SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Precauções de Isolamento
Precauções de Isolamento
             Rodrigo Abreu
   De um paciente para outro paciente;
   De um paciente para um profissional da saúde;
   De um portador são ou doente para outro.
Sempre      que    houver   suspeita    ou
confirmação de doença infecciosa ,
colonização     ou   infecção    por    um
microrganismo passível de ser disseminado
para outros pacientes ou profissionais que
os assistem.
   Quarto privativo ou com pacientes apresentando
    infecção ou colonização pelo mesmo patógeno;

   Manter preferencialmente um profissional exclusivo para
    os cuidados do paciente;

   Avental e luvas de uso único antes de entrar em contato
    com o paciente ou material infectante;

   Lavar as mãos com anti-séptico (PVPI ou clorexidina
    degermantes) ou utilizar álcool gel, antes e após o
    contato com o paciente ou material infectante. Lavar as
    mãos após a retirada das luvas;

   Uso de artigos (estetoscópio, aparelho de pressão,
    termômetros) individualizado para o paciente ou, se não
    possível, proceder à desinfecção.
 Padrão ou Universal
 Contato
 Respiratório para Aerossol
 Respiratório para Gotículas
 Reverso
 Aplicam-se mediante contato direto ou
  indireto com sangue, todos os líquidos
  corporais, secreções e excreções de
  todos os pacientes, independentemente
  de sua condição infecciosa.
 Portanto, independem da presença ou
  ausência de sangue visível.
 Também se aplicam à pele lesada e as
  membranas mucosas dos pacientes.
Está indicada para situações em que
exista possibilidade de transmissão de
agentes infecciosos por contato direto ou
indireto. Isto é,contato entre pacientes,
contato através do profissional de saúde
(mãos) ou contato por meio de artigos.

Vírus/bactérias entéricos, Clostridium difficile,
Varicela Zoster disseminado, Vírus Sindical
Respiratório ou Vírus Parainfluenza, Bactéria
multi-resistente, Staphylococcus /Streptococcus.
   Diarréia aguda e provavelmente infecciosa
   Diarréia em adulto com historia de uso
    recente de antimicrobiano
   Exantema vesicular
   História de colonização ou infecção por
    bactérias multi-resistentes;
   Infecção de pele, ferida ou trato urinário
    em paciente com internação recente em
    hospital onde bactérias multi-resistentes são
    prevalentes.
   Abcessos ou feridas com drenagem de
    secreção não contida pelo curativo.
A transmissão por aerossóis é diferente da
transmissão por gotículas suspensas no ar.
Algumas partículas eliminadas durante a
respiração, fala ou tosse se ressecam e
ficam    suspensas    no     ar,  podendo
permanecer durante horas e atingir
ambientes diferentes, inclusive quartos
adjacentes (são carreados por corrente de
ar).
Destinam-se às situações de suspeita ou
confirmação de tuberculose pulmonar ou
laríngea, sarampo, varicela e herpes zoster
disseminado.
A transmissão por gotículas ocorre através do
contato próximo com o paciente.
Gotículas de tamanho considerado grande
(>5m) são eliminadas durante a fala,
respiração, tosse, e procedimentos como
aspiração.
Atingem até um metro de distância, e
rapidamente se depositam no chão, cessando
a transmissão. Portanto, a transmissão não
ocorre em distâncias maiores, nem por
períodos prolongados.
Exemplos de doenças transmitidas por
gotículas:      Doença        Meningocócica
Coqueluche e Rubéola.
Indicado    para     pacientes    que
apresentam patologias que causam
Imunodepressão ou Imunossupressão,
com o objetivo de proteger o paciente
de micro-organismos oportunistas.

Ex: Pacientes Transplantados, em uso de
quimioterapia ou radioterapia, em uso
de       dosagens      elevadas      de
corticosteroides, Portadores de SIDA,
doenças autoimunes em crise.
Precaução Reversa
Isolamento

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
Proqualis
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
Rodrigo Abreu
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
ivanaferraz
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
joselene beatriz
 

Mais procurados (20)

Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
 
Paciente em fase terminal
Paciente em fase terminalPaciente em fase terminal
Paciente em fase terminal
 
Aula biossegurança
Aula biossegurançaAula biossegurança
Aula biossegurança
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Aula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergênciaAula 1 - Urgência e emergência
Aula 1 - Urgência e emergência
 
Limpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalarLimpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalar
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
 
Admissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidadeAdmissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidade
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaPrograma nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
 
Aula 01 (4)
Aula 01 (4)Aula 01 (4)
Aula 01 (4)
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Urgência e Emergência
Urgência e EmergênciaUrgência e Emergência
Urgência e Emergência
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
 
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdfAula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
Aula 1- Assistência ao Paciente Grave.pdf
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
 

Semelhante a Isolamento

Cuidados com o paciente acamado
Cuidados com o paciente acamadoCuidados com o paciente acamado
Cuidados com o paciente acamado
FTC
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdfmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
Aloisio Amaral
 
Aula 2012 medidas higiene
Aula 2012 medidas higieneAula 2012 medidas higiene
Aula 2012 medidas higiene
Hosana maniero
 
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
2.1   isolamento - módulo controlo de infeção2.1   isolamento - módulo controlo de infeção
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
JoanaSilvaCoelho
 

Semelhante a Isolamento (20)

Cuidados com o paciente acamado
Cuidados com o paciente acamadoCuidados com o paciente acamado
Cuidados com o paciente acamado
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptxmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pptx
 
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdfmonkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
monkeypox-variola-dos-macacos-anvisa.pdf
 
Aula 2012 medidas higiene
Aula 2012 medidas higieneAula 2012 medidas higiene
Aula 2012 medidas higiene
 
Cuidadoscomopacte
CuidadoscomopacteCuidadoscomopacte
Cuidadoscomopacte
 
Cuidados com o pacte
Cuidados com o pacteCuidados com o pacte
Cuidados com o pacte
 
Fundamentos II precaução 2
Fundamentos II precaução 2Fundamentos II precaução 2
Fundamentos II precaução 2
 
Bioproteção e CCIH
Bioproteção e CCIHBioproteção e CCIH
Bioproteção e CCIH
 
manual.docx
manual.docxmanual.docx
manual.docx
 
Controle Sanitário de Viajantes: doenças e agravos de transmissão respiratória
Controle Sanitário de Viajantes: doenças e agravos de transmissão respiratóriaControle Sanitário de Viajantes: doenças e agravos de transmissão respiratória
Controle Sanitário de Viajantes: doenças e agravos de transmissão respiratória
 
Biosseguranca em Odontologia AULA 01.pptx
Biosseguranca em Odontologia AULA 01.pptxBiosseguranca em Odontologia AULA 01.pptx
Biosseguranca em Odontologia AULA 01.pptx
 
Biossegurança (2)
Biossegurança (2)Biossegurança (2)
Biossegurança (2)
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdfBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pdf
 
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptxBIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
BIOSSEGURANÇA - AULA 02.pptx
 
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptxBIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
 
Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2Ebook anelvira-alterado-2
Ebook anelvira-alterado-2
 
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo MultirresistentePrevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
Prevenção e Controle de Microrganismo Multirresistente
 
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
2.1   isolamento - módulo controlo de infeção2.1   isolamento - módulo controlo de infeção
2.1 isolamento - módulo controlo de infeção
 
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdfBIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
BIOSSEGURANÇA slides PDF.pdf
 
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo) Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
Mecanismos de transmissão (Contato, Gotículas e Aéreo)
 

Mais de Rodrigo Abreu

Aula 3 pesquisas eletrônicas
Aula 3   pesquisas eletrônicasAula 3   pesquisas eletrônicas
Aula 3 pesquisas eletrônicas
Rodrigo Abreu
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Rodrigo Abreu
 
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Aula 1   elaboração de trabalhos científicosAula 1   elaboração de trabalhos científicos
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Rodrigo Abreu
 
Aula 10 termoterapia e crioterapia
Aula 10  termoterapia e crioterapiaAula 10  termoterapia e crioterapia
Aula 10 termoterapia e crioterapia
Rodrigo Abreu
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
Rodrigo Abreu
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
Rodrigo Abreu
 
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Rodrigo Abreu
 
Doenças prevalentes
Doenças prevalentesDoenças prevalentes
Doenças prevalentes
Rodrigo Abreu
 

Mais de Rodrigo Abreu (20)

Aula 3 pesquisas eletrônicas
Aula 3   pesquisas eletrônicasAula 3   pesquisas eletrônicas
Aula 3 pesquisas eletrônicas
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
 
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Aula 1   elaboração de trabalhos científicosAula 1   elaboração de trabalhos científicos
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
 
Ciclo iii 04
Ciclo iii 04Ciclo iii 04
Ciclo iii 04
 
Ciclo iii 03
Ciclo iii 03Ciclo iii 03
Ciclo iii 03
 
Ciclo iii 02
Ciclo iii 02Ciclo iii 02
Ciclo iii 02
 
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01
 
Aula 10 termoterapia e crioterapia
Aula 10  termoterapia e crioterapiaAula 10  termoterapia e crioterapia
Aula 10 termoterapia e crioterapia
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
 
Genero 08
Genero 08Genero 08
Genero 08
 
Genero 07
Genero 07Genero 07
Genero 07
 
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
 
Genero 06
Genero 06Genero 06
Genero 06
 
Genero 05
Genero 05Genero 05
Genero 05
 
Saude mental
Saude mentalSaude mental
Saude mental
 
Saude adolescente
Saude adolescenteSaude adolescente
Saude adolescente
 
Ciclo i 03
Ciclo i 03Ciclo i 03
Ciclo i 03
 
Ciclo i 04
Ciclo i 04Ciclo i 04
Ciclo i 04
 
Doenças prevalentes
Doenças prevalentesDoenças prevalentes
Doenças prevalentes
 

Isolamento

  • 1. Precauções de Isolamento Precauções de Isolamento Rodrigo Abreu
  • 2.
  • 3. De um paciente para outro paciente;  De um paciente para um profissional da saúde;  De um portador são ou doente para outro.
  • 4. Sempre que houver suspeita ou confirmação de doença infecciosa , colonização ou infecção por um microrganismo passível de ser disseminado para outros pacientes ou profissionais que os assistem.
  • 5. Quarto privativo ou com pacientes apresentando infecção ou colonização pelo mesmo patógeno;  Manter preferencialmente um profissional exclusivo para os cuidados do paciente;  Avental e luvas de uso único antes de entrar em contato com o paciente ou material infectante;  Lavar as mãos com anti-séptico (PVPI ou clorexidina degermantes) ou utilizar álcool gel, antes e após o contato com o paciente ou material infectante. Lavar as mãos após a retirada das luvas;  Uso de artigos (estetoscópio, aparelho de pressão, termômetros) individualizado para o paciente ou, se não possível, proceder à desinfecção.
  • 6.  Padrão ou Universal  Contato  Respiratório para Aerossol  Respiratório para Gotículas  Reverso
  • 7.  Aplicam-se mediante contato direto ou indireto com sangue, todos os líquidos corporais, secreções e excreções de todos os pacientes, independentemente de sua condição infecciosa.  Portanto, independem da presença ou ausência de sangue visível.  Também se aplicam à pele lesada e as membranas mucosas dos pacientes.
  • 8.
  • 9. Está indicada para situações em que exista possibilidade de transmissão de agentes infecciosos por contato direto ou indireto. Isto é,contato entre pacientes, contato através do profissional de saúde (mãos) ou contato por meio de artigos. Vírus/bactérias entéricos, Clostridium difficile, Varicela Zoster disseminado, Vírus Sindical Respiratório ou Vírus Parainfluenza, Bactéria multi-resistente, Staphylococcus /Streptococcus.
  • 10. Diarréia aguda e provavelmente infecciosa  Diarréia em adulto com historia de uso recente de antimicrobiano  Exantema vesicular  História de colonização ou infecção por bactérias multi-resistentes;  Infecção de pele, ferida ou trato urinário em paciente com internação recente em hospital onde bactérias multi-resistentes são prevalentes.  Abcessos ou feridas com drenagem de secreção não contida pelo curativo.
  • 11.
  • 12. A transmissão por aerossóis é diferente da transmissão por gotículas suspensas no ar. Algumas partículas eliminadas durante a respiração, fala ou tosse se ressecam e ficam suspensas no ar, podendo permanecer durante horas e atingir ambientes diferentes, inclusive quartos adjacentes (são carreados por corrente de ar). Destinam-se às situações de suspeita ou confirmação de tuberculose pulmonar ou laríngea, sarampo, varicela e herpes zoster disseminado.
  • 13.
  • 14. A transmissão por gotículas ocorre através do contato próximo com o paciente. Gotículas de tamanho considerado grande (>5m) são eliminadas durante a fala, respiração, tosse, e procedimentos como aspiração. Atingem até um metro de distância, e rapidamente se depositam no chão, cessando a transmissão. Portanto, a transmissão não ocorre em distâncias maiores, nem por períodos prolongados. Exemplos de doenças transmitidas por gotículas: Doença Meningocócica Coqueluche e Rubéola.
  • 15.
  • 16. Indicado para pacientes que apresentam patologias que causam Imunodepressão ou Imunossupressão, com o objetivo de proteger o paciente de micro-organismos oportunistas. Ex: Pacientes Transplantados, em uso de quimioterapia ou radioterapia, em uso de dosagens elevadas de corticosteroides, Portadores de SIDA, doenças autoimunes em crise.