SlideShare uma empresa Scribd logo
Integração e
interdisciplinaridade no
ensino secundário
brasileiro: dilemas e
possibilidades.
• Dilema: Integração e interdisciplinaridade
das Ciências Humanas como projeto
pedagógico no Ensino Médio brasileiro.
Na antiguidade a importância dada as
Ciências Humanas e Naturais era de vital
importância para a conquista do saber e do
espaço.
Com o passar do tempo perderam a
importância que tinham, em função do
interesse de alguns.
• Pós Primeira Grande Guerra (1914 – 1918),
entra em discussão a criação de um sistema
educacional brasileiro que coordenasse
esforços no sentido de modernizar as
práticas e concepções pedagógicas em vigor
nas escolas brasileiras.
• Controvérsias entre conservadores e
reformadores na ampliação do espaço
dedicado aos estudos científicos e
diminuição das humanas (sociedade
moderna / tecnológica-industrial em curso).
• Intelectuais católicos : defendem a formação
geral, sem preocupação com a
especialização e profissionalização. Queriam
um estudo voltado a desenvolver o
sentimento da solidariedade humana.
• Revolução de 1930: Criação do Ministério da
Educação e da Saúde.
• Reforma educacional. Qual seria o currículo?
• Escola tradicional: Classes populares –
escola primária; classe média – escola
secundária e superior como reduto dos
interesses de classe.
• 1930 – Maior liberdade política e
expressão;Intensificação da industrialização
e desigualdade entre estados e regiões,
estimulando a migração. Surgem
Universidades para a formação de
professores para a qualificação profissional.
Analfabetismo era crônico. Precisava ser
combatido.Movimentos sociais exigem
reformas de base.
• Fim do Estado Novo (1937 -1945) . Para
quem o Ensino Médio? Tais discussões
dariam origem a primeira Lei de Diretrizes e
Bases da Educação, em 1961.
• 1964- Golpe Militar: Mudanças no campo
educacional. Nova LDB em 1971. Cria as
disciplinas de Educação Moral e Cívica,
para EF e Organização Social e Política
Brasileira para o EM.
• Objetivo: promover simplificações em
determinados conteúdos históricos,
geográficos e sociológicos e divulgar
valores patrióticos em tempos de governo
ditatorial e de restrição a liberdades
democráticas.
• 1985 – redemocratização. Elabora nova
LDB, aprovada em 1996, extinguindo as
disciplinas de EMC e OSPB.
• Introduz-se Filosofia e Sociologia como
elemento inovador.
Na atualidade com a reintegração das
Ciências Humanas no currículo do Ensino
Médio, quer se resgatar a importância das
disciplinas e buscar uma forma de
trabalha-las de maneira integrada com as
demais disciplinas.
Como fazer está integração entre
as disciplinas das Ciências
Humanas (História, Geografia,
Filosofia e Sociologia) com as
demais disciplinas?
Os sujeitos
estudantes do Ensino
Médio e os direitos à
aprendizagem e ao
desenvolvimento
humano na Área de
Ciências Humanas.
DESABAFO
Quando professores podem sentar-se em grupo para
planejar a interdisciplinaridade?
Sabemos que temos que compartilhar para que haja
uma maior produção de conhecimento, então por que
não somos melhor remunerados, para não
precisarmos nos sobrecarregar com aulas e não
termos tempo para planejar e pesquisar?
Contraditório: Temos que nos preocupar cada vez
mais com trabalhos burocráticos (preencher
papelada) em vez de um bom planejamento (sujeitos
que recorrem a tendência da culpabilização, Caderno
II, Etapa I).
Nós, educadores, somos chamados a
reinventar a escola junto com nossos
estudantes, ao mesmo tempo em que
buscamos garantir o direito à
aprendizagem e ao desenvolvimento
do educando por meio de sua
formação ética, do desenvolvimento da
sua autonomia intelectual e do seu
pensamento crítico.
Daí a importância de estabelecermos diálogos
abertos e democráticos com os sujeitos do
processo.
- Conhecemos nossos jovens estudantes do
EM?
- Como e onde eles nasceram? Como vivem?
Como gostariam de viver? Qual é o valor da
família e dos amigos para esses jovens?
- Como eles leem o mundo? A escola
contribui para as práticas de leitura de mundo
realizadas pelos jovens estudantes? O que
eles esperam dos estudos escolares?
- Os estudantes do EM que frequentam o
período diurno apresentam as mesmas
demandas daqueles que frequentam o período
noturno? Segundo os jovens estudantes do EM
qual é o papel dos seus professores na
sociedade atual?
-As Ciências Humanas são valorizadas pelos
jovens estudantes? Por quê? Os estudos
tradicionalmente propostos pela área das
Ciências Humanas se aproximam dos
interesses e necessidades dos estudantes do
EM?
Nossa realização como docentes
está vinculada ao conhecimento que
temos sobre esses sujeitos. É
necessário conhecer para
compreender, assim, ao
reconhecermos as experiências, os
saberes e as identidades culturais de
nossos estudantes, temos condições
de estabelecer diálogos e construir
relacionamentos profícuos.
Para que tenhamos uma escola pública
com sucesso, precisamos de colaboração
e comprometimento coletivo.
É possível superar fenômenos de mal-
estar em nossas instituições de ensino,
construindo novos paradigmas de
relacionamento com os jovens
estudantes, além de garantir os direitos à
aprendizagem e ao desenvolvimento por
meio dos conhecimentos trabalhados
pelos componentes curriculares da área
de Ciências Humanas.
ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA CARLOS CHAGAS
Professora de Geografia: Magrid Auler

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação história
Formação históriaFormação história
Formação história
Magda Marques
 
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
jose marcelo silva
 
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da AutoriaDiálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
crisdelshine
 
Currículo referência história 6º ao 9º ano
Currículo referência história 6º ao 9º anoCurrículo referência história 6º ao 9º ano
Currículo referência história 6º ao 9º ano
tecnicossme
 
Educação para a diversidade
Educação para a diversidadeEducação para a diversidade
Educação para a diversidade
Francilene Duarte
 
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
Janaina Silveira
 
Projeto eja power-point
Projeto  eja power-pointProjeto  eja power-point
Projeto eja power-point
midiasnaeducacaonte01
 
História da educação infantil no Brasil e no Mundo
História da educação infantil no Brasil e no MundoHistória da educação infantil no Brasil e no Mundo
História da educação infantil no Brasil e no Mundo
Prefeitura Municipal de Alagoa Nova
 
Paschoal lemme
Paschoal lemmePaschoal lemme
Paschoal lemme
Priscila Aristimunha
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
 Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3 Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
Claraluz Gris
 
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
culturaafro
 
OCs HISTÓRIA 2011
OCs HISTÓRIA 2011OCs HISTÓRIA 2011
OCs HISTÓRIA 2011
lucavao2010
 
4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação
MACEIÓ - James Washington
 
Conceituação da Educação Popular no Brasil
Conceituação da Educação Popular no BrasilConceituação da Educação Popular no Brasil
Conceituação da Educação Popular no Brasil
Livia Rodrigues
 
Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2
recantopedagogia
 
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
bbetocosta77
 
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
Alsone Jorge Guambe
 
Curriculo diferença cultural e dialogo
Curriculo diferença cultural e dialogoCurriculo diferença cultural e dialogo
Curriculo diferença cultural e dialogo
Joyce Ludimile
 

Mais procurados (19)

Formação história
Formação históriaFormação história
Formação história
 
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
Caderno2serieemsociologiaunidade110032021
 
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da AutoriaDiálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
Diálogos Interdisciplinares a Caminho da Autoria
 
Currículo referência história 6º ao 9º ano
Currículo referência história 6º ao 9º anoCurrículo referência história 6º ao 9º ano
Currículo referência história 6º ao 9º ano
 
Educação para a diversidade
Educação para a diversidadeEducação para a diversidade
Educação para a diversidade
 
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
EDUCAÇÃO POPULAR: ANÁLISE DA PRÁTICA BRASILEIRA DURANTE A DÉCADA DE 1970
 
Projeto eja power-point
Projeto  eja power-pointProjeto  eja power-point
Projeto eja power-point
 
História da educação infantil no Brasil e no Mundo
História da educação infantil no Brasil e no MundoHistória da educação infantil no Brasil e no Mundo
História da educação infantil no Brasil e no Mundo
 
Paschoal lemme
Paschoal lemmePaschoal lemme
Paschoal lemme
 
1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública1. teixeira escola pública
1. teixeira escola pública
 
Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
 Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3 Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
Fichamento do livro de Carlos Brandão "O Que é Educação Popular" cap. 2 e 3
 
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
FormaçãO Educadores E Diversidade Slide1
 
OCs HISTÓRIA 2011
OCs HISTÓRIA 2011OCs HISTÓRIA 2011
OCs HISTÓRIA 2011
 
4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação4. durkheim e a educação
4. durkheim e a educação
 
Conceituação da Educação Popular no Brasil
Conceituação da Educação Popular no BrasilConceituação da Educação Popular no Brasil
Conceituação da Educação Popular no Brasil
 
Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2Ppp carlosmota2
Ppp carlosmota2
 
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
Eixos estruturantes (fichas dinâmica)
 
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
Papel da educação no desenvolvimento sócio económico e na construção da cidad...
 
Curriculo diferença cultural e dialogo
Curriculo diferença cultural e dialogoCurriculo diferença cultural e dialogo
Curriculo diferença cultural e dialogo
 

Destaque

Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane BenjaminiProblemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
Lydia Rocha
 
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
adrianorabelo
 
G.5 MotivaçãO Dos Professores
G.5 MotivaçãO Dos ProfessoresG.5 MotivaçãO Dos Professores
G.5 MotivaçãO Dos Professores
conspiracaomineira
 
Educação infantil e motivação
Educação infantil e motivaçãoEducação infantil e motivação
Educação infantil e motivação
Wagner Luiz Garcia Teodoro
 
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagemEstímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Dalila Melo
 
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicasResgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Ideia de Marketing
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
Roselene Rocha
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
University
 

Destaque (8)

Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane BenjaminiProblemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
Problemas enfrentados pela escola - Professora Josseane Benjamini
 
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
Palestra motivacão na natação (Academia Dandy)
 
G.5 MotivaçãO Dos Professores
G.5 MotivaçãO Dos ProfessoresG.5 MotivaçãO Dos Professores
G.5 MotivaçãO Dos Professores
 
Educação infantil e motivação
Educação infantil e motivaçãoEducação infantil e motivação
Educação infantil e motivação
 
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagemEstímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
 
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicasResgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
Resgate a motivação da sua equipe em 20 técnicas
 
Motivação em sala de aula
Motivação em sala de aulaMotivação em sala de aula
Motivação em sala de aula
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 

Semelhante a sismedio - CadernoI- Integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro Professora Magrid Auler

escola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdfescola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdf
GihOliveira4
 
Educacao ed1
Educacao ed1Educacao ed1
Educacao ed1
Gleide Alcântara
 
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
profamiriamnavarro
 
Plano de ação luiz 2011
Plano de ação luiz 2011Plano de ação luiz 2011
Plano de ação luiz 2011
lucavao2010
 
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
LucasSouza869164
 
A história na educação básica selva
A história na educação básica selvaA história na educação básica selva
A história na educação básica selva
Célia Barros
 
Htpc currículo
Htpc currículoHtpc currículo
Htpc currículo
Glauco Duarte
 
Apresentação Rejane
Apresentação RejaneApresentação Rejane
Apresentação Rejane
jorgellss
 
Conhecimentos pedagógicos avaliação
Conhecimentos pedagógicos avaliação Conhecimentos pedagógicos avaliação
Conhecimentos pedagógicos avaliação
Pedagoga Claudia Oliveira Andrade
 
Portfólio Gestão do Projeto Educativo
Portfólio Gestão do Projeto Educativo Portfólio Gestão do Projeto Educativo
Portfólio Gestão do Projeto Educativo
PatriciaFrana46
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
Alef Lopes
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
Eduardo Mariño Rial
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
cmsrial13
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Antonio Futuro
 
Escola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedadeEscola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedade
Universidade Federal do Ceará
 
Pensamento de Freire
Pensamento de FreirePensamento de Freire
Pensamento de Freire
Lívia Willborn
 
Tendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de históriaTendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de história
Patrícia Éderson Dias
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Robson Godeguezi
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Robson Godeguezi
 
46 163-1-pb
46 163-1-pb46 163-1-pb

Semelhante a sismedio - CadernoI- Integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro Professora Magrid Auler (20)

escola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdfescola e responsabilidade social.pdf
escola e responsabilidade social.pdf
 
Educacao ed1
Educacao ed1Educacao ed1
Educacao ed1
 
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
MPEHG AULA 12: Ciências Humanas, Geografia e BNCC
 
Plano de ação luiz 2011
Plano de ação luiz 2011Plano de ação luiz 2011
Plano de ação luiz 2011
 
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
3_ANO_EM_CI_HUMANAS_PLANO_DE_CURSO_2024_ENSINO_MEDIO.pdf
 
A história na educação básica selva
A história na educação básica selvaA história na educação básica selva
A história na educação básica selva
 
Htpc currículo
Htpc currículoHtpc currículo
Htpc currículo
 
Apresentação Rejane
Apresentação RejaneApresentação Rejane
Apresentação Rejane
 
Conhecimentos pedagógicos avaliação
Conhecimentos pedagógicos avaliação Conhecimentos pedagógicos avaliação
Conhecimentos pedagógicos avaliação
 
Portfólio Gestão do Projeto Educativo
Portfólio Gestão do Projeto Educativo Portfólio Gestão do Projeto Educativo
Portfólio Gestão do Projeto Educativo
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Escola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedadeEscola, cultura e sociedade
Escola, cultura e sociedade
 
Pensamento de Freire
Pensamento de FreirePensamento de Freire
Pensamento de Freire
 
Tendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de históriaTendencias e perspectivas do ensino de história
Tendencias e perspectivas do ensino de história
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
 
46 163-1-pb
46 163-1-pb46 163-1-pb
46 163-1-pb
 

Mais de Lydia Rocha

A area de linguagem professora Catarina Minks
A area de linguagem professora Catarina MinksA area de linguagem professora Catarina Minks
A area de linguagem professora Catarina Minks
Lydia Rocha
 
SISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
SISMEDIO Atividade Professora Sônia VieroSISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
SISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
Lydia Rocha
 
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
Lydia Rocha
 
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas Professora Catarina Minks
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas  Professora Catarina Minkssismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas  Professora Catarina Minks
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas Professora Catarina Minks
Lydia Rocha
 
integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
  integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro  integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
Lydia Rocha
 
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIEROSISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
Lydia Rocha
 
SISMEDIO - Ciencias humanas Professora : Catarina Minks
SISMEDIO - Ciencias humanas  Professora : Catarina MinksSISMEDIO - Ciencias humanas  Professora : Catarina Minks
SISMEDIO - Ciencias humanas Professora : Catarina Minks
Lydia Rocha
 
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
Lydia Rocha
 
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid AulerSismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
Lydia Rocha
 
SISMEDIO CADERNO II
SISMEDIO CADERNO IISISMEDIO CADERNO II
SISMEDIO CADERNO II
Lydia Rocha
 
Sismedio caderno 1
Sismedio   caderno 1Sismedio   caderno 1
Sismedio caderno 1
Lydia Rocha
 

Mais de Lydia Rocha (11)

A area de linguagem professora Catarina Minks
A area de linguagem professora Catarina MinksA area de linguagem professora Catarina Minks
A area de linguagem professora Catarina Minks
 
SISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
SISMEDIO Atividade Professora Sônia VieroSISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
SISMEDIO Atividade Professora Sônia Viero
 
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
SISMEDIO - ETAPA II-CADERNO I - Organização do trabalho pedagógico. Professor...
 
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas Professora Catarina Minks
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas  Professora Catarina Minkssismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas  Professora Catarina Minks
sismedio Caderno I - ETAPA II - Ciencias humanas Professora Catarina Minks
 
integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
  integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro  integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro
 
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIEROSISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
SISMEDIO - ETAPA II -CADERNO I - PROFESSORA SÔNIA MARA VIERO
 
SISMEDIO - Ciencias humanas Professora : Catarina Minks
SISMEDIO - Ciencias humanas  Professora : Catarina MinksSISMEDIO - Ciencias humanas  Professora : Catarina Minks
SISMEDIO - Ciencias humanas Professora : Catarina Minks
 
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
Valorização e interpretação do planejamento participativo sismedio- Professor...
 
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid AulerSismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
Sismedio caderno III Marcia Mello e Magrid Auler
 
SISMEDIO CADERNO II
SISMEDIO CADERNO IISISMEDIO CADERNO II
SISMEDIO CADERNO II
 
Sismedio caderno 1
Sismedio   caderno 1Sismedio   caderno 1
Sismedio caderno 1
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 

Último (20)

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 

sismedio - CadernoI- Integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro Professora Magrid Auler

  • 1. Integração e interdisciplinaridade no ensino secundário brasileiro: dilemas e possibilidades.
  • 2. • Dilema: Integração e interdisciplinaridade das Ciências Humanas como projeto pedagógico no Ensino Médio brasileiro. Na antiguidade a importância dada as Ciências Humanas e Naturais era de vital importância para a conquista do saber e do espaço. Com o passar do tempo perderam a importância que tinham, em função do interesse de alguns.
  • 3. • Pós Primeira Grande Guerra (1914 – 1918), entra em discussão a criação de um sistema educacional brasileiro que coordenasse esforços no sentido de modernizar as práticas e concepções pedagógicas em vigor nas escolas brasileiras. • Controvérsias entre conservadores e reformadores na ampliação do espaço dedicado aos estudos científicos e diminuição das humanas (sociedade moderna / tecnológica-industrial em curso).
  • 4. • Intelectuais católicos : defendem a formação geral, sem preocupação com a especialização e profissionalização. Queriam um estudo voltado a desenvolver o sentimento da solidariedade humana. • Revolução de 1930: Criação do Ministério da Educação e da Saúde. • Reforma educacional. Qual seria o currículo? • Escola tradicional: Classes populares – escola primária; classe média – escola secundária e superior como reduto dos interesses de classe.
  • 5. • 1930 – Maior liberdade política e expressão;Intensificação da industrialização e desigualdade entre estados e regiões, estimulando a migração. Surgem Universidades para a formação de professores para a qualificação profissional. Analfabetismo era crônico. Precisava ser combatido.Movimentos sociais exigem reformas de base. • Fim do Estado Novo (1937 -1945) . Para quem o Ensino Médio? Tais discussões dariam origem a primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação, em 1961.
  • 6. • 1964- Golpe Militar: Mudanças no campo educacional. Nova LDB em 1971. Cria as disciplinas de Educação Moral e Cívica, para EF e Organização Social e Política Brasileira para o EM. • Objetivo: promover simplificações em determinados conteúdos históricos, geográficos e sociológicos e divulgar valores patrióticos em tempos de governo ditatorial e de restrição a liberdades democráticas.
  • 7. • 1985 – redemocratização. Elabora nova LDB, aprovada em 1996, extinguindo as disciplinas de EMC e OSPB. • Introduz-se Filosofia e Sociologia como elemento inovador.
  • 8. Na atualidade com a reintegração das Ciências Humanas no currículo do Ensino Médio, quer se resgatar a importância das disciplinas e buscar uma forma de trabalha-las de maneira integrada com as demais disciplinas. Como fazer está integração entre as disciplinas das Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia) com as demais disciplinas?
  • 9. Os sujeitos estudantes do Ensino Médio e os direitos à aprendizagem e ao desenvolvimento humano na Área de Ciências Humanas.
  • 10. DESABAFO Quando professores podem sentar-se em grupo para planejar a interdisciplinaridade? Sabemos que temos que compartilhar para que haja uma maior produção de conhecimento, então por que não somos melhor remunerados, para não precisarmos nos sobrecarregar com aulas e não termos tempo para planejar e pesquisar? Contraditório: Temos que nos preocupar cada vez mais com trabalhos burocráticos (preencher papelada) em vez de um bom planejamento (sujeitos que recorrem a tendência da culpabilização, Caderno II, Etapa I).
  • 11. Nós, educadores, somos chamados a reinventar a escola junto com nossos estudantes, ao mesmo tempo em que buscamos garantir o direito à aprendizagem e ao desenvolvimento do educando por meio de sua formação ética, do desenvolvimento da sua autonomia intelectual e do seu pensamento crítico.
  • 12. Daí a importância de estabelecermos diálogos abertos e democráticos com os sujeitos do processo. - Conhecemos nossos jovens estudantes do EM? - Como e onde eles nasceram? Como vivem? Como gostariam de viver? Qual é o valor da família e dos amigos para esses jovens? - Como eles leem o mundo? A escola contribui para as práticas de leitura de mundo realizadas pelos jovens estudantes? O que eles esperam dos estudos escolares?
  • 13. - Os estudantes do EM que frequentam o período diurno apresentam as mesmas demandas daqueles que frequentam o período noturno? Segundo os jovens estudantes do EM qual é o papel dos seus professores na sociedade atual? -As Ciências Humanas são valorizadas pelos jovens estudantes? Por quê? Os estudos tradicionalmente propostos pela área das Ciências Humanas se aproximam dos interesses e necessidades dos estudantes do EM?
  • 14. Nossa realização como docentes está vinculada ao conhecimento que temos sobre esses sujeitos. É necessário conhecer para compreender, assim, ao reconhecermos as experiências, os saberes e as identidades culturais de nossos estudantes, temos condições de estabelecer diálogos e construir relacionamentos profícuos.
  • 15. Para que tenhamos uma escola pública com sucesso, precisamos de colaboração e comprometimento coletivo. É possível superar fenômenos de mal- estar em nossas instituições de ensino, construindo novos paradigmas de relacionamento com os jovens estudantes, além de garantir os direitos à aprendizagem e ao desenvolvimento por meio dos conhecimentos trabalhados pelos componentes curriculares da área de Ciências Humanas.
  • 16. ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA CARLOS CHAGAS Professora de Geografia: Magrid Auler