INTRODUÇÃO AO PENSAMENTOPOLÍTICO:MAQUIAVEL  Silvia B. Cintra
NICOLAU MAQUIAVEL    (1469 – 1527)    Principal nome da Filosofia política na época do     Renascimento.    Funcionário ...
   O livro “O Príncipe” transformou-se em referência na época    do absolutismo monárquico, na medida em que suas ideias ...
   A virtude é a capacidade de vencer a instabilidade da    fortuna. Diferente de Aristóteles, para Maquiavel a    virtud...
   Não se deve abrir mão do uso da força, pois “é muito    mais seguro ser temido que amado”.   O pensamento de Maquiave...
VERDADE OU SÁTIRA?   Rousseau (1712 – 1778) ao ler “O Príncipe” sugere que    Maquiavel teria sido, irônico, e que, seus ...
VERDADE OU SÁTIRA?   Rousseau (1712 – 1778) ao ler “O Príncipe” sugere que    Maquiavel teria sido, irônico, e que, seus ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Filosofia politica

653 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Filosofia politica

  1. 1. INTRODUÇÃO AO PENSAMENTOPOLÍTICO:MAQUIAVEL Silvia B. Cintra
  2. 2. NICOLAU MAQUIAVEL (1469 – 1527) Principal nome da Filosofia política na época do Renascimento. Funcionário do governo na cidade de Florença, Itália. Seus escritos refletem sua experiência política. Sua principal obra foi o livro “O Príncipe” (1512). Uma espécie de manual sobre como governar com sucesso, como um governante pode assumir o poder e manter-se nele, apesar das adversidades.
  3. 3.  O livro “O Príncipe” transformou-se em referência na época do absolutismo monárquico, na medida em que suas ideias acabaram por justificar o exercício de práticas políticas autoritárias. O príncipe deve contar com duas forças: a fortuna e a virtude. A fortuna é instável, não se pode confiar nela todo tempo, mas ela pode ser conquistada pela força, e isso é atributo dos audaciosos:“Estou convencido de que é melhor ser impetuoso do que circunspecto (cauteloso), porque a fortuna é mulher e, para dominá-la é preciso bater-lhe e contrariá-la”.
  4. 4.  A virtude é a capacidade de vencer a instabilidade da fortuna. Diferente de Aristóteles, para Maquiavel a virtude não era a busca do bem, mas uma série de práticas visando a manutenção do poder. De acordo com essa práticas ou virtudes, a política é um jogo de aparências, o governo não precisa ser bom, mas apenas parecer bom. Para se manter todo governo tem que ter prudência, esta leva o príncipe a não ser obrigado a cumprir a palavra dada quando isso significar empecilho a seus objetivos.
  5. 5.  Não se deve abrir mão do uso da força, pois “é muito mais seguro ser temido que amado”. O pensamento de Maquiavel pode ser assim resumido: “os fins justificam os meios”. Ou seja, uma separação entre a esfera política e moral. Maquiavel rompe com a ideia de que princípios éticos deveriam prevalecer na política, limitando-se a descrever a prática da política como ela realmente é.
  6. 6. VERDADE OU SÁTIRA? Rousseau (1712 – 1778) ao ler “O Príncipe” sugere que Maquiavel teria sido, irônico, e que, seus conselhos seriam na verdade uma sátira a política de seu tempo. Em outro livro “Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio”, Maquiavel defendeu o regime republicano, ao escrever que as lutas sociais são justas, pois as pessoas jamais arriscariam suas vidas se suas reivindicações não fossem legítimas.
  7. 7. VERDADE OU SÁTIRA? Rousseau (1712 – 1778) ao ler “O Príncipe” sugere que Maquiavel teria sido, irônico, e que, seus conselhos seriam na verdade uma sátira a política de seu tempo. Em outro livro “Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio”, Maquiavel defendeu o regime republicano, ao escrever que as lutas sociais são justas, pois as pessoas jamais arriscariam suas vidas se suas reivindicações não fossem legítimas.

×