SlideShare uma empresa Scribd logo
Formação dasFormação das
Monarquias NacionaisMonarquias Nacionais
Professor WiltonProfessor Wilton
HistóriaHistória
1º Colegial - Colégio FAAG1º Colegial - Colégio FAAG
Agudos - S.P.Agudos - S.P.
A Questão do Poder RealA Questão do Poder Real
 1453 = Início da Idade Moderna, a partir de dois fatos1453 = Início da Idade Moderna, a partir de dois fatos
históricos importantes: a tomada de Constantinoplahistóricos importantes: a tomada de Constantinopla
pelo turcos e o término da Guerra dos 100 Anos, apelo turcos e o término da Guerra dos 100 Anos, a
última grande guerra feudal da Europa Ocidental.última grande guerra feudal da Europa Ocidental.
 Uma das marcas da modernidade é o processo deUma das marcas da modernidade é o processo de
constituição das Monarquias Nacionais e doconstituição das Monarquias Nacionais e do
Absolutismo, que com a Expansão Marítima, oAbsolutismo, que com a Expansão Marítima, o
Renascimento Cultural, as Reformas Religiosas e porRenascimento Cultural, as Reformas Religiosas e por
fim, o Iluminismo, são marcas de um novo mundo.fim, o Iluminismo, são marcas de um novo mundo.
 Transição da Idade Média para a ModernaTransição da Idade Média para a Moderna 
processo de formação das Monarquias Nacionais ouprocesso de formação das Monarquias Nacionais ou
do Estado Moderno. Isto ajudou a dar cara ao mundodo Estado Moderno. Isto ajudou a dar cara ao mundo
que nós conhecemos hoje, em termos geográficos.que nós conhecemos hoje, em termos geográficos.
O poder real durante a Idade MédiaO poder real durante a Idade Média
- Fronteiras medievais eram instáveis, mudandoFronteiras medievais eram instáveis, mudando
de tempos em tempo. Reisde tempos em tempo. Reis poucopouco
mandavammandavam
- Reinos medievais = poder restrito X Nobreza,Reinos medievais = poder restrito X Nobreza,
que era a dono do poder (descentralizado).que era a dono do poder (descentralizado).
Podia vencer um lado, ou outro, além da IgrejaPodia vencer um lado, ou outro, além da Igreja
Católica, mais poderosa do que todos.Católica, mais poderosa do que todos.
Para melhor entender, é preciso saber que háPara melhor entender, é preciso saber que há
três esferas de poder: o local, o nacional e otrês esferas de poder: o local, o nacional e o
supranacional. Durante a Idade Média,supranacional. Durante a Idade Média,
observa-se a disputa entre essas 3 esferas deobserva-se a disputa entre essas 3 esferas de
poder, em que o nacional (rei) perde para opoder, em que o nacional (rei) perde para o
local (nobre) ou para o supranacional (Igreja).local (nobre) ou para o supranacional (Igreja).
O Processo de Centralização do PoderO Processo de Centralização do Poder
- Século XIV = Uma conjuntura específica na Europa- Século XIV = Uma conjuntura específica na Europa
Ocidental abre a possibilidade de afirmação daOcidental abre a possibilidade de afirmação da
autoridade da esfera do poder nacional (real), pois:autoridade da esfera do poder nacional (real), pois:
- Na economia, unificou-se tributos e impostos, aboliu-Na economia, unificou-se tributos e impostos, aboliu-
se a alfândega interna e adotou uma políticase a alfândega interna e adotou uma política
protecionista e o incentivo às exportaçõesprotecionista e o incentivo às exportações
(Mercantilismo);(Mercantilismo);
- Na política, prevalece a centralização política eNa política, prevalece a centralização política e
administrativa, com todos se submetendo ao rei, queadministrativa, com todos se submetendo ao rei, que
se torna absolutista;se torna absolutista;
- Surgem os teóricos do Absolutismo: Bossuet (TeoriaSurgem os teóricos do Absolutismo: Bossuet (Teoria
do Direito Divino) e Hobbes (Contratualismo).do Direito Divino) e Hobbes (Contratualismo).
Convergência de interesses ou aliançaConvergência de interesses ou aliança
política?política?
Século XIVSéculo XIV  conjunto de fatores políticosconjunto de fatores políticos
e econômicos, colocam a nobreza/clero eme econômicos, colocam a nobreza/clero em
confronto com o rei/burguesia. Algunsconfronto com o rei/burguesia. Alguns
autores falam em uma aliança entre o rei aautores falam em uma aliança entre o rei a
burguesia, enquanto outros afirmam queburguesia, enquanto outros afirmam que
houve umahouve uma convergênciaconvergência de interesses,de interesses,
em um determinado instante, entreem um determinado instante, entre o podero poder
realreal (monarca) e os comerciantes(monarca) e os comerciantes
(burguesia).(burguesia).
Confronto: descentralização X centralização,Confronto: descentralização X centralização,
com uma a vitória do rei (Estado Moderno).com uma a vitória do rei (Estado Moderno).
Portugal: o 1° Estado ModernoPortugal: o 1° Estado Moderno
O 1° país da Europa Ocidental a se tornar umO 1° país da Europa Ocidental a se tornar um
Estado Moderno foi Portugal. Isso ocorreuEstado Moderno foi Portugal. Isso ocorreu
após a Revolução de Avis, que colocou D.após a Revolução de Avis, que colocou D.
João no poder. Dinastia de AVIS = Nobreza eJoão no poder. Dinastia de AVIS = Nobreza e
clero subordinados ao poder real, com umclero subordinados ao poder real, com um
processo de centralização político eprocesso de centralização político e
administrativo que uniformizou impostos eadministrativo que uniformizou impostos e
tributos, possibilitando ao Estado mobilizartributos, possibilitando ao Estado mobilizar
recursos em escala nacional. Isto nãorecursos em escala nacional. Isto não
fortaleceu o Estado como lhe permitiu investirfortaleceu o Estado como lhe permitiu investir
em empreendimentos como a Expansãoem empreendimentos como a Expansão
Marítima e Comercial.Marítima e Comercial.
A Espanha como Estado ModernoA Espanha como Estado Moderno
Ali, já havia uma relativa concentração deAli, já havia uma relativa concentração de
poderes nas mãos dos reis, em função dapoderes nas mãos dos reis, em função da
luta contra os islâmicos para reconquistar aluta contra os islâmicos para reconquistar a
Península Ibérica. Essa luta reuniu esforçosPenínsula Ibérica. Essa luta reuniu esforços
e o rei coordenou os interesses comuns.e o rei coordenou os interesses comuns.
14691469  Casamento dos reis católicos –Casamento dos reis católicos –
Isabel de Castela com Fernando de Aragão.Isabel de Castela com Fernando de Aragão.
Após isso, com a expulsão total dosApós isso, com a expulsão total dos
muçulmanos, consolida-se a unificaçãomuçulmanos, consolida-se a unificação
territorial da Espanha como Estadoterritorial da Espanha como Estado
Nacional.Nacional.
14921492  Espanha começa seu projeto deEspanha começa seu projeto de
Monarquia Inglesa – Guerra das 2 RosasMonarquia Inglesa – Guerra das 2 Rosas
Processo de formação do Estado Moderno naProcesso de formação do Estado Moderno na
Inglaterra está associado à Guerra das DuasInglaterra está associado à Guerra das Duas
Rosas, quando os Lancaster (rosa vermelha) eRosas, quando os Lancaster (rosa vermelha) e
os York (rosa branca) brigavam pelo controleos York (rosa branca) brigavam pelo controle
do trono inglês, em função da falta de herdeiro.do trono inglês, em função da falta de herdeiro.
A longa disputa entre as duas famíliasA longa disputa entre as duas famílias
enfraqueceu a nobreza feudal e com a posseenfraqueceu a nobreza feudal e com a posse
de Henrique VII, inicia-se a Dinastia Tudor, quede Henrique VII, inicia-se a Dinastia Tudor, que
consolidou o poder real e formou o Estadoconsolidou o poder real e formou o Estado
Nacional Inglês, que seria solidificado por seuNacional Inglês, que seria solidificado por seu
filho, Henrique VIII.filho, Henrique VIII.
A Monarquia FrancesaA Monarquia Francesa
 Estado absolutista francês: instalado no final doEstado absolutista francês: instalado no final do
século XVI, com o final da Guerra dos Trêsséculo XVI, com o final da Guerra dos Três
Henriques, que reivindicavam o trono e não seHenriques, que reivindicavam o trono e não se
entendiam, devido às diferenças religiosas entre osentendiam, devido às diferenças religiosas entre os
católicos franceses e os protestantes (huguenotes).católicos franceses e os protestantes (huguenotes).
Assume o trono Henrique IV, que era protestante e seAssume o trono Henrique IV, que era protestante e se
converteu ao catolicismo, mas não se esqueceu deconverteu ao catolicismo, mas não se esqueceu de
seu passado, publicando o Édito de Nantes,seu passado, publicando o Édito de Nantes,
concedendo liberdade de culto aos protestantes.concedendo liberdade de culto aos protestantes.
Pacificou as guerras religiosas, concentrou poderes ePacificou as guerras religiosas, concentrou poderes e
com forte autoridade, recuperou a economia do país.com forte autoridade, recuperou a economia do país.
Assim, esteve na origem da formação do EstadoAssim, esteve na origem da formação do Estado
Moderno na França.Moderno na França.
A Monarquia FrancesaA Monarquia Francesa
 Estado absolutista francês: instalado no final doEstado absolutista francês: instalado no final do
século XVI, com o final da Guerra dos Trêsséculo XVI, com o final da Guerra dos Três
Henriques, que reivindicavam o trono e não seHenriques, que reivindicavam o trono e não se
entendiam, devido às diferenças religiosas entre osentendiam, devido às diferenças religiosas entre os
católicos franceses e os protestantes (huguenotes).católicos franceses e os protestantes (huguenotes).
Assume o trono Henrique IV, que era protestante e seAssume o trono Henrique IV, que era protestante e se
converteu ao catolicismo, mas não se esqueceu deconverteu ao catolicismo, mas não se esqueceu de
seu passado, publicando o Édito de Nantes,seu passado, publicando o Édito de Nantes,
concedendo liberdade de culto aos protestantes.concedendo liberdade de culto aos protestantes.
Pacificou as guerras religiosas, concentrou poderes ePacificou as guerras religiosas, concentrou poderes e
com forte autoridade, recuperou a economia do país.com forte autoridade, recuperou a economia do país.
Assim, esteve na origem da formação do EstadoAssim, esteve na origem da formação do Estado
Moderno na França.Moderno na França.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Slide reinos africanos
Slide reinos africanosSlide reinos africanos
Slide reinos africanos
Isabel Aguiar
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Fatima Freitas
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
dmflores21
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
Claudenilson da Silva
 
África - sístese histórica
África - sístese históricaÁfrica - sístese histórica
África - sístese histórica
Portal do Vestibulando
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial
Aulas de História
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
Portal do Vestibulando
 
África Medieval - 7º Ano (2016)
África Medieval - 7º Ano (2016)África Medieval - 7º Ano (2016)
África Medieval - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
Susana Simões
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
josepinho
 
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismoColonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
alinemaiahistoria
 
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
Marcelo Celloto
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Vitor Ferreira
 
Antigo Oriente
Antigo Oriente Antigo Oriente
Antigo Oriente
Aulas de História
 

Mais procurados (20)

A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Slide reinos africanos
Slide reinos africanosSlide reinos africanos
Slide reinos africanos
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).pptBrasil pré colonial (1500-1530).ppt
Brasil pré colonial (1500-1530).ppt
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
África - sístese histórica
África - sístese históricaÁfrica - sístese histórica
África - sístese histórica
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
 
África Medieval - 7º Ano (2016)
África Medieval - 7º Ano (2016)África Medieval - 7º Ano (2016)
África Medieval - 7º Ano (2016)
 
renascimento cultural 7º ano
  renascimento cultural 7º ano  renascimento cultural 7º ano
renascimento cultural 7º ano
 
A revolução francesa 2
A revolução francesa 2A revolução francesa 2
A revolução francesa 2
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismoColonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
 
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
A GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesaQuarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
Quarto capítulo colonização da américa inglesa e francesa
 
Antigo Oriente
Antigo Oriente Antigo Oriente
Antigo Oriente
 

Semelhante a Formação das monarquias nacionais (faag)

Absolutismo mercantilismo
Absolutismo   mercantilismoAbsolutismo   mercantilismo
Absolutismo mercantilismo
Kelly Delfino
 
10° reinos bárbaros
10° reinos bárbaros10° reinos bárbaros
10° reinos bárbaros
Ajudar Pessoas
 
Revisão per. transição-2°_ano
Revisão per. transição-2°_anoRevisão per. transição-2°_ano
Revisão per. transição-2°_ano
Luan Furtado
 
Estado Moderno
Estado ModernoEstado Moderno
Estado Moderno
Juray Castro
 
IDADE MODERNA.pdf
IDADE MODERNA.pdfIDADE MODERNA.pdf
IDADE MODERNA.pdf
QuentinBeck2
 
Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)
Guilherme Drumond
 
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Gustavo Cuin
 
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdfabsolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
GiovannaPokorny
 
Absolutismo europeu
Absolutismo europeuAbsolutismo europeu
Absolutismo europeu
Valeria Kosicki
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
Lucas Nunes de Souza
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
Lucas Nunes de Souza
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
Jacqueline Matilde
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
Eveline de Melo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
Maria Luiza
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Ewerton Anacleto de Souza
 
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
Vídeo Aulas Apoio
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa

Semelhante a Formação das monarquias nacionais (faag) (20)

Absolutismo mercantilismo
Absolutismo   mercantilismoAbsolutismo   mercantilismo
Absolutismo mercantilismo
 
10° reinos bárbaros
10° reinos bárbaros10° reinos bárbaros
10° reinos bárbaros
 
Revisão per. transição-2°_ano
Revisão per. transição-2°_anoRevisão per. transição-2°_ano
Revisão per. transição-2°_ano
 
Estado Moderno
Estado ModernoEstado Moderno
Estado Moderno
 
IDADE MODERNA.pdf
IDADE MODERNA.pdfIDADE MODERNA.pdf
IDADE MODERNA.pdf
 
Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)Absolutismo (resumo)
Absolutismo (resumo)
 
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10   1º ano 2013 - política e economia na idade modernaCap10   1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
Cap10 1º ano 2013 - política e economia na idade moderna
 
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdfabsolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
absolutismoeuropeu-110607134212-phpapp02.pdf
 
Absolutismo europeu
Absolutismo europeuAbsolutismo europeu
Absolutismo europeu
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
 
Absolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquicoAbsolutismo MonáRquico
Absolutismo MonáRquico
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
Monarquias nacionais frança e inglaterra 2021
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 

Mais de Wilton Moretto

A i g.m.
A i g.m.A i g.m.
A i g.m.
Wilton Moretto
 
Introdução ao pensamento político
Introdução ao pensamento políticoIntrodução ao pensamento político
Introdução ao pensamento político
Wilton Moretto
 
Liberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidadeLiberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidade
Wilton Moretto
 
Democracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadaniaDemocracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadania
Wilton Moretto
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Wilton Moretto
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
Wilton Moretto
 
Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)
Wilton Moretto
 
Liberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermasLiberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermas
Wilton Moretto
 
Movimento conflitos sociais e estratificação
Movimento   conflitos sociais e estratificaçãoMovimento   conflitos sociais e estratificação
Movimento conflitos sociais e estratificação
Wilton Moretto
 
As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848
Wilton Moretto
 
Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)
Wilton Moretto
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
Wilton Moretto
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
Wilton Moretto
 
Renascimento (capítulo 18)
Renascimento (capítulo 18)Renascimento (capítulo 18)
Renascimento (capítulo 18)
Wilton Moretto
 
Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)
Wilton Moretto
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
Wilton Moretto
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
Wilton Moretto
 
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Wilton Moretto
 
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
Wilton Moretto
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
Wilton Moretto
 

Mais de Wilton Moretto (20)

A i g.m.
A i g.m.A i g.m.
A i g.m.
 
Introdução ao pensamento político
Introdução ao pensamento políticoIntrodução ao pensamento político
Introdução ao pensamento político
 
Liberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidadeLiberdade, propriedade, fraternidade
Liberdade, propriedade, fraternidade
 
Democracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadaniaDemocracias, ditaduras e cidadania
Democracias, ditaduras e cidadania
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
 
Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)Introducao à filosofia (aula 1)
Introducao à filosofia (aula 1)
 
Liberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermasLiberdade e linguagem habermas
Liberdade e linguagem habermas
 
Movimento conflitos sociais e estratificação
Movimento   conflitos sociais e estratificaçãoMovimento   conflitos sociais e estratificação
Movimento conflitos sociais e estratificação
 
As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848As revoluções de 1830 e 1848
As revoluções de 1830 e 1848
 
Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)Rebeliões no século xix (faag)
Rebeliões no século xix (faag)
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
 
Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)Periodo regencial (faag)
Periodo regencial (faag)
 
Renascimento (capítulo 18)
Renascimento (capítulo 18)Renascimento (capítulo 18)
Renascimento (capítulo 18)
 
Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)Renascimento cultural (cap.8)
Renascimento cultural (cap.8)
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
 
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
Trabalhador urbano durante a república (capítulo 16)
 
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
A formação das monarquias nacionais modernas (aula 10)
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 

Formação das monarquias nacionais (faag)

  • 1. Formação dasFormação das Monarquias NacionaisMonarquias Nacionais Professor WiltonProfessor Wilton HistóriaHistória 1º Colegial - Colégio FAAG1º Colegial - Colégio FAAG Agudos - S.P.Agudos - S.P.
  • 2. A Questão do Poder RealA Questão do Poder Real  1453 = Início da Idade Moderna, a partir de dois fatos1453 = Início da Idade Moderna, a partir de dois fatos históricos importantes: a tomada de Constantinoplahistóricos importantes: a tomada de Constantinopla pelo turcos e o término da Guerra dos 100 Anos, apelo turcos e o término da Guerra dos 100 Anos, a última grande guerra feudal da Europa Ocidental.última grande guerra feudal da Europa Ocidental.  Uma das marcas da modernidade é o processo deUma das marcas da modernidade é o processo de constituição das Monarquias Nacionais e doconstituição das Monarquias Nacionais e do Absolutismo, que com a Expansão Marítima, oAbsolutismo, que com a Expansão Marítima, o Renascimento Cultural, as Reformas Religiosas e porRenascimento Cultural, as Reformas Religiosas e por fim, o Iluminismo, são marcas de um novo mundo.fim, o Iluminismo, são marcas de um novo mundo.  Transição da Idade Média para a ModernaTransição da Idade Média para a Moderna  processo de formação das Monarquias Nacionais ouprocesso de formação das Monarquias Nacionais ou do Estado Moderno. Isto ajudou a dar cara ao mundodo Estado Moderno. Isto ajudou a dar cara ao mundo que nós conhecemos hoje, em termos geográficos.que nós conhecemos hoje, em termos geográficos.
  • 3. O poder real durante a Idade MédiaO poder real durante a Idade Média - Fronteiras medievais eram instáveis, mudandoFronteiras medievais eram instáveis, mudando de tempos em tempo. Reisde tempos em tempo. Reis poucopouco mandavammandavam - Reinos medievais = poder restrito X Nobreza,Reinos medievais = poder restrito X Nobreza, que era a dono do poder (descentralizado).que era a dono do poder (descentralizado). Podia vencer um lado, ou outro, além da IgrejaPodia vencer um lado, ou outro, além da Igreja Católica, mais poderosa do que todos.Católica, mais poderosa do que todos. Para melhor entender, é preciso saber que háPara melhor entender, é preciso saber que há três esferas de poder: o local, o nacional e otrês esferas de poder: o local, o nacional e o supranacional. Durante a Idade Média,supranacional. Durante a Idade Média, observa-se a disputa entre essas 3 esferas deobserva-se a disputa entre essas 3 esferas de poder, em que o nacional (rei) perde para opoder, em que o nacional (rei) perde para o local (nobre) ou para o supranacional (Igreja).local (nobre) ou para o supranacional (Igreja).
  • 4. O Processo de Centralização do PoderO Processo de Centralização do Poder - Século XIV = Uma conjuntura específica na Europa- Século XIV = Uma conjuntura específica na Europa Ocidental abre a possibilidade de afirmação daOcidental abre a possibilidade de afirmação da autoridade da esfera do poder nacional (real), pois:autoridade da esfera do poder nacional (real), pois: - Na economia, unificou-se tributos e impostos, aboliu-Na economia, unificou-se tributos e impostos, aboliu- se a alfândega interna e adotou uma políticase a alfândega interna e adotou uma política protecionista e o incentivo às exportaçõesprotecionista e o incentivo às exportações (Mercantilismo);(Mercantilismo); - Na política, prevalece a centralização política eNa política, prevalece a centralização política e administrativa, com todos se submetendo ao rei, queadministrativa, com todos se submetendo ao rei, que se torna absolutista;se torna absolutista; - Surgem os teóricos do Absolutismo: Bossuet (TeoriaSurgem os teóricos do Absolutismo: Bossuet (Teoria do Direito Divino) e Hobbes (Contratualismo).do Direito Divino) e Hobbes (Contratualismo).
  • 5. Convergência de interesses ou aliançaConvergência de interesses ou aliança política?política? Século XIVSéculo XIV  conjunto de fatores políticosconjunto de fatores políticos e econômicos, colocam a nobreza/clero eme econômicos, colocam a nobreza/clero em confronto com o rei/burguesia. Algunsconfronto com o rei/burguesia. Alguns autores falam em uma aliança entre o rei aautores falam em uma aliança entre o rei a burguesia, enquanto outros afirmam queburguesia, enquanto outros afirmam que houve umahouve uma convergênciaconvergência de interesses,de interesses, em um determinado instante, entreem um determinado instante, entre o podero poder realreal (monarca) e os comerciantes(monarca) e os comerciantes (burguesia).(burguesia). Confronto: descentralização X centralização,Confronto: descentralização X centralização, com uma a vitória do rei (Estado Moderno).com uma a vitória do rei (Estado Moderno).
  • 6. Portugal: o 1° Estado ModernoPortugal: o 1° Estado Moderno O 1° país da Europa Ocidental a se tornar umO 1° país da Europa Ocidental a se tornar um Estado Moderno foi Portugal. Isso ocorreuEstado Moderno foi Portugal. Isso ocorreu após a Revolução de Avis, que colocou D.após a Revolução de Avis, que colocou D. João no poder. Dinastia de AVIS = Nobreza eJoão no poder. Dinastia de AVIS = Nobreza e clero subordinados ao poder real, com umclero subordinados ao poder real, com um processo de centralização político eprocesso de centralização político e administrativo que uniformizou impostos eadministrativo que uniformizou impostos e tributos, possibilitando ao Estado mobilizartributos, possibilitando ao Estado mobilizar recursos em escala nacional. Isto nãorecursos em escala nacional. Isto não fortaleceu o Estado como lhe permitiu investirfortaleceu o Estado como lhe permitiu investir em empreendimentos como a Expansãoem empreendimentos como a Expansão Marítima e Comercial.Marítima e Comercial.
  • 7. A Espanha como Estado ModernoA Espanha como Estado Moderno Ali, já havia uma relativa concentração deAli, já havia uma relativa concentração de poderes nas mãos dos reis, em função dapoderes nas mãos dos reis, em função da luta contra os islâmicos para reconquistar aluta contra os islâmicos para reconquistar a Península Ibérica. Essa luta reuniu esforçosPenínsula Ibérica. Essa luta reuniu esforços e o rei coordenou os interesses comuns.e o rei coordenou os interesses comuns. 14691469  Casamento dos reis católicos –Casamento dos reis católicos – Isabel de Castela com Fernando de Aragão.Isabel de Castela com Fernando de Aragão. Após isso, com a expulsão total dosApós isso, com a expulsão total dos muçulmanos, consolida-se a unificaçãomuçulmanos, consolida-se a unificação territorial da Espanha como Estadoterritorial da Espanha como Estado Nacional.Nacional. 14921492  Espanha começa seu projeto deEspanha começa seu projeto de
  • 8. Monarquia Inglesa – Guerra das 2 RosasMonarquia Inglesa – Guerra das 2 Rosas Processo de formação do Estado Moderno naProcesso de formação do Estado Moderno na Inglaterra está associado à Guerra das DuasInglaterra está associado à Guerra das Duas Rosas, quando os Lancaster (rosa vermelha) eRosas, quando os Lancaster (rosa vermelha) e os York (rosa branca) brigavam pelo controleos York (rosa branca) brigavam pelo controle do trono inglês, em função da falta de herdeiro.do trono inglês, em função da falta de herdeiro. A longa disputa entre as duas famíliasA longa disputa entre as duas famílias enfraqueceu a nobreza feudal e com a posseenfraqueceu a nobreza feudal e com a posse de Henrique VII, inicia-se a Dinastia Tudor, quede Henrique VII, inicia-se a Dinastia Tudor, que consolidou o poder real e formou o Estadoconsolidou o poder real e formou o Estado Nacional Inglês, que seria solidificado por seuNacional Inglês, que seria solidificado por seu filho, Henrique VIII.filho, Henrique VIII.
  • 9. A Monarquia FrancesaA Monarquia Francesa  Estado absolutista francês: instalado no final doEstado absolutista francês: instalado no final do século XVI, com o final da Guerra dos Trêsséculo XVI, com o final da Guerra dos Três Henriques, que reivindicavam o trono e não seHenriques, que reivindicavam o trono e não se entendiam, devido às diferenças religiosas entre osentendiam, devido às diferenças religiosas entre os católicos franceses e os protestantes (huguenotes).católicos franceses e os protestantes (huguenotes). Assume o trono Henrique IV, que era protestante e seAssume o trono Henrique IV, que era protestante e se converteu ao catolicismo, mas não se esqueceu deconverteu ao catolicismo, mas não se esqueceu de seu passado, publicando o Édito de Nantes,seu passado, publicando o Édito de Nantes, concedendo liberdade de culto aos protestantes.concedendo liberdade de culto aos protestantes. Pacificou as guerras religiosas, concentrou poderes ePacificou as guerras religiosas, concentrou poderes e com forte autoridade, recuperou a economia do país.com forte autoridade, recuperou a economia do país. Assim, esteve na origem da formação do EstadoAssim, esteve na origem da formação do Estado Moderno na França.Moderno na França.
  • 10. A Monarquia FrancesaA Monarquia Francesa  Estado absolutista francês: instalado no final doEstado absolutista francês: instalado no final do século XVI, com o final da Guerra dos Trêsséculo XVI, com o final da Guerra dos Três Henriques, que reivindicavam o trono e não seHenriques, que reivindicavam o trono e não se entendiam, devido às diferenças religiosas entre osentendiam, devido às diferenças religiosas entre os católicos franceses e os protestantes (huguenotes).católicos franceses e os protestantes (huguenotes). Assume o trono Henrique IV, que era protestante e seAssume o trono Henrique IV, que era protestante e se converteu ao catolicismo, mas não se esqueceu deconverteu ao catolicismo, mas não se esqueceu de seu passado, publicando o Édito de Nantes,seu passado, publicando o Édito de Nantes, concedendo liberdade de culto aos protestantes.concedendo liberdade de culto aos protestantes. Pacificou as guerras religiosas, concentrou poderes ePacificou as guerras religiosas, concentrou poderes e com forte autoridade, recuperou a economia do país.com forte autoridade, recuperou a economia do país. Assim, esteve na origem da formação do EstadoAssim, esteve na origem da formação do Estado Moderno na França.Moderno na França.