação em seu trabalho, proporciona prazer que é o combustível da produtividade (LOPES; TRINDADE; CANDINHA 2007, p. 177). Por meio da motivação, uma das suas principais estratégias para qualificação e capacitação dos funcionários, o pedagogo empresarial, como mediador e facilitador, pode provocar mudanças no perfil do funcionário, contribuindo para que ele tenha mais confiança, flexibilidade, criatividade, se perceba produtivo e capaz de crescer tanto no âmbito profissional como pessoal, despertando o prazer no desempenho das funções e Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  7. 7. favorecendo a empresa que gera maior produtividade e, consequentemente, bons lucros.É mister ressaltar a relevância da flexibilidade quanto ao uso de estratégias e metodologiaspedagógicas além da aptidão de trabalhar em grupo. Outra possibilidade de atuação do Pedagogo Empresarial é na divulgação de produtos da empresa. Para isso, é necessário pesquisar sobre o público alvo, desenvolver estratégias de convencimento utilizando das ferramentas adequadas, sendo extremamente importantes os conhecimentos na área de psicologia e de marketing. Cabe ressaltar, que tanto na primeira como na segunda situação, é fundamental que o Pedagogo Empresarial atue em articulação com uma equipe multidisciplinar. (MARTINS, 2008, p. 18) O pedagogo empresarial, junto com outros profissionais que atuam nasorganizações empresariais, forma uma parceria de extrema relevância, visto que, em meioà contemporaneidade onde capital intelectual é considerado instrumento de qualidadee produtividade por meio da peça chave: a educação, ambos tem o objetivo de formarcidadãos críticos dotados de competências e habilidades para atuar de forma satisfatóriana sociedade da informação.3.2. PEDAGOGO SOCIAL A inclusão social apresenta-se como um paradigma que mobiliza esforços emtodo o mundo a fim de ofertar a todos, indistintamente, o direito ao exercício da cidadania 135em sua plenitude, perpassando todas as esferas sociais. Amparada pelos princípios do respeito à diversidade, a igualdade, a aceitação ea valorização da subjetividade humana na convivência social, a inclusão social consistebasicamente na construção de uma sociedade igualitária com oportunidades iguais emtodos os setores sem qualquer distinção por origem nacional, sexual, de religião, gênero,cor, idade, raça ou deficiência representados pelo termo diversidade. Tais princípios sãoamparados pela legislação brasileira que garante a igualdade de direitos e o exercício dacidadania, dentre as quais se destacam a Constituição Federal (1988), que é desmembradaem leis menores, visando a atender de forma eficaz as necessidades de cada estado, comoo Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº 8.069 (1990), que em seus artigos prevêos direitos da criança e do adolescente, e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LBD9.394/96, que destaca em seus artigos os direitos subjetivos à educação dos cidadãos comidade de 0 a 14 anos. Diante do exposto convém afirmar que inclusão não é apenasrespeitar os direitos sociais e subjetivos garantidos nos artigos que compõem a legislação,mas, sim a concepção de que a ta pela No contexto do mundo globalizado abre-se um novo campo de atuação para opedagogo, a Pedagogia Social, que busca reconstruir o bem coletivo a partir das relaçõessociais no campo educacional, mas, não necessariamente na educação formal. Para tanto,desenvolve projetos educacionais, sociais e culturais. Nessa área a Pedagogia Social seconfunde com o serviço social, mas, se distinguem pelo caráter educacional. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  8. 8. O pedagogo atua no campo educacional com seres humanos, agentes de transformação e tem nas mãos o conhecimento, considerado o mais valioso instrumento de mudança nesta sociedade. Pautado na ideologia de uma educação humanizadora o pedagogo social atua prioritariamente na inclusão de grupos vulneráveis ou marginalizados que se encontram à margem da sociedade, contribuindo, a partir do respeito mútuo à subjetividade, para a socialização destes. Esse trabalho se dá em espaços de educação não formal como: abrigos, casa de recuperação para menores, em presídios, além de outros contextos que contribuem para a exclusão destes grupos. Visando a desenvolver uma práxis comprometida com a transformação social, o pedagogo precisa adequar suas metodologias de forma que auxilie na construção e respeito da subjetividade dos atendidos, bem como na elevação da autoestima dos mesmos, visto que estes possivelmente sofreram a exclusão na escola formal por meio de insultos taxativos e ainda enfrentam por estarem presos, ou serem moradores de rua, ou por qualquer outra situação que foge do padrão social. Convém ressaltar que, por meio da pedagogia social, existe a possibilidade de atuar na gestão e planejamento de projetos sociais com a finalidade de mediar a construção da autonomia e, consequentemente, a inserção destes grupos no meio social. Conforme CARVALHO; AZEVEDO; CUNHA; PUGLIA (2009, p. 22) As funções e atribuições do Pedagogo dentro do projeto relacionam- se a cinco campos: atividades pedagógicas, técnicas e organizacionais,136 sociais e administrativas, podendo ser assim sintetizadas: - Conceber, planejar, desenvolver e administrar atividades relacionadas à educação. - Diagnosticar a realidade institucional. - Elaborar e desenvolver projetos, buscando conhecimento também em outras áreas profissionais. - Coordenar a atualização em serviço dos profissionais da equipe. - Planejar, controlar e avaliar o desempenho profissional dos envolvidos. - Assessorar o projeto no que se refere ao entendimento dos assuntos pedagógicos atuais. Desse modo, as atribuições do pedagogo na elaboração e gestão de projetos sociais exigem, além da flexibilidade, a interdisciplinaridade e a sintonia para trabalhar em equipe propondo ações que viabilizem a atuação dos profissionais envolvidos de forma satisfatória e que atendam às necessidades dos atendidos. 3.3. PEDAGOGIA HOSPITALAR Visto que o foco do pedagogo é a educação, o cerne do seu trabalho consiste na relação do processo ensino-aprendizagem que está presente nos mais diversos espaços, não obedecendo a uma ordem sistemática, o que denominamos educação não formal, uma frente relativamente nova que oferta ao pedagogo atuação em Organizações Não Governamentais e hospitais, por meio da Pedagogia Hospitalar. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  9. 9. Nas Organizações Não Governamentais o pedagogo atua ministrando cursose palestras, elaborando e coordenando projetos com fins pedagógicos, por meio deestratégias que atendam a necessidade do público alvo visando a promover uma educaçãohumanizadora para o pleno exercício da cidadania das pessoas assistidas pela organização. Com o intuito de evitar a interrupção, mesmo que parcial, da escolaridade dascrianças afastadas da escola em função das internações, o Ministério da Educação,por intermédio da Secretaria Nacional de Educação Especial propiciou o atendimentoeducacional nos hospitais criando o Serviço de Classes Hospitalares que visa a manter osvínculos escolares e a possibilidade de retorno do educando às escolas de origem após aalta, assegurando sua reintegração ao currículo. Essa é uma forma de motivá-los a aprendermesmo que não estejam no ambiente escolar e contribuir para a elevação da autoestima àmedida que este se percebe como um ser ativo na construção do conhecimento. Esta ação do MEC se coaduna com a legislação, sobretudo com a ConstituiçãoFederal, que assegura em seu o artigo 214, inciso 2, que “as ações do Poder Público devemconduzir a universalização do atendimento escolar”. Nesse sentido a Educação se expressacomo direito à aprendizagem e à escolarização, em diversos espaços da sociedade. Nesta perspectiva a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, em seu artigo 5,inciso 5, assegura que: Art. 5º O acesso ao ensino fundamental é direito público subjetivo, 137 podendo qualquer cidadão, grupo de cidadãos, associação comunitária, organização sindical, entidade de classe ou outra legalmente constituída, e, ainda, o Ministério Público, acionar o Poder Público para exigi-lo.§ 5º. Para garantir o cumprimento da obrigatoriedade de ensino, o Poder Público criará formas alternativas de acesso aos diferentes níveis de ensino, independentemente da escolarização anterior. Dessa forma, compete ao Poder Público ofertar, em diferentes contextos, o acessoaos diferentes níveis de ensino, podendo organizar-se de diversas formas para garantir oprocesso de aprendizagem. Quanto ao papel do pedagogo, Elizete Lúcia Moreira Matosafirma que: Além de garantir o direito escolar do enfermo à escolarização, acredita-se que o pedagogo possa estar atuando integradamente em diversos setores do hospital. O pedagogo hospitalar pode promover ações educativas junto às diversas possibilidades no hospital, dentre elas, pessoas idosas, com vistas ao bem-estar completo, isto é, físico, mental, social, educacional, dentre outras possibilidades que aí se apresentam; a educação numa dimensão integrada aos diversos setores da área de saúde, promovendo cuidados com a própria saúde, as práticas de sociabilidade, resgate da auto-estima e auto-avaliação. (MATOS, 2009, p. 37) Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  10. 10. Integrado à equipe multidisciplinar o Pedagogo Hospitalar atua no planejamento e execução de projetos, atividades lúdicas e estratégias pedagógicas que visam a uma melhor e mais eficaz socialização dos pacientes que ficam internados e impossibilitados de comparecer à escola. Todavia, ele não será o único responsável pelo conteúdo a ser dado, mas deve abrir espaço para que os assistidos se expressem e socializem aquilo que eles consideram pertinente e desejam expor neste espaço de ensino-aprendizagem. Como afirma Paulo Freire (1996, p.23), um dos maiores pensadores da educação como prática de liberdade e defensor de uma educação humana, “quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender”. 4. DESAFIOS É mister ressaltar que as mudanças que se processam no âmbito educacional é que delimitam e ampliam o campo de atuação do pedagogo, considerando este como cientista da educação. O novo perfil profissional do pedagogo é movido por mudanças contínuas, que se revelam como desafios que exigem deste profissional uma formação crítica e reflexiva, além da persistência para superar os paradigmas sociais existentes e os que estão por vir, a fim de conquistar os espaços que lhe são de direito. Face ao leque de possibilidades do pedagogo na esfera de sua atuação, é notória a importância da presença desse profissional nos mais variados espaços, pois, onde houver aprendizagem, educação, o pedagogo pode contribuir. As funções descritas pelos138 verbos orientar, construir, liderar, auxiliar, programar, planejar, acompanhar, desenvolver, pesquisar, analisar, cooperar, destacam a magnitude desta profissão que, vez por outra, é limitada pela falta de reconhecimento da sua função social e educativa. O curso de pedagogia é limitado popularmente apenas ao ensino das séries iniciais, daí a relevância do referido estudo para difundir conhecimentos sobre os novos campos que devem ser ocupados por pedagogos. Nesse contexto convém ressaltar os desafios enfrentados por este profissional no ato do oficio, oriundos desde a criação e instalação do curso de pedagogia. Frente aos espaços ocupados por outros profissionais no mercado de trabalho o pedagogo vem buscando e gradativamente conquistando o espaço que lhe é de direito na sociedade, porém, há muito para ser conquistado como o reconhecimento do pedagogo como o intelectual da educação, e não apenas como o professor da educação infantil além, da ampliação da discussão do campo de saber, bem como da atuação do pedagogo para disseminação das aptidões desse profissional para que surjam mais oportunidades principalmente em concursos públicos. 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS Por meio de uma breve retomada ao contexto histórico do Curso de Pedagogia no Brasil, foi possível identificar as causas primordiais da crise de identidade profissional do pedagogo que acarretaram os paradigmas sociais acerca do seu posto de trabalho. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  11. 11. Numa abordagem qualitativa, o presente estudo propiciou uma ampla discussãocom base teórica, acerca das possibilidades de atuação do pedagogo, caracterizado nasociedade contemporânea como cientista da educação, visto que o cerne do seu estudoperpassa as diversas instâncias do campo educacional. O propósito deste estudo não foi questionar se o pedagogo deve ou não atuarem outros espaços que não seja o ambiente escolar, pois esta é uma necessidade domundo globalizado que clama por profissionais capacitados e polivalentes para enfrentaras mudanças com tamanha rapidez. A priori, o objetivo foi contribuir para a disseminaçãode conhecimento sobre a amplitude da atuação deste profissional. Analisando suas funções no ambiente empresarial fica mais que comprovadaa contribuição que o pedagogo pode adicionar rumo ao sucesso da empresa. Resta ainquietação sobre o muro de silêncio que permanece acerca da ausência deste profissionalnas organizações. Portanto, esse é mais um instrumento para que o conhecimento sejadisseminado em meio à sociedade, os paradigmas sejam quebrados e este seja reconhecidocomo gestor do conhecimento, ocupando o cargo que lhe é de direito. Fugindo aos padrões historicamente construídos pela sociedade, buscou-se umareflexão acerca do papel do Pedagogo Social e Hospitalar, este atuando em espaços nãoescolares, buscando construir e reconstruir o bem coletivo. Ao lidar com grupos que seencontram à margem da sociedade ou que enfrentam uma dura realidade no ambientehospitalar, no qual o medo e angústia se fazem presentes, estes profissionais estabelecem 139um elo entre os atendidos e o contexto social que estes vivenciam, diminuindo a distânciado ambiente escolar. Em suma, como cientista da educação, o Pedagogo é movido profissionalmentepor desafios que se revelam a cada mudança que se processa na sociedade e, como todamudança demanda uma ação em âmbito educacional, este é o profissional dos temposmodernos. Para tanto, o Pedagogo precisa acompanhar esse processo e se atualizarpara lidar com seres humanos dotados de subjetividade e donos do tesouro do mundoglobalizado, o capital intelectual. SOBRE A AUTORA Mirianne Santos de Almeida é graduada (2009/2) em Pedagogia pela UniversidadeTiradentes. O presente estudo foi apresentado à referida instituição como trabalho deconclusão de curso 2009/2, sob a orientação da Professora Msc. Betisabel Vilar. Contato com a autora mirianne_almeida@hotmail.com Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  12. 12. REFERÊNCIAS BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação? 49. ed. São Paulo: Brasiliense, 2007. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em < http://www.planalto.gov.br > Acesso em: 03 Nov. 2009. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação 9.394/96. Disponível em < http://portal.mec.gov.br > Acesso em: 05 Set. 2009. BRASIL. RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf > Acesso em: 11Set. 2009. CARVALHO, Fernanda dos Santos; AZEVEDO Paula Gomes de; CUNHA, Teresa Claudina de Oliveira; PUGLIA, Vânia Machado Seabra. Pedagogia social: relato de uma experiência vivenciada no projeto significarte, tecendo significados por meio da arte. Disponível em < http://www.perspectivasonline.com.br > Acesso em: 22 Out. 2009. DRUCKER, Peter. Sociedade pós-capitalista. São Paulo: Pioneira, 1993 FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.140 LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e Pedagogos: para quê? São Paulo: Cortez, 1998. LOPES, Izolda (org.), TRINDADE, Ana Beatriz, CANDINHA, Márcia Alvim. Pedagogia Empresarial: formas e contextos de atuação. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2007. MARTINS, Elita Betania de Andrade. Educação Além Dos Muros Da Escola: O Papel Do Pedagogo. 2008. Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery. Disponível em:< http://re.granbery.edu.br > Acesso em: 18 Out. 2009. MATOS, Elizete Lúcia Moreira (org.). Escolarização Hospitalar: educação e saúde de mãos dadas para humanizar. Rio de Janeiro: Vozes, 2009. NOGUEIRA, Rodrigo dos Santos. A importância do pedagogo na empresa. Rio de Janeiro: 2005. Disponível em: < http://www.pedagogiaemfoco.pro.br/pemp03.htm > Acesso em: 20 Out. 2009. PIMENTA, Selma Garrido. Pedagogia: ciência da educação. SP: Cortez, 2001. RIBEIRO, Amélia Escotto do Amaral. Pedagogia Empresarial: a atuação do pedagogo na empresa. Rio de Janeiro: Wark, 2003. Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010
  13. 13. RIBEIRO, Maria Piedade Fernandes; SOUZA Vânia Pinheiro de. Elaboração de TrabalhosAcadêmicos: monografias (TCC), dissertações, teses e memoriais. Juiz de Fora: 2006.Disponível em: <http://www.biblioteca.ufjf.br/ index.php? option=com_>. Acesso em 18Jan 2007.SAVIANI, Dermeval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: AutoresAssociados, 2008. (Coleção Memória da Educação)SILVA, Carmem Silva Bissolli da. Curso de Pedagogia no Brasil: história e identidade.São Paulo: Autores Associados, 1999 (Coleção Polêmica de Nosso Tempo). 141 Cadernos de Graduação - Ciências Humanas e Sociais - v. 11 - n.11 - 2010

×