SlideShare uma empresa Scribd logo
Termoterapia e Crioterapia
Termoterapia(Calor) e Crioterapia(Frio)
  Aplicação de calor e frio numa região
   lesionada.
  Pode ser terapêutica.
 Competência:
   Enfermeiro e Técnico de Enfermagem
   (Garantir a aplicação segura de calor e frio).
 Observar:
  Integridade da região;
  Capacidade     de    sentir   variações     de
   temperatura;
Fisiologia
 O calor e o frio podem causar respostas
 sistêmicas e locais.

Sistêmicas:
  Através dos mecanismos de perda de
  calor   (sudorese    e   vasodilatação),
  conservação do calor (vasoconstricção) e
  produção de calor (tremor).
Locais:
  Através da estimulação das terminações
  nervosas sensíveis a temperatura dentro da
  pele. Estimulação envia impulsos da periferia
  para o hipotálamo, este deflagra resposta
  adaptativas para manter a temperatura
  corporal. Os receptores se adaptam a
  temperatura local em torno de 15 a 45º C. A
  dor    surge   quando   estes    limites  são
  ultrapassados.
Calor Excessivo: Início com queimação
 seguido de dor;

Frio Excessivo: Início com dormência
  seguido de dor;

 A     capacidade  adaptativa    causa
 problemas como lesões resultantes dos
 extremos de temperatura, lesões
 tissulares.
Efeitos da Aplicação do Calor
Alerta:
 O Calor melhora o fluxo sanguíneo,
  entretanto, quando aplicado por mais de uma
  hora se dá redução deste fluxo por
  vasoconstricção reflexa, a medida que o
  corpo tenta controlar a perda de calor da
  área.
 A exposição contínua ao Calor também
  lesionam células epiteliais, provocando rubor,
  hipersensibilidade localizada e flictenas.
Efeitos da aplicação do Frio
Alerta:
A exposição prolongada ao Frio resulta
 em vasodilatação reflexa. A ausência de
 fluxo sanguíneo adequado pode resultar
 em isquemia tissular.
No excesso de Frio a pele inicialmente
 fica    avermelhada      seguida    por
 mosqueamento azul-púrpureo.
Fatores de Risco na aplicação do
           Calor ou Frio
 Crianças e Idosos
 Feridas abertas, pele rompida, estomas
 Doença vascular periférica (diabetes,
  arteriosclerose) – Frio
 Inconsciência – Calor e Frio
 Lesão Raquimedular – Calor e Frio
 Área de edema e formação de cicatriz
 Abscesso dentário ou do apêndice – Calor
Pré-requisito
                    Área
Prescrição médica   Frequência
                    Tempo

Forma     Úmida
           Seca
Finalidade do Calor
 Vasodilatação periférica
 Facilitar trocas líquidas
 Aumentar      liberação   de leucócitos   e
  antibióticos na área
 Promove relaxamento muscular
 Diminui dor
 Congestão venosa em tecidos lesados.
 AUMENTA permeabilidade capilar
Finalidades do Frio
 Vasoconstrição periférica
 Anestesia local – Diminui dor localizada
  Tensão muscular
  Metabolismo celular
 Reduzir inflamação
 Prevenir formação de edema
  Necessidade 02 dos tecidos
 Aumentar coagulação sanguínea
Indicações de Calor
 Área edemaciada
 Área inflamada
 Ferida infectada
 Artrite
 Doença degenerativa da articulação
 Tensão muscular
 Dor de coluna
 Cólica menstrual
 Abscessos locais
Indicações de Frio
 Trauma direto (deslocamentos, fraturas,
  espasmos muscular)
 Laceração superficial
 Ferida com um furo
 Pequena queimadura
 Dor localizada
 Injeções
 Artrite
 Trauma articular
Medidas de Segurança

Explicar as sensações previstas
durante o procedimento;
Orientar         para     avisar
imediatamente sobre sensações de
desconforto;
Ficar atenta e observar reações
locais;
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físico
lacmuam
 
Termoterapia - calor
Termoterapia - calorTermoterapia - calor
Termoterapia - calor
Nay Ribeiro
 
Exame Físico Geral
Exame Físico Geral Exame Físico Geral
Exame Físico Geral
Eduardo Gomes da Silva
 
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova ComentadaFisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Adson Silva
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
Jardiel7
 
Sinais vitais
Sinais vitaisSinais vitais
Sinais vitais
Marcos Antonio
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
universitária
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
Morgana Oliveira
 
Palestra de Queimaduras
Palestra de QueimadurasPalestra de Queimaduras
Palestra de Queimaduras
Instituto Consciência GO
 
Tratamento de feridas
Tratamento de feridasTratamento de feridas
Tratamento de feridas
Gilson Betta Sevilha
 
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimaraDor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
emaildocavalcante
 
Úlcera Por Pressão
Úlcera Por PressãoÚlcera Por Pressão
Úlcera Por Pressão
Cíntia Costa
 
Pé Diabético
Pé DiabéticoPé Diabético
Pé Diabético
Professor Robson
 
Assistência de Enfermagem na dor
Assistência de Enfermagem na dorAssistência de Enfermagem na dor
Assistência de Enfermagem na dor
Walquer Sobrinho
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
9999894014
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
SMS - Petrópolis
 
Evolução de UTI
Evolução de UTIEvolução de UTI
Evolução de UTI
Daniel Valente
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
Rodrigo Abreu
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
dapab
 
Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
FUAD HAZIME
 

Mais procurados (20)

Exame Físico
Exame FísicoExame Físico
Exame Físico
 
Termoterapia - calor
Termoterapia - calorTermoterapia - calor
Termoterapia - calor
 
Exame Físico Geral
Exame Físico Geral Exame Físico Geral
Exame Físico Geral
 
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova ComentadaFisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Sinais vitais
Sinais vitaisSinais vitais
Sinais vitais
 
Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem   Anotações de enfermagem
Anotações de enfermagem
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
 
Palestra de Queimaduras
Palestra de QueimadurasPalestra de Queimaduras
Palestra de Queimaduras
 
Tratamento de feridas
Tratamento de feridasTratamento de feridas
Tratamento de feridas
 
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimaraDor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
 
Úlcera Por Pressão
Úlcera Por PressãoÚlcera Por Pressão
Úlcera Por Pressão
 
Pé Diabético
Pé DiabéticoPé Diabético
Pé Diabético
 
Assistência de Enfermagem na dor
Assistência de Enfermagem na dorAssistência de Enfermagem na dor
Assistência de Enfermagem na dor
 
Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3Fundamentos de enfermagem aula 3
Fundamentos de enfermagem aula 3
 
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adrianaAula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais   adriana
Aula de Cuidados de enfermagem em vias aéreas artificiais adriana
 
Evolução de UTI
Evolução de UTIEvolução de UTI
Evolução de UTI
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
 
Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
 
Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
 

Destaque

7. termoterapia
7.  termoterapia7.  termoterapia
7. termoterapia
marisol20132
 
Termoterapia
Termoterapia Termoterapia
Termoterapia
Marcela Perez'
 
Los Principios De La TermodináMica Tema 8
Los Principios De La TermodináMica Tema 8Los Principios De La TermodináMica Tema 8
Los Principios De La TermodináMica Tema 8
gueste99c45e
 
Termoterapia.
Termoterapia.Termoterapia.
Termoterapia.
udes
 
termoterapia
termoterapiatermoterapia
termoterapia
Daniela Castro Claro
 
Clase 2 termoterapia
Clase 2 termoterapiaClase 2 termoterapia
Clase 2 termoterapia
ismaelcuya
 

Destaque (6)

7. termoterapia
7.  termoterapia7.  termoterapia
7. termoterapia
 
Termoterapia
Termoterapia Termoterapia
Termoterapia
 
Los Principios De La TermodináMica Tema 8
Los Principios De La TermodináMica Tema 8Los Principios De La TermodináMica Tema 8
Los Principios De La TermodináMica Tema 8
 
Termoterapia.
Termoterapia.Termoterapia.
Termoterapia.
 
termoterapia
termoterapiatermoterapia
termoterapia
 
Clase 2 termoterapia
Clase 2 termoterapiaClase 2 termoterapia
Clase 2 termoterapia
 

Semelhante a Aula 10 termoterapia e crioterapia

Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6 Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
Cleanto Santos Vieira
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
Cecy Peña
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
Priscila Schu
 
termoterapia.ppt
termoterapia.ppttermoterapia.ppt
termoterapia.ppt
thiagopennachaves
 
Hipotermia 2015
Hipotermia 2015Hipotermia 2015
Hipotermia 2015
Fabricio Mendonca
 
termorregulacao_nadia.ppt
termorregulacao_nadia.ppttermorregulacao_nadia.ppt
termorregulacao_nadia.ppt
Igor Sampaio Pinho
 
paciente+queimado.pptx
paciente+queimado.pptxpaciente+queimado.pptx
paciente+queimado.pptx
LarissaOliveira37640
 
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5 Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
Cleanto Santos Vieira
 
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
thiagopennachaves
 
Queimaduras
QueimadurasQueimaduras
Queimaduras
Alexandre Donha
 
temperaturas extremas
temperaturas extremastemperaturas extremas
temperaturas extremas
Andriellen Farias
 
382
382382
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmico
isabelourenco
 
Slide Temperaturas Extremas
Slide Temperaturas ExtremasSlide Temperaturas Extremas
Slide Temperaturas Extremas
Mayke Antonucci
 
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida AmaralTratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Coren-ms Conselho Reg Enfermagem
 
Educação física
Educação físicaEducação física
Educação física
Antonio Paulo
 
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdfAula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
FrancianeOliveira22
 
Apostila de saude ocupacional
Apostila de saude ocupacionalApostila de saude ocupacional
Apostila de saude ocupacional
itepam
 
Infra Vermelho
Infra VermelhoInfra Vermelho
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
ElioenaiAlmeida1
 

Semelhante a Aula 10 termoterapia e crioterapia (20)

Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6 Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
Eletroterapia - calor - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 6
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
 
Termoterapia
TermoterapiaTermoterapia
Termoterapia
 
termoterapia.ppt
termoterapia.ppttermoterapia.ppt
termoterapia.ppt
 
Hipotermia 2015
Hipotermia 2015Hipotermia 2015
Hipotermia 2015
 
termorregulacao_nadia.ppt
termorregulacao_nadia.ppttermorregulacao_nadia.ppt
termorregulacao_nadia.ppt
 
paciente+queimado.pptx
paciente+queimado.pptxpaciente+queimado.pptx
paciente+queimado.pptx
 
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5 Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
Eletroterapia - Frio - agentes térmicos - capítulo 4 Aula 5
 
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
376758105-Termoterapia-Calor-1ª-Aula.ppt
 
Queimaduras
QueimadurasQueimaduras
Queimaduras
 
temperaturas extremas
temperaturas extremastemperaturas extremas
temperaturas extremas
 
382
382382
382
 
Riscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmicoRiscos associados ao ambiente térmico
Riscos associados ao ambiente térmico
 
Slide Temperaturas Extremas
Slide Temperaturas ExtremasSlide Temperaturas Extremas
Slide Temperaturas Extremas
 
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida AmaralTratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
Tratamento Emergencial em Queimaduras - Enf. Cida Amaral
 
Educação física
Educação físicaEducação física
Educação física
 
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdfAula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
Aula-de-Meios-físicos-no-tratamento-da-dor.pdf
 
Apostila de saude ocupacional
Apostila de saude ocupacionalApostila de saude ocupacional
Apostila de saude ocupacional
 
Infra Vermelho
Infra VermelhoInfra Vermelho
Infra Vermelho
 
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
7- Queimaduras, Acidente vascular encefálico (AVE), Infarto agudo do miocárdi...
 

Mais de Rodrigo Abreu

Aula 3 pesquisas eletrônicas
Aula 3   pesquisas eletrônicasAula 3   pesquisas eletrônicas
Aula 3 pesquisas eletrônicas
Rodrigo Abreu
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Rodrigo Abreu
 
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Aula 1   elaboração de trabalhos científicosAula 1   elaboração de trabalhos científicos
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Rodrigo Abreu
 
Ciclo iii 04
Ciclo iii 04Ciclo iii 04
Ciclo iii 04
Rodrigo Abreu
 
Ciclo iii 03
Ciclo iii 03Ciclo iii 03
Ciclo iii 03
Rodrigo Abreu
 
Ciclo iii 02
Ciclo iii 02Ciclo iii 02
Ciclo iii 02
Rodrigo Abreu
 
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01
Rodrigo Abreu
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
Rodrigo Abreu
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
Rodrigo Abreu
 
Genero 08
Genero 08Genero 08
Genero 08
Rodrigo Abreu
 
Genero 07
Genero 07Genero 07
Genero 07
Rodrigo Abreu
 
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Rodrigo Abreu
 
Genero 06
Genero 06Genero 06
Genero 06
Rodrigo Abreu
 
Genero 05
Genero 05Genero 05
Genero 05
Rodrigo Abreu
 
Saude mental
Saude mentalSaude mental
Saude mental
Rodrigo Abreu
 
Saude adolescente
Saude adolescenteSaude adolescente
Saude adolescente
Rodrigo Abreu
 
Ciclo i 03
Ciclo i 03Ciclo i 03
Ciclo i 03
Rodrigo Abreu
 
Ciclo i 04
Ciclo i 04Ciclo i 04
Ciclo i 04
Rodrigo Abreu
 
Doenças prevalentes
Doenças prevalentesDoenças prevalentes
Doenças prevalentes
Rodrigo Abreu
 
Genero 04
Genero 04Genero 04
Genero 04
Rodrigo Abreu
 

Mais de Rodrigo Abreu (20)

Aula 3 pesquisas eletrônicas
Aula 3   pesquisas eletrônicasAula 3   pesquisas eletrônicas
Aula 3 pesquisas eletrônicas
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
 
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
Aula 1   elaboração de trabalhos científicosAula 1   elaboração de trabalhos científicos
Aula 1 elaboração de trabalhos científicos
 
Ciclo iii 04
Ciclo iii 04Ciclo iii 04
Ciclo iii 04
 
Ciclo iii 03
Ciclo iii 03Ciclo iii 03
Ciclo iii 03
 
Ciclo iii 02
Ciclo iii 02Ciclo iii 02
Ciclo iii 02
 
Ciclo iii 01
Ciclo iii 01Ciclo iii 01
Ciclo iii 01
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
 
Aula 08 aspiração endotraqueal
Aula 08   aspiração endotraquealAula 08   aspiração endotraqueal
Aula 08 aspiração endotraqueal
 
Genero 08
Genero 08Genero 08
Genero 08
 
Genero 07
Genero 07Genero 07
Genero 07
 
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
Praticas integrativas complementares_plantas_medicinais_cab31
 
Genero 06
Genero 06Genero 06
Genero 06
 
Genero 05
Genero 05Genero 05
Genero 05
 
Saude mental
Saude mentalSaude mental
Saude mental
 
Saude adolescente
Saude adolescenteSaude adolescente
Saude adolescente
 
Ciclo i 03
Ciclo i 03Ciclo i 03
Ciclo i 03
 
Ciclo i 04
Ciclo i 04Ciclo i 04
Ciclo i 04
 
Doenças prevalentes
Doenças prevalentesDoenças prevalentes
Doenças prevalentes
 
Genero 04
Genero 04Genero 04
Genero 04
 

Aula 10 termoterapia e crioterapia

  • 2. Termoterapia(Calor) e Crioterapia(Frio)  Aplicação de calor e frio numa região lesionada.  Pode ser terapêutica. Competência: Enfermeiro e Técnico de Enfermagem (Garantir a aplicação segura de calor e frio). Observar:  Integridade da região;  Capacidade de sentir variações de temperatura;
  • 3. Fisiologia O calor e o frio podem causar respostas sistêmicas e locais. Sistêmicas: Através dos mecanismos de perda de calor (sudorese e vasodilatação), conservação do calor (vasoconstricção) e produção de calor (tremor).
  • 4. Locais: Através da estimulação das terminações nervosas sensíveis a temperatura dentro da pele. Estimulação envia impulsos da periferia para o hipotálamo, este deflagra resposta adaptativas para manter a temperatura corporal. Os receptores se adaptam a temperatura local em torno de 15 a 45º C. A dor surge quando estes limites são ultrapassados.
  • 5. Calor Excessivo: Início com queimação seguido de dor; Frio Excessivo: Início com dormência seguido de dor; A capacidade adaptativa causa problemas como lesões resultantes dos extremos de temperatura, lesões tissulares.
  • 6. Efeitos da Aplicação do Calor Alerta:  O Calor melhora o fluxo sanguíneo, entretanto, quando aplicado por mais de uma hora se dá redução deste fluxo por vasoconstricção reflexa, a medida que o corpo tenta controlar a perda de calor da área.  A exposição contínua ao Calor também lesionam células epiteliais, provocando rubor, hipersensibilidade localizada e flictenas.
  • 7. Efeitos da aplicação do Frio Alerta: A exposição prolongada ao Frio resulta em vasodilatação reflexa. A ausência de fluxo sanguíneo adequado pode resultar em isquemia tissular. No excesso de Frio a pele inicialmente fica avermelhada seguida por mosqueamento azul-púrpureo.
  • 8. Fatores de Risco na aplicação do Calor ou Frio  Crianças e Idosos  Feridas abertas, pele rompida, estomas  Doença vascular periférica (diabetes, arteriosclerose) – Frio  Inconsciência – Calor e Frio  Lesão Raquimedular – Calor e Frio  Área de edema e formação de cicatriz  Abscesso dentário ou do apêndice – Calor
  • 9. Pré-requisito Área Prescrição médica Frequência Tempo Forma Úmida Seca
  • 10.
  • 11. Finalidade do Calor  Vasodilatação periférica  Facilitar trocas líquidas  Aumentar liberação de leucócitos e antibióticos na área  Promove relaxamento muscular  Diminui dor  Congestão venosa em tecidos lesados.  AUMENTA permeabilidade capilar
  • 12. Finalidades do Frio  Vasoconstrição periférica  Anestesia local – Diminui dor localizada   Tensão muscular   Metabolismo celular  Reduzir inflamação  Prevenir formação de edema   Necessidade 02 dos tecidos  Aumentar coagulação sanguínea
  • 13. Indicações de Calor  Área edemaciada  Área inflamada  Ferida infectada  Artrite  Doença degenerativa da articulação  Tensão muscular  Dor de coluna  Cólica menstrual  Abscessos locais
  • 14. Indicações de Frio  Trauma direto (deslocamentos, fraturas, espasmos muscular)  Laceração superficial  Ferida com um furo  Pequena queimadura  Dor localizada  Injeções  Artrite  Trauma articular
  • 15. Medidas de Segurança Explicar as sensações previstas durante o procedimento; Orientar para avisar imediatamente sobre sensações de desconforto; Ficar atenta e observar reações locais;