SlideShare uma empresa Scribd logo
O  Processo  Criativo Biólogo Miguel Siano
Definição Adaptar velhos planos/situações, criando novos; Há um tipo diferente de criatividade para cada tipo de conhecimento. Podemos usá-la para uma finalidade além daquela para que a estrutura foi construída; Habilidade de uma inteligência de  alcançar ,  adaptar  e  aplicar  uma estrutura do conhecimento quando essa não se dirige às necessidades atuais.
Criatividade é essencial para o processo de aprendizagem; É baseada num conhecimento prévio; “ Criatividade é 99% transpiração e 1% inspiração” Thomas Edison.
Ótica Social Criatividade: algo raro, um dom, colocado num pedestal; Só artistas, inventores e cientistas têm, inacessível para “pessoas comuns”.
Cultura/educação Um dos maiores problemas educacionais do País: falta de  familiaridade com o processo criativo pelos estudantes de  todos  os níveis ; É a escola do “saber pronto”, e não do saber construído.
A sociedade desencoraja este processo; Expectativa do professor: Resposta “certa” sempre! Aluno: Medo de ser punido. Acha que sempre existe uma resposta certa; A mensagem é: Ser criativo é uma perda de tempo. Memorize as respostas existentes. Resultado...
Como ensinar criatividade? Isso é possível? Criatividade é um processo cognitivo, que pode ser intencional.  Observação dos erros/anomalias a sua volta;  Ótica diferente: Se maravilhar com a rotina diária; Quebrar o paradigma de que está tudo bem da maneira que é; Criatividade e aprendizado começam com  questionamentos  ( Schank & Farrell,1987); As escolas enfatizam as respostas! Primeiro ensinar a fazer bons questionamentos;  O professor deve deixar de ser o único agente ativo Estimular o diálogo. Dar oportunidade aos alunos de criar novos problemas e solucioná-los.  Não “castrar” as crianças. Ajudar a manter o seu talento natural de gerar perguntas.
Quebra do  fixismo objetivo Gutenberg:  Associou o processo de fabricação de vinhos com a prensa de porcelana chinesa, para inventar a prensa de tipos móveis, que deu origem à imprensa.  Faltou cola? Outros exemplos??
Criatividade no dia a dia Resposta a um evento anômalo. Invenção de um “reparo” que seja novo para a pessoa.  Exemplos! Sem telefone, e agora? Ih! O carro quebrou! Todos precisam ser criativos (e são!) frente a adversidades, se quiserem “sobreviver” as falhas da rotina.
O Processo! PROBLEMA A SER RESOLVIDO  (aula/animação) PREPARAÇÃO INCUBAÇÃO ILUMINAÇÃO VERIFICAÇÃO Saturação: Pesquisa profunda sobre o problema a ser resolvido. 99% de transpiração. Passividade: O problema fica em banho-maria no inconsciente. Ampliação do espaço de pesquisa. Heureca!!! A solução aparece, quase magicamente, no consciente. Várias ideias podem aparecer de uma vez. Anote-as 1% de inspiração.  Validação: Testar se as ideias são viáveis, funcionam. Lapidação das ideias (elaboração). Pé no chão!
Conclusões Criatividade é um “lugar comum” na cognição. Não é um evento esotérico, um dom “dado” somente à alguns. Pode ser aprendida/desenvolvida; É baseada em conhecimento prévio.
“ Criatividade é um labirinto em que o difícil não é encontrar a saída, mas sim a entrada”. Rubem Fonseca
Bibliografia http://www.criativ.pro.br/ http://www.espacoacademico.com.br/051/51silvafilho.htm Schank, Roger C & Cleary, Chip (1995).  Making Machines Creative .  In: S Smith, T B Ward & R A Finke (eds)  The Creative Cognition Approach.   MIT Press.  229-247). ( http://cogprints.org/698/00/creativity_article,_v2.html#Heading1)  SOUZA, Bruno Carvalho Castro.  Criatividade:  uma arquitetura cognitiva . 2001. 133f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, UFSC, Florianópolis.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Cristina Vaz de Almeida
 
Processo criativo
Processo criativoProcesso criativo
Processo criativo
Euripedes Magalhães
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e Inovaçao
Jairo Siqueira
 
O cérebro e a criatividade
O cérebro e a criatividadeO cérebro e a criatividade
O cérebro e a criatividade
Aline Corso
 
Inovação Tecnológica
Inovação TecnológicaInovação Tecnológica
Inovação Tecnológica
Jim Naturesa
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
Leonardo Tostes
 
Aula 11 Criatividade e Inovação
Aula 11 Criatividade e InovaçãoAula 11 Criatividade e Inovação
Aula 11 Criatividade e Inovação
Carlos Alves
 
Metaverso - O que foi, é e pode ser
Metaverso - O que foi, é e pode serMetaverso - O que foi, é e pode ser
Metaverso - O que foi, é e pode ser
Leonel Morgado
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
Elizeu Nascimento Silva
 
Autocuidado
Autocuidado Autocuidado
Autocuidado
WillianeFerreira6
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
Renato Melo
 
empreendedorismo
empreendedorismoempreendedorismo
empreendedorismo
Cursos Profissionalizantes
 
Tecnicas de atendimento
Tecnicas de atendimentoTecnicas de atendimento
Tecnicas de atendimento
mauromartins1999
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
Graziela Bernardo Mota
 
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - EmpreendedorismoEmpreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Milton Henrique do Couto Neto
 
Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.
innoscience_
 
Plano de Vendas
Plano de VendasPlano de Vendas
Plano de Vendas
Fábio Mesquita
 
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócioGuia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
Diene Araújo
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Maristela Meireles
 
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação
 

Mais procurados (20)

Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
Marketing Sensorial. Perceber o efeito dos cinco sentidos na decisão do utili...
 
Processo criativo
Processo criativoProcesso criativo
Processo criativo
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e Inovaçao
 
O cérebro e a criatividade
O cérebro e a criatividadeO cérebro e a criatividade
O cérebro e a criatividade
 
Inovação Tecnológica
Inovação TecnológicaInovação Tecnológica
Inovação Tecnológica
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Aula 11 Criatividade e Inovação
Aula 11 Criatividade e InovaçãoAula 11 Criatividade e Inovação
Aula 11 Criatividade e Inovação
 
Metaverso - O que foi, é e pode ser
Metaverso - O que foi, é e pode serMetaverso - O que foi, é e pode ser
Metaverso - O que foi, é e pode ser
 
Aula 05 Briefing
Aula 05   BriefingAula 05   Briefing
Aula 05 Briefing
 
Autocuidado
Autocuidado Autocuidado
Autocuidado
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
empreendedorismo
empreendedorismoempreendedorismo
empreendedorismo
 
Tecnicas de atendimento
Tecnicas de atendimentoTecnicas de atendimento
Tecnicas de atendimento
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - EmpreendedorismoEmpreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
 
Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.Palestra Gestão da Inovação.
Palestra Gestão da Inovação.
 
Plano de Vendas
Plano de VendasPlano de Vendas
Plano de Vendas
 
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócioGuia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
Guia: Como fazer Marketing Digital no seu negócio
 
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de InovaçãoDesign Thinking e Ferramentas de Inovação
Design Thinking e Ferramentas de Inovação
 
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
Conceito de Inovação_AMCHAM Campinas_PACE_16.03.2016
 

Destaque

Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e AplicaçõesMonitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
PaperCliQ Comunicação
 
Aula texto
Aula textoAula texto
Aula texto
Curso Letrados
 
Identidade Visual - Oi (2016)
Identidade Visual - Oi (2016)Identidade Visual - Oi (2016)
Identidade Visual - Oi (2016)
Victor Vasques
 
Media training
Media training   Media training
Media training
Anderson Barreto
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
Araguaci Andrade
 
Cronograma2013.1
Cronograma2013.1Cronograma2013.1
Cronograma2013.1
maquetesufrgs
 
Aula II - CP
Aula II - CPAula II - CP
Aula II - CP
VIviane Lopes
 
Teorias dos signos verbais e não verbais
Teorias dos signos verbais e não verbaisTeorias dos signos verbais e não verbais
Teorias dos signos verbais e não verbais
ma.no.el.ne.ves
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
prof_roseli_barbosa
 
Caso Oi 2002-2006
Caso Oi 2002-2006Caso Oi 2002-2006
Caso Oi 2002-2006
juracrav
 
Planejamento publicitário capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
Planejamento publicitário    capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...Planejamento publicitário    capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
Planejamento publicitário capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
Renata Corrêa
 
Media Training
Media TrainingMedia Training
Media Training
weca.lab
 
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
004 redação publicitária
004 redação publicitária004 redação publicitária
004 redação publicitária
Rafael Naruto
 
Processo Criativo
Processo CriativoProcesso Criativo
Processo Criativo
Luiz Otavio Medeiros
 
006 Redação Publicitária
006 Redação Publicitária006 Redação Publicitária
006 Redação Publicitária
Rafael Naruto
 
Posicionamento
PosicionamentoPosicionamento
Posicionamento
Bruno Lobo
 
Relação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
Relação entre planejamento e criação nas agências de propagandaRelação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
Relação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
Bruno Araldi
 
ComunicaçãO
ComunicaçãOComunicaçãO
ComunicaçãO
aavbatista
 
Moodboard
MoodboardMoodboard

Destaque (20)

Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e AplicaçõesMonitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
Monitoramento de Mídias Sociais: Conceito e Aplicações
 
Aula texto
Aula textoAula texto
Aula texto
 
Identidade Visual - Oi (2016)
Identidade Visual - Oi (2016)Identidade Visual - Oi (2016)
Identidade Visual - Oi (2016)
 
Media training
Media training   Media training
Media training
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Cronograma2013.1
Cronograma2013.1Cronograma2013.1
Cronograma2013.1
 
Aula II - CP
Aula II - CPAula II - CP
Aula II - CP
 
Teorias dos signos verbais e não verbais
Teorias dos signos verbais e não verbaisTeorias dos signos verbais e não verbais
Teorias dos signos verbais e não verbais
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
 
Caso Oi 2002-2006
Caso Oi 2002-2006Caso Oi 2002-2006
Caso Oi 2002-2006
 
Planejamento publicitário capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
Planejamento publicitário    capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...Planejamento publicitário    capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
Planejamento publicitário capítulos i, ii, iii - roberto corrêa por renata...
 
Media Training
Media TrainingMedia Training
Media Training
 
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
MANUAL do PROJETO INTEGRADO 2015
 
004 redação publicitária
004 redação publicitária004 redação publicitária
004 redação publicitária
 
Processo Criativo
Processo CriativoProcesso Criativo
Processo Criativo
 
006 Redação Publicitária
006 Redação Publicitária006 Redação Publicitária
006 Redação Publicitária
 
Posicionamento
PosicionamentoPosicionamento
Posicionamento
 
Relação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
Relação entre planejamento e criação nas agências de propagandaRelação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
Relação entre planejamento e criação nas agências de propaganda
 
ComunicaçãO
ComunicaçãOComunicaçãO
ComunicaçãO
 
Moodboard
MoodboardMoodboard
Moodboard
 

Semelhante a O Processo Criativo.

Reflexao
ReflexaoReflexao
Reflexao
ntemsv
 
Do criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
Do criador à Criatura: Os passos do Processo CriativoDo criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
Do criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
Hugo Lopes
 
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
Brazil
 
Ken robinson
Ken robinsonKen robinson
Ken robinson
Diana Fonseca
 
Ken robinson
Ken robinsonKen robinson
Ken robinson
Diana Fonseca
 
Psicologia Final2
Psicologia Final2Psicologia Final2
Psicologia Final2
Raquel Miranda
 
Rio+ - Dicas para mirabolantes
Rio+ - Dicas para mirabolantesRio+ - Dicas para mirabolantes
Rio+ - Dicas para mirabolantes
Benfeitoria
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento Perceptivo
Odair Tuono
 
Criat0
Criat0Criat0
Criat0
renatotf
 
Reavaliando Conceitos
Reavaliando ConceitosReavaliando Conceitos
Reavaliando Conceitos
Márcio Melânia
 
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_ApresentacaoMG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
edmarap
 
Criatividade
Criatividade Criatividade
Criatividade
self1
 
Prévia e book lab cria
Prévia e book lab criaPrévia e book lab cria
Prévia e book lab cria
supimpainovacao
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Ariana B
 
Ppt92 A4
Ppt92 A4Ppt92 A4
Ppt92 A4
innog
 
delivery
deliverydelivery
Por que é tão difícil inovar?
Por que é tão difícil inovar?Por que é tão difícil inovar?
Por que é tão difícil inovar?
Gisela Kassoy
 
10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas
R Gómez
 
Hello ideas @ WordCamp
Hello ideas @ WordCampHello ideas @ WordCamp
Hello ideas @ WordCamp
imhugo .com
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
Alfredo Lopes
 

Semelhante a O Processo Criativo. (20)

Reflexao
ReflexaoReflexao
Reflexao
 
Do criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
Do criador à Criatura: Os passos do Processo CriativoDo criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
Do criador à Criatura: Os passos do Processo Criativo
 
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
Palestra Ana Galo Criatividade Comagep 2009
 
Ken robinson
Ken robinsonKen robinson
Ken robinson
 
Ken robinson
Ken robinsonKen robinson
Ken robinson
 
Psicologia Final2
Psicologia Final2Psicologia Final2
Psicologia Final2
 
Rio+ - Dicas para mirabolantes
Rio+ - Dicas para mirabolantesRio+ - Dicas para mirabolantes
Rio+ - Dicas para mirabolantes
 
LC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento PerceptivoLC 03 Movimento Perceptivo
LC 03 Movimento Perceptivo
 
Criat0
Criat0Criat0
Criat0
 
Reavaliando Conceitos
Reavaliando ConceitosReavaliando Conceitos
Reavaliando Conceitos
 
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_ApresentacaoMG03_GrupoA_IS_Apresentacao
MG03_GrupoA_IS_Apresentacao
 
Criatividade
Criatividade Criatividade
Criatividade
 
Prévia e book lab cria
Prévia e book lab criaPrévia e book lab cria
Prévia e book lab cria
 
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do FacilitadorDesign Thinking para crianças - Guia do Facilitador
Design Thinking para crianças - Guia do Facilitador
 
Ppt92 A4
Ppt92 A4Ppt92 A4
Ppt92 A4
 
delivery
deliverydelivery
delivery
 
Por que é tão difícil inovar?
Por que é tão difícil inovar?Por que é tão difícil inovar?
Por que é tão difícil inovar?
 
10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas10 atitudes das pessoas muito criativas
10 atitudes das pessoas muito criativas
 
Hello ideas @ WordCamp
Hello ideas @ WordCampHello ideas @ WordCamp
Hello ideas @ WordCamp
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
 

O Processo Criativo.

  • 1. O Processo Criativo Biólogo Miguel Siano
  • 2. Definição Adaptar velhos planos/situações, criando novos; Há um tipo diferente de criatividade para cada tipo de conhecimento. Podemos usá-la para uma finalidade além daquela para que a estrutura foi construída; Habilidade de uma inteligência de alcançar , adaptar e aplicar uma estrutura do conhecimento quando essa não se dirige às necessidades atuais.
  • 3. Criatividade é essencial para o processo de aprendizagem; É baseada num conhecimento prévio; “ Criatividade é 99% transpiração e 1% inspiração” Thomas Edison.
  • 4. Ótica Social Criatividade: algo raro, um dom, colocado num pedestal; Só artistas, inventores e cientistas têm, inacessível para “pessoas comuns”.
  • 5. Cultura/educação Um dos maiores problemas educacionais do País: falta de familiaridade com o processo criativo pelos estudantes de todos os níveis ; É a escola do “saber pronto”, e não do saber construído.
  • 6. A sociedade desencoraja este processo; Expectativa do professor: Resposta “certa” sempre! Aluno: Medo de ser punido. Acha que sempre existe uma resposta certa; A mensagem é: Ser criativo é uma perda de tempo. Memorize as respostas existentes. Resultado...
  • 7. Como ensinar criatividade? Isso é possível? Criatividade é um processo cognitivo, que pode ser intencional. Observação dos erros/anomalias a sua volta; Ótica diferente: Se maravilhar com a rotina diária; Quebrar o paradigma de que está tudo bem da maneira que é; Criatividade e aprendizado começam com questionamentos ( Schank & Farrell,1987); As escolas enfatizam as respostas! Primeiro ensinar a fazer bons questionamentos; O professor deve deixar de ser o único agente ativo Estimular o diálogo. Dar oportunidade aos alunos de criar novos problemas e solucioná-los. Não “castrar” as crianças. Ajudar a manter o seu talento natural de gerar perguntas.
  • 8. Quebra do fixismo objetivo Gutenberg: Associou o processo de fabricação de vinhos com a prensa de porcelana chinesa, para inventar a prensa de tipos móveis, que deu origem à imprensa. Faltou cola? Outros exemplos??
  • 9. Criatividade no dia a dia Resposta a um evento anômalo. Invenção de um “reparo” que seja novo para a pessoa. Exemplos! Sem telefone, e agora? Ih! O carro quebrou! Todos precisam ser criativos (e são!) frente a adversidades, se quiserem “sobreviver” as falhas da rotina.
  • 10. O Processo! PROBLEMA A SER RESOLVIDO (aula/animação) PREPARAÇÃO INCUBAÇÃO ILUMINAÇÃO VERIFICAÇÃO Saturação: Pesquisa profunda sobre o problema a ser resolvido. 99% de transpiração. Passividade: O problema fica em banho-maria no inconsciente. Ampliação do espaço de pesquisa. Heureca!!! A solução aparece, quase magicamente, no consciente. Várias ideias podem aparecer de uma vez. Anote-as 1% de inspiração. Validação: Testar se as ideias são viáveis, funcionam. Lapidação das ideias (elaboração). Pé no chão!
  • 11. Conclusões Criatividade é um “lugar comum” na cognição. Não é um evento esotérico, um dom “dado” somente à alguns. Pode ser aprendida/desenvolvida; É baseada em conhecimento prévio.
  • 12. “ Criatividade é um labirinto em que o difícil não é encontrar a saída, mas sim a entrada”. Rubem Fonseca
  • 13. Bibliografia http://www.criativ.pro.br/ http://www.espacoacademico.com.br/051/51silvafilho.htm Schank, Roger C & Cleary, Chip (1995). Making Machines Creative .  In: S Smith, T B Ward & R A Finke (eds) The Creative Cognition Approach.  MIT Press.  229-247). ( http://cogprints.org/698/00/creativity_article,_v2.html#Heading1) SOUZA, Bruno Carvalho Castro. Criatividade: uma arquitetura cognitiva . 2001. 133f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, UFSC, Florianópolis.