SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo I – Raízes mediterrânicas da
civilização europeia – cidade, cidadania e   O modelo ateniense
          império na Antiguidade Clássica
Conteúdos


• A democracia antiga: os direitos
  dos cidadãos e o exercício de
  poderes


• Uma cultura aberta à cidade


• As grandes manifestações cívico-
  religiosas


• A educação para o exercício
  público do poder


• A arquitetura e a escultura,
  expressão do culto público e da
  procura da harmonia
Aprendizagens


• Identificar a pólis ateniense como um
  centro politicamente autónomo


• Mostrar que a democracia ateninese era
  uma democracia direta


• Distinguir os órgãos do poder legislativo,
  executivo e judicial.


• Avaliar os limites da participação
  democrática


• Comparar a democracia ateniense com a
  democracia atual


• Desenvolver a sensibilidade estética,
  através da identificação e da apreciação
  de manifestações artísticas do período
  clássico
Polis
O que é uma polis?

• território


• corpo cívico


• conjunto de leis
Quais as condições de
formação das polis?

• factor geográfico
  (compartimentação das terras
  pelas altas montanhas,
  dificuldades de comunicação)


• invasões estrangeiras


• inexistência de um poder
  central
A democracia
Evolução política de Atenas até ao século V a.C.
Quem eram os
cidadãos?

• indivíduos do sexo masculino


• mais de 20 anos


• filhos de pai e mãe ateniense


• com o serviço militar cumprido
Que direitos possuía?

•   igualdade perante a lei (isonomia)
•   igualdade de acesso aos cargos políticos (isocracia)
•   direito do uso da palavra (isegoria)
•   posse de terras
•   posse de escravos
•   acesso à educação
Quais os seus deveres?

•   cumprir o serviço militar
•   participar ativamente na Eclésia
•   votar
•   desempenhar cargos como legislador, governante, juiz ou magistrado
•   participar nas celebrações cívico-religiosas
Instituições democráticas e o seu funcionamento
Atenas democrática
Mulheres




Direitos                                 Deveres

• cuidar das crianças                    • trabalhos domésticos
• assistir às festas no templo de Hera   • sobriedade
                                         • sujeição à tutela do pai, marido e filho
                                         mais velho
Estrangeiros




Direitos                                  Deveres

• exercício do comércio e do artesanato   • pagar impostos
• participação nas festividades           • cumprir o serviço militar
                                          • custear as festividades e espetáculos
Escravos




Deveres

• obedecer ao seu senhor
• trabalhar nos serviços domésticos, campos, oficinas e minas
A democracia antiga

• conceito de cidadania

• igualdade de todos os cidadãos

• democracia direta

• divisão dos poderes

• sorteio

• uso da retórica

• discriminação das mulheres e
  estrageiros


• existência legal da escravatura

• ostracismo
A democracia nos
nossos dias
• vontade de satisfazer os desejos
  da maioria dos cidadãos

• divisão de poderes

• uso da retórica como arma política

• tratamento igual de todos os
  cidadãos perante a lei

• o conceito de cidadão

• democracia representativa ou
  indireta

• eleição

• igualdade entre sexos
A educação para a cidadania




•  até aos sete anos, os rapazes e raparigas eram educados pelas mães
•  os rapazes iam para a escola aprender a leitura, a escrita, a música e o exercício físico
•  tinham também de decorar e recitar os poemas da Ilíada e da Odisseia
•  aos quinze anos frequentavam ginásios e aprendiam Matemática, Filosofia, Religião, História, Política,
Retórica e Dialéctica
• aos dezoito cumpria o serviço militar de dois anos e aos vinte era considerado um cidadão
Manifestações cívico-religiosas




Teatro                                             Jogos

• terá começado pela leitura de poemas e por       • devoção aos deuses
danças, até assumir a forma de representação       • proclamava-se tréguas sagradas enquanto
• peças trágicas e comédias de crítica social      decorriam
• o oráculo tem uma função importante, pois as     • atraiam visitantes de toda a Grécia
suas previsões, ditadas pelos deuses, sempre se    • também havia lugar a competições musicais e
cumprem                                            para a exibição dos dotes de oratória
• existiam competições entre dramaturgos de todo   • o vencedor alcançava um estatuto de semideus
o mundo grego                                      e tinha direito a um tratamento especial
A arte clássica




Arquitetura                         Escultura                             Pintura
• proporções matemáticas,           • evolução da pose rígida até ao      • representação dos deuses e
harmonia e simplicidade             ideal do atleta robusto e do efeito   do quotidiano
• cidades organizadas num plano     teatral e sensação de movimento       • sentido utilitário
ortogonal                           • estabeleceu-se o ideal de           • registo e transmissão de
• a busca da perfeição evidencia-   beleza do corpo humano                mensagens
se nas correções óticas             • esculturas revestidas de pintura
                                    de cores vivas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
cattonia
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
Susana Simões
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Paula Pereira
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
Aparecida Mallagoli
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Gijasilvelitz 2
 
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptxO modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
Cecília Gomes
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
cattonia
 
Teoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawlsTeoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawls
Filazambuja
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
Ana Barreiros
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
Susana Simões
 
Auto da Feira de Gil Vicente
Auto da Feira de Gil VicenteAuto da Feira de Gil Vicente
Auto da Feira de Gil Vicente
Gijasilvelitz 2
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Catarina Castro
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
bamp
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Alexandre R
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
cattonia
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
Maria Teresa Soveral
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
CatarinaNeivas
 
Crónica de D. João I.pptx
Crónica de D. João I.pptxCrónica de D. João I.pptx
Crónica de D. João I.pptx
IriaVasconcelos
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
guest155834
 

Mais procurados (20)

Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão LopesCrónica de D. João I de Fernão Lopes
Crónica de D. João I de Fernão Lopes
 
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptxO modelo ateniense (síntese) (1).pptx
O modelo ateniense (síntese) (1).pptx
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
 
Teoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawlsTeoria da justiça rawls
Teoria da justiça rawls
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
 
Auto da Feira de Gil Vicente
Auto da Feira de Gil VicenteAuto da Feira de Gil Vicente
Auto da Feira de Gil Vicente
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Civilização romana
Civilização romanaCivilização romana
Civilização romana
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Crónica de D. João I.pptx
Crónica de D. João I.pptxCrónica de D. João I.pptx
Crónica de D. João I.pptx
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
 

Destaque

A filosofia das luzes resumo
A filosofia das luzes resumoA filosofia das luzes resumo
A filosofia das luzes resumo
Escoladocs
 
GréCia Arte Resumos
GréCia Arte ResumosGréCia Arte Resumos
GréCia Arte Resumos
Isidro Santos
 
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
Jorge Almeida
 
Escultura grega
Escultura gregaEscultura grega
Escultura grega
Ana Barreiros
 
Roma, cidade imperial
Roma, cidade imperialRoma, cidade imperial
Roma, cidade imperial
Carla Teixeira
 
Arquitetura grega
Arquitetura gregaArquitetura grega
Arquitetura grega
Ana Barreiros
 

Destaque (7)

A filosofia das luzes resumo
A filosofia das luzes resumoA filosofia das luzes resumo
A filosofia das luzes resumo
 
GréCia Arte Resumos
GréCia Arte ResumosGréCia Arte Resumos
GréCia Arte Resumos
 
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
9. O Modelo Romano: A Romanização na Península Ibérica
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
 
Escultura grega
Escultura gregaEscultura grega
Escultura grega
 
Roma, cidade imperial
Roma, cidade imperialRoma, cidade imperial
Roma, cidade imperial
 
Arquitetura grega
Arquitetura gregaArquitetura grega
Arquitetura grega
 

Semelhante a O modelo ateniense

O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
Laboratório de História
 
Apresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo atenienseApresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo ateniense
Laboratório de História
 
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo AtenienseApresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Laboratório de História
 
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
 grécia - antiguidade clássica -  6ºAno grécia - antiguidade clássica -  6ºAno
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
Vítor Santos
 
Uma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidadeUma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidade
Carla Teixeira
 
A cultura do belo
A cultura do beloA cultura do belo
A cultura do belo
cattonia
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
cattonia
 
Antiguidade clássica cultura grega - aula 06
Antiguidade clássica   cultura grega - aula 06Antiguidade clássica   cultura grega - aula 06
Antiguidade clássica cultura grega - aula 06
Edgar Rego
 
Koneski Grécia antiga
Koneski Grécia antigaKoneski Grécia antiga
Koneski Grécia antiga
Tavinho Koneski Westphal
 
Roma trabalho de história
Roma trabalho de históriaRoma trabalho de história
Roma trabalho de história
ceufaias
 
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antigaSlides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
CharllesFerreira2
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
cattonia
 
Atenas no século v
Atenas no século vAtenas no século v
Atenas no século v
Carla Freitas
 
Grécia antig apps
Grécia antig appsGrécia antig apps
Grécia antig apps
Arlindo Rodrigues Vieira
 
Contexto da origem da filosofia
Contexto da origem da filosofiaContexto da origem da filosofia
Contexto da origem da filosofia
Joseney Mattos
 
Sdfgbhjytgrfd 2007
Sdfgbhjytgrfd 2007Sdfgbhjytgrfd 2007
Sdfgbhjytgrfd 2007
J. Baptista
 
Grecia geral
Grecia geralGrecia geral
Grecia geral
HCA_10I
 
102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta
cristianoperinpissolato
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
Sílvia Mendonça
 

Semelhante a O modelo ateniense (20)

O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
 
Apresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo atenienseApresentação O modelo ateniense
Apresentação O modelo ateniense
 
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo AtenienseApresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
Apresentação n.º 1 O Modelo Ateniense
 
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
 grécia - antiguidade clássica -  6ºAno grécia - antiguidade clássica -  6ºAno
grécia - antiguidade clássica - 6ºAno
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
Uma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidadeUma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidade
 
A cultura do belo
A cultura do beloA cultura do belo
A cultura do belo
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Antiguidade clássica cultura grega - aula 06
Antiguidade clássica   cultura grega - aula 06Antiguidade clássica   cultura grega - aula 06
Antiguidade clássica cultura grega - aula 06
 
Koneski Grécia antiga
Koneski Grécia antigaKoneski Grécia antiga
Koneski Grécia antiga
 
Roma trabalho de história
Roma trabalho de históriaRoma trabalho de história
Roma trabalho de história
 
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antigaSlides cultura/sociedade da grencia antiga
Slides cultura/sociedade da grencia antiga
 
Módulo 1
Módulo 1Módulo 1
Módulo 1
 
Atenas no século v
Atenas no século vAtenas no século v
Atenas no século v
 
Grécia antig apps
Grécia antig appsGrécia antig apps
Grécia antig apps
 
Contexto da origem da filosofia
Contexto da origem da filosofiaContexto da origem da filosofia
Contexto da origem da filosofia
 
Sdfgbhjytgrfd 2007
Sdfgbhjytgrfd 2007Sdfgbhjytgrfd 2007
Sdfgbhjytgrfd 2007
 
Grecia geral
Grecia geralGrecia geral
Grecia geral
 
102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta102 grecia antiga atenas e esparta
102 grecia antiga atenas e esparta
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
 

Mais de Escoladocs

A nobreza
A nobrezaA nobreza
A nobreza
Escoladocs
 
Clero
CleroClero
Clero
Escoladocs
 
Historia clero
Historia cleroHistoria clero
Historia clero
Escoladocs
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
Escoladocs
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
Escoladocs
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
Escoladocs
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
Escoladocs
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
Escoladocs
 
Diogo
DiogoDiogo
Diogo
Escoladocs
 
Jesus cristo historia
Jesus cristo historiaJesus cristo historia
Jesus cristo historia
Escoladocs
 
Trabalho de história economia e sociedade do império romano
Trabalho de história economia e sociedade do império romanoTrabalho de história economia e sociedade do império romano
Trabalho de história economia e sociedade do império romano
Escoladocs
 
Apresentação totalitarismos
Apresentação totalitarismosApresentação totalitarismos
Apresentação totalitarismos
Escoladocs
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Escoladocs
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Escoladocs
 
Apresentação a grande depressão e o seu impacto social
Apresentação a grande depressão e o seu impacto socialApresentação a grande depressão e o seu impacto social
Apresentação a grande depressão e o seu impacto social
Escoladocs
 
Apresentação mutações nos comportamentos e na cultura
Apresentação mutações nos comportamentos e na culturaApresentação mutações nos comportamentos e na cultura
Apresentação mutações nos comportamentos e na cultura
Escoladocs
 
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Escoladocs
 
Apresentação um novo equilíbrio global
Apresentação um novo equilíbrio globalApresentação um novo equilíbrio global
Apresentação um novo equilíbrio global
Escoladocs
 
Caderno Diário Renascimento
Caderno Diário Renascimento Caderno Diário Renascimento
Caderno Diário Renascimento
Escoladocs
 
Romanização
RomanizaçãoRomanização
Romanização
Escoladocs
 

Mais de Escoladocs (20)

A nobreza
A nobrezaA nobreza
A nobreza
 
Clero
CleroClero
Clero
 
Historia clero
Historia cleroHistoria clero
Historia clero
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
 
A sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos sécA sociedade senhorial nos séc
A sociedade senhorial nos séc
 
Os muçulmanos
Os muçulmanosOs muçulmanos
Os muçulmanos
 
Cristianismo
CristianismoCristianismo
Cristianismo
 
Diogo
DiogoDiogo
Diogo
 
Jesus cristo historia
Jesus cristo historiaJesus cristo historia
Jesus cristo historia
 
Trabalho de história economia e sociedade do império romano
Trabalho de história economia e sociedade do império romanoTrabalho de história economia e sociedade do império romano
Trabalho de história economia e sociedade do império romano
 
Apresentação totalitarismos
Apresentação totalitarismosApresentação totalitarismos
Apresentação totalitarismos
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3bBc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
Bc4e93acd896800cfb3ddc2f0c50aaab4aceef3b
 
Apresentação a grande depressão e o seu impacto social
Apresentação a grande depressão e o seu impacto socialApresentação a grande depressão e o seu impacto social
Apresentação a grande depressão e o seu impacto social
 
Apresentação mutações nos comportamentos e na cultura
Apresentação mutações nos comportamentos e na culturaApresentação mutações nos comportamentos e na cultura
Apresentação mutações nos comportamentos e na cultura
 
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
Apresentação portugal no primeiro pós guerra 2
 
Apresentação um novo equilíbrio global
Apresentação um novo equilíbrio globalApresentação um novo equilíbrio global
Apresentação um novo equilíbrio global
 
Caderno Diário Renascimento
Caderno Diário Renascimento Caderno Diário Renascimento
Caderno Diário Renascimento
 
Romanização
RomanizaçãoRomanização
Romanização
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 

O modelo ateniense

  • 1. Módulo I – Raízes mediterrânicas da civilização europeia – cidade, cidadania e O modelo ateniense império na Antiguidade Clássica
  • 2. Conteúdos • A democracia antiga: os direitos dos cidadãos e o exercício de poderes • Uma cultura aberta à cidade • As grandes manifestações cívico- religiosas • A educação para o exercício público do poder • A arquitetura e a escultura, expressão do culto público e da procura da harmonia
  • 3. Aprendizagens • Identificar a pólis ateniense como um centro politicamente autónomo • Mostrar que a democracia ateninese era uma democracia direta • Distinguir os órgãos do poder legislativo, executivo e judicial. • Avaliar os limites da participação democrática • Comparar a democracia ateniense com a democracia atual • Desenvolver a sensibilidade estética, através da identificação e da apreciação de manifestações artísticas do período clássico
  • 5. O que é uma polis? • território • corpo cívico • conjunto de leis
  • 6. Quais as condições de formação das polis? • factor geográfico (compartimentação das terras pelas altas montanhas, dificuldades de comunicação) • invasões estrangeiras • inexistência de um poder central
  • 8. Evolução política de Atenas até ao século V a.C.
  • 9. Quem eram os cidadãos? • indivíduos do sexo masculino • mais de 20 anos • filhos de pai e mãe ateniense • com o serviço militar cumprido
  • 10. Que direitos possuía? • igualdade perante a lei (isonomia) • igualdade de acesso aos cargos políticos (isocracia) • direito do uso da palavra (isegoria) • posse de terras • posse de escravos • acesso à educação
  • 11. Quais os seus deveres? • cumprir o serviço militar • participar ativamente na Eclésia • votar • desempenhar cargos como legislador, governante, juiz ou magistrado • participar nas celebrações cívico-religiosas
  • 12. Instituições democráticas e o seu funcionamento
  • 14. Mulheres Direitos Deveres • cuidar das crianças • trabalhos domésticos • assistir às festas no templo de Hera • sobriedade • sujeição à tutela do pai, marido e filho mais velho
  • 15. Estrangeiros Direitos Deveres • exercício do comércio e do artesanato • pagar impostos • participação nas festividades • cumprir o serviço militar • custear as festividades e espetáculos
  • 16. Escravos Deveres • obedecer ao seu senhor • trabalhar nos serviços domésticos, campos, oficinas e minas
  • 17. A democracia antiga • conceito de cidadania • igualdade de todos os cidadãos • democracia direta • divisão dos poderes • sorteio • uso da retórica • discriminação das mulheres e estrageiros • existência legal da escravatura • ostracismo
  • 18. A democracia nos nossos dias • vontade de satisfazer os desejos da maioria dos cidadãos • divisão de poderes • uso da retórica como arma política • tratamento igual de todos os cidadãos perante a lei • o conceito de cidadão • democracia representativa ou indireta • eleição • igualdade entre sexos
  • 19. A educação para a cidadania • até aos sete anos, os rapazes e raparigas eram educados pelas mães • os rapazes iam para a escola aprender a leitura, a escrita, a música e o exercício físico • tinham também de decorar e recitar os poemas da Ilíada e da Odisseia • aos quinze anos frequentavam ginásios e aprendiam Matemática, Filosofia, Religião, História, Política, Retórica e Dialéctica • aos dezoito cumpria o serviço militar de dois anos e aos vinte era considerado um cidadão
  • 20. Manifestações cívico-religiosas Teatro Jogos • terá começado pela leitura de poemas e por • devoção aos deuses danças, até assumir a forma de representação • proclamava-se tréguas sagradas enquanto • peças trágicas e comédias de crítica social decorriam • o oráculo tem uma função importante, pois as • atraiam visitantes de toda a Grécia suas previsões, ditadas pelos deuses, sempre se • também havia lugar a competições musicais e cumprem para a exibição dos dotes de oratória • existiam competições entre dramaturgos de todo • o vencedor alcançava um estatuto de semideus o mundo grego e tinha direito a um tratamento especial
  • 21. A arte clássica Arquitetura Escultura Pintura • proporções matemáticas, • evolução da pose rígida até ao • representação dos deuses e harmonia e simplicidade ideal do atleta robusto e do efeito do quotidiano • cidades organizadas num plano teatral e sensação de movimento • sentido utilitário ortogonal • estabeleceu-se o ideal de • registo e transmissão de • a busca da perfeição evidencia- beleza do corpo humano mensagens se nas correções óticas • esculturas revestidas de pintura de cores vivas

Notas do Editor

  1. \n
  2. \n
  3. \n
  4. \n
  5. \n
  6. \n
  7. \n
  8. \n
  9. \n
  10. \n
  11. \n
  12. \n
  13. \n
  14. \n
  15. \n
  16. \n
  17. \n
  18. \n
  19. \n
  20. \n
  21. \n