SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
DIDÁTICA E PRÁTICA 19
UNIMES VIRTUAL
Aula: 04
Temática: As interfaces da didática com a filosofia
Na aula anterior apresentamos a Didática como matéria sín-
tese, ou seja, como uma matéria que apresenta interfaces
com a Filosofia da Educação, a Psicologia da Educação, a
Sociologia da Educação, a Política Educacional, dentre outras. Sinalizamos
que a ação docente depende tanto da noção de Educação que o professor
construiu, quanto da noção de sujeito que o professor propõe-se a educar,
da sua “visão de homem”, da forma como o professor compreende que o
sujeito aprende, por que aprende, para que aprende, quando aprende.
Vamos refletir sobre algumas noções de Educação, lembrando sempre que
essas noções pertencem a um determinado período histórico. Por exemplo:
A educação é a ação exercida pelas gerações adul-
tas sobre as gerações que não se encontram ainda
preparadas para a vida social; tem por objeto suscitar
e desenvolver, na criança, certo número de estados
físicos, intelectuais e morais, reclamados pela socie-
dade política no seu conjunto e pelo meio especial
a que a criança, particularmente, se destine. Emile
Durkheim (1858-1917)
“A educação é um processo social, é desenvolvimen-
to. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.”
John Dewey (1859 - 1952)
No campo educacional, encontramos abordagens que oscilam entre dois
grandes pólos: o essencialista e o existencialista. Vamos tratar de expor
essas abordagens considerando que a realidade humana é sempre muito
mais complexa do que qualquer modelo explicativo que possamos apre-
sentar. Tomamos essas duas grandes correntes do pensamento filosófico
para conduzir nossa exposição. Lembre-se de que em qualquer polariza-
ção há um amplo espaço de transição entre os pólos, isso quer dizer que
nossas práticas podem, talvez, apresentar características mais ou menos
evidentes de ambas as abordagens.
Para a abordagem essencialista em Educação, o ser humano porta uma
essência que o caracteriza como humano. Essa essência é o pensamento.
Na visão essencialista, o ser humano já nasce com suas capacidades,
apenas necessita desenvolver as potencialidades inerentes à sua nature-
DIDÁTICA E PRÁTICA20
UNIMES VIRTUAL
za. Então as capacidades de pensamento, como a análise, síntese e julga-
mento são inatas e dependem, do amadurecimento biológico do indivíduo
e dos exercícios a realizar com essas capacidades. Nessa concepção, o
mundo é externo ao indivíduo, sendo transmitido através da Educação e
das instituições sociais. A noção de conhecimento é apresentada como
sendo algo pronto e acabado.
Para a abordagem essencialista da Educação, supostamente, se oferecem
a todas as pessoas, por igual, as mesmas condições para aprender. De um
modo homogeneizante, agrupam-se indivíduos da mesma faixa etária, ou
etapa de aprendizagem, realizando atividades em uníssono. Desse modo,
todos os educandos fazem as mesmas coisas da mesma maneira e ao
mesmo tempo. Caso o indivíduo não aprenda, as causas desse não apren-
dizado se encontram no próprio indivíduo, na sua falta de capacidade para
aprender e não nas condições que lhe foram oferecidas para aprender.
Com base nesses fundamentos, a ênfase do processo educativo recai na
transmissão do conteúdo produzido e acumulado historicamente pela hu-
manidade, pela ação do professor. Ao educando cabe assimilar esse con-
teúdo por meio de exercícios repetitivos.
Distante da abordagem essencialista, a abordagem existencialista com-
preende a natureza humana como sendo mutável, interdependente das
condições de existência, de suas relações sociais. Nessa abordagem, o
ser humano é um sistema aberto, em evolução contínua, que se desen-
volve em estágios em busca de um estado final nunca alcançado. O ser
humano é ativo e o mundo, um meio a ser descoberto.
Nessa perspectiva, compreende-se a Educação como condição para o
desenvolvimento do ser humano e a escola caracteriza-se como um labo-
ratório de vivências preparatórias para a vida. Compreende-se a aprendi-
zagem como um processo social que desloca a ênfase da transmissão do
conteúdo, da abordagem essencialista, para a descoberta e a construção
do conhecimento.
O sujeito da aprendizagem aprende em suas relações com os outros no
mundo e com o mundo, por meio da reflexão e da ação. Ser humano e
mundo são históricos e culturais, na medida em que “ambos inacabados se
encontram numa relação permanente, na qual o homem, transformando o
mundo, sofre os efeitos de sua própria transformação” (FREIRE, 1976:76).
O ser humano produz o seu modo de viver e ao fazer isso, ele se produz e
se transforma. Deste modo, o homem é fruto do seu meio, da história, da
cultura, do seu espaço e tempo. A aprendizagem está sujeita a uma série
de fatores que condicionam o modo de aprender, como as condições psi-
cológicas, sociais e econômicas dos educandos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tendencia filosofica redentora
Tendencia filosofica redentoraTendencia filosofica redentora
Tendencia filosofica redentoraMara Salvucci
 
Abordagem cognitivista
Abordagem cognitivistaAbordagem cognitivista
Abordagem cognitivistaLílian Reis
 
Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013Sa'ndro Soares
 
Analise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autoresAnalise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autoresClayton Bezerra
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educaçãoCarlos Tesch
 
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaREDEM
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasMarcelo Assis
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualJulhinha Camara
 
Diferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalDiferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalArlindo Francisco
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologiaAna Rita Rochynski
 
História da educação no brasil
História da educação no brasilHistória da educação no brasil
História da educação no brasilMari_Saracchini
 
História das ideias pedagógicas
História das ideias pedagógicas História das ideias pedagógicas
História das ideias pedagógicas PET-PEDAGOGIA2012
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Ilvanete Rosa Costa
 
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014renatoquintal
 

Mais procurados (20)

Tendência liberal tradicional
Tendência liberal tradicionalTendência liberal tradicional
Tendência liberal tradicional
 
Resumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicasResumo de tendências pedagógicas
Resumo de tendências pedagógicas
 
Tendencia filosofica redentora
Tendencia filosofica redentoraTendencia filosofica redentora
Tendencia filosofica redentora
 
Abordagem cognitivista
Abordagem cognitivistaAbordagem cognitivista
Abordagem cognitivista
 
Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013Tendencias pedagógicas 2013
Tendencias pedagógicas 2013
 
Analise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autoresAnalise de pensamento de dois grandes autores
Analise de pensamento de dois grandes autores
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
 
Abordagem comportamentalista
Abordagem comportamentalistaAbordagem comportamentalista
Abordagem comportamentalista
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atual
 
Diferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicionalDiferença entre ensino tradicional
Diferença entre ensino tradicional
 
Pedagogia liberal
Pedagogia liberalPedagogia liberal
Pedagogia liberal
 
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe   wallon 2 psicologiaHenri paul hyacinthe   wallon 2 psicologia
Henri paul hyacinthe wallon 2 psicologia
 
História da educação no brasil
História da educação no brasilHistória da educação no brasil
História da educação no brasil
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
História das ideias pedagógicas
História das ideias pedagógicas História das ideias pedagógicas
História das ideias pedagógicas
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
 
Tedencias pedagogicas
Tedencias pedagogicasTedencias pedagogicas
Tedencias pedagogicas
 
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014
Teorias_de_aprendizagem_contribuicao_RenatoQuintal_27MAR2014
 

Semelhante a G ped didp_3_1_04

30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docxAlineMelo123
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas textodiegocn
 
29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicasMimos Artesanais
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosAna Magistério
 
Abordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na EducaçãoAbordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na EducaçãoCarol Messias
 
Luckesi tendencias pedagogicas
Luckesi  tendencias pedagogicasLuckesi  tendencias pedagogicas
Luckesi tendencias pedagogicasValeria Lima
 
Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1Cássio Landher Alves
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Paula Naranjo
 
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptx
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptxtendencias politicas edu-pedaggicas.pptx
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptxFernandesJoseCarneir
 
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação
1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educaçãoSimoneHelenDrumond
 
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)bbetocosta77
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemAlcione Santos
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasJessica Nuvens
 
Aprendizado de conhecimentos
Aprendizado de conhecimentosAprendizado de conhecimentos
Aprendizado de conhecimentosJonas Araújo
 

Semelhante a G ped didp_3_1_04 (20)

30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx30.resumo de livros.docx
30.resumo de livros.docx
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
 
29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicos
 
Abordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na EducaçãoAbordagem Humanista na Educação
Abordagem Humanista na Educação
 
12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem12 ensino e aprendizagem
12 ensino e aprendizagem
 
livro-ensino-as-abordagens-do-processo
 livro-ensino-as-abordagens-do-processo livro-ensino-as-abordagens-do-processo
livro-ensino-as-abordagens-do-processo
 
Luckesi tendencias pedagogicas
Luckesi  tendencias pedagogicasLuckesi  tendencias pedagogicas
Luckesi tendencias pedagogicas
 
Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1Tendência progressista libertária1
Tendência progressista libertária1
 
G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05
 
Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.Pedagogia tradicional didática oficial.
Pedagogia tradicional didática oficial.
 
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptx
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptxtendencias politicas edu-pedaggicas.pptx
tendencias politicas edu-pedaggicas.pptx
 
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação
1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação1 artigo simone helen drumond  fund. sócio, político e filosófico da educação
1 artigo simone helen drumond fund. sócio, político e filosófico da educação
 
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)
Sujeito, linguagem e aprendizagem (1)
 
Teorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagemTeorias de aprendizagem
Teorias de aprendizagem
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
 
durkheim
durkheimdurkheim
durkheim
 
Aprendizado de conhecimentos
Aprendizado de conhecimentosAprendizado de conhecimentos
Aprendizado de conhecimentos
 
Curso de didática
Curso de didáticaCurso de didática
Curso de didática
 

Mais de procura de novas oportunidade (16)

Anexo II 2023.pdf
Anexo II 2023.pdfAnexo II 2023.pdf
Anexo II 2023.pdf
 
Anexo II 2023.pdf
Anexo II 2023.pdfAnexo II 2023.pdf
Anexo II 2023.pdf
 
cruzadinha rochas.docx
cruzadinha rochas.docxcruzadinha rochas.docx
cruzadinha rochas.docx
 
Educ especial
Educ especialEduc especial
Educ especial
 
1768 2405-1-pb
1768 2405-1-pb1768 2405-1-pb
1768 2405-1-pb
 
G ped aeip_4_02_11
G ped aeip_4_02_11G ped aeip_4_02_11
G ped aeip_4_02_11
 
Legislacao federal 2014 sinpeem
Legislacao federal 2014 sinpeemLegislacao federal 2014 sinpeem
Legislacao federal 2014 sinpeem
 
G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01
 
G ped peja_3_1_01
G ped peja_3_1_01G ped peja_3_1_01
G ped peja_3_1_01
 
G ped didp_3_1_06
G ped didp_3_1_06G ped didp_3_1_06
G ped didp_3_1_06
 
G ped didp_3_1_03
G ped didp_3_1_03G ped didp_3_1_03
G ped didp_3_1_03
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01
 
G ped didp_3_1_03
G ped didp_3_1_03G ped didp_3_1_03
G ped didp_3_1_03
 
G ped didp_3_1_02
G ped didp_3_1_02G ped didp_3_1_02
G ped didp_3_1_02
 
G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01G ped didp_3_1_01
G ped didp_3_1_01
 

Último

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 

Último (20)

ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 

G ped didp_3_1_04

  • 1. DIDÁTICA E PRÁTICA 19 UNIMES VIRTUAL Aula: 04 Temática: As interfaces da didática com a filosofia Na aula anterior apresentamos a Didática como matéria sín- tese, ou seja, como uma matéria que apresenta interfaces com a Filosofia da Educação, a Psicologia da Educação, a Sociologia da Educação, a Política Educacional, dentre outras. Sinalizamos que a ação docente depende tanto da noção de Educação que o professor construiu, quanto da noção de sujeito que o professor propõe-se a educar, da sua “visão de homem”, da forma como o professor compreende que o sujeito aprende, por que aprende, para que aprende, quando aprende. Vamos refletir sobre algumas noções de Educação, lembrando sempre que essas noções pertencem a um determinado período histórico. Por exemplo: A educação é a ação exercida pelas gerações adul- tas sobre as gerações que não se encontram ainda preparadas para a vida social; tem por objeto suscitar e desenvolver, na criança, certo número de estados físicos, intelectuais e morais, reclamados pela socie- dade política no seu conjunto e pelo meio especial a que a criança, particularmente, se destine. Emile Durkheim (1858-1917) “A educação é um processo social, é desenvolvimen- to. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.” John Dewey (1859 - 1952) No campo educacional, encontramos abordagens que oscilam entre dois grandes pólos: o essencialista e o existencialista. Vamos tratar de expor essas abordagens considerando que a realidade humana é sempre muito mais complexa do que qualquer modelo explicativo que possamos apre- sentar. Tomamos essas duas grandes correntes do pensamento filosófico para conduzir nossa exposição. Lembre-se de que em qualquer polariza- ção há um amplo espaço de transição entre os pólos, isso quer dizer que nossas práticas podem, talvez, apresentar características mais ou menos evidentes de ambas as abordagens. Para a abordagem essencialista em Educação, o ser humano porta uma essência que o caracteriza como humano. Essa essência é o pensamento. Na visão essencialista, o ser humano já nasce com suas capacidades, apenas necessita desenvolver as potencialidades inerentes à sua nature-
  • 2. DIDÁTICA E PRÁTICA20 UNIMES VIRTUAL za. Então as capacidades de pensamento, como a análise, síntese e julga- mento são inatas e dependem, do amadurecimento biológico do indivíduo e dos exercícios a realizar com essas capacidades. Nessa concepção, o mundo é externo ao indivíduo, sendo transmitido através da Educação e das instituições sociais. A noção de conhecimento é apresentada como sendo algo pronto e acabado. Para a abordagem essencialista da Educação, supostamente, se oferecem a todas as pessoas, por igual, as mesmas condições para aprender. De um modo homogeneizante, agrupam-se indivíduos da mesma faixa etária, ou etapa de aprendizagem, realizando atividades em uníssono. Desse modo, todos os educandos fazem as mesmas coisas da mesma maneira e ao mesmo tempo. Caso o indivíduo não aprenda, as causas desse não apren- dizado se encontram no próprio indivíduo, na sua falta de capacidade para aprender e não nas condições que lhe foram oferecidas para aprender. Com base nesses fundamentos, a ênfase do processo educativo recai na transmissão do conteúdo produzido e acumulado historicamente pela hu- manidade, pela ação do professor. Ao educando cabe assimilar esse con- teúdo por meio de exercícios repetitivos. Distante da abordagem essencialista, a abordagem existencialista com- preende a natureza humana como sendo mutável, interdependente das condições de existência, de suas relações sociais. Nessa abordagem, o ser humano é um sistema aberto, em evolução contínua, que se desen- volve em estágios em busca de um estado final nunca alcançado. O ser humano é ativo e o mundo, um meio a ser descoberto. Nessa perspectiva, compreende-se a Educação como condição para o desenvolvimento do ser humano e a escola caracteriza-se como um labo- ratório de vivências preparatórias para a vida. Compreende-se a aprendi- zagem como um processo social que desloca a ênfase da transmissão do conteúdo, da abordagem essencialista, para a descoberta e a construção do conhecimento. O sujeito da aprendizagem aprende em suas relações com os outros no mundo e com o mundo, por meio da reflexão e da ação. Ser humano e mundo são históricos e culturais, na medida em que “ambos inacabados se encontram numa relação permanente, na qual o homem, transformando o mundo, sofre os efeitos de sua própria transformação” (FREIRE, 1976:76). O ser humano produz o seu modo de viver e ao fazer isso, ele se produz e se transforma. Deste modo, o homem é fruto do seu meio, da história, da cultura, do seu espaço e tempo. A aprendizagem está sujeita a uma série de fatores que condicionam o modo de aprender, como as condições psi- cológicas, sociais e econômicas dos educandos.