SlideShare uma empresa Scribd logo
• Pobreza na Capitania de São Vicente:
   – Expedições de Capturas de Índios como atividade de
     sobrevivência.




• Utilização dos Índios:
   – Guias, coletores, guardas, carregadores...
   – Aprendizado e utilização da cultura indígena.

   E TORDESILHAS?????
TRATADO DE TORDESILHAS 1494
OS PRIMITIVOS DONOS DA TERRA
• Viagens longas:
  – Desenvolvimentos de roças originou os Arraias


• Guerra dos Emboabas (1708 – 09)
  – Força os Bandeirantes de São Vicente a se
    deslocar na busca pelo ouro.




  EMBOABAS???
Guerra dos Emboabas
•   O que foi?
•   Conflito armado ocorrido na região das Minas Gerais entre os anos de 1707 e 1709, envolvendo os
    bandeirantes paulistas e os emboabas (portugueses e imigrantes de outras regiões do Brasil). O
    confronto tinha como causa principal a disputa pela exploração das minas de ouro recém
    descobertas na região das Minas Gerais. Os paulistas queriam exclusividade na exploração da
    região, pois afirmavam que tinham descoberto as minas.
•   Lideranças
•   - Os emboabas eram liderados pelo português Manuel Nunes Viana.
•   - Os paulistas eram comandados pelo bandeirante Borba Gato.
•   Conflitos
•   O conflito mais importante e sangrento ocorreu em novembro de 1708 no distrito de Ouro Preto.
    Os emboabas dominaram a região das minas e os paulistas se refugiaram na área do Rio das
    Mortes.
•   Consequências
•   - Os paulistas foram derrotados e a Coroa Portuguesa criou a Capitania de São Paulo e Minas de
    Ouro.
•   - A cobrança do quinto foi regulamentada.
•   - A Coroa Portuguesa, após acabar com o conflito e pacificar a região, assumiu a exploração de
    ouro na região das Minas Gerais.
•   - Os bandeirantes paulistas, expulsos da região das Minas Gerais, foram procurar em busca de ouro
    nas regiões de Goiás e Mato Grosso. Encontram nestas áreas novas minas para explorar.
A Colônia Portuguesa em 1709
• Bandeira de Pascoal Moreira Cabral (1719)
  – Fundação do Arraial da Forquilha.
     • Entre os rios Coxipó, Peixe e Mutuca.
     • Local onde foi encontrado ouro.




• Lavras do Sutil (1722)
  – Miguel Sutil (Bandeirante paulista)
     • Encontrou ouro próximo ao córrego da prainha.
     • Grande quantidade de ouro.
 Em 1719, depois do combate com os índios e a
fundação do Arraial da Forquilha, a população elegeu
Pascoal Moreira Cabral como guarda-mor do
arraial.Entretanto,

   o governo português não aceitou a eleição.

 1724: Foi nomeado como guarda-mor da região o
paulista Fernão dias Falcão.
1726: Rodrigo César de Menezes, governador
 da Capitania de São Paulo interessado em
 fiscalizar as minas e combater o contrabando
 resolveu mudar para Cuiabá, porém sabia que
 antes era preciso combater o poder local.

• Poder Local:
  – Irmãos Leme e Pascoal Moreira Cabral.
1727: Cuiabá é elevada a categoria de Vila
 Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.

 Administração das minas: Intendência das
 Minas.

O governo de Rodrigo César foi marcado por
 uma pesada carga de impostos, dentre eles, o
 mais importante foi o quinto (20%).
Esboço de Vista de Cuiabá 1772. In: Garcia, João Carlos. A mais
                    dilatada vista do mundo,Lisboa, 2000, p 235.




Aquarela e lápis – inacabado
• Ocorria por meio das monções:
  – Saída do Rio Tietê e Chegada no Porto Geral
    (Cuiabá);

  – Remédios, alimentos, mercadorias de luxo,
    ferramentas, escravos.

     • Duração das viagens: 6 meses.
     • Sujeita a ataques de índios e espanhóis.
Rotas e problemas do Abastecimento
• 1ª Rota:
  – Viagem por rios e campos (via terrestre)
     • Problemas: Ataques de Espanhóis.




• 2ª Rota:
  – Viagem totalmente fluvial
     • Problemas: Ataques indígenas
       Caiapó, Guaicurus e Paiaguá.
Produção Local
• Agricultura de subsistência
  – Arroz, feijão, cana-de-açúcar.
     • Serra Acima (chapada), Rio Abaixo (St. Antônio)
• Pecuária
  – Criação de gado solto.
     • Fazenda Jacobina (Cáceres)
• Engenhos
  – Serra Acima e Rio Cuiabá
     • cana-de-açúcar, melaço, cachaça.
• Tratado de Madri 1750.
  – Garantia da posse dos Arraias fundados
     • Alexandre Gusmão
        – Marco em Cáceres.



• Fundação de Vila Bela 1752
  – Rolim de Moura
     • Equivoco: Terras Baixas / Inundação
O Tratado de Madrid foi firmado na capital
   espanhola entre D. João V de Portugal e D.
  Fernando VI de Espanha, a 13 de Janeiro de
1750, para definir os limites entre as respectivas
  colônias sul-americanas, pondo fim assim as
disputas. O objetivo do tratado era substituir o de
Tordesilhas, o qual já não era mais respeitado na
     prática. As negociações basearam-se no
    chamado Mapa das Cortes, privilegiando a
utilização de rios e montanhas para demarcação
       dos limites, delineando os contornos
            aproximados do Brasil atual.
Tratado de Madrid
• Abastecimento de Vila
  Bela
  – Companhia de Comércio
    do Grão-Pará e
    Maranhão.

  1772 – 1789
  – Luiz de Albuquerque de
    Melo Pereira e Cáceres
     • Fundação de Corumbá,
       Cáceres, Poconé,
       Livramento.
        – Ocupação territorial.
• Sociedade marcada pela Instabilidade.

• Mineradores, negociantes, padres, artesãos,
  burocratas, índios, negros...

• Concentração da riqueza da mineração na
  mão de poucos.

• Existência da Quilombos.
Para trabalhar na mineração, chegaram, no
  século XVIII, em Mato Grosso, os primeiros
escravos de origem africana. Como resistência à
 escravidão, as fugas foram constantes, sendo
   individuais ou coletivas, formando diversos
 quilombos. A região do vale do rio Guaporé foi
onde houve maior concentração dessas aldeias
              de escravos fugitivos.
O TRABALHO ESCRAVO ACOMPANHOU OS QUATRO
SÉCULOS DE FORMAÇÃO ECONÔMICA POLÍTICA E SOCIAL
DO BRASIL.
O quilombo do Piolho ou Quariterê, no final do
  século XVIII, localizado próximo ao rio Piolho,
ou Quariterê, reuniu negros nascidos na África e
 no Brasil, índios e mestiços de negros e índios
   (cafuzos). José Piolho, provavelmente foi o
 primeiro chefe do quilombo. Depois, assumiu o
            poder sua esposa, Teresa.
Fugidos da exploração branca, os habitantes do
quilombo conviviam comunitariamente em uma fusão
de elementos culturais de origem indígena e africana.
    Os homens caçavam, lenhavam, cuidavam dos
   animais e conseguiam mel na mata; as mulheres
 preparavam os alimentos e fabricavam panelas com
              barro, artesanato e roupas.
Rainha Teresa do Quariterê



                    Ao ser conduzida
                    pelos torturadores
                    para Vila Bela ,
                    Teresa suicidou-
                    se ingerindo uma
                      poção de ervas .
• Guerras Napoleônicas / Vinda da Família Real
  em 1808.

• Mudança da Capital
  – De Vila Bela para Cuiabá.


• Cuiabá (Oficial 1835 )
  – Maior população;
  – Melhor localização geográfica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema Colonial
Sistema ColonialSistema Colonial
Sistema Colonial
mdaltmann
 
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Jorge Marcos Oliveira
 

Mais procurados (20)

República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
 
Brasil Colônia - economia
Brasil Colônia - economiaBrasil Colônia - economia
Brasil Colônia - economia
 
Capitanias hereditárias
Capitanias hereditáriasCapitanias hereditárias
Capitanias hereditárias
 
Sistema Colonial
Sistema ColonialSistema Colonial
Sistema Colonial
 
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
Movimentos sociais na república velha (1889 1930)
 
Bandeirantes ...
Bandeirantes ...Bandeirantes ...
Bandeirantes ...
 
Brasil colônia completo
Brasil colônia   completoBrasil colônia   completo
Brasil colônia completo
 
Primeira republica
Primeira republicaPrimeira republica
Primeira republica
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Cangaço
CangaçoCangaço
Cangaço
 
A economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasilA economia açucareira no brasil
A economia açucareira no brasil
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
O ciclo da mineração
O ciclo da mineraçãoO ciclo da mineração
O ciclo da mineração
 
CEGH - A Economia do Brasil Colonial
CEGH - A Economia do Brasil ColonialCEGH - A Economia do Brasil Colonial
CEGH - A Economia do Brasil Colonial
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 

Destaque

Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Isaquel Silva
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 
Apresentação Anita Garibaldi
 Apresentação Anita Garibaldi Apresentação Anita Garibaldi
Apresentação Anita Garibaldi
Dayanne de Menezes
 
Felicidade 3 ano
Felicidade 3 anoFelicidade 3 ano
Felicidade 3 ano
Over Lane
 
78070797 a-felicidade-em-aristoteles
78070797 a-felicidade-em-aristoteles78070797 a-felicidade-em-aristoteles
78070797 a-felicidade-em-aristoteles
Adeilsa Ferreira
 
Imperio periodoregencial
Imperio periodoregencialImperio periodoregencial
Imperio periodoregencial
Carlos Zaranza
 

Destaque (20)

Cinema e educação
Cinema e educaçãoCinema e educação
Cinema e educação
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)Brasil Império  - Período Regencial (1831-1840)
Brasil Império - Período Regencial (1831-1840)
 
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014Aulão de história regional - UNEMAT 2014
Aulão de história regional - UNEMAT 2014
 
Músicas na ditadura militar
Músicas na ditadura militarMúsicas na ditadura militar
Músicas na ditadura militar
 
História de Mato Grosso - Prof Medeiros
História de Mato Grosso - Prof MedeirosHistória de Mato Grosso - Prof Medeiros
História de Mato Grosso - Prof Medeiros
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
CEGH 12 - O Período Regencial
CEGH 12 - O Período RegencialCEGH 12 - O Período Regencial
CEGH 12 - O Período Regencial
 
Apresentação Anita Garibaldi
 Apresentação Anita Garibaldi Apresentação Anita Garibaldi
Apresentação Anita Garibaldi
 
07. brasil aula sobre período regencial
07. brasil aula sobre período regencial07. brasil aula sobre período regencial
07. brasil aula sobre período regencial
 
Desenrolando o Egito
Desenrolando o EgitoDesenrolando o Egito
Desenrolando o Egito
 
Regência
RegênciaRegência
Regência
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Felicidade 3 ano
Felicidade 3 anoFelicidade 3 ano
Felicidade 3 ano
 
78070797 a-felicidade-em-aristoteles
78070797 a-felicidade-em-aristoteles78070797 a-felicidade-em-aristoteles
78070797 a-felicidade-em-aristoteles
 
Primeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencialPrimeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencial
 
Imperio periodoregencial
Imperio periodoregencialImperio periodoregencial
Imperio periodoregencial
 
Muralhasda china
Muralhasda chinaMuralhasda china
Muralhasda china
 
O período regencial
O período regencialO período regencial
O período regencial
 
Geo Mt
Geo MtGeo Mt
Geo Mt
 

Semelhante a HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL

OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
Paticx
 
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
020604
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
Daniel Alves Bronstrup
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
Patrícia Sanches
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
Rafael Noronha
 

Semelhante a HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL (20)

História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
 
Economia
EconomiaEconomia
Economia
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
 
Conquista do Sertão
Conquista do SertãoConquista do Sertão
Conquista do Sertão
 
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
Ocupacao e-formacao-do-espaco-brasileiro-–-g4
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 2 c
 
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômicaAmérica Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
 
História de Mato Grosso No Período Colonial
História de Mato Grosso No Período ColonialHistória de Mato Grosso No Período Colonial
História de Mato Grosso No Período Colonial
 
Minas gerais setecentista
Minas gerais setecentistaMinas gerais setecentista
Minas gerais setecentista
 
Mato grosso
Mato grossoMato grosso
Mato grosso
 
História regional povoamento primeiros tempos
História     regional   povoamento primeiros temposHistória     regional   povoamento primeiros tempos
História regional povoamento primeiros tempos
 
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
Slides - Brasil Colonial.pdf
Slides - Brasil Colonial.pdfSlides - Brasil Colonial.pdf
Slides - Brasil Colonial.pdf
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
Macae e sua História 3º encontro
Macae e sua História   3º encontroMacae e sua História   3º encontro
Macae e sua História 3º encontro
 

Mais de carlosbidu

Aspectos da América Latina: México
Aspectos da  América Latina: MéxicoAspectos da  América Latina: México
Aspectos da América Latina: México
carlosbidu
 
Oriente Médio
Oriente Médio Oriente Médio
Oriente Médio
carlosbidu
 
GUERRA CIVIL DA SÍRIA
GUERRA CIVIL DA SÍRIAGUERRA CIVIL DA SÍRIA
GUERRA CIVIL DA SÍRIA
carlosbidu
 
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERALTEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
carlosbidu
 
Valores do Século XXI
Valores do Século XXIValores do Século XXI
Valores do Século XXI
carlosbidu
 
Refugiados Africanos
Refugiados AfricanosRefugiados Africanos
Refugiados Africanos
carlosbidu
 
Pintura 3D Com o artista Julian Beever
Pintura 3D Com o artista Julian BeeverPintura 3D Com o artista Julian Beever
Pintura 3D Com o artista Julian Beever
carlosbidu
 
SURREAL E SUBLIMINAR
SURREAL E SUBLIMINARSURREAL E SUBLIMINAR
SURREAL E SUBLIMINAR
carlosbidu
 
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIALREPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
carlosbidu
 
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
carlosbidu
 
BREVE HISTÓRIA DO BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
BREVE HISTÓRIA DO  BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)BREVE HISTÓRIA DO  BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
BREVE HISTÓRIA DO BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
carlosbidu
 
Temas Contemporâneos 01
Temas Contemporâneos 01Temas Contemporâneos 01
Temas Contemporâneos 01
carlosbidu
 
Pós guerra e impactos da guerra fria
Pós guerra e impactos da guerra friaPós guerra e impactos da guerra fria
Pós guerra e impactos da guerra fria
carlosbidu
 
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
carlosbidu
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da África
carlosbidu
 
Barroco & Rococó
Barroco & Rococó Barroco & Rococó
Barroco & Rococó
carlosbidu
 
Matrix e a filosofia
Matrix e a filosofiaMatrix e a filosofia
Matrix e a filosofia
carlosbidu
 
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOSINQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
carlosbidu
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
carlosbidu
 

Mais de carlosbidu (20)

Aspectos da América Latina: México
Aspectos da  América Latina: MéxicoAspectos da  América Latina: México
Aspectos da América Latina: México
 
Oriente Médio
Oriente Médio Oriente Médio
Oriente Médio
 
GUERRA CIVIL DA SÍRIA
GUERRA CIVIL DA SÍRIAGUERRA CIVIL DA SÍRIA
GUERRA CIVIL DA SÍRIA
 
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERALTEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - REVISÃO GERAL
 
Valores do Século XXI
Valores do Século XXIValores do Século XXI
Valores do Século XXI
 
Refugiados Africanos
Refugiados AfricanosRefugiados Africanos
Refugiados Africanos
 
Pintura 3D Com o artista Julian Beever
Pintura 3D Com o artista Julian BeeverPintura 3D Com o artista Julian Beever
Pintura 3D Com o artista Julian Beever
 
SURREAL E SUBLIMINAR
SURREAL E SUBLIMINARSURREAL E SUBLIMINAR
SURREAL E SUBLIMINAR
 
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIALREPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
REPRESENTAÇÕES DA MEMÓRIA E CONSTRUÇÃO SOCIAL
 
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
TEMAS CONTEMPORÂNEOS - AULA - 2013
 
BREVE HISTÓRIA DO BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
BREVE HISTÓRIA DO  BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)BREVE HISTÓRIA DO  BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
BREVE HISTÓRIA DO BREVE SÉCULO XX (Início até a 2ª Guerra)
 
Temas Contemporâneos 01
Temas Contemporâneos 01Temas Contemporâneos 01
Temas Contemporâneos 01
 
Pós guerra e impactos da guerra fria
Pós guerra e impactos da guerra friaPós guerra e impactos da guerra fria
Pós guerra e impactos da guerra fria
 
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
Hasta La Victoria Siempre: Guerrilhas e movimentos de resistência na América,...
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da África
 
Art Nouveau
Art Nouveau Art Nouveau
Art Nouveau
 
Barroco & Rococó
Barroco & Rococó Barroco & Rococó
Barroco & Rococó
 
Matrix e a filosofia
Matrix e a filosofiaMatrix e a filosofia
Matrix e a filosofia
 
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOSINQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
INQUISIÇÃO: APARELHOS E MÉTODOS
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 

HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL

  • 1.
  • 2. • Pobreza na Capitania de São Vicente: – Expedições de Capturas de Índios como atividade de sobrevivência. • Utilização dos Índios: – Guias, coletores, guardas, carregadores... – Aprendizado e utilização da cultura indígena. E TORDESILHAS?????
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. • Viagens longas: – Desenvolvimentos de roças originou os Arraias • Guerra dos Emboabas (1708 – 09) – Força os Bandeirantes de São Vicente a se deslocar na busca pelo ouro. EMBOABAS???
  • 15. Guerra dos Emboabas • O que foi? • Conflito armado ocorrido na região das Minas Gerais entre os anos de 1707 e 1709, envolvendo os bandeirantes paulistas e os emboabas (portugueses e imigrantes de outras regiões do Brasil). O confronto tinha como causa principal a disputa pela exploração das minas de ouro recém descobertas na região das Minas Gerais. Os paulistas queriam exclusividade na exploração da região, pois afirmavam que tinham descoberto as minas. • Lideranças • - Os emboabas eram liderados pelo português Manuel Nunes Viana. • - Os paulistas eram comandados pelo bandeirante Borba Gato. • Conflitos • O conflito mais importante e sangrento ocorreu em novembro de 1708 no distrito de Ouro Preto. Os emboabas dominaram a região das minas e os paulistas se refugiaram na área do Rio das Mortes. • Consequências • - Os paulistas foram derrotados e a Coroa Portuguesa criou a Capitania de São Paulo e Minas de Ouro. • - A cobrança do quinto foi regulamentada. • - A Coroa Portuguesa, após acabar com o conflito e pacificar a região, assumiu a exploração de ouro na região das Minas Gerais. • - Os bandeirantes paulistas, expulsos da região das Minas Gerais, foram procurar em busca de ouro nas regiões de Goiás e Mato Grosso. Encontram nestas áreas novas minas para explorar.
  • 17. • Bandeira de Pascoal Moreira Cabral (1719) – Fundação do Arraial da Forquilha. • Entre os rios Coxipó, Peixe e Mutuca. • Local onde foi encontrado ouro. • Lavras do Sutil (1722) – Miguel Sutil (Bandeirante paulista) • Encontrou ouro próximo ao córrego da prainha. • Grande quantidade de ouro.
  • 18.  Em 1719, depois do combate com os índios e a fundação do Arraial da Forquilha, a população elegeu Pascoal Moreira Cabral como guarda-mor do arraial.Entretanto, o governo português não aceitou a eleição.  1724: Foi nomeado como guarda-mor da região o paulista Fernão dias Falcão.
  • 19. 1726: Rodrigo César de Menezes, governador da Capitania de São Paulo interessado em fiscalizar as minas e combater o contrabando resolveu mudar para Cuiabá, porém sabia que antes era preciso combater o poder local. • Poder Local: – Irmãos Leme e Pascoal Moreira Cabral.
  • 20. 1727: Cuiabá é elevada a categoria de Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.  Administração das minas: Intendência das Minas. O governo de Rodrigo César foi marcado por uma pesada carga de impostos, dentre eles, o mais importante foi o quinto (20%).
  • 21. Esboço de Vista de Cuiabá 1772. In: Garcia, João Carlos. A mais dilatada vista do mundo,Lisboa, 2000, p 235. Aquarela e lápis – inacabado
  • 22. • Ocorria por meio das monções: – Saída do Rio Tietê e Chegada no Porto Geral (Cuiabá); – Remédios, alimentos, mercadorias de luxo, ferramentas, escravos. • Duração das viagens: 6 meses. • Sujeita a ataques de índios e espanhóis.
  • 23. Rotas e problemas do Abastecimento • 1ª Rota: – Viagem por rios e campos (via terrestre) • Problemas: Ataques de Espanhóis. • 2ª Rota: – Viagem totalmente fluvial • Problemas: Ataques indígenas Caiapó, Guaicurus e Paiaguá.
  • 24.
  • 25.
  • 26. Produção Local • Agricultura de subsistência – Arroz, feijão, cana-de-açúcar. • Serra Acima (chapada), Rio Abaixo (St. Antônio) • Pecuária – Criação de gado solto. • Fazenda Jacobina (Cáceres) • Engenhos – Serra Acima e Rio Cuiabá • cana-de-açúcar, melaço, cachaça.
  • 27. • Tratado de Madri 1750. – Garantia da posse dos Arraias fundados • Alexandre Gusmão – Marco em Cáceres. • Fundação de Vila Bela 1752 – Rolim de Moura • Equivoco: Terras Baixas / Inundação
  • 28. O Tratado de Madrid foi firmado na capital espanhola entre D. João V de Portugal e D. Fernando VI de Espanha, a 13 de Janeiro de 1750, para definir os limites entre as respectivas colônias sul-americanas, pondo fim assim as disputas. O objetivo do tratado era substituir o de Tordesilhas, o qual já não era mais respeitado na prática. As negociações basearam-se no chamado Mapa das Cortes, privilegiando a utilização de rios e montanhas para demarcação dos limites, delineando os contornos aproximados do Brasil atual.
  • 30. • Abastecimento de Vila Bela – Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão. 1772 – 1789 – Luiz de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres • Fundação de Corumbá, Cáceres, Poconé, Livramento. – Ocupação territorial.
  • 31. • Sociedade marcada pela Instabilidade. • Mineradores, negociantes, padres, artesãos, burocratas, índios, negros... • Concentração da riqueza da mineração na mão de poucos. • Existência da Quilombos.
  • 32. Para trabalhar na mineração, chegaram, no século XVIII, em Mato Grosso, os primeiros escravos de origem africana. Como resistência à escravidão, as fugas foram constantes, sendo individuais ou coletivas, formando diversos quilombos. A região do vale do rio Guaporé foi onde houve maior concentração dessas aldeias de escravos fugitivos.
  • 33. O TRABALHO ESCRAVO ACOMPANHOU OS QUATRO SÉCULOS DE FORMAÇÃO ECONÔMICA POLÍTICA E SOCIAL DO BRASIL.
  • 34. O quilombo do Piolho ou Quariterê, no final do século XVIII, localizado próximo ao rio Piolho, ou Quariterê, reuniu negros nascidos na África e no Brasil, índios e mestiços de negros e índios (cafuzos). José Piolho, provavelmente foi o primeiro chefe do quilombo. Depois, assumiu o poder sua esposa, Teresa.
  • 35. Fugidos da exploração branca, os habitantes do quilombo conviviam comunitariamente em uma fusão de elementos culturais de origem indígena e africana. Os homens caçavam, lenhavam, cuidavam dos animais e conseguiam mel na mata; as mulheres preparavam os alimentos e fabricavam panelas com barro, artesanato e roupas.
  • 36. Rainha Teresa do Quariterê Ao ser conduzida pelos torturadores para Vila Bela , Teresa suicidou- se ingerindo uma poção de ervas .
  • 37. • Guerras Napoleônicas / Vinda da Família Real em 1808. • Mudança da Capital – De Vila Bela para Cuiabá. • Cuiabá (Oficial 1835 ) – Maior população; – Melhor localização geográfica.