SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
Mato Grosso
Durante a Expansão Marítima e Comercial da Europa
(iniciada no século XV), Portugal alcançou o pioneirismo
nas navegações, destacando-se bem mais que os outros
países. Mas em 1492, financiado pelos recursos da Coroa
Espanhola, Cristóvão Colombo realizou uma das maiores
descobertas daquela época: as terras a oeste. Isso deixou a
disputa ainda mais acirrada, portanto, foi necessário que os
governos desses dois países pedissem ao papa que fizesse
uma divisão das terras descobertas e das terras que ainda
estavam por descobrir. Essa divisão ficou conhecida como
Bula Inter Coetera: as terras situadas até 100 léguas a partir
das ilhas de Cabo Verde seriam de Portugal e as que
ficassem além dessa linha, seriam da Espanha.
Porém, Portugal ainda estava insatisfeito e pediu a revisão
desse primeiro acordo. Em 1494, em junho, a Espanha
assinou a revisão dos acordos, agora chamados de Tratado
de Tordesilhas. Neste novo tratado, ficou definido que: os
limites de 100 léguas agora seriam de 370 léguas. Assim, os
portugueses possuíam boa parte do território do Brasil,
mesmo que estas terras fossem descobertas pelos
espanhóis (hoje sabemos que a porção que o Tratado de
Tordesilhas delimitou para Portugal ia de Belém, no Pará, à
cidade de Laguna, em Santa Catarina).
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Entradas, Bandeiras e Monções:
• Entradas tinham a finalidade de expandir o território, eram financiadas pelos cofres
públicos e com o apoio do governo colonial em nome da Coroa de Portugal, ou seja, eram
expedições organizadas pelo governo de Portugal, não ultrapassando os limites de
Tordesilhas.
• Bandeiras foram iniciativas de particulares, que, com recursos próprios, buscavam a
obtenção de lucro. Seus membros ficaram conhecidos como bandeirantes.
• Monções eram expedições fluviais paulistas que partiam de Porto Feliz, às margens do Rio
Tietê, com destino às áreas de mineração na região do atual estado do Mato Grosso, com a
finalidade de abastecê-las . As canoas levavam mantimentos, ferramentas, armas,
munições, tecidos, instrumentos agrícolas e escravos negros, entre outras mercadorias para
serem comercializados nos povoados, arraiais e vilas do interior. Na volta, traziam
principalmente ouro e peles. Há que considerar ainda o aspecto particular desse fenômeno
na região amazônica, em busca não apenas do extrativismo das chamadas drogas do
sertão, especiarias apreciadas na Europa como, por exemplo, o urucum e o guaraná, mas
também em busca do apresamento do próprio indígena.
• Além das monções, abasteciam a região das minas, a pecuária praticada na região do
chamado Rio Abaixo (atual Santo Antônio de Leverger) e a agricultura na região da Serra
Acima (Chapada dos Guimarães). Essas atividades foram possibilitadas pelo sistema de
distribuição de terras chamado de sesmarias.
.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Para se ter uma ideia das monções, a viagem que
trouxe Rodrigo Cesar de Menezes para Cuiabá era
composta de 308 embarcações e 3000 homens.
Demorou aproximadamente cinco meses,
desembarcando em Cuiabá em novembro de 1726.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Estudo da Partida da Monção, 1897. Pintura
de Almeida Júnior
Origem de Mato Grosso
Em 1717 e 1718, o paulista Antônio Pires de Campos, e Pascoal Moreia Cabral chegaram ás margens do Rio
Coxipó, para aprisionar índios (Índios coxiponés).
Em 1719, ao atingir o rio Coxipó-Mirim, afluente do rio Cuiabá, Pascoal Moreira Cabral encontrou ouro de
aluvião no leito e as margens do rio, fundou ali o Arraial de São Gonçalo Velho ou Aldeia Velha.
Rapidamente exauridas essas minas, descobriram uma nova mina na confluência do Coxipó com o Córrego
Mutuca. Essa mina da origem a um novo arraial: o Arraial da Forquilha
FUNDAÇÃO DE CUIABÁ - SÃO GONÇALO VELHO. POR MOACIR FREITAS O ARRAIAL DA FORQUILHA. POR MOACIR FREITAS
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Em outubro de 1722, Miguel Sutil mandou dois índios escravos à procura de mel. Foi aí
que encontraram ouro em abundância nas margens do córrego da Prainha, ao pé de
um pequeno morro. A notícia do achado se espalhou e chegou ao Arraial da Forquilha.
As novas minas foram denominadas Lavras do Sutil e prosperaram com a chegada de
enorme fluxo de mineradores. Foi o início efetivo da Cuiabá com as feições de hoje.
Encontro das avenidas Prainha,
Coronel Escolástico e CPA (Rubens de
Mendonça), onde pode ser vista a
Igreja de Nossa Senhora do Rosário e
São Benedito (a primeira do estado) e
o Morro da Luz. Neste local foi
encontrado ouro, dando origem as
lavras do Sutil (Cuiabá).
Bandeirante típico
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
AS LAVRAS DO SUTIL, POR MOACIR FREITAS
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Em 1727, o então Governador da Província de São Paulo, elevou Cuiabá a categoria de vila, a
Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.
Origem do nome Mato Grosso
• Em 1o. de janeiro de 1727, o arraial foi elevado à categoria de
vila por ato do Capitão General de São Paulo, Dom Rodrigo
César de Menezes. A presença do governante paulista nas
Minas do Cuiabá ensejou uma verdadeira extorsão fiscal
sobre os mineiros, numa obsessão institucional pela
arrecadação dos quintos de ouro. Esse fato somado à gradual
diminuição da produção das lavras auríferas, fizeram com que
os bandeirantes pioneiros fossem buscar o seu ouro cada vez
mais longe das autoridades cuiabanas.
• Em 1734, estando já quase despovoada a Vila Real do Senhor
Bom Jesus do Cuiabá, os irmãos Fernando e Artur Paes de
Barros, á caça de índios Parecis, descobriram um veio aurífero,
o qual denominaram de Minas do Mato Grosso, situadas nas
margens do rio Galera, no vale do Guaporé Em Vila Bela da
Santíssima Trindade.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Fundação da Capitania de Mato
Grosso
• No ano de 1748 D. João, cria a Capitania de Mato
Grosso citando as minas de Cuiabá e Mato
Grosso. EM 25 de Setembro de 1748, A Rainha D.
Mariana de Áustria, nomeia Dom Antonio Rolim
de Moura como Governador e Capitão General da
Capitania de Mato Grosso.
• Em 1752, Antonio Rolim de Moura funda Vila
Bela da Santíssima Trindade com o objetivo de
ser a capital da capitania e garantir as posses
daquelas terras.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
DESCOBERTA DAS MINAS DO MATO GROSSO – Por Moacir Freitas
Porque os Espanhóis não se Interessaram Pelas
Terras Dessa Região?
• Grande quantidade de prata encontrada no extremo
ocidente da América do Sul (Peru e Chile);
• Grande quantidade de indígenas dos quais, alguns eram
bravos guerreiros;
FUNDAÇÃO DE PUERTO DE LOS REYES
EM 1543, POR MOACIR FREITAS
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Os tratados
Findado o Tratado de Tordesilhas, em 1750,
Portugal e Espanha assinam um novo acordo. O
Tratado de Madri. Tinha como base o princípio
do “Uti Possidetis”. Esse tratado foi anulado
em 1761 pelo Tratado de El Pardo, mas deu as
bases para a ocupação portuguesa a oeste de
Tordesilhas e possibilitou a elaboração de um
novo acordo costurado por D. Maria I, rainha de
Portugal. O Tratado de Santo Ildefonso em
1777.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
A Sociedade Mato-grossense no Período
Colonial
As elites eram compostas pelos:
• Fazendeiros;
• Grandes comerciantes;
• Burocratas;
A classe média era formada pelos:
• Profissionais liberais, baixo clero, funcionários públicos,
militares de médio posto e pequenos comerciantes.
Os chamados homens livres pobres eram compostos de:
• Militares de baixa patente;
• Mineiros;
• Pequenos agricultores;
Escravos.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Novas atividades econômicas e povoamento;
• Erva – Mate: Em 1878, Tomas Laranjeira requereu licença para explorar a erva-
mate, planta nativa entre os rios Amambai e Iguatemi na região sul do atual estado
de Mato Grosso do Sul, fundando ali, a Companhia Mate Laranjeira. Tomás
Laranjeira, expandiu as terras arrendadas e as propriedades, construiu trechos
interligados por trilhos, etc. Essa atividade foi responsável pelo povoamento do Sul
do estado.
• A poaia (final do século XIX): Cephaeles ipecacuanha, ipeca ou poaia. É uma raiz de
um pequeno arbusto, rica em emetina, substancia que serve para o tratamento de
doenças como bronquite. A extração da poaia foi responsável pelo surgimento da
cidade de Barra do Bugres.
• A extração do Látex (1870 – 1913): As mangabeiras e seringueiras nativas
floresceram nas bacias dos rios Tapajós e Paraguai, com ótima qualidade e teor de
coagulação, essa atividade deu nascimento a cidades como Poxoréo, Guiratinga,
Pedra Preta, Torixoréu e outras.
• As usinas de açúcar: Instaladas, sobretudo na região do Rio Abaixo (Santo Antônio
de Leverger e Barão de Melgaço) e Cáceres, o domínio dos coronéis usineiros teve
origem no final do século XIX, estendendo-se até a década de 1930. Os coronéis
como Antonio Pais de Barros (Totó Paes) rivalizavam em poder com a Companhia
Mate Laranjeira e os pecuaristas do Sul, formando duas grandes oligarquias.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Usina de Itaici – Santo Antonio de Leverger
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Ruinas da Usina de Itaici – Santo
Antonio de Leverger
A Expedição Rondon e as Linhas telegráficas
• Com o sonho de interligar o território brasileiro atraves do telegrafo, foi
designado pra estabelecer as ligaçoes telegráficas no Estado de Mato
Grosso, Candido Mariano da Silva Rondon. Entre 1900 e 1906, ergueu 17
estaçoes telegráficas. Sua expedição contou com botâncios, médicos,
engenheiros, desenhistas, sanitaristas, fotógrafos e topógrafos deixando um
grande legado a comuniade científica nacional. Rondon tambem pensou em
criar um organismo que protegesse as comunidades sertanejas e indígenas:
o SPILTN – Serviço de Proteção aos Indios e Localização de Trabalhadores
Nacionais. Aceita pelo Governo Federal, essa proposta foi transformada em
SPI (Serviço de Proteçao ao Indio) em 1930 e, em 1967, na FUNAI.
A Marcha para Oeste e A Expedição Roncador - Xingu
• Lançada oficialmente em 1938, Getúlio Vargas inaugurou a Marcha para
Oeste na tentativa de deslocar contingentes humanos do litoral para as
áreas de interior dos estados de Paraná, Goiás (que na época incorporava
Tocantins) e Mato Grosso (que na época era também Mato Grosso do Sul).
Seu objetivo era fazer avançar a fronteira civilizatória e incorporar esses
territórios à unidade nacional. assim nasceu a Fundação Brasil Central, e
imediatamente, foi anunciada a criação da Expedição Roncador-Xingu.
Iniciada em 1943, desbravou o sul da Amazônia e travou contato com
diversas etnias indígenas ainda desconhecidas. Foi liderada pelos três
irmãos Villas-Boas: Leonardo, Cláudio e Orlando.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
O Plano de Integração Nacional
• O Programa de Integração Nacional (PIN) foi criado pelo Governo Militar de Emilio G. Médice
em 1960, sob o lema “integrar para não entregar”. Outro lema cunhado nesse período foi o
de “terras sem homens para homens sem terras”. Entre as ações governamentais estavam a
construção de rodovias, criação da Sudam e do BASA, e os projetos de assentamento O
INCRA fez parceria com cooperativas privadas de colonização na instalação de alguns
projetos desempenhando papel importante no processo de colonização, e responsável por
diversos projetos onde se fixaram migrantes que aqui chegaram. Segue abaixo alguns
projetos de colonização cuja responsabilidade pela implantação é do INCRA:
• - PAC – Projeto de Ação Conjunta entre o INCRA e a Cooperativa Tritícula de Erechim Ltda.,
localizado em Guarantã do Norte, ao longo da rodovia Cuiabá-Santarém.
• - PA – Projeto de Assentamento Braço Sul no extremo Norte de MT, nas margens da rodovia
Cuiabá-Santarém.
• - PAC – Projeto de Assentamento Conjunto Ranchão, localizado no município de Nobres.
• - PAC Carlinda – projeto em conjunto com a Cooperativa Cotia (RS) no sul de Alta Floresta.
• - PEA – Projeto Especial de Assentamento, localizado em Lucas do Rio Verde, ao longo da
Cuiabá-Santarém.
• - PAR.Canãa – município de Nova Canãa.
• - PAR. Telles Pires – no município de Colider.
• - PAR. Cerro Azul – no município de Pontes e Lacerda.
• - PAR. Sete de Setembro – em Aripuanã. (Piaia, 2003:30)
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
A maioria dos migrantes se fixou em Mato Grosso em projetos de colonização implantados por empresas
particulares; os mais conhecidos são:
- Nova Mutum – colonizado pela Mutum Agropecuária S.A., localizado no eixo da Cuiabá- Santarém, nos
municípios de Diamantino e Nobres.
- Sorriso – da Colonizadora Sorriso, localizado no município de Sorriso, desmenbrado de Nobres, também no
eixo Cuiabá-Santarém.
- Sinop e Vera – da Colonizadora Sinop, localizados nos municípios de Sinop e Vera (entre os mais antigos
projetos do Estado), sendo Sinop hoje uma das principais cidades do norte do Mato Grosso.
- Matupá – da Colonizadora Agropecuária Cachimbó em Guarnatã do Norte, em terras dos Kreen-Akaroré
- Alta Floresta, Paranaíta e Apiacás – da Colonizadora Indeco, do Sr. Ariosto da Riva, localizadas nos
municípios de Alta Floresta (Alta Floresta e Apiacás) e de Paranaíta, em terras dos índios Apiaká, hoje na
reserva próxima ao rio dos Peixes- Colíder – colonizado pela Colider S.A., uma empresa que grilou as terras
loteadas, tendo o INCRA assumido posteriormente a regularização dos títulos (...).
- Terra Nova – colonizado pela COPERCANA, empresa de colonização criada pela Cooperativa de Canarana,
que sucedeu à Cooperativa 31 de Março. - Copercol – este projeto foi destinado a assentar colonos gaúchos
expulsos das Reservas Indígenas de Nonoai, no Rio grande do Sul. Está localizado no município de Terra Nova
do Norte, desmembrado de Colider e, como no projeto de Lucas do Rio Verde, a grande maioria dos colonos
que aí se instalaram voltaram para o sul.
- Juara e Novo Horizonte do Norte – colonizados pelo Sr. Zé Paraná, em terras Kayabi, que hoje vivem em
reserva próxima ao rio dos Peixes. - Tapurah e Eldorado – no município de Diamantino, colonizados pelas
empresas Tapurah.
- Juruena e Cotriguaçu – localizados no município de Aripuanã, o primeiro de propriedade do Sr. João Carlos
Meirelles e o segundo da Cooperativa Paranaense. Estão em terra reinvindicada pelos índios Ribeaktsa.
(Piaia, 2003:31-32)
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
A divisão do Estado
• Ocorrida durante o Governo de José Garcia Neto em 1977 e do
Presidente Ernesto Geisel.
• Foi a concretizaçao de lutas históricas pela divisão, impetradas
por lideranças políticas residentes no Sul.
• A insatisfação do sul com a administração do estado de Mato
Grosso e seu isolamento com relação à Cuiabá motivaram
movimentos separatistas desde o final do século XIX. Neste
momento, com o aumento da população e o maior crescimento
econômico da região que hoje corresponde ao estado de Mato
Grosso do Sul, a luta pela divisão ganhou força.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
MT - Hidrografia
Os rios de Mato grosso convergem para três grandes bacias hidrográficas:
• Bacia Amazônica ao Norte e Oeste: Teles Pires/Juruena (Tapajós), Xingu e Guaporé;
• Bacia do Tocantins – Araguaia a Leste: Araguaia e Rio das Mortes;
• Bacia Platina (Paraguai) ao Sul: Rio Paraguai, Cuiabá e São Lourenço;
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
MT - Solos
Podzólicos: São solos, em geral, fortemente ácidos e de baixa fertilidade natural.
Latossolo: São solos minerais, profundos (normalmente superiores a 2 m), de
horizontes B muito espesso, as cores variam de vermelhas muito escuras a
amareladas.
Plintossolos é um material contendo argila, quartzo, baixo teor de matéria orgânica e
alto teor de ferro e alumínio.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
MT Relevo
O relevo do estado apresenta altitudes modestas e um relevo bastante desgastado
pelo processo erosivo. O ponto culminante se localiza na serra de Santa Barbara no
sudoeste do Estado. Mato Grosso possui as três principais formas de relevo presente
no território brasileiro segundo Jurandir Ross, planaltos, planícies e depressões.
Destaque para o Planalto e Chapada dos Parecis na porção Central do Estado e a
Planície do Pantanal na região Sul.Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
MT - Biomas
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
O estado de Mato Grosso apresenta três grandes biomas:
A Amazônia na região Norte e Sudoeste do Estado. Com 53,6 % do território
do Estado, apresenta um exuberante estrato arbóreo. A Amazônia mato-
grossense apresenta espécies como a castanheira, o mogno e o cedro. Muito
utilizada pela indústria madeireira, esse bioma foi intensamente devastado
pelo uso da madeira e posteriormente dando lugar a pastagens. Hoje a
Amazônia Mato-grossense faz parte da nova fronteira agrícola brasileira.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
O Cerrado ocupa a faixa central e leste do Estado. Apresenta estrato
herbáceo, arbustivo e arbóreo. Suas árvores possuem troncos e galhos
retorcidos, alturas modestas com exceção das margens dos córregos e
rios onde desenvolve-se as chamadas matas ciliares. Os troncos
apresentam cascas grossas como forma de se proteger das constantes
queimadas, típicas da região em razão do clima tropical sub-úmido que
apresenta uma estação de estiagem bastante prolongadas. O cerrado é
uma savana.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
O Pantanal Mato-grossense ocupa
6,8% do território estadual. Trata-se
de uma imensa planície inundável.
Sua vegetação é considerada de
transição entre os diversos biomas,
possuindo espécies amazônicas, do
cerrado, da mata atlântica e até da
caatinga.
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Geografia do Estado de Mato Grosso
Professor Sérgio Alberto Pereira
Mato Grosso - Climas
Segundo a classificação de Straller, o estado de Mato Grosso possui o clima Tropical típico
como o tipo climático predominante. Suas características são o inverno seco e o verão úmido.
Esse tipo de clima apresenta os fenômenos denominados de “friagens” devido a influencia de
massas de ar provenientes da região polar. O clima Equatorial predomina no Norte do Estado.
Esse clima apresenta médias pluviométricas maiores que o clima Tropical.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revoltas do período regencial
Revoltas do período regencialRevoltas do período regencial
Revoltas do período regencial
Fatima Freitas
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
Fabiana Tonsis
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
Janaína Tavares
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
Lemos1960
 
Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
valdeck1
 

Mais procurados (20)

Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
Revoltas do período regencial
Revoltas do período regencialRevoltas do período regencial
Revoltas do período regencial
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Brasil Colônia - administração
Brasil Colônia - administraçãoBrasil Colônia - administração
Brasil Colônia - administração
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)Período Democrático (1945-1964)
Período Democrático (1945-1964)
 
Administração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evoluçãoAdministração - conceitos, origens e evolução
Administração - conceitos, origens e evolução
 
Revoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonialRevoltas no brasil colonial
Revoltas no brasil colonial
 
A economia brasileira na epoca do regime militar
A economia brasileira na epoca do regime militarA economia brasileira na epoca do regime militar
A economia brasileira na epoca do regime militar
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Brasil capitalista com industrialização do tipo tardia
Brasil capitalista com  industrialização do tipo tardiaBrasil capitalista com  industrialização do tipo tardia
Brasil capitalista com industrialização do tipo tardia
 
Getulio vargas
Getulio vargasGetulio vargas
Getulio vargas
 
Mato grosso do sul
Mato grosso do sulMato grosso do sul
Mato grosso do sul
 
Brasil nos anos 1920
Brasil nos anos 1920Brasil nos anos 1920
Brasil nos anos 1920
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
 
Modos de Produção
Modos de ProduçãoModos de Produção
Modos de Produção
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
 
Aulas de historia do tocantins
Aulas de historia do tocantinsAulas de historia do tocantins
Aulas de historia do tocantins
 

Semelhante a Mato grosso

OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
Paticx
 
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIALHISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
carlosbidu
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
Péricles Penuel
 
Espírito santo colonial
Espírito  santo colonialEspírito  santo colonial
Espírito santo colonial
Yara Ribeiro
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
Patrícia Sanches
 
Mato grosso do sul-Nossa história nossa gente
Mato grosso do sul-Nossa história nossa genteMato grosso do sul-Nossa história nossa gente
Mato grosso do sul-Nossa história nossa gente
Janicélia Feijó Garcia
 

Semelhante a Mato grosso (20)

HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptxHISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
HISTORIA DE MATO GROSSO - UNEMAT.pptx
 
Expansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesaExpansão colonial na américa portuguesa
Expansão colonial na américa portuguesa
 
OcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato GrossoOcupaçãO De Mato Grosso
OcupaçãO De Mato Grosso
 
História de Mato Grosso No Período Colonial
História de Mato Grosso No Período ColonialHistória de Mato Grosso No Período Colonial
História de Mato Grosso No Período Colonial
 
04 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-104 historia de_mato_grosso-1
04 historia de_mato_grosso-1
 
Mato Grosso do Sul
Mato Grosso do SulMato Grosso do Sul
Mato Grosso do Sul
 
Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império Economia Brasil colonia e Império
Economia Brasil colonia e Império
 
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIALHISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
HISTÓRIA DO MATO GROSSO COLONIAL
 
1º Ma Grupo 01
1º Ma   Grupo 011º Ma   Grupo 01
1º Ma Grupo 01
 
Capitulo 02 a expansao da america portuguesa
Capitulo 02  a expansao da america portuguesaCapitulo 02  a expansao da america portuguesa
Capitulo 02 a expansao da america portuguesa
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
 
História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
História de MT - OPERAÇÃO UNEMAT 2014
 
Entradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmpEntradas e bandeiras imagens tmp
Entradas e bandeiras imagens tmp
 
Espírito santo colonial
Espírito  santo colonialEspírito  santo colonial
Espírito santo colonial
 
Expansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorialExpansão e ocupação territorial
Expansão e ocupação territorial
 
Geografia- conteúdo
Geografia- conteúdo Geografia- conteúdo
Geografia- conteúdo
 
HP
HPHP
HP
 
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
Aula 01 a 06 - TILHA 3 COLONIZAÇÃO NA AMÉRICA PORTUGUESA Estrutura política, ...
 
Mato grosso do sul-Nossa história nossa gente
Mato grosso do sul-Nossa história nossa genteMato grosso do sul-Nossa história nossa gente
Mato grosso do sul-Nossa história nossa gente
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
 

Mais de Sérgio Alberto Pereira

Mais de Sérgio Alberto Pereira (13)

Planeta Terra
Planeta TerraPlaneta Terra
Planeta Terra
 
Carine, kelly e ana claudia
Carine, kelly e ana claudiaCarine, kelly e ana claudia
Carine, kelly e ana claudia
 
Francieli, Fernanda e Thais
Francieli, Fernanda e ThaisFrancieli, Fernanda e Thais
Francieli, Fernanda e Thais
 
Francieli, Fernanda e Thais
Francieli, Fernanda e ThaisFrancieli, Fernanda e Thais
Francieli, Fernanda e Thais
 
Luciano, renan, paulo e evrson
Luciano, renan, paulo e evrsonLuciano, renan, paulo e evrson
Luciano, renan, paulo e evrson
 
Anatielli, Daniela, Francielli Moratelli e Thais Muniz.
Anatielli, Daniela, Francielli Moratelli e Thais Muniz.Anatielli, Daniela, Francielli Moratelli e Thais Muniz.
Anatielli, Daniela, Francielli Moratelli e Thais Muniz.
 
Jonatan, Vandeir, Fábio Junior e Ronicleiton
Jonatan, Vandeir, Fábio Junior e RonicleitonJonatan, Vandeir, Fábio Junior e Ronicleiton
Jonatan, Vandeir, Fábio Junior e Ronicleiton
 
Alessandra e Jéssica_Strege
Alessandra e Jéssica_StregeAlessandra e Jéssica_Strege
Alessandra e Jéssica_Strege
 
Graziela e Vanice
Graziela e VaniceGraziela e Vanice
Graziela e Vanice
 
Mariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcio
Mariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcioMariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcio
Mariana, jessiane, patrícia_e_josé_márcio
 
AmazôNia
AmazôNiaAmazôNia
AmazôNia
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Litosfera
LitosferaLitosfera
Litosfera
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 

Mato grosso

  • 1. Mato Grosso Durante a Expansão Marítima e Comercial da Europa (iniciada no século XV), Portugal alcançou o pioneirismo nas navegações, destacando-se bem mais que os outros países. Mas em 1492, financiado pelos recursos da Coroa Espanhola, Cristóvão Colombo realizou uma das maiores descobertas daquela época: as terras a oeste. Isso deixou a disputa ainda mais acirrada, portanto, foi necessário que os governos desses dois países pedissem ao papa que fizesse uma divisão das terras descobertas e das terras que ainda estavam por descobrir. Essa divisão ficou conhecida como Bula Inter Coetera: as terras situadas até 100 léguas a partir das ilhas de Cabo Verde seriam de Portugal e as que ficassem além dessa linha, seriam da Espanha. Porém, Portugal ainda estava insatisfeito e pediu a revisão desse primeiro acordo. Em 1494, em junho, a Espanha assinou a revisão dos acordos, agora chamados de Tratado de Tordesilhas. Neste novo tratado, ficou definido que: os limites de 100 léguas agora seriam de 370 léguas. Assim, os portugueses possuíam boa parte do território do Brasil, mesmo que estas terras fossem descobertas pelos espanhóis (hoje sabemos que a porção que o Tratado de Tordesilhas delimitou para Portugal ia de Belém, no Pará, à cidade de Laguna, em Santa Catarina). Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 2. Entradas, Bandeiras e Monções: • Entradas tinham a finalidade de expandir o território, eram financiadas pelos cofres públicos e com o apoio do governo colonial em nome da Coroa de Portugal, ou seja, eram expedições organizadas pelo governo de Portugal, não ultrapassando os limites de Tordesilhas. • Bandeiras foram iniciativas de particulares, que, com recursos próprios, buscavam a obtenção de lucro. Seus membros ficaram conhecidos como bandeirantes. • Monções eram expedições fluviais paulistas que partiam de Porto Feliz, às margens do Rio Tietê, com destino às áreas de mineração na região do atual estado do Mato Grosso, com a finalidade de abastecê-las . As canoas levavam mantimentos, ferramentas, armas, munições, tecidos, instrumentos agrícolas e escravos negros, entre outras mercadorias para serem comercializados nos povoados, arraiais e vilas do interior. Na volta, traziam principalmente ouro e peles. Há que considerar ainda o aspecto particular desse fenômeno na região amazônica, em busca não apenas do extrativismo das chamadas drogas do sertão, especiarias apreciadas na Europa como, por exemplo, o urucum e o guaraná, mas também em busca do apresamento do próprio indígena. • Além das monções, abasteciam a região das minas, a pecuária praticada na região do chamado Rio Abaixo (atual Santo Antônio de Leverger) e a agricultura na região da Serra Acima (Chapada dos Guimarães). Essas atividades foram possibilitadas pelo sistema de distribuição de terras chamado de sesmarias. . Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 3. Para se ter uma ideia das monções, a viagem que trouxe Rodrigo Cesar de Menezes para Cuiabá era composta de 308 embarcações e 3000 homens. Demorou aproximadamente cinco meses, desembarcando em Cuiabá em novembro de 1726. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira Estudo da Partida da Monção, 1897. Pintura de Almeida Júnior
  • 4. Origem de Mato Grosso Em 1717 e 1718, o paulista Antônio Pires de Campos, e Pascoal Moreia Cabral chegaram ás margens do Rio Coxipó, para aprisionar índios (Índios coxiponés). Em 1719, ao atingir o rio Coxipó-Mirim, afluente do rio Cuiabá, Pascoal Moreira Cabral encontrou ouro de aluvião no leito e as margens do rio, fundou ali o Arraial de São Gonçalo Velho ou Aldeia Velha. Rapidamente exauridas essas minas, descobriram uma nova mina na confluência do Coxipó com o Córrego Mutuca. Essa mina da origem a um novo arraial: o Arraial da Forquilha FUNDAÇÃO DE CUIABÁ - SÃO GONÇALO VELHO. POR MOACIR FREITAS O ARRAIAL DA FORQUILHA. POR MOACIR FREITAS Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 5. Em outubro de 1722, Miguel Sutil mandou dois índios escravos à procura de mel. Foi aí que encontraram ouro em abundância nas margens do córrego da Prainha, ao pé de um pequeno morro. A notícia do achado se espalhou e chegou ao Arraial da Forquilha. As novas minas foram denominadas Lavras do Sutil e prosperaram com a chegada de enorme fluxo de mineradores. Foi o início efetivo da Cuiabá com as feições de hoje. Encontro das avenidas Prainha, Coronel Escolástico e CPA (Rubens de Mendonça), onde pode ser vista a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito (a primeira do estado) e o Morro da Luz. Neste local foi encontrado ouro, dando origem as lavras do Sutil (Cuiabá). Bandeirante típico Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 6. AS LAVRAS DO SUTIL, POR MOACIR FREITAS Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira Em 1727, o então Governador da Província de São Paulo, elevou Cuiabá a categoria de vila, a Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.
  • 7. Origem do nome Mato Grosso • Em 1o. de janeiro de 1727, o arraial foi elevado à categoria de vila por ato do Capitão General de São Paulo, Dom Rodrigo César de Menezes. A presença do governante paulista nas Minas do Cuiabá ensejou uma verdadeira extorsão fiscal sobre os mineiros, numa obsessão institucional pela arrecadação dos quintos de ouro. Esse fato somado à gradual diminuição da produção das lavras auríferas, fizeram com que os bandeirantes pioneiros fossem buscar o seu ouro cada vez mais longe das autoridades cuiabanas. • Em 1734, estando já quase despovoada a Vila Real do Senhor Bom Jesus do Cuiabá, os irmãos Fernando e Artur Paes de Barros, á caça de índios Parecis, descobriram um veio aurífero, o qual denominaram de Minas do Mato Grosso, situadas nas margens do rio Galera, no vale do Guaporé Em Vila Bela da Santíssima Trindade. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 8. Fundação da Capitania de Mato Grosso • No ano de 1748 D. João, cria a Capitania de Mato Grosso citando as minas de Cuiabá e Mato Grosso. EM 25 de Setembro de 1748, A Rainha D. Mariana de Áustria, nomeia Dom Antonio Rolim de Moura como Governador e Capitão General da Capitania de Mato Grosso. • Em 1752, Antonio Rolim de Moura funda Vila Bela da Santíssima Trindade com o objetivo de ser a capital da capitania e garantir as posses daquelas terras. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 9. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira DESCOBERTA DAS MINAS DO MATO GROSSO – Por Moacir Freitas
  • 10. Porque os Espanhóis não se Interessaram Pelas Terras Dessa Região? • Grande quantidade de prata encontrada no extremo ocidente da América do Sul (Peru e Chile); • Grande quantidade de indígenas dos quais, alguns eram bravos guerreiros; FUNDAÇÃO DE PUERTO DE LOS REYES EM 1543, POR MOACIR FREITAS Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 11. Os tratados Findado o Tratado de Tordesilhas, em 1750, Portugal e Espanha assinam um novo acordo. O Tratado de Madri. Tinha como base o princípio do “Uti Possidetis”. Esse tratado foi anulado em 1761 pelo Tratado de El Pardo, mas deu as bases para a ocupação portuguesa a oeste de Tordesilhas e possibilitou a elaboração de um novo acordo costurado por D. Maria I, rainha de Portugal. O Tratado de Santo Ildefonso em 1777. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 12. A Sociedade Mato-grossense no Período Colonial As elites eram compostas pelos: • Fazendeiros; • Grandes comerciantes; • Burocratas; A classe média era formada pelos: • Profissionais liberais, baixo clero, funcionários públicos, militares de médio posto e pequenos comerciantes. Os chamados homens livres pobres eram compostos de: • Militares de baixa patente; • Mineiros; • Pequenos agricultores; Escravos. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 13. Novas atividades econômicas e povoamento; • Erva – Mate: Em 1878, Tomas Laranjeira requereu licença para explorar a erva- mate, planta nativa entre os rios Amambai e Iguatemi na região sul do atual estado de Mato Grosso do Sul, fundando ali, a Companhia Mate Laranjeira. Tomás Laranjeira, expandiu as terras arrendadas e as propriedades, construiu trechos interligados por trilhos, etc. Essa atividade foi responsável pelo povoamento do Sul do estado. • A poaia (final do século XIX): Cephaeles ipecacuanha, ipeca ou poaia. É uma raiz de um pequeno arbusto, rica em emetina, substancia que serve para o tratamento de doenças como bronquite. A extração da poaia foi responsável pelo surgimento da cidade de Barra do Bugres. • A extração do Látex (1870 – 1913): As mangabeiras e seringueiras nativas floresceram nas bacias dos rios Tapajós e Paraguai, com ótima qualidade e teor de coagulação, essa atividade deu nascimento a cidades como Poxoréo, Guiratinga, Pedra Preta, Torixoréu e outras. • As usinas de açúcar: Instaladas, sobretudo na região do Rio Abaixo (Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço) e Cáceres, o domínio dos coronéis usineiros teve origem no final do século XIX, estendendo-se até a década de 1930. Os coronéis como Antonio Pais de Barros (Totó Paes) rivalizavam em poder com a Companhia Mate Laranjeira e os pecuaristas do Sul, formando duas grandes oligarquias. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 14. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira Usina de Itaici – Santo Antonio de Leverger
  • 15. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira Ruinas da Usina de Itaici – Santo Antonio de Leverger
  • 16. A Expedição Rondon e as Linhas telegráficas • Com o sonho de interligar o território brasileiro atraves do telegrafo, foi designado pra estabelecer as ligaçoes telegráficas no Estado de Mato Grosso, Candido Mariano da Silva Rondon. Entre 1900 e 1906, ergueu 17 estaçoes telegráficas. Sua expedição contou com botâncios, médicos, engenheiros, desenhistas, sanitaristas, fotógrafos e topógrafos deixando um grande legado a comuniade científica nacional. Rondon tambem pensou em criar um organismo que protegesse as comunidades sertanejas e indígenas: o SPILTN – Serviço de Proteção aos Indios e Localização de Trabalhadores Nacionais. Aceita pelo Governo Federal, essa proposta foi transformada em SPI (Serviço de Proteçao ao Indio) em 1930 e, em 1967, na FUNAI. A Marcha para Oeste e A Expedição Roncador - Xingu • Lançada oficialmente em 1938, Getúlio Vargas inaugurou a Marcha para Oeste na tentativa de deslocar contingentes humanos do litoral para as áreas de interior dos estados de Paraná, Goiás (que na época incorporava Tocantins) e Mato Grosso (que na época era também Mato Grosso do Sul). Seu objetivo era fazer avançar a fronteira civilizatória e incorporar esses territórios à unidade nacional. assim nasceu a Fundação Brasil Central, e imediatamente, foi anunciada a criação da Expedição Roncador-Xingu. Iniciada em 1943, desbravou o sul da Amazônia e travou contato com diversas etnias indígenas ainda desconhecidas. Foi liderada pelos três irmãos Villas-Boas: Leonardo, Cláudio e Orlando. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 17. O Plano de Integração Nacional • O Programa de Integração Nacional (PIN) foi criado pelo Governo Militar de Emilio G. Médice em 1960, sob o lema “integrar para não entregar”. Outro lema cunhado nesse período foi o de “terras sem homens para homens sem terras”. Entre as ações governamentais estavam a construção de rodovias, criação da Sudam e do BASA, e os projetos de assentamento O INCRA fez parceria com cooperativas privadas de colonização na instalação de alguns projetos desempenhando papel importante no processo de colonização, e responsável por diversos projetos onde se fixaram migrantes que aqui chegaram. Segue abaixo alguns projetos de colonização cuja responsabilidade pela implantação é do INCRA: • - PAC – Projeto de Ação Conjunta entre o INCRA e a Cooperativa Tritícula de Erechim Ltda., localizado em Guarantã do Norte, ao longo da rodovia Cuiabá-Santarém. • - PA – Projeto de Assentamento Braço Sul no extremo Norte de MT, nas margens da rodovia Cuiabá-Santarém. • - PAC – Projeto de Assentamento Conjunto Ranchão, localizado no município de Nobres. • - PAC Carlinda – projeto em conjunto com a Cooperativa Cotia (RS) no sul de Alta Floresta. • - PEA – Projeto Especial de Assentamento, localizado em Lucas do Rio Verde, ao longo da Cuiabá-Santarém. • - PAR.Canãa – município de Nova Canãa. • - PAR. Telles Pires – no município de Colider. • - PAR. Cerro Azul – no município de Pontes e Lacerda. • - PAR. Sete de Setembro – em Aripuanã. (Piaia, 2003:30) Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 18. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 19. A maioria dos migrantes se fixou em Mato Grosso em projetos de colonização implantados por empresas particulares; os mais conhecidos são: - Nova Mutum – colonizado pela Mutum Agropecuária S.A., localizado no eixo da Cuiabá- Santarém, nos municípios de Diamantino e Nobres. - Sorriso – da Colonizadora Sorriso, localizado no município de Sorriso, desmenbrado de Nobres, também no eixo Cuiabá-Santarém. - Sinop e Vera – da Colonizadora Sinop, localizados nos municípios de Sinop e Vera (entre os mais antigos projetos do Estado), sendo Sinop hoje uma das principais cidades do norte do Mato Grosso. - Matupá – da Colonizadora Agropecuária Cachimbó em Guarnatã do Norte, em terras dos Kreen-Akaroré - Alta Floresta, Paranaíta e Apiacás – da Colonizadora Indeco, do Sr. Ariosto da Riva, localizadas nos municípios de Alta Floresta (Alta Floresta e Apiacás) e de Paranaíta, em terras dos índios Apiaká, hoje na reserva próxima ao rio dos Peixes- Colíder – colonizado pela Colider S.A., uma empresa que grilou as terras loteadas, tendo o INCRA assumido posteriormente a regularização dos títulos (...). - Terra Nova – colonizado pela COPERCANA, empresa de colonização criada pela Cooperativa de Canarana, que sucedeu à Cooperativa 31 de Março. - Copercol – este projeto foi destinado a assentar colonos gaúchos expulsos das Reservas Indígenas de Nonoai, no Rio grande do Sul. Está localizado no município de Terra Nova do Norte, desmembrado de Colider e, como no projeto de Lucas do Rio Verde, a grande maioria dos colonos que aí se instalaram voltaram para o sul. - Juara e Novo Horizonte do Norte – colonizados pelo Sr. Zé Paraná, em terras Kayabi, que hoje vivem em reserva próxima ao rio dos Peixes. - Tapurah e Eldorado – no município de Diamantino, colonizados pelas empresas Tapurah. - Juruena e Cotriguaçu – localizados no município de Aripuanã, o primeiro de propriedade do Sr. João Carlos Meirelles e o segundo da Cooperativa Paranaense. Estão em terra reinvindicada pelos índios Ribeaktsa. (Piaia, 2003:31-32) Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 20. A divisão do Estado • Ocorrida durante o Governo de José Garcia Neto em 1977 e do Presidente Ernesto Geisel. • Foi a concretizaçao de lutas históricas pela divisão, impetradas por lideranças políticas residentes no Sul. • A insatisfação do sul com a administração do estado de Mato Grosso e seu isolamento com relação à Cuiabá motivaram movimentos separatistas desde o final do século XIX. Neste momento, com o aumento da população e o maior crescimento econômico da região que hoje corresponde ao estado de Mato Grosso do Sul, a luta pela divisão ganhou força. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 21. MT - Hidrografia Os rios de Mato grosso convergem para três grandes bacias hidrográficas: • Bacia Amazônica ao Norte e Oeste: Teles Pires/Juruena (Tapajós), Xingu e Guaporé; • Bacia do Tocantins – Araguaia a Leste: Araguaia e Rio das Mortes; • Bacia Platina (Paraguai) ao Sul: Rio Paraguai, Cuiabá e São Lourenço; Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 22. MT - Solos Podzólicos: São solos, em geral, fortemente ácidos e de baixa fertilidade natural. Latossolo: São solos minerais, profundos (normalmente superiores a 2 m), de horizontes B muito espesso, as cores variam de vermelhas muito escuras a amareladas. Plintossolos é um material contendo argila, quartzo, baixo teor de matéria orgânica e alto teor de ferro e alumínio. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 23. MT Relevo O relevo do estado apresenta altitudes modestas e um relevo bastante desgastado pelo processo erosivo. O ponto culminante se localiza na serra de Santa Barbara no sudoeste do Estado. Mato Grosso possui as três principais formas de relevo presente no território brasileiro segundo Jurandir Ross, planaltos, planícies e depressões. Destaque para o Planalto e Chapada dos Parecis na porção Central do Estado e a Planície do Pantanal na região Sul.Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 24. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 25. MT - Biomas Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 26. O estado de Mato Grosso apresenta três grandes biomas: A Amazônia na região Norte e Sudoeste do Estado. Com 53,6 % do território do Estado, apresenta um exuberante estrato arbóreo. A Amazônia mato- grossense apresenta espécies como a castanheira, o mogno e o cedro. Muito utilizada pela indústria madeireira, esse bioma foi intensamente devastado pelo uso da madeira e posteriormente dando lugar a pastagens. Hoje a Amazônia Mato-grossense faz parte da nova fronteira agrícola brasileira. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 27. O Cerrado ocupa a faixa central e leste do Estado. Apresenta estrato herbáceo, arbustivo e arbóreo. Suas árvores possuem troncos e galhos retorcidos, alturas modestas com exceção das margens dos córregos e rios onde desenvolve-se as chamadas matas ciliares. Os troncos apresentam cascas grossas como forma de se proteger das constantes queimadas, típicas da região em razão do clima tropical sub-úmido que apresenta uma estação de estiagem bastante prolongadas. O cerrado é uma savana. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 28. O Pantanal Mato-grossense ocupa 6,8% do território estadual. Trata-se de uma imensa planície inundável. Sua vegetação é considerada de transição entre os diversos biomas, possuindo espécies amazônicas, do cerrado, da mata atlântica e até da caatinga. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira
  • 29. Geografia do Estado de Mato Grosso Professor Sérgio Alberto Pereira Mato Grosso - Climas Segundo a classificação de Straller, o estado de Mato Grosso possui o clima Tropical típico como o tipo climático predominante. Suas características são o inverno seco e o verão úmido. Esse tipo de clima apresenta os fenômenos denominados de “friagens” devido a influencia de massas de ar provenientes da região polar. O clima Equatorial predomina no Norte do Estado. Esse clima apresenta médias pluviométricas maiores que o clima Tropical.