SlideShare uma empresa Scribd logo
2ºAno
Prof: Julio Cesar Souza Almeida
CALOR
ONDAS
ÓPTICA
Escola Clóvis Borges Miguel
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
5
273
9
32
5




TkTT FC
ESCALAS TERMOMÉTRICAS
Relação entre as escalas Celsius e
Farenheit.
Exercícios
1. No Rio de Janeiro, a temperatura
ambiente chegou a atingir, no verão de
1998, o valor de 49o
C. Qual seria o valor
dessa temperatura, se lida num
termômetro na escala Fahrenheit?
2. A temperatura média do corpo humano é
36o
C. Determine o valor dessa
temperatura na escala Fahrenheit.
3. Lê-se no jornal que a temperatura em
certa cidade da Russia atingiu, no
inverno, o valor de 14o
F. Qual o valor
dessa temperatura na escala Celsius?
4. Um termômetro graduado na escala
Fahrenheit, acusou, para a temperatura
ambiente em um bairro de Belo Horizonte,
77o
F. Expresse essa temperatura na
escala Celsius.
5. Dois termômetros graduados, um na
escala Fahrenheit e outro na escala
Celsius, registram o mesmo valor
numérico para a temperatura quando
mergulhados num líquido. Determine a
temperatura desse líquido.
Questões
6. Descreva, resumidamente, como se deve
proceder para graduar um termômetro na
escala Celsius.
7. Quando medimos a temperatura de uma
pessoa, devemos manter o termômetro
em contato com ela durante um certo
tempo. Por quê?
8. Desejando-se medir a temperatura de um
pequeno inseto, colocou-se um grande
número deles em um recipiente.
Introduzindo-se entre os insetos um
termômetro, verificou-se que, depois de
um certo tempo, o termômetro indicava
30o
C. A) Para determinar a temperatura
de cada inseto seria necessário conhecer
o número deles no recipiente? B) Então,
qual era a temperatura de um dos
insetos?
9. Cite algumas grandezas que podem ser
usadas como grandezas termométricas.
10.O que é um termômetro? Em que se
baseia um termômetro?
11.Você acha seguro comparar a
temperatura de dois corpos através do
tato? Explique sua resposta com um
exemplo.
Relação entre as escalas Celsius e Kelvin
Exercícios
1. Um corpo se encontra à temperatura de
27o
C. Determine o valor dessa
temperatura na escala Kelvin.
2. Um doente está com febre de 42o
C. Qual
sua temperatura expressa na escala
Kelvin?
3. Uma pessoa tirou sua temperatura com
um termômetro graduado na escala Kelvin
e encontrou 312 K. Qual o valor de sua
temperatura na escala Celsius?
4. Um gás solidifica-se na temperatura de 25
K. Qual o valor desse ponto de
solidificação na escala Celsius?
5. Uma forma de aumentar a temperatura de
um corpo é através do contato com outro
que esteja mais quente. Existe outra
forma? Dê um exemplo.
Questões
6. O que você entende por "zero absoluto"?
Qual o valor desta temperatura na escala
Celsius?
7. Como você poderia medir a temperatura
de um lápis, de um grão de areia e de um
fio de cabelo?
Exercícios complementares
8. Um líquido está a uma temperatura de 59o
F. Qual é esta temperatura na escala
Kelvin?
9. A temperatura de ebulição de uma
substância é 88 K. Quanto vale esta
temperatura na escala Fahrenheit?
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1. (G1) A temperatura crítica do corpo humano é
42°C. Em graus Fahrenheit, essa temperatura
vale:
a) 106,2
b) 107,6
c) 102,6
d) 180,0
e) 104,4
2. (Fei 96) Nas escalas Celsius e Fahrenheit
representadas a seguir, estão anotadas as
temperaturas de fusão de gelo e ebulição da
água à pressão normal. Sabendo-se que o
intervalo entre as temperaturas anotadas foram
divididas em partes iguais, ao se ler 32°C, quanto
marcará a escala Fahrenheit para a mesma
temperatura?
a) 112,6 °F
b) 64,0 °F
c) 89,6 °F
d) 144,0 °F
e) 100,0 °F
3. (Mackenzie ) No dia 1 de janeiro de 1997,
Chicago amanheceu com temperatura de 5°F.
Essa temperatura, na escala Celsius corresponde
a:
a) 8°C
b) 2°C
c) -5°C
d) -10°C
e) -15°C
4. (Fatec) À pressão de 1atm, as temperaturas
de ebulição da água e fusão do gelo na escala
Fahrenheit são, respectivamente, 212°F e 32°F.
A temperatura de um líquido que está a 50°C à
pressão de 1atm, é, em °F:
a) 162
b) 90
c) 106
d) 82
e) 122
5. (Ita ) O verão de 1994 foi particularmente
quente nos Estados Unidos da América. A
diferença entre a máxima temperatura do verão e
a mínima no inverno anterior foi de 60°C. Qual o
valor dessa diferença na escala Fahreheit?
a) 108°F
b) 60°F
c) 140°F
d) 33°F
e) 92°F
6. (Uel ) A temperatura da cidade de Curitiba, em
um certo dia, sofreu uma variação de 15°C. Na
escala Fahrenheit, essa variação corresponde a
a) 59
b) 45
c) 27
d) 18
e) 9
7. (Mackenzie ) A temperatura, cuja indicação na
escala Fahrenheit é 5 vezes maior que a da
escala Celsius, é:
a) 50°C.
b) 40°C.
c) 30°C.
d) 20°C.
e) 10°C.
8. (Mackenzie ) Um pesquisador verifica que
uma certa temperatura obtida na escala Kelvin é
igual ao correspondente valor na escala
Fahrenheit acrescido de 145 unidades. Esta
temperatura na escala Celsius é:
a) 55°C.
b) 60°C.
c) 100°C.
d) 120°C.
e) 248°C.
9. (Uel ) Uma escala de temperatura arbitrária X
está relacionada com a escala Celsius, conforme
o gráfico a seguir.
As temperaturas de fusão do gelo e ebulição da
água, sob pressão normal, na escala X são,
respectivamente,
a) -60 e 250
b) -100 e 200
c) -150 e 350
d) -160 e 400
e) -200 e 300
10. (G1) Um termômetro está graduado numa
escala X tal que 60°X corresponde a 100°C e -
40°X corresponde a 0°C.
Uma temperatura de 60°C corresponde a que
temperatura lida no termômetro de escala X?
a) 28°X
b) 25°X
c) 18°X
d) 20°X
e) 30°X
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
11. (Uel) O termômetro construído por um
estudante marca 1°E quando a temperatura é a
da fusão do gelo sob pressão normal e marca
96°E no ponto de ebulição da água sob pressão
normal. A temperatura lida na escola E coincide
com a temperatura Celsius APENAS no valor
a) – 20
b) – 10
c) 10
d) 20
e) 40
12. (Cesgranrio) Uma escala termométrica X é
construída de modo que a temperatura de 0°X
corresponde a -4°F, e a temperatura de 100°X
corresponde a 68°F. Nesta escala X, a
temperatura de fusão do gelo vale:
a) 10 °X
b) 20 °X
c) 30 °X
d) 40 °X
e) 50 °X
Gabarito: 1B 2C 3E 4E 5ª 6C 7E 8D 9C
10D 11D 12E
ESTUDO DO CALOR
Quantidade de calor
Q = m.c.  t
Q = quantidade de calor (cal )
m = massa (g)
c = calor específico ( cal/ g. o
C)
 t = variação da temperatura (o
C)
 t = t - t0
Exercícios
10.Uma peça de ferro de 50 g tem
temperatura de 10o
C. Qual é o calor
necessário para aquecê-la até 80o
C?
(calor específico do ferro: c = 0,11 cal/ g.
o
C )
11.Uma pessoa bebe 500 g de água a 10o
C.
Admitindo que a temperatura dessa
pessoa é de 36o
C, qual a quantidade de
calor que essa pessoa transfere para a
água? O calor específico da água é 1 cal/
g. o
C.
12.Determine a quantidade de calor que 200
g de água deve perder para que sua
temperatura diminua de 30o
C para 15o
C.
O calor específico da água é 1 cal/ g. o
C.
13.Um corpo de massa 50 gramas recebe
300 calorias e sua temperatura sobe de
10o
C até 30o
C. Determine o calor
específico da substância que o constitui.
14.Mil gramas de glicerina, de calor
específico 0,6 cal/ g. o
C, inicialmente a 0o
C, recebe 12000 calorias de uma fonte.
Determine a temperatura final da
glicerina.
15.Uma fonte térmica fornece, em cada
minuto, 20 calorias. Para produzir um
aquecimento de 20o
C para 50o
C em 50
gramas de um líquido, são necessários 15
minutos. Determine o calor específico do
líquido.
Questões
16.Por que a água é utilizada para a
refrigeração dos motores de automóveis?
17.Sabe-se que os desertos são muito
quentes durante o dia e bastante frios à
noite. Então, que conclusão você pode
tirar a respeito do calor específico da
areia?
18.Do ponto de vista microscópico, qual a
diferença entre um corpo quente e um
frio?
Trocas de calor
"Quando dois ou mais corpos trocam calor
entre si, até estabelecer-se o equilíbrio
térmico, é nula a soma das quantidades de
calor trocadas por eles."
termômetro
calorímetro
QA + QB = 0
Qrecebido > 0
Qcedido < 0
Exercícios
1. Um corpo de massa 200 g a 50o
C, feito
de um material desconhecido, é
A
B
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
mergulhado em 50 g de água a 90o
C. O
equilíbrio térmico se estabelece a 60o
C.
Sendo 1 cal/g. o
C o calor específico da
água, e admitindo só haver trocas de
calor entre o corpo e a água, determine o
calor específico do material
desconhecido.
2. Um objeto de massa 80 g a 920o
C é
colocado dentro de 400 g de água a 20o
C. A temperatura de equilíbrio é 30o
C, e
o objeto e a água trocam calor somente
entre si. Calcule o calor específico do
objeto. O calor específico da água é 1 cal/
g. o
C.
3. O alumínio tem calor específico 0,20
cal/g. o
C e a água 1 cal/g. o
C. Um corpo
de alumínio, de massa 10 g e à
temperatura de 80o
C, é colocado em 10 g
de água à temperatura de 20o
C.
Considerando que só há trocas de calor
entre o alumínio e a água, determine a
temperatura final de equilíbrio térmico.
Questões
4. Diga, com suas palavras, o que você
entende por "estado de equilíbrio
térmico".
5. Quando dois corpos são colocados em
contato, qual a condição necessária para
que haja fluxo de calor entre eles?
Calor latente
"Quando uma substância está mudando de
estado, ela absorve ou perde calor sem que
sua temperatura varie. A quantidade de calor
absorvida ou perdida é chamada calor
latente."
Q = m.L
Q = quantidade de calor (cal)
m = massa (g)
L = calor latente da substância (cal/g)
Exercícios
6. Calcule a quantidade de calor necessária
para transformar 300 g de gelo a 0o
C em
água a 0o
C, sabendo que o calor latente
de fusão da água é LF = 80 cal/g.
7. Determine a quantidade de calor que se
deve fornecer para transformar 70 g de
água a 100o
C em vapor de água a 100o
C. Dado: calor latente de vaporização da
água LV = 540 cal/g.
8. Uma substância de massa 200 g absorve
5000 cal durante a sua ebulição. Calcule
o calor latente de vaporização.
Questões
9. Uma pessoa está cozinhando batatas em
uma panela aberta com "fogo baixo".
Quando a água entra em ebulição,
desejando abreviar o tempo necessário
para o cozimento, essa pessoa passa a
chama para "fogo alto". Ela conseguirá
cozinhar as batatas mais depressa?
Explique.
10.Onde se demora mais para cozinhar
feijão: numa panela aberta no Rio de
Janeiro (nível do mar) ou em La Paz
(4.000 m de altitude).
11.Em um certo local, observa-se que a
água, em uma panela aberta, entra em
ebulição a 80o
C. Esse local está abaixo
ou acima do nível do mar? Explique.
12.Para cozer um determinado alimento,
devemos mergulhá-lo em certa
quantidade de água pura e submetê-lo
por algum tempo à temperatura de 120o
C. Que providência devemos tomar para
cozê-lo?
13.Para esfriar um refrigerante, você usaria
gelo a 0o
C ou água a 0o
C?
Mudança de estado
Exercícios
1. Qual a quantidade de calor que 50 g de
gelo a -20o
C precisam receber para se
transformar em água a 40o
C? Dado: cgelo
= 0,5 cal/g. o
C; cágua = 1 cal/g. o
C; é LF =
80 cal/g.
2. Têm-se 20 g de gelo a -10o
C. Qual a
quantidade de calor que se deve fornecer
ao gelo para que ele se transforme em
água a 20o
C? Dado: cgelo = 0,5 cal/g. o
C;
cágua = 1 cal/g. o
C; é LF = 80 cal/g.
3. Quanto de calor será necessário para
levar 100 g de água a 50o
C para vapor d'
água a 100o
C? LV = 540 cal/g.
4. Que quantidade de calor se exige para
que 200 g de gelo a -40o
C se
transformem em vapor d'água a 100o
C?
LV = 540 cal/g.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
5. O gráfico representa a temperatura de
uma amostra de massa 20g de
determinada substância, inicialmente no
estado sólido, em função da quantidade
de calor que ela absorve. Pede-se: a) a
temperatura de fusão da substância; b) o
calor latente de fusão da substância.
t (o
C)
60 ..............................................
40 ............
20
0 20 50 90 Q
(cal)
6. O gráfico abaixo representa a temperatura
de uma amostra de 100g de determinado
metal, inicialmente no estado sólido, em
função da quantidade de calor que ela
absorve. Pede-se: a) a temperatura de
fusão do metal; b) o calor latente de fusão
do metal.
t (o
C)
360 ..............................................
330 ............
300
0 600 1200 1800 Q
(cal)
EXERCÍCIOS COPMPLEMENTARES
1-(Cefet)Sabendo que o calor especifico da água
é igual a 1,0cal/gºC, a quantidade de calor para
aquecer 1litro de água de 20 ºC para 36ºC é, em
calorias, de:
a)16
b)1000
c)16000
d)100000
e)16000000
2-Qual é a quantidade de energia que devemos
usar para aquecer 100 g de água de 15ºC para
45ºC? calor
específico sensível da água = 1,0 cal/gºC
a) 1 kcal
b) 2 kcal
c) 3 kcal
d) 4 kcal
e) 5 kcal
3 - Um líquido inicialmente a 20ºC recebeu 80
kcal até atingir 60ºC. Sabendo que a massa do
líquido é de 400 gdetermine o seu calor
específico.
a) 0,2 cal/gºC
b) 0,3 cal/gºC
c) 0,4 cal/gºC
d) 0,5 cal/gºC
e) 0,6 cal/gºC
4 – (PUC-RS) Uma piscina contém 20.000 litros
de água. Sua variação de temperatura durante a
noite é de – 5° C. Sabendo que o calor específico
da água é de 1cal/g ° C, a energia, em kcal,
perdida pela água ao longo da noite, em módulo,
é
a) 1.104
b) 1.105
c) 2.103
d) 9.103
e) 9.107
5-(PUC-RIO) Quanta energia deve ser dada a
uma panela de ferro de 300 g para que sua
temperatura seja elevada em 100 ºC? Considere
o calor específico da panela como c = 450 J/ kg
ºC.
a) 300J
b) 450J
c) 750J
d) 1750J
e) 13500J
6-(PUC-RIO) Quanto calor precisa ser dado a
uma placa de vidro de 0,3 kg para aumentar sua
temperatura em 80 °C? (Considere o calor
específico do vidro como 70 J/kg °C)
a) 1060J
b) 1567J
c) 1680J
d) 1867J
e) 1976J
7-(PUC-MG) O gráfico abaixo mostra o
aquecimento de um recipiente de alumínio ( c =
0,20 cal/g°C), de massa 600 g, que contém um
determinado líquido em equilíbrio térmico. Nesse
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
caso, é CORRETO dizer que a capacidade
térmica do líquido, em cal/ °C é igual a:
a) 60
b) 70
c) 80
d) 90
e) 100
8-
Num experimento , aquece-se um corpo com o
objetivo de determinar sua capacidade térmica.
Para tanto, utiliza uma fonte térmica, de potência
constante, que fornece 30 calorias por segundo e
constrói o gráfico anterior. A capacidade térmica
do corpo é:
a) 15 cal/°C
b) 20 cal/°C
c) 30 cal/°C
d) 40 cal/°C
e) 50 cal/°C
9-(Cefet-2001) Tem-se 200g de gelo de um certo
liquido a temperatura de 28ºC. Fornecendo-se
980cal diretamente a esse liquido, sua
temperatura sobe para 35ºC. O valor do calor
especifico do liquido é:
a)1,35cal/gºC
b)0,95cal/gºC
c)1,0cal/gºC
d)1,2cal/gºC
e)0,7cal/gºC
10-(FUVEST) Misturam-se 200g de água a 0ºC
com 250g de um determinado líquido a 40ºC,
obtendo-se o equilíbrio térmico a 20ºC. Adotando
o calor específico da água como sendo igual a 1
cal/g.ºC e desprezando trocas de calor com o
ambiente, pergunta-se: Qual o calor específico do
líquido em cal/g.ºC?
a) 0,25
b) 0,50
c) 0,80
d) 1,00
e) 1,25
11-(FATEC-SP) Em 200g de água a 20ºC (Cág. =
1cal/g.ºC), mergulha-se um bloco metálico de
400g, a 50ºC. O equilíbrio térmico entre esses
dois corpos ocorre a 30ºC. O calor específico do
metal é, em cal/g.ºC de:
a) 0,75
b) 4,0
c) 2,0
d) 0,5
e) 0,25
12-(UFPE) Um litro (1000g) de água, à
temperatura de 20ºC é misturado com dois litros
(2000g) de água que estavam inicialmente à
temperatura de 50ºC. Supondo que as trocas de
calor ocorram apenas entre estas massas de
água, qual será a sua temperatura de equilíbrio
térmico?
a) 30ºC
b) 35ºC
c) 40ºC
d) 43ºC
e) 45ºC
13-(UEL) Misturam-se 120g de um líquido a
100ºC com 40g do mesmo líquido a 20ºC.
Supondo que só houve troca de calor entre as
duas porções do líquido, a temperatura de
equilíbrio térmico, em graus Celsius, é igual a:
a) 40
b) 50
c) 60
d) 80
e) 84
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
14-(Unifor-CE) Um corpo de massa m a 270o
C é
colocado em um recipiente, onde existe idêntica
massa de água a 50o
C, obtendo-se uma
temperatura de equilíbrio igual a 70o
C. Admitindo
que somente houve troca de calor entre o corpo e
a água, o calor específico do corpo, em cal/goC,
é igual a:
a) 0,010
b) 0,030
c) 0,054
d) 0,20
e) 0,10
15- (UFAL) O calor de combustão de uma
substância é a quantidade de calor que ela
fornece por unidade de massa que sofre
combustão total. Sabendo-se que o calor de
combustão do álcool é de 6400 cal/g pode-se
afirmar que a massa mínima de álcool a ser
utilizada como combustível para fundir um bloco
de gelo de 400 g a 0 o
C é, em grama, de:
Dado:calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g
a) 2
b) 4,0 x 102
c) 1,6 x 10
d) 6,4 x 10
e) 5
16-(ESAL-MG) O gráfico representa a
temperatura θ de uma substância de massa 20 g,
inicialmente sólida, em função da quantidade de
calor recebido Q. Podemos afirmar que a
capacidade térmica no estado sólido, o calor
latente de fusão e o calor específico no estado
líquido dessa substância valem, respectivamente:
a) 5 cal/0
C; 10 cal; 0,5 cal/g 0
C
b) 10 cal/0
C; 5 cal/g; 1 cal/g 0
C
c) 4 cal/0
C; 2 cal/g; 5 cal/g 0
C
d) 5 cal/0
C; 0,5 cal/g; 10 cal/g 0
C
e) 10 cal/0
C; 5 cal/g; 0,25 cal/g 0
C
17(UERJ) Uma bolinha de aço a 120º C é
colocada sobre um pequeno cubo de gelo a 0º C.
Em escala linear, o gráfico que melhor representa
a variação, no tempo, das temperaturas da
bolinha de aço e do cubo de gelo, até alcançarem
um estado de equilíbrio, é:
18-(PUC-PR) Um bloco de gelo, inicialmente a -
10 0C, tem massa de 500 g. Qual a quantidade
de calor necessária para transformá-lo em igual
quantidade de água, a 20 0C?
Dados: cgelo = 0,5 cal/g 0C, cágua = 1,0 cal/g
0C, Lf 80 cal/g.
a) 0,05 kcal
b) 0,52 kcal
c) 5,25 kcal
d) 525 kcal
e) 52,5 kcal
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
19-(Cesgranrio-RJ) Que quantidade de calor
deve-se retirar de 1,00 kg de água inicialmente e
20 0C. para transformá-lo totalmente em gelo a 0
0C?
(Lf gelo = 80 cal/g)
a) 20 kcal
b) 80 kcal
c) 40 kcal
d) 100 kcal
e) 60 kcal
20. (EFO Alfenas- MG) A quantidade de calor
necessária para transformar 50 g de água a 20 o
C
em vapor de água a 140 o
C é:
Dados:
calor específico da água = 1 cal/go
C
calor latente de vaporização da água = 540 cal/g
calor específico do vapor de água = 0,5 cal/go
C
a) 27 000 cal
b) 32 000 cal
c) 1 000 cal
d) 4 000 cal
e) 64 000 cal
GABARITO:
1C 2C 3D 4B 5E 6C 7C 8A
9E 10C 11A 12C 13D 14E
15E 16E 17D 18E 19D 20B
DILATAÇÃO TÉRMICA
Dilatação linear
L0
t0 L
t
L
 L = L - L0
 t = t - t0
 L = .L0.  t
L = Lo (1 + .  t )
 L = variação no comprimento
 = coeficiente de dilatação linear (o
C-1
)
 t = variação da temperatura (o
C)
Exercícios
7. Qual o aumento de comprimento que
sofre uma extensão de trilhos de ferro
com 1000 m ao passar de 0o
C para 40o
C, sabendo-se que o coeficiente de
dilatação linear do ferro é 12.10-6 o
C-1
?
8. Um cano de cobre de 4 m a 20o
C é
aquecido até 80o
C. Dado  do cobre
igual a 17.10-6 o
C-1
, de quanto aumentou
o comprimento do cano?
9. O comprimento de um fio de alumínio é
de 30 m, a 20o
C. Sabendo-se que o fio é
aquecido até 60o
C e que o coeficiente de
dilatação linear do alumínio é de 24.10-6
o
C-1
, determine a variação no
comprimento do fio.
10.Uma barra de ferro tem, a 20o
C, um
comprimento igual a 300 cm. O
coeficiente de dilatação linear do ferro
vale 12.10-6 o
C-1
. Determine o
comprimento da barra a 120o
C.
11.Um tubo de ferro,  = 12.10-6 o
C-1
, tem
10 m a -20o
C. Ele foi aquecido até 80o
C.
Calcule o comprimento a final do tubo.
12.Uma barra de determinada substância é
aquecida de 20o
C para 220o
C. Seu
comprimento à temperatura de 20o
C é de
5,000 cm e à temperatura de 220o
C é de
5,002 cm. Determine o coeficiente de
dilatação linear da substância.
Dilatação superficial
t0 t
 A = A - A0
 A = .A0.  t
A = Ao (1 + . t )
 = 2
 A = variação da superfície
 = coeficiente de dilatação superficial (o
C-1
)
 t = variação da temperatura (o
C)
A0
A
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Exercícios
1. Uma chapa de zinco tem área de 8 cm2
a
20o
C. Calcule a sua área a 120o
C. Dado:
 zinco = 52. 10-6 o
C-1
.
2. Uma chapa de chumbo tem área de 900
cm2
a 10o
C. Determine a área de sua
superfície a 60o
C. O coeficiente de
dilatação superficial do chumbo vale 54.
10-6 o
C-1
.
3. Uma chapa de alumínio,  = 48.10-6 o
C-1
,
tem área de 2 m2
a 10o
C. Calcule a
variação de sua área entre 10o
C e 110o
C.
4. A variação da área de uma chapa é 0,04
cm2
, quando a temperatura passa de 0o
C
para 200o
C. Se a área inicial da chapa
era 100 cm2
, determine o coeficiente de
dilatação superficial da chapa.
Questões
5. Num bar, dois copos se encaixaram de tal
forma que o balconista não consegue
retirar um de dentro do outro.
Mergulhando o copo de baixo em água
quente, os corpos se soltaram. Por quê?
6. Explique por que um copo de vidro
comum provavelmente se quebrará se
você o encher parcialmente com água
fervendo.
7. Ao colocar um fio de cobre entre dois
postes, num dia de verão, um eletricista
não deve deixá-lo muito esticado. Por
quê?
8. Como se pode comprovar a dilatação
linear de um sólido?
Dilatação volumétrica
t0 t
 V = V - V0
 V =  .V0.  t
V = Vo (1 +  .  t )
 = 3 
 V = variação do volume
 = coeficiente de dilatação volumétrica (o
C-1
)
 t = variação da temperatura (o
C)
Exercícios
9. Um petroleiro recebe uma carga 107
barris de petróleo no Golfo Pérsico, a uma
temperatura de 50o
C. Qual a perda em
barris, por efeito de contração térmica,
que esta carga apresenta quando á
descarregada no Brasil, a uma
temperatura de 10o
C? Dado:  petróleo =
10-3 o
C-1
.
10.Ao ser aquecido de 10o
C para 210o
C, o
volume de um corpo sólido aumenta 0,02
cm3
. Se o volume do corpo a 10o
C era
100 cm3
, determine os coeficientes de
dilatação volumétrica e linear do material
que constitui o corpo.
Questões
11.Um pino deve se ajustar ao orifício de
uma placa à temperatura de 20o
C. No
entanto, verifica-se que o orifício é
pequeno para receber o pino. Que
procedimentos podem permitir que o pino
se ajuste ao orifício?
12.Tendo enchido completamente o tanque
de gasolina de seu carro, uma pessoa
deixou o automóvel estacionado ao sol.
Depois de um certo tempo, verificou que,
em virtude da elevação da temperatura,
uma certa quantidade de gasolina havia
entornado. A) O tanque de gasolina
dilatou? B) A quantidade que entornou
representa a dilatação real que a gasolina
sofreu?
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
Dilatação Térmica
1. (Puc-rio) A imprensa tem noticiado as
temperaturas anormalmente altas que vêm
ocorrendo no atual verão, no hemisfério
norte. Assinale a opção que indica a
dilatação (em cm) que um trilho de 100 m
sofreria devido a uma variação de
temperatura igual a 20 °C, sabendo que o
coeficiente linear de dilatação térmica do
trilho vale  = 1,2 x 10-5
por grau
Celsius.
a) 3,6
b) 2,4
V0 V
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
c) 1,2
d) 1,2 x 10-3
e) 2,4 x 10-3
2. (Uerj) Em uma casa emprega-se um cano
de cobre de 4 m a 20°C para a instalação de
água quente.
Dado:  = 2,4 x 10-5
O aumento do comprimento do cano, quando
a água que passa por ele estiver a uma
temperatura de 60°C, corresponderá, em
milímetros, a:
3. (Mackenzie ) Num laboratório situado na
orla marítima paulista, uma haste de ferro de
50cm de comprimento está envolta em gelo
fundente. Para a realização de um ensaio
técnico, esta barra é colocada num recipiente
contendo água em ebulição, até atingir o
equilíbrio térmico. A variação de comprimento
sofrida pela haste foi de:
(Dado:  (Fe) = 1,2.10-5
°C-1
)
a) 12 mm
b) 6,0 mm
c) 1,2 mm
d) 0,60 mm
e) 0, 12 mm
4. (Ufes ) Uma barra de metal tem
comprimento igual a 10,000m a uma
temperatura de 10,0°C e comprimento igual a
10,006m a uma temperatura de 40°C. O
coeficiente de dilatação linear do metal é
a) 1,5 × 10-4
°C-1
b) 6,0 × 10-4
°C-1
c) 2,0 × 10-5
°C-1
d) 2,0 × 10-6
°C-1
e) 3,0 × 10-6
°C-1
5. (Ita ) Você é convidado a projetar uma
ponte metálica, cujo comprimento será de
2,0km. Considerando os efeitos de contração
e expansão térmica para temperaturas no
intervalo de -40°F a 110°F e o coeficiente de
dilatação linear do metal é de 12x10-6
°C-1
,
qual a máxima variação esperada no
comprimento da ponte?(O coeficiente de
dilatação linear é constante no intervalo de
temperatura considerado).
a) 9,3 m
b) 2,0 m
c) 3,0 m
d) 0,93 m
e) 6,5 m
6. (Cesgranrio ) O comprimento L de uma
barra de latão varia, em função da
temperatura š, segundo o gráfico a seguir.
Assim, o coeficiente de dilatação linear do
latão, no intervalo de 0°C a 100°C, vale:
a) 2,0.10-5
/°C
b) 5,0.10-5
/°C
c) 1,0.10-4
/°C
d) 2,0.10-4
/°C
e) 5,0.10-4
/°C
7. (Fei ) Duas barras, sendo uma de ferro e
outra de alumínio, de mesmo comprimento l =
1m a 20°C, são unidas e aquecidas até
320°C. Sabe-se que o coeficiente de
dilatação linear do ferro é de 12.10-6
°C-1
e do alumínio é 22.10-6
°C-1
. Qual é o
comprimento final após o aquecimento?
a) 2,0108 m
b) 2,0202 m
c) 2,0360 m
d) 2,0120 m
e) 2,0102 m
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
8. (Unesp) Duas lâminas metálicas, a
primeira de latão e a segunda de aço, de
mesmo comprimento à temperatura
ambiente, são soldadas rigidamente uma à
outra, formando uma lâmina bimetálica,
conforme a figura a seguir.
O coeficiente de dilatação térmica linear do
latão é maior que o do aço. A lâmina
bimetálica é aquecida a uma temperatura
acima da ambiente e depois resfriada até
uma temperatura abaixo da ambiente. A
figura que melhor representa as formas
assumidas pela lâmina bimetálica, quando
aquecida (forma à esquerda) e quando
resfriada (forma à direita), é
09. (Uel) Uma chapa de zinco, cujo coeficiente de
dilatação linear é 25.10-6
°C-1
, sofre elevação de
10°C na sua temperatura. Verifica-se que a área
da chapa aumenta de 2,0 cm2
. Nessas
condições, a área inicial da chapa mede, em cm2
,
a) 2,0.102
b) 8,0.102
c) 4,0.103
d) 2,0.104
e) 8,0.104
10. (Ufes ) Uma placa metálica tem a sua
temperatura elevada uniformemente de 20°C
para 30°C. No final do processo, verifica-se
que a razão entre as áreas final Af e inicial Ai
é Af/Ai=1,001. Com esses dados podemos
afirmar que o coeficiente de dilatação linear
do material da placa, em °C-1
, é
a) 1 × 10-5
b) 2 × 10-5
c) 3 × 10-4
d) 4 × 10-5
e) 5 × 10-5
11. (Ita ) Um pequeno tanque,
completamente preenchido com 20,0L de
gasolina a 0°F, é logo a seguir transferido
para uma garagem mantida à temperatura de
70°F. Sendo =0,0012°C-1
o coeficiente de
expansão volumétrica da gasolina, a
alternativa que melhor expressa o volume de
gasolina que vazará em conseqüência do seu
aquecimento até a temperatura da garagem é
a) 0,507L
b) 0,940L
c) 1,68L
d) 5,07L
e) 0,17L
12. (Fgv ) O dono de um posto de gasolina
recebeu 4000L de combustível por volta das
12 horas, quando a temperatura era de 35°C.
Ao cair da tarde, uma massa polar vinda do
Sul baixou a temperatura para 15°C e
permaneceu até que toda a gasolina fosse
totalmente vendida. Qual foi o prejuízo, em
litros de combustível, que o dono do posto
sofreu?
(Dados: coeficiente de dilatação do
combustível é de 1,0. 10-3
°C-1
)
a) 4L
b) 80L
c) 40L
d) 140L
e) 60L
13. (Ufu ) Um frasco de capacidade para 10
litros está completamente cheio de glicerina e
encontra-se à temperatura de 10°C.
Aquecendo-se o frasco com a glicerina até
atingir 90°C, observa-se que 352 ml de
glicerina transborda do frasco. Sabendo-se
que o coeficiente de dilatação volumétrica da
glicerina é 5,0 × 10-4
°C-1
, o coeficiente de
dilatação linear do frasco é, em °C-1
.
a) 6,0 × 10-5
.
b) 2,0 × 10-5
.
c) 4,4 × 10-4
.
d) 1,5 × 10-4
.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
14. (UFES) A uma temperatura ambiente T,
uma placa de granito encontra-se sobre um
ressalto e é mantida perfeitamente na
horizontal por dois cilindros sólidos, como
mostra a figura abaixo. Sobre a placa, é
colocada uma esfera em repouso, de tal
forma que a menor inclinação a faz rolar.
O comprimento do cilindro menor é L e seu
coeficiente de dilatação linear é . O
comprimento do cilindro maior é 3L/2 .
Sabe-se que essa esfera, para qualquer
variação da temperatura ambiente,
permanece em repouso. O coeficiente de
dilatação linear do cilindro maior é
A) 2/3 B)  C) 3/2 D) /3 E) 3
Gabarito
TRANSMISSÃO DE CALOR
Condução térmica
"A condução térmica consiste numa
transferência de energia de vibração entre as
moléculas que constituem o sistema."
Questões
1. O isopor é formado por finíssimas bolsas
de material plástico, contendo ar. Por que
o isopor é um bom isolante térmico?
2. Os esquimós constróem seus iglus com
blocos de gelo, empilhando-os uns sobre
os outros. Se o gelo tem uma temperatura
relativamente baixa, como explicar esse
seu uso como "material de construção"?
3. Num antigo jingle de uma propaganda,
ouvia-se o seguinte diálogo: - Toc, toc,
toc, - Quem bate? - É o frio! E no final
eram cantados os seguintes versos: "Não
adianta bater, eu não deixo você entrar,
os cobertores das Casas Pernambucanas
é que vão aquecer o meu lar". Que
comentário você tem a fazer sobre a
veracidade física dessa propaganda?
4. Qual a aplicação prática dos materiais
isolantes térmicos?
5. Por que a serragem é melhor isolante
térmico que a madeira?
6. Um faquir resolveu fazer uma
demonstração de sua arte entrando em
um forno muito aquecido. Para que ele
sinta a menor sensação de "calor"
possível, é preferível que ele vá nu ou
envolto em roupa de lã? Por quê?
7. Explique por que, em países de clima frio,
costumam-se usar janelas com vidraças
duplas. Esse tipo de janela chega a
reduzir em até 50% as perdas de calor
para o exterior.
8. Num mesmo ambiente, se você tocar um
objeto metálico com uma mão e um objeto
de madeira com a outra, vai sentir que o
primeiro está "mais frio" que o segundo.
Como você explica esse fenômeno se os
dois objetos estão no mesmo ambiente e,
portanto, na mesma temperatura?
9. Por que as panelas, em geral, têm seus
cabos metálicos revestidos com madeira
ou plástico?
Convecção térmica
"A convecção térmica é a propagação que
ocorre nos fluidos (líquidos, gases e vapores)
em virtude de uma diferença de densidades
entre partes do sistema."
Questões
10.Por que, em uma geladeira, o congelador
é colocado na parte superior e não na
inferior?
11.Com base na propagação de calor,
explique por que, para gelar o chope de
um barril, é mais eficiente colocar gelo na
parte superior do que colocar o barril
sobre uma pedra de gelo.
12.Um aparelho de refrigeração de ar deve
ser instalado em local alto ou baixo num
escritório? E um aquecedor de ar? Por
quê?
Irradiação térmica
"A irradiação é a transmissão de por
intermédio de ondas eletromagnéticas. Nesse
processo, somente a energia se propaga,
não sendo necessário nenhum meio
material."
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Questões
13.Sabemos que o calor pode ser
transferido, de um ponto para outro, por
condução, convecção e radiação. Em qual
desses processos a transmissão pode
ocorrer mesmo que não haja um meio
material entre os dois pontos?
14.Os grandes tanques, usados para
armazenar gasolina (ou outros
combustíveis), costumam ser pintados
externamente com tinta prateada. Por
quê?
15.Os prédios totalmente envidraçados
precisam de muitos aparelhos de ar
condicionado? Por quê?
16.Como se dá a propagação do calor do Sol
até a Terra se entre esses astros não
existe meio material?
17.Desenhe esquematicamente uma garrafa
térmica e explique o seu funcionamento.
ESTUDO DOS GASES
gás
...
Transformação Isotérmica
"Transformação de um gás sob temperatura
constante."
P1.V1 = P2.V2
P = pressão do gás
V = volume do gás
Transformação Isobárica
"Transformação a pressão constante."
2
2
1
1
T
V
T
V

T = tc + 273
T = temperatura do gás em graus Kelvin
tc = temperatura em graus Celsius
Transformação Isométrica
"Transformação a volume constante."
2
2
1
1
T
P
T
P

Lei geral dos gases perfeitos
2
22
1
11
T
V.P
T
V.P

Exercícios
1. Na temperatura de 300 K e sob pressão
de 1 atm, uma massa de gás perfeito
ocupa o volume de 10 litros. Calcule a
temperatura do gás quando, sob pressão
de 2 atm, ocupa o volume de 20 litros.
2. Dentro de um recipiente de volume
variável estão inicialmente 20 litros de gás
perfeito à temperatura de 200 K e pressão
de 2 atm. Qual será a nova pressão, se a
temperatura aumentar para 250 K e o
volume for reduzido para 10 litros?
3. Um balão de borracha continha 3 litros de
gás hélio, à temperatura de 27o
C, com
pressão de 1,1 atm. Esse balão escapuliu
e subiu. À medida que o balão foi
subindo, a pressão atmosférica foi
diminuindo e, por isso, seu volume foi
aumentando. Quando o volume atingiu 4
litros, ele estourou. A temperatura do ar
naquela altura era 7o
C. Calcule a
pressão do gás em seu interior
imediatamente antes de estourar.
4. Um gás ocupa o volume de 20 litros à
pressão de 2 atmosferas. Qual é o volume
desse gás à pressão de 5 atm, na mesma
temperatura?
5. Um gás mantido à pressão constante
ocupa o volume de 30 litros à temperatura
de 300 K. Qual será o seu volume quando
a temperatura for 240 K?
6. Num recipiente de volume constante é
colocado um gás à temperatura de 400 K
e pressão de 75 cmHg. Qual é a pressão
à temperatura de 1200 K?
7. Sob pressão de 5 atm e à temperatura de
0o
C, um gás ocupa volume de 45 litros.
Determine sob que pressão o gás
ocupará o volume de 30 litros, se for
mantida constante a temperatura.
8. Uma certa massa de gás hélio ocupa, a
27o
C, o volume de 2 m3
sob pressão de 3
atm. Se reduzirmos o volume à metade e
triplicarmos a pressão, qual será a nova
temperatura do gás?
9. Num dia de tempestade, a pressão
atmosférica caiu de 760 mmHg para 730
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
mmHg. Nessas condições, qual o volume
final de uma porção de ar que inicialmente
ocupava 1 litro? (Suponha que a
temperatura não tenha variado)
10.O gráfico representa a isobára para certa
quantidade de um gás perfeito. Determine
a temperatura TA.
V(m3
)
60 ...........................
.
40 ............... .
. .
. .
0 TA 450 K T(k)
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1-(Fuvest) Um congelador doméstico ("freezer")
está regulado para manter a temperatura de seu
interior a -18°C. Sendo a temperatura ambiente
igual a 27°C (ou seja, 300K), o congelador é
aberto e, pouco depois, fechado novamente.
Suponha que o "freezer" tenha boa vedação e
que tenha ficado aberto o tempo necessário para
o ar em seu interior ser trocado por ar ambiente.
Quando a temperatura do ar no "freezer" voltar a
atingir -18°C, a pressão em seu interior será:
a) cerca de 150% da pressão atmosférica.
b) cerca de 118% da pressão atmosférica.
c) igual a pressão atmosférica.
d) cerca de 85% da pressão atmosférica.
e) cerca de 67% da pressão atmosférica.
2-(Cesgranrio ) Um gás ideal evolui de um estado
A para um estado B, de acordo com o gráfico
representado a seguir. A temperatura no estado
A vale 80K.
Logo, sua temperatura no estado B vale:
a) 120K.
b) 180K.
c) 240K.
d) 300K.
e) 360K.
3-(Mackenzie ) Um gás perfeito a 27°C apresenta
volume de 600cm3 sob pressão de 2,0 atm. Ao
aumentarmos a temperatura para 47°C e
reduzirmos o volume para 400cm3, a pressão do
gás passará para:
a) 4,0 atm.
b) 3,2 atm.
c) 2,4 atm.
d) 1,6 atm.
e) 0,8 atm.
4-(Mackenzie ) Certa massa de um gás ideal
sofre uma transformação na qual a sua
temperatura em graus celsius é duplicada, a sua
pressão é triplicada e seu volume é reduzido à
metade. A temperatura do gás no seu estado
inicial era de:
a) 127 K
b) 227 K
c) 273 K
d) 546 K
e) 818 K
5-(Cesgranrio ) Um gás ideal passa de um estado
A para um estado B, conforme indica o esquema
a seguir:
Chamando de TA e TB as temperaturas do gás
nos estados A e B, respectivamente, então:
a) TA = TB
b) TA = 2TB
c) TB = 2TA
d) TA = 4TB
e) TB = 4TA
6-(Unirio ) Certa massa de gás ideal sofre uma
transformação isobárica na qual sua temperatura
absoluta é reduzida à metade. Quanto ao volume
desse gás, podemos afirmar que irá:
a) reduzir-se à quarta parte.
b) reduzir-se à metade.
c) permanecer constante.
d) duplicar.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
e) quadruplicar.
7- (Puccamp ) Um gás perfeito é mantido em um
cilindro fechado por um pistão. Em um estado A,
as suas variáveis são: pA=2,0atm; VA=0,90litros;
tA=27°C. Em outro estado B, a temperatura é
tB=127°c e a pressão é pB=1,5atm. Nessas
condições, o volume VB, em litros, deve ser
a) 0,90
b) 1,2
c) 1,6
d) 2,0
e) 2,4
8-(Uel ) Um recipiente rígido de 50 litros contém
gás perfeito à pressão de 0,80atm e temperatura
de 27°C. Quando a temperatura aumentar para
57°C, a pressão, em atmosferas, aumentará para
a) 0, 88
b) 0,92
c) 0, 96
d) 1,0
e) 1,3
9-(Ufrs ) O diagrama abaixo representa a pressão
(p) em função da temperatura absoluta (T), para
uma amostra de gás ideal. Os pontos A e B
indicam dois estados desta amostra.
Sendo VA e VB os volumes correspondentes aos
estados indicados, podemos afirmar que a razão
VB/VA é
a) 1/4.
b) 1/2.
c) 1.
d) 2.
e) 4.
10-(Puc-rio ) Uma câmara fechada, de paredes
rígidas contém ar e está sob pressão atmosférica
e à temperatura de 20°C. Para dobrar a pressão
na câmara, o ar deve ser esquentado para:
a) 546°C
b) 586°C
c) 40°C
d) 293°C
e) 313°C
11-(Ufv ) Um gás ideal encontra-se inicialmente a
uma temperatura de 150°C e a uma pressão de
1,5 atmosferas. Mantendo-se a pressão
constante seu volume será dobrado se sua
temperatura aumentar para, aproximada-mente:
a) 75°C
b) 450°C
c) 300°C
d) 846°C
e) 573°C
12-(PUC-SP) Uma certa massa de gás sofre
transformações de acordo com o gráfico. Sendo a
temperatura emA de 1.000 K, as temperaturas
em B e C valem, em Kelvin, respectivarnente:
a) 500 e 250
b) 750 e 500
c) 750 e 250
d) 1 000 e 750
e) 1 000 e 500
13-(UFAL) Na tabela abaixo, I,II e III representam
estados de uma mesma amostra de um gás
perfeito.
Pressão
(Atm)
Volume
(L)
Temperatura
(K)
I 1,0 3,0 300
II 1,5 3,0 X
III 2,0 y 600
Para completar corretamente a tabela, x e y
devem ser substituídos, respectivamente, por:
a) 300 e 2,0
b) 450 e 3,0
c) 600 e 4,5
d) 300 e 3,0
e) 450 e 4,5
Gabarito:
1D 2D 3B 4D 5B 6B 7C 8A 9C 10E 11E
12E 13B
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
TERMODINÂMICA
"A termodinâmica estuda as relações entre o
calor trocado e o trabalho realizado numa
transformação de um sistema."
Trabalho realizado por um gás
gás
 = P.  V
 = trabalho realizado pelo gás
P = pressão exercida pelo gás
 V = variação do volume
 V = V2 - V1
Na expansão, Vfinal > Vinicial   > 0
(o gás realiza trabalho)
Na compressão, Vfinal < Vinicial   < 0
(o gás recebe trabalho do meio exterior)
Exercícios
1. Numa transformação sob pressão
constante de 800 N/m2
, o volume de um
gás ideal se altera de 0,020 m3
para 0,060
m3
. Determine o trabalho realizado
durante a expansão do gás.
2. Um gás ideal , sob pressão constante de
2.105
N/m2
, tem seu volume reduzido de
12.10-3
m3
para 8.10-3
m3
. Determine o
trabalho realizado no processo.
3. Sob pressão constante de 50 N/m2
, o
volume de um gás varia de 0,07 m3
a 0,09
m3
. A) o trabalho foi realizado pelo gás ou
sobre o gás pelo meio exterior? B) Quanto
vale o trabalho realizado?
Trabalho pela área
Propriedade:
"O trabalho é numericamente igual a área,
num gráfico da pressão em função da
variação do volume."
P
 = área
V1 V2 V
Exercícios
4. As figuras representam a transformação
sofrida por um gás. Determinar o trabalho
realizado de A para B em cada processo.
a) P (N/m2
)
A B
20
0 5 V (m3
)
b) P (N/m2
)
A
30
B
0 6 V (m3
)
c) P (N/m2
)
A B
10 .........
0 2 5 V (m3
)
Primeiro princípio da termodinâmica
Q  U 
Q =  U + 
Q = quantidade de calor
 U = variação da energia interna
 = trabalho
Q (absorvido) > 0 e Q ( cedido) < 0
 (expansão) > 0 e  (compressão) < 0
 U = Ufinal - Uinicial
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Exercícios
1. Num dado processo termodinâmico, certa
massa de um gás recebe 260 joules de
calor de uma fonte térmica. Verifica-se
que nesse processo o gás sofre uma
expansão, tendo sido realizado um
trabalho de 60 joules. Determine a
variação da energia interna.
2. Um gás recebe um trabalho de 150 J e
absorve uma quantidade de calor de 320
J. Determine a variação da energia
interna do sistema.
3. Um gás passa de um estado a outro
trocando energia com o meio. Calcule a
variação da energia interna do gás nos
seguintes casos:
a)o gás recebeu 100 J de calor e realizou
um trabalho de 80 J.
b) o gás recebeu 100J de calor e o
trabalho realizado sobre ele é 80 J.
c) o gás cedeu 100 J de calor e o trabalho
realizado sobre ele é 80 J.
4. Durante um processo, são realizados 100
J de trabalho sobre um sistema,
observando-se um aumento de 50 J em
sua energia interna. Determine a
quantidade de calor trocada pelo sistema,
especificando se foi adicionado ou
retirado.
5. São fornecidos 14 J para aquecer certa
massa de gás a volume constante. Qual a
variação na energia interna do gás?
Segundo princípio da termodinâmica
Q1 Q2

 = Q1 - Q2
Q1 = quantidade de calor fornecida para a
máquina térmica.
 = trabalho obtido
Q2 = quantidade de calor perdida.
Rendimento da máquina térmica
1Q


Exercícios
6. Uma máquina térmica recebe 100 joules
de energia, mas devido às perdas por
aquecimento, ela aproveita somente 50
joules. Determine o rendimento dessa
máquina.
7. Um motor elétrico recebe 80 J de energia,
mas aproveita efetivamente apenas 60 J.
Qual é o rendimento do motor?
8. Uma máquina térmica, em cada ciclo,
rejeita para a fonte fria 240 joules dos 300
joules que retirou da fonte quente.
Determine o trabalho obtido por ciclo
nessa máquina e o seu rendimento.
9. O rendimento de uma máquina térmica é
60%. Em cada ciclo dessa máquina, o gás
recebe 800 joules da fonte quente.
Determine: a) o trabalho obtido por ciclo;
b) a quantidade de calor que, em cada
ciclo, é rejeitada para a fonte fria.
10.Uma máquina térmica tem 40% de
rendimento. Em cada ciclo, o gás dessa
máquina rejeita 120 joules para a fonte
fria. Determine: a) o trabalho obtido por
ciclo nessa máquina; b) a quantidade de
calor que o gás recebe, do ciclo, da fonte
quente.
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
01-(Unesp) A primeira lei da termodinâmica diz
respeito à:
a) dilatação térmica
b) conservação da massa
c) conservação da quantidade de movimento
d) conservação da energia
e) irreversibilidade do tempo
02-(FAM-SP) Se a energia cinética média das
moléculas de um gás aumentar e o volume
permanecer constante:
a) a pressão do gás aumentará e a sua temperatura
permanecerá constante
b) a pressão permanecerá constante e a temperatura
aumentara
c) a pressão e a temperatura aumentarão
d) a pressão diminuirá e a temperatura aumentará
e) a temperatura diminuirá e a pressão permanecerá
constante
Fonte
Quent
e
T1
Font
e
Fria
T2
Máquina
Térmica
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
03-(UEL-PR) A figura abaixo representa uma
transformação cíclica de um gás ideal.
O módulo do trabalho realizado nos 2 trechos AB, BC
e CA, em joules, é respectivamente de:
a) 200, 100, 0
b) 100, 100, 100
c) 0, 300, 100
d) 0, 200, 300
e) 100, 200, 300
04-(ITA-SP) O gráfico a seguir representa um ciclo de
um sistema termodinâmico hipotético, num diagrama
pressão X volume. O trabalho produzido por esse gás
nesse ciclo é de aproximadamente:
a) 6,0. 105
J
b) 9,0. 10
5
J
c) 3,0. 10
6
J
d) 9,0. 106
J
e) 6,0. 106
J
05-(UFSM-RS) Na figura estão representados
processos nos quais um sistema termodinâmico passa
do estado inicial i ao estado final f. O trabalho
realizado pelo sistema é máximo no processo:
a) iaf
b) ibf
c) icf
d) idf
06-(UECE) Nas transformações isotérmicas dos gases
perfeitos, é incorreto afirmar que:
a) Não há variação de temperatura.
b) A variação da energia interna do gás é nula.
c) Não ocorre troca de calor entre o gás e o ambiente.
d) O calor trocado pelo gás com o exterior é igual ao
trabalho realizado no mesmo processo.
07-(UFRN) Um sistema termodinâmico realiza um
trabalho de 40 kcal quando recebe 30 kcal de calor.
Nesse processo, a variação de energia interna desse
sistema é de:
a) -10 kcaI b) 20 kcal c) zero
d) 35 kcal e) 10 kcal
08-(PUC-RS) Um sistema recebe 300 cal de uma
fonte térmica, ao mesmo tempo em que realiza um
trabalho de 854 J. Sabendo-se que 1 cal é igual a 4,18
J, pode-se afirmar que a energia interna do sistema
aumenta:
a) 300 J b) 554 J c) 1254 J
d) 400 J e) 1154 J
09-(PUC-SP) Um gás perfeito realiza um ciclo de
Carnot. A temperatura da fonte fria é de 127 0
C e a da
fonte quente é de 427 0
C. O rendimento do ciclo é:
a) 3,4% b) 70% c) 43%
d) 57% e) 7%
10-(ÉSAL-MG) Uma máquina térmica ideal funciona
segundo o ciclo de Carnot.
Em cada ciclo, o trabalho útil fornecido pela máquina é
de 2.000 J. Sabendo que as temperaturas das fontes
quente e fria são respectivamente, 127 0
C e 27 0
C
podemos dizer que a quantidade de calor rejeitada
para a fonte fria é:
a) 6 . 10
3
J
b) 4 . 103
J
c) 7 . 10
3
J
d) 5 . 103
J
e) zero
11-(UFU-MG) Um gás está confinado em um cilindro
provido de um pistão. Ele é aquecido, mas seu volume
não é alterado. É possível afirmar que:
a) A energia interna do gás não varia.
b) O trabalho realizado nesta transformação é nulo.
c) O pistão sobe durante o aquecimento.
d) A força que o gás exerce sobre o pistão permanece
constante.
e) A energia cinética média das partículas do gás
diminui.
12-(UFRN) As seguintes afirmativas se referem a um
gás ideal.
I) Sempre que o gás recebe calor, sua temperatura
aumenta.
II) Se o gás recebe calor e sua energia interna não
varia, então seu volume aumenta.
III) Se o gás sofre uma transformação isotérmica, tem-
se T = Q (T = temperatura e Q = calor).
IV) Se o gás sofre uma expansão adiabática, a
pressão e a temperatura diminuem.
A letra que contém as afirmativas corretas é:
a) l e Il b) l e III c) III e IV
d) lI e IlI e) ll e IV
13-(Unirio 97) Qual é a variação de energia
interna de um gás ideal sobre o qual é realizado
um trabalho de 80J durante uma compressão
isotérmica?
a) 80J
b) 40J
c) Zero
d) - 40J
e) - 80J
14-(Ufrs) Enquanto se expande, um gás recebe o
calor Q=100J e realiza o trabalho W=70J. Ao final
do processo, podemos afirmar que a energia
interna do gás
a) aumentou 170 J.
b) aumentou 100 J.
c) aumentou 30 J.
d) diminuiu 70 J.
e) diminuiu 30 J.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
15-(Ufes) Um cilindro de parede lateral adiabática
tem sua base em contato com uma fonte térmica
e é fechado por um êmbolo adiabático pesando
100N. O êmbolo pode deslizar sem atrito ao
longo do cilindro, no interior do qual existe uma
certa quantidade de gás ideal. O gás absorve
uma quantidade de calor de 40J da fonte térmica
e se expande lentamente, fazendo o êmbolo subir
até atingir uma distância de 10cm acima da sua
posição original.
Nesse processo, a energia interna do gás
a) diminui 50 J.
b) diminui 30 J.
c) não se modifica.
d) aumenta 30 J.
e) aumenta 50 J.
16-(Ufmg) A Primeira Lei da Termodinâmica
estabelece que o aumento U da energia interna
de um sistema é dado por U=Q - W, onde Q
é o calor recebido pelo sistema, e W é o
trabalho que esse sistema realiza.
Se um gás real sofre uma compressão
adiabática, então,
a) Q = U.
b) Q = W.
c) W = 0.
d) Q = 0.
e) U = 0.
17-(Uel) Uma determinada máquina térmica deve
operar em ciclo entre as temperaturas de 27°C e
227°C. Em cada ciclo ela recebe 1000 cal da
fonte quente. O máximo de trabalho que a
máquina pode fornecer por ciclo ao exterior, em
calorias, vale
a) 1000
b) 600
c) 500
d) 400
e) 200
18-(Uel) Uma máquina térmica de Carnot é
operada entre duas fontes de calor a
temperaturas de 400K e 300K. Se, em cada ciclo,
o motor recebe 1200 calorias da fonte quente, o
calor rejeitado por ciclo à fonte fria, em calorias,
vale
a) 300
b) 450
c) 600
d) 750
e) 900
19-(Ufscar) Maxwell, notável físico escocês da
segunda metade do século XIX, inconformado
com a possibilidade da morte térmica do
Universo, conseqüência inevitável da Segunda
Lei da Termodinâmica, criou o "demônio de
Maxwell", um ser hipotético capaz de violar essa
lei. Essa fictícia criatura poderia selecionar as
moléculas de um gás que transitassem entre dois
compartimentos controlando a abertura que os
divide, como ilustra a figura.
Por causa dessa manipulação diabólica, as
moléculas mais velozes passariam para um
compartimento, enquanto as mais lentas
passariam para o outro. Se isso fosse possível,
a) esse sistema nunca entraria em equilíbrio
térmico.
b) esse sistema estaria em equilíbrio térmico
permanente.
c) o princípio da conservação da energia seria
violado.
d) não haveria troca de calor entre os dois
compartimentos.
e) haveria troca de calor, mas não haveria troca
de energia.
GABARITO
1D 2C 3D 4E 5A 6C 7A 8D 9C 10A 11B 12E 13C 14C
15D 16D 17D 18E 19A.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
ÓPTICA GEOMÉTRICA
Conceitos
a) Corpo luminoso: são os corpos que
emitem luz própria. Exemplo: o Sol, as
estrelas, a chama de uma vela, etc.
b) Corpo iluminado: são os corpos que
refletem a luz que recebem a luz de
outros corpos. Exemplo: a luz.
c) Corpos opacos: são os corpos que
impedem a passagem da luz.
d) Corpos transparentes: são os corpos que
se deixam atravessar totalmente pela luz.
e) Corpos translúcidos: são os corpos que
se deixam atravessar parcialmente pela
luz.
Princípios da Óptica Geométrica
1º) Princípio da propagação retilínea da luz:
Num meio homogêneo e transparente, a luz
se propaga em linha reta.
2º) Princípio da reversibilidade dos raios de
luz: O caminho seguido pela luz independe
do sentido de propagação.
3º) Princípio da independência dos raios de
luz: Um raio de luz, ao cruzar com outro, não
interfere na sua propagação.
Exercícios
1. Um prédio projeta no solo uma sombra de
15 m de extensão no mesmo instante em
que uma pessoa de 1,80 m projeta uma
sombra de 2 m. Determine a altura do
prédio
2. Qual a altura de uma árvore que projeta
uma sombra de 3 m de comprimento,
sabendo-se que nesse mesmo instante
uma haste vertical de 2 m projeta uma
sombra de 1 m?
3. Num mesmo instante, a sombra projetada
de uma pessoa é de 5 m e a de um
edifício é de 80 m. Sabendo que a altura
da pessoa é 1,80 m, calcule a altura do
edifício.
4. Qual o comprimento da sombra projetada
por uma árvore de 5 m de altura se, no
mesmo instante, um arbusto de 0,2 m de
altura projeta uma sombra de 0,05 m?
Questões
5. Verifique se a afirmação abaixo é
verdadeira ou falsa; justifique a sua
escolha. "Para podermos enxergar um
objeto, é apenas necessário que ele
esteja iluminado."
6. Por que no fundo dos oceanos é sempre
escuro, seja dia, seja noite, se a água é
transparente?
7. Se uma pessoa vê os olhos de uma outra
através de um complicado jogo de
espelhos, é possível que a segunda
pessoa veja os olhos da primeira?
8. Uma lâmpada acesa é um corpo luminoso
ou um corpo iluminado? Por quê?
Câmara escura
o
i
-------- p ---------- ------- p' -----
'p
i
p
o

Exercícios
9. Um objeto luminoso AB, de 5 cm de
altura, está a 20 cm de distância de uma
câmara escura de profundidade 10 cm.
Calcular a altura da imagem formada.
10.Uma pessoa de 1,80 m de altura
encontra-se a 2,4 m do orifício de uma
câmara escura de 0,2 m de comprimento.
Qual a altura da imagem formada?
11.Qual a altura da imagem de um poste de
5 m de altura colocado a 20 m de
distância de uma câmara escura cujo
comprimento é 0,3 m?
12.Uma câmara escura de orifício apresenta
comprimento de 40 cm. De uma árvore de
altura 5 m obteve-se, no anteparo, uma
imagem de altura 25 cm. Determine a
distância da árvore até a câmara.
Questões
13.Por que a câmara escura de orifício
produz imagens de cabeça para baixo,
quando observadas por trás do anteparo?
14.Qual a principal limitação da câmara
escura para que possa ser utilizada para
tirar fotografia? Justifique.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
A cor de um corpo
"A cor que um corpo apresenta por reflexão é
determinada pelo tipo de luz que ele reflete.
Por exemplo, um corpo ao ser iluminado pela
luz branca (que contém todas as cores), se
apresenta azul, porque reflete a luz azul e
absorve as demais. Um corpo iluminado pela
luz branca se apresenta branco porque
reflete todas as cores. Um corpo negro
absorve todas as cores."
Luz branca
luz azul
corpo azul
Questões
1. Por que uma rosa é vermelha, a grama é
verde e um carro é preto?
2. Têm-se três cartões, um branco, um
vermelho e um azul. Como se
apresentam esses cartões num ambiente
iluminado pela luz vermelha?
3. Iluminando a bandeira brasileira com luz
monocromática azul, você irá vê-la com
que cor (ou cores) ?
4. Sob luz solar você distingue
perfeitamente um cartão vermelho de um
cartão amarelo. No entanto, dentro de um
ambiente iluminado com luz violeta
monocromática isso não será possível.
Explique por quê.
5. Considere dois corpos, A e B,
constituídos por pigmentos puros.
Expostos à luz branca, o corpo A se
apresenta vermelho e o corpo B se
apresenta branco. Se levarmos A e B a
um quarto escuro e os iluminarmos com
luz vermelha, com que cores eles se
apresentarão?
6. Uma flor amarela, iluminada pela luz
solar:
a) reflete todas as luzes.
b) absorve a luz amarela e reflete as
demais.
c) reflete a luz amarela e absorve as
demais.
d) absorve a luz amarela e, em seguida,
a emite.
e) Absorve todas as luzes e não reflete
nenhuma.
Reflexão da luz
Reflexão regular: é a reflexão que ocorre
numa superfície lisa e polida. Exemplo:
espelho.
Reflexão difusa: é a reflexão que ocorre
numa superfície irregular. Nesta reflexão os
raios espalham-se desordenadamente em
todas as direções.
Leis da reflexão
N
i r
1a
lei : O raio incidente, o raio refletido e a
normal pertencem ao mesmo plano.
2a
lei : O ângulo de reflexão é igual ao
ângulo de incidência.
Exercícios
7. Um raio de luz forma com a superfície
plana na qual incide um ângulo de 40o
.
Determine o ângulo de reflexão desse
raio.
8. O ângulo formado entre o raio incidente e
o raio refletido numa superfície
espelhada é de 60o
. Determine os
ângulos de incidência e de reflexão.
60o
Espelho plano
"Considera-se espelho plano toda superfície
plana e lisa onde predomine a reflexão
regular da luz.
superfície refletora
superfície opaca
Formação de imagens num espelho plano
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
 O objeto e a imagem fornecida por um
espelho plano são simétricos em relação
ao espelho.
 Um espelho plano associa a um objeto
real uma imagem virtual.
P P'
d d
Exercícios
1. A distância de um ponto objeto à imagem
fornecida por um espelho plano, vale 40
cm. Determine:
A) a distância do objeto à superfície do
espelho;
B) a nova distância que separa o objeto e
imagem, no caso de o objeto se
aproximar 5 cm do espelho.
2. Uma pessoa corre para um espelho plano
vertical com velocidade de 3 m/s. Com
que velocidade a imagem da pessoa se
aproxima do espelho?
Imagem de um objeto extenso fornecida
por um espelho plano
Exercícios
3. A figura mostra um objeto diante de um
espelho plano. Construa a imagem do
objeto.
4. A figura mostra um objeto diante de um
espelho plano. Construa a imagem do
objeto.
5. A figura mostra um objeto diante de um
espelho plano. Construa a imagem do
objeto.
6. Num relógio, em que cada número foi
substituído por um ponto, os ponteiros
indicam quatro horas. Que horas uma
pessoa verá, ao observar o relógio por
reflexão, em um espelho plano?
7. Coloca-se, diante de um espelho plano,
um cartão no qual está escrita a palavra
FELIZ. Como se vê a imagem dessa
palavra através do espelho?
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1-(ENEM) Em muitas situações na Física,
utilizamos o conceito de “ano-luz”. De acordo
com o conceito de ano-luz, é CORRETO afirmar
que ele se trata:
a) de uma medida de distância.
b) de uma medida de massa.
c) de uma medida de velocidade.
d) de uma medida de tempo.
2-(FUMEC) Em um dia ensolarado, um aluno de
1,70 m mede sua sombra encontrando 1,20 m.
Naquele instante, a sombra de um poste nas
proximidades mede 4,80 m.
CALCULE a altura do poste.
a) 4,2m
b) 5,2m
b) 6,8m
d) 7,2m
e) 8,4m
3-Um edifício projeta no solo uma sombra de 42
metros de comprimento, no mesmo instante em
que uma haste vertical de 50cm produz uma
sombra de 75 cm de comprimento. Qual o
tamanho da sombra do edifício?
a) 62m
b) 44m
b) 36m
d) 28m
e) 8,4m
4-Uma camara escura de orifício apresenta
comprimento de 15cm. De uma torre de
transmissão de Tv obteve-se uma imagem de
altura 10 cm. Sabendo-se que a câmara está a
60m da torre, determine a altura da torre.
a) 90 m
b) 10 m
c) 0,1 m
d) 40 m
e) 50 m
5-(Fuvest ) Admita que o sol subitamente
"morresse", ou seja, sua luz deixasse de ser
emitida. 24 horas após este evento, um eventual
sobrevivente, olhando para o céu, sem nuvens,
veria:
a) a Lua e estrelas.
b) somente a Lua.
c) somente estrelas.
d) uma completa escuridão.
e) somente os planetas do sistema solar.
6-(Cesgranrio ) Às 18h, uma pessoa olha para o
céu e observa que metade da Lua está iluminada
pelo Sol. Não se tratando de um eclipse da Lua,
então é correto afirmar que a fase da Lua, nesse
momento:
a) só pode ser quarto crescente
b) só pode ser quarto minguante
c) só pode ser lua cheia.
d) só pode ser lua nova.
e) pode ser quarto crescente ou quarto
minguante.
7-(Ufmg) A figura mostra a bandeira do Brasil de
forma esquemática. Sob luz branca, uma pessoa
vê a bandeira do Brasil com a parte I branca, a
parte II azul, a parte III amarela e a parte IV
verde.
Se a bandeira for iluminada por luz
monocromática amarela, a mesma pessoa verá,
provavelmente,
a) a parte I amarela e a II preta.
b) a parte I amarela e a II verde.
c) a parte I branca e a II azul.
d) a parte I branca e a II verde.
8-(Ufes ) Um objeto amarelo, quando observado
em uma sala iluminada com luz monocromática
azul, será visto
a) amarelo.
b) azul.
c) preto.
d) violeta.
e) vermelho.
9-(Cefet-Pós Médio)Um objeto é iluminado por
uma fonte de luz branca. Um observador o
enxerga verde porque tal objeto,
a)refrata a luz verde
b)difrata a luz verde
c)emite luz verde
d)reflete luz verde
e)absorve a luz verde
10-(Unirio ) Durante a final da Copa do Mundo,
um cinegrafista, desejando alguns efeitos
especiais, gravou cena em um estúdio
completamente escuro, onde existia uma
bandeira da "Azurra" (azul e branca) que foi
iluminada por um feixe de luz amarela
monocromática. Quando a cena foi exibida ao
público, a bandeira apareceu:
a) verde e branca.
b) verde e amarela.
c) preta e branca.
d) preta e amarela.
e) azul e branca.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
11-(Ufrn ) Ana Maria, modelo profissional,
costuma fazer ensaios fotográficos e participar de
desfiles de moda. Em trabalho recente, ela usou
um vestido que apresentava cor vermelha
quando iluminado pela luz do sol.
Ana Maria irá desfilar novamente usando o
mesmo vestido. Sabendo-se que a passarela
onde Ana Maria vai desfilar será iluminada agora
com luz monocromática verde, podemos afirmar
que o público perceberá seu vestido como sendo
a) verde, pois é a cor que incidiu sobre o vestido.
b) preto, porque o vestido só reflete a cor
vermelha.
c) de cor entre vermelha e verde devido à mistura
das cores.
d) vermelho, pois a cor do vestido independe da
radiação incidente.
GABARITO:
1A 2B 3D 4D 5C 6C 7A 8C
9D 10D 11B.
ESPELHOS PLANOS
1-(Cesgranrio) A imagem da figura a seguir
obtida por reflexão no espelho plano E é mais
bem representada por:
2-(Pucmg ) Num relógio de ponteiros, cada
número foi substituído por um ponto. Uma
pessoa, ao observar a imagem desse relógio
refletida em um espelho plano, lê 8 horas. Se
fizermos a leitura diretamente no relógio,
verificaremos que ele está marcando:
a) 1h
b) 2h
c) 3h
d) 4h
e) 5h
3-(G1 etfsp) Um raio de luz reflete-se em uma
superfície plana e polida (S), conforme mostra a
figura a seguir. O ângulo entre os raios incidentes
(AO) e refletido (OB) mede 90°.
O ângulo de incidência do raio de luz, mede:
a) 60°
b) 50°
c) 45°
d) 30°
e) 20°
4-(Uelondrina ) Um observador O observa a
imagem de um objeto P refletida num espelho
plano horizontal. A figura mostra um feixe de
raios luminosos que partem de P.
O raio que atinge o observador O é
a) PEO
b) PDO
c) PCO
d) PBO
e) PAO
5- (Ufmg ) Observe a figura. Nessa figura, dois
espelhos planos estão dispostos de modo a
formar um ângulo de 30° entre eles. Um raio
luminoso incide sobre um dos espelhos,
formando um ângulo de 70° com a sua superfície.
Esse raio, depois de se refletir nos dois espelhos,
cruza o raio incidente formando um ângulo  de:
a) 120°
b) 110°
c) 100°
d) 90°
e) 80°
6-(Ita) Um raio de luz de uma lanterna acesa em
A ilumina o ponto B, ao ser refletido por um
espelho horizontal sobre a semi-reta DE da
figura, estando todos os pontos num mesmo
plano vertical. Determine a distância entre a
imagem virtual da lanterna A e o ponto B.
Considere AD = 2 m, BE = 3 m e DE = 5 m.
a) 5m
b) 25 m
c) 52m
d) 105m
e) 32m
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
7-(Unesp) A figura a seguir representa um
espelho plano, um objeto, 0, sua imagem, I, e
cinco observadores em posições distintas, A, B,
C, D e E.
Entre as posições indicadas, a única da qual o
observador poderá ver a imagem I é a posição
a) A.
b) B.
c) C.
d) D.
e) E.
8- (G1 - cftce ) Observando as imagens formadas
por dois espelhos planos de um objeto entre eles
colocado, Syned, um curioso aluno, verifica que,
para determinado ângulo, formam-se 5 imagens,
entretanto, fazendo variar o ângulo entre os
espelhos, o número de imagens diminui. Pode-se
concluir que:
a) o ângulo era inicialmente de 60°, e o ângulo
entre os espelhos estava aumentando
b) o ângulo era inicialmente de 30°, e o ângulo
entre os espelhos estava aumentando
c) o ângulo era inicialmente de 60°, e o ângulo
entre os espelhos estava diminuindo
d) o ângulo era inicialmente de 72°, e o ângulo
entre os espelhos estava diminuindo
e) o ângulo era inicialmente de 72°, e o ângulo
entre os espelhos estava aumentando
9- (Unesp ) Um estudante veste uma camiseta
em cujo peito se lê a inscrição seguinte:
UNESP
a) Reescreva essa inscrição, na forma que sua
imagem aparece para o estudante, quando ele se
encontra frente a um espelho plano.
b) Suponha que a inscrição esteja a 70cm do
espelho e que cada letra da camiseta tenha 10cm
de altura. Qual a distância entre a inscrição e sua
imagem? Qual a altura de cada letra da
imagem?
GABARITO
1B 2D 3C 4D 5A 6C 7C
8A 9 a) b) D= 140cm e i=
10cm
ESPELHOS ESFÉRICOS
Chama-se espelho esférico o que tem a forma de uma
calota esférica, isto é, quando sua superfície refletora
é parte de uma superfície esférica.
Pode ser côncavo ou convexo, conforme a
superfície refletora seja a interna (voltada para o
centro da esfera) ou a externa.
Os espelhos esféricos atuam como lentes,
podendo aumentar ou diminuir o tamanho das
imagens.
Elementos geométricos dos espelhos esféricos
(C)Centro de curvatura: centro da esfera
(R) Raio de curvatura: R= raio de esfera
Importante:
R=2f
(V)Vértice do espelhos: V= pólo da calota
(E)Eixo principal do espelho: reta que contém C e V
Espelhos côncavos
Característica principal
Aumenta o tamanho das imagens porém diminui o
campo visual:
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Espelhos convexos
Diminui o tamanho das imagens porém aumenta o
campo visual.
O que acontece com a luz ao incidir no espelho?
Espelho Côncavo
Espelho Convexo
ESPELHOS ESFÉRICOS
(estudo analítico)
p = distância do objeto ao espelho
p' = distância da imagem ao espelho
R = raio de curvatura
f = distância focal (f = R/2)
o = altura do objeto
i = altura da imagem
p' > 0 : imagem real
p' < 0 : imagem virtual
i > 0 : imagem direita
i < 0 : imagem invertida
f >0 : espelho côncavo
f < 0 : espelho convexo
Equação de Gauss
p = distancia do objeto ao vértice (abscissa do objeto)
p`= distancia da imagem (abscissa da imagem)
f = distancia focal
Aumento Linear Transversal
Questões
1. Constrói-se um farol de automóvel
utilizando um espelho esférico e um
filamento de pequenas dimensões que
pode emitir luz.
A) O espelho utilizado é côncavo ou
convexo?
B) Onde se deve posicionar o filamento?
2. Pretende-se acender um cigarro,
concentrando-se a luz solar através de
um espelho esférico.
A) O espelho deve ser côncavo ou
convexo?
B) Onde deve ser colocada a ponta do
cigarro que se quer acender?
3. Em grandes lojas e supermercados,
utilizam-se espelhos convexos
estrategicamente colocados. Por que não
se utilizam espelhos planos ou côncavos?
4. Vários objetos que apresentam uma
superfície polida podem se comportar
como espelhos. Diga se cada um dos
objetos seguintes se comporta como
espelho côncavo ou convexo,
convergente ou divergente:
A) Superfície interna de uma colher.
B) Bola de árvore de Natal.
C) Espelho interno do farol de um
automóvel.
5. Para examinar o dente de uma pessoa, o
dentista utiliza um pequeno espelho
(como você já de deve Ter visto). Esse
espelho permite que o dentista enxergue
detalhes do dente (imagem ampliada e
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
direta). Tendo em vista essas
informações, responda:
A) O espelho deve ser plano, côncavo ou
convexo?
B) A distância do dente ao espelho deve
ser maior ou menor que a sua distância
focal?
ESPELHOS ESFÉRICOS
(estudo analítico)
=
---------------------
p -----------------------------------
o
C i F V
---------------
p' --------------------
--------------------
R ---------------------------
--------
f -----------
p = distância do objeto ao espelho
p' = distância da imagem ao espelho
R = raio de curvatura
f = distância focal (f = R/2)
o = altura do objeto
i = altura da imagem
p' > 0 : imagem real
p' < 0 : imagem virtual
i > 0 : imagem direita
i < 0 : imagem invertida
f >0 : espelho côncavo
f < 0 : espelho convexo
Equações dos espelhos esféricos
'p
1
p
1
f
1

p
'p
o
i 

Aumento linear transversal
o
i
A  ou
p
'p
A


Exercícios
1. Um objeto de 5 cm de altura é colocado a
30 cm do vértice de um espelho côncavo
de distância focal 50 cm.
A) Qual a distância da imagem ao vértice
do espelho?
B) Qual o tamanho da imagem?
C) A imagem é real ou virtual?
2. Em frente a um espelho côncavo de
distância focal 20 cm, encontra-se um
objeto real, a 10 cm de seu vértice.
Determine:
A) A posição da imagem;
B) O aumento linear;
C) a imagem é direita ou invertida?
3. Um objeto de 6 cm de altura está
localizado à distância de 30 cm de um
espelho esférico convexo, de 40 cm de
raio de curvatura.
Determine a posição da imagem
4. Um objeto de 3 cm de altura foi colocado
diante de um espelho esférico convexo de
raio de curvatura igual a 60 cm. Sendo o
objeto perpendicular ao eixo principal e a
sua abscissa igual a 15 cm, pergunta-se:
A) Qual é a altura da imagem?
B) A imagem é real ou virtual? Direita ou
invertida?
5. Por meio de um pequeno espelho esférico
côncavo, é possível projetar na parede a
imagem da chama de uma vela.
Colocando a chama a 40 cm do espelho,
a imagem se forma a 200 cm de distância
deste.
A) Qual a distância focal do espelho?
B) Faça um esquema com o objeto a
imagem e o espelho.
6. Em um espelho esférico côncavo obtém-
se uma imagem de altura quatro vezes
maior que a altura do objeto. A distância
da imagem ao espelho vale 20 cm.
A) Determine a abscissa do objeto.
B) Qual a distância focal do espelho?
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1-(Unaerp) Um espelho usado por esteticistas
permite que o cliente, bem próximo ao espelho,
possa ver seu rosto ampliado e observar detalhes
da pele. Este espelho é:
a) côncavo.
b) convexo.
c) plano.
d) anatômico.
e) epidérmico.
2-(Fei ) O espelho retrovisor de uma motocicleta
é convexo porque:
a) reduz o tamanho das imagens e aumenta o
campo visual
b) aumenta o tamanho das imagens e aumenta o
campo visual
c) reduz o tamanho das imagens e diminui o
campo visual
d) aumenta o tamanho das imagens e diminui o
campo visual
e) mantém o tamanho das imagens e aumenta o
campo visual
3-(Ufes) Quando aproximamos um objeto de um
espelho côncavo,
a) sua imagem real diminui e afasta-se do
espelho.
b) sua imagem real diminui e aproxima-se do
espelho.
c) sua imagem real aumenta e afasta-se do
espelho.
d) sua imagem real aumenta e aproxima-se do
espelho.
e) sua imagem real não se altera.
4-(Cesgranrio) Um objeto de altura h é colocado
perpendicularmente ao eixo principal de um
espelho esférico côncavo.
Estando o objeto no infinito, a imagem desse
objeto será:
a) real, localizada no foco.
b) real e de mesmo tamanho do objeto.
c) real, maior do que o tamanho do objeto.
d) virtual e de mesmo tamanho do objeto.
e) virtual, menor do que o tamanho do objeto.
5-(Ufrs ) A imagem de um objeto real, formada
por um espelho convexo, é sempre
a) real, invertida e maior do que o objeto.
b) rela, direita e menor do que o objeto.
c) real, direita e maior do que o objeto.
d) virtual, invertida e maior do que o objeto.
e) virtual, direita e menor do que o objeto.
6-(Pucmg ) Se um espelho forma uma imagem
real e ampliada de um objeto, então o espelho é:
a) convexo e o objeto está além do foco.
b) convexo e o objeto está entre o foco e o
espelho.
c) côncavo e o objeto está entre o foco e o centro
do espelho.
d) côncavo e o objeto está além do foco.
e) côncavo ou convexo e com o objeto entre o
foco e o centro do espelho.
7-(Ufsm )
A figura representa um objeto O colocado sobre o
centro de curvatura C de um espelho esférico
côncavo. A imagem formada será
a) virtual, direita e menor.
b) virtual, invertida e menor.
c) real, direta e maior.
d) real, invertida e maior.
e) real, invertida e de mesmo tamanho.
8-(Pucpr ) Um objeto real, representado pela
seta, é colocado em frente a um espelho
podendo ser plano ou esférico conforme as
figuras.
A imagem fornecida pelo espelho será virtual:
a) apenas no caso I.
b) apenas no caso II.
c) apenas nos casos I e II.
d) nos casos I e IV e V.
e) nos casos I, II e III.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
9-(Uece ) Um pequeno objeto é colocado
perpendicularmente sobre o eixo principal e a
12cm do vértice de um espelho esférico côncavo,
cujo raio de curvatura é 36cm. A imagem
conjugada pelo espelho é:
a) real, invertida e maior que o objeto
b) virtual, direita e maior que o objeto
c) virtual, direita e menor que o objeto
d) real, invertida e menor que o objeto
10-(Pucpr ) Um espelho côncavo produz uma
imagem real invertida do mesmo tamanho que
um objeto situado a 40 cm de distância.
Podemos afirmar que a distância focal do espelho
é:
a) 20 cm
b) 40 cm
c) 10 cm
d) 80 cm
e) 120 cm
11-(Mackenzie) Um objeto real é colocado sobre
o eixo principal de um espelho esférico côncavo a
4cm de seu vértice. A imagem conjugada desse
objeto é real e está situada a 12cm do vértice do
espelho, cujo raio de curvatura é:
a) 2 cm.
b) 3 cm.
c) 4 cm.
d) 5 cm.
e) 6 cm.
12-(Uff ) Um rapaz utiliza um espelho côncavo,
de raio de curvatura igual a 40cm, para barbear-
se. Quando o rosto do rapaz está a 10cm do
espelho, a ampliação da imagem produzida é:
a) 1,3
b) 1,5
c) 2,0
d) 4,0
e) 40
15-(OBF)
Na figura ABAIXO são mostrados um espelho
esférico, um objeto e sua imagem. Determine as
distâncias focal f e do centro de curvatura R do
espelho.
a) f = 20 cm e R = 40 cm
b) f = 30 cm e R = 60 cm
c) f = 60 cm e R = 120 cm
d) f = 20 cm e R = 20 cm
e) f = 20 cm e R = 30 cm
13-(UFES) A distância focal de um espelho
convexo mede 5,0 cm. Uma imagem virtual
situada a 4 cm de vértice do espelho corresponde
a um objeto:
a)Real e situado a 20 cm do espelho
b)Virtual e situado a 15 cm do espelho
c)Virtual e situada a 6,66 cm do espelho
d)Real e situada a 4 cm do espelho
e)Virtual e situada a 4 cm do espelho
15-(Puccamp-SP) Um objeto real é colocado a
6,0 cm de um espelho côncavo, raio de curvatura
9,0 cm e sobre o seu eixo principal. A imagem
conjugada pelo espelho é:
a)Virtual, direta e menor que o objeto
b)Real, invertida e maior que o objeto
c)Real, invertida e menor que o objeto
d)Real, direta e maior que o objeto
e)Real , direta e menor que o objeto
16-( FAFEOD-MG) Uma aluno deseja obter uma
imagem de um objeto, que seja virtual e maior
que o objeto, usando um espelho esférico de
distancia focal igual a 30 cm. Para isso, ele
poderá usa um espelho:
a)Côncavo e colocar o objeto a 40 cm do espelho
b)Côncavo e colocar o objeto a 20 cm do espelho
c)Convexo e colocar o objeto em qualquer
posição
d)Côncavo ou convexo e colocar o objeto em
qualquer posição
e)Côncavo ou convexo e colocar o objeto a 40
cm do espelho
17-(Puccamp ) Um objeto, de 2,0cm de altura, é
colocado a 20cm de um espelho esférico. A
imagem que se obtém é virtual e possui 4,0mm
de altura. O espelho utilizando é
a) côncavo, de raio de curvatura igual a 10cm.
b) côncavo e a imagem se forma a 4,0cm de
espelho.
c) convexo e a imagem obtida é invertida.
d) convexo, de distância focal igual a 5,0cm.
e) convexo e a imagem se forma a 30cm do
objeto.
18 (Pucsp ) Um objeto é colocado a 30 cm de um
espelho esférico côncavo perpendicularmente ao
eixo óptico deste espelho. A imagem que se
obtém é classificada como real e se localiza a 60
cm do espelho. Se o objeto for colocado a 10 cm
do espelho, sua nova imagem
a) será classificada como virtual e sua distância
do espelho será 10 cm.
b) será classificada como real e sua distância do
espelho será 20 cm.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
c) será classificada como virtual e sua distância
do espelho será 20 cm.
d) aumenta de tamanho em relação ao objeto e
pode ser projetada em um anteparo.
e) diminui de tamanho em relação ao objeto e
não pode ser projetada em um anteparo.
19 (Ufpel ) Um objeto de 6 cm de altura é
colocado perpendicularmente ao eixo principal e
a 24 cm do vértice de um espelho esférico
côncavo, de raio de curvatura 36 cm.
Baseado em seus conhecimentos sobre óptica
geométrica, a altura e natureza da imagem são,
respectivamente,
a) 2 cm, virtual e direita.
b) 12 cm, real e invertida.
c) 18 cm, virtual e direita.
d) 18 cm, real e invertida.
e) 2 cm, virtual e invertida.
20 (Ufscar ) Uma mocinha possuía um grande
espelho esférico côncavo que obedecia às
condições de estigmatismo de Gauss. Com seu
espelho, de raio de curvatura 3,0 m, estava
acostumada a observar recentes cravos e
espinhas. Certo dia, sem que nada se
interpusesse entre ela e seu espelho,
observando-o diretamente, a uma distância de
2,0 m da superfície refletora e sobre o eixo
principal,
a) não pôde observar a imagem de seu rosto, que
é de tamanho menor e em posição invertida.
b) não pôde observar a imagem de seu rosto, que
é de tamanho maior e em posição invertida.
c) pôde observar a imagem de seu rosto em
tamanho reduzido e disposta em posição direita.
d) pôde observar a imagem de seu rosto em
tamanho ampliado e disposta em posição direita.
e) pôde observar a imagem de seu rosto em
tamanho ampliado e disposta em posição
invertida.
21 (Unifesp) Suponha que você é estagiário de
uma estação de televisão e deve providenciar um
espelho que amplie a imagem do rosto dos
artistas para que eles próprios possam retocar a
maquilagem.
O toucador limita a aproximação do rosto do
artista ao espelho a, no máximo, 15 cm. Dos
espelhos a seguir, o único indicado para essa
finalidade seria um espelho esférico
a) côncavo, de raio de curvatura 5,0 cm.
b) convexo, de raio de curvatura 10 cm.
c) convexo, de raio de curvatura 15 cm.
d) convexo, de raio de curvatura 20 cm.
e) côncavo, de raio de curvatura 40 cm.
GABARITO:
1A 2A 3C 4A 5E 6C 7E 8D 9B 10A 11E 12C 13A
14A 15A 16B 17B 18D 18C 19D 20B 21E
REFRAÇÃO DA LUZ
"Quando a luz passa de um meio para outro
ela pode mudar de direção, ou seja, refratar-
se."
Índice de refração absoluto
"índice de refração de um meio qualquer em
relação ao vácuo."
velocidade c
vácuo
outro meio
velocidade v
v
c
n 
n = índice de refração
c = velocidade da luz no vácuo ( c= 300.000
km/s)
v = velocidade da luz em outro meio
nar  1
Exercícios
1. Certa luz monocromática apresenta num
meio material velocidade igual a 150.000
km/s. Sendo a velocidade da luz no
vácuo 300.000 km/s, determine o índice
de refração absoluto para esse meio.
2. Determine o índice de refração absoluto
de um líquido onde a luz se propaga com
a velocidade de 200.000 km/s. A
velocidade da luz no vácuo é 300.000
km/s.
3. O índice de refração absoluto da água é
1,3 para certa luz monocromática. Qual a
velocidade de propagação da luz na
água, se no vácuo ela se propaga com a
velocidade de 300.000 km/s?
4. O índice de refração absoluto do vidro é
1,5 para certa luz monocromática. Qual a
velocidade de propagação dessa luz no
vidro?
5. A velocidade da luz amarela num
determinado meio é 4/5 da velocidade da
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
luz no vácuo. Qual o índice de refração
absoluto desse meio?
Questões
6. Se um pescador quiser fisgar um peixe
lançando obliquamente um arpão, ele
deverá arremessá-lo acima ou abaixo da
posição em que vê o peixe?
7. Como deve ser um meio para que a luz
se propague nele em linha reta?
8. O que veríamos se mergulhássemos uma
peça de vidro num líquido de mesmo
índice de refração que o vidro?
9. A luz procedente do Sol poente se
propaga através da atmosfera segundo
uma trajetória curva, de modo que o Sol
parece estar mais alto do que realmente
está. Como se explica este fenômeno?
Ilustre com um diagrama.
Índice de refração relativo
vA
A
B
vB
B
A
A
B
BA
v
v
n
n
n 
Exercícios
10.Numa substância A, a velocidade da luz
é 250.000 km/s; numa substância B é
200.000 km/s. Determine: a) o índice de
refração relativo da substância A em
relação à substância B; b) o índice de
refração relativo da substância B em
relação à substância A.
11.O índice de refração absoluto da água é
1,3 e o do vidro é 1,5. Determine os
índices de refração relativos da água em
relação ao vidro e do vidro em relação à
água.
12.Se o índice de refração de uma
substância X em relação a outra Y é 0,5
e o índice de refração absoluto de Y é
1,8, qual é o índice de refração absoluto
de X?
13.Se o índice de refração de uma
substância X em relação a outra Y é 0,6
e o índice de refração absoluto de Y é
1,5, qual é o índice de refração absoluto
de X?
Lei de Snell-Descartes
i
A
B
r
rsen
isen
n
n
A
B

i = ângulo de incidência
r = ângulo de refração
Exercícios
1. Um raio luminoso incide na superfície
que separa o meio A do meio B,
formando um ângulo de 60o
com a
normal no meio A. O ângulo de refração
vale 30o
e o meio A é o ar, cujo índice de
refração é nA = 1. Determine o índice de
refração do meio B (nB). Dados: sen 30o
= 0,5 e sem 60o
= 0,9.
2. Quando se propaga de um meio A para
um meio B, incidindo sob ângulo de 45o
com a normal, um raio luminoso se
refrata formando com a normal um
ângulo de 60o
. Sendo 1,4 o índice de
refração do meio B, determine o índice
de refração do meio A . ). Dados: sen 45o
= 0,7 e sem 60o
= 0,9.
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1-(Udesc ) Em um dia quente, ao percorrermos
uma estrada asfaltada, termos a impressão de
que ela está "molhada" à nossa frente. Tal
fenômeno é conseqüência da:
a) polarização da luz;
b) refração da luz;
c) difração da luz;
d) dispersão da luz;
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
e) interferência da luz.
2-(Unesp) Muitas vezes, ao examinar uma vitrina,
é possível observar não só os objetos que se
encontram em exposição atrás do vidro, como
também a imagem de si próprio formada pelo
vidro, A formação dessa imagem pode ser
explicada pela.
a) reflexão parcial da luz.
b) reflexão total da luz.
c) refração da luz.
d) transmissão da luz.
e) difração da luz.
3-(Unifor-CE) No vácuo, ou no ar, a velocidade
da luz é de 3,0 .108
m/s. Num vidro, cujo índice
de refração é 1,50, a velocidade da luz é, em
m/s,
a) 1,0 . 108
b) 1,5 . 108
c) 2,0 . 108
d) 3,0 . 108
e) 4,5 . 108
4-(UN. FED. PELOTAS - RS) Um pincel de luz se
propaga do vácuo para um meio material de
índice de refração absoluto 4/3. Sendo a
velocidade de propagação da luz no vácuo de 3 x
105 km/s, podemos afirmar que a velocidade da
luz no meio material é de:
a) 4 x 105
km/s
b) 2,25 x 105
km/s
c) 3 x 105
km/s
d) 2 x 105
km/s
e) 3,25 x 105
km/s
5-(U. E. Londrina-PR) Para determinar o índice
de refração de um líquido, faz-se com que um
feixe de luz monocromática proveniente do ar
forme um ângulo de 60º em relação à normal, no
ponto de incidência. Para que isso aconteça, o
ângulo de refração observado é de 30º. Sendo o
índice de refração do ar igual a 1,0, então o
índice de refração do líquido será:
6-(Mackenzie ) Um raio luminoso monocro-
mático, ao passar do ar (índice de refração =1,0)
para a água, reduz sua velocidade de 25%. O
índice de refração absoluto da água para esse
raio luminoso é de aproximadamente:
a)1,2
b)1,3
c)1,4
d)1,5
e)1,6
7-(UEMS) Um raio de luz, propagando-se no ar
incide sobre uma placa de vidro conforme mostra
a figura. Sendo o índice de refração do ar nar = 1,
qual é o índice de refração do vidro?
8-(UN. FED. RO) Para o esquema seguinte, qual
o valor do índice de refração relativon2/n1?
a) 4
b) 2
c)
d) 2
e)
09-(UFPB) As figuras abaixo representam
secções retas de um cubo de vidro que tem uma
de suas faces atingida por um raio de luz
monocromática, proveniente do ar. As trajetórias
do raio luminoso, também representadas, estão
no plano dessas figuras.
Sabendo-se que o índice de refração do vidro é
maior do que o do ar, as trajetórias fisicamente
possíveis são
a) I e II
b) I e IV
c) II e III
d) II e IV
e) III e IV
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Gabarito
1B 2C 3C 4B 5C 6B 07E 08E 09B.
ONDAS
Definição:
Denomina-se onda ao movimento causado por uma
perturbação que se propaga através de um meio.
Classificação das Ondas:
1- Quanto à natureza:
Onda Mecânica: Precisa de um meio natural para
propagar-se (não se propaga no vácuo).
Ex.: corda ou onda sonora (som).
Onda Eletromagnética: Não necessita de um meio
natural para propagar-se.
Ex.: ondas de rádio ou luz.
2- Quanto à direção da vibração:
Ondas Transversais:
São aquelas que possuem vibrações perpendi-culares
à direção da propagação.
Ondas Longitudinais:
As vibrações coincidem com a direção da
propagação.
3- Quanto à direção da propagação:
Unidimensionais:
Propagam-se numa só direção.
Ex.: ondas em corda.
Bidimensionais:
Propagam-se num plano.
Ex.: ondas na superfície de um lago.
Tridimensionais:
São aquelas que se propagam em todas as direções.
Ex.: ondas sonoras no ar atmosférico.
Ondas Periódicas:
São aquelas que recebem pulsos periódicos, ou seja,
recebem pulsos em intervalos de tempo iguais.
Portanto, passam por um mesmo ponto com a mesma
freqüência.
"Comprimento de onda (  ) é a distância entre dois
pontos consecutivos do meio que vibram em fase,"
v =  .f
T
1
f 
v = velocidade de propagação da onda
 = comprimento de onda
f = freqüência
T = período
A = amplitude
Ondas Estacionárias
São ondas resultantes da superposição de duas ondas
com:
- mesma freqüência
- mesma amplitude
- mesmo comprimento de onda
- mesma direção
- sentidos opostos
Ao atingirem a extremidade fixa, elas se refletem,
voltando com sentido contrário ao anterior. Dessa
forma, as perturbações se superpõem às outras que
estão chegando à parede, originando o fenômeno das
ondas estacionárias.
Característica:
amplitude variável de ponto para ponto, isto é, pontos
que não se movimentam (amplitude nula). Nodos:
pontos que não se movimentam Ventres: pontos que
vibram com amplitude máxima É evidente que, entre
os nós, os pontos da corda vibram com a mesma
freqüência, mas com amplitudes diferentes.
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
Os fenômenos ondulatórios
Reflexão:
É quando a onda, após incidir num segundo meio de
características diferentes, volta a se propagar no meio
original.
O pulso sofre reflexão com inversão de fase,
mantendo todas as outras características.
O pulso sofre reflexão e não ocorre inversão de fase.
- Refração de ondas
É o fenômeno segundo o qual uma onda muda seu
meio de propagação.
- Interferência
Num ponto pode ocorrer superposição de duas ou
mais ondas, o efeito resultante é a soma dos efeitos
que cada onda produziria sozinha nesse ponto.
- Difração
As ondas não se propagam obrigatoriamente em linha
reta a partir de uma fonte emissora. Elas apresentam
a capacidade de contornar obstáculos, desde que
estes tenham dimensões comparáveis ao
comprimento de onda.
- Ressonância
Quando um sistema vibrante é submetido a uma série
periódica de impulsos cuja freqüência coincide com a
freqüência natural do sistema, a amplitude de suas
oscilações cresce gradativamente, pois a energia
recebida vai sendo armazenada.
- Polarização
Polarizar uma onda significa orientá-la em uma única
direção ou plano.
Exercícios
1. A figura representa uma onda periódica
que se propaga numa corda com
velocidade v = 10 m/s. Determine a
freqüência dessa onda e a amplitude.
2. Um conjunto de ondas periódicas
transversais , de freqüência 20 Hz,
propaga-se em uma corda. A distância
entre uma crista e um vale adjacente é
de 2m. Determine:
A) o comprimento de onda;
B) a velocidade da onda.
3. Num tanque pequeno a velocidade de
propagação de uma onda é de 0,5 m/s.
Sabendo que a freqüência do movimento
é de 10 Hz, calcule o comprimento da
onda.
4. Determine o comprimento de onda de
uma estação de rádio que transmite em
6000 kHz.
5. Uma onda se propaga ao longo de uma
corda com freqüência de 60 Hz, como
ilustra a figura.
A) Qual a amplitude da onda?
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
B) Qual o valor do comprimento de onda?
C) Qual a velocidade de propagação
dessa onda?
6. Uma fonte produz ondas periódicas na
superfície de um lago. Essas ondas
percorrem 2,5 m em 2 segundos. A
distância entre duas cristas sucessivas
de onda é 0,25 m. Determine: A) a
velocidade de propagação da onda; B) o
comprimento de onda; C) a freqüência.
Questões
7. O que é crista de uma onda? O que é
vale?
8. O que é período de uma onda? E
freqüência?
9. O que é amplitude de uma onda?
10.Como podemos produzir uma onda?
Exercícios complementares
11.Ondas periódicas produzidas no meio de
uma piscina circular de 6m de raio por
uma fonte de freqüência constante de 2
Hz demoram 10 s para atingir a borda da
piscina. Qual o comprimento de onda
dessa vibração?
12.Num lago, correntes de ar produzem
ondas periódicas na superfície da água,
que se propagam à razão de 3 m/s. Se a
distância entre duas cristas sucessivas
dessas ondas é 12 m, qual o período de
oscilação de um barco ancorado?
13.Numa corda tensa, propaga-se uma onda
de comprimento de onda 0,2 m com
velocidade igual a 8 m/s. Determine a
freqüência e o período dessa onda.
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
1-(Uel ) Numa corda, uma fonte de ondas realiza
um movimento vibratório com freqüência de
10Hz. O diagrama mostra, num determinado
instante, a forma da corda percorrida pela onda.
A velocidade de propagação da onda, em cm/s, é
de
a) 8,0
b) 20
c) 40
d) 80
e) 160
2-(Ufal ) Normalmente descrevem-se ondas
senoidais, mas pode-se pensar em ondas com
outras formas. Pode-se ter ondas periódicas
retangulares como no esquema a seguir.
O comprimento de onda dessa onda, em
unidades da régua impressa, é um valor mais
próximo de
a) 5,0 b) 3,5 c) 2,5
d) 1,5 e) 1,0
3-(Ufsm-)A figura representa, esquema-
ticamente, a quantidade de radiação absorvida (I)
por certos tipos de vegetais, em função do
comprimento de onda () da radiação
eletromagnética proveniente do Sol.
A freqüência, em Hz, que os seres humanos
percebem como verde é cerca de:
a) 1,5 × 102
b) 1,5 × 103
c) 6 × 105
d) 1,5 × 1011
e) 6 ×1014
4-(Fuvest ) A Rádio USP opera na freqüência de 93,7
megahertz. Considerando-se que a velocidade de
propagação das ondas eletromagnéticas na atmosfera
é igual a 300000km/s, o comprimento de onda emitida
pela Rádio USP é aproximadamente igual a:
a) 3,2 m b) 32,0 m
c) 28,1 m d) 93,7 m
e) 208,1 m
5- (Uel 95) Uma onda periódica transversal se
propaga numa mola, onde cada ponto executa uma
oscilação completa a cada 0,20s. Sabendo-se que a
distância entre duas cristas consecutivas é 30cm,
pode-se concluir que a velocidade de propagação
dessa onda é, em m/s, igual a
a) 0,15 b) 0,60
c) 1,5 d) 3,0
e) 6,0
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
6-(Cesgranrio ) Uma estação de rádio transmite seus
programas em ondas curtas de 40m. Sabendo que a
velocidade de propagação das ondas é igual a
300.000km/s, a freqüência será de:
a) 7,5 x 105
Hz
b) 7,5 x 106
Hz
c) 750 x 106
Hz
d) 1200 x 10
6
Hz
e) 7,5 x 109
Hz
7-(Unesp ) Em um exame de audiometria, uma
pessoa foi capaz de ouvir freqüências entre 50Hz e
3kHz. Sabendo-se que a velocidade do som no ar é
340m/s, o comprimento de onda correspondente ao
som de maior freqüência (mais agudo) que a pessoa
ouviu foi:
a) 3 × 10-2
cm.
b) 0,5 cm.
c) 1,0 cm.
d) 11,3 cm.
e) 113,0 cm.
8-( Cefet-PR) Com relação ao estudo das ondas, são
feitas as seguintes afirmações:
I. Quando uma onda passa de um meio material para
outro, ocorre o fenômeno chamado refração, com
alteração da freqüência da onda.
II. As ondas sonoras podem ser polarizadas, pois são
ondas longitudinais.
III. O fenômeno da decomposição da luz branca em
seu espectro é denominado dispersão.
É(são) correta(s) somente a(s) afirmação(ões):
a) I.
b) I e II.
c) II.
d) I e III.
e) III.
9-( UFRS) Considere as seguintes afirmações a
respeito de ondas transversais e longitudinais:
I. Ondas transversais podem ser polarizadas e ondas
longitudinais não.
II. Ondas transversais podem sofrer interferência e
ondas longitudinais não.
III. Ondas transversais podem apresentar efeito
Doppler e ondas longitudinais não.
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas III.
d) Apenas I e II.
e) Apenas I e III.
10-(.U. Salvador-BA) No fenômeno da refração da
onda, necessariamente permanece constante
a) a freqüência da onda.
b) a velocidade de propagação da onda.
c) a amplitude da onda.
d) o comprimento de onda da onda.
e) a direção de propagação da onda.
11-(Pucmg )
I. O fenômeno pelo qual uma onda não forma uma
sombra com limites precisos, quando contorna uma
barreira que a bloqueia parcialmente, é chamado de
difração.
II. Quando uma onda passa de um meio para outro,
ocorre a mudança de alguns de seus parâmetros, mas
sua freqüência permanece constante.
III. Uma onda da freqüência 50 Hz e comprimento de
onda 20cm está se movendo à velocidade de 10m/s.
Assinale:
a) se apenas as afirmativas I e II forem falsas
b) se apenas as afirmativas II e III forem falsas
c) se apenas as afirmativas I e III forem falsas
d) se todas forem verdadeiras
e) se todas forem falsas
12-(Fuvest ) Radiações como Raios X, luz verde, luz
ultravioleta, microondas ou ondas de rádio, são
caracterizadas por seu comprimento de onda () e por
sua freqüência (f). Quando essas radiações
propagam-se no vácuo, todas apresentam o mesmo
valor para
a) 
b) f
c) .f
d) /f
e) 
2
/f
13-(Pucrs ) Uma onda sonora de 1000Hz propaga-se
no ar a 340m/s quando atinge uma parede, onde
passa a se propagar com velocidade de 2000m/s. É
correto afirmar que os valores do comprimento de
onda e da freqüência da onda propagando-se na
parede são, respectivamente,
a) 0,340m e 1000Hz.
b) 0,680m e 1000Hz.
c) 0,850m e 2000Hz.
d) 2,000m e 1000Hz.
e) 2,500m e 500Hz.
14-( UFRS) Percorre-se a extremidade de um trilho
retilíneo de 102 m de comprimento. Na extremidade
oposta do trilho, uma pessoa escuta dois sons: um
deles produzido pela onda que se propagou no trilho e
o outro produzido pela onda que se propagou pelo ar.
O intervalo de tempo que separa a chegada dos dois
sons é de 0,28 s. Considerando a velocidade do som
no ar igual a 340 m/s, qual é o valor aproximado da
velocidade com que o som se propaga no trilho?
a) 5100 m/s b) 1760 m/s
c) 364 m/s d) 176 m/s
e) 51 m/s
15-(UF RS ) Assinale a alternativa que preenche
corretamente as lacunas do parágrafo abaixo.
As emissoras de rádio emitem ondas ........... que são
sintonizadas pelo rádio-receptor. No processo de
transmissão, essas ondas devem sofrer modulação. A
sigla FM adotada por certas emissoras de rádio
significa .......... modulada.
a)eletromagnéticas - freqüência
b)eletromagnéticas - fase
Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216
c)sonoras - faixa
d)sonoras - fase
e)sonoras - freqüência
16-(Ufv) Uma onda transversal propagando-se
pelo espaço é representada abaixo pelos gráficos
x-y e y-t, nos quais y representa a amplitude, x a
posição e t o tempo.
Após a análise dos gráficos, pode-se afirmar que
o comprimento de onda, o período, a freqüência e
a velocidade de propagação dessa onda são,
respectivamente:
a) 20 m, 10 s, 0,1 Hz e 2,0 m/s
b) 30 m, 5,0 s, 0,2 Hz e 6,0 m/s
c) 30 m, 5,0 s, 0,5 Hz e 10 m/s
d) 20 m, 10 s, 0,5 Hz e 10 m/s
e) 20 m, 5,0 s, 0,1 Hz e 2,0 m/s
17-(Unesp ) Em um exame de audiometria, uma
pessoa foi capaz de ouvir freqüências entre 50Hz
e 3kHz. Sabendo-se que a velocidade do som no
ar é 340m/s, o comprimento de onda
correspondente ao som de maior freqüência
(mais agudo) que a pessoa ouviu foi
a) 3 × 10-2
cm.
b) 0,5 cm.
c) 1,0 cm.
d) 11,3 cm.
e) 113,0 cm.
Gabarito:
1D 2B 3E 4A 5C 6B 7D 8E 9A 10A 11D 12C 13D 14A 15A
16A 17D
Os fenômenos ondulatórios
- Reflexão de ondas
Quando uma onda que se propaga num
dado meio encontra uma superfície que
separa esse meio de outro, essa onda pode,
parcial ou totalmente, retornar para o meio
em que estava se propagando.
- Refração de ondas
É o fenômeno segundo o qual uma onda
muda seu meio de propagação.
- Interferência
Num ponto pode ocorrer superposição de
duas ou mais ondas, o efeito resultante é a
soma dos efeitos que cada onda produziria
sozinha nesse ponto.
- Difração
As ondas não se propagam obrigatoriamente
em linha reta a partir de uma fonte emissora.
Elas apresentam a capacidade de contornar
obstáculos, desde que estes tenham
dimensões comparáveis ao comprimento de
onda.
- Ressonância
Quando um sistema vibrante é submetido a
uma série periódica de impulsos cuja
freqüência coincide com a freqüência natural
do sistema, a amplitude de suas oscilações
cresce gradativamente, pois a energia
recebida vai sendo armazenada.
- Polarização
Polarizar uma onda significa orientá-la em
uma única direção ou plano.
Questões
1. Conta-se que um famoso tenor italiano,
ao soltar a voz num agudo, conseguia
romper um copo de cristal. Como é
possível explicar fisicamente essa
ocorrência?
2. As ondas luminosas também podem
sofrer difração, como as ondas sonoras.
Explique por que é mais fácil perceber a
difração sonora do que a difração
luminosa.
3. Conta-se que na Primeira Guerra Mundial
uma ponte de concreto desabou quando
soldados, em marcha cadenciada,
passaram sobre ela. Como é possível
explicar essa ocorrência?
O SOM
As ondas sonoras são ondas mecânicas e
portanto não se propagam no vácuo. São
audíveis pelo homem quando sua freqüência
se situa entre 20 Hz e 20.000 Hz.
Fontes de som
Em geral, as fontes de som são os corpos
em vibração, como o cone de um alto-
falante, as cordas vocais, etc."
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revparalela2ano
Revparalela2anoRevparalela2ano
Revparalela2ano
Rafael Sampaio
 
3 fisica
3 fisica3 fisica
3 fisica
Diego Machado
 
Revisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologiaRevisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologia
Marcia Marcia.Cristina2
 
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometria
comentada
 
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Paulo Cezar Rangel de Lima
 
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
Waldir Montenegro
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01
comentada
 
Recuperação 2º ano
Recuperação 2º anoRecuperação 2º ano
Recuperação 2º ano
pensefisica
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Pedro Ivo Andrade Sousa
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Rodrigo Penna
 
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor CazuzaLista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
2bupvv
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (introdução à termometria )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
Pedro Ivo Andrade Sousa
 
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Fernanda Katiusca Santos
 
Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012
Robson Nascimento
 
Calorimetria avançado - 2013
Calorimetria   avançado - 2013Calorimetria   avançado - 2013
Calorimetria avançado - 2013
eduardo
 
Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2
resolvidos
 
Apostila fisica2
Apostila fisica2Apostila fisica2
Apostila fisica2
danielcorreapuerta
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
Péricles Penuel
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
Emerson Assis
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
O mundo da FÍSICA
 

Mais procurados (20)

Revparalela2ano
Revparalela2anoRevparalela2ano
Revparalela2ano
 
3 fisica
3 fisica3 fisica
3 fisica
 
Revisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologiaRevisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologia
 
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometria
 
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
 
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01
 
Recuperação 2º ano
Recuperação 2º anoRecuperação 2º ano
Recuperação 2º ano
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
 
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor CazuzaLista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (introdução à termometria )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (introdução à termometria )
 
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
 
Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012Prova I unidade 2º ano 2012
Prova I unidade 2º ano 2012
 
Calorimetria avançado - 2013
Calorimetria   avançado - 2013Calorimetria   avançado - 2013
Calorimetria avançado - 2013
 
Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2
 
Apostila fisica2
Apostila fisica2Apostila fisica2
Apostila fisica2
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 

Destaque

Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
Rodrigo Penna
 
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
Rodrigo Penna
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
comentada
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Drica Salles
 
Questoes resolvidas de termodinmica
Questoes resolvidas de termodinmicaQuestoes resolvidas de termodinmica
Questoes resolvidas de termodinmica
sjfnet
 
Termodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvidoTermodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvido
flavio moura
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
EDER LIMA
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
O mundo da FÍSICA
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
Rodrigo Sampaio
 
Questões Corrigidas, em Word: Refração - Conteúdo vinculado ao blog ht...
Questões Corrigidas, em Word:  Refração  - Conteúdo vinculado ao blog      ht...Questões Corrigidas, em Word:  Refração  - Conteúdo vinculado ao blog      ht...
Questões Corrigidas, em Word: Refração - Conteúdo vinculado ao blog ht...
Rodrigo Penna
 
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Rodrigo Silva
 
Termometria apostila
Termometria apostilaTermometria apostila
Termometria apostila
ntebrusque
 
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTREONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
Fábio Ribeiro
 
Exercícios de dilatação
Exercícios de dilataçãoExercícios de dilatação
Exercícios de dilatação
tiowans
 
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exerciciosFisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
Emerson Assis
 
Capítulo 1 grandezas físicas temperatura-pressão
Capítulo 1   grandezas físicas temperatura-pressãoCapítulo 1   grandezas físicas temperatura-pressão
Capítulo 1 grandezas físicas temperatura-pressão
Gustavo Pereira
 
Td eco-01 apostila-de_economia[2]
Td eco-01 apostila-de_economia[2]Td eco-01 apostila-de_economia[2]
Td eco-01 apostila-de_economia[2]
Alexandre Dos Santos
 
Atividade mru 2016
Atividade mru 2016Atividade mru 2016
Atividade mru 2016
pensefisica
 
Recuperação 1 ano 2 bi
Recuperação 1 ano 2 biRecuperação 1 ano 2 bi
Recuperação 1 ano 2 bi
pensefisica
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
O mundo da FÍSICA
 

Destaque (20)

Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
 
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
 
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos   questões resolvidas - termologiaGases perfeitos   questões resolvidas - termologia
Gases perfeitos questões resolvidas - termologia
 
Questoes resolvidas de termodinmica
Questoes resolvidas de termodinmicaQuestoes resolvidas de termodinmica
Questoes resolvidas de termodinmica
 
Termodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvidoTermodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvido
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
 
Questões Corrigidas, em Word: Refração - Conteúdo vinculado ao blog ht...
Questões Corrigidas, em Word:  Refração  - Conteúdo vinculado ao blog      ht...Questões Corrigidas, em Word:  Refração  - Conteúdo vinculado ao blog      ht...
Questões Corrigidas, em Word: Refração - Conteúdo vinculado ao blog ht...
 
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
 
Termometria apostila
Termometria apostilaTermometria apostila
Termometria apostila
 
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTREONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
ONDAS E CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
 
Exercícios de dilatação
Exercícios de dilataçãoExercícios de dilatação
Exercícios de dilatação
 
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exerciciosFisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
Fisica mecanica dinamica_plano_inclinado_exercicios
 
Capítulo 1 grandezas físicas temperatura-pressão
Capítulo 1   grandezas físicas temperatura-pressãoCapítulo 1   grandezas físicas temperatura-pressão
Capítulo 1 grandezas físicas temperatura-pressão
 
Td eco-01 apostila-de_economia[2]
Td eco-01 apostila-de_economia[2]Td eco-01 apostila-de_economia[2]
Td eco-01 apostila-de_economia[2]
 
Atividade mru 2016
Atividade mru 2016Atividade mru 2016
Atividade mru 2016
 
Recuperação 1 ano 2 bi
Recuperação 1 ano 2 biRecuperação 1 ano 2 bi
Recuperação 1 ano 2 bi
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
 

Semelhante a Apostila de-fisica-2º-ano

Termometria e calorimetria
Termometria  e calorimetriaTermometria  e calorimetria
Lista complementar 28 05 12
Lista complementar 28 05 12Lista complementar 28 05 12
Lista complementar 28 05 12
brendarezende
 
Td 2 ano
Td 2 anoTd 2 ano
Td 2 ano
Tulio Marcos
 
Escola de jatobá 2
Escola de jatobá 2Escola de jatobá 2
Escola de jatobá 2
Ana Paula C. Sousa
 
Termometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricasTermometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricas
Lara Lídia
 
Exercícios de Termometria
Exercícios de TermometriaExercícios de Termometria
Exercícios de Termometria
Paulo Cezar Rangel de Lima
 
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Paulo Cezar Rangel de Lima
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
rodrigoateneu
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
joaberb
 
Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2
Leo Anjos
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
Prof X
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
Prof X
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
Prof X
 
Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°
Wellington Sampaio
 
Exercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º anoExercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º ano
Wellington Sampaio
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
lprofessorjoao
 
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
O mundo da FÍSICA
 
Escalas termometricas.
Escalas termometricas.Escalas termometricas.
Escalas termometricas.
leonardomardegan5
 
Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03
comentada
 

Semelhante a Apostila de-fisica-2º-ano (20)

Termometria e calorimetria
Termometria  e calorimetriaTermometria  e calorimetria
Termometria e calorimetria
 
Lista complementar 28 05 12
Lista complementar 28 05 12Lista complementar 28 05 12
Lista complementar 28 05 12
 
Td 2 ano
Td 2 anoTd 2 ano
Td 2 ano
 
Escola de jatobá 2
Escola de jatobá 2Escola de jatobá 2
Escola de jatobá 2
 
Termometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricasTermometria - Escalas termométricas
Termometria - Escalas termométricas
 
CALORIMETRIA
CALORIMETRIACALORIMETRIA
CALORIMETRIA
 
Exercícios de Termometria
Exercícios de TermometriaExercícios de Termometria
Exercícios de Termometria
 
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
 
Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°
 
Exercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º anoExercícios termometria 8º ano
Exercícios termometria 8º ano
 
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
E. MÉDIO 2 MANHÃ FÍSICA 07 03 2023 DEFINIÇÃO DE TEMPERATURA CONCEITOS FUNDAME...
 
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
 
Escalas termometricas.
Escalas termometricas.Escalas termometricas.
Escalas termometricas.
 
Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03
 

Último

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

Apostila de-fisica-2º-ano

  • 1. 2ºAno Prof: Julio Cesar Souza Almeida CALOR ONDAS ÓPTICA Escola Clóvis Borges Miguel
  • 2. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 5 273 9 32 5     TkTT FC ESCALAS TERMOMÉTRICAS Relação entre as escalas Celsius e Farenheit. Exercícios 1. No Rio de Janeiro, a temperatura ambiente chegou a atingir, no verão de 1998, o valor de 49o C. Qual seria o valor dessa temperatura, se lida num termômetro na escala Fahrenheit? 2. A temperatura média do corpo humano é 36o C. Determine o valor dessa temperatura na escala Fahrenheit. 3. Lê-se no jornal que a temperatura em certa cidade da Russia atingiu, no inverno, o valor de 14o F. Qual o valor dessa temperatura na escala Celsius? 4. Um termômetro graduado na escala Fahrenheit, acusou, para a temperatura ambiente em um bairro de Belo Horizonte, 77o F. Expresse essa temperatura na escala Celsius. 5. Dois termômetros graduados, um na escala Fahrenheit e outro na escala Celsius, registram o mesmo valor numérico para a temperatura quando mergulhados num líquido. Determine a temperatura desse líquido. Questões 6. Descreva, resumidamente, como se deve proceder para graduar um termômetro na escala Celsius. 7. Quando medimos a temperatura de uma pessoa, devemos manter o termômetro em contato com ela durante um certo tempo. Por quê? 8. Desejando-se medir a temperatura de um pequeno inseto, colocou-se um grande número deles em um recipiente. Introduzindo-se entre os insetos um termômetro, verificou-se que, depois de um certo tempo, o termômetro indicava 30o C. A) Para determinar a temperatura de cada inseto seria necessário conhecer o número deles no recipiente? B) Então, qual era a temperatura de um dos insetos? 9. Cite algumas grandezas que podem ser usadas como grandezas termométricas. 10.O que é um termômetro? Em que se baseia um termômetro? 11.Você acha seguro comparar a temperatura de dois corpos através do tato? Explique sua resposta com um exemplo. Relação entre as escalas Celsius e Kelvin Exercícios 1. Um corpo se encontra à temperatura de 27o C. Determine o valor dessa temperatura na escala Kelvin. 2. Um doente está com febre de 42o C. Qual sua temperatura expressa na escala Kelvin? 3. Uma pessoa tirou sua temperatura com um termômetro graduado na escala Kelvin e encontrou 312 K. Qual o valor de sua temperatura na escala Celsius? 4. Um gás solidifica-se na temperatura de 25 K. Qual o valor desse ponto de solidificação na escala Celsius? 5. Uma forma de aumentar a temperatura de um corpo é através do contato com outro que esteja mais quente. Existe outra forma? Dê um exemplo. Questões 6. O que você entende por "zero absoluto"? Qual o valor desta temperatura na escala Celsius? 7. Como você poderia medir a temperatura de um lápis, de um grão de areia e de um fio de cabelo? Exercícios complementares 8. Um líquido está a uma temperatura de 59o F. Qual é esta temperatura na escala Kelvin? 9. A temperatura de ebulição de uma substância é 88 K. Quanto vale esta temperatura na escala Fahrenheit?
  • 3. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1. (G1) A temperatura crítica do corpo humano é 42°C. Em graus Fahrenheit, essa temperatura vale: a) 106,2 b) 107,6 c) 102,6 d) 180,0 e) 104,4 2. (Fei 96) Nas escalas Celsius e Fahrenheit representadas a seguir, estão anotadas as temperaturas de fusão de gelo e ebulição da água à pressão normal. Sabendo-se que o intervalo entre as temperaturas anotadas foram divididas em partes iguais, ao se ler 32°C, quanto marcará a escala Fahrenheit para a mesma temperatura? a) 112,6 °F b) 64,0 °F c) 89,6 °F d) 144,0 °F e) 100,0 °F 3. (Mackenzie ) No dia 1 de janeiro de 1997, Chicago amanheceu com temperatura de 5°F. Essa temperatura, na escala Celsius corresponde a: a) 8°C b) 2°C c) -5°C d) -10°C e) -15°C 4. (Fatec) À pressão de 1atm, as temperaturas de ebulição da água e fusão do gelo na escala Fahrenheit são, respectivamente, 212°F e 32°F. A temperatura de um líquido que está a 50°C à pressão de 1atm, é, em °F: a) 162 b) 90 c) 106 d) 82 e) 122 5. (Ita ) O verão de 1994 foi particularmente quente nos Estados Unidos da América. A diferença entre a máxima temperatura do verão e a mínima no inverno anterior foi de 60°C. Qual o valor dessa diferença na escala Fahreheit? a) 108°F b) 60°F c) 140°F d) 33°F e) 92°F 6. (Uel ) A temperatura da cidade de Curitiba, em um certo dia, sofreu uma variação de 15°C. Na escala Fahrenheit, essa variação corresponde a a) 59 b) 45 c) 27 d) 18 e) 9 7. (Mackenzie ) A temperatura, cuja indicação na escala Fahrenheit é 5 vezes maior que a da escala Celsius, é: a) 50°C. b) 40°C. c) 30°C. d) 20°C. e) 10°C. 8. (Mackenzie ) Um pesquisador verifica que uma certa temperatura obtida na escala Kelvin é igual ao correspondente valor na escala Fahrenheit acrescido de 145 unidades. Esta temperatura na escala Celsius é: a) 55°C. b) 60°C. c) 100°C. d) 120°C. e) 248°C. 9. (Uel ) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius, conforme o gráfico a seguir. As temperaturas de fusão do gelo e ebulição da água, sob pressão normal, na escala X são, respectivamente, a) -60 e 250 b) -100 e 200 c) -150 e 350 d) -160 e 400 e) -200 e 300 10. (G1) Um termômetro está graduado numa escala X tal que 60°X corresponde a 100°C e - 40°X corresponde a 0°C. Uma temperatura de 60°C corresponde a que temperatura lida no termômetro de escala X? a) 28°X b) 25°X c) 18°X d) 20°X e) 30°X
  • 4. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 11. (Uel) O termômetro construído por um estudante marca 1°E quando a temperatura é a da fusão do gelo sob pressão normal e marca 96°E no ponto de ebulição da água sob pressão normal. A temperatura lida na escola E coincide com a temperatura Celsius APENAS no valor a) – 20 b) – 10 c) 10 d) 20 e) 40 12. (Cesgranrio) Uma escala termométrica X é construída de modo que a temperatura de 0°X corresponde a -4°F, e a temperatura de 100°X corresponde a 68°F. Nesta escala X, a temperatura de fusão do gelo vale: a) 10 °X b) 20 °X c) 30 °X d) 40 °X e) 50 °X Gabarito: 1B 2C 3E 4E 5ª 6C 7E 8D 9C 10D 11D 12E ESTUDO DO CALOR Quantidade de calor Q = m.c.  t Q = quantidade de calor (cal ) m = massa (g) c = calor específico ( cal/ g. o C)  t = variação da temperatura (o C)  t = t - t0 Exercícios 10.Uma peça de ferro de 50 g tem temperatura de 10o C. Qual é o calor necessário para aquecê-la até 80o C? (calor específico do ferro: c = 0,11 cal/ g. o C ) 11.Uma pessoa bebe 500 g de água a 10o C. Admitindo que a temperatura dessa pessoa é de 36o C, qual a quantidade de calor que essa pessoa transfere para a água? O calor específico da água é 1 cal/ g. o C. 12.Determine a quantidade de calor que 200 g de água deve perder para que sua temperatura diminua de 30o C para 15o C. O calor específico da água é 1 cal/ g. o C. 13.Um corpo de massa 50 gramas recebe 300 calorias e sua temperatura sobe de 10o C até 30o C. Determine o calor específico da substância que o constitui. 14.Mil gramas de glicerina, de calor específico 0,6 cal/ g. o C, inicialmente a 0o C, recebe 12000 calorias de uma fonte. Determine a temperatura final da glicerina. 15.Uma fonte térmica fornece, em cada minuto, 20 calorias. Para produzir um aquecimento de 20o C para 50o C em 50 gramas de um líquido, são necessários 15 minutos. Determine o calor específico do líquido. Questões 16.Por que a água é utilizada para a refrigeração dos motores de automóveis? 17.Sabe-se que os desertos são muito quentes durante o dia e bastante frios à noite. Então, que conclusão você pode tirar a respeito do calor específico da areia? 18.Do ponto de vista microscópico, qual a diferença entre um corpo quente e um frio? Trocas de calor "Quando dois ou mais corpos trocam calor entre si, até estabelecer-se o equilíbrio térmico, é nula a soma das quantidades de calor trocadas por eles." termômetro calorímetro QA + QB = 0 Qrecebido > 0 Qcedido < 0 Exercícios 1. Um corpo de massa 200 g a 50o C, feito de um material desconhecido, é A B
  • 5. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 mergulhado em 50 g de água a 90o C. O equilíbrio térmico se estabelece a 60o C. Sendo 1 cal/g. o C o calor específico da água, e admitindo só haver trocas de calor entre o corpo e a água, determine o calor específico do material desconhecido. 2. Um objeto de massa 80 g a 920o C é colocado dentro de 400 g de água a 20o C. A temperatura de equilíbrio é 30o C, e o objeto e a água trocam calor somente entre si. Calcule o calor específico do objeto. O calor específico da água é 1 cal/ g. o C. 3. O alumínio tem calor específico 0,20 cal/g. o C e a água 1 cal/g. o C. Um corpo de alumínio, de massa 10 g e à temperatura de 80o C, é colocado em 10 g de água à temperatura de 20o C. Considerando que só há trocas de calor entre o alumínio e a água, determine a temperatura final de equilíbrio térmico. Questões 4. Diga, com suas palavras, o que você entende por "estado de equilíbrio térmico". 5. Quando dois corpos são colocados em contato, qual a condição necessária para que haja fluxo de calor entre eles? Calor latente "Quando uma substância está mudando de estado, ela absorve ou perde calor sem que sua temperatura varie. A quantidade de calor absorvida ou perdida é chamada calor latente." Q = m.L Q = quantidade de calor (cal) m = massa (g) L = calor latente da substância (cal/g) Exercícios 6. Calcule a quantidade de calor necessária para transformar 300 g de gelo a 0o C em água a 0o C, sabendo que o calor latente de fusão da água é LF = 80 cal/g. 7. Determine a quantidade de calor que se deve fornecer para transformar 70 g de água a 100o C em vapor de água a 100o C. Dado: calor latente de vaporização da água LV = 540 cal/g. 8. Uma substância de massa 200 g absorve 5000 cal durante a sua ebulição. Calcule o calor latente de vaporização. Questões 9. Uma pessoa está cozinhando batatas em uma panela aberta com "fogo baixo". Quando a água entra em ebulição, desejando abreviar o tempo necessário para o cozimento, essa pessoa passa a chama para "fogo alto". Ela conseguirá cozinhar as batatas mais depressa? Explique. 10.Onde se demora mais para cozinhar feijão: numa panela aberta no Rio de Janeiro (nível do mar) ou em La Paz (4.000 m de altitude). 11.Em um certo local, observa-se que a água, em uma panela aberta, entra em ebulição a 80o C. Esse local está abaixo ou acima do nível do mar? Explique. 12.Para cozer um determinado alimento, devemos mergulhá-lo em certa quantidade de água pura e submetê-lo por algum tempo à temperatura de 120o C. Que providência devemos tomar para cozê-lo? 13.Para esfriar um refrigerante, você usaria gelo a 0o C ou água a 0o C? Mudança de estado Exercícios 1. Qual a quantidade de calor que 50 g de gelo a -20o C precisam receber para se transformar em água a 40o C? Dado: cgelo = 0,5 cal/g. o C; cágua = 1 cal/g. o C; é LF = 80 cal/g. 2. Têm-se 20 g de gelo a -10o C. Qual a quantidade de calor que se deve fornecer ao gelo para que ele se transforme em água a 20o C? Dado: cgelo = 0,5 cal/g. o C; cágua = 1 cal/g. o C; é LF = 80 cal/g. 3. Quanto de calor será necessário para levar 100 g de água a 50o C para vapor d' água a 100o C? LV = 540 cal/g. 4. Que quantidade de calor se exige para que 200 g de gelo a -40o C se transformem em vapor d'água a 100o C? LV = 540 cal/g.
  • 6. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 5. O gráfico representa a temperatura de uma amostra de massa 20g de determinada substância, inicialmente no estado sólido, em função da quantidade de calor que ela absorve. Pede-se: a) a temperatura de fusão da substância; b) o calor latente de fusão da substância. t (o C) 60 .............................................. 40 ............ 20 0 20 50 90 Q (cal) 6. O gráfico abaixo representa a temperatura de uma amostra de 100g de determinado metal, inicialmente no estado sólido, em função da quantidade de calor que ela absorve. Pede-se: a) a temperatura de fusão do metal; b) o calor latente de fusão do metal. t (o C) 360 .............................................. 330 ............ 300 0 600 1200 1800 Q (cal) EXERCÍCIOS COPMPLEMENTARES 1-(Cefet)Sabendo que o calor especifico da água é igual a 1,0cal/gºC, a quantidade de calor para aquecer 1litro de água de 20 ºC para 36ºC é, em calorias, de: a)16 b)1000 c)16000 d)100000 e)16000000 2-Qual é a quantidade de energia que devemos usar para aquecer 100 g de água de 15ºC para 45ºC? calor específico sensível da água = 1,0 cal/gºC a) 1 kcal b) 2 kcal c) 3 kcal d) 4 kcal e) 5 kcal 3 - Um líquido inicialmente a 20ºC recebeu 80 kcal até atingir 60ºC. Sabendo que a massa do líquido é de 400 gdetermine o seu calor específico. a) 0,2 cal/gºC b) 0,3 cal/gºC c) 0,4 cal/gºC d) 0,5 cal/gºC e) 0,6 cal/gºC 4 – (PUC-RS) Uma piscina contém 20.000 litros de água. Sua variação de temperatura durante a noite é de – 5° C. Sabendo que o calor específico da água é de 1cal/g ° C, a energia, em kcal, perdida pela água ao longo da noite, em módulo, é a) 1.104 b) 1.105 c) 2.103 d) 9.103 e) 9.107 5-(PUC-RIO) Quanta energia deve ser dada a uma panela de ferro de 300 g para que sua temperatura seja elevada em 100 ºC? Considere o calor específico da panela como c = 450 J/ kg ºC. a) 300J b) 450J c) 750J d) 1750J e) 13500J 6-(PUC-RIO) Quanto calor precisa ser dado a uma placa de vidro de 0,3 kg para aumentar sua temperatura em 80 °C? (Considere o calor específico do vidro como 70 J/kg °C) a) 1060J b) 1567J c) 1680J d) 1867J e) 1976J 7-(PUC-MG) O gráfico abaixo mostra o aquecimento de um recipiente de alumínio ( c = 0,20 cal/g°C), de massa 600 g, que contém um determinado líquido em equilíbrio térmico. Nesse
  • 7. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 caso, é CORRETO dizer que a capacidade térmica do líquido, em cal/ °C é igual a: a) 60 b) 70 c) 80 d) 90 e) 100 8- Num experimento , aquece-se um corpo com o objetivo de determinar sua capacidade térmica. Para tanto, utiliza uma fonte térmica, de potência constante, que fornece 30 calorias por segundo e constrói o gráfico anterior. A capacidade térmica do corpo é: a) 15 cal/°C b) 20 cal/°C c) 30 cal/°C d) 40 cal/°C e) 50 cal/°C 9-(Cefet-2001) Tem-se 200g de gelo de um certo liquido a temperatura de 28ºC. Fornecendo-se 980cal diretamente a esse liquido, sua temperatura sobe para 35ºC. O valor do calor especifico do liquido é: a)1,35cal/gºC b)0,95cal/gºC c)1,0cal/gºC d)1,2cal/gºC e)0,7cal/gºC 10-(FUVEST) Misturam-se 200g de água a 0ºC com 250g de um determinado líquido a 40ºC, obtendo-se o equilíbrio térmico a 20ºC. Adotando o calor específico da água como sendo igual a 1 cal/g.ºC e desprezando trocas de calor com o ambiente, pergunta-se: Qual o calor específico do líquido em cal/g.ºC? a) 0,25 b) 0,50 c) 0,80 d) 1,00 e) 1,25 11-(FATEC-SP) Em 200g de água a 20ºC (Cág. = 1cal/g.ºC), mergulha-se um bloco metálico de 400g, a 50ºC. O equilíbrio térmico entre esses dois corpos ocorre a 30ºC. O calor específico do metal é, em cal/g.ºC de: a) 0,75 b) 4,0 c) 2,0 d) 0,5 e) 0,25 12-(UFPE) Um litro (1000g) de água, à temperatura de 20ºC é misturado com dois litros (2000g) de água que estavam inicialmente à temperatura de 50ºC. Supondo que as trocas de calor ocorram apenas entre estas massas de água, qual será a sua temperatura de equilíbrio térmico? a) 30ºC b) 35ºC c) 40ºC d) 43ºC e) 45ºC 13-(UEL) Misturam-se 120g de um líquido a 100ºC com 40g do mesmo líquido a 20ºC. Supondo que só houve troca de calor entre as duas porções do líquido, a temperatura de equilíbrio térmico, em graus Celsius, é igual a: a) 40 b) 50 c) 60 d) 80 e) 84
  • 8. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 14-(Unifor-CE) Um corpo de massa m a 270o C é colocado em um recipiente, onde existe idêntica massa de água a 50o C, obtendo-se uma temperatura de equilíbrio igual a 70o C. Admitindo que somente houve troca de calor entre o corpo e a água, o calor específico do corpo, em cal/goC, é igual a: a) 0,010 b) 0,030 c) 0,054 d) 0,20 e) 0,10 15- (UFAL) O calor de combustão de uma substância é a quantidade de calor que ela fornece por unidade de massa que sofre combustão total. Sabendo-se que o calor de combustão do álcool é de 6400 cal/g pode-se afirmar que a massa mínima de álcool a ser utilizada como combustível para fundir um bloco de gelo de 400 g a 0 o C é, em grama, de: Dado:calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g a) 2 b) 4,0 x 102 c) 1,6 x 10 d) 6,4 x 10 e) 5 16-(ESAL-MG) O gráfico representa a temperatura θ de uma substância de massa 20 g, inicialmente sólida, em função da quantidade de calor recebido Q. Podemos afirmar que a capacidade térmica no estado sólido, o calor latente de fusão e o calor específico no estado líquido dessa substância valem, respectivamente: a) 5 cal/0 C; 10 cal; 0,5 cal/g 0 C b) 10 cal/0 C; 5 cal/g; 1 cal/g 0 C c) 4 cal/0 C; 2 cal/g; 5 cal/g 0 C d) 5 cal/0 C; 0,5 cal/g; 10 cal/g 0 C e) 10 cal/0 C; 5 cal/g; 0,25 cal/g 0 C 17(UERJ) Uma bolinha de aço a 120º C é colocada sobre um pequeno cubo de gelo a 0º C. Em escala linear, o gráfico que melhor representa a variação, no tempo, das temperaturas da bolinha de aço e do cubo de gelo, até alcançarem um estado de equilíbrio, é: 18-(PUC-PR) Um bloco de gelo, inicialmente a - 10 0C, tem massa de 500 g. Qual a quantidade de calor necessária para transformá-lo em igual quantidade de água, a 20 0C? Dados: cgelo = 0,5 cal/g 0C, cágua = 1,0 cal/g 0C, Lf 80 cal/g. a) 0,05 kcal b) 0,52 kcal c) 5,25 kcal d) 525 kcal e) 52,5 kcal
  • 9. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 19-(Cesgranrio-RJ) Que quantidade de calor deve-se retirar de 1,00 kg de água inicialmente e 20 0C. para transformá-lo totalmente em gelo a 0 0C? (Lf gelo = 80 cal/g) a) 20 kcal b) 80 kcal c) 40 kcal d) 100 kcal e) 60 kcal 20. (EFO Alfenas- MG) A quantidade de calor necessária para transformar 50 g de água a 20 o C em vapor de água a 140 o C é: Dados: calor específico da água = 1 cal/go C calor latente de vaporização da água = 540 cal/g calor específico do vapor de água = 0,5 cal/go C a) 27 000 cal b) 32 000 cal c) 1 000 cal d) 4 000 cal e) 64 000 cal GABARITO: 1C 2C 3D 4B 5E 6C 7C 8A 9E 10C 11A 12C 13D 14E 15E 16E 17D 18E 19D 20B DILATAÇÃO TÉRMICA Dilatação linear L0 t0 L t L  L = L - L0  t = t - t0  L = .L0.  t L = Lo (1 + .  t )  L = variação no comprimento  = coeficiente de dilatação linear (o C-1 )  t = variação da temperatura (o C) Exercícios 7. Qual o aumento de comprimento que sofre uma extensão de trilhos de ferro com 1000 m ao passar de 0o C para 40o C, sabendo-se que o coeficiente de dilatação linear do ferro é 12.10-6 o C-1 ? 8. Um cano de cobre de 4 m a 20o C é aquecido até 80o C. Dado  do cobre igual a 17.10-6 o C-1 , de quanto aumentou o comprimento do cano? 9. O comprimento de um fio de alumínio é de 30 m, a 20o C. Sabendo-se que o fio é aquecido até 60o C e que o coeficiente de dilatação linear do alumínio é de 24.10-6 o C-1 , determine a variação no comprimento do fio. 10.Uma barra de ferro tem, a 20o C, um comprimento igual a 300 cm. O coeficiente de dilatação linear do ferro vale 12.10-6 o C-1 . Determine o comprimento da barra a 120o C. 11.Um tubo de ferro,  = 12.10-6 o C-1 , tem 10 m a -20o C. Ele foi aquecido até 80o C. Calcule o comprimento a final do tubo. 12.Uma barra de determinada substância é aquecida de 20o C para 220o C. Seu comprimento à temperatura de 20o C é de 5,000 cm e à temperatura de 220o C é de 5,002 cm. Determine o coeficiente de dilatação linear da substância. Dilatação superficial t0 t  A = A - A0  A = .A0.  t A = Ao (1 + . t )  = 2  A = variação da superfície  = coeficiente de dilatação superficial (o C-1 )  t = variação da temperatura (o C) A0 A
  • 10. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Exercícios 1. Uma chapa de zinco tem área de 8 cm2 a 20o C. Calcule a sua área a 120o C. Dado:  zinco = 52. 10-6 o C-1 . 2. Uma chapa de chumbo tem área de 900 cm2 a 10o C. Determine a área de sua superfície a 60o C. O coeficiente de dilatação superficial do chumbo vale 54. 10-6 o C-1 . 3. Uma chapa de alumínio,  = 48.10-6 o C-1 , tem área de 2 m2 a 10o C. Calcule a variação de sua área entre 10o C e 110o C. 4. A variação da área de uma chapa é 0,04 cm2 , quando a temperatura passa de 0o C para 200o C. Se a área inicial da chapa era 100 cm2 , determine o coeficiente de dilatação superficial da chapa. Questões 5. Num bar, dois copos se encaixaram de tal forma que o balconista não consegue retirar um de dentro do outro. Mergulhando o copo de baixo em água quente, os corpos se soltaram. Por quê? 6. Explique por que um copo de vidro comum provavelmente se quebrará se você o encher parcialmente com água fervendo. 7. Ao colocar um fio de cobre entre dois postes, num dia de verão, um eletricista não deve deixá-lo muito esticado. Por quê? 8. Como se pode comprovar a dilatação linear de um sólido? Dilatação volumétrica t0 t  V = V - V0  V =  .V0.  t V = Vo (1 +  .  t )  = 3   V = variação do volume  = coeficiente de dilatação volumétrica (o C-1 )  t = variação da temperatura (o C) Exercícios 9. Um petroleiro recebe uma carga 107 barris de petróleo no Golfo Pérsico, a uma temperatura de 50o C. Qual a perda em barris, por efeito de contração térmica, que esta carga apresenta quando á descarregada no Brasil, a uma temperatura de 10o C? Dado:  petróleo = 10-3 o C-1 . 10.Ao ser aquecido de 10o C para 210o C, o volume de um corpo sólido aumenta 0,02 cm3 . Se o volume do corpo a 10o C era 100 cm3 , determine os coeficientes de dilatação volumétrica e linear do material que constitui o corpo. Questões 11.Um pino deve se ajustar ao orifício de uma placa à temperatura de 20o C. No entanto, verifica-se que o orifício é pequeno para receber o pino. Que procedimentos podem permitir que o pino se ajuste ao orifício? 12.Tendo enchido completamente o tanque de gasolina de seu carro, uma pessoa deixou o automóvel estacionado ao sol. Depois de um certo tempo, verificou que, em virtude da elevação da temperatura, uma certa quantidade de gasolina havia entornado. A) O tanque de gasolina dilatou? B) A quantidade que entornou representa a dilatação real que a gasolina sofreu? EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES Dilatação Térmica 1. (Puc-rio) A imprensa tem noticiado as temperaturas anormalmente altas que vêm ocorrendo no atual verão, no hemisfério norte. Assinale a opção que indica a dilatação (em cm) que um trilho de 100 m sofreria devido a uma variação de temperatura igual a 20 °C, sabendo que o coeficiente linear de dilatação térmica do trilho vale  = 1,2 x 10-5 por grau Celsius. a) 3,6 b) 2,4 V0 V
  • 11. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 c) 1,2 d) 1,2 x 10-3 e) 2,4 x 10-3 2. (Uerj) Em uma casa emprega-se um cano de cobre de 4 m a 20°C para a instalação de água quente. Dado:  = 2,4 x 10-5 O aumento do comprimento do cano, quando a água que passa por ele estiver a uma temperatura de 60°C, corresponderá, em milímetros, a: 3. (Mackenzie ) Num laboratório situado na orla marítima paulista, uma haste de ferro de 50cm de comprimento está envolta em gelo fundente. Para a realização de um ensaio técnico, esta barra é colocada num recipiente contendo água em ebulição, até atingir o equilíbrio térmico. A variação de comprimento sofrida pela haste foi de: (Dado:  (Fe) = 1,2.10-5 °C-1 ) a) 12 mm b) 6,0 mm c) 1,2 mm d) 0,60 mm e) 0, 12 mm 4. (Ufes ) Uma barra de metal tem comprimento igual a 10,000m a uma temperatura de 10,0°C e comprimento igual a 10,006m a uma temperatura de 40°C. O coeficiente de dilatação linear do metal é a) 1,5 × 10-4 °C-1 b) 6,0 × 10-4 °C-1 c) 2,0 × 10-5 °C-1 d) 2,0 × 10-6 °C-1 e) 3,0 × 10-6 °C-1 5. (Ita ) Você é convidado a projetar uma ponte metálica, cujo comprimento será de 2,0km. Considerando os efeitos de contração e expansão térmica para temperaturas no intervalo de -40°F a 110°F e o coeficiente de dilatação linear do metal é de 12x10-6 °C-1 , qual a máxima variação esperada no comprimento da ponte?(O coeficiente de dilatação linear é constante no intervalo de temperatura considerado). a) 9,3 m b) 2,0 m c) 3,0 m d) 0,93 m e) 6,5 m 6. (Cesgranrio ) O comprimento L de uma barra de latão varia, em função da temperatura š, segundo o gráfico a seguir. Assim, o coeficiente de dilatação linear do latão, no intervalo de 0°C a 100°C, vale: a) 2,0.10-5 /°C b) 5,0.10-5 /°C c) 1,0.10-4 /°C d) 2,0.10-4 /°C e) 5,0.10-4 /°C 7. (Fei ) Duas barras, sendo uma de ferro e outra de alumínio, de mesmo comprimento l = 1m a 20°C, são unidas e aquecidas até 320°C. Sabe-se que o coeficiente de dilatação linear do ferro é de 12.10-6 °C-1 e do alumínio é 22.10-6 °C-1 . Qual é o comprimento final após o aquecimento? a) 2,0108 m b) 2,0202 m c) 2,0360 m d) 2,0120 m e) 2,0102 m
  • 12. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 8. (Unesp) Duas lâminas metálicas, a primeira de latão e a segunda de aço, de mesmo comprimento à temperatura ambiente, são soldadas rigidamente uma à outra, formando uma lâmina bimetálica, conforme a figura a seguir. O coeficiente de dilatação térmica linear do latão é maior que o do aço. A lâmina bimetálica é aquecida a uma temperatura acima da ambiente e depois resfriada até uma temperatura abaixo da ambiente. A figura que melhor representa as formas assumidas pela lâmina bimetálica, quando aquecida (forma à esquerda) e quando resfriada (forma à direita), é 09. (Uel) Uma chapa de zinco, cujo coeficiente de dilatação linear é 25.10-6 °C-1 , sofre elevação de 10°C na sua temperatura. Verifica-se que a área da chapa aumenta de 2,0 cm2 . Nessas condições, a área inicial da chapa mede, em cm2 , a) 2,0.102 b) 8,0.102 c) 4,0.103 d) 2,0.104 e) 8,0.104 10. (Ufes ) Uma placa metálica tem a sua temperatura elevada uniformemente de 20°C para 30°C. No final do processo, verifica-se que a razão entre as áreas final Af e inicial Ai é Af/Ai=1,001. Com esses dados podemos afirmar que o coeficiente de dilatação linear do material da placa, em °C-1 , é a) 1 × 10-5 b) 2 × 10-5 c) 3 × 10-4 d) 4 × 10-5 e) 5 × 10-5 11. (Ita ) Um pequeno tanque, completamente preenchido com 20,0L de gasolina a 0°F, é logo a seguir transferido para uma garagem mantida à temperatura de 70°F. Sendo =0,0012°C-1 o coeficiente de expansão volumétrica da gasolina, a alternativa que melhor expressa o volume de gasolina que vazará em conseqüência do seu aquecimento até a temperatura da garagem é a) 0,507L b) 0,940L c) 1,68L d) 5,07L e) 0,17L 12. (Fgv ) O dono de um posto de gasolina recebeu 4000L de combustível por volta das 12 horas, quando a temperatura era de 35°C. Ao cair da tarde, uma massa polar vinda do Sul baixou a temperatura para 15°C e permaneceu até que toda a gasolina fosse totalmente vendida. Qual foi o prejuízo, em litros de combustível, que o dono do posto sofreu? (Dados: coeficiente de dilatação do combustível é de 1,0. 10-3 °C-1 ) a) 4L b) 80L c) 40L d) 140L e) 60L 13. (Ufu ) Um frasco de capacidade para 10 litros está completamente cheio de glicerina e encontra-se à temperatura de 10°C. Aquecendo-se o frasco com a glicerina até atingir 90°C, observa-se que 352 ml de glicerina transborda do frasco. Sabendo-se que o coeficiente de dilatação volumétrica da glicerina é 5,0 × 10-4 °C-1 , o coeficiente de dilatação linear do frasco é, em °C-1 . a) 6,0 × 10-5 . b) 2,0 × 10-5 . c) 4,4 × 10-4 . d) 1,5 × 10-4 .
  • 13. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 14. (UFES) A uma temperatura ambiente T, uma placa de granito encontra-se sobre um ressalto e é mantida perfeitamente na horizontal por dois cilindros sólidos, como mostra a figura abaixo. Sobre a placa, é colocada uma esfera em repouso, de tal forma que a menor inclinação a faz rolar. O comprimento do cilindro menor é L e seu coeficiente de dilatação linear é . O comprimento do cilindro maior é 3L/2 . Sabe-se que essa esfera, para qualquer variação da temperatura ambiente, permanece em repouso. O coeficiente de dilatação linear do cilindro maior é A) 2/3 B)  C) 3/2 D) /3 E) 3 Gabarito TRANSMISSÃO DE CALOR Condução térmica "A condução térmica consiste numa transferência de energia de vibração entre as moléculas que constituem o sistema." Questões 1. O isopor é formado por finíssimas bolsas de material plástico, contendo ar. Por que o isopor é um bom isolante térmico? 2. Os esquimós constróem seus iglus com blocos de gelo, empilhando-os uns sobre os outros. Se o gelo tem uma temperatura relativamente baixa, como explicar esse seu uso como "material de construção"? 3. Num antigo jingle de uma propaganda, ouvia-se o seguinte diálogo: - Toc, toc, toc, - Quem bate? - É o frio! E no final eram cantados os seguintes versos: "Não adianta bater, eu não deixo você entrar, os cobertores das Casas Pernambucanas é que vão aquecer o meu lar". Que comentário você tem a fazer sobre a veracidade física dessa propaganda? 4. Qual a aplicação prática dos materiais isolantes térmicos? 5. Por que a serragem é melhor isolante térmico que a madeira? 6. Um faquir resolveu fazer uma demonstração de sua arte entrando em um forno muito aquecido. Para que ele sinta a menor sensação de "calor" possível, é preferível que ele vá nu ou envolto em roupa de lã? Por quê? 7. Explique por que, em países de clima frio, costumam-se usar janelas com vidraças duplas. Esse tipo de janela chega a reduzir em até 50% as perdas de calor para o exterior. 8. Num mesmo ambiente, se você tocar um objeto metálico com uma mão e um objeto de madeira com a outra, vai sentir que o primeiro está "mais frio" que o segundo. Como você explica esse fenômeno se os dois objetos estão no mesmo ambiente e, portanto, na mesma temperatura? 9. Por que as panelas, em geral, têm seus cabos metálicos revestidos com madeira ou plástico? Convecção térmica "A convecção térmica é a propagação que ocorre nos fluidos (líquidos, gases e vapores) em virtude de uma diferença de densidades entre partes do sistema." Questões 10.Por que, em uma geladeira, o congelador é colocado na parte superior e não na inferior? 11.Com base na propagação de calor, explique por que, para gelar o chope de um barril, é mais eficiente colocar gelo na parte superior do que colocar o barril sobre uma pedra de gelo. 12.Um aparelho de refrigeração de ar deve ser instalado em local alto ou baixo num escritório? E um aquecedor de ar? Por quê? Irradiação térmica "A irradiação é a transmissão de por intermédio de ondas eletromagnéticas. Nesse processo, somente a energia se propaga, não sendo necessário nenhum meio material."
  • 14. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Questões 13.Sabemos que o calor pode ser transferido, de um ponto para outro, por condução, convecção e radiação. Em qual desses processos a transmissão pode ocorrer mesmo que não haja um meio material entre os dois pontos? 14.Os grandes tanques, usados para armazenar gasolina (ou outros combustíveis), costumam ser pintados externamente com tinta prateada. Por quê? 15.Os prédios totalmente envidraçados precisam de muitos aparelhos de ar condicionado? Por quê? 16.Como se dá a propagação do calor do Sol até a Terra se entre esses astros não existe meio material? 17.Desenhe esquematicamente uma garrafa térmica e explique o seu funcionamento. ESTUDO DOS GASES gás ... Transformação Isotérmica "Transformação de um gás sob temperatura constante." P1.V1 = P2.V2 P = pressão do gás V = volume do gás Transformação Isobárica "Transformação a pressão constante." 2 2 1 1 T V T V  T = tc + 273 T = temperatura do gás em graus Kelvin tc = temperatura em graus Celsius Transformação Isométrica "Transformação a volume constante." 2 2 1 1 T P T P  Lei geral dos gases perfeitos 2 22 1 11 T V.P T V.P  Exercícios 1. Na temperatura de 300 K e sob pressão de 1 atm, uma massa de gás perfeito ocupa o volume de 10 litros. Calcule a temperatura do gás quando, sob pressão de 2 atm, ocupa o volume de 20 litros. 2. Dentro de um recipiente de volume variável estão inicialmente 20 litros de gás perfeito à temperatura de 200 K e pressão de 2 atm. Qual será a nova pressão, se a temperatura aumentar para 250 K e o volume for reduzido para 10 litros? 3. Um balão de borracha continha 3 litros de gás hélio, à temperatura de 27o C, com pressão de 1,1 atm. Esse balão escapuliu e subiu. À medida que o balão foi subindo, a pressão atmosférica foi diminuindo e, por isso, seu volume foi aumentando. Quando o volume atingiu 4 litros, ele estourou. A temperatura do ar naquela altura era 7o C. Calcule a pressão do gás em seu interior imediatamente antes de estourar. 4. Um gás ocupa o volume de 20 litros à pressão de 2 atmosferas. Qual é o volume desse gás à pressão de 5 atm, na mesma temperatura? 5. Um gás mantido à pressão constante ocupa o volume de 30 litros à temperatura de 300 K. Qual será o seu volume quando a temperatura for 240 K? 6. Num recipiente de volume constante é colocado um gás à temperatura de 400 K e pressão de 75 cmHg. Qual é a pressão à temperatura de 1200 K? 7. Sob pressão de 5 atm e à temperatura de 0o C, um gás ocupa volume de 45 litros. Determine sob que pressão o gás ocupará o volume de 30 litros, se for mantida constante a temperatura. 8. Uma certa massa de gás hélio ocupa, a 27o C, o volume de 2 m3 sob pressão de 3 atm. Se reduzirmos o volume à metade e triplicarmos a pressão, qual será a nova temperatura do gás? 9. Num dia de tempestade, a pressão atmosférica caiu de 760 mmHg para 730
  • 15. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 mmHg. Nessas condições, qual o volume final de uma porção de ar que inicialmente ocupava 1 litro? (Suponha que a temperatura não tenha variado) 10.O gráfico representa a isobára para certa quantidade de um gás perfeito. Determine a temperatura TA. V(m3 ) 60 ........................... . 40 ............... . . . . . 0 TA 450 K T(k) EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1-(Fuvest) Um congelador doméstico ("freezer") está regulado para manter a temperatura de seu interior a -18°C. Sendo a temperatura ambiente igual a 27°C (ou seja, 300K), o congelador é aberto e, pouco depois, fechado novamente. Suponha que o "freezer" tenha boa vedação e que tenha ficado aberto o tempo necessário para o ar em seu interior ser trocado por ar ambiente. Quando a temperatura do ar no "freezer" voltar a atingir -18°C, a pressão em seu interior será: a) cerca de 150% da pressão atmosférica. b) cerca de 118% da pressão atmosférica. c) igual a pressão atmosférica. d) cerca de 85% da pressão atmosférica. e) cerca de 67% da pressão atmosférica. 2-(Cesgranrio ) Um gás ideal evolui de um estado A para um estado B, de acordo com o gráfico representado a seguir. A temperatura no estado A vale 80K. Logo, sua temperatura no estado B vale: a) 120K. b) 180K. c) 240K. d) 300K. e) 360K. 3-(Mackenzie ) Um gás perfeito a 27°C apresenta volume de 600cm3 sob pressão de 2,0 atm. Ao aumentarmos a temperatura para 47°C e reduzirmos o volume para 400cm3, a pressão do gás passará para: a) 4,0 atm. b) 3,2 atm. c) 2,4 atm. d) 1,6 atm. e) 0,8 atm. 4-(Mackenzie ) Certa massa de um gás ideal sofre uma transformação na qual a sua temperatura em graus celsius é duplicada, a sua pressão é triplicada e seu volume é reduzido à metade. A temperatura do gás no seu estado inicial era de: a) 127 K b) 227 K c) 273 K d) 546 K e) 818 K 5-(Cesgranrio ) Um gás ideal passa de um estado A para um estado B, conforme indica o esquema a seguir: Chamando de TA e TB as temperaturas do gás nos estados A e B, respectivamente, então: a) TA = TB b) TA = 2TB c) TB = 2TA d) TA = 4TB e) TB = 4TA 6-(Unirio ) Certa massa de gás ideal sofre uma transformação isobárica na qual sua temperatura absoluta é reduzida à metade. Quanto ao volume desse gás, podemos afirmar que irá: a) reduzir-se à quarta parte. b) reduzir-se à metade. c) permanecer constante. d) duplicar.
  • 16. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 e) quadruplicar. 7- (Puccamp ) Um gás perfeito é mantido em um cilindro fechado por um pistão. Em um estado A, as suas variáveis são: pA=2,0atm; VA=0,90litros; tA=27°C. Em outro estado B, a temperatura é tB=127°c e a pressão é pB=1,5atm. Nessas condições, o volume VB, em litros, deve ser a) 0,90 b) 1,2 c) 1,6 d) 2,0 e) 2,4 8-(Uel ) Um recipiente rígido de 50 litros contém gás perfeito à pressão de 0,80atm e temperatura de 27°C. Quando a temperatura aumentar para 57°C, a pressão, em atmosferas, aumentará para a) 0, 88 b) 0,92 c) 0, 96 d) 1,0 e) 1,3 9-(Ufrs ) O diagrama abaixo representa a pressão (p) em função da temperatura absoluta (T), para uma amostra de gás ideal. Os pontos A e B indicam dois estados desta amostra. Sendo VA e VB os volumes correspondentes aos estados indicados, podemos afirmar que a razão VB/VA é a) 1/4. b) 1/2. c) 1. d) 2. e) 4. 10-(Puc-rio ) Uma câmara fechada, de paredes rígidas contém ar e está sob pressão atmosférica e à temperatura de 20°C. Para dobrar a pressão na câmara, o ar deve ser esquentado para: a) 546°C b) 586°C c) 40°C d) 293°C e) 313°C 11-(Ufv ) Um gás ideal encontra-se inicialmente a uma temperatura de 150°C e a uma pressão de 1,5 atmosferas. Mantendo-se a pressão constante seu volume será dobrado se sua temperatura aumentar para, aproximada-mente: a) 75°C b) 450°C c) 300°C d) 846°C e) 573°C 12-(PUC-SP) Uma certa massa de gás sofre transformações de acordo com o gráfico. Sendo a temperatura emA de 1.000 K, as temperaturas em B e C valem, em Kelvin, respectivarnente: a) 500 e 250 b) 750 e 500 c) 750 e 250 d) 1 000 e 750 e) 1 000 e 500 13-(UFAL) Na tabela abaixo, I,II e III representam estados de uma mesma amostra de um gás perfeito. Pressão (Atm) Volume (L) Temperatura (K) I 1,0 3,0 300 II 1,5 3,0 X III 2,0 y 600 Para completar corretamente a tabela, x e y devem ser substituídos, respectivamente, por: a) 300 e 2,0 b) 450 e 3,0 c) 600 e 4,5 d) 300 e 3,0 e) 450 e 4,5 Gabarito: 1D 2D 3B 4D 5B 6B 7C 8A 9C 10E 11E 12E 13B
  • 17. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 TERMODINÂMICA "A termodinâmica estuda as relações entre o calor trocado e o trabalho realizado numa transformação de um sistema." Trabalho realizado por um gás gás  = P.  V  = trabalho realizado pelo gás P = pressão exercida pelo gás  V = variação do volume  V = V2 - V1 Na expansão, Vfinal > Vinicial   > 0 (o gás realiza trabalho) Na compressão, Vfinal < Vinicial   < 0 (o gás recebe trabalho do meio exterior) Exercícios 1. Numa transformação sob pressão constante de 800 N/m2 , o volume de um gás ideal se altera de 0,020 m3 para 0,060 m3 . Determine o trabalho realizado durante a expansão do gás. 2. Um gás ideal , sob pressão constante de 2.105 N/m2 , tem seu volume reduzido de 12.10-3 m3 para 8.10-3 m3 . Determine o trabalho realizado no processo. 3. Sob pressão constante de 50 N/m2 , o volume de um gás varia de 0,07 m3 a 0,09 m3 . A) o trabalho foi realizado pelo gás ou sobre o gás pelo meio exterior? B) Quanto vale o trabalho realizado? Trabalho pela área Propriedade: "O trabalho é numericamente igual a área, num gráfico da pressão em função da variação do volume." P  = área V1 V2 V Exercícios 4. As figuras representam a transformação sofrida por um gás. Determinar o trabalho realizado de A para B em cada processo. a) P (N/m2 ) A B 20 0 5 V (m3 ) b) P (N/m2 ) A 30 B 0 6 V (m3 ) c) P (N/m2 ) A B 10 ......... 0 2 5 V (m3 ) Primeiro princípio da termodinâmica Q  U  Q =  U +  Q = quantidade de calor  U = variação da energia interna  = trabalho Q (absorvido) > 0 e Q ( cedido) < 0  (expansão) > 0 e  (compressão) < 0  U = Ufinal - Uinicial
  • 18. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Exercícios 1. Num dado processo termodinâmico, certa massa de um gás recebe 260 joules de calor de uma fonte térmica. Verifica-se que nesse processo o gás sofre uma expansão, tendo sido realizado um trabalho de 60 joules. Determine a variação da energia interna. 2. Um gás recebe um trabalho de 150 J e absorve uma quantidade de calor de 320 J. Determine a variação da energia interna do sistema. 3. Um gás passa de um estado a outro trocando energia com o meio. Calcule a variação da energia interna do gás nos seguintes casos: a)o gás recebeu 100 J de calor e realizou um trabalho de 80 J. b) o gás recebeu 100J de calor e o trabalho realizado sobre ele é 80 J. c) o gás cedeu 100 J de calor e o trabalho realizado sobre ele é 80 J. 4. Durante um processo, são realizados 100 J de trabalho sobre um sistema, observando-se um aumento de 50 J em sua energia interna. Determine a quantidade de calor trocada pelo sistema, especificando se foi adicionado ou retirado. 5. São fornecidos 14 J para aquecer certa massa de gás a volume constante. Qual a variação na energia interna do gás? Segundo princípio da termodinâmica Q1 Q2   = Q1 - Q2 Q1 = quantidade de calor fornecida para a máquina térmica.  = trabalho obtido Q2 = quantidade de calor perdida. Rendimento da máquina térmica 1Q   Exercícios 6. Uma máquina térmica recebe 100 joules de energia, mas devido às perdas por aquecimento, ela aproveita somente 50 joules. Determine o rendimento dessa máquina. 7. Um motor elétrico recebe 80 J de energia, mas aproveita efetivamente apenas 60 J. Qual é o rendimento do motor? 8. Uma máquina térmica, em cada ciclo, rejeita para a fonte fria 240 joules dos 300 joules que retirou da fonte quente. Determine o trabalho obtido por ciclo nessa máquina e o seu rendimento. 9. O rendimento de uma máquina térmica é 60%. Em cada ciclo dessa máquina, o gás recebe 800 joules da fonte quente. Determine: a) o trabalho obtido por ciclo; b) a quantidade de calor que, em cada ciclo, é rejeitada para a fonte fria. 10.Uma máquina térmica tem 40% de rendimento. Em cada ciclo, o gás dessa máquina rejeita 120 joules para a fonte fria. Determine: a) o trabalho obtido por ciclo nessa máquina; b) a quantidade de calor que o gás recebe, do ciclo, da fonte quente. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 01-(Unesp) A primeira lei da termodinâmica diz respeito à: a) dilatação térmica b) conservação da massa c) conservação da quantidade de movimento d) conservação da energia e) irreversibilidade do tempo 02-(FAM-SP) Se a energia cinética média das moléculas de um gás aumentar e o volume permanecer constante: a) a pressão do gás aumentará e a sua temperatura permanecerá constante b) a pressão permanecerá constante e a temperatura aumentara c) a pressão e a temperatura aumentarão d) a pressão diminuirá e a temperatura aumentará e) a temperatura diminuirá e a pressão permanecerá constante Fonte Quent e T1 Font e Fria T2 Máquina Térmica
  • 19. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 03-(UEL-PR) A figura abaixo representa uma transformação cíclica de um gás ideal. O módulo do trabalho realizado nos 2 trechos AB, BC e CA, em joules, é respectivamente de: a) 200, 100, 0 b) 100, 100, 100 c) 0, 300, 100 d) 0, 200, 300 e) 100, 200, 300 04-(ITA-SP) O gráfico a seguir representa um ciclo de um sistema termodinâmico hipotético, num diagrama pressão X volume. O trabalho produzido por esse gás nesse ciclo é de aproximadamente: a) 6,0. 105 J b) 9,0. 10 5 J c) 3,0. 10 6 J d) 9,0. 106 J e) 6,0. 106 J 05-(UFSM-RS) Na figura estão representados processos nos quais um sistema termodinâmico passa do estado inicial i ao estado final f. O trabalho realizado pelo sistema é máximo no processo: a) iaf b) ibf c) icf d) idf 06-(UECE) Nas transformações isotérmicas dos gases perfeitos, é incorreto afirmar que: a) Não há variação de temperatura. b) A variação da energia interna do gás é nula. c) Não ocorre troca de calor entre o gás e o ambiente. d) O calor trocado pelo gás com o exterior é igual ao trabalho realizado no mesmo processo. 07-(UFRN) Um sistema termodinâmico realiza um trabalho de 40 kcal quando recebe 30 kcal de calor. Nesse processo, a variação de energia interna desse sistema é de: a) -10 kcaI b) 20 kcal c) zero d) 35 kcal e) 10 kcal 08-(PUC-RS) Um sistema recebe 300 cal de uma fonte térmica, ao mesmo tempo em que realiza um trabalho de 854 J. Sabendo-se que 1 cal é igual a 4,18 J, pode-se afirmar que a energia interna do sistema aumenta: a) 300 J b) 554 J c) 1254 J d) 400 J e) 1154 J 09-(PUC-SP) Um gás perfeito realiza um ciclo de Carnot. A temperatura da fonte fria é de 127 0 C e a da fonte quente é de 427 0 C. O rendimento do ciclo é: a) 3,4% b) 70% c) 43% d) 57% e) 7% 10-(ÉSAL-MG) Uma máquina térmica ideal funciona segundo o ciclo de Carnot. Em cada ciclo, o trabalho útil fornecido pela máquina é de 2.000 J. Sabendo que as temperaturas das fontes quente e fria são respectivamente, 127 0 C e 27 0 C podemos dizer que a quantidade de calor rejeitada para a fonte fria é: a) 6 . 10 3 J b) 4 . 103 J c) 7 . 10 3 J d) 5 . 103 J e) zero 11-(UFU-MG) Um gás está confinado em um cilindro provido de um pistão. Ele é aquecido, mas seu volume não é alterado. É possível afirmar que: a) A energia interna do gás não varia. b) O trabalho realizado nesta transformação é nulo. c) O pistão sobe durante o aquecimento. d) A força que o gás exerce sobre o pistão permanece constante. e) A energia cinética média das partículas do gás diminui. 12-(UFRN) As seguintes afirmativas se referem a um gás ideal. I) Sempre que o gás recebe calor, sua temperatura aumenta. II) Se o gás recebe calor e sua energia interna não varia, então seu volume aumenta. III) Se o gás sofre uma transformação isotérmica, tem- se T = Q (T = temperatura e Q = calor). IV) Se o gás sofre uma expansão adiabática, a pressão e a temperatura diminuem. A letra que contém as afirmativas corretas é: a) l e Il b) l e III c) III e IV d) lI e IlI e) ll e IV 13-(Unirio 97) Qual é a variação de energia interna de um gás ideal sobre o qual é realizado um trabalho de 80J durante uma compressão isotérmica? a) 80J b) 40J c) Zero d) - 40J e) - 80J 14-(Ufrs) Enquanto se expande, um gás recebe o calor Q=100J e realiza o trabalho W=70J. Ao final do processo, podemos afirmar que a energia interna do gás a) aumentou 170 J. b) aumentou 100 J. c) aumentou 30 J. d) diminuiu 70 J. e) diminuiu 30 J.
  • 20. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 15-(Ufes) Um cilindro de parede lateral adiabática tem sua base em contato com uma fonte térmica e é fechado por um êmbolo adiabático pesando 100N. O êmbolo pode deslizar sem atrito ao longo do cilindro, no interior do qual existe uma certa quantidade de gás ideal. O gás absorve uma quantidade de calor de 40J da fonte térmica e se expande lentamente, fazendo o êmbolo subir até atingir uma distância de 10cm acima da sua posição original. Nesse processo, a energia interna do gás a) diminui 50 J. b) diminui 30 J. c) não se modifica. d) aumenta 30 J. e) aumenta 50 J. 16-(Ufmg) A Primeira Lei da Termodinâmica estabelece que o aumento U da energia interna de um sistema é dado por U=Q - W, onde Q é o calor recebido pelo sistema, e W é o trabalho que esse sistema realiza. Se um gás real sofre uma compressão adiabática, então, a) Q = U. b) Q = W. c) W = 0. d) Q = 0. e) U = 0. 17-(Uel) Uma determinada máquina térmica deve operar em ciclo entre as temperaturas de 27°C e 227°C. Em cada ciclo ela recebe 1000 cal da fonte quente. O máximo de trabalho que a máquina pode fornecer por ciclo ao exterior, em calorias, vale a) 1000 b) 600 c) 500 d) 400 e) 200 18-(Uel) Uma máquina térmica de Carnot é operada entre duas fontes de calor a temperaturas de 400K e 300K. Se, em cada ciclo, o motor recebe 1200 calorias da fonte quente, o calor rejeitado por ciclo à fonte fria, em calorias, vale a) 300 b) 450 c) 600 d) 750 e) 900 19-(Ufscar) Maxwell, notável físico escocês da segunda metade do século XIX, inconformado com a possibilidade da morte térmica do Universo, conseqüência inevitável da Segunda Lei da Termodinâmica, criou o "demônio de Maxwell", um ser hipotético capaz de violar essa lei. Essa fictícia criatura poderia selecionar as moléculas de um gás que transitassem entre dois compartimentos controlando a abertura que os divide, como ilustra a figura. Por causa dessa manipulação diabólica, as moléculas mais velozes passariam para um compartimento, enquanto as mais lentas passariam para o outro. Se isso fosse possível, a) esse sistema nunca entraria em equilíbrio térmico. b) esse sistema estaria em equilíbrio térmico permanente. c) o princípio da conservação da energia seria violado. d) não haveria troca de calor entre os dois compartimentos. e) haveria troca de calor, mas não haveria troca de energia. GABARITO 1D 2C 3D 4E 5A 6C 7A 8D 9C 10A 11B 12E 13C 14C 15D 16D 17D 18E 19A.
  • 21. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 ÓPTICA GEOMÉTRICA Conceitos a) Corpo luminoso: são os corpos que emitem luz própria. Exemplo: o Sol, as estrelas, a chama de uma vela, etc. b) Corpo iluminado: são os corpos que refletem a luz que recebem a luz de outros corpos. Exemplo: a luz. c) Corpos opacos: são os corpos que impedem a passagem da luz. d) Corpos transparentes: são os corpos que se deixam atravessar totalmente pela luz. e) Corpos translúcidos: são os corpos que se deixam atravessar parcialmente pela luz. Princípios da Óptica Geométrica 1º) Princípio da propagação retilínea da luz: Num meio homogêneo e transparente, a luz se propaga em linha reta. 2º) Princípio da reversibilidade dos raios de luz: O caminho seguido pela luz independe do sentido de propagação. 3º) Princípio da independência dos raios de luz: Um raio de luz, ao cruzar com outro, não interfere na sua propagação. Exercícios 1. Um prédio projeta no solo uma sombra de 15 m de extensão no mesmo instante em que uma pessoa de 1,80 m projeta uma sombra de 2 m. Determine a altura do prédio 2. Qual a altura de uma árvore que projeta uma sombra de 3 m de comprimento, sabendo-se que nesse mesmo instante uma haste vertical de 2 m projeta uma sombra de 1 m? 3. Num mesmo instante, a sombra projetada de uma pessoa é de 5 m e a de um edifício é de 80 m. Sabendo que a altura da pessoa é 1,80 m, calcule a altura do edifício. 4. Qual o comprimento da sombra projetada por uma árvore de 5 m de altura se, no mesmo instante, um arbusto de 0,2 m de altura projeta uma sombra de 0,05 m? Questões 5. Verifique se a afirmação abaixo é verdadeira ou falsa; justifique a sua escolha. "Para podermos enxergar um objeto, é apenas necessário que ele esteja iluminado." 6. Por que no fundo dos oceanos é sempre escuro, seja dia, seja noite, se a água é transparente? 7. Se uma pessoa vê os olhos de uma outra através de um complicado jogo de espelhos, é possível que a segunda pessoa veja os olhos da primeira? 8. Uma lâmpada acesa é um corpo luminoso ou um corpo iluminado? Por quê? Câmara escura o i -------- p ---------- ------- p' ----- 'p i p o  Exercícios 9. Um objeto luminoso AB, de 5 cm de altura, está a 20 cm de distância de uma câmara escura de profundidade 10 cm. Calcular a altura da imagem formada. 10.Uma pessoa de 1,80 m de altura encontra-se a 2,4 m do orifício de uma câmara escura de 0,2 m de comprimento. Qual a altura da imagem formada? 11.Qual a altura da imagem de um poste de 5 m de altura colocado a 20 m de distância de uma câmara escura cujo comprimento é 0,3 m? 12.Uma câmara escura de orifício apresenta comprimento de 40 cm. De uma árvore de altura 5 m obteve-se, no anteparo, uma imagem de altura 25 cm. Determine a distância da árvore até a câmara. Questões 13.Por que a câmara escura de orifício produz imagens de cabeça para baixo, quando observadas por trás do anteparo? 14.Qual a principal limitação da câmara escura para que possa ser utilizada para tirar fotografia? Justifique.
  • 22. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 A cor de um corpo "A cor que um corpo apresenta por reflexão é determinada pelo tipo de luz que ele reflete. Por exemplo, um corpo ao ser iluminado pela luz branca (que contém todas as cores), se apresenta azul, porque reflete a luz azul e absorve as demais. Um corpo iluminado pela luz branca se apresenta branco porque reflete todas as cores. Um corpo negro absorve todas as cores." Luz branca luz azul corpo azul Questões 1. Por que uma rosa é vermelha, a grama é verde e um carro é preto? 2. Têm-se três cartões, um branco, um vermelho e um azul. Como se apresentam esses cartões num ambiente iluminado pela luz vermelha? 3. Iluminando a bandeira brasileira com luz monocromática azul, você irá vê-la com que cor (ou cores) ? 4. Sob luz solar você distingue perfeitamente um cartão vermelho de um cartão amarelo. No entanto, dentro de um ambiente iluminado com luz violeta monocromática isso não será possível. Explique por quê. 5. Considere dois corpos, A e B, constituídos por pigmentos puros. Expostos à luz branca, o corpo A se apresenta vermelho e o corpo B se apresenta branco. Se levarmos A e B a um quarto escuro e os iluminarmos com luz vermelha, com que cores eles se apresentarão? 6. Uma flor amarela, iluminada pela luz solar: a) reflete todas as luzes. b) absorve a luz amarela e reflete as demais. c) reflete a luz amarela e absorve as demais. d) absorve a luz amarela e, em seguida, a emite. e) Absorve todas as luzes e não reflete nenhuma. Reflexão da luz Reflexão regular: é a reflexão que ocorre numa superfície lisa e polida. Exemplo: espelho. Reflexão difusa: é a reflexão que ocorre numa superfície irregular. Nesta reflexão os raios espalham-se desordenadamente em todas as direções. Leis da reflexão N i r 1a lei : O raio incidente, o raio refletido e a normal pertencem ao mesmo plano. 2a lei : O ângulo de reflexão é igual ao ângulo de incidência. Exercícios 7. Um raio de luz forma com a superfície plana na qual incide um ângulo de 40o . Determine o ângulo de reflexão desse raio. 8. O ângulo formado entre o raio incidente e o raio refletido numa superfície espelhada é de 60o . Determine os ângulos de incidência e de reflexão. 60o Espelho plano "Considera-se espelho plano toda superfície plana e lisa onde predomine a reflexão regular da luz. superfície refletora superfície opaca Formação de imagens num espelho plano
  • 23. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216  O objeto e a imagem fornecida por um espelho plano são simétricos em relação ao espelho.  Um espelho plano associa a um objeto real uma imagem virtual. P P' d d Exercícios 1. A distância de um ponto objeto à imagem fornecida por um espelho plano, vale 40 cm. Determine: A) a distância do objeto à superfície do espelho; B) a nova distância que separa o objeto e imagem, no caso de o objeto se aproximar 5 cm do espelho. 2. Uma pessoa corre para um espelho plano vertical com velocidade de 3 m/s. Com que velocidade a imagem da pessoa se aproxima do espelho? Imagem de um objeto extenso fornecida por um espelho plano Exercícios 3. A figura mostra um objeto diante de um espelho plano. Construa a imagem do objeto. 4. A figura mostra um objeto diante de um espelho plano. Construa a imagem do objeto. 5. A figura mostra um objeto diante de um espelho plano. Construa a imagem do objeto. 6. Num relógio, em que cada número foi substituído por um ponto, os ponteiros indicam quatro horas. Que horas uma pessoa verá, ao observar o relógio por reflexão, em um espelho plano? 7. Coloca-se, diante de um espelho plano, um cartão no qual está escrita a palavra FELIZ. Como se vê a imagem dessa palavra através do espelho?
  • 24. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1-(ENEM) Em muitas situações na Física, utilizamos o conceito de “ano-luz”. De acordo com o conceito de ano-luz, é CORRETO afirmar que ele se trata: a) de uma medida de distância. b) de uma medida de massa. c) de uma medida de velocidade. d) de uma medida de tempo. 2-(FUMEC) Em um dia ensolarado, um aluno de 1,70 m mede sua sombra encontrando 1,20 m. Naquele instante, a sombra de um poste nas proximidades mede 4,80 m. CALCULE a altura do poste. a) 4,2m b) 5,2m b) 6,8m d) 7,2m e) 8,4m 3-Um edifício projeta no solo uma sombra de 42 metros de comprimento, no mesmo instante em que uma haste vertical de 50cm produz uma sombra de 75 cm de comprimento. Qual o tamanho da sombra do edifício? a) 62m b) 44m b) 36m d) 28m e) 8,4m 4-Uma camara escura de orifício apresenta comprimento de 15cm. De uma torre de transmissão de Tv obteve-se uma imagem de altura 10 cm. Sabendo-se que a câmara está a 60m da torre, determine a altura da torre. a) 90 m b) 10 m c) 0,1 m d) 40 m e) 50 m 5-(Fuvest ) Admita que o sol subitamente "morresse", ou seja, sua luz deixasse de ser emitida. 24 horas após este evento, um eventual sobrevivente, olhando para o céu, sem nuvens, veria: a) a Lua e estrelas. b) somente a Lua. c) somente estrelas. d) uma completa escuridão. e) somente os planetas do sistema solar. 6-(Cesgranrio ) Às 18h, uma pessoa olha para o céu e observa que metade da Lua está iluminada pelo Sol. Não se tratando de um eclipse da Lua, então é correto afirmar que a fase da Lua, nesse momento: a) só pode ser quarto crescente b) só pode ser quarto minguante c) só pode ser lua cheia. d) só pode ser lua nova. e) pode ser quarto crescente ou quarto minguante. 7-(Ufmg) A figura mostra a bandeira do Brasil de forma esquemática. Sob luz branca, uma pessoa vê a bandeira do Brasil com a parte I branca, a parte II azul, a parte III amarela e a parte IV verde. Se a bandeira for iluminada por luz monocromática amarela, a mesma pessoa verá, provavelmente, a) a parte I amarela e a II preta. b) a parte I amarela e a II verde. c) a parte I branca e a II azul. d) a parte I branca e a II verde. 8-(Ufes ) Um objeto amarelo, quando observado em uma sala iluminada com luz monocromática azul, será visto a) amarelo. b) azul. c) preto. d) violeta. e) vermelho. 9-(Cefet-Pós Médio)Um objeto é iluminado por uma fonte de luz branca. Um observador o enxerga verde porque tal objeto, a)refrata a luz verde b)difrata a luz verde c)emite luz verde d)reflete luz verde e)absorve a luz verde 10-(Unirio ) Durante a final da Copa do Mundo, um cinegrafista, desejando alguns efeitos especiais, gravou cena em um estúdio completamente escuro, onde existia uma bandeira da "Azurra" (azul e branca) que foi iluminada por um feixe de luz amarela monocromática. Quando a cena foi exibida ao público, a bandeira apareceu: a) verde e branca. b) verde e amarela. c) preta e branca. d) preta e amarela. e) azul e branca.
  • 25. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 11-(Ufrn ) Ana Maria, modelo profissional, costuma fazer ensaios fotográficos e participar de desfiles de moda. Em trabalho recente, ela usou um vestido que apresentava cor vermelha quando iluminado pela luz do sol. Ana Maria irá desfilar novamente usando o mesmo vestido. Sabendo-se que a passarela onde Ana Maria vai desfilar será iluminada agora com luz monocromática verde, podemos afirmar que o público perceberá seu vestido como sendo a) verde, pois é a cor que incidiu sobre o vestido. b) preto, porque o vestido só reflete a cor vermelha. c) de cor entre vermelha e verde devido à mistura das cores. d) vermelho, pois a cor do vestido independe da radiação incidente. GABARITO: 1A 2B 3D 4D 5C 6C 7A 8C 9D 10D 11B. ESPELHOS PLANOS 1-(Cesgranrio) A imagem da figura a seguir obtida por reflexão no espelho plano E é mais bem representada por: 2-(Pucmg ) Num relógio de ponteiros, cada número foi substituído por um ponto. Uma pessoa, ao observar a imagem desse relógio refletida em um espelho plano, lê 8 horas. Se fizermos a leitura diretamente no relógio, verificaremos que ele está marcando: a) 1h b) 2h c) 3h d) 4h e) 5h 3-(G1 etfsp) Um raio de luz reflete-se em uma superfície plana e polida (S), conforme mostra a figura a seguir. O ângulo entre os raios incidentes (AO) e refletido (OB) mede 90°. O ângulo de incidência do raio de luz, mede: a) 60° b) 50° c) 45° d) 30° e) 20° 4-(Uelondrina ) Um observador O observa a imagem de um objeto P refletida num espelho plano horizontal. A figura mostra um feixe de raios luminosos que partem de P. O raio que atinge o observador O é a) PEO b) PDO c) PCO d) PBO e) PAO 5- (Ufmg ) Observe a figura. Nessa figura, dois espelhos planos estão dispostos de modo a formar um ângulo de 30° entre eles. Um raio luminoso incide sobre um dos espelhos, formando um ângulo de 70° com a sua superfície. Esse raio, depois de se refletir nos dois espelhos, cruza o raio incidente formando um ângulo  de: a) 120° b) 110° c) 100° d) 90° e) 80° 6-(Ita) Um raio de luz de uma lanterna acesa em A ilumina o ponto B, ao ser refletido por um espelho horizontal sobre a semi-reta DE da figura, estando todos os pontos num mesmo plano vertical. Determine a distância entre a imagem virtual da lanterna A e o ponto B. Considere AD = 2 m, BE = 3 m e DE = 5 m. a) 5m b) 25 m c) 52m d) 105m e) 32m
  • 26. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 7-(Unesp) A figura a seguir representa um espelho plano, um objeto, 0, sua imagem, I, e cinco observadores em posições distintas, A, B, C, D e E. Entre as posições indicadas, a única da qual o observador poderá ver a imagem I é a posição a) A. b) B. c) C. d) D. e) E. 8- (G1 - cftce ) Observando as imagens formadas por dois espelhos planos de um objeto entre eles colocado, Syned, um curioso aluno, verifica que, para determinado ângulo, formam-se 5 imagens, entretanto, fazendo variar o ângulo entre os espelhos, o número de imagens diminui. Pode-se concluir que: a) o ângulo era inicialmente de 60°, e o ângulo entre os espelhos estava aumentando b) o ângulo era inicialmente de 30°, e o ângulo entre os espelhos estava aumentando c) o ângulo era inicialmente de 60°, e o ângulo entre os espelhos estava diminuindo d) o ângulo era inicialmente de 72°, e o ângulo entre os espelhos estava diminuindo e) o ângulo era inicialmente de 72°, e o ângulo entre os espelhos estava aumentando 9- (Unesp ) Um estudante veste uma camiseta em cujo peito se lê a inscrição seguinte: UNESP a) Reescreva essa inscrição, na forma que sua imagem aparece para o estudante, quando ele se encontra frente a um espelho plano. b) Suponha que a inscrição esteja a 70cm do espelho e que cada letra da camiseta tenha 10cm de altura. Qual a distância entre a inscrição e sua imagem? Qual a altura de cada letra da imagem? GABARITO 1B 2D 3C 4D 5A 6C 7C 8A 9 a) b) D= 140cm e i= 10cm ESPELHOS ESFÉRICOS Chama-se espelho esférico o que tem a forma de uma calota esférica, isto é, quando sua superfície refletora é parte de uma superfície esférica. Pode ser côncavo ou convexo, conforme a superfície refletora seja a interna (voltada para o centro da esfera) ou a externa. Os espelhos esféricos atuam como lentes, podendo aumentar ou diminuir o tamanho das imagens. Elementos geométricos dos espelhos esféricos (C)Centro de curvatura: centro da esfera (R) Raio de curvatura: R= raio de esfera Importante: R=2f (V)Vértice do espelhos: V= pólo da calota (E)Eixo principal do espelho: reta que contém C e V Espelhos côncavos Característica principal Aumenta o tamanho das imagens porém diminui o campo visual:
  • 27. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Espelhos convexos Diminui o tamanho das imagens porém aumenta o campo visual. O que acontece com a luz ao incidir no espelho? Espelho Côncavo Espelho Convexo ESPELHOS ESFÉRICOS (estudo analítico) p = distância do objeto ao espelho p' = distância da imagem ao espelho R = raio de curvatura f = distância focal (f = R/2) o = altura do objeto i = altura da imagem p' > 0 : imagem real p' < 0 : imagem virtual i > 0 : imagem direita i < 0 : imagem invertida f >0 : espelho côncavo f < 0 : espelho convexo Equação de Gauss p = distancia do objeto ao vértice (abscissa do objeto) p`= distancia da imagem (abscissa da imagem) f = distancia focal Aumento Linear Transversal Questões 1. Constrói-se um farol de automóvel utilizando um espelho esférico e um filamento de pequenas dimensões que pode emitir luz. A) O espelho utilizado é côncavo ou convexo? B) Onde se deve posicionar o filamento? 2. Pretende-se acender um cigarro, concentrando-se a luz solar através de um espelho esférico. A) O espelho deve ser côncavo ou convexo? B) Onde deve ser colocada a ponta do cigarro que se quer acender? 3. Em grandes lojas e supermercados, utilizam-se espelhos convexos estrategicamente colocados. Por que não se utilizam espelhos planos ou côncavos? 4. Vários objetos que apresentam uma superfície polida podem se comportar como espelhos. Diga se cada um dos objetos seguintes se comporta como espelho côncavo ou convexo, convergente ou divergente: A) Superfície interna de uma colher. B) Bola de árvore de Natal. C) Espelho interno do farol de um automóvel. 5. Para examinar o dente de uma pessoa, o dentista utiliza um pequeno espelho (como você já de deve Ter visto). Esse espelho permite que o dentista enxergue detalhes do dente (imagem ampliada e
  • 28. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 direta). Tendo em vista essas informações, responda: A) O espelho deve ser plano, côncavo ou convexo? B) A distância do dente ao espelho deve ser maior ou menor que a sua distância focal? ESPELHOS ESFÉRICOS (estudo analítico) = --------------------- p ----------------------------------- o C i F V --------------- p' -------------------- -------------------- R --------------------------- -------- f ----------- p = distância do objeto ao espelho p' = distância da imagem ao espelho R = raio de curvatura f = distância focal (f = R/2) o = altura do objeto i = altura da imagem p' > 0 : imagem real p' < 0 : imagem virtual i > 0 : imagem direita i < 0 : imagem invertida f >0 : espelho côncavo f < 0 : espelho convexo Equações dos espelhos esféricos 'p 1 p 1 f 1  p 'p o i   Aumento linear transversal o i A  ou p 'p A   Exercícios 1. Um objeto de 5 cm de altura é colocado a 30 cm do vértice de um espelho côncavo de distância focal 50 cm. A) Qual a distância da imagem ao vértice do espelho? B) Qual o tamanho da imagem? C) A imagem é real ou virtual? 2. Em frente a um espelho côncavo de distância focal 20 cm, encontra-se um objeto real, a 10 cm de seu vértice. Determine: A) A posição da imagem; B) O aumento linear; C) a imagem é direita ou invertida? 3. Um objeto de 6 cm de altura está localizado à distância de 30 cm de um espelho esférico convexo, de 40 cm de raio de curvatura. Determine a posição da imagem 4. Um objeto de 3 cm de altura foi colocado diante de um espelho esférico convexo de raio de curvatura igual a 60 cm. Sendo o objeto perpendicular ao eixo principal e a sua abscissa igual a 15 cm, pergunta-se: A) Qual é a altura da imagem? B) A imagem é real ou virtual? Direita ou invertida? 5. Por meio de um pequeno espelho esférico côncavo, é possível projetar na parede a imagem da chama de uma vela. Colocando a chama a 40 cm do espelho, a imagem se forma a 200 cm de distância deste. A) Qual a distância focal do espelho? B) Faça um esquema com o objeto a imagem e o espelho. 6. Em um espelho esférico côncavo obtém- se uma imagem de altura quatro vezes maior que a altura do objeto. A distância da imagem ao espelho vale 20 cm. A) Determine a abscissa do objeto. B) Qual a distância focal do espelho?
  • 29. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1-(Unaerp) Um espelho usado por esteticistas permite que o cliente, bem próximo ao espelho, possa ver seu rosto ampliado e observar detalhes da pele. Este espelho é: a) côncavo. b) convexo. c) plano. d) anatômico. e) epidérmico. 2-(Fei ) O espelho retrovisor de uma motocicleta é convexo porque: a) reduz o tamanho das imagens e aumenta o campo visual b) aumenta o tamanho das imagens e aumenta o campo visual c) reduz o tamanho das imagens e diminui o campo visual d) aumenta o tamanho das imagens e diminui o campo visual e) mantém o tamanho das imagens e aumenta o campo visual 3-(Ufes) Quando aproximamos um objeto de um espelho côncavo, a) sua imagem real diminui e afasta-se do espelho. b) sua imagem real diminui e aproxima-se do espelho. c) sua imagem real aumenta e afasta-se do espelho. d) sua imagem real aumenta e aproxima-se do espelho. e) sua imagem real não se altera. 4-(Cesgranrio) Um objeto de altura h é colocado perpendicularmente ao eixo principal de um espelho esférico côncavo. Estando o objeto no infinito, a imagem desse objeto será: a) real, localizada no foco. b) real e de mesmo tamanho do objeto. c) real, maior do que o tamanho do objeto. d) virtual e de mesmo tamanho do objeto. e) virtual, menor do que o tamanho do objeto. 5-(Ufrs ) A imagem de um objeto real, formada por um espelho convexo, é sempre a) real, invertida e maior do que o objeto. b) rela, direita e menor do que o objeto. c) real, direita e maior do que o objeto. d) virtual, invertida e maior do que o objeto. e) virtual, direita e menor do que o objeto. 6-(Pucmg ) Se um espelho forma uma imagem real e ampliada de um objeto, então o espelho é: a) convexo e o objeto está além do foco. b) convexo e o objeto está entre o foco e o espelho. c) côncavo e o objeto está entre o foco e o centro do espelho. d) côncavo e o objeto está além do foco. e) côncavo ou convexo e com o objeto entre o foco e o centro do espelho. 7-(Ufsm ) A figura representa um objeto O colocado sobre o centro de curvatura C de um espelho esférico côncavo. A imagem formada será a) virtual, direita e menor. b) virtual, invertida e menor. c) real, direta e maior. d) real, invertida e maior. e) real, invertida e de mesmo tamanho. 8-(Pucpr ) Um objeto real, representado pela seta, é colocado em frente a um espelho podendo ser plano ou esférico conforme as figuras. A imagem fornecida pelo espelho será virtual: a) apenas no caso I. b) apenas no caso II. c) apenas nos casos I e II. d) nos casos I e IV e V. e) nos casos I, II e III.
  • 30. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 9-(Uece ) Um pequeno objeto é colocado perpendicularmente sobre o eixo principal e a 12cm do vértice de um espelho esférico côncavo, cujo raio de curvatura é 36cm. A imagem conjugada pelo espelho é: a) real, invertida e maior que o objeto b) virtual, direita e maior que o objeto c) virtual, direita e menor que o objeto d) real, invertida e menor que o objeto 10-(Pucpr ) Um espelho côncavo produz uma imagem real invertida do mesmo tamanho que um objeto situado a 40 cm de distância. Podemos afirmar que a distância focal do espelho é: a) 20 cm b) 40 cm c) 10 cm d) 80 cm e) 120 cm 11-(Mackenzie) Um objeto real é colocado sobre o eixo principal de um espelho esférico côncavo a 4cm de seu vértice. A imagem conjugada desse objeto é real e está situada a 12cm do vértice do espelho, cujo raio de curvatura é: a) 2 cm. b) 3 cm. c) 4 cm. d) 5 cm. e) 6 cm. 12-(Uff ) Um rapaz utiliza um espelho côncavo, de raio de curvatura igual a 40cm, para barbear- se. Quando o rosto do rapaz está a 10cm do espelho, a ampliação da imagem produzida é: a) 1,3 b) 1,5 c) 2,0 d) 4,0 e) 40 15-(OBF) Na figura ABAIXO são mostrados um espelho esférico, um objeto e sua imagem. Determine as distâncias focal f e do centro de curvatura R do espelho. a) f = 20 cm e R = 40 cm b) f = 30 cm e R = 60 cm c) f = 60 cm e R = 120 cm d) f = 20 cm e R = 20 cm e) f = 20 cm e R = 30 cm 13-(UFES) A distância focal de um espelho convexo mede 5,0 cm. Uma imagem virtual situada a 4 cm de vértice do espelho corresponde a um objeto: a)Real e situado a 20 cm do espelho b)Virtual e situado a 15 cm do espelho c)Virtual e situada a 6,66 cm do espelho d)Real e situada a 4 cm do espelho e)Virtual e situada a 4 cm do espelho 15-(Puccamp-SP) Um objeto real é colocado a 6,0 cm de um espelho côncavo, raio de curvatura 9,0 cm e sobre o seu eixo principal. A imagem conjugada pelo espelho é: a)Virtual, direta e menor que o objeto b)Real, invertida e maior que o objeto c)Real, invertida e menor que o objeto d)Real, direta e maior que o objeto e)Real , direta e menor que o objeto 16-( FAFEOD-MG) Uma aluno deseja obter uma imagem de um objeto, que seja virtual e maior que o objeto, usando um espelho esférico de distancia focal igual a 30 cm. Para isso, ele poderá usa um espelho: a)Côncavo e colocar o objeto a 40 cm do espelho b)Côncavo e colocar o objeto a 20 cm do espelho c)Convexo e colocar o objeto em qualquer posição d)Côncavo ou convexo e colocar o objeto em qualquer posição e)Côncavo ou convexo e colocar o objeto a 40 cm do espelho 17-(Puccamp ) Um objeto, de 2,0cm de altura, é colocado a 20cm de um espelho esférico. A imagem que se obtém é virtual e possui 4,0mm de altura. O espelho utilizando é a) côncavo, de raio de curvatura igual a 10cm. b) côncavo e a imagem se forma a 4,0cm de espelho. c) convexo e a imagem obtida é invertida. d) convexo, de distância focal igual a 5,0cm. e) convexo e a imagem se forma a 30cm do objeto. 18 (Pucsp ) Um objeto é colocado a 30 cm de um espelho esférico côncavo perpendicularmente ao eixo óptico deste espelho. A imagem que se obtém é classificada como real e se localiza a 60 cm do espelho. Se o objeto for colocado a 10 cm do espelho, sua nova imagem a) será classificada como virtual e sua distância do espelho será 10 cm. b) será classificada como real e sua distância do espelho será 20 cm.
  • 31. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 c) será classificada como virtual e sua distância do espelho será 20 cm. d) aumenta de tamanho em relação ao objeto e pode ser projetada em um anteparo. e) diminui de tamanho em relação ao objeto e não pode ser projetada em um anteparo. 19 (Ufpel ) Um objeto de 6 cm de altura é colocado perpendicularmente ao eixo principal e a 24 cm do vértice de um espelho esférico côncavo, de raio de curvatura 36 cm. Baseado em seus conhecimentos sobre óptica geométrica, a altura e natureza da imagem são, respectivamente, a) 2 cm, virtual e direita. b) 12 cm, real e invertida. c) 18 cm, virtual e direita. d) 18 cm, real e invertida. e) 2 cm, virtual e invertida. 20 (Ufscar ) Uma mocinha possuía um grande espelho esférico côncavo que obedecia às condições de estigmatismo de Gauss. Com seu espelho, de raio de curvatura 3,0 m, estava acostumada a observar recentes cravos e espinhas. Certo dia, sem que nada se interpusesse entre ela e seu espelho, observando-o diretamente, a uma distância de 2,0 m da superfície refletora e sobre o eixo principal, a) não pôde observar a imagem de seu rosto, que é de tamanho menor e em posição invertida. b) não pôde observar a imagem de seu rosto, que é de tamanho maior e em posição invertida. c) pôde observar a imagem de seu rosto em tamanho reduzido e disposta em posição direita. d) pôde observar a imagem de seu rosto em tamanho ampliado e disposta em posição direita. e) pôde observar a imagem de seu rosto em tamanho ampliado e disposta em posição invertida. 21 (Unifesp) Suponha que você é estagiário de uma estação de televisão e deve providenciar um espelho que amplie a imagem do rosto dos artistas para que eles próprios possam retocar a maquilagem. O toucador limita a aproximação do rosto do artista ao espelho a, no máximo, 15 cm. Dos espelhos a seguir, o único indicado para essa finalidade seria um espelho esférico a) côncavo, de raio de curvatura 5,0 cm. b) convexo, de raio de curvatura 10 cm. c) convexo, de raio de curvatura 15 cm. d) convexo, de raio de curvatura 20 cm. e) côncavo, de raio de curvatura 40 cm. GABARITO: 1A 2A 3C 4A 5E 6C 7E 8D 9B 10A 11E 12C 13A 14A 15A 16B 17B 18D 18C 19D 20B 21E REFRAÇÃO DA LUZ "Quando a luz passa de um meio para outro ela pode mudar de direção, ou seja, refratar- se." Índice de refração absoluto "índice de refração de um meio qualquer em relação ao vácuo." velocidade c vácuo outro meio velocidade v v c n  n = índice de refração c = velocidade da luz no vácuo ( c= 300.000 km/s) v = velocidade da luz em outro meio nar  1 Exercícios 1. Certa luz monocromática apresenta num meio material velocidade igual a 150.000 km/s. Sendo a velocidade da luz no vácuo 300.000 km/s, determine o índice de refração absoluto para esse meio. 2. Determine o índice de refração absoluto de um líquido onde a luz se propaga com a velocidade de 200.000 km/s. A velocidade da luz no vácuo é 300.000 km/s. 3. O índice de refração absoluto da água é 1,3 para certa luz monocromática. Qual a velocidade de propagação da luz na água, se no vácuo ela se propaga com a velocidade de 300.000 km/s? 4. O índice de refração absoluto do vidro é 1,5 para certa luz monocromática. Qual a velocidade de propagação dessa luz no vidro? 5. A velocidade da luz amarela num determinado meio é 4/5 da velocidade da
  • 32. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 luz no vácuo. Qual o índice de refração absoluto desse meio? Questões 6. Se um pescador quiser fisgar um peixe lançando obliquamente um arpão, ele deverá arremessá-lo acima ou abaixo da posição em que vê o peixe? 7. Como deve ser um meio para que a luz se propague nele em linha reta? 8. O que veríamos se mergulhássemos uma peça de vidro num líquido de mesmo índice de refração que o vidro? 9. A luz procedente do Sol poente se propaga através da atmosfera segundo uma trajetória curva, de modo que o Sol parece estar mais alto do que realmente está. Como se explica este fenômeno? Ilustre com um diagrama. Índice de refração relativo vA A B vB B A A B BA v v n n n  Exercícios 10.Numa substância A, a velocidade da luz é 250.000 km/s; numa substância B é 200.000 km/s. Determine: a) o índice de refração relativo da substância A em relação à substância B; b) o índice de refração relativo da substância B em relação à substância A. 11.O índice de refração absoluto da água é 1,3 e o do vidro é 1,5. Determine os índices de refração relativos da água em relação ao vidro e do vidro em relação à água. 12.Se o índice de refração de uma substância X em relação a outra Y é 0,5 e o índice de refração absoluto de Y é 1,8, qual é o índice de refração absoluto de X? 13.Se o índice de refração de uma substância X em relação a outra Y é 0,6 e o índice de refração absoluto de Y é 1,5, qual é o índice de refração absoluto de X? Lei de Snell-Descartes i A B r rsen isen n n A B  i = ângulo de incidência r = ângulo de refração Exercícios 1. Um raio luminoso incide na superfície que separa o meio A do meio B, formando um ângulo de 60o com a normal no meio A. O ângulo de refração vale 30o e o meio A é o ar, cujo índice de refração é nA = 1. Determine o índice de refração do meio B (nB). Dados: sen 30o = 0,5 e sem 60o = 0,9. 2. Quando se propaga de um meio A para um meio B, incidindo sob ângulo de 45o com a normal, um raio luminoso se refrata formando com a normal um ângulo de 60o . Sendo 1,4 o índice de refração do meio B, determine o índice de refração do meio A . ). Dados: sen 45o = 0,7 e sem 60o = 0,9. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1-(Udesc ) Em um dia quente, ao percorrermos uma estrada asfaltada, termos a impressão de que ela está "molhada" à nossa frente. Tal fenômeno é conseqüência da: a) polarização da luz; b) refração da luz; c) difração da luz; d) dispersão da luz;
  • 33. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 e) interferência da luz. 2-(Unesp) Muitas vezes, ao examinar uma vitrina, é possível observar não só os objetos que se encontram em exposição atrás do vidro, como também a imagem de si próprio formada pelo vidro, A formação dessa imagem pode ser explicada pela. a) reflexão parcial da luz. b) reflexão total da luz. c) refração da luz. d) transmissão da luz. e) difração da luz. 3-(Unifor-CE) No vácuo, ou no ar, a velocidade da luz é de 3,0 .108 m/s. Num vidro, cujo índice de refração é 1,50, a velocidade da luz é, em m/s, a) 1,0 . 108 b) 1,5 . 108 c) 2,0 . 108 d) 3,0 . 108 e) 4,5 . 108 4-(UN. FED. PELOTAS - RS) Um pincel de luz se propaga do vácuo para um meio material de índice de refração absoluto 4/3. Sendo a velocidade de propagação da luz no vácuo de 3 x 105 km/s, podemos afirmar que a velocidade da luz no meio material é de: a) 4 x 105 km/s b) 2,25 x 105 km/s c) 3 x 105 km/s d) 2 x 105 km/s e) 3,25 x 105 km/s 5-(U. E. Londrina-PR) Para determinar o índice de refração de um líquido, faz-se com que um feixe de luz monocromática proveniente do ar forme um ângulo de 60º em relação à normal, no ponto de incidência. Para que isso aconteça, o ângulo de refração observado é de 30º. Sendo o índice de refração do ar igual a 1,0, então o índice de refração do líquido será: 6-(Mackenzie ) Um raio luminoso monocro- mático, ao passar do ar (índice de refração =1,0) para a água, reduz sua velocidade de 25%. O índice de refração absoluto da água para esse raio luminoso é de aproximadamente: a)1,2 b)1,3 c)1,4 d)1,5 e)1,6 7-(UEMS) Um raio de luz, propagando-se no ar incide sobre uma placa de vidro conforme mostra a figura. Sendo o índice de refração do ar nar = 1, qual é o índice de refração do vidro? 8-(UN. FED. RO) Para o esquema seguinte, qual o valor do índice de refração relativon2/n1? a) 4 b) 2 c) d) 2 e) 09-(UFPB) As figuras abaixo representam secções retas de um cubo de vidro que tem uma de suas faces atingida por um raio de luz monocromática, proveniente do ar. As trajetórias do raio luminoso, também representadas, estão no plano dessas figuras. Sabendo-se que o índice de refração do vidro é maior do que o do ar, as trajetórias fisicamente possíveis são a) I e II b) I e IV c) II e III d) II e IV e) III e IV
  • 34. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Gabarito 1B 2C 3C 4B 5C 6B 07E 08E 09B. ONDAS Definição: Denomina-se onda ao movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio. Classificação das Ondas: 1- Quanto à natureza: Onda Mecânica: Precisa de um meio natural para propagar-se (não se propaga no vácuo). Ex.: corda ou onda sonora (som). Onda Eletromagnética: Não necessita de um meio natural para propagar-se. Ex.: ondas de rádio ou luz. 2- Quanto à direção da vibração: Ondas Transversais: São aquelas que possuem vibrações perpendi-culares à direção da propagação. Ondas Longitudinais: As vibrações coincidem com a direção da propagação. 3- Quanto à direção da propagação: Unidimensionais: Propagam-se numa só direção. Ex.: ondas em corda. Bidimensionais: Propagam-se num plano. Ex.: ondas na superfície de um lago. Tridimensionais: São aquelas que se propagam em todas as direções. Ex.: ondas sonoras no ar atmosférico. Ondas Periódicas: São aquelas que recebem pulsos periódicos, ou seja, recebem pulsos em intervalos de tempo iguais. Portanto, passam por um mesmo ponto com a mesma freqüência. "Comprimento de onda (  ) é a distância entre dois pontos consecutivos do meio que vibram em fase," v =  .f T 1 f  v = velocidade de propagação da onda  = comprimento de onda f = freqüência T = período A = amplitude Ondas Estacionárias São ondas resultantes da superposição de duas ondas com: - mesma freqüência - mesma amplitude - mesmo comprimento de onda - mesma direção - sentidos opostos Ao atingirem a extremidade fixa, elas se refletem, voltando com sentido contrário ao anterior. Dessa forma, as perturbações se superpõem às outras que estão chegando à parede, originando o fenômeno das ondas estacionárias. Característica: amplitude variável de ponto para ponto, isto é, pontos que não se movimentam (amplitude nula). Nodos: pontos que não se movimentam Ventres: pontos que vibram com amplitude máxima É evidente que, entre os nós, os pontos da corda vibram com a mesma freqüência, mas com amplitudes diferentes.
  • 35. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 Os fenômenos ondulatórios Reflexão: É quando a onda, após incidir num segundo meio de características diferentes, volta a se propagar no meio original. O pulso sofre reflexão com inversão de fase, mantendo todas as outras características. O pulso sofre reflexão e não ocorre inversão de fase. - Refração de ondas É o fenômeno segundo o qual uma onda muda seu meio de propagação. - Interferência Num ponto pode ocorrer superposição de duas ou mais ondas, o efeito resultante é a soma dos efeitos que cada onda produziria sozinha nesse ponto. - Difração As ondas não se propagam obrigatoriamente em linha reta a partir de uma fonte emissora. Elas apresentam a capacidade de contornar obstáculos, desde que estes tenham dimensões comparáveis ao comprimento de onda. - Ressonância Quando um sistema vibrante é submetido a uma série periódica de impulsos cuja freqüência coincide com a freqüência natural do sistema, a amplitude de suas oscilações cresce gradativamente, pois a energia recebida vai sendo armazenada. - Polarização Polarizar uma onda significa orientá-la em uma única direção ou plano. Exercícios 1. A figura representa uma onda periódica que se propaga numa corda com velocidade v = 10 m/s. Determine a freqüência dessa onda e a amplitude. 2. Um conjunto de ondas periódicas transversais , de freqüência 20 Hz, propaga-se em uma corda. A distância entre uma crista e um vale adjacente é de 2m. Determine: A) o comprimento de onda; B) a velocidade da onda. 3. Num tanque pequeno a velocidade de propagação de uma onda é de 0,5 m/s. Sabendo que a freqüência do movimento é de 10 Hz, calcule o comprimento da onda. 4. Determine o comprimento de onda de uma estação de rádio que transmite em 6000 kHz. 5. Uma onda se propaga ao longo de uma corda com freqüência de 60 Hz, como ilustra a figura. A) Qual a amplitude da onda?
  • 36. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 B) Qual o valor do comprimento de onda? C) Qual a velocidade de propagação dessa onda? 6. Uma fonte produz ondas periódicas na superfície de um lago. Essas ondas percorrem 2,5 m em 2 segundos. A distância entre duas cristas sucessivas de onda é 0,25 m. Determine: A) a velocidade de propagação da onda; B) o comprimento de onda; C) a freqüência. Questões 7. O que é crista de uma onda? O que é vale? 8. O que é período de uma onda? E freqüência? 9. O que é amplitude de uma onda? 10.Como podemos produzir uma onda? Exercícios complementares 11.Ondas periódicas produzidas no meio de uma piscina circular de 6m de raio por uma fonte de freqüência constante de 2 Hz demoram 10 s para atingir a borda da piscina. Qual o comprimento de onda dessa vibração? 12.Num lago, correntes de ar produzem ondas periódicas na superfície da água, que se propagam à razão de 3 m/s. Se a distância entre duas cristas sucessivas dessas ondas é 12 m, qual o período de oscilação de um barco ancorado? 13.Numa corda tensa, propaga-se uma onda de comprimento de onda 0,2 m com velocidade igual a 8 m/s. Determine a freqüência e o período dessa onda. EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES 1-(Uel ) Numa corda, uma fonte de ondas realiza um movimento vibratório com freqüência de 10Hz. O diagrama mostra, num determinado instante, a forma da corda percorrida pela onda. A velocidade de propagação da onda, em cm/s, é de a) 8,0 b) 20 c) 40 d) 80 e) 160 2-(Ufal ) Normalmente descrevem-se ondas senoidais, mas pode-se pensar em ondas com outras formas. Pode-se ter ondas periódicas retangulares como no esquema a seguir. O comprimento de onda dessa onda, em unidades da régua impressa, é um valor mais próximo de a) 5,0 b) 3,5 c) 2,5 d) 1,5 e) 1,0 3-(Ufsm-)A figura representa, esquema- ticamente, a quantidade de radiação absorvida (I) por certos tipos de vegetais, em função do comprimento de onda () da radiação eletromagnética proveniente do Sol. A freqüência, em Hz, que os seres humanos percebem como verde é cerca de: a) 1,5 × 102 b) 1,5 × 103 c) 6 × 105 d) 1,5 × 1011 e) 6 ×1014 4-(Fuvest ) A Rádio USP opera na freqüência de 93,7 megahertz. Considerando-se que a velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas na atmosfera é igual a 300000km/s, o comprimento de onda emitida pela Rádio USP é aproximadamente igual a: a) 3,2 m b) 32,0 m c) 28,1 m d) 93,7 m e) 208,1 m 5- (Uel 95) Uma onda periódica transversal se propaga numa mola, onde cada ponto executa uma oscilação completa a cada 0,20s. Sabendo-se que a distância entre duas cristas consecutivas é 30cm, pode-se concluir que a velocidade de propagação dessa onda é, em m/s, igual a a) 0,15 b) 0,60 c) 1,5 d) 3,0 e) 6,0
  • 37. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 6-(Cesgranrio ) Uma estação de rádio transmite seus programas em ondas curtas de 40m. Sabendo que a velocidade de propagação das ondas é igual a 300.000km/s, a freqüência será de: a) 7,5 x 105 Hz b) 7,5 x 106 Hz c) 750 x 106 Hz d) 1200 x 10 6 Hz e) 7,5 x 109 Hz 7-(Unesp ) Em um exame de audiometria, uma pessoa foi capaz de ouvir freqüências entre 50Hz e 3kHz. Sabendo-se que a velocidade do som no ar é 340m/s, o comprimento de onda correspondente ao som de maior freqüência (mais agudo) que a pessoa ouviu foi: a) 3 × 10-2 cm. b) 0,5 cm. c) 1,0 cm. d) 11,3 cm. e) 113,0 cm. 8-( Cefet-PR) Com relação ao estudo das ondas, são feitas as seguintes afirmações: I. Quando uma onda passa de um meio material para outro, ocorre o fenômeno chamado refração, com alteração da freqüência da onda. II. As ondas sonoras podem ser polarizadas, pois são ondas longitudinais. III. O fenômeno da decomposição da luz branca em seu espectro é denominado dispersão. É(são) correta(s) somente a(s) afirmação(ões): a) I. b) I e II. c) II. d) I e III. e) III. 9-( UFRS) Considere as seguintes afirmações a respeito de ondas transversais e longitudinais: I. Ondas transversais podem ser polarizadas e ondas longitudinais não. II. Ondas transversais podem sofrer interferência e ondas longitudinais não. III. Ondas transversais podem apresentar efeito Doppler e ondas longitudinais não. Quais estão corretas? a) Apenas I. b) Apenas II. c) Apenas III. d) Apenas I e II. e) Apenas I e III. 10-(.U. Salvador-BA) No fenômeno da refração da onda, necessariamente permanece constante a) a freqüência da onda. b) a velocidade de propagação da onda. c) a amplitude da onda. d) o comprimento de onda da onda. e) a direção de propagação da onda. 11-(Pucmg ) I. O fenômeno pelo qual uma onda não forma uma sombra com limites precisos, quando contorna uma barreira que a bloqueia parcialmente, é chamado de difração. II. Quando uma onda passa de um meio para outro, ocorre a mudança de alguns de seus parâmetros, mas sua freqüência permanece constante. III. Uma onda da freqüência 50 Hz e comprimento de onda 20cm está se movendo à velocidade de 10m/s. Assinale: a) se apenas as afirmativas I e II forem falsas b) se apenas as afirmativas II e III forem falsas c) se apenas as afirmativas I e III forem falsas d) se todas forem verdadeiras e) se todas forem falsas 12-(Fuvest ) Radiações como Raios X, luz verde, luz ultravioleta, microondas ou ondas de rádio, são caracterizadas por seu comprimento de onda () e por sua freqüência (f). Quando essas radiações propagam-se no vácuo, todas apresentam o mesmo valor para a)  b) f c) .f d) /f e)  2 /f 13-(Pucrs ) Uma onda sonora de 1000Hz propaga-se no ar a 340m/s quando atinge uma parede, onde passa a se propagar com velocidade de 2000m/s. É correto afirmar que os valores do comprimento de onda e da freqüência da onda propagando-se na parede são, respectivamente, a) 0,340m e 1000Hz. b) 0,680m e 1000Hz. c) 0,850m e 2000Hz. d) 2,000m e 1000Hz. e) 2,500m e 500Hz. 14-( UFRS) Percorre-se a extremidade de um trilho retilíneo de 102 m de comprimento. Na extremidade oposta do trilho, uma pessoa escuta dois sons: um deles produzido pela onda que se propagou no trilho e o outro produzido pela onda que se propagou pelo ar. O intervalo de tempo que separa a chegada dos dois sons é de 0,28 s. Considerando a velocidade do som no ar igual a 340 m/s, qual é o valor aproximado da velocidade com que o som se propaga no trilho? a) 5100 m/s b) 1760 m/s c) 364 m/s d) 176 m/s e) 51 m/s 15-(UF RS ) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do parágrafo abaixo. As emissoras de rádio emitem ondas ........... que são sintonizadas pelo rádio-receptor. No processo de transmissão, essas ondas devem sofrer modulação. A sigla FM adotada por certas emissoras de rádio significa .......... modulada. a)eletromagnéticas - freqüência b)eletromagnéticas - fase
  • 38. Prof: Julio Cesar ( JC ) FÍSICA – CALOR, ONDAS E ÓPTICA http://lattes.cnpq.br/1700092960661216 c)sonoras - faixa d)sonoras - fase e)sonoras - freqüência 16-(Ufv) Uma onda transversal propagando-se pelo espaço é representada abaixo pelos gráficos x-y e y-t, nos quais y representa a amplitude, x a posição e t o tempo. Após a análise dos gráficos, pode-se afirmar que o comprimento de onda, o período, a freqüência e a velocidade de propagação dessa onda são, respectivamente: a) 20 m, 10 s, 0,1 Hz e 2,0 m/s b) 30 m, 5,0 s, 0,2 Hz e 6,0 m/s c) 30 m, 5,0 s, 0,5 Hz e 10 m/s d) 20 m, 10 s, 0,5 Hz e 10 m/s e) 20 m, 5,0 s, 0,1 Hz e 2,0 m/s 17-(Unesp ) Em um exame de audiometria, uma pessoa foi capaz de ouvir freqüências entre 50Hz e 3kHz. Sabendo-se que a velocidade do som no ar é 340m/s, o comprimento de onda correspondente ao som de maior freqüência (mais agudo) que a pessoa ouviu foi a) 3 × 10-2 cm. b) 0,5 cm. c) 1,0 cm. d) 11,3 cm. e) 113,0 cm. Gabarito: 1D 2B 3E 4A 5C 6B 7D 8E 9A 10A 11D 12C 13D 14A 15A 16A 17D Os fenômenos ondulatórios - Reflexão de ondas Quando uma onda que se propaga num dado meio encontra uma superfície que separa esse meio de outro, essa onda pode, parcial ou totalmente, retornar para o meio em que estava se propagando. - Refração de ondas É o fenômeno segundo o qual uma onda muda seu meio de propagação. - Interferência Num ponto pode ocorrer superposição de duas ou mais ondas, o efeito resultante é a soma dos efeitos que cada onda produziria sozinha nesse ponto. - Difração As ondas não se propagam obrigatoriamente em linha reta a partir de uma fonte emissora. Elas apresentam a capacidade de contornar obstáculos, desde que estes tenham dimensões comparáveis ao comprimento de onda. - Ressonância Quando um sistema vibrante é submetido a uma série periódica de impulsos cuja freqüência coincide com a freqüência natural do sistema, a amplitude de suas oscilações cresce gradativamente, pois a energia recebida vai sendo armazenada. - Polarização Polarizar uma onda significa orientá-la em uma única direção ou plano. Questões 1. Conta-se que um famoso tenor italiano, ao soltar a voz num agudo, conseguia romper um copo de cristal. Como é possível explicar fisicamente essa ocorrência? 2. As ondas luminosas também podem sofrer difração, como as ondas sonoras. Explique por que é mais fácil perceber a difração sonora do que a difração luminosa. 3. Conta-se que na Primeira Guerra Mundial uma ponte de concreto desabou quando soldados, em marcha cadenciada, passaram sobre ela. Como é possível explicar essa ocorrência? O SOM As ondas sonoras são ondas mecânicas e portanto não se propagam no vácuo. São audíveis pelo homem quando sua freqüência se situa entre 20 Hz e 20.000 Hz. Fontes de som Em geral, as fontes de som são os corpos em vibração, como o cone de um alto- falante, as cordas vocais, etc."