SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Prof. Bruno Cesar.
www.bruno-cesar.com
INSPIRAÇÃO E INTERPRETAÇÃO BÍBLICA
O QUE É A INSPIRAÇÃO BÍBLICA
• É UM CONCEITO TEOLÓGICO QUE FALA DA FORMA EM QUE A BÍBLIA FOI
ESCRITA E A GARANTIA DA QUALIDADE INERRANTE DO TEXTO BÍBLICO.
• “A INSPIRAÇÃO BÍBLICA DEVERIA SER DEFINIDA NOS MESMOS TERMOS
TEOLÓGICOS QUE DEFINEM A INSPIRAÇÃO PROFÉTICA: A SABER, COMO O
PROCESSO INTEIRO [...] POR MEIO DO QUAL DEUS MOVEU OS HOMENS QUE
HAVIA ESCOLHIDO E PREPARADO (cf. Jr 1:5; Gl 1:15) PARA ESCREVER
EXATAMENTE O QUE ELE QUERIA QUE FOSSE ESCRITO, A FIM DE COMUNICAR
A INSTRUÇÃO DE SALVAÇÃO AO SEU POVO E, ATRAVÉS DELE, AO MUNDO.
ASSIM, A INSPIRAÇÃO BÍBLICA É VERBAL POR SUA PRÓPRIA NATUREZA, POIS
A ESCRITURA RESPIRADA POR DEUS É CONSTITUIDA PELAS PALAVRAS
DADAS POR ELE” (J. I. PACKER “A Inspiração da Bíblia” in “A origem da Bíblia. p.
45).
• Antônio Gilberto define inspiração nos seguintes moldes: “(...) é a
influência sobrenatural do Espírito Santo como um sopro sobre os
escritores da Bíblia, capacitando-os a receber e transmitir a
mensagem sem mistura de erro” (GILBERTO, Antônio. A Bíblia: o livro, a história,
a mensagem. 2 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1982. p. 87).
• Louis Berkhof disse:
• O significado do termo “inspiração” é um tanto indefinido e requer
uma precisão maior. Entendemos por inspiração a influência
sobrenatural exercida pelo Espírito Santo sobre os escritores
sagrados, pela virtude do qual seus escritos receberam
autenticidade divina, e constituem uma regra infalível e suficiente
de fé e prática (BERKHOF, Louis. Princípios de Interpretação Bíblica. São Paulo:
Cultura Cristã, 2000. p. 39).
• Pode-se definir a inspiração de maneira bem simples, como segue: “A
inspiração das Escrituras é aquela influência que Deus exerceu sobre os
autores humanos por intermédio de quem o Antigo Testamento foram escritos”
(Chafer).
• “A inspiração, quando aplicada à Bíblia, é o sopro de Deus dentro dos homens,
habilitando-os dessa forma a receber e a comunicar a verdade divna” (Miller).
• “A inspiração bíblica é aquela influência do Espírito Santo sobre certos homens
escolhidos por Deus para ensinar Sua vontade, que os guardava de erro na
comunicação de tudo que deveria construir uma parte da revelação divina”
(Miles). Miles acrescenta ainda: “Essa influência se estendia: 1º - à isenção do
erro no relato dos fatos históricos; 2º - à confirmação autoritária das verdades
da revelação natural às quais fez referência; 3º - à revelação sobrenatural, ou
seja, às verdades que só podem ser conhecidas por revelação direta de Deus”.
• “A bíblia é Deus falando por meio do Espírito Santo aos homens, por
intermédio dos homens” (Donald D. Turner).
• “Assim notamos que Deus é a origem das Escrituras, porque não somente
impulsionou seus autores humanos a escrever, mas também os guiou
enquanto escreviam. É claro, portanto, que se houver erro nas Escrituras
Originais, então o erro é da parte de Deus, o que já é um absurdo. A obra de
Deus é perfeita, e de conformidade com Seu caráter” (Donald D. Turner).
O QUE A INSPIRAÇÃO BÍBLICA NÃO É
• Inspiração bíblica também não é o mesmo que inspiração poética ou
artística
A INSPIRAÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO
• “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a
repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de
que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para
toda boa obra” (II Tm 3:16-17).
• Quando a Bíblia relata o pecado de Davi, o relato é inspirado e digno
de confiança, mas, a atitude de Davi é reprovável.
• “Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura
provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer
profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos]
falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (II Pe 1:20-
21).
• (1) Toda Escritura, isto é, a Bíblia, é considerada como um todo, porque a
revelação de Deus constitui uma obra só, e aqui percebemos que todas as
porções tem a mesma origem e a mesma autoridade. (2) É inspirada por
Deus, o que nos fornece sua origem e método pelo qual a Bíblia foi feita
palavra divina; foi o Espírito de Deus que operou por intermédio dos
escritores humanos escolhidos, fazendo que as palavras escritas fossem as
mesmas palavras que Deus desejava transmitir. (3) É útil... porque Deus não
faz coisas inúteis: e nisso temos uma prova preciosa da inspiração divina. A
palavra de Deus produz os seguintes efeitos nas vidas dos que a seguem: (a)
para o ensino, pois os homens aprendem nela novas verdades acerca de
Deus e sua vontade; (b) para a repreensão, quando lida, pois então os
homens se lembrem de seus pecados de que ainda não tinham consciência;
(c) para a correção, pois retifica nossas vidas, nossa maneira de agir e de
pensar; (d) para a educação na justiça, pois esclarece o caminho pelo qual
devemos palmilhar. Esse é o efeito da Bíblia, onde quer que seja lida, e é
uma das mais poderosas provas de sua divina inspiração, visto que não há
outro livro no mundo que provoque tais transformações nas vidas de seus
leitores.
• (4) ... A fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente
habilitado para toda boa obra. Que propósito digno de Deus, em
todos os sentidos! O Senhor quer que “seus homens sejam efeitos, e
inspirou a Bíblia para realizar esse propósito (1 João 2:1); Ele quer que
os Seus pratiquem as boas obras (Efésios 2:10; Tito 2:14), pelo que
também inspirou a Bíblia para que os Seus possam ser perfeitamente
instruídos ou habilitados para as mesmas. (TURNER, Donald. D. Introdução ao
Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 41).
OS MANUSCRITOS DO ANTIGO TESTAMENTO
• As cópias eram feitas à mão numa época onde não havia livrarias, nem
sites, nem imprensa.
• O processo era longo e lento e era feito por profissionais
• Havia uma série de regras para as cópias dos textos do Antigo
Testamento.
1) O pergaminho tinha de ser feito da pele de animais cerimonialmente
limpos, e as peles, costuradas umas às outras, com cordões tirados de
animais limpos, era um trabalho que devia ser feito por um judeu.
2) Cada coluna tinha de ter não mais de sessenta linhas e não menos de
quarenta e oito.
3) A tinta, feita segundo fórmula especial, era negra.
4) O escriba tinha que copiar um manuscrito autêntico e nunca deveria
escrever qualquer palavra de memória.
5) Com reverência, tinha que limpar sua pena antes de escrever a palavra
“Deus”, e era absolutamente necessário banhar todo o corpo antes de
escrever a palavra “Jeová” (Iavé).
6) Havia regras escritas a respeito da forma das letras, dos espaços entre as
letras, palavras e divisões, a cor do pergaminho, o uso da pena, etc.
7) O rolo tinha que ser revisado dentro dos trinta dias seguintes depois de
terminado, ou ficaria sem valor. Um erro condenava a folha; três erros
encontrados numa folha só condenava todo o manuscrito; por três palavras
escritas fora da linha, o todo era rejeitado.
8) Cada palavra e cada letra eram contadas, e se uma letra faltava ou
sobrava, ou se uma letra tocava em outra, tudo era condenado e queimado
em seguida. E havia ainda muitas outras regras.
(TURNER, Donald. D. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 32-33).
• Um certo inglês chamado Kennicott, e um italiano de
nome Rossi examinaram entre si o número total de
1686 diferentes manuscritos hebraicos, e provaram
que todos apresentam praticamente o mesmo texto.
Visto que tudo foi copiado à mão. É admirável que as
variações sejam insignificantes.
• (TURNER, Donald. D. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 33).
A INSPIRAÇÃO DO NOVO TESTAMENTO
• Paulo faz menção do evangelho de Lucas (Lc 10:7), chamando-
o de “Escritura” e colocando-o em pé de igualdade, digno do
mesmo título de “Escritura”, que o livro de Deuteronômio (Dt
25:4), em I Timóteo 5:18, que diz: “Pois a Escritura declara: Não
amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é
digno do seu salário”. Em I Coríntios 9:14 Paulo menciona o
versículo de Lucas de outra forma, mais uma vez alegando
autoridade escriturística onde diz: “Assim ordenou também o
Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho”.
• “E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como
igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a
sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como,
de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há
certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis
deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a
própria destruição deles” (II Pe 3:15-16).
• [...] há como mostrar que também o Novo Testamento é de origem
divina. Temos passagens como 1Ts 2:13. Mas o texto mais
importante é mesmo Jo 14:26, que nos permite afirmar que o Novo
Testamento é um projeto do próprio Senhor Jesus Cristo. Ele, que
citou e cumpriu o Antigo Testamento, prometeu também o Novo
Testamento. Fez isto ao prometer o Consolador, o Espírito Santo,
explicando que este “vos ensinará todas as coisas e fará lembrar
de tudo que vos tenho dito”. Costumamos aplicar isto a nós, no
âmbito da iluminação ou interpretação dos textos. Mas, no
contexto em que foram proferidas, essas palavras têm em vista a
revelação.
• Aquele “vos” refere-se aos apóstolos que estavam com Jesus durante
aquela ceia de despedida. E foi a esses apóstolos e evangelistas que
o Espírito Santo lembrou o que Jesus tinha dito. Eles foram ensinados
pelo Consolador. E desta lembrança e deste ensino resultou o Novo
Testamento. Assim, podemos afirmar que os apóstolos de Cristo nos
deram duas dádivas: o Antigo Testamento interpretado como livro de
Cristo (seguindo o caminho indicado pelo próprio Jesus em Lc 24:44);
e o testemunho de que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. O primeiro
já era um livro quando a Igreja Cristã nasceu, podendo-se dizer que
ela nasceu com uma Bíblia no berço. O segundo veio a ser um livro, o
nosso Novo Testamento (SCHOLZ, Vilson. E ZIMMER, Rudi in: Manual do Seminário de
Ciências Bíblicas. “A Bíblia: sua natureza, funções e finalidade”. Barueri: SBB, 2008. p. 10).
MANUSCRITOS DO NOVO TESTAMENTO
• O processo de cópias do Novo Testamento foi muito diferente do
Antigo.
• O NT não foi reproduzido por profissionais.
• O NT não teve as regras de cópias do AT
• O NT não tem cópias apenas em um idioma
• O NT tem muito mais cópias
CONCLUSÃO
• A bíblia é a Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo. Ela
é confiável em tudo o que diz, seja em questões históricas,
geográficas, teológicas e psicológicas. Não há nenhum erro na
bíblia, nem científico, nem gramatical ou qualquer outro assunto
a que os textos bíblicos façam menção.
• Vimos bastante sobre o papel do Espírito Santo na inspiração e
preservação das Escrituras, agora veremos qual o papel do
Espírito Santo na interpretação do texto bíblico. Em suma, quão
dependentes somos do Espírito Santo na hermenêutica? Um
não cristão pode interpretar corretamente a Bíblia?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
Homilética lição - 01
Homilética   lição - 01Homilética   lição - 01
Homilética lição - 01
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
 
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
Escatologia o Estudo das Últimas Coisas.
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
7 selos do apocalipse
7 selos do apocalipse7 selos do apocalipse
7 selos do apocalipse
 
A formação da bíblia
A formação da bíbliaA formação da bíblia
A formação da bíblia
 
Hermeneutica bíblica
Hermeneutica bíblicaHermeneutica bíblica
Hermeneutica bíblica
 
Estudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhosEstudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhos
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
 
Homilética
HomiléticaHomilética
Homilética
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
 
01ª aula Introdução á Biblia
01ª aula   Introdução á Biblia01ª aula   Introdução á Biblia
01ª aula Introdução á Biblia
 
Panorama do NT - João
Panorama do NT - JoãoPanorama do NT - João
Panorama do NT - João
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 3.pptx
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateus
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 

Destaque

As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das EscriturasCap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das EscriturasPetula
 
Aula 3 a inspiração
Aula 3   a inspiraçãoAula 3   a inspiração
Aula 3 a inspiraçãonpmscampos
 
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasCap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasPetula
 
Princípios da interpretação bíblica
Princípios da interpretação bíblicaPrincípios da interpretação bíblica
Princípios da interpretação bíblicaDaladier Lima
 
Hermeneutica - Métodos hermenêuticos
Hermeneutica - Métodos hermenêuticosHermeneutica - Métodos hermenêuticos
Hermeneutica - Métodos hermenêuticosibpcursos
 
Aula 5 observações gerais
Aula 5   observações geraisAula 5   observações gerais
Aula 5 observações geraisIago Rodrigues
 
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3igreja-crista
 

Destaque (20)

As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5As traduções bíblicas e o significado do texto 5
As traduções bíblicas e o significado do texto 5
 
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das EscriturasCap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
Cap 2 InspiraçãO, IluminaçãO E Unidade Das Escrituras
 
Aula 3 a inspiração
Aula 3   a inspiraçãoAula 3   a inspiração
Aula 3 a inspiração
 
Hermenêutica na igreja primitiva 7
Hermenêutica na igreja primitiva 7Hermenêutica na igreja primitiva 7
Hermenêutica na igreja primitiva 7
 
A hermenêutica nos séculos xix e xx
A hermenêutica nos séculos xix e xx A hermenêutica nos séculos xix e xx
A hermenêutica nos séculos xix e xx
 
A hermenêutica entre os judeus 6
A hermenêutica entre os judeus 6A hermenêutica entre os judeus 6
A hermenêutica entre os judeus 6
 
Hermenêutica x Exegese
Hermenêutica x ExegeseHermenêutica x Exegese
Hermenêutica x Exegese
 
Hermenêutica ensinai
Hermenêutica  ensinaiHermenêutica  ensinai
Hermenêutica ensinai
 
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das EscriturasCap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
Cap 1 Bibliologia E RevelaçãO Das Escrituras
 
HERMENÊUTICA
HERMENÊUTICAHERMENÊUTICA
HERMENÊUTICA
 
Introdução ao estudo da hermenêutica 1
Introdução ao estudo da hermenêutica 1Introdução ao estudo da hermenêutica 1
Introdução ao estudo da hermenêutica 1
 
Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica
 
Princípios da interpretação bíblica
Princípios da interpretação bíblicaPrincípios da interpretação bíblica
Princípios da interpretação bíblica
 
Hermeneutica - Métodos hermenêuticos
Hermeneutica - Métodos hermenêuticosHermeneutica - Métodos hermenêuticos
Hermeneutica - Métodos hermenêuticos
 
Aula 5 observações gerais
Aula 5   observações geraisAula 5   observações gerais
Aula 5 observações gerais
 
Hermenêutica aula 3
Hermenêutica aula 3Hermenêutica aula 3
Hermenêutica aula 3
 
Lição 4 ebd
Lição 4 ebdLição 4 ebd
Lição 4 ebd
 
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3
Introducao Biblica - A inspiracao do NV e a inspiracao da Biblia - Aula 3
 
Missões e as redes sociais
Missões e as redes sociaisMissões e as redes sociais
Missões e as redes sociais
 
1ª palestra a comunhão na trindade
1ª palestra  a comunhão na trindade1ª palestra  a comunhão na trindade
1ª palestra a comunhão na trindade
 

Semelhante a Inspiração e interpretação bíblica 3

Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxx
Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx         xxxxxBibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx         xxxxx
Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxSergio Nunes
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Noimix
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptxJoel Silva
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01Joel de Oliveira
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01Joel Silva
 
2022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 012022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 01JoelSilva477650
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptxJoel Silva
 
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblica
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblicaUm+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblica
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblicaGedison Lasariny
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Gerson G. Ramos
 
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptx
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptxAula 01 Introdução a Bibliologia.pptx
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptxIzaelNascimento7
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAPr Neto
 
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaInspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaMárcio Martins
 

Semelhante a Inspiração e interpretação bíblica 3 (20)

Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
 
Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxx
Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx         xxxxxBibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx         xxxxx
Bibliologiaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxx
 
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
Bíblia: Palavra de Deus ou de homens?
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 02.pptx
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
2022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 012022 1º trimestre adulto lição 01
2022 1º trimestre adulto lição 01
 
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2022 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
 
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblica
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblicaUm+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblica
Um+estudo+sistemático+de+doutrina+bíblica
 
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
Deus e a revelação_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos
 
Bibliologia vivos
Bibliologia vivosBibliologia vivos
Bibliologia vivos
 
Bibliologia2013
Bibliologia2013Bibliologia2013
Bibliologia2013
 
O cânon do novo testamento
O cânon do novo testamentoO cânon do novo testamento
O cânon do novo testamento
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
Cânon bíblico
Cânon bíblicoCânon bíblico
Cânon bíblico
 
Bíblia - introdução
Bíblia - introduçãoBíblia - introdução
Bíblia - introdução
 
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptx
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptxAula 01 Introdução a Bibliologia.pptx
Aula 01 Introdução a Bibliologia.pptx
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da BíbliaInspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
 

Mais de Bruno Cesar Santos de Sousa

O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblicoO que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblicoBruno Cesar Santos de Sousa
 
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4Bruno Cesar Santos de Sousa
 

Mais de Bruno Cesar Santos de Sousa (18)

Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
 
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblicoO que pode acontecer a um cristão que  despreza o estudo bíblico
O que pode acontecer a um cristão que despreza o estudo bíblico
 
A importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igrejaA importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igreja
 
Hinduísmo
HinduísmoHinduísmo
Hinduísmo
 
Hare krishna
Hare krishnaHare krishna
Hare krishna
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2   2016.1 tarde e noiteNovo testamento 2   2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
 
Novo testamento 1 noite 2016.1
Novo testamento 1   noite 2016.1Novo testamento 1   noite 2016.1
Novo testamento 1 noite 2016.1
 
Budismo
BudismoBudismo
Budismo
 
Homilética I Itaporanga
Homilética I ItaporangaHomilética I Itaporanga
Homilética I Itaporanga
 
Principais Tipos de Sermão
Principais Tipos de SermãoPrincipais Tipos de Sermão
Principais Tipos de Sermão
 
A hermenêutica na reforma protestante 9
A hermenêutica na reforma protestante 9A hermenêutica na reforma protestante 9
A hermenêutica na reforma protestante 9
 
A hermenêutica na idade média 8
A hermenêutica na idade média 8A hermenêutica na idade média 8
A hermenêutica na idade média 8
 
Teologia da prosperidade
Teologia da prosperidadeTeologia da prosperidade
Teologia da prosperidade
 
A corrida da vida cristã
A corrida da vida cristãA corrida da vida cristã
A corrida da vida cristã
 
O papel do espírito santo no livro de Atos
O papel do espírito santo no livro de AtosO papel do espírito santo no livro de Atos
O papel do espírito santo no livro de Atos
 
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4
O papel do espírito santo na interpretação bíblica 4
 
A necessidade do estudo da hermenêutica 2
A necessidade do estudo da hermenêutica 2A necessidade do estudo da hermenêutica 2
A necessidade do estudo da hermenêutica 2
 

Inspiração e interpretação bíblica 3

  • 2. O QUE É A INSPIRAÇÃO BÍBLICA • É UM CONCEITO TEOLÓGICO QUE FALA DA FORMA EM QUE A BÍBLIA FOI ESCRITA E A GARANTIA DA QUALIDADE INERRANTE DO TEXTO BÍBLICO. • “A INSPIRAÇÃO BÍBLICA DEVERIA SER DEFINIDA NOS MESMOS TERMOS TEOLÓGICOS QUE DEFINEM A INSPIRAÇÃO PROFÉTICA: A SABER, COMO O PROCESSO INTEIRO [...] POR MEIO DO QUAL DEUS MOVEU OS HOMENS QUE HAVIA ESCOLHIDO E PREPARADO (cf. Jr 1:5; Gl 1:15) PARA ESCREVER EXATAMENTE O QUE ELE QUERIA QUE FOSSE ESCRITO, A FIM DE COMUNICAR A INSTRUÇÃO DE SALVAÇÃO AO SEU POVO E, ATRAVÉS DELE, AO MUNDO. ASSIM, A INSPIRAÇÃO BÍBLICA É VERBAL POR SUA PRÓPRIA NATUREZA, POIS A ESCRITURA RESPIRADA POR DEUS É CONSTITUIDA PELAS PALAVRAS DADAS POR ELE” (J. I. PACKER “A Inspiração da Bíblia” in “A origem da Bíblia. p. 45).
  • 3. • Antônio Gilberto define inspiração nos seguintes moldes: “(...) é a influência sobrenatural do Espírito Santo como um sopro sobre os escritores da Bíblia, capacitando-os a receber e transmitir a mensagem sem mistura de erro” (GILBERTO, Antônio. A Bíblia: o livro, a história, a mensagem. 2 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1982. p. 87). • Louis Berkhof disse: • O significado do termo “inspiração” é um tanto indefinido e requer uma precisão maior. Entendemos por inspiração a influência sobrenatural exercida pelo Espírito Santo sobre os escritores sagrados, pela virtude do qual seus escritos receberam autenticidade divina, e constituem uma regra infalível e suficiente de fé e prática (BERKHOF, Louis. Princípios de Interpretação Bíblica. São Paulo: Cultura Cristã, 2000. p. 39).
  • 4. • Pode-se definir a inspiração de maneira bem simples, como segue: “A inspiração das Escrituras é aquela influência que Deus exerceu sobre os autores humanos por intermédio de quem o Antigo Testamento foram escritos” (Chafer). • “A inspiração, quando aplicada à Bíblia, é o sopro de Deus dentro dos homens, habilitando-os dessa forma a receber e a comunicar a verdade divna” (Miller). • “A inspiração bíblica é aquela influência do Espírito Santo sobre certos homens escolhidos por Deus para ensinar Sua vontade, que os guardava de erro na comunicação de tudo que deveria construir uma parte da revelação divina” (Miles). Miles acrescenta ainda: “Essa influência se estendia: 1º - à isenção do erro no relato dos fatos históricos; 2º - à confirmação autoritária das verdades da revelação natural às quais fez referência; 3º - à revelação sobrenatural, ou seja, às verdades que só podem ser conhecidas por revelação direta de Deus”.
  • 5. • “A bíblia é Deus falando por meio do Espírito Santo aos homens, por intermédio dos homens” (Donald D. Turner). • “Assim notamos que Deus é a origem das Escrituras, porque não somente impulsionou seus autores humanos a escrever, mas também os guiou enquanto escreviam. É claro, portanto, que se houver erro nas Escrituras Originais, então o erro é da parte de Deus, o que já é um absurdo. A obra de Deus é perfeita, e de conformidade com Seu caráter” (Donald D. Turner).
  • 6. O QUE A INSPIRAÇÃO BÍBLICA NÃO É
  • 7.
  • 8. • Inspiração bíblica também não é o mesmo que inspiração poética ou artística
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. A INSPIRAÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO • “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (II Tm 3:16-17). • Quando a Bíblia relata o pecado de Davi, o relato é inspirado e digno de confiança, mas, a atitude de Davi é reprovável. • “Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo” (II Pe 1:20- 21).
  • 13. • (1) Toda Escritura, isto é, a Bíblia, é considerada como um todo, porque a revelação de Deus constitui uma obra só, e aqui percebemos que todas as porções tem a mesma origem e a mesma autoridade. (2) É inspirada por Deus, o que nos fornece sua origem e método pelo qual a Bíblia foi feita palavra divina; foi o Espírito de Deus que operou por intermédio dos escritores humanos escolhidos, fazendo que as palavras escritas fossem as mesmas palavras que Deus desejava transmitir. (3) É útil... porque Deus não faz coisas inúteis: e nisso temos uma prova preciosa da inspiração divina. A palavra de Deus produz os seguintes efeitos nas vidas dos que a seguem: (a) para o ensino, pois os homens aprendem nela novas verdades acerca de Deus e sua vontade; (b) para a repreensão, quando lida, pois então os homens se lembrem de seus pecados de que ainda não tinham consciência; (c) para a correção, pois retifica nossas vidas, nossa maneira de agir e de pensar; (d) para a educação na justiça, pois esclarece o caminho pelo qual devemos palmilhar. Esse é o efeito da Bíblia, onde quer que seja lida, e é uma das mais poderosas provas de sua divina inspiração, visto que não há outro livro no mundo que provoque tais transformações nas vidas de seus leitores.
  • 14. • (4) ... A fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra. Que propósito digno de Deus, em todos os sentidos! O Senhor quer que “seus homens sejam efeitos, e inspirou a Bíblia para realizar esse propósito (1 João 2:1); Ele quer que os Seus pratiquem as boas obras (Efésios 2:10; Tito 2:14), pelo que também inspirou a Bíblia para que os Seus possam ser perfeitamente instruídos ou habilitados para as mesmas. (TURNER, Donald. D. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 41).
  • 15. OS MANUSCRITOS DO ANTIGO TESTAMENTO • As cópias eram feitas à mão numa época onde não havia livrarias, nem sites, nem imprensa. • O processo era longo e lento e era feito por profissionais • Havia uma série de regras para as cópias dos textos do Antigo Testamento. 1) O pergaminho tinha de ser feito da pele de animais cerimonialmente limpos, e as peles, costuradas umas às outras, com cordões tirados de animais limpos, era um trabalho que devia ser feito por um judeu. 2) Cada coluna tinha de ter não mais de sessenta linhas e não menos de quarenta e oito. 3) A tinta, feita segundo fórmula especial, era negra.
  • 16. 4) O escriba tinha que copiar um manuscrito autêntico e nunca deveria escrever qualquer palavra de memória. 5) Com reverência, tinha que limpar sua pena antes de escrever a palavra “Deus”, e era absolutamente necessário banhar todo o corpo antes de escrever a palavra “Jeová” (Iavé). 6) Havia regras escritas a respeito da forma das letras, dos espaços entre as letras, palavras e divisões, a cor do pergaminho, o uso da pena, etc. 7) O rolo tinha que ser revisado dentro dos trinta dias seguintes depois de terminado, ou ficaria sem valor. Um erro condenava a folha; três erros encontrados numa folha só condenava todo o manuscrito; por três palavras escritas fora da linha, o todo era rejeitado. 8) Cada palavra e cada letra eram contadas, e se uma letra faltava ou sobrava, ou se uma letra tocava em outra, tudo era condenado e queimado em seguida. E havia ainda muitas outras regras. (TURNER, Donald. D. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 32-33).
  • 17. • Um certo inglês chamado Kennicott, e um italiano de nome Rossi examinaram entre si o número total de 1686 diferentes manuscritos hebraicos, e provaram que todos apresentam praticamente o mesmo texto. Visto que tudo foi copiado à mão. É admirável que as variações sejam insignificantes. • (TURNER, Donald. D. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Batista Regular, 2004. p. 33).
  • 18. A INSPIRAÇÃO DO NOVO TESTAMENTO • Paulo faz menção do evangelho de Lucas (Lc 10:7), chamando- o de “Escritura” e colocando-o em pé de igualdade, digno do mesmo título de “Escritura”, que o livro de Deuteronômio (Dt 25:4), em I Timóteo 5:18, que diz: “Pois a Escritura declara: Não amordaces o boi, quando pisa o trigo. E ainda: O trabalhador é digno do seu salário”. Em I Coríntios 9:14 Paulo menciona o versículo de Lucas de outra forma, mais uma vez alegando autoridade escriturística onde diz: “Assim ordenou também o Senhor aos que pregam o evangelho que vivam do evangelho”.
  • 19. • “E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles” (II Pe 3:15-16).
  • 20. • [...] há como mostrar que também o Novo Testamento é de origem divina. Temos passagens como 1Ts 2:13. Mas o texto mais importante é mesmo Jo 14:26, que nos permite afirmar que o Novo Testamento é um projeto do próprio Senhor Jesus Cristo. Ele, que citou e cumpriu o Antigo Testamento, prometeu também o Novo Testamento. Fez isto ao prometer o Consolador, o Espírito Santo, explicando que este “vos ensinará todas as coisas e fará lembrar de tudo que vos tenho dito”. Costumamos aplicar isto a nós, no âmbito da iluminação ou interpretação dos textos. Mas, no contexto em que foram proferidas, essas palavras têm em vista a revelação.
  • 21. • Aquele “vos” refere-se aos apóstolos que estavam com Jesus durante aquela ceia de despedida. E foi a esses apóstolos e evangelistas que o Espírito Santo lembrou o que Jesus tinha dito. Eles foram ensinados pelo Consolador. E desta lembrança e deste ensino resultou o Novo Testamento. Assim, podemos afirmar que os apóstolos de Cristo nos deram duas dádivas: o Antigo Testamento interpretado como livro de Cristo (seguindo o caminho indicado pelo próprio Jesus em Lc 24:44); e o testemunho de que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. O primeiro já era um livro quando a Igreja Cristã nasceu, podendo-se dizer que ela nasceu com uma Bíblia no berço. O segundo veio a ser um livro, o nosso Novo Testamento (SCHOLZ, Vilson. E ZIMMER, Rudi in: Manual do Seminário de Ciências Bíblicas. “A Bíblia: sua natureza, funções e finalidade”. Barueri: SBB, 2008. p. 10).
  • 22. MANUSCRITOS DO NOVO TESTAMENTO • O processo de cópias do Novo Testamento foi muito diferente do Antigo. • O NT não foi reproduzido por profissionais. • O NT não teve as regras de cópias do AT • O NT não tem cópias apenas em um idioma • O NT tem muito mais cópias
  • 23. CONCLUSÃO • A bíblia é a Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo. Ela é confiável em tudo o que diz, seja em questões históricas, geográficas, teológicas e psicológicas. Não há nenhum erro na bíblia, nem científico, nem gramatical ou qualquer outro assunto a que os textos bíblicos façam menção. • Vimos bastante sobre o papel do Espírito Santo na inspiração e preservação das Escrituras, agora veremos qual o papel do Espírito Santo na interpretação do texto bíblico. Em suma, quão dependentes somos do Espírito Santo na hermenêutica? Um não cristão pode interpretar corretamente a Bíblia?