SlideShare uma empresa Scribd logo
Objectivos 1º teste


    1. Justificar a fragmentação politica

A Grécia era dividida em três grandes regiões: Grécia continental, Grécia insular e Grécia asiática,
porém possuía um solo bastante pobre e montanhoso, onde a cultivação era muito reduzida.
Então para conseguir alcançar maior riqueza, facilitar a governamentação e ser auto-suficiente, os
Gregos criaram várias cidades-Estado (as Pólis).


    2. Caracterizar a Pólis

A Pólis era uma pequena comunidade em que os gregos viviam.
Esta tinha: um território com fronteiras definidas e um espaço cívico organizado, onde o espaço
cívico se dividia na Acrópole (zona alta da cidade onde se realizava a vida religiosa, destaca-se o
Partenon) e na Ágora (praça publica na zona baixa da cidade onde se passava a vida quotidiana,
destaca-se: o mercado, a Bulé, Stoa - sitio de sombra para debate politico); existiam leis para
garantir a ordem e a organização; era constituída por um corpo cívico, isto é os cidadãos que
tinham de ser homens, filho de pai e mão ateniense, maiores de 18 anos e serviço militar
cumprido, estes tinham como funções: fazer as leis, defender Atenas e participar na Bulé; e era
uma cidade auto-suficiente, que se basta a si própria em termos económicos (autarcia)



    3. Descrever os espaços da cidade grega

Os espaços da cidade grega são:
- Acrópole: zona alta da cidade, onde se praticava o culto aos deuses, ou seja onde se praticava a
religião. Nela encontravam-se os principais edifícios públicos e profanos, templos e residências
aristocráticas, como por exemplo: Propileus e Templo de Atena Niké
- Ágora: zona baixa da cidade, onde se passava a vida quotidiana. Nela encontrava-se: o mercado, o
conselho da cidade, arquivo, strategium (exercito e instituições militares), casa onde era cunhada a
moeda, stoa (sitio de sombra para o debate publico)


    4. Distinguir nas instituições de Atenas democrática, órgão de poder legislativo, executivo e
       judicial

- Eclésia: assembleia de todos os cidadãos. Competia à eclésia discutir e votar as leis, decidir da paz
da guerra, apreciar a actuação dos magistrados ou deliberar sobre outro qualquer assunto que
respeitasse ao governo da cidade. As decisões eram tomadas por maioria e a votação era
normalmente feita de braço no ar. ->poder legislativo
- Bulé ou Assembleia dos 500: encarregue de elaborar projectos de lei. Era constituída por 50
representantes de cada demo, eram eleitos por sorteio anualmente na Eclésia, entre os cidadãos
com mais de 30 anos. Trabalhavam num sistema rotativo - as Pritanias - em que alternavam no
poder, podendo exercer esse cargo apenas uma vez na vida para evitar a corrupção
-Magistrados:
 # Arcontes: 10 magistrados, sorteados anualmente. Presidiam os tribunais. Organizavam as
cerimónias fúnebres e religiosas
 # Estrategos: 10 magistrados eleitos anualmente. Funções militares e de política externa.

                                                                                                       1
- Tribunais:
 # Areopago: tribunal formado por antigos arcontes que haviam acabado funções vitaliciamente.
Julgavam crimes graves: religiosos, homicídios e os incêndios.
 # Helieu: 6000 juízes sorteados anualmente, julgavam os delitos menos graves, e as decisões eram
tomadas através de voto secreto


    5. Mostrar que a democracia ateniense era uma democracia directa

Como não existiam organizações partidárias cada cidadão actuava por si próprio, desempenhando
à vez, os cargos necessários ao bom andamento dos assuntos da cidade. A democracia grega era,
por isso, uma democracia directa e todo aquele que se desinteressava dos assuntos públicos era
malvisto pela polis.


    6. Justificar a importância da oratória no contexto da democracia directa

Podemos dizer que a oratória é a arte do bem falar, ou seja, “como falar em público” da maneira
correcta fazendo uso adequado dos gestos, da postura, da voz e ordenação da fala. Então isto era
essencial pois os assuntos políticos eram bastante importantes para a Pólis, logo qualquer cidadão
iria exercer um cargo, por isso tinham de estar preparados para apresentar propostas e discuti-las
na Eclésia, para justificar as medidas adoptadas e para acusar ou defender nos tribunais.


    7. Avaliar os limites da participação democrática de Atenas

- Regime politico que diz que todos os cidadãos são iguais, no entanto isso não acontecia, pois as
mulheres, os escravos e os metecos não tinham os mesmos direitos do que os cidadãos;
- A democracia funcionava só para um pequeno grupo, visto que a participação democrática
estava, reservada a uma escassa minoria em que mulheres, escravos e metecos não tinham o
direito de intervir;
- Os escravos não tinham qualquer direito, eram considerados propriedade de outrem, podendo
dele dispor-se livremente;
- As mulheres não eram donas de si mesmas, alguém teria que ter a sua tutela, por exemplo o pai,
marido ou filho;
- Os metecos estavam impedidos de participar no governo, casar com uma ateniense ou possuir
terras e bens, porém eram obrigados a pagar impostos.


    8. Relacionar educação dos jovens atenienses com o exercício da cidadania

Em Atenas, é necessário converter os jovens em homens cultos, corajosos, sensíveis, ao belo e
empenhados na vida política da cidade.
Até aos 7 anos, as crianças eram educadas pela mãe no gineceu. A partir daí eram orientadas para
os papéis que, mais tarde, deveriam assumir na sociedade:
- As raparigas ficavam em casa, onde aprendiam todos os louvores que competiam à mulher.
- Os rapazes iam a escola e preparavam-se para ser cidadãos.
O estado pouco interferia na educação, no entanto recomendava que aprendessem a nadar, a ler, a
escrever e que praticassem exercícios físicos.
O currículo compreendia-se na aprendizagem da leitura, da escrita e da aritmética; logo que
dominassem esses conhecimentos, o gramatico (mestre de ler e escrever) iniciava-lhes nos poemas


                                                                                                     2
de Homero de deHesidio, para que os feitos dos heróis servissem de exemplo aos jovens e para os
tornar em apreciadores das coisas belas.
A educação intelectual era contemplada com a preparação física, era claro para os Gregos que um
espirito são só se consegue com um corpo igualmente saudável.
A preparação física continuava, a partir dos 15 anos, em escolas próprias, os ginásios, onde
também ensinava-se a matemática e filosofia.
A educação do cidadão complementava-se, depois, no exercício da vida cívica, através da
participação nas assembleias, do exercício das magistraturas ou de animadas discussões na ágora.
No séc. V a.C. surgiram os sofistas, professores viajantes, que andavam de cidade em cidade
fazendo conferencias e dando aulas. Estes defendiam um saber enciclopédico e empenhavam-se
no desenvolvimento do espirito crítico e da facilidade de expressão.


    9. Explicar o significado das grandes manifestações religiosas

As festividades eram uma forma de culto em honra dos deuses e eram destinadas a toda a Grécia,
sendo de caracter Pan-helénico
- As Panameias:
Realizavam-se em Atenas, de quatro em quatro anos no mês de Julho, em honra de Atena.
Durante duas semanas a deusa era honrada com concursos musicais, danças e provas desportivas,
onde o pondo mais alto era uma procissão em que presenteavam Atena com um novo peoplo
(misto de túnica e manto)
Na procissão participavam os magistrados, os cidadãos, as mulheres, as donzelas que haviam
tecido o peoplo e os metecos
Quantos aos prémios: para o concurso de música eram objectos de prata e ouro, para a prova de
trajes militares era um escudo e para os jogos desportivos era azeite.
- As Grandes Dionisias:
Realizavam-se em Atenas durante seis dias do mês de Março, em honra de Dionisio (deus do
vinho), onde originou-se o teatro.
Os autores concorriam com um conjunto de três peças de caracter dramático e o vencedor recebia
uma pequena quantia em dinheiro, uma coroa de hera e a distinção de ver o seu nome escrito nos
registos de honra da cidade.
As peças tinham um valor religioso mas também moralizante, pondo em evidência a sujeição do
Homem aos deuses.
Mais tarde integraram também a tragedia e a comédia, onde deram origem aos anfiteatros.
- Os jogos olímpicos:
Foram criados por Hercules, realizavam-se no santuário de Olimpia de quatro em quatro anos em
honra de Zeus, com intenção de simbolizar a união entre as Pólis.
Para além das cerimónias religiosas celebradas no templo de Zeus, existiam também as provas
desportivas onde nestas só podiam participar os cidadãos. Quanto aos espectadores podiam ser:
bárbaros, escravos ou raparigas solteiras, já as mulheres casadas nem podiam entrar no recinto
festivo.
As provas realizadas eram as seguintes: equestres (corridas de cavalos), corridas, luta, pugilato,
pancrácio (luta e pugilato) e o pentatlo (salto em cumprimento, corrida, disco, dardo e luta). O
prémio atribuído aos vencedores seria uma coroa de oliveira brava




                                                                                                   3
10. Identificar os elementos básicos da arquitectura grega




                                                                                                      Frontão

                                                                                                       Friso

                                                                                                      Arquitrave



                                                                                                      Coluna



                                                                                              Base do
                                                                                              templo




         Ordem dórica                      Ordem jónica                      Ordem coríntia



    11. Evidenciar os objectivos estéticos e religiosos da arte grega

A arte grega era vocacionada para a perfeição, procurava um corpo perfeito, uma beleza física
ideal, mas estas só podiam ser obtidas pela conjugação de elementos retirados de diversos
modelos.
1. Época arcaica (séc. VII a VI a.C.): esculturas de pose rígida fazendo lembrar o estilo egípcio
2. Época Classica (séc. V a IV a.C.): representava os atletas robustos; naturalismo/realismo;
valorizavam o corpo do homem, belo e perfeito; surgem as primeiras representações femininas
3. Epoca Helenista (séc. III a I a.C.): efeito teatral e representação de movimento; representações
em grupo que narram um acontecimento ou história

-Ambas as épocas estavam ao serviço da religião e da vida pública; valorizavam o belo, o corpo
humano e a perfeição; representavam sobretudo deuses e os heróis e serviam de elemento
decorativo á arquitectura


                                                                                                       4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Roma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºanoRoma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºano
Susana Grandão
 
Modelo romano parte 1
Modelo romano   parte 1Modelo romano   parte 1
Modelo romano parte 1
cattonia
 
01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia
Vítor Santos
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
Jorge Almeida
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
cattonia
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
Susana Simões
 
Uma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidadeUma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidade
Carla Teixeira
 
01 02_o_modelo_romano
01  02_o_modelo_romano01  02_o_modelo_romano
01 02_o_modelo_romano
Vítor Santos
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
Núcleo de Estágio ESL 2014-2015
 
Roma apresentação 1
Roma apresentação 1Roma apresentação 1
Roma apresentação 1
Vítor Santos
 
02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo
Vítor Santos
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
CatarinaTavares28
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
cattonia
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
Susana Simões
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
Ana Barreiros
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
Ana Barreiros
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
Vítor Santos
 
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
Vítor Santos
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
Carina Vale
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
Susana Simões
 

Mais procurados (20)

Roma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºanoRoma- Resumo de história 10ºano
Roma- Resumo de história 10ºano
 
Modelo romano parte 1
Modelo romano   parte 1Modelo romano   parte 1
Modelo romano parte 1
 
01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia01 a geografia cultural europeia
01 a geografia cultural europeia
 
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
A Democracia Ateniense no séc. V a. C.
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
O modelo ateniense
O modelo atenienseO modelo ateniense
O modelo ateniense
 
Uma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidadeUma cultura aberta à cidade
Uma cultura aberta à cidade
 
01 02_o_modelo_romano
01  02_o_modelo_romano01  02_o_modelo_romano
01 02_o_modelo_romano
 
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
4. O Modelo Romano - a progressiva extensão da cidadania; a afirmação imperia...
 
Roma apresentação 1
Roma apresentação 1Roma apresentação 1
Roma apresentação 1
 
02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo02 o alargamento do conhecimento do mundo
02 o alargamento do conhecimento do mundo
 
1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo1 o alargamento do conhecimento do mundo
1 o alargamento do conhecimento do mundo
 
Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2Modelo romano parte 2
Modelo romano parte 2
 
País urbano e concelhio
País urbano e concelhioPaís urbano e concelhio
País urbano e concelhio
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
 
Ficha formativa roma
Ficha formativa romaFicha formativa roma
Ficha formativa roma
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
4 02 a europa dos estados absolutos e a europa dos parlamentos
 
Poder régio
Poder régioPoder régio
Poder régio
 
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa OcidentalA identidade civilizacional da Europa Ocidental
A identidade civilizacional da Europa Ocidental
 

Semelhante a Resumos História - O Modelo Ateniense

Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
Margarida Moreira
 
Ahistoriatemposeespacos
AhistoriatemposeespacosAhistoriatemposeespacos
Ahistoriatemposeespacos
MarioColitro
 
Civilização grega
Civilização gregaCivilização grega
Civilização grega
mundica broda
 
Civilizacaogrega
CivilizacaogregaCivilizacaogrega
Civilizacaogrega
Nuno Pinto
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
ricardup
 
Os Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo VOs Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo V
Sílvia Mendonça
 
Grécia antig apps
Grécia antig appsGrécia antig apps
Grécia antig apps
Arlindo Rodrigues Vieira
 
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º anoResumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
iaramendonca2019
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
Sílvia Mendonça
 
Módulo 1 contexto histórico regular
Módulo 1   contexto histórico regularMódulo 1   contexto histórico regular
Módulo 1 contexto histórico regular
Carla Freitas
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
TLopes
 
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
ArthurSilva272154
 
GréCia Antiga
GréCia AntigaGréCia Antiga
GréCia Antiga
Sílvia Mendonça
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
Vítor Santos
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
Sílvia Mendonça
 
M1.1 o modelo ateniense
M1.1 o modelo atenienseM1.1 o modelo ateniense
M1.1 o modelo ateniense
João Neves
 
A heranca do_mediterraneo_antigo_1
A heranca do_mediterraneo_antigo_1A heranca do_mediterraneo_antigo_1
A heranca do_mediterraneo_antigo_1
Fatima Gouveia
 
Os Gregos
Os GregosOs Gregos
Civilização grega
Civilização gregaCivilização grega
Civilização grega
ana_abreu
 
GréCia
GréCiaGréCia

Semelhante a Resumos História - O Modelo Ateniense (20)

Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
Ahistoriatemposeespacos
AhistoriatemposeespacosAhistoriatemposeespacos
Ahistoriatemposeespacos
 
Civilização grega
Civilização gregaCivilização grega
Civilização grega
 
Civilizacaogrega
CivilizacaogregaCivilizacaogrega
Civilizacaogrega
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
 
Os Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo VOs Gregos No SéCulo V
Os Gregos No SéCulo V
 
Grécia antig apps
Grécia antig appsGrécia antig apps
Grécia antig apps
 
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º anoResumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
Resumo da matéria da democracia ateniense de História A do 10º ano
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
 
Módulo 1 contexto histórico regular
Módulo 1   contexto histórico regularMódulo 1   contexto histórico regular
Módulo 1 contexto histórico regular
 
Módulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágoraMódulo 1 – a cultura da ágora
Módulo 1 – a cultura da ágora
 
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1Direito na grécia antig aabril2020ok n1
Direito na grécia antig aabril2020ok n1
 
GréCia Antiga
GréCia AntigaGréCia Antiga
GréCia Antiga
 
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf01_01_o_modelo_ateniense.pdf
01_01_o_modelo_ateniense.pdf
 
A CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO GregaA CivilizaçãO Grega
A CivilizaçãO Grega
 
M1.1 o modelo ateniense
M1.1 o modelo atenienseM1.1 o modelo ateniense
M1.1 o modelo ateniense
 
A heranca do_mediterraneo_antigo_1
A heranca do_mediterraneo_antigo_1A heranca do_mediterraneo_antigo_1
A heranca do_mediterraneo_antigo_1
 
Os Gregos
Os GregosOs Gregos
Os Gregos
 
Civilização grega
Civilização gregaCivilização grega
Civilização grega
 
GréCia
GréCiaGréCia
GréCia
 

Último

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 

Último (20)

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 

Resumos História - O Modelo Ateniense

  • 1. Objectivos 1º teste 1. Justificar a fragmentação politica A Grécia era dividida em três grandes regiões: Grécia continental, Grécia insular e Grécia asiática, porém possuía um solo bastante pobre e montanhoso, onde a cultivação era muito reduzida. Então para conseguir alcançar maior riqueza, facilitar a governamentação e ser auto-suficiente, os Gregos criaram várias cidades-Estado (as Pólis). 2. Caracterizar a Pólis A Pólis era uma pequena comunidade em que os gregos viviam. Esta tinha: um território com fronteiras definidas e um espaço cívico organizado, onde o espaço cívico se dividia na Acrópole (zona alta da cidade onde se realizava a vida religiosa, destaca-se o Partenon) e na Ágora (praça publica na zona baixa da cidade onde se passava a vida quotidiana, destaca-se: o mercado, a Bulé, Stoa - sitio de sombra para debate politico); existiam leis para garantir a ordem e a organização; era constituída por um corpo cívico, isto é os cidadãos que tinham de ser homens, filho de pai e mão ateniense, maiores de 18 anos e serviço militar cumprido, estes tinham como funções: fazer as leis, defender Atenas e participar na Bulé; e era uma cidade auto-suficiente, que se basta a si própria em termos económicos (autarcia) 3. Descrever os espaços da cidade grega Os espaços da cidade grega são: - Acrópole: zona alta da cidade, onde se praticava o culto aos deuses, ou seja onde se praticava a religião. Nela encontravam-se os principais edifícios públicos e profanos, templos e residências aristocráticas, como por exemplo: Propileus e Templo de Atena Niké - Ágora: zona baixa da cidade, onde se passava a vida quotidiana. Nela encontrava-se: o mercado, o conselho da cidade, arquivo, strategium (exercito e instituições militares), casa onde era cunhada a moeda, stoa (sitio de sombra para o debate publico) 4. Distinguir nas instituições de Atenas democrática, órgão de poder legislativo, executivo e judicial - Eclésia: assembleia de todos os cidadãos. Competia à eclésia discutir e votar as leis, decidir da paz da guerra, apreciar a actuação dos magistrados ou deliberar sobre outro qualquer assunto que respeitasse ao governo da cidade. As decisões eram tomadas por maioria e a votação era normalmente feita de braço no ar. ->poder legislativo - Bulé ou Assembleia dos 500: encarregue de elaborar projectos de lei. Era constituída por 50 representantes de cada demo, eram eleitos por sorteio anualmente na Eclésia, entre os cidadãos com mais de 30 anos. Trabalhavam num sistema rotativo - as Pritanias - em que alternavam no poder, podendo exercer esse cargo apenas uma vez na vida para evitar a corrupção -Magistrados: # Arcontes: 10 magistrados, sorteados anualmente. Presidiam os tribunais. Organizavam as cerimónias fúnebres e religiosas # Estrategos: 10 magistrados eleitos anualmente. Funções militares e de política externa. 1
  • 2. - Tribunais: # Areopago: tribunal formado por antigos arcontes que haviam acabado funções vitaliciamente. Julgavam crimes graves: religiosos, homicídios e os incêndios. # Helieu: 6000 juízes sorteados anualmente, julgavam os delitos menos graves, e as decisões eram tomadas através de voto secreto 5. Mostrar que a democracia ateniense era uma democracia directa Como não existiam organizações partidárias cada cidadão actuava por si próprio, desempenhando à vez, os cargos necessários ao bom andamento dos assuntos da cidade. A democracia grega era, por isso, uma democracia directa e todo aquele que se desinteressava dos assuntos públicos era malvisto pela polis. 6. Justificar a importância da oratória no contexto da democracia directa Podemos dizer que a oratória é a arte do bem falar, ou seja, “como falar em público” da maneira correcta fazendo uso adequado dos gestos, da postura, da voz e ordenação da fala. Então isto era essencial pois os assuntos políticos eram bastante importantes para a Pólis, logo qualquer cidadão iria exercer um cargo, por isso tinham de estar preparados para apresentar propostas e discuti-las na Eclésia, para justificar as medidas adoptadas e para acusar ou defender nos tribunais. 7. Avaliar os limites da participação democrática de Atenas - Regime politico que diz que todos os cidadãos são iguais, no entanto isso não acontecia, pois as mulheres, os escravos e os metecos não tinham os mesmos direitos do que os cidadãos; - A democracia funcionava só para um pequeno grupo, visto que a participação democrática estava, reservada a uma escassa minoria em que mulheres, escravos e metecos não tinham o direito de intervir; - Os escravos não tinham qualquer direito, eram considerados propriedade de outrem, podendo dele dispor-se livremente; - As mulheres não eram donas de si mesmas, alguém teria que ter a sua tutela, por exemplo o pai, marido ou filho; - Os metecos estavam impedidos de participar no governo, casar com uma ateniense ou possuir terras e bens, porém eram obrigados a pagar impostos. 8. Relacionar educação dos jovens atenienses com o exercício da cidadania Em Atenas, é necessário converter os jovens em homens cultos, corajosos, sensíveis, ao belo e empenhados na vida política da cidade. Até aos 7 anos, as crianças eram educadas pela mãe no gineceu. A partir daí eram orientadas para os papéis que, mais tarde, deveriam assumir na sociedade: - As raparigas ficavam em casa, onde aprendiam todos os louvores que competiam à mulher. - Os rapazes iam a escola e preparavam-se para ser cidadãos. O estado pouco interferia na educação, no entanto recomendava que aprendessem a nadar, a ler, a escrever e que praticassem exercícios físicos. O currículo compreendia-se na aprendizagem da leitura, da escrita e da aritmética; logo que dominassem esses conhecimentos, o gramatico (mestre de ler e escrever) iniciava-lhes nos poemas 2
  • 3. de Homero de deHesidio, para que os feitos dos heróis servissem de exemplo aos jovens e para os tornar em apreciadores das coisas belas. A educação intelectual era contemplada com a preparação física, era claro para os Gregos que um espirito são só se consegue com um corpo igualmente saudável. A preparação física continuava, a partir dos 15 anos, em escolas próprias, os ginásios, onde também ensinava-se a matemática e filosofia. A educação do cidadão complementava-se, depois, no exercício da vida cívica, através da participação nas assembleias, do exercício das magistraturas ou de animadas discussões na ágora. No séc. V a.C. surgiram os sofistas, professores viajantes, que andavam de cidade em cidade fazendo conferencias e dando aulas. Estes defendiam um saber enciclopédico e empenhavam-se no desenvolvimento do espirito crítico e da facilidade de expressão. 9. Explicar o significado das grandes manifestações religiosas As festividades eram uma forma de culto em honra dos deuses e eram destinadas a toda a Grécia, sendo de caracter Pan-helénico - As Panameias: Realizavam-se em Atenas, de quatro em quatro anos no mês de Julho, em honra de Atena. Durante duas semanas a deusa era honrada com concursos musicais, danças e provas desportivas, onde o pondo mais alto era uma procissão em que presenteavam Atena com um novo peoplo (misto de túnica e manto) Na procissão participavam os magistrados, os cidadãos, as mulheres, as donzelas que haviam tecido o peoplo e os metecos Quantos aos prémios: para o concurso de música eram objectos de prata e ouro, para a prova de trajes militares era um escudo e para os jogos desportivos era azeite. - As Grandes Dionisias: Realizavam-se em Atenas durante seis dias do mês de Março, em honra de Dionisio (deus do vinho), onde originou-se o teatro. Os autores concorriam com um conjunto de três peças de caracter dramático e o vencedor recebia uma pequena quantia em dinheiro, uma coroa de hera e a distinção de ver o seu nome escrito nos registos de honra da cidade. As peças tinham um valor religioso mas também moralizante, pondo em evidência a sujeição do Homem aos deuses. Mais tarde integraram também a tragedia e a comédia, onde deram origem aos anfiteatros. - Os jogos olímpicos: Foram criados por Hercules, realizavam-se no santuário de Olimpia de quatro em quatro anos em honra de Zeus, com intenção de simbolizar a união entre as Pólis. Para além das cerimónias religiosas celebradas no templo de Zeus, existiam também as provas desportivas onde nestas só podiam participar os cidadãos. Quanto aos espectadores podiam ser: bárbaros, escravos ou raparigas solteiras, já as mulheres casadas nem podiam entrar no recinto festivo. As provas realizadas eram as seguintes: equestres (corridas de cavalos), corridas, luta, pugilato, pancrácio (luta e pugilato) e o pentatlo (salto em cumprimento, corrida, disco, dardo e luta). O prémio atribuído aos vencedores seria uma coroa de oliveira brava 3
  • 4. 10. Identificar os elementos básicos da arquitectura grega Frontão Friso Arquitrave Coluna Base do templo Ordem dórica Ordem jónica Ordem coríntia 11. Evidenciar os objectivos estéticos e religiosos da arte grega A arte grega era vocacionada para a perfeição, procurava um corpo perfeito, uma beleza física ideal, mas estas só podiam ser obtidas pela conjugação de elementos retirados de diversos modelos. 1. Época arcaica (séc. VII a VI a.C.): esculturas de pose rígida fazendo lembrar o estilo egípcio 2. Época Classica (séc. V a IV a.C.): representava os atletas robustos; naturalismo/realismo; valorizavam o corpo do homem, belo e perfeito; surgem as primeiras representações femininas 3. Epoca Helenista (séc. III a I a.C.): efeito teatral e representação de movimento; representações em grupo que narram um acontecimento ou história -Ambas as épocas estavam ao serviço da religião e da vida pública; valorizavam o belo, o corpo humano e a perfeição; representavam sobretudo deuses e os heróis e serviam de elemento decorativo á arquitectura 4