SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Atividade de fixação de Sociologia Professor André Cesar
1ª PARTE Os principais pensadores da sociologia Émile Durkheim - 1ª parte
Foi francês Émile Durkheim quem deu forma aos trabalhos sociológicos como os conhecemos e quem instituiu o
método de investigação científica da sociologia, transformando-a realmente em uma ciência. A influência de Augusto
Comte no pensamento de Durkheim é percebida claramente, principalmente quando Durkheim compara a sociedade a
um organismo vivo.
Fato social
O aspecto mais importante da sociologia durkheimiana é a noção de fato social. Para Durkheim, fato social é um
modo de agir e pensar que se impõe aos indivíduos que fazem parte da sociedade. É social porque é externo ao
indivíduo e independente dele, sendo capaz de condicionar e determinar suas ações. Assim, os fatos sociais não dizem
respeito ao indivíduo singular, mas à sociedade. Por exemplo, as regras jurídicas, as regras morais, a cultura, a
linguagem, a religião e o sistema financeiro.
Dessa noção de fato social deriva a primeira regra metodológica estabelecida por Durkheim: os fatos sociais devem
ser tratados como coisas. Isso não significa, para Durkheim, entender os fatos sociais como algo material e sim
abordá-los com objetividade, isolando-os das manifestações individuais. Por exemplo, andar vestido em nossa
sociedade é um fato social, mas uma mulher usar bermuda ou saia é uma escolha particular, um ato individual isolado.
Da mesma forma o uso do uniforme em nossa escola é um fato social, mas escolher usar a blusa da escola por dentro
ou por fora da calça é um ato individual.
Ao cientista cabe examinar os atos e os fatos com olhos inquiridores e isentos, libertando-se das falsas evidências,
porque elas são criações de fora do campo científico, que influem na paixão do observador sobre os objetos que se põe
a examinar.
Os fatos sociais se fundamentam em três princípios básicos: a coercitividade, a exterioridade e a generalidade. A
coercitividade é a força que, através do constrangimento, obriga os indivíduos a se conformarem aos valores e às
regras vigentes. A exterioridade se manifesta através do conjunto de padrões impostos aos indivíduos independentes
de consciência deles. A generalidade porque permeiam toda a sociedade sobre a qual atuam.
Exercícios
1- Por que é grande a importância de Durkheim para a sociologia?
2- Cite uma prova da influência de Comte no pensamento de Durkheim.
3- Qual é o aspecto mais importante da teoria de Durkheim para a sociologia?
4- O que é fato social?
5- Cite dois exemplos de fatos sociais.
6- O que significa dizer que os fatos sociais são coisas?
7- Dê um exemplo diferente do texto mostrando a distinção entre fato social e ato individual.
8- Quais são os três princípios básicos em que se fundamentam os fatos sociais?
2ª PARTE Solidariedade e Coesão Social
Para Durkheim a sociedade se funda na solidariedade. Mas na sua concepção, solidariedade não significa
“espírito de fraternidade” ou “inclinação para fazer o bem”. Solidariedade é a condição do vínculo social, é o conjunto de laços que efetivamente
prendem os elementos ao grupo, é a consciência interiorizada que osindivíduos têm de viver em sociedade e compartilhar os seus valores. É a
solidariedade, portanto, que garante a integração geral da sociedade. E é justamente pesquisando os fundamentos da coesão social que Durkheim
identifica dois tipos de solidariedade:
• Solidariedade mecânica – É própria das sociedades pré-capitalistas. É mecânica porque nela a interação entre os membros é praticamente
automática e o sentido coletivo é mais forte que o individual.
Nas sociedades mais simples (pré-modernas), nas quais a divisão do trabalho é feita por sexo ou idade, não há espaço para as diferenças e para a
individualidade. Mesmo quando ocorre uma especialização, isso não se dá por talento ou vocação, mas sim porque os as profissões vão sendo
passadas de pai para filho. O indivíduo se submete à família, a família se submete ao clã e o clã se submete à tribo. A vida social ocupa todos os
espaços da vida dos indivíduos e é forte a reprovação social por qualquer ato que transgrida as normas.
Prevalece um sistema jurídico do tipo repressivo e romper o vínculo de solidariedade traz sempre sérias consequências. Nessas sociedades, a
solidariedade é mecânica, não depende de uma reflexão intelectual ou de uma escolha. O nível de coesão social é altíssimo. • Solidariedade
orgânica – É própria das sociedades capitalistas, principalmente das que se formaram após a
Revolução Industrial. É orgânica porque nela a sociedade funciona como um organismo em que vários órgãos cumprem funções diferentes, mas
dependentes entre si.
Nas sociedades modernas, de forte divisão do trabalho, a solidariedade não se funda mais na igualdade e sim na diferença. Cada indivíduo e cada
grupo exerce funções diferentes e permanecem juntos porque nenhum é auto-suficiente e todos dependem de outros. Isso implica a cooperação
consciente e livre dos agentes sociais e o surgimento de instituições novas como a escola, a prisão e o Estado moderno. O sistema jurídico não
visa mais reprimir e sim restabelecer o equilíbrio quebrado por quem viola as normas.
A anomia
Para Durkheim, a sociedade não é uma simples soma de indivíduos, é um todo, uma realidade específica dotada de características próprias. A
interseção dos grupos, a interdependência constante das instituições determina o social, mas dessas interações nasce uma série de fenômenos que
dizem respeito ao todo diretamente e não às partes que o compõem. No pensamento do sociólogo, portanto, a sociedade prevalece sobre o
indivíduo, pois quando este nasce tem de se adaptar às normas já criadas, como leis, costumes, línguas, etc. É a sociedade, como coletividade,
que organiza, condiciona e controla as ações individuais. O indivíduo aprende a seguir normas e regras que não foram criadas por ele, essas
regras limitam sua ação e prescrevem punições para quem não obedecer aos limites sociais.
Durkheim observou um fenômeno intrigante nas sociedades capitalistas, a anomia moral, que é a ausênciade regras ou a falta de limites.
A anomia é resultado do individualismo exagerado, que leva as pessoas a se esquecerem de que por maior que seja sua especialidade ou até sua
importância para a sociedade, todos precisam do grupo. Perdem-se os valores comuns pelos quais os indivíduos podem se orientar, e os
interesses individuais e os coletivos ficam cada vez mais distantes.
Exercícios
1- Qual é a concepção comum de solidariedade?
2- O que Durkheim chama de solidariedade?
3- Explique com suas palavras o que é a solidariedade mecânica.
4- Em que tipo de sociedade prevalece a solidariedade mecânica?
5- Explique com suas palavras o que é solidariedade orgânica.
6- Em que tipo de sociedade prevalece a solidariedade orgânica?
7- Por que, para Durkheim, a sociedade prevalece sobre o indivíduo?
8- Explique o que é anomia.
9- Por que a anomia prevalece nas sociedades modernas e não nas pré-modernas.bgg

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Durkheim e os conceitos-chave da sociologia: fato social, solidariedade e anomia

Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeNAPNE
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheimguestdc18d25
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheimguestca76e87
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimJorge Miklos
 
Consciencia coleetiva durkhein
Consciencia coleetiva durkheinConsciencia coleetiva durkhein
Consciencia coleetiva durkheinmarcello magela
 
Divisão do trabalho karl marx e émile durkheim prof. érika de cássia o. c...
Divisão do trabalho  karl marx e émile durkheim    prof. érika de cássia o. c...Divisão do trabalho  karl marx e émile durkheim    prof. érika de cássia o. c...
Divisão do trabalho karl marx e émile durkheim prof. érika de cássia o. c...Sergio de Goes Barboza
 
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza MonteFato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Montegrupoppga
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.pptRégio Quirino
 
Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoMarcus Vinicius
 

Semelhante a Durkheim e os conceitos-chave da sociologia: fato social, solidariedade e anomia (20)

Cap 03 durkheim
Cap 03 durkheimCap 03 durkheim
Cap 03 durkheim
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Aula Émile Durkheim
Aula Émile DurkheimAula Émile Durkheim
Aula Émile Durkheim
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
emiledurkheim-.ppt
emiledurkheim-.pptemiledurkheim-.ppt
emiledurkheim-.ppt
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Cap 03 durkheim
Cap 03 durkheimCap 03 durkheim
Cap 03 durkheim
 
A Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile DurkheimA Sociologia De Émile Durkheim
A Sociologia De Émile Durkheim
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
A Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile DurkheimA Sociologia De éMile Durkheim
A Sociologia De éMile Durkheim
 
Resumodesocio6
Resumodesocio6Resumodesocio6
Resumodesocio6
 
Resumodesocio5
Resumodesocio5Resumodesocio5
Resumodesocio5
 
Durkheim
DurkheimDurkheim
Durkheim
 
Consciencia coleetiva durkhein
Consciencia coleetiva durkheinConsciencia coleetiva durkhein
Consciencia coleetiva durkhein
 
Divisão do trabalho karl marx e émile durkheim prof. érika de cássia o. c...
Divisão do trabalho  karl marx e émile durkheim    prof. érika de cássia o. c...Divisão do trabalho  karl marx e émile durkheim    prof. érika de cássia o. c...
Divisão do trabalho karl marx e émile durkheim prof. érika de cássia o. c...
 
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza MonteFato social   epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
Fato social epistemologia - apresentação Ana Luiza Monte
 
Durkhein
DurkheinDurkhein
Durkhein
 
Emile d_ AULA.pptx
Emile d_ AULA.pptxEmile d_ AULA.pptx
Emile d_ AULA.pptx
 
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
4.-Emile-Durkheim-e-a-integracao-social.ppt
 
Os classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completoOs classicos da_sociologia_ completo
Os classicos da_sociologia_ completo
 

Mais de Daiani Wagner

RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxDaiani Wagner
 
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfMOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfDaiani Wagner
 
tipos de empresas.docx
tipos de empresas.docxtipos de empresas.docx
tipos de empresas.docxDaiani Wagner
 
primeira guerra.pptx
primeira guerra.pptxprimeira guerra.pptx
primeira guerra.pptxDaiani Wagner
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxDaiani Wagner
 
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfMOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfDaiani Wagner
 
Caminhos da Vida.docx
Caminhos da Vida.docxCaminhos da Vida.docx
Caminhos da Vida.docxDaiani Wagner
 
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxDaiani Wagner
 
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxDaiani Wagner
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxDaiani Wagner
 
Tipos de desemprego.docx
Tipos de desemprego.docxTipos de desemprego.docx
Tipos de desemprego.docxDaiani Wagner
 
A globalização e o espaço mundial (1).docx
A globalização e o espaço mundial (1).docxA globalização e o espaço mundial (1).docx
A globalização e o espaço mundial (1).docxDaiani Wagner
 

Mais de Daiani Wagner (15)

RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
 
quem sou eu.pdf
quem sou eu.pdfquem sou eu.pdf
quem sou eu.pdf
 
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfMOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
 
tipos de empresas.docx
tipos de empresas.docxtipos de empresas.docx
tipos de empresas.docx
 
primeira guerra.pptx
primeira guerra.pptxprimeira guerra.pptx
primeira guerra.pptx
 
Fake News.pdf
Fake News.pdfFake News.pdf
Fake News.pdf
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docx
 
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdfMOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
MOVIMENTOS SOCIAIS (2).pdf
 
Caminhos da Vida.docx
Caminhos da Vida.docxCaminhos da Vida.docx
Caminhos da Vida.docx
 
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
 
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docxRESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
RESPEITAR AS DIFERENÇAS questionário.docx
 
A mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docxA mulher no mercado de trabalho.docx
A mulher no mercado de trabalho.docx
 
Tipos de desemprego.docx
Tipos de desemprego.docxTipos de desemprego.docx
Tipos de desemprego.docx
 
Fake News.pdf
Fake News.pdfFake News.pdf
Fake News.pdf
 
A globalização e o espaço mundial (1).docx
A globalização e o espaço mundial (1).docxA globalização e o espaço mundial (1).docx
A globalização e o espaço mundial (1).docx
 

Último

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 

Último (20)

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 

Durkheim e os conceitos-chave da sociologia: fato social, solidariedade e anomia

  • 1. Atividade de fixação de Sociologia Professor André Cesar 1ª PARTE Os principais pensadores da sociologia Émile Durkheim - 1ª parte Foi francês Émile Durkheim quem deu forma aos trabalhos sociológicos como os conhecemos e quem instituiu o método de investigação científica da sociologia, transformando-a realmente em uma ciência. A influência de Augusto Comte no pensamento de Durkheim é percebida claramente, principalmente quando Durkheim compara a sociedade a um organismo vivo. Fato social O aspecto mais importante da sociologia durkheimiana é a noção de fato social. Para Durkheim, fato social é um modo de agir e pensar que se impõe aos indivíduos que fazem parte da sociedade. É social porque é externo ao indivíduo e independente dele, sendo capaz de condicionar e determinar suas ações. Assim, os fatos sociais não dizem respeito ao indivíduo singular, mas à sociedade. Por exemplo, as regras jurídicas, as regras morais, a cultura, a linguagem, a religião e o sistema financeiro. Dessa noção de fato social deriva a primeira regra metodológica estabelecida por Durkheim: os fatos sociais devem ser tratados como coisas. Isso não significa, para Durkheim, entender os fatos sociais como algo material e sim abordá-los com objetividade, isolando-os das manifestações individuais. Por exemplo, andar vestido em nossa sociedade é um fato social, mas uma mulher usar bermuda ou saia é uma escolha particular, um ato individual isolado. Da mesma forma o uso do uniforme em nossa escola é um fato social, mas escolher usar a blusa da escola por dentro ou por fora da calça é um ato individual. Ao cientista cabe examinar os atos e os fatos com olhos inquiridores e isentos, libertando-se das falsas evidências, porque elas são criações de fora do campo científico, que influem na paixão do observador sobre os objetos que se põe a examinar. Os fatos sociais se fundamentam em três princípios básicos: a coercitividade, a exterioridade e a generalidade. A coercitividade é a força que, através do constrangimento, obriga os indivíduos a se conformarem aos valores e às regras vigentes. A exterioridade se manifesta através do conjunto de padrões impostos aos indivíduos independentes de consciência deles. A generalidade porque permeiam toda a sociedade sobre a qual atuam. Exercícios 1- Por que é grande a importância de Durkheim para a sociologia? 2- Cite uma prova da influência de Comte no pensamento de Durkheim. 3- Qual é o aspecto mais importante da teoria de Durkheim para a sociologia? 4- O que é fato social? 5- Cite dois exemplos de fatos sociais. 6- O que significa dizer que os fatos sociais são coisas? 7- Dê um exemplo diferente do texto mostrando a distinção entre fato social e ato individual. 8- Quais são os três princípios básicos em que se fundamentam os fatos sociais?
  • 2. 2ª PARTE Solidariedade e Coesão Social Para Durkheim a sociedade se funda na solidariedade. Mas na sua concepção, solidariedade não significa “espírito de fraternidade” ou “inclinação para fazer o bem”. Solidariedade é a condição do vínculo social, é o conjunto de laços que efetivamente prendem os elementos ao grupo, é a consciência interiorizada que osindivíduos têm de viver em sociedade e compartilhar os seus valores. É a solidariedade, portanto, que garante a integração geral da sociedade. E é justamente pesquisando os fundamentos da coesão social que Durkheim identifica dois tipos de solidariedade: • Solidariedade mecânica – É própria das sociedades pré-capitalistas. É mecânica porque nela a interação entre os membros é praticamente automática e o sentido coletivo é mais forte que o individual. Nas sociedades mais simples (pré-modernas), nas quais a divisão do trabalho é feita por sexo ou idade, não há espaço para as diferenças e para a individualidade. Mesmo quando ocorre uma especialização, isso não se dá por talento ou vocação, mas sim porque os as profissões vão sendo passadas de pai para filho. O indivíduo se submete à família, a família se submete ao clã e o clã se submete à tribo. A vida social ocupa todos os espaços da vida dos indivíduos e é forte a reprovação social por qualquer ato que transgrida as normas. Prevalece um sistema jurídico do tipo repressivo e romper o vínculo de solidariedade traz sempre sérias consequências. Nessas sociedades, a solidariedade é mecânica, não depende de uma reflexão intelectual ou de uma escolha. O nível de coesão social é altíssimo. • Solidariedade orgânica – É própria das sociedades capitalistas, principalmente das que se formaram após a Revolução Industrial. É orgânica porque nela a sociedade funciona como um organismo em que vários órgãos cumprem funções diferentes, mas dependentes entre si. Nas sociedades modernas, de forte divisão do trabalho, a solidariedade não se funda mais na igualdade e sim na diferença. Cada indivíduo e cada grupo exerce funções diferentes e permanecem juntos porque nenhum é auto-suficiente e todos dependem de outros. Isso implica a cooperação consciente e livre dos agentes sociais e o surgimento de instituições novas como a escola, a prisão e o Estado moderno. O sistema jurídico não visa mais reprimir e sim restabelecer o equilíbrio quebrado por quem viola as normas. A anomia Para Durkheim, a sociedade não é uma simples soma de indivíduos, é um todo, uma realidade específica dotada de características próprias. A interseção dos grupos, a interdependência constante das instituições determina o social, mas dessas interações nasce uma série de fenômenos que dizem respeito ao todo diretamente e não às partes que o compõem. No pensamento do sociólogo, portanto, a sociedade prevalece sobre o indivíduo, pois quando este nasce tem de se adaptar às normas já criadas, como leis, costumes, línguas, etc. É a sociedade, como coletividade, que organiza, condiciona e controla as ações individuais. O indivíduo aprende a seguir normas e regras que não foram criadas por ele, essas regras limitam sua ação e prescrevem punições para quem não obedecer aos limites sociais. Durkheim observou um fenômeno intrigante nas sociedades capitalistas, a anomia moral, que é a ausênciade regras ou a falta de limites. A anomia é resultado do individualismo exagerado, que leva as pessoas a se esquecerem de que por maior que seja sua especialidade ou até sua importância para a sociedade, todos precisam do grupo. Perdem-se os valores comuns pelos quais os indivíduos podem se orientar, e os interesses individuais e os coletivos ficam cada vez mais distantes. Exercícios 1- Qual é a concepção comum de solidariedade? 2- O que Durkheim chama de solidariedade? 3- Explique com suas palavras o que é a solidariedade mecânica. 4- Em que tipo de sociedade prevalece a solidariedade mecânica? 5- Explique com suas palavras o que é solidariedade orgânica. 6- Em que tipo de sociedade prevalece a solidariedade orgânica? 7- Por que, para Durkheim, a sociedade prevalece sobre o indivíduo? 8- Explique o que é anomia. 9- Por que a anomia prevalece nas sociedades modernas e não nas pré-modernas.bgg