Aula 3 - Durkheim

23.399 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Aula 3 - Durkheim

  1. 1. Durkheim e a sociologia econômicaProfs. Mauricio Serafim e Carolina Andion
  2. 2. Biografia• Nasce em 15 de abril de 1858 em Alsácia – França, numa família de rabinos.• 1882 diploma-se na Escola Normal de Paris e se aprofunda nas obras de Herbert Spencer (adquire predileção por modelos biológicos).• 1887 com 29 anos é nomeado professor de pedagogia e ciência social na Universidade de Bordeaux.• 1896 funda a revista L’Anée Sociologique.• 1902 é nomeado para a primeira cátedra de sociologia da França, na Universidade de Sorbonne (Paris).• Morre em Paris em 15 de novembro de 1917.
  3. 3. Principais obras Elementos da sociologia (1889) A divisão do trabalho social (1893) As regras do método sociológico (1895) O suicídio (1897) As formas elementares da vida religiosa (1912) Reunião de artigos e notas de aulas: Educação e sociologia, O socialismo, Pragmatismo e sociologia, Lições de sociologia.
  4. 4. Visão da sociologia como ciência positiva Objeto da sociologia: fatos sociais (instituições, sua gênese e seu funcionamento). Visão da sociedade: fato sui generis irredutível a outros. Conjunto de ideais alimentados pelos homens que fazem parte dela. Objetivo da sociologia: compreender os fenômenos sociais, por meio do estudo das relações entre diversos grupos sociais (estabelecer leis gerais). Os valores são determinados pela natureza das sociedades e entendendo essa natureza, poderia se formular uma “ética” baseada no estudo dessas sociedades. Conceitos centrais: “consciência coletiva”, “representações coletivas”, “solidariedade social”, “normalidade e patologia sociais”, “anomia social”. CONTEXTO HISTÓRICO: França do século XIX: Conflito entre ensino religioso e ensino laico Sociologia aparecia como “moral leiga” substituindo a moral católica (busca da coesão)
  5. 5. A sociologia de Durkheim: método Fato social como “coisa” Postura do sociólogo se – tudo que o espírito inspira na postura dos consegue compreender cientistas do campo por meio de observações natural (explicação das e experimentações causas e relação com os (análise científica) efeitos) Fatos sociais são exteriores aos indivíduos Os fatos exercem e estão acima das pressão social sobre os consciências individuais indivíduos (sanções ou (o todo é maior do que a resistências) soma das partes)
  6. 6. A observação dos fatosAfastar as noções prévias (usar conceitoscientíficos).Definir com clareza o objeto (delimitar).Afastar os dados sensíveis e manter apenasaqueles que são suficientemente objetivos.
  7. 7. A sociedade para Durkheim Divisão do trabalho social (1893) Sociedade: realidade que tem vida própria. É como umente superior, mais perfeito, e que antecede e sucede osindivíduos, independe deles e possui sobre eles umaautoridade. Como pode uma coleção de indivíduos construir umasociedade? Preocupação de Durkheim: restabelecer laços morais.Nenhuma sociedade se mantém sem moral. Moral: sentir-se parte de um grupo, forte sentimento depertença. Solidariedade: vínculo que mantém a coesão e a unidadedo grupo social.
  8. 8. Duas formas de solidariedadeSolidariedade mecânica:Típica das sociedades tradicionais ou sem escrita. Nestaforma de solidariedade os indivíduos diferem pouco unsdos outros. Há uma forte consciência coletiva (partilhammesmos valores e crenças). Coletivo tem um papel central.Ex: Polis gregaSolidariedade orgânica:Típica das sociedades modernas. Nela o consenso resultade uma diferenciação. Cada um exerce uma função efazendo isso contribui para a coesão do todo. Indivíduotem um papel central.
  9. 9. A sociedade para Durkheim A solidariedade orgânica é fruto do novo tipo de organização social que tem por base a divisão do trabalho. O que vem antes é a sociedade mecânica (o ser coletivo) e é a sociedade que gera a ideia de indivíduo. Na solidariedade orgânica, apesar do aumento de liberdade individual, a coesão social se enfraquece e o excesso de individualismo (diferenciação) pode levar a anomia (ausência de coesão). É necessário manter a coesão social e, para isso, ele ressalta a importância do direito e de todo o sistema jurídico moderno. Apesar de defender o pensamento liberal como forma última de evolução e,assim, justificar o individualismo racionalista, Durkheim prega o respeito por normas e valores coletivos, instaurando a dicotomia central da sociologia (indivíduo x sociedade – ator x estrutura)
  10. 10. Contribuições de Durkheim à SE Final do século XIX – revolução marginalista (Jevons, Menger e Walras). Primeiro número de Anée Sociologique (1896-1897) é consagrada à sociologia econômica e o tema vai ser retomado muitas vezes. Três temas recorrentes (Swedberg): - Crítica aos economistas e aos seus métodos (individualismo metodológico e a idéia de homo oeconomicus). - Problemas criados pela desregulação da economia (anomia). - Estudos sobre o papel das instituições econômicas (fatos sociais mais cristalizados): contrato, propriedade privada, direito, normas e regras sociais, Estado.
  11. 11. Contribuições de Durkheim à SE Fatos econômicos como fatos sociais (traz de volta a questão das normas, das crenças e da moral). Papel socializador da troca mercantil (laço social mercantil e sua especificidade – o papel dos contratos). Os elementos não contratuais do contrato. Importância do papel do Estado (garantindo as condições para o direito ser respeitado). Crítica ao estado de anomia jurídica e moral presente na esfera econômica. Remédio:  Importância de novas regulações (exemplo: grupos profissionais).  O Estado não pode intervir diretamente na vida econômica.
  12. 12. Críticas à Durkheim Objetivismo excessivo que deixa de lado outras dimensões dos fatos (relação de causa e efeito). Ênfase no equilíbrio e no consenso. Negligência em relação aos conflitos, relações de poder na sociedade (busca restaurar as normas sociais). Apesar de sua tradição positivista baseava-se mais num ideal de sociedade do que na sociedade real. Visão integradora de sociedade que dava pouco espaço para análise dos grupos sociais e sua pluralidade (ênfase nas estruturas/determinismo).
  13. 13. FIM

×