SlideShare uma empresa Scribd logo
[object Object],[object Object],[object Object],EE Joaquim Gonçalves Ferreira da Silva
O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer, vencer junto, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso ." 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],P a u t a
[object Object],[object Object],[object Object],OBJETIVO do ENCONTRO
Classificação e descrição dos níveis de proficiência (pro.fi.ci: ên .ci:a)  sf. 1. Qualidade ou atributo de proficiente; COMPETÊNCIA; CAPACIDADE 2. Domínio ou qualificação em certa área de conhecimento ou em dada atividade: teste de proficiência no idioma francês 3. Grau ou nível de aproveitamento; proveito, proficuidade [F.:  proficiente  (sob o rad.  proficienc  -) +  -ia 2 , seg. o mod. vernáculo e por analogia. Ant. ger.:  improficiência. ] Classificação Níveis de Proficiência Descrição  Insuficiente  Abaixo do Básico Os alunos neste nível demonstram domínio insuficiente dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram Suficiente  Básico Os alunos neste nível demonstram desenvolvimento parcial dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram.  Suficiente Adequado Os alunos neste nível demonstram conhecimentos e domínio dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram.  . Avançado Avançado Os alunos neste nível demonstram conhecimentos e domínio dos conteúdos, competências e habilidades além do requerido para a série escolar em que se encontram
 
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Recomendações Pedagógicas Português
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Recomendações Pedagógicas
Boletim Língua Portuguesa
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Recomendações Pedagógicas
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
Boletim Português
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Recomendações Pedagógicas
Boletim Portugues
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Considerações finais
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Definições e temas de conteúdos
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Boletim Matemática
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
Boletim Matemática
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
Boletim Matemática
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Calculando a defasagem no nível
Boletim Ciências da Natureza
 
Café 20 minutos
Educação
Diagnostico da diretoria
Atividades  do Saresp 32)   O diagrama abaixo mostra todos os resultados possíveis quando se joga uma moeda 2 vezes para cima.    Completando o diagrama para três jogadas, o número de resultados possíveis é:          (A)   8 (B)  7 (C)  6 (D)  5          
Questão considerada abaixo do básico para o ensino médio questão de 6ª série/7ºano São realizadas pelas seguintes  competências : Supor, analisar, aplicar, concluir,  Tema 4 :  Tratamento da Informação GIII  –  COMPETÊNCIA PARA COMPREENDER Habilidade avaliada H37  – Utilizar diagramas de arvore para resolver problemas simples de contagem.
Comentários  Se os alunos estivessem em situação de manusear as figuras das planificações, possivelmente o índice de acertos seria maior. No caso presente, o aluno precisaria ter desenvolvido melhor o raciocínio espacial, habilidade pouco trabalhada, em  sala de aula (provavelmente por falta de recursos de materiais). Os relativamente altos percentuais alocados nos distratores evidenciam esta situação . Apenas cerca de 60% dos alunos resolveram corretamente, escolhendo C – índice relativamente baixo, se consideramos o nível de dificuldade da questão e o ano escolar cursado.  GAB % de resposta C A B C D 10 14,9 60,2 15
 
P. 124 Comentários  Simplificando a expressão tem-se, +  , alternativa C assinalada por apenas 13,3% dos alunos.  Parece que as dificuldades estão localizadas no uso dos  procedimentos, sobretudo na redu ç ão das fra ç ões ao mesmo denominador. Est á  associada ao distrator D, um percentual de escolha muito alto, que parece ter atra í do aqueles alunos que simplesmente somaram os numeradores, mantendo o denominador igual a 100. Dados estes resultados não  é  demais repetir que os alunos se resolverem em sala de aula, com aux í lio do professor, podem superar estas dificuldades com muitos exerc í cios de fixa ç ão sobre simplifica ç ão de expressões com n ú meros fracion á rios.  GAB % de resposta C A B C D 12,2 13,7 13,3 60,8
 
1-  Na propaganda, a cidadania é tratada como se fosse gente porque precisa de (A) alimento. (B) estima. (C) cuidado. (D) carinho. .
2- Segundo a receita, depois de juntar a manteiga, as quatro gemas e o parmesão, (A) misturam-se as gemas ligeiramente. ( B) põe-se o leite para amolecer o arroz. (C) unta-se a forma antes de ir ao forno. (D) passa-se o arroz no moedor de carne.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],A) 550 B) 650 C) 750 D) 850
  Qual  é  a medida do menor ângulo formado pelos ponteiros de um rel ó gio quando ele marca 12 horas e 0 minutos? a ) 90 o  b) 120 o c) 135 o  d) 150 o
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],LÍNGUA PORTUGUESA
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oficina matriz de referencia
Oficina matriz de referenciaOficina matriz de referencia
Oficina matriz de referencia
André Pereira Rocha
 
Provinha Brasil 2014
Provinha Brasil 2014Provinha Brasil 2014
Provinha Brasil 2014
Rosemary Batista
 
2015 teste intermédio português 2º ano
2015 teste intermédio português 2º ano2015 teste intermédio português 2º ano
2015 teste intermédio português 2º ano
lctgac
 
Slides oficina
Slides oficinaSlides oficina
Slides oficina
Clarice-Borges
 
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
ClausoArandas1
 
Texto de orientacao
Texto de orientacaoTexto de orientacao
Texto de orientacao
Edson Mamprin
 
Aap recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
Aap   recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...Aap   recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
Aap recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
JULIO CESAR DURVAL
 
Provinha brasil blog
Provinha brasil   blogProvinha brasil   blog
Provinha brasil blog
Marcia Miranda
 
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Mari_Saracchini
 
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Claudia Elisabete Silva
 
Formação slide
Formação slideFormação slide
Formação slide
luciaoliv
 
L Portuguesa
L PortuguesaL Portuguesa
L Portuguesa
Milton Alvaro Menon
 
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIAA avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
Mila Rodrigues
 
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinasAap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Glauco Roberto Bertucci
 
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
Editora Moderna
 
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
diretoriabragpta
 
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itensSis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
monicaosanches
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
luciaoliv
 
Ie pf plnm_64_94_839_2014
Ie pf plnm_64_94_839_2014Ie pf plnm_64_94_839_2014
Ie pf plnm_64_94_839_2014
Mayjö .
 
Caderno prof ing_fund
Caderno prof ing_fundCaderno prof ing_fund
Caderno prof ing_fund
JanainaFerreira81
 

Mais procurados (20)

Oficina matriz de referencia
Oficina matriz de referenciaOficina matriz de referencia
Oficina matriz de referencia
 
Provinha Brasil 2014
Provinha Brasil 2014Provinha Brasil 2014
Provinha Brasil 2014
 
2015 teste intermédio português 2º ano
2015 teste intermédio português 2º ano2015 teste intermédio português 2º ano
2015 teste intermédio português 2º ano
 
Slides oficina
Slides oficinaSlides oficina
Slides oficina
 
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
Oficina pedagogica lingua_portuguesa_2013
 
Texto de orientacao
Texto de orientacaoTexto de orientacao
Texto de orientacao
 
Aap recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
Aap   recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...Aap   recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
Aap recomendações de língua portuguesa - 8º ano do ensino fundamental - atu...
 
Provinha brasil blog
Provinha brasil   blogProvinha brasil   blog
Provinha brasil blog
 
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
 
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
 
Formação slide
Formação slideFormação slide
Formação slide
 
L Portuguesa
L PortuguesaL Portuguesa
L Portuguesa
 
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIAA avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
A avaliação da Provinha Brasil dentro do Bloco Inicial de Alfabetização/BIA
 
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinasAap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
Aap 6º ano_-_todas_as_disciplinas
 
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
Seminário Aprova Brasil - PR 3 - 2010
 
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013Avaliação da aprendizagem em processo  (aap) julho 2013
Avaliação da aprendizagem em processo (aap) julho 2013
 
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itensSis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
 
Ie pf plnm_64_94_839_2014
Ie pf plnm_64_94_839_2014Ie pf plnm_64_94_839_2014
Ie pf plnm_64_94_839_2014
 
Caderno prof ing_fund
Caderno prof ing_fundCaderno prof ing_fund
Caderno prof ing_fund
 

Destaque

Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
RodrigoLeaoenfermeiro
 
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
Sou Enfermagem
 
Protocolo sisvan
Protocolo sisvanProtocolo sisvan
Protocolo sisvan
monicarochag
 
3 pontos antropométricos e medidas antropométricas
3   pontos antropométricos e medidas antropométricas3   pontos antropométricos e medidas antropométricas
3 pontos antropométricos e medidas antropométricas
João Silva
 
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnicoModelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
Janaina Fernandes
 
Assistência de enfermagem por ciclos de vida
Assistência de enfermagem por ciclos de vidaAssistência de enfermagem por ciclos de vida
Assistência de enfermagem por ciclos de vida
Centro Universitário Ages
 
Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)
ANDRESSA POUBEL
 
Aula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do PacienteAula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do Paciente
Proqualis
 
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Prof. Saulo Bezerra
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
Camila Melo
 
Curriculo:Enfermeiro
Curriculo:Enfermeiro Curriculo:Enfermeiro
Curriculo:Enfermeiro
Vili Rodrigues
 
Enfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certosEnfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certos
flaviolimaenfermeiro
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
JONAS ARAUJO
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Marco Antonio
 
Administração de medicamentos por via parenteral
Administração de medicamentos por via parenteralAdministração de medicamentos por via parenteral
Administração de medicamentos por via parenteral
Aline Neves
 
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Viviane da Silva
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
9999894014
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Jesiele Spindler
 
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIAMEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
godesimoes
 
Administração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagemAdministração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagem
Marcio Pinto da Silva
 

Destaque (20)

Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
PROFAE - Enfermagem - CADERNO 04
 
Protocolo sisvan
Protocolo sisvanProtocolo sisvan
Protocolo sisvan
 
3 pontos antropométricos e medidas antropométricas
3   pontos antropométricos e medidas antropométricas3   pontos antropométricos e medidas antropométricas
3 pontos antropométricos e medidas antropométricas
 
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnicoModelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
Modelo de-plano-de-curso-ensino-tecnico
 
Assistência de enfermagem por ciclos de vida
Assistência de enfermagem por ciclos de vidaAssistência de enfermagem por ciclos de vida
Assistência de enfermagem por ciclos de vida
 
Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)Apresentação administração de medicamentos (1)
Apresentação administração de medicamentos (1)
 
Aula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do PacienteAula Identificação Correta do Paciente
Aula Identificação Correta do Paciente
 
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
Medidas antropometricas (IMC, CA e ICQ)
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
 
Curriculo:Enfermeiro
Curriculo:Enfermeiro Curriculo:Enfermeiro
Curriculo:Enfermeiro
 
Enfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certosEnfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certos
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
 
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em EnfermagemSemiologia e Semiotécnica em Enfermagem
Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem
 
Administração de medicamentos por via parenteral
Administração de medicamentos por via parenteralAdministração de medicamentos por via parenteral
Administração de medicamentos por via parenteral
 
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
Administração medicamentos: regras gerais e tipos de seringas
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
 
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele SpindlerAssistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
Assistencia Enfermagem Neonatal - Enf Jesiele Spindler
 
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIAMEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
MEDIDAS E AVALIAÇÃO ANTROPOMETRIA
 
Administração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagemAdministração de medicamentos em enfermagem
Administração de medicamentos em enfermagem
 

Semelhante a Joaquim gonçalves

Portfolio Alunos
Portfolio AlunosPortfolio Alunos
Portfolio Alunos
ANA GRALHEIRO
 
Pautas da formação 1
Pautas da formação 1Pautas da formação 1
Pautas da formação 1
educacao sao roque
 
Primeiro aprender
Primeiro aprenderPrimeiro aprender
Primeiro aprender
Rubens Rodrigues
 
Saresp2
Saresp2Saresp2
Saresp2
telasnorte1
 
Informação prova ingles 11º
Informação prova ingles 11ºInformação prova ingles 11º
Informação prova ingles 11º
esrdaquadrodemerito
 
Rp mat 8_ef
Rp mat 8_efRp mat 8_ef
Rp mat 8_ef
CNT_2013
 
PIM - Manual Geral
PIM - Manual GeralPIM - Manual Geral
PIM - Manual Geral
Michele Rufatto Vaz
 
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUASCOMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
Vinicius O Resiliente
 
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUASCOMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
Leonardo Messias
 
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
Carlos Ferreira
 
Adequações curriculares e de avaliação
Adequações curriculares e de avaliaçãoAdequações curriculares e de avaliação
Adequações curriculares e de avaliação
João Adelino Santos
 
Informação prova inglês 12º
Informação prova inglês 12ºInformação prova inglês 12º
Informação prova inglês 12º
esrdaquadrodemerito
 
Aprender a estudar
Aprender a estudarAprender a estudar
Aprender a estudar
mariafilomenalr
 
Rp mat 9_ef
Rp mat 9_efRp mat 9_ef
Rp mat 9_ef
CNT_2013
 
110831 av proc
110831 av proc110831 av proc
110831 av proc
nucleoinformaticabp
 
Replanejamento 2019
Replanejamento 2019Replanejamento 2019
Oficina 2
Oficina 2Oficina 2
Oficina para criação de Instrumento Avaliativo
Oficina para criação de Instrumento AvaliativoOficina para criação de Instrumento Avaliativo
Oficina para criação de Instrumento Avaliativo
Cesar Eduardo
 
Informação prova inglês
Informação prova inglêsInformação prova inglês
Informação prova inglês
esrdaquadrodemerito
 
Projeto educativo de escola 2012 2013
Projeto educativo de escola 2012 2013Projeto educativo de escola 2012 2013
Projeto educativo de escola 2012 2013
esrdaquadrodemerito
 

Semelhante a Joaquim gonçalves (20)

Portfolio Alunos
Portfolio AlunosPortfolio Alunos
Portfolio Alunos
 
Pautas da formação 1
Pautas da formação 1Pautas da formação 1
Pautas da formação 1
 
Primeiro aprender
Primeiro aprenderPrimeiro aprender
Primeiro aprender
 
Saresp2
Saresp2Saresp2
Saresp2
 
Informação prova ingles 11º
Informação prova ingles 11ºInformação prova ingles 11º
Informação prova ingles 11º
 
Rp mat 8_ef
Rp mat 8_efRp mat 8_ef
Rp mat 8_ef
 
PIM - Manual Geral
PIM - Manual GeralPIM - Manual Geral
PIM - Manual Geral
 
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUASCOMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
 
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUASCOMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
COMO PRODUZIR MATERIAIS PARA O ENSINO DE LÍNGUAS
 
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
ESPANHOL 11 º Ano - Código da Prova: 368 (Prova Escrita e Oral)
 
Adequações curriculares e de avaliação
Adequações curriculares e de avaliaçãoAdequações curriculares e de avaliação
Adequações curriculares e de avaliação
 
Informação prova inglês 12º
Informação prova inglês 12ºInformação prova inglês 12º
Informação prova inglês 12º
 
Aprender a estudar
Aprender a estudarAprender a estudar
Aprender a estudar
 
Rp mat 9_ef
Rp mat 9_efRp mat 9_ef
Rp mat 9_ef
 
110831 av proc
110831 av proc110831 av proc
110831 av proc
 
Replanejamento 2019
Replanejamento 2019Replanejamento 2019
Replanejamento 2019
 
Oficina 2
Oficina 2Oficina 2
Oficina 2
 
Oficina para criação de Instrumento Avaliativo
Oficina para criação de Instrumento AvaliativoOficina para criação de Instrumento Avaliativo
Oficina para criação de Instrumento Avaliativo
 
Informação prova inglês
Informação prova inglêsInformação prova inglês
Informação prova inglês
 
Projeto educativo de escola 2012 2013
Projeto educativo de escola 2012 2013Projeto educativo de escola 2012 2013
Projeto educativo de escola 2012 2013
 

Mais de Andrea Cortelazzi

Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagemWebpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
Andrea Cortelazzi
 
Conceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genéticaConceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genética
Andrea Cortelazzi
 
As bases da hereditariedade
As bases da hereditariedadeAs bases da hereditariedade
As bases da hereditariedade
Andrea Cortelazzi
 
Apoio 3
Apoio 3Apoio 3
Crítica de arte
Crítica de arteCrítica de arte
Crítica de arte
Andrea Cortelazzi
 
Critica
CriticaCritica
Apostilapedagogica2012
Apostilapedagogica2012Apostilapedagogica2012
Apostilapedagogica2012
Andrea Cortelazzi
 
Apostilalegislacao2012
Apostilalegislacao2012Apostilalegislacao2012
Apostilalegislacao2012
Andrea Cortelazzi
 
Apostilapedagogica
ApostilapedagogicaApostilapedagogica
Apostilapedagogica
Andrea Cortelazzi
 
Conselho final
Conselho finalConselho final
Conselho final
Andrea Cortelazzi
 
Pre conselho
Pre conselhoPre conselho
Pre conselho
Andrea Cortelazzi
 
Palestras
PalestrasPalestras
Semana de prevenção atividades dos alunos
Semana de prevenção   atividades dos alunosSemana de prevenção   atividades dos alunos
Semana de prevenção atividades dos alunos
Andrea Cortelazzi
 
Semana de prevenção palestras 6ª serie
Semana de prevenção   palestras 6ª serieSemana de prevenção   palestras 6ª serie
Semana de prevenção palestras 6ª serie
Andrea Cortelazzi
 
Semana de prevenção em para cii
Semana de prevenção em para ciiSemana de prevenção em para cii
Semana de prevenção em para cii
Andrea Cortelazzi
 
Semana de prevenção palestras 5ª series
Semana de prevenção   palestras 5ª seriesSemana de prevenção   palestras 5ª series
Semana de prevenção palestras 5ª series
Andrea Cortelazzi
 
Confraternização
ConfraternizaçãoConfraternização
Confraternização
Andrea Cortelazzi
 
Ação do dia das crianças
Ação do dia das criançasAção do dia das crianças
Ação do dia das crianças
Andrea Cortelazzi
 
VISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
VISITA A OSESP - 2º SEMESTREVISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
VISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
Andrea Cortelazzi
 
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
Andrea Cortelazzi
 

Mais de Andrea Cortelazzi (20)

Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagemWebpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
Webpalestra avaliação multidisciplinar_dificuldades_de_aprendizagem
 
Conceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genéticaConceitos estruturantes da genética
Conceitos estruturantes da genética
 
As bases da hereditariedade
As bases da hereditariedadeAs bases da hereditariedade
As bases da hereditariedade
 
Apoio 3
Apoio 3Apoio 3
Apoio 3
 
Crítica de arte
Crítica de arteCrítica de arte
Crítica de arte
 
Critica
CriticaCritica
Critica
 
Apostilapedagogica2012
Apostilapedagogica2012Apostilapedagogica2012
Apostilapedagogica2012
 
Apostilalegislacao2012
Apostilalegislacao2012Apostilalegislacao2012
Apostilalegislacao2012
 
Apostilapedagogica
ApostilapedagogicaApostilapedagogica
Apostilapedagogica
 
Conselho final
Conselho finalConselho final
Conselho final
 
Pre conselho
Pre conselhoPre conselho
Pre conselho
 
Palestras
PalestrasPalestras
Palestras
 
Semana de prevenção atividades dos alunos
Semana de prevenção   atividades dos alunosSemana de prevenção   atividades dos alunos
Semana de prevenção atividades dos alunos
 
Semana de prevenção palestras 6ª serie
Semana de prevenção   palestras 6ª serieSemana de prevenção   palestras 6ª serie
Semana de prevenção palestras 6ª serie
 
Semana de prevenção em para cii
Semana de prevenção em para ciiSemana de prevenção em para cii
Semana de prevenção em para cii
 
Semana de prevenção palestras 5ª series
Semana de prevenção   palestras 5ª seriesSemana de prevenção   palestras 5ª series
Semana de prevenção palestras 5ª series
 
Confraternização
ConfraternizaçãoConfraternização
Confraternização
 
Ação do dia das crianças
Ação do dia das criançasAção do dia das crianças
Ação do dia das crianças
 
VISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
VISITA A OSESP - 2º SEMESTREVISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
VISITA A OSESP - 2º SEMESTRE
 
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
Projetopolticopedaggico 091113024331-phpapp01
 

Joaquim gonçalves

  • 1.
  • 2. O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer, vencer junto, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso ." 
  • 3.
  • 4.
  • 5. Classificação e descrição dos níveis de proficiência (pro.fi.ci: ên .ci:a) sf. 1. Qualidade ou atributo de proficiente; COMPETÊNCIA; CAPACIDADE 2. Domínio ou qualificação em certa área de conhecimento ou em dada atividade: teste de proficiência no idioma francês 3. Grau ou nível de aproveitamento; proveito, proficuidade [F.: proficiente (sob o rad. proficienc -) + -ia 2 , seg. o mod. vernáculo e por analogia. Ant. ger.: improficiência. ] Classificação Níveis de Proficiência Descrição Insuficiente Abaixo do Básico Os alunos neste nível demonstram domínio insuficiente dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram Suficiente Básico Os alunos neste nível demonstram desenvolvimento parcial dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram. Suficiente Adequado Os alunos neste nível demonstram conhecimentos e domínio dos conteúdos, competências e habilidades requeridos para a série escolar em que se encontram. . Avançado Avançado Os alunos neste nível demonstram conhecimentos e domínio dos conteúdos, competências e habilidades além do requerido para a série escolar em que se encontram
  • 6.  
  • 7.  
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 12.  
  • 13.
  • 14.
  • 16.  
  • 17.
  • 18.
  • 20.  
  • 21.
  • 22.
  • 23.  
  • 24.
  • 25.
  • 27.  
  • 28.
  • 30.  
  • 31.
  • 33.  
  • 34.
  • 36.  
  • 40. Atividades do Saresp 32) O diagrama abaixo mostra todos os resultados possíveis quando se joga uma moeda 2 vezes para cima.    Completando o diagrama para três jogadas, o número de resultados possíveis é:          (A) 8 (B) 7 (C) 6 (D) 5          
  • 41. Questão considerada abaixo do básico para o ensino médio questão de 6ª série/7ºano São realizadas pelas seguintes competências : Supor, analisar, aplicar, concluir, Tema 4 : Tratamento da Informação GIII – COMPETÊNCIA PARA COMPREENDER Habilidade avaliada H37 – Utilizar diagramas de arvore para resolver problemas simples de contagem.
  • 42. Comentários Se os alunos estivessem em situação de manusear as figuras das planificações, possivelmente o índice de acertos seria maior. No caso presente, o aluno precisaria ter desenvolvido melhor o raciocínio espacial, habilidade pouco trabalhada, em sala de aula (provavelmente por falta de recursos de materiais). Os relativamente altos percentuais alocados nos distratores evidenciam esta situação . Apenas cerca de 60% dos alunos resolveram corretamente, escolhendo C – índice relativamente baixo, se consideramos o nível de dificuldade da questão e o ano escolar cursado. GAB % de resposta C A B C D 10 14,9 60,2 15
  • 43.  
  • 44. P. 124 Comentários Simplificando a expressão tem-se, + , alternativa C assinalada por apenas 13,3% dos alunos. Parece que as dificuldades estão localizadas no uso dos procedimentos, sobretudo na redu ç ão das fra ç ões ao mesmo denominador. Est á associada ao distrator D, um percentual de escolha muito alto, que parece ter atra í do aqueles alunos que simplesmente somaram os numeradores, mantendo o denominador igual a 100. Dados estes resultados não é demais repetir que os alunos se resolverem em sala de aula, com aux í lio do professor, podem superar estas dificuldades com muitos exerc í cios de fixa ç ão sobre simplifica ç ão de expressões com n ú meros fracion á rios. GAB % de resposta C A B C D 12,2 13,7 13,3 60,8
  • 45.  
  • 46. 1- Na propaganda, a cidadania é tratada como se fosse gente porque precisa de (A) alimento. (B) estima. (C) cuidado. (D) carinho. .
  • 47. 2- Segundo a receita, depois de juntar a manteiga, as quatro gemas e o parmesão, (A) misturam-se as gemas ligeiramente. ( B) põe-se o leite para amolecer o arroz. (C) unta-se a forma antes de ir ao forno. (D) passa-se o arroz no moedor de carne.
  • 48.
  • 49.
  • 50.   Qual é a medida do menor ângulo formado pelos ponteiros de um rel ó gio quando ele marca 12 horas e 0 minutos? a ) 90 o b) 120 o c) 135 o d) 150 o
  • 51.
  • 52.  
  • 53.
  • 54.
  • 55.
  • 56.  

Notas do Editor

  1. Se