SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé
Assim Cremos, assim Vivemos.
Texto básico: (2Tm 3.14-17;2Pe 1.21).
Profº Pb: Antônio Soares
Lição: 01
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
2 Timóteo 3.14-17.
14 — Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste
inteirado, sabendo de quem o tens aprendido.
15 — E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que
podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo
Jesus.
16 — Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para
ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça,
17 — para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente
instruído para toda boa obra.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
“Porque a profecia nunca foi
produzida por vontade de homem
algum, mas os homens santos de Deus
falaram inspirados pelo Espírito
Santo” (2Pe 1.21).
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
Cremos na inspiração divina, verbal e
plenária da Bíblia Sagrada, única regra
infalível de fé e prática para a vida e o
caráter cristão.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
Conscientizar a respeito da inspiração
divina, verbal e plenária
da Bíblia Sagrada.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I. Reconhecer a revelação e inspiração da Bíblia
Sagrada;
II. Mostrar a inspiração divina na Bíblia Sagrada;
III. Explicar a inspiração plena e verbal da Bíblia Sagrada;
IV. Saber que a Bíblia Sagrada é a nossa única regra de fé
e prática.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
O comentarista do trimestre é o pastor Esequias Soares, autor de
diversos livros, graduado em Letras, Mestre em Ciência da Religião,
presidente da Comissão de Apologética Cristã da CGADB (Convenção
Geral das Assembleias de Deus no Brasil) e líder da Assembleia de
Deus em Jundiaí, SP.
A Bíblia é a revelação de Deus a humanidade.
Tudo que Deus tem para o homem e requer do homem, e
tudo o que o homem precisa saber para sua saúde
espiritual da parte de Deus quanto a sua redenção,
conduta cristã e felicidade.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
CONSIDERAÇÕES INICIAIS
PONTO CENTRAL
Cremos na inspiração divina e
autoridade da Bíblia Sagrada.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
Essa inspiração é um fato singular que ocorreu na
história da redenção humana. O enfoque da presente
lição é sobre a importância e o significado dessa
inspiração divina.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.1- O que vem a ser revelação?
Diferença entre “Revelação” e “ Inspiração” divinas
Revelação: É a ação de Deus pela qual Ele dá a conhecer ao
escritor coisas desconhecidas e que o homem por si só não podia
jamais saber. Exemplos Daniel 12.8 e 1Pe 1.10-12.
Inspiração: É a influência sobrenatural do Espírito Santo, como um
sopro, sobre os escritores da Bíblia, capacitando-os a receber e a
transmitir a mensagem divina, sem mistura ou erro.
• A Bíblia não mente ,mas registra mentiras(Gn 27;At 5.3-
11)mentiras que outros proferiram. Nesse caso, não é a mentira
do registro bíblico que foi inspirado, e sim o registro da mentira.
Ela registra que o insensato diz no seu coração “Não há Deus” (Sl
14.1). Essa declaração, "Não há Deus", não foi inspirada, e sim seu
registro pelo escritor.
Obs.: A Inspiração nem sempre implica em revelação. Toda Escritura
é Inspirada por Deus, mas nem toda ela foi dada por revelação.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
É a influência sobrenatural do Espírito
Santo, como um sopro, sobre os
escritores da Bíblia, capacitando-os a
receber e a transmitir a mensagem
divina, sem mistura ou erro.
A própria Bíblia reivindica a si a inspiração de Deus, pois a
expressão
“Assim diz o Senhor", qual carimbo de autencidade divina, ocorre
mais 2.600 vezes nas páginas bíblicas, além de outras expressões
equivalentes. O Espírito do Senhor falou através dos Escritores.
( Ez 11.5;2Cr 20.14,15 e 24.20).
Os textos clássicos sobre a inspiração da Bíblia
aparecem nas páginas do Novo e Antigo Testamento,
a saber: (2Tm 3.16;2Pe 1.21; Jó 32.8), o processo
pelo qual Deus transmite sua mensagem autorizada
ao homem é apresentada de muitas maneiras.
theopneustos
• A referência de II Tm. 3.16, no entanto, é mais específica
para a doutrina da inspiração. Theopneutos vem de
• a) Theos = “Deus”
• b) Pneo = “soprar, respirar”
• Significa “soprada por Deus”
• Pneo é também a raiz de pneuma, que é “espírito”.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
- Três Elementos que deve constar no estudo da inspiração:
1 ) A Causalidade Divina.
- Deus é a causa da Inspiração.
3) Autoridade Escrita.
- A autoridade não está em quem escreveu, mas naquilo
que foi registrado, porque foi inspirado por Deus.
2) Mediação profética.
- Deus usou pessoas com suas personalidades, respeitando
seus estilos.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
PROVAS DA INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA
- O que diferencia a Bíblia de todos os demais livros do mundo é a
sua inspiração divina (Jó 32.8;2Tm 3.16;2Pe 1.21). No sentido
fisiológico, é a inspiração do ar para dentro dos pulmões. É pela
inspiração do ar que temos fôlego para falar. Daí o ditado “Falar é
fôlego”.
1. É a própria Inspiração Divina da Bíblia.
Quando estamos falando, o ar é expelido dos pulmões: é o que
chamamos de expiração. Pois bem,Deus para falar a Palavra através
dos escritores da Bíblia, inspirou neles o seu Espírito! Portanto,
inspiração divina é a influência sobrenatural do Espírito Santo como
sopro, sobre os escritores da Bíblia. Na Bíblia aparece cerca de 2.600
vezes a expressão “Assim diz o Senhor”.
A NATUREZA DA INSPIRAÇÃO.
Norman Geisler no seu livro “Introdução Bíblica” afirma que o primeiro grande
elo da cadeia comunicativa “de Deus para nós” chama-se Inspiração. Há diversas
teorias a respeito da inspiração. Algumas delas não se coadunam com o ensino
bíblico.
Dentre elas podemos citar:
ORTODOXIA : A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS
Por certa de 18 séculos de história da igreja, prevaleceu a
opinião ortodoxa da inspiração divina. Teólogos ortodoxos
ao longo dos séculos vem ensinando, todos de comum
acordo, que a Bíblia foi inspirada verbalmente e
plenamente.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
A NATUREZA DA INSPIRAÇÃO.
 MODERNISMO: A BÍBLIA CONTÉM A PALAVRA DE DEUS.
Ao surgir o idealismo germânico e a crítica da Bíblica, surgem uma nova visão da
inspiração bíblica, a par do modernismo ou liberalismo teológico. Opondo-se à
opinião ortodoxa tradicional de que a Bíblia é a Palavra de Deus. Os liberais
afirma que a Bíblia só contém a palavra de Deus. Certas da dela é inspirada ou
outras não.
Afirma os modernistas que a bíblia foi vítima da sua era. Afirma que ela teria incorporado
muitas lendas, dos mitos e das falsas crenças relacionadas à ciência
 NEO-ORTODOXIA: A BÍBLIA TORNAS-E A PALAVRA DE DEUS.
No inicio do século XX ,a reviravolta nos acontecimentos mundiais e a influência do pai
dinamarquês do existencialismo,Soren Kierkergaard, deram origem a uma nova reforma na
teologia.
Representada por Karl Barth e Emil Brunner. Karl Barth reconhece que existe algumas
imperfeições no registro escrito (até mesmo nos autógrafos) e, no entanto, afirma que a
Bíblia é fonte da revelação de Deus.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
Teorias falsas da inspiração da Bíblia
- Quanto à inspiração da Bíblia há várias teorias falsas, as quais não
devemos ignorar. Veja.
a) A Teoria da inspiração natural, humana. Essa teoria ensina que a Bíblia
foi escrita por homens dotados de pura genialidade humana e força e
intelectual especiais. Como por Exemplos: Sócrates Shekespeare, Camões
etc. Essa teoria nega totalmente o sobrenatural.
Refute: A Bíblia reivindica que Deus é quem falava através
deles.(2Sm 23.2;At 1.16; Jr 1.9 Ed 1.1; Ez 3.16,17;At 28.25, etc)
b) A Teoria da inspiração divina comum. Essa teoria afirma que a
inspiração dos escritos da Bíblia é a mesma que hoje nos vem quando
oramos,pregamos,cantamos,ensinamos,andamos em comunhão com
Deus,etc.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
c) A Teoria da inspiração parcial. Essa que algumas partes
da Bíblia foi inspiradas, outras não; e que a Bíblia não é a
palavra de Deus, mas a contém.
e) A Teoria da Inspiração das Ideias. Essa teoria ensina que
Deus ensinou as ideias e não suas palavras, estas ficariam a
cargo dos escritores.
d) A Teoria do Ditado Verbal. Ensina a inspiração da Bíblia
só quando as palavras, não deixa lugar para a atividade do
autor.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
II – A INSPIRAÇÃO DIVINA
theopneustos
• A referência de II Tm. 3.16, no entanto, é mais específica
para a doutrina da inspiração. Theopneutos vem de
• a) Theos = “Deus”
• b) Pneo = “soprar, respirar”
• Significa “soprada por Deus”
• Pneo é também a raiz de pneuma, que é “espírito”.
A Teoria Correta sobre a inspiração da Bíblia
A Teoria correta da inspiração da Bíblia é chamada Teoria da
Inspiração Plenária ou Verbal, que ensina que todas as partes da
Bíblia foram igualmente inspiradas. Os escritores não são máquinas
manipulados por Deus. Mas os escritores foram influenciado de
forma poderosa pelo Espirito Santo de Deus.
inspiração plenária e verbal da Bíblia foi resultante da operação
sobrenatural do Espirito Santo, que se utilizou de homens santos
com características diferentes: personalidade, grau de erudição,
estilo literário, ocupação, circunstâncias em que viviam, nível
social, etc.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
III – INSPIRAÇÃO PLENÁRIA E VERBAL
4.1 – Proveitosa para ensinar.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA
 O propósito das Escrituras é o ensino para a salvação em Jesus,
pois elas “podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há
em Cristo Jesus” (2Tm 3.15).
 São ensinos espirituais que não se encontram em nenhum lugar
do mundo.
 A Bíblia revela os mistérios do passado como a criação, os do
futuro como a vinda de Jesus, os decretos eternos de Deus, os
segredos do coração humano e as coisas profundas de Deus (Gn
2.1-4; Is 46.10; Lc 21.25-28).
4.2 – Conduta humana.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA
A Bíblia corrige o erro e é útil para orientar a vida sendo
“proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir,
para instruir em justiça” (v.16b).
Uma das grandezas das Escrituras é a sua aplicabilidade
na vida diária, na família, na igreja, no trabalho e na
sociedade.
Deus é o nosso Criador e somente Ele nos conhece e
sabe o que é bom para suas criaturas.
E essas orientações estão na Bíblia, o “manual do
fabricante”.
4.3 – As traduções da Bíblia
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA
 A autoridade e as instruções das Escrituras valem para todas as línguas
em que elas forem traduzidas.
 É vontade de Deus que todos os povos, tribos, línguas e nações
conheçam sua Palavra (Mt 28.19; At 1.8).
 Em que idioma essa mensagem deve ser pregada? Hebraico? Grego?
Aramaico? Não! Na língua do povo.
 Os apóstolos citam diversas traduções gregas da Septuaginta no Novo
Testamento.
 Isso mostra que a mesma inspiração do Antigo Testamento hebraico se
manteve na Septuaginta.
 A citação de Salmos 8.4-6 em Hebreus 2.6-8 é um bom exemplo. A
inspiração divina se conserva em outras línguas. Desde os tempos do
Antigo Testamento, até hoje, Deus se manifestou e se manifesta a cada
um de seus servos e suas servas no seu próprio idioma.
(EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017
A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos.
Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia).
Conclusão
Cremos que a Bíblia é a única revelação escrita de
Deus para toda a humanidade e que seu texto foi
preservado e sua inspiração divina é mantida nas
2.935 línguas em que ela é traduzida (segundo
dados da Sociedade Bíblica do Brasil). Que cada um
possa receber a Bíblia sem restrição alguma, pois
ela é a Palavra de Deus em qualquer língua em que
vier a ser traduzida.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Éder Tomé
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Moisés Sampaio
 
Dons do Espírito Santo
Dons do Espírito SantoDons do Espírito Santo
Dons do Espírito Santo
Rogério Nunes
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
Panorama do NT - Tiago
Panorama do NT - TiagoPanorama do NT - Tiago
Panorama do NT - Tiago
Respirando Deus
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
Ismael Isidio
 
Introdução à Teologia
Introdução à TeologiaIntrodução à Teologia
Introdução à Teologia
Marcos Aurélio
 
Como preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermãoComo preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica GeralHermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Viva a Igreja
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
Moisés Sampaio
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
Rubens Sohn
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
Diana E Junior
 
01 - Hermeneutica bíblica
01 - Hermeneutica bíblica01 - Hermeneutica bíblica
01 - Hermeneutica bíblica
José Santos
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
Respirando Deus
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
Daniel Junior
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
TH
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
Romulo Roosemberg
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
Cesar Oliveira
 

Mais procurados (20)

Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Dons do Espírito Santo
Dons do Espírito SantoDons do Espírito Santo
Dons do Espírito Santo
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
Timoteo
 
Panorama do NT - Tiago
Panorama do NT - TiagoPanorama do NT - Tiago
Panorama do NT - Tiago
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
Introdução à Teologia
Introdução à TeologiaIntrodução à Teologia
Introdução à Teologia
 
Como preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermãoComo preparar e apresentar seu sermão
Como preparar e apresentar seu sermão
 
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica GeralHermenêutica II - Hermenêutica Geral
Hermenêutica II - Hermenêutica Geral
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MAIORES AULA 1 - PROFETA ISAÍAS.pptx
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 
01 - Hermeneutica bíblica
01 - Hermeneutica bíblica01 - Hermeneutica bíblica
01 - Hermeneutica bíblica
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 

Semelhante a Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)

A supremacia das escrituras lição 02
A supremacia das escrituras   lição 02A supremacia das escrituras   lição 02
A supremacia das escrituras lição 02
Weller Ferreira Da S Ferreira
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Éder Tomé
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
I.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das EscriturasCap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Petula
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
Rubens Sohn
 
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdfLição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
ClaudioLeandro10
 
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
Hamilton Souza
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Andrew Guimarães
 
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
Marcio de Medeiros
 
Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)
Antonio Filho
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
Joel Silva
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
Fabio Couto
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a BíbliaLição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Respirando Deus
 
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
EdilsonJanuariodeSou
 
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Erberson Pinheiro
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
Joel de Oliveira
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
Joel Silva
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Noimix
 

Semelhante a Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia) (20)

A supremacia das escrituras lição 02
A supremacia das escrituras   lição 02A supremacia das escrituras   lição 02
A supremacia das escrituras lição 02
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
 
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
 
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das EscriturasCap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
 
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdfLição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
Lição 1 - Revista - 3 trimestre 2017.pdf
 
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
Revista adulto de professor 3 trimestre 2017
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
 
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
Revista adulto de professor 3ºtrimestre 2017
 
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
Revista adulto-de-professor-3º-trimestre-2017
 
Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)Por que crer na bíblia(01)
Por que crer na bíblia(01)
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a BíbliaLição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
 
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
 
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da BíbliaLição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
Lição 1 - Inspiração divina e autoridade da Bíblia
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 024º trimestre 2015 adolescentes lição 02
4º trimestre 2015 adolescentes lição 02
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
 

Mais de Antonio Filho

A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
Antonio Filho
 
Exposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasExposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticas
Antonio Filho
 
A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.
Antonio Filho
 
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
Antonio Filho
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Antonio Filho
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Antonio Filho
 
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Antonio Filho
 
Princípios para vida
Princípios para vidaPrincípios para vida
Princípios para vida
Antonio Filho
 
Cultivar virtudes
Cultivar virtudesCultivar virtudes
Cultivar virtudes
Antonio Filho
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
Antonio Filho
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
Antonio Filho
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpios
Antonio Filho
 
A igreja de cristo
A igreja de cristoA igreja de cristo
A igreja de cristo
Antonio Filho
 
Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017
Antonio Filho
 
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Antonio Filho
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Antonio Filho
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
Antonio Filho
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
Antonio Filho
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
Antonio Filho
 
Equação 2º grau
Equação 2º grauEquação 2º grau
Equação 2º grau
Antonio Filho
 

Mais de Antonio Filho (20)

A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
 
Exposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticasExposições bíblicas e temáticas
Exposições bíblicas e temáticas
 
A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.A importância de conhecer a deus.
A importância de conhecer a deus.
 
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
O caráter inclusivo da expressão “em cristo”
 
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
Lição 13 (sobre a família e a sua natureza)ebd 2017
 
Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017Lição 12(o mundo vindouro)2017
Lição 12(o mundo vindouro)2017
 
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017Aula( a segunda vinda de cristo)2017
Aula( a segunda vinda de cristo)2017
 
Princípios para vida
Princípios para vidaPrincípios para vida
Princípios para vida
 
Cultivar virtudes
Cultivar virtudesCultivar virtudes
Cultivar virtudes
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)A importancia de conhecer a deus (2)
A importancia de conhecer a deus (2)
 
Inferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpiosInferno – destino eterno dos ímpios
Inferno – destino eterno dos ímpios
 
A igreja de cristo
A igreja de cristoA igreja de cristo
A igreja de cristo
 
Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017Lição 07 (ebd)2017
Lição 07 (ebd)2017
 
Aula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º anoAula(sistema de numeração) 6º ano
Aula(sistema de numeração) 6º ano
 
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
Aula(a importancia de (ere)introdução) (3)
 
Para que serve a religião
Para que serve a religiãoPara que serve a religião
Para que serve a religião
 
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)O verdadeiro sentido da páscoa (2)
O verdadeiro sentido da páscoa (2)
 
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
A historia e importancia da ebd(plenária – 01)
 
Equação 2º grau
Equação 2º grauEquação 2º grau
Equação 2º grau
 

Último

Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)

  • 1. ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé Assim Cremos, assim Vivemos. Texto básico: (2Tm 3.14-17;2Pe 1.21). Profº Pb: Antônio Soares Lição: 01 Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
  • 2. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). 2 Timóteo 3.14-17. 14 — Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. 15 — E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. 16 — Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, 17 — para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra.
  • 3. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo” (2Pe 1.21).
  • 4. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). Cremos na inspiração divina, verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão.
  • 5. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). Conscientizar a respeito da inspiração divina, verbal e plenária da Bíblia Sagrada.
  • 6. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I. Reconhecer a revelação e inspiração da Bíblia Sagrada; II. Mostrar a inspiração divina na Bíblia Sagrada; III. Explicar a inspiração plena e verbal da Bíblia Sagrada; IV. Saber que a Bíblia Sagrada é a nossa única regra de fé e prática.
  • 7. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). CONSIDERAÇÕES INICIAIS O comentarista do trimestre é o pastor Esequias Soares, autor de diversos livros, graduado em Letras, Mestre em Ciência da Religião, presidente da Comissão de Apologética Cristã da CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil) e líder da Assembleia de Deus em Jundiaí, SP.
  • 8. A Bíblia é a revelação de Deus a humanidade. Tudo que Deus tem para o homem e requer do homem, e tudo o que o homem precisa saber para sua saúde espiritual da parte de Deus quanto a sua redenção, conduta cristã e felicidade. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). CONSIDERAÇÕES INICIAIS
  • 9. PONTO CENTRAL Cremos na inspiração divina e autoridade da Bíblia Sagrada. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). Essa inspiração é um fato singular que ocorreu na história da redenção humana. O enfoque da presente lição é sobre a importância e o significado dessa inspiração divina.
  • 10. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.1- O que vem a ser revelação? Diferença entre “Revelação” e “ Inspiração” divinas Revelação: É a ação de Deus pela qual Ele dá a conhecer ao escritor coisas desconhecidas e que o homem por si só não podia jamais saber. Exemplos Daniel 12.8 e 1Pe 1.10-12. Inspiração: É a influência sobrenatural do Espírito Santo, como um sopro, sobre os escritores da Bíblia, capacitando-os a receber e a transmitir a mensagem divina, sem mistura ou erro. • A Bíblia não mente ,mas registra mentiras(Gn 27;At 5.3- 11)mentiras que outros proferiram. Nesse caso, não é a mentira do registro bíblico que foi inspirado, e sim o registro da mentira. Ela registra que o insensato diz no seu coração “Não há Deus” (Sl 14.1). Essa declaração, "Não há Deus", não foi inspirada, e sim seu registro pelo escritor. Obs.: A Inspiração nem sempre implica em revelação. Toda Escritura é Inspirada por Deus, mas nem toda ela foi dada por revelação.
  • 11. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina? É a influência sobrenatural do Espírito Santo, como um sopro, sobre os escritores da Bíblia, capacitando-os a receber e a transmitir a mensagem divina, sem mistura ou erro. A própria Bíblia reivindica a si a inspiração de Deus, pois a expressão “Assim diz o Senhor", qual carimbo de autencidade divina, ocorre mais 2.600 vezes nas páginas bíblicas, além de outras expressões equivalentes. O Espírito do Senhor falou através dos Escritores. ( Ez 11.5;2Cr 20.14,15 e 24.20). Os textos clássicos sobre a inspiração da Bíblia aparecem nas páginas do Novo e Antigo Testamento, a saber: (2Tm 3.16;2Pe 1.21; Jó 32.8), o processo pelo qual Deus transmite sua mensagem autorizada ao homem é apresentada de muitas maneiras.
  • 12. theopneustos • A referência de II Tm. 3.16, no entanto, é mais específica para a doutrina da inspiração. Theopneutos vem de • a) Theos = “Deus” • b) Pneo = “soprar, respirar” • Significa “soprada por Deus” • Pneo é também a raiz de pneuma, que é “espírito”. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
  • 13. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina? - Três Elementos que deve constar no estudo da inspiração: 1 ) A Causalidade Divina. - Deus é a causa da Inspiração. 3) Autoridade Escrita. - A autoridade não está em quem escreveu, mas naquilo que foi registrado, porque foi inspirado por Deus. 2) Mediação profética. - Deus usou pessoas com suas personalidades, respeitando seus estilos.
  • 14. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina? PROVAS DA INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA - O que diferencia a Bíblia de todos os demais livros do mundo é a sua inspiração divina (Jó 32.8;2Tm 3.16;2Pe 1.21). No sentido fisiológico, é a inspiração do ar para dentro dos pulmões. É pela inspiração do ar que temos fôlego para falar. Daí o ditado “Falar é fôlego”. 1. É a própria Inspiração Divina da Bíblia. Quando estamos falando, o ar é expelido dos pulmões: é o que chamamos de expiração. Pois bem,Deus para falar a Palavra através dos escritores da Bíblia, inspirou neles o seu Espírito! Portanto, inspiração divina é a influência sobrenatural do Espírito Santo como sopro, sobre os escritores da Bíblia. Na Bíblia aparece cerca de 2.600 vezes a expressão “Assim diz o Senhor”.
  • 15. A NATUREZA DA INSPIRAÇÃO. Norman Geisler no seu livro “Introdução Bíblica” afirma que o primeiro grande elo da cadeia comunicativa “de Deus para nós” chama-se Inspiração. Há diversas teorias a respeito da inspiração. Algumas delas não se coadunam com o ensino bíblico. Dentre elas podemos citar: ORTODOXIA : A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS Por certa de 18 séculos de história da igreja, prevaleceu a opinião ortodoxa da inspiração divina. Teólogos ortodoxos ao longo dos séculos vem ensinando, todos de comum acordo, que a Bíblia foi inspirada verbalmente e plenamente. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
  • 16. A NATUREZA DA INSPIRAÇÃO.  MODERNISMO: A BÍBLIA CONTÉM A PALAVRA DE DEUS. Ao surgir o idealismo germânico e a crítica da Bíblica, surgem uma nova visão da inspiração bíblica, a par do modernismo ou liberalismo teológico. Opondo-se à opinião ortodoxa tradicional de que a Bíblia é a Palavra de Deus. Os liberais afirma que a Bíblia só contém a palavra de Deus. Certas da dela é inspirada ou outras não. Afirma os modernistas que a bíblia foi vítima da sua era. Afirma que ela teria incorporado muitas lendas, dos mitos e das falsas crenças relacionadas à ciência  NEO-ORTODOXIA: A BÍBLIA TORNAS-E A PALAVRA DE DEUS. No inicio do século XX ,a reviravolta nos acontecimentos mundiais e a influência do pai dinamarquês do existencialismo,Soren Kierkergaard, deram origem a uma nova reforma na teologia. Representada por Karl Barth e Emil Brunner. Karl Barth reconhece que existe algumas imperfeições no registro escrito (até mesmo nos autógrafos) e, no entanto, afirma que a Bíblia é fonte da revelação de Deus. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
  • 17. Teorias falsas da inspiração da Bíblia - Quanto à inspiração da Bíblia há várias teorias falsas, as quais não devemos ignorar. Veja. a) A Teoria da inspiração natural, humana. Essa teoria ensina que a Bíblia foi escrita por homens dotados de pura genialidade humana e força e intelectual especiais. Como por Exemplos: Sócrates Shekespeare, Camões etc. Essa teoria nega totalmente o sobrenatural. Refute: A Bíblia reivindica que Deus é quem falava através deles.(2Sm 23.2;At 1.16; Jr 1.9 Ed 1.1; Ez 3.16,17;At 28.25, etc) b) A Teoria da inspiração divina comum. Essa teoria afirma que a inspiração dos escritos da Bíblia é a mesma que hoje nos vem quando oramos,pregamos,cantamos,ensinamos,andamos em comunhão com Deus,etc. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina?
  • 18. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). I– REVELAÇÃO E INSPIRAÇÃO. 1.2- O que vem a ser inspiração divina? c) A Teoria da inspiração parcial. Essa que algumas partes da Bíblia foi inspiradas, outras não; e que a Bíblia não é a palavra de Deus, mas a contém. e) A Teoria da Inspiração das Ideias. Essa teoria ensina que Deus ensinou as ideias e não suas palavras, estas ficariam a cargo dos escritores. d) A Teoria do Ditado Verbal. Ensina a inspiração da Bíblia só quando as palavras, não deixa lugar para a atividade do autor.
  • 19. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). II – A INSPIRAÇÃO DIVINA theopneustos • A referência de II Tm. 3.16, no entanto, é mais específica para a doutrina da inspiração. Theopneutos vem de • a) Theos = “Deus” • b) Pneo = “soprar, respirar” • Significa “soprada por Deus” • Pneo é também a raiz de pneuma, que é “espírito”.
  • 20. A Teoria Correta sobre a inspiração da Bíblia A Teoria correta da inspiração da Bíblia é chamada Teoria da Inspiração Plenária ou Verbal, que ensina que todas as partes da Bíblia foram igualmente inspiradas. Os escritores não são máquinas manipulados por Deus. Mas os escritores foram influenciado de forma poderosa pelo Espirito Santo de Deus. inspiração plenária e verbal da Bíblia foi resultante da operação sobrenatural do Espirito Santo, que se utilizou de homens santos com características diferentes: personalidade, grau de erudição, estilo literário, ocupação, circunstâncias em que viviam, nível social, etc. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). III – INSPIRAÇÃO PLENÁRIA E VERBAL
  • 21. 4.1 – Proveitosa para ensinar. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA  O propósito das Escrituras é o ensino para a salvação em Jesus, pois elas “podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus” (2Tm 3.15).  São ensinos espirituais que não se encontram em nenhum lugar do mundo.  A Bíblia revela os mistérios do passado como a criação, os do futuro como a vinda de Jesus, os decretos eternos de Deus, os segredos do coração humano e as coisas profundas de Deus (Gn 2.1-4; Is 46.10; Lc 21.25-28).
  • 22. 4.2 – Conduta humana. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA A Bíblia corrige o erro e é útil para orientar a vida sendo “proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (v.16b). Uma das grandezas das Escrituras é a sua aplicabilidade na vida diária, na família, na igreja, no trabalho e na sociedade. Deus é o nosso Criador e somente Ele nos conhece e sabe o que é bom para suas criaturas. E essas orientações estão na Bíblia, o “manual do fabricante”.
  • 23. 4.3 – As traduções da Bíblia (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). IV – ÚNICA REGRA INFALÍVEL DE FÉ E PRÁTICA  A autoridade e as instruções das Escrituras valem para todas as línguas em que elas forem traduzidas.  É vontade de Deus que todos os povos, tribos, línguas e nações conheçam sua Palavra (Mt 28.19; At 1.8).  Em que idioma essa mensagem deve ser pregada? Hebraico? Grego? Aramaico? Não! Na língua do povo.  Os apóstolos citam diversas traduções gregas da Septuaginta no Novo Testamento.  Isso mostra que a mesma inspiração do Antigo Testamento hebraico se manteve na Septuaginta.  A citação de Salmos 8.4-6 em Hebreus 2.6-8 é um bom exemplo. A inspiração divina se conserva em outras línguas. Desde os tempos do Antigo Testamento, até hoje, Deus se manifestou e se manifesta a cada um de seus servos e suas servas no seu próprio idioma.
  • 24. (EBD) Lições Bíblicas – 3º Trimestre de 2017 A Razão da Nossa Fé – Assim cremos, assim vivemos. Lição: 01 –( Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia). Conclusão Cremos que a Bíblia é a única revelação escrita de Deus para toda a humanidade e que seu texto foi preservado e sua inspiração divina é mantida nas 2.935 línguas em que ela é traduzida (segundo dados da Sociedade Bíblica do Brasil). Que cada um possa receber a Bíblia sem restrição alguma, pois ela é a Palavra de Deus em qualquer língua em que vier a ser traduzida.