SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
As relações entre indivíduos e a
          sociedade
Marx, os indivíduos e as classes
sociais.
 Os indivíduos devem ser analisados de acordo com o
 contexto de suas condições e situações sociais, já que
 produzem sua existência em grupo.
 Os indivíduos construíram sua história e sua existência no
 grupo social.
 A relação entre o trabalhador e empresário, não é apenas
 entre indivíduos, mas também entre as classes sociais: a
 operária e a burguesia.
 O Estado aparece para tentar reduzir o conflito, criando leis
 que, segundo Marx, normalmente são a favor dos capitalistas.
O foco da teoria de Marx está nas classes sociais, embora o
indivíduo também esteja presente. Isso fica claro quando
Marx afirma que os seres humanos constroem sua história,
mas não da maneira que querem, pois existem situações
anteriores que condicionam o modo como ocorre a
construção.
Existem condicionantes estruturais que levam o indivíduo, os
grupos e as classes para determinados caminhos; mas todos têm
capacidade de reagir a esses condicionamentos e até mesmo
transformá-los.

A chave para compreender a vida social contemporânea está na
luta de classes, que se desenvolve à medida que homens e
mulheres procuram satisfazer suas necessidades, “oriundas do
estômago ou da fantasia”.
Émile Durkheim, as instituições e os
indivíduos
 Fundador da escola francesa de sociologia, para Durkheim a
 sociedade sempre prevalece sobre o indivíduo, dispondo de certas
 regras, normas, costumes e leis que asseguram sua perpetuação.

 Essas regras e leis independem do indivíduo e pairam acima de
 todos, formando uma consciência coletiva que dá sentido de
 integração entre os membros da sociedade. As regras são toda
 crença e todo comportamento instituído pela coletividade.
Diferença entre Durkheim e Marx
 Marx vê a contradição e o conflito como elementos essenciais da
 sociedade.

 Durkheim coloca a ênfase na coesão, integração e mantenção da
 sociedade.

 Para Durkheim o conflito existe basicamente pela anomia, isto é,
 pela ausência ou insuficiência da normatização das relações sociais,
 ou por falta de instituições que regulamentem essas relações.
Durkheim considera o processo de socialização um fato social
amplo, que dissemina as normas e valores gerais da sociedade
- fundamentais para a socialização das crianças – e assegura a
difusão de ideais que formam um conjunto homogêneo,
fazendo com que a comunidade permaneça integrada e se
perpetue no tempo.
Max Weber, o indivíduo e a ação social
 Tem como preocupação central compreender o indivíduo e
 suas ações. Por que as pessoas tomam determinadas decisões?
 Quais são as razões para seus atos?
 Partindo do indivíduo e suas ações pretende compreender a
 sociedade como um todo.
 Seu conceito básico é o de ação social , entendida como ato de
 se comunicar , de se relacionar tendo alguma orientação
 quanto às ações dos outros. “Outros”: 1 indivíduo, vários,
 indeterminados e a desconhecidos.
Ação homogênea

Para Weber a ação social não é idêntica a ação homogênea de
muitos indivíduos.

Exemplo: quando estão caminhando na rua e começa chover ,
muitas pessoas abrem seus guarda-chuvas ao mesmo tempo.
A ação de cada indivíduo não está orientada pela dos demais,
mas sim pela necessidade de proteger-se da chuva.
Ação influenciada
Ocorre muito frequentemente nos chamados fenômenos de
massa. Quando há uma grande aglomeração , estes agem
influenciados por comportamentos grupais, isto é, fazem
determinadas coisas porque todos estão fazendo.
Agrupamento das ações
 Weber agrupou as ações individuais em quatro grandes tipos:

 Ação tradicional: “eu sempre fiz assim”; “lá em casa sempre se faz desse
 jeito”.

 Ação afetiva: “tudo pelo prazer”; “o principal é viver o momento”.

 Ação racional com relação a valores: “eu acredito que minha missão na Terra
 é fazer isso”; “o fundamental é que nossa causa seja vitoriosa”.

 Ação racional com relação a fins: “se eu fizer isso ou aquilo, pode acontecer
 tal ou qual coisa;”; “então vamos ver qual é a melhor alternativa”.
Tipos ideais
 Os indivíduos quando agem no cotidiano, mesclam alguns ou
 vários tipos de ação social. São tipos ideais: construções teóricas
 utilizadas pelo sociólogo para analisar a realidade.

 Para Weber, ao contrário do que defendo Durkheim, as normas, os
 costumes e as regras sociais não são algo externo ao indivíduo, mas
 estão internalizados, e, com base no que traz dentro de si, o
 indivíduo escolhe condutas e comportamentos, dependendo das
 situações que lhe são apresentadas.
Resumindo...indivíduo e sociedade
 As relações sociais consistem na probabilidade de que se aja
 socialmente com determinado sentido, sempre numa
 perspectiva de reciprocidade por parte dos outros.
 Marx: o foco recai sobre os indivíduos inseridos nas classes
 sociais.
 Durkheim: o fundamental é a sociedade e a integração dos
 indivíduos nela.
 Weber: o indivíduos e suas ações são os elementos
 constitutivos da sociedade.
Norbert Elias:
a sociedade dos indivíduos.
 Conceito de configuração/figuração (Norbert Elias): não existe
 separação entre indivíduo e sociedade.
 Só é possível trabalhar, estudar e divertir-se em uma
 sociedade que tenha história, cultura e educação, e não
 isoladamente.
 Tudo deve ser entendido de acordo com o contexto; caso
 contrário, perdem-se a dinâmica da realidade e o poder de
 entendimento.
Conceito de Habitus: Pierre Bourdieu
 O conceito de habitus liga o pensamento de Norbert Elias e
 Pierre Bourdieu.

 Para Elias, habitus é algo como uma segunda natureza, um
 saber social incorporado durante nossa vida em sociedade. É
 algo que muda constantemente mas não rapidamente, há
 equilíbrio entre continuidade e mudança.
Para Bourdieu habitus é o que articula práticas cotidianas - a
vida concreta dos indivíduos – com as condições de classe de
determinada sociedade, ou seja, a conduta dos indivíduos e as
estruturas mais amplas. Fundem-se as condições objetivas e
subjetivas.
Primário, secundário e individual.
 Para Bourdieu, o habitus é estruturado por meio das instituições
 de socialização dos agentes (a família e a escola), ao que ele
 denomina habitus primário, por isso mais duradouro mas não
 congelado no tempo.
 A medida que se relaciona com pessoas de outros universos de
 vida, o indivíduo desenvolve um habitus secundário.
 Vai construindo um habitus individual conforme agrega
 experiências continuamente.
 Se modifica sem perder suas marcas de origem, de seu grupo
 familiar ou da classe na qual nasceu.
Bibliografia
TOMAZI, Nelson Dazio. Sociologia para o ensino médio. 2
ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.Poder, Política e Estado.
Poder, Política e Estado.
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
 
Introduçao a sociologia
Introduçao a sociologiaIntroduçao a sociologia
Introduçao a sociologia
 
Individuo sociedade
Individuo sociedadeIndividuo sociedade
Individuo sociedade
 
INDIVÍDUO E SOCIEDADE
INDIVÍDUO E SOCIEDADEINDIVÍDUO E SOCIEDADE
INDIVÍDUO E SOCIEDADE
 
Aula 4 - Max Weber
Aula 4 - Max WeberAula 4 - Max Weber
Aula 4 - Max Weber
 
Karl marx e o materialismo histórico e dialético
Karl marx e o materialismo histórico e dialéticoKarl marx e o materialismo histórico e dialético
Karl marx e o materialismo histórico e dialético
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Poder, política e estado
Poder, política e estadoPoder, política e estado
Poder, política e estado
 
A sociedade e a relação entre o indivíduo
A  sociedade e a relação entre o indivíduoA  sociedade e a relação entre o indivíduo
A sociedade e a relação entre o indivíduo
 
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do TrabalhoSlides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Durkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weberDurkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weber
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Karl marx
 Karl marx Karl marx
Karl marx
 
O que é e como surgiu a sociologia?
O que é e como surgiu a sociologia?O que é e como surgiu a sociologia?
O que é e como surgiu a sociologia?
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
 

Destaque

Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedadecarlosbidu
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeAs relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadejefersondutra08
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações  entre indivíduo e sociedadeAs relações  entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeJosé Amaral
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedadehomago
 
Homen e Sociedade - Aula 1
Homen e Sociedade - Aula 1Homen e Sociedade - Aula 1
Homen e Sociedade - Aula 1admunip2013
 
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3admunip2013
 
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeLaguat
 
A sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoA sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoItalo Colares
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socializaçãohomago
 
Sociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoSociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoPedro Zito
 
Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia  Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia Maira Conde
 
íNdivíduo e sociedade
íNdivíduo e sociedadeíNdivíduo e sociedade
íNdivíduo e sociedadeLucio Braga
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedadehomago
 
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...Claudio Henrique Ramos Sales
 
1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedade1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedadeMiro Santos
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.Nuno Cunha
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e SociedadeCarmem Rocha
 

Destaque (20)

Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeAs relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações  entre indivíduo e sociedadeAs relações  entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
Homen e Sociedade - Aula 1
Homen e Sociedade - Aula 1Homen e Sociedade - Aula 1
Homen e Sociedade - Aula 1
 
Ser humano e sociedade
Ser humano e sociedadeSer humano e sociedade
Ser humano e sociedade
 
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3
Homen e Sociedade - Cultura e Antropologia Aula 3
 
Aula 01 - Individualismo e coletividade
Aula 01 - Individualismo e coletividadeAula 01 - Individualismo e coletividade
Aula 01 - Individualismo e coletividade
 
Indivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedadeIndivíduo e sociedade
Indivíduo e sociedade
 
O Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser SocialO Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser Social
 
A sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidianoA sociologia aplicada ao cotidiano
A sociologia aplicada ao cotidiano
 
Processo de socialização
Processo de socializaçãoProcesso de socialização
Processo de socialização
 
Sociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoSociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduo
 
Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia  Resumo do livro o que é sociologia
Resumo do livro o que é sociologia
 
íNdivíduo e sociedade
íNdivíduo e sociedadeíNdivíduo e sociedade
íNdivíduo e sociedade
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...
Aula 02 - Liberdades individuais e Coerção Social (A Sociologia de Émile Durk...
 
1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedade1. O indivíduo, sua história e a sociedade
1. O indivíduo, sua história e a sociedade
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 

Semelhante a Indivíduo e sociedade

1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedadehomago
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia igabriela_eiras
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasDennis De Oliveira Sinnedos
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMHisrelBlog
 
éMile durkheim web 1 e 2
éMile durkheim web 1 e 2éMile durkheim web 1 e 2
éMile durkheim web 1 e 2Ivonete Machado
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalDaiane Pereira
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalDaiane Pereira
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheimguestca76e87
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheimguestdc18d25
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimJorge Miklos
 
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza MonteFato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Montegrupoppga
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeNAPNE
 
2. sociologia revisão
2. sociologia revisão2. sociologia revisão
2. sociologia revisãoserggiogoes
 

Semelhante a Indivíduo e sociedade (20)

1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
 
Material de sociologia i
Material de sociologia iMaterial de sociologia i
Material de sociologia i
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
ÉMILE DURKHEIN
ÉMILE DURKHEINÉMILE DURKHEIN
ÉMILE DURKHEIN
 
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicasas relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
as relações entre indivíduo e sociedade a partir das teorias sociológicas
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
éMile durkheim web 1 e 2
éMile durkheim web 1 e 2éMile durkheim web 1 e 2
éMile durkheim web 1 e 2
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
 
Trabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucionalTrabajo problemática institucional
Trabajo problemática institucional
 
Aula 1 soc em
Aula 1   soc emAula 1   soc em
Aula 1 soc em
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheim
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza MonteFato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
sociologia.pdf
sociologia.pdfsociologia.pdf
sociologia.pdf
 
éMile durkheim
éMile durkheiméMile durkheim
éMile durkheim
 
2. sociologia revisão
2. sociologia revisão2. sociologia revisão
2. sociologia revisão
 
Cap 03 durkheim
Cap 03 durkheimCap 03 durkheim
Cap 03 durkheim
 

Mais de Silvia Cintra

Cultura conhecimento e poder
Cultura conhecimento e poderCultura conhecimento e poder
Cultura conhecimento e poderSilvia Cintra
 
Caderno 3 aulas 17 e 18
Caderno 3 aulas 17 e 18Caderno 3 aulas 17 e 18
Caderno 3 aulas 17 e 18Silvia Cintra
 
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideiasCaderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideiasSilvia Cintra
 
Caderno 3 aula 16 partidos políticos e eleições (4)
Caderno 3 aula 16   partidos políticos e eleições (4)Caderno 3 aula 16   partidos políticos e eleições (4)
Caderno 3 aula 16 partidos políticos e eleições (4)Silvia Cintra
 
A convivência humana cap 2
A convivência humana cap 2A convivência humana cap 2
A convivência humana cap 2Silvia Cintra
 
Liberdade e conhecimento - Espinosa
Liberdade e conhecimento - EspinosaLiberdade e conhecimento - Espinosa
Liberdade e conhecimento - EspinosaSilvia Cintra
 
Socrates e o nascimento da filosofia
Socrates e o nascimento da filosofiaSocrates e o nascimento da filosofia
Socrates e o nascimento da filosofiaSilvia Cintra
 
Estado nacional e poder politico
Estado nacional e poder politicoEstado nacional e poder politico
Estado nacional e poder politicoSilvia Cintra
 
Fenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoFenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoSilvia Cintra
 

Mais de Silvia Cintra (15)

Israel e Palestina
Israel e PalestinaIsrael e Palestina
Israel e Palestina
 
Cultura conhecimento e poder
Cultura conhecimento e poderCultura conhecimento e poder
Cultura conhecimento e poder
 
Caderno 3 aulas 17 e 18
Caderno 3 aulas 17 e 18Caderno 3 aulas 17 e 18
Caderno 3 aulas 17 e 18
 
Niilismo
NiilismoNiilismo
Niilismo
 
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideiasCaderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
Caderno 1 aula 4 platao e o mundo das ideias
 
Caderno 3 aula 16 partidos políticos e eleições (4)
Caderno 3 aula 16   partidos políticos e eleições (4)Caderno 3 aula 16   partidos políticos e eleições (4)
Caderno 3 aula 16 partidos políticos e eleições (4)
 
A convivência humana cap 2
A convivência humana cap 2A convivência humana cap 2
A convivência humana cap 2
 
Liberdade e conhecimento - Espinosa
Liberdade e conhecimento - EspinosaLiberdade e conhecimento - Espinosa
Liberdade e conhecimento - Espinosa
 
O que é filosofia
O que é filosofiaO que é filosofia
O que é filosofia
 
Socrates e o nascimento da filosofia
Socrates e o nascimento da filosofiaSocrates e o nascimento da filosofia
Socrates e o nascimento da filosofia
 
Estado nacional e poder politico
Estado nacional e poder politicoEstado nacional e poder politico
Estado nacional e poder politico
 
Povos e Nações
Povos e NaçõesPovos e Nações
Povos e Nações
 
Fenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimoFenomenologia e existencialimo
Fenomenologia e existencialimo
 
Filosofia politica
Filosofia politicaFilosofia politica
Filosofia politica
 
Filosofia politica
Filosofia politicaFilosofia politica
Filosofia politica
 

Último

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 

Último (20)

Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 

Indivíduo e sociedade

  • 1. As relações entre indivíduos e a sociedade
  • 2. Marx, os indivíduos e as classes sociais. Os indivíduos devem ser analisados de acordo com o contexto de suas condições e situações sociais, já que produzem sua existência em grupo. Os indivíduos construíram sua história e sua existência no grupo social. A relação entre o trabalhador e empresário, não é apenas entre indivíduos, mas também entre as classes sociais: a operária e a burguesia. O Estado aparece para tentar reduzir o conflito, criando leis que, segundo Marx, normalmente são a favor dos capitalistas.
  • 3. O foco da teoria de Marx está nas classes sociais, embora o indivíduo também esteja presente. Isso fica claro quando Marx afirma que os seres humanos constroem sua história, mas não da maneira que querem, pois existem situações anteriores que condicionam o modo como ocorre a construção.
  • 4. Existem condicionantes estruturais que levam o indivíduo, os grupos e as classes para determinados caminhos; mas todos têm capacidade de reagir a esses condicionamentos e até mesmo transformá-los. A chave para compreender a vida social contemporânea está na luta de classes, que se desenvolve à medida que homens e mulheres procuram satisfazer suas necessidades, “oriundas do estômago ou da fantasia”.
  • 5. Émile Durkheim, as instituições e os indivíduos Fundador da escola francesa de sociologia, para Durkheim a sociedade sempre prevalece sobre o indivíduo, dispondo de certas regras, normas, costumes e leis que asseguram sua perpetuação. Essas regras e leis independem do indivíduo e pairam acima de todos, formando uma consciência coletiva que dá sentido de integração entre os membros da sociedade. As regras são toda crença e todo comportamento instituído pela coletividade.
  • 6. Diferença entre Durkheim e Marx Marx vê a contradição e o conflito como elementos essenciais da sociedade. Durkheim coloca a ênfase na coesão, integração e mantenção da sociedade. Para Durkheim o conflito existe basicamente pela anomia, isto é, pela ausência ou insuficiência da normatização das relações sociais, ou por falta de instituições que regulamentem essas relações.
  • 7. Durkheim considera o processo de socialização um fato social amplo, que dissemina as normas e valores gerais da sociedade - fundamentais para a socialização das crianças – e assegura a difusão de ideais que formam um conjunto homogêneo, fazendo com que a comunidade permaneça integrada e se perpetue no tempo.
  • 8. Max Weber, o indivíduo e a ação social Tem como preocupação central compreender o indivíduo e suas ações. Por que as pessoas tomam determinadas decisões? Quais são as razões para seus atos? Partindo do indivíduo e suas ações pretende compreender a sociedade como um todo. Seu conceito básico é o de ação social , entendida como ato de se comunicar , de se relacionar tendo alguma orientação quanto às ações dos outros. “Outros”: 1 indivíduo, vários, indeterminados e a desconhecidos.
  • 9. Ação homogênea Para Weber a ação social não é idêntica a ação homogênea de muitos indivíduos. Exemplo: quando estão caminhando na rua e começa chover , muitas pessoas abrem seus guarda-chuvas ao mesmo tempo. A ação de cada indivíduo não está orientada pela dos demais, mas sim pela necessidade de proteger-se da chuva.
  • 10. Ação influenciada Ocorre muito frequentemente nos chamados fenômenos de massa. Quando há uma grande aglomeração , estes agem influenciados por comportamentos grupais, isto é, fazem determinadas coisas porque todos estão fazendo.
  • 11. Agrupamento das ações Weber agrupou as ações individuais em quatro grandes tipos: Ação tradicional: “eu sempre fiz assim”; “lá em casa sempre se faz desse jeito”. Ação afetiva: “tudo pelo prazer”; “o principal é viver o momento”. Ação racional com relação a valores: “eu acredito que minha missão na Terra é fazer isso”; “o fundamental é que nossa causa seja vitoriosa”. Ação racional com relação a fins: “se eu fizer isso ou aquilo, pode acontecer tal ou qual coisa;”; “então vamos ver qual é a melhor alternativa”.
  • 12. Tipos ideais Os indivíduos quando agem no cotidiano, mesclam alguns ou vários tipos de ação social. São tipos ideais: construções teóricas utilizadas pelo sociólogo para analisar a realidade. Para Weber, ao contrário do que defendo Durkheim, as normas, os costumes e as regras sociais não são algo externo ao indivíduo, mas estão internalizados, e, com base no que traz dentro de si, o indivíduo escolhe condutas e comportamentos, dependendo das situações que lhe são apresentadas.
  • 13. Resumindo...indivíduo e sociedade As relações sociais consistem na probabilidade de que se aja socialmente com determinado sentido, sempre numa perspectiva de reciprocidade por parte dos outros. Marx: o foco recai sobre os indivíduos inseridos nas classes sociais. Durkheim: o fundamental é a sociedade e a integração dos indivíduos nela. Weber: o indivíduos e suas ações são os elementos constitutivos da sociedade.
  • 14. Norbert Elias: a sociedade dos indivíduos. Conceito de configuração/figuração (Norbert Elias): não existe separação entre indivíduo e sociedade. Só é possível trabalhar, estudar e divertir-se em uma sociedade que tenha história, cultura e educação, e não isoladamente. Tudo deve ser entendido de acordo com o contexto; caso contrário, perdem-se a dinâmica da realidade e o poder de entendimento.
  • 15. Conceito de Habitus: Pierre Bourdieu O conceito de habitus liga o pensamento de Norbert Elias e Pierre Bourdieu. Para Elias, habitus é algo como uma segunda natureza, um saber social incorporado durante nossa vida em sociedade. É algo que muda constantemente mas não rapidamente, há equilíbrio entre continuidade e mudança.
  • 16. Para Bourdieu habitus é o que articula práticas cotidianas - a vida concreta dos indivíduos – com as condições de classe de determinada sociedade, ou seja, a conduta dos indivíduos e as estruturas mais amplas. Fundem-se as condições objetivas e subjetivas.
  • 17. Primário, secundário e individual. Para Bourdieu, o habitus é estruturado por meio das instituições de socialização dos agentes (a família e a escola), ao que ele denomina habitus primário, por isso mais duradouro mas não congelado no tempo. A medida que se relaciona com pessoas de outros universos de vida, o indivíduo desenvolve um habitus secundário. Vai construindo um habitus individual conforme agrega experiências continuamente. Se modifica sem perder suas marcas de origem, de seu grupo familiar ou da classe na qual nasceu.
  • 18. Bibliografia TOMAZI, Nelson Dazio. Sociologia para o ensino médio. 2 ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.