SlideShare uma empresa Scribd logo
BIBLIOLOGIA
A BÍBLIA.

PROF. FABIO JOSÉ DA SILVA
A Doutrina da Palavra de Deus

O termo
“Palavra de
Deus” pode
designar
muitas coisas
na Bíblia.

É necessário um
exame para
sabermos quais as
opções sobre este
termo.
Os Vários Significados para a Palavra de Deus

O Filho de
Deus como
“a Palavra
de Deus.”
Ap 19.13

Os decretos
poderosos que
causam eventos ou
até mesmo trazem
coisas à existência.

A comunicação
direta de Deus.

Gn 1.3

Gn 2.16-17
Os Vários Significados para a Palavra de Deus

Fala
humana

Autorizadas e orientadas por Deus.
Dt 18.18-20; Êx 4.12; Nm 22.38; 1Sm 15.3,
18, 23; 1Rs 20.36; 2Cr 20.20; 25.15-16;
Is 30.12-14; Jr 6.10-12; 36.29-31

Escrita

Revelação de Deus e seu registro histórico.
Js 24.26; Jr 36.2-4, 27-31; 51.60; 1Co 14.37
O QUE É A BÍBLIA
• A Bíblia é "A Biblioteca Divina" (São
Jeronimo)
• Origem divina da Escritura;
• Conjunto de Livros em unidade;

• A Bíblia é a única fonte de autoridade para
o crente
• "guardar todas as coisas que vos tenho
ordenado" (Mateus 28:20)

• Escrita por mais de 40 autores inspirados por
Deus durante 1500 anos.
• A Revelação de Deus ao homem.
TERMINOLOGIA
• Bíblia: Deriva do grego "Bíblia", plural de
"Biblion" = livro
• O termo "biblion" = aparece em várias passagens da bíblia:
(Lc 3:17,29; Jo 20:30; 21:25; Gl 3:10; 2Tm 4:13; Hb 9:19; 10:7;
Ap 1:11; 5:1,2,3,4,8,9; 10:8; 13:8, 17:8; 20:12; 21:27;
22,7,9,10,18,19)

• Escritura: Deriva do grego "Grammata" =
escritos
• (Jo 5:47; 7:15; At 26:24; 28:21; Rm 2:27,29;7:6; 2Cor 3:6,7; Gl
6:11; 2 Tm 3:15)
• É utilizada para referir-se ao AT (2 Tim 3:16)
• É utilizada para referir-se ao NT (Gl 6:11)
TERMINOLOGIA
• Palavra de Deus.
• Termo usado para se referir tanto ao AT como ao
NT
• Existe muitas passagens que declaram que a
Bíblia É a Palavra de Deus.
• (Dt 6:6-9, 17-18; 2Sm 22:31; Sl 1:2; 12:6; 19:17-11;
119:9,11,18, 89-93, 97-100, 104-105, 130; Pv 30:5-6;
Is 55:10-11; Jr 15:16; 23:29; Mc 13:31; Jo 10:35; Rm
10:17; 1 Tes 2:13; 1Pd 1:23-25; Ap. 1:2).
O QUE É A BÍBLIA
• “Bíblia” é uma palavra
que não aparece na
Bíblia.
•

•

Este nome consta apenas da
capa da Bíblia, mas não o
vemos através do volume
sagrado.
Foi primeiramente aplicado
por João Crisóstomo, grande
pregador e reformador de
Constantinopla (398 – 404).
A ORIGEM DO NOME “BÍBLIA”
• O nome “BÍBLIA” foi
usado pela primeira
vez
por
João
Crisóstomo
no
século IV.
• Ele nomeou os Livros
Sagrados
chamando-os
de
Bíblia.
O Termo Técnico para “Palavra de
Deus” na Bíblia
Termo

Ocorrência

Obs.

“Escrituras”

Cinqüenta e uma
vezes no Novo
Testamento

Grego:
graphâ

Referências Bíblicas
Dt 25.4; Lc 10.7; 1Tm 5.17-18; 2Pe 3.15-16
OS NOMES MAIS COMUNS DA BÍBLIA
• Escrituras (Mt 21.42)
• Sagradas Escrituras (Rm 1.2)
• Livro do Senhor (Is 34.16)
• Palavra de Deus (Hb 4.12)
• Oráculos de Deus (Rm 3.2)
COMO A BÍBLIA FOI ESCRITA?
• A Bíblia é um livro
antigo, e os livros
antigos tinham a
forma de rolos. Eram
feitos de Papiro ou
Pergaminho.
• Êx 2.3 / Jó 8.11 / Is 18.2
DESENHO ALEMÃO DE 1568, ESTICANDO O
PERGAMINHO
• “Quando
vieres, traze a capa
que
deixei
em
Trôade em casa de
Carpo,
e
os
livros, principalmente
os pergaminhos.” 2
Tm 4.13
COMO A BÍBLIA FOI ESCRITA?
• A Bíblia foi originalmente escrita em
forma de rolos.
• Cada livro era um rolo.
• Assim, vemos que os livros sagrados não estavam
unidos, como nós temos agora.

• O que tornou a união possível a união
dos textos:
• Foi a invenção do papel pelos chineses no século II;
• E a prensa de Gutemberg, inventada em 1450 e
utilizada para a impressão do primeiro livro que foi a
bíblia completa de Martinho Lutero.
JESUS LENDO O LIVRO DE ISAÍAS
• Ele foi a Nazaré, onde
havia sido criado, e no
dia de sábado entrou
na sinagoga, como era
seu
costume.
E
levantou-se para ler.
Foi-lhe entregue o livro
do profeta Isaías. Abriuo e encontrou o lugar
onde
está
escrito...

Lucas 4:16-21
QUEM ESCREVEU A BÍBLIA?
• A Bíblia foi escrita por cerca de 40 autores
em um período de aproximadamente 1600
anos (16 séculos).
• Os autores eram poetas, pescadores, reis,
profetas, filósofos, médicos, músicos etc.
• O Antigo Testamento foi escrito em
Hebraico (algumas porções em Aramaico),
e o Novo Testamento foi escrito em Grego.
COMO ACONTECEU O PROCESSO DE ESCRITA
DA BÍBLIA? COMO DEUS INSPIROU A BÍBLIA?

• Direção do Espírito
Santo
• (1Pe 1.10-12; 2Pe 1.20-21);

• Sonhos e Visões
• (Gênesis 37 / Daniel 4 e
5);

• Voz
• (1Samuel 3);

• Teofanias
• (Gênesis 33.22-32; Êxodo
3);

• Mensagens
angelicais
• (Daniel 8.15);

• Estudo e Pesquisa
pessoal
• (Lc 1.1-3; At 1.1-3).
Acontecimentos
e Experiências

Interpretação e
formulação

Assimilação

Transmissão oral

Escritura Original

Cânon

Traduções

Bíblia em
Português
O CAMINHO DA BÍBLIA
POR QUE ACREDITAMOS QUE A BÍBLIA É A PALAVRA DE
DEUS? EVIDÊNCIAS INTERNAS E EXTERNAS

• A Autoridade
(Mc1.22)
•
•
•
•
•
•
•

que

se

auto

confirma

O Testemunho interior do Espírito Santo
A capacidade transformadora da Bíblia
A unidade da Bíblia
As informações Históricas
O Testemunho de Cristo
A Evidência da Influência
A Evidência da Indestrutibilidade
AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA

• As exceções mais profundas na cristandade são
doutrinais; e as exceções doutrinais mais profundas
são aquelas que resultam de desacordos no
tocante a autoridade.
• A autoridade da Sagrada Escritura significa que está é o
critério absoluto de Deus a respeito da verdade em tudo
que afirma;
• Os ensinamentos da Bíblia são seus critérios para todos os
juízos e avaliações;
• A autoridade do mesmo Deus tem sido mediada ao
homem na Bíblia em proposições;
AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA
• As doutrinas da Bíblia são vinculantes.
• Muitas de suas profecias tem sido cumpridas ao pé da
letra.
• As que ainda não se cumpriram terão um cumprimento
final porque é a Palavra de Deus.

• A Bíblia afirma ter autoridade divina.
• Os escritores do AT repetem constantemente a frase “assim
diz o Senhor” como demonstração do fato de que o que
escreveram e disseram procedia de Deus.
AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA
• A autoridade da Bíblia é expressada no AT.
• Como se tem destacado anteriormente, utilizaram umas
duzentas vezes as expressões “assim diz o Senhor” e “o Senhor
diz” (Ex 5:1; 14:1).
• O profeta Isaías declara 20 vezes a frase “a palavra do Senhor”
(veja 1:10) e Jeremias escreve umas 100 vezes a frase “vindo,
pois, a palavra do Senhor a mim” (1:4; 11, 14; 2:1).
• O resto dos profetas seguem o mesmo padrão, logo, podemos
dizer que isto é um reconhecimento da autoridade divina de
seus escritos.
AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA
• A autoridade da Bíblia é declarada no NT.
• Nada tem dado maior honra a Sagrada Escritura que o Senhor
Jesus Cristo. Em Mateus 5:17-18, Jesus declarou:
• “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o
céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da
lei, sem que tudo seja cumprido.” (Mateus 5:17-18)
• Também o Senhor Jesus afirmou que “[...]a Escritura não pode ser
anulada. (João 10:35).
• É afirmar que a palavra de Deus possui tal autoridade que anula-la
acarretaria um castigo.
• Aliás, depois de sua ressureição, explicou a seus discípulos que tudo
estava relacionado com sua morte e sua ressureição (Lucas 24:44-47).
• Por outro lado, o Senhor reconheceu a historicidade de Jonas
(Mateus 12:39-41).
• A criação de Adão e Eva (Mateus 19:4-6).
• A historicidade de Daniel e seu ministério profético (Mateus 24:15);
AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA
• A autoridade das Escrituras foi suscitada pela igreja primitiva.
• Tanto os pais apostólicos, alguns dos quais foram discípulos e
apóstolos, como outros que não foram, entretanto fizeram uso da
Sagrada Escritura, dando a entender que reconheciam sua autoridade e
sua inspiração.
• Se bem que é certo que para o segundo e o terceiro século não havia um
acordo geral do número de livros que deviam ser incluídos no cânon
também é certo que para o século quarto a igreja recebeu a totalidade
dos livros canônicos e os considerou como autorizados.
• Homens como Policarpo (c. 150 d.C.) e Justino Mártir (140 d.C) citaram
amplamente e reconheceram muitos dos livros do NT.
• Cabe citar particularmente Irineu de Lion (c. 170 d.C.) que foi o primeiro pai da
Igreja que citou praticamente todos os livros do NT.
• As citações do NT feitas pelos Pais da Igreja alcançam o número de 23,000
citações.

• Tais citações seriam suficientes para reconstruir todo o NT. Sem
dúvida, os Líderes da Igreja dos primeiros séculos reconheceram sem
rodeios a autoridade das Escrituras. James L. Packer em
Fundamentalism and the Word of God. P.44.
AUTENTICIDADE DA BÍBLIA:
EVIDENCIAS
• Evidencias Bibliográficas: Nenhum outro escrito
antigo tem o respaldo de um número tão grande
de manuscritos como o que tem a Bíblia.
• Evidencias Internas: Não existem nenhuma
contradição em toda a Bíblia, apesar de ser escrita
por mais de 30 autores em um período de 1500
anos.
• Evidencias Externas: Quando a Bíblia trata de
questões de história e ciência, o faz com precisão.
A INERRÂNCIA BÍBLICA
• A Bíblia não falha; não erra; é verdadeira
em tudo quanto afirma (Mateus 5:17-18;
João 10:35).
• Pacto de Lausanne (1974)
• Declaração de Chicago (1978)

• Reconhece as contradições ou falta de
coesão interna encontradas no texto, não
como erros reais, mas como dificuldades
• Podem ser resolvidos quando se obtém todos os
dados relevantes.
CONFECÇÃO DOS ESCRITOS BÍBLICOS DE 2PEDRO 1:21

• Deus selecionou sobrenaturalmente os escritores
humanos da Bíblia (Jr 1:5)
• Lhes comunicou a mensagem que deveria ser entregue
em seu Nome (Jr 1:9)
• Ordenou-lhe escrever a mensagem (Ex 17:14; Jr 36:1-2; Ap
1:19; 14:13)

• Deus limitou o escrito somente as palavras dadas
por Ele ao escritor humano (Jr 36:2)
• Deus atuou de modo que não fosse omitido
nenhuma de suas palavras (Jr 36:2)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
João Áquila Lima Dos Santos
 
Introdução Bíblica
Introdução BíblicaIntrodução Bíblica
Introdução Bíblica
Viva a Igreja
 
Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica
Marcos Aurélio
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
Respirando Deus
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
Respirando Deus
 
O Cânone Das Escrituras
O Cânone Das EscriturasO Cânone Das Escrituras
O Cânone Das Escrituras
DimensaoCatolica
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
Rogério Nunes
 
Estudos os evangelhos
Estudos os evangelhosEstudos os evangelhos
Estudos os evangelhos
André Rocha
 
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus RochaCristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Matheus Rocha
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
CursosTeologicos
 
Métodos de estudos da bíblia
Métodos de estudos da bíbliaMétodos de estudos da bíblia
Métodos de estudos da bíblia
Antonio Filho
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
Gustavo Zimmermann
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Viva a Igreja
 
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
RODRIGO FERREIRA
 

Mais procurados (20)

Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
 
Introdução Bíblica
Introdução BíblicaIntrodução Bíblica
Introdução Bíblica
 
Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica Hermenêutica Bíblica
Hermenêutica Bíblica
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
O Cânone Das Escrituras
O Cânone Das EscriturasO Cânone Das Escrituras
O Cânone Das Escrituras
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
 
Estudos os evangelhos
Estudos os evangelhosEstudos os evangelhos
Estudos os evangelhos
 
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus RochaCristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
Métodos de estudos da bíblia
Métodos de estudos da bíbliaMétodos de estudos da bíblia
Métodos de estudos da bíblia
 
Aula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros PoéticosAula 11 - Livros Poéticos
Aula 11 - Livros Poéticos
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
O pentateuco
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
5 aula bibliologia - preservação e tradução da bíblia
 

Semelhante a Bibliologia - IBADEP: AULA 01

A formação da bíblia
A formação da bíbliaA formação da bíblia
A formação da bíblia
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
Lemuell Canario
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
Joel de Oliveira
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
Joel Silva
 
A bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósitoA bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósito
Erberson Pinheiro
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
Joel Silva
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
Joel Silva
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
Rosana Eugenio Dos Santos
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
Monergista Post
 
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontroTEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
Emanuel Costa
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
01ª aula Introdução á Biblia
01ª aula   Introdução á Biblia01ª aula   Introdução á Biblia
01ª aula Introdução á Biblia
Francilene Santos
 
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdfCOMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
DigenesSoares3
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
Rubens Sohn
 
Introduobblica 121003071240-phpapp02
Introduobblica 121003071240-phpapp02Introduobblica 121003071240-phpapp02
Introduobblica 121003071240-phpapp02
Paulinho Silva
 
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
EdilsonJanuariodeSou
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
Antonio Rodrigues
 
Aula #004 A Bíblia [2011]
Aula #004   A Bíblia [2011]Aula #004   A Bíblia [2011]
Aula #004 A Bíblia [2011]
TH
 

Semelhante a Bibliologia - IBADEP: AULA 01 (20)

A formação da bíblia
A formação da bíbliaA formação da bíblia
A formação da bíblia
 
Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3Inspiração e interpretação bíblica 3
Inspiração e interpretação bíblica 3
 
Bibliologia
BibliologiaBibliologia
Bibliologia
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
 
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 014º trimestre 2015 adolescentes lição 01
4º trimestre 2015 adolescentes lição 01
 
A bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósitoA bíblia: origem e propósito
A bíblia: origem e propósito
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
 
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontroTEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
TEMA BIBLIA para crisma 2° encontro
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
 
01ª aula Introdução á Biblia
01ª aula   Introdução á Biblia01ª aula   Introdução á Biblia
01ª aula Introdução á Biblia
 
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdfCOMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
COMO EXISTIU A BÍBLIA SAGRADA.pdf
 
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptxIBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
IBADEP - BIBLIOLOGIA AULA 1.pptx
 
Introduobblica 121003071240-phpapp02
Introduobblica 121003071240-phpapp02Introduobblica 121003071240-phpapp02
Introduobblica 121003071240-phpapp02
 
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdfAula 3 e 4 Bibliologia.pdf
Aula 3 e 4 Bibliologia.pdf
 
Apostila de bibliologia
Apostila de bibliologiaApostila de bibliologia
Apostila de bibliologia
 
Aula #004 A Bíblia [2011]
Aula #004   A Bíblia [2011]Aula #004   A Bíblia [2011]
Aula #004 A Bíblia [2011]
 

Mais de Coop. Fabio Silva

Antropologia Teológica Unidade II
Antropologia Teológica   Unidade IIAntropologia Teológica   Unidade II
Antropologia Teológica Unidade II
Coop. Fabio Silva
 
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBAREANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
Coop. Fabio Silva
 
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIMLição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
Coop. Fabio Silva
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
Coop. Fabio Silva
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Coop. Fabio Silva
 
Lição 01 Doutrina da Criação
Lição 01   Doutrina da CriaçãoLição 01   Doutrina da Criação
Lição 01 Doutrina da Criação
Coop. Fabio Silva
 
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01 DÍZIMOS
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01  DÍZIMOSPRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01  DÍZIMOS
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01 DÍZIMOS
Coop. Fabio Silva
 
O eterno plano de deus estudo 01
O eterno plano de deus   estudo 01 O eterno plano de deus   estudo 01
O eterno plano de deus estudo 01
Coop. Fabio Silva
 
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01 O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
Coop. Fabio Silva
 
Estudo 02 - Confronto com Moisés
Estudo 02 - Confronto com MoisésEstudo 02 - Confronto com Moisés
Estudo 02 - Confronto com Moisés
Coop. Fabio Silva
 

Mais de Coop. Fabio Silva (10)

Antropologia Teológica Unidade II
Antropologia Teológica   Unidade IIAntropologia Teológica   Unidade II
Antropologia Teológica Unidade II
 
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBAREANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA - UNIDADE I - SETEBARE
 
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIMLição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
Lição 09 - O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
 
Lição 01 Doutrina da Criação
Lição 01   Doutrina da CriaçãoLição 01   Doutrina da Criação
Lição 01 Doutrina da Criação
 
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01 DÍZIMOS
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01  DÍZIMOSPRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01  DÍZIMOS
PRINCÍPIOS DE GENENEROSIDADE: Estudo 01 DÍZIMOS
 
O eterno plano de deus estudo 01
O eterno plano de deus   estudo 01 O eterno plano de deus   estudo 01
O eterno plano de deus estudo 01
 
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01 O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
O ETERNO PLANO DE DEUS - DO AT AO NT: ESTUDO 01
 
Estudo 02 - Confronto com Moisés
Estudo 02 - Confronto com MoisésEstudo 02 - Confronto com Moisés
Estudo 02 - Confronto com Moisés
 

Último

1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (14)

1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

Bibliologia - IBADEP: AULA 01

  • 2. A Doutrina da Palavra de Deus O termo “Palavra de Deus” pode designar muitas coisas na Bíblia. É necessário um exame para sabermos quais as opções sobre este termo.
  • 3. Os Vários Significados para a Palavra de Deus O Filho de Deus como “a Palavra de Deus.” Ap 19.13 Os decretos poderosos que causam eventos ou até mesmo trazem coisas à existência. A comunicação direta de Deus. Gn 1.3 Gn 2.16-17
  • 4. Os Vários Significados para a Palavra de Deus Fala humana Autorizadas e orientadas por Deus. Dt 18.18-20; Êx 4.12; Nm 22.38; 1Sm 15.3, 18, 23; 1Rs 20.36; 2Cr 20.20; 25.15-16; Is 30.12-14; Jr 6.10-12; 36.29-31 Escrita Revelação de Deus e seu registro histórico. Js 24.26; Jr 36.2-4, 27-31; 51.60; 1Co 14.37
  • 5. O QUE É A BÍBLIA • A Bíblia é "A Biblioteca Divina" (São Jeronimo) • Origem divina da Escritura; • Conjunto de Livros em unidade; • A Bíblia é a única fonte de autoridade para o crente • "guardar todas as coisas que vos tenho ordenado" (Mateus 28:20) • Escrita por mais de 40 autores inspirados por Deus durante 1500 anos. • A Revelação de Deus ao homem.
  • 6. TERMINOLOGIA • Bíblia: Deriva do grego "Bíblia", plural de "Biblion" = livro • O termo "biblion" = aparece em várias passagens da bíblia: (Lc 3:17,29; Jo 20:30; 21:25; Gl 3:10; 2Tm 4:13; Hb 9:19; 10:7; Ap 1:11; 5:1,2,3,4,8,9; 10:8; 13:8, 17:8; 20:12; 21:27; 22,7,9,10,18,19) • Escritura: Deriva do grego "Grammata" = escritos • (Jo 5:47; 7:15; At 26:24; 28:21; Rm 2:27,29;7:6; 2Cor 3:6,7; Gl 6:11; 2 Tm 3:15) • É utilizada para referir-se ao AT (2 Tim 3:16) • É utilizada para referir-se ao NT (Gl 6:11)
  • 7. TERMINOLOGIA • Palavra de Deus. • Termo usado para se referir tanto ao AT como ao NT • Existe muitas passagens que declaram que a Bíblia É a Palavra de Deus. • (Dt 6:6-9, 17-18; 2Sm 22:31; Sl 1:2; 12:6; 19:17-11; 119:9,11,18, 89-93, 97-100, 104-105, 130; Pv 30:5-6; Is 55:10-11; Jr 15:16; 23:29; Mc 13:31; Jo 10:35; Rm 10:17; 1 Tes 2:13; 1Pd 1:23-25; Ap. 1:2).
  • 8. O QUE É A BÍBLIA • “Bíblia” é uma palavra que não aparece na Bíblia. • • Este nome consta apenas da capa da Bíblia, mas não o vemos através do volume sagrado. Foi primeiramente aplicado por João Crisóstomo, grande pregador e reformador de Constantinopla (398 – 404).
  • 9. A ORIGEM DO NOME “BÍBLIA” • O nome “BÍBLIA” foi usado pela primeira vez por João Crisóstomo no século IV. • Ele nomeou os Livros Sagrados chamando-os de Bíblia.
  • 10. O Termo Técnico para “Palavra de Deus” na Bíblia Termo Ocorrência Obs. “Escrituras” Cinqüenta e uma vezes no Novo Testamento Grego: graphâ Referências Bíblicas Dt 25.4; Lc 10.7; 1Tm 5.17-18; 2Pe 3.15-16
  • 11. OS NOMES MAIS COMUNS DA BÍBLIA • Escrituras (Mt 21.42) • Sagradas Escrituras (Rm 1.2) • Livro do Senhor (Is 34.16) • Palavra de Deus (Hb 4.12) • Oráculos de Deus (Rm 3.2)
  • 12. COMO A BÍBLIA FOI ESCRITA? • A Bíblia é um livro antigo, e os livros antigos tinham a forma de rolos. Eram feitos de Papiro ou Pergaminho. • Êx 2.3 / Jó 8.11 / Is 18.2
  • 13. DESENHO ALEMÃO DE 1568, ESTICANDO O PERGAMINHO • “Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.” 2 Tm 4.13
  • 14. COMO A BÍBLIA FOI ESCRITA? • A Bíblia foi originalmente escrita em forma de rolos. • Cada livro era um rolo. • Assim, vemos que os livros sagrados não estavam unidos, como nós temos agora. • O que tornou a união possível a união dos textos: • Foi a invenção do papel pelos chineses no século II; • E a prensa de Gutemberg, inventada em 1450 e utilizada para a impressão do primeiro livro que foi a bíblia completa de Martinho Lutero.
  • 15. JESUS LENDO O LIVRO DE ISAÍAS • Ele foi a Nazaré, onde havia sido criado, e no dia de sábado entrou na sinagoga, como era seu costume. E levantou-se para ler. Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías. Abriuo e encontrou o lugar onde está escrito... Lucas 4:16-21
  • 16. QUEM ESCREVEU A BÍBLIA? • A Bíblia foi escrita por cerca de 40 autores em um período de aproximadamente 1600 anos (16 séculos). • Os autores eram poetas, pescadores, reis, profetas, filósofos, médicos, músicos etc. • O Antigo Testamento foi escrito em Hebraico (algumas porções em Aramaico), e o Novo Testamento foi escrito em Grego.
  • 17. COMO ACONTECEU O PROCESSO DE ESCRITA DA BÍBLIA? COMO DEUS INSPIROU A BÍBLIA? • Direção do Espírito Santo • (1Pe 1.10-12; 2Pe 1.20-21); • Sonhos e Visões • (Gênesis 37 / Daniel 4 e 5); • Voz • (1Samuel 3); • Teofanias • (Gênesis 33.22-32; Êxodo 3); • Mensagens angelicais • (Daniel 8.15); • Estudo e Pesquisa pessoal • (Lc 1.1-3; At 1.1-3).
  • 18. Acontecimentos e Experiências Interpretação e formulação Assimilação Transmissão oral Escritura Original Cânon Traduções Bíblia em Português O CAMINHO DA BÍBLIA
  • 19. POR QUE ACREDITAMOS QUE A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS? EVIDÊNCIAS INTERNAS E EXTERNAS • A Autoridade (Mc1.22) • • • • • • • que se auto confirma O Testemunho interior do Espírito Santo A capacidade transformadora da Bíblia A unidade da Bíblia As informações Históricas O Testemunho de Cristo A Evidência da Influência A Evidência da Indestrutibilidade
  • 20. AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA • As exceções mais profundas na cristandade são doutrinais; e as exceções doutrinais mais profundas são aquelas que resultam de desacordos no tocante a autoridade. • A autoridade da Sagrada Escritura significa que está é o critério absoluto de Deus a respeito da verdade em tudo que afirma; • Os ensinamentos da Bíblia são seus critérios para todos os juízos e avaliações; • A autoridade do mesmo Deus tem sido mediada ao homem na Bíblia em proposições;
  • 21. AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA • As doutrinas da Bíblia são vinculantes. • Muitas de suas profecias tem sido cumpridas ao pé da letra. • As que ainda não se cumpriram terão um cumprimento final porque é a Palavra de Deus. • A Bíblia afirma ter autoridade divina. • Os escritores do AT repetem constantemente a frase “assim diz o Senhor” como demonstração do fato de que o que escreveram e disseram procedia de Deus.
  • 22. AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA • A autoridade da Bíblia é expressada no AT. • Como se tem destacado anteriormente, utilizaram umas duzentas vezes as expressões “assim diz o Senhor” e “o Senhor diz” (Ex 5:1; 14:1). • O profeta Isaías declara 20 vezes a frase “a palavra do Senhor” (veja 1:10) e Jeremias escreve umas 100 vezes a frase “vindo, pois, a palavra do Senhor a mim” (1:4; 11, 14; 2:1). • O resto dos profetas seguem o mesmo padrão, logo, podemos dizer que isto é um reconhecimento da autoridade divina de seus escritos.
  • 23. AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA • A autoridade da Bíblia é declarada no NT. • Nada tem dado maior honra a Sagrada Escritura que o Senhor Jesus Cristo. Em Mateus 5:17-18, Jesus declarou: • “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido.” (Mateus 5:17-18) • Também o Senhor Jesus afirmou que “[...]a Escritura não pode ser anulada. (João 10:35). • É afirmar que a palavra de Deus possui tal autoridade que anula-la acarretaria um castigo. • Aliás, depois de sua ressureição, explicou a seus discípulos que tudo estava relacionado com sua morte e sua ressureição (Lucas 24:44-47). • Por outro lado, o Senhor reconheceu a historicidade de Jonas (Mateus 12:39-41). • A criação de Adão e Eva (Mateus 19:4-6). • A historicidade de Daniel e seu ministério profético (Mateus 24:15);
  • 24. AUTORIDADE DA SAGRADA ESCRITURA • A autoridade das Escrituras foi suscitada pela igreja primitiva. • Tanto os pais apostólicos, alguns dos quais foram discípulos e apóstolos, como outros que não foram, entretanto fizeram uso da Sagrada Escritura, dando a entender que reconheciam sua autoridade e sua inspiração. • Se bem que é certo que para o segundo e o terceiro século não havia um acordo geral do número de livros que deviam ser incluídos no cânon também é certo que para o século quarto a igreja recebeu a totalidade dos livros canônicos e os considerou como autorizados. • Homens como Policarpo (c. 150 d.C.) e Justino Mártir (140 d.C) citaram amplamente e reconheceram muitos dos livros do NT. • Cabe citar particularmente Irineu de Lion (c. 170 d.C.) que foi o primeiro pai da Igreja que citou praticamente todos os livros do NT. • As citações do NT feitas pelos Pais da Igreja alcançam o número de 23,000 citações. • Tais citações seriam suficientes para reconstruir todo o NT. Sem dúvida, os Líderes da Igreja dos primeiros séculos reconheceram sem rodeios a autoridade das Escrituras. James L. Packer em Fundamentalism and the Word of God. P.44.
  • 25. AUTENTICIDADE DA BÍBLIA: EVIDENCIAS • Evidencias Bibliográficas: Nenhum outro escrito antigo tem o respaldo de um número tão grande de manuscritos como o que tem a Bíblia. • Evidencias Internas: Não existem nenhuma contradição em toda a Bíblia, apesar de ser escrita por mais de 30 autores em um período de 1500 anos. • Evidencias Externas: Quando a Bíblia trata de questões de história e ciência, o faz com precisão.
  • 26. A INERRÂNCIA BÍBLICA • A Bíblia não falha; não erra; é verdadeira em tudo quanto afirma (Mateus 5:17-18; João 10:35). • Pacto de Lausanne (1974) • Declaração de Chicago (1978) • Reconhece as contradições ou falta de coesão interna encontradas no texto, não como erros reais, mas como dificuldades • Podem ser resolvidos quando se obtém todos os dados relevantes.
  • 27. CONFECÇÃO DOS ESCRITOS BÍBLICOS DE 2PEDRO 1:21 • Deus selecionou sobrenaturalmente os escritores humanos da Bíblia (Jr 1:5) • Lhes comunicou a mensagem que deveria ser entregue em seu Nome (Jr 1:9) • Ordenou-lhe escrever a mensagem (Ex 17:14; Jr 36:1-2; Ap 1:19; 14:13) • Deus limitou o escrito somente as palavras dadas por Ele ao escritor humano (Jr 36:2) • Deus atuou de modo que não fosse omitido nenhuma de suas palavras (Jr 36:2)