SlideShare uma empresa Scribd logo
O SEGUNDO REINADO 
(1840-1889)
Campanha da Maioridade: 
Queremos D. Pedro II 
Embora não tenha idade 
A nação dispensa a lei 
E viva a maioridade.
QUAL O MOTIVO DO GOLPE 
DE MAIORIDADE?
O Golpe da Maioridade 
O menino Pedro de Alcântara, só poderia assumir o governo 
ao atingir 18 anos. Os representantes do Partido Liberal 
resolveram antecipá-la e deram o Golpe da Maioridade. 
Assim, com 15 anos, foi coroado imperador recebendo o 
título de D. Pedro II, dando início ao Segundo Reinado 
que durou 49 anos ( 1840 – 1889)
Principais Características do Segundo Reinado 
1. A Estabilidade Política; 
2. Crises Externas ao Brasil; 
3. O Movimento Abolicionista.
1. A Estabilidade Política 
D. Pedro II em seu governo procurou 
atender aos interesses dos ricos 
proprietários rurais que eram membros do 
Partido Liberal e do Partido Conservador.
Para agradar os dois partidos D. 
Pedro II procurava alterná-los no 
poder.
No entanto as primeiras eleições ficaram 
conhecidas como 
ELEIÇÕES DO CACETE 
Isto devido o fato dos liberais terem usado de 
violência e fraude nas eleições, roubando urnas, 
espancando eleitores adversários e pessoas 
falecidas votando. 
Os Conservadores pediram para D. Pedro II
Com a finalidade de resolver os 
problemas de disputa pelos partidos D. 
Pedro II resolve instalar o 
PARLAMENTARISMO NO BRASIL que 
ficou conhecido como:
Imperador 
Presidente do Conselho de Ministros 
Ministros 
Assembleia geral 
(Deputados e Senadores) 
NOMEIA 
ESCOLH 
E 
POVO VOTA 
Mas se o Imperador não gostar manda todo mundo embora e 
escolhe novamente.
01- Explique o que levou liberais e conservadores a 
defender a ideia de antecipação da maioridade. 
02- Qual foi a solução encontrada pelo imperador diante 
do conflito entre liberais e conservadores. 
03- Como funcionava o parlamentarismo brasileiro?
2. Crises externas ao Brasil 
A Guerra do Paraguai (1865-1870) 
O Paraguai tornou-se uma República independente em 
1811, separando-se do Vice-Reino do Prata. Seu 
território não tem saída para o mar.
No governo de Francisco Solano López, que teve início em 1862, o 
Paraguai não dependia de quase ninguém já que: 
(1) produzia todos os alimentos de que precisava. 
(2) tinha uma fábrica de armas e de pólvora. 
(3) terras produtivas em fazendas estatais. 
Enfim era um potência dentro da América do Sul.
Por outro lado, o Paraguai não podia viver isolado, 
pois precisava vender seus produtos. Por isso, 
era importante que tivesse uma saída para o mar 
e o caminho possível era navegar através dos rios 
Paraguai, Paraná e da Prata, até chegar ao 
Oceano Atlântico.
COMO CONSEGUIR SAÍDA 
PARA O MAR?
Primeiro passo foi invadir Mato Grosso. 
Mais tarde queria anexar ao Paraguai o Rio Grande do Sul 
Mas para fazer isto precisaria invadir parte da Argentina. 
E depois quem seria o próximo alvo de Solano López? 
O Uruguai. 
Assim ,Brasil, Argentina e Uruguai estabelecem a Tríplice 
Aliança contra o Paraguai.
POPULAÇÃO 
(1864): 
PAÍS SOLDADOS (1864): 
– TRÍPLICE ALIANÇA (BRA + ARG + URU)* X 
PAR 
10 milhões BRASIL 18 mil 
1,5 milhão ARGENTINA 8 mil 
300 mil URUGUAI 1 mil 
800 mil PARAGUAI 64 mil
As principais consequências da Guerra do Paraguai foram: 
• Enriquecimento da Inglaterra, pois recebeu com juros o dinheiro que havia 
emprestado ao Brasil e a Argentina para financiar a guerra. Também havia 
vendido armas e equipamentos tanto para a Tríplice quanto para o Paraguai; 
• Destruição do Paraguai que ao final da guerra, dos seus 800 mil habitantes, 
restavam apenas 184 mil: três em cada quatro paraguaios haviam morrido nos 
combates.
America do Sul 
em 1830.
01- Entre 1864 e 1870, a chamada Tríplice 
Aliança enfrentou o Paraguai em um conflito 
que ficou conhecido como Grande Guerra ou 
Guerra do Paraguai. 
a) Quais os países que formavam a Tríplice 
Aliança? 
b) Como se deu o início/ motivação do 
conflito entre o Brasil e o Paraguai? 
c) Qual a consequência deste conflito? 
d) Como ficou o Paraguai após guerra?
3. O Movimento Abolicionista 
Foram dois os fatores que contribuíram para o fim 
da escravidão no Brasil: 
• A resistência por parte dos escravos; 
• Pressões internacionais, principalmente da 
Inglaterra;
EVOLUÇÃO DAS LEIS 
Lei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de escravos 
no Brasil; 
Lei do Ventre Livre (1871) – Determinava que os filhos de 
mulher escrava nascidos a partir daquela data seriam 
livres, mas continuariam na condição de propriedade do 
senhor até os 21 anos de idade;
Lei do Sexagenário (1885) – Declarava livres 
os escravos com mais de 65 anos de idade; 
Lei Áurea (1888) – Declarava extinta a 
escravidão no Brasil.
Em 13 de maio de 1888, a Princesa 
Isabel, filha de Dom Pedro II, assina 
a Lei Áurea, que declarava 
textualmente extinta a escravidão no 
país, revogando-se todas as 
disposições em contrário. 
Por conta disso, o Barão de 
Cotegipe lhe teria dito: “A senhora
QUAL A MAIOR CONSEQUÊNCIA 
DO FIM DA ESCRAVIDÃO NO 
BRASIL PARA OS 
EX-ECRAVOS?
01- Quais os motivos que levaram o 
fim da escravidão? 
02- Relate as Leis Abolicionistas. 
03- Quais as consequências do fim 
da escravidão?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Expansão territorial
Expansão territorialExpansão territorial
Expansão territorial
Edenilson Morais
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
Daniel Alves Bronstrup
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Invasão Holandesa
Invasão HolandesaInvasão Holandesa
Invasão Holandesa
Aulas de História
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Marilia Pimentel
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Douglas Barraqui
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Ramiro Bicca
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
eiprofessor
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
Edenilson Morais
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
Nome Sobrenome
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
Fatima Freitas
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
Aulas de História
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 

Mais procurados (20)

Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Expansão territorial
Expansão territorialExpansão territorial
Expansão territorial
 
3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial3° ano - Revoltas do Período Regencial
3° ano - Revoltas do Período Regencial
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Invasão Holandesa
Invasão HolandesaInvasão Holandesa
Invasão Holandesa
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Brasil colonial as revoltas coloniais
Brasil colonial   as revoltas coloniaisBrasil colonial   as revoltas coloniais
Brasil colonial as revoltas coloniais
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
 
Escravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasilEscravidão africana no brasil
Escravidão africana no brasil
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Conjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e BaianaConjuração Mineira e Baiana
Conjuração Mineira e Baiana
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 

Destaque

Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
Fabiana Tonsis
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Fabiana Tonsis
 
Aula 04 colonizacao-inglesa
Aula 04  colonizacao-inglesaAula 04  colonizacao-inglesa
Aula 04 colonizacao-inglesa
Fabiana Tonsis
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
Fabiana Tonsis
 
Roma
RomaRoma
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Fabiana Tonsis
 
As cruzadas
As cruzadasAs cruzadas
As cruzadas
Fabiana Tonsis
 
Vinda familia real
Vinda familia realVinda familia real
Vinda familia real
Fabiana Tonsis
 
Segunda guerra
Segunda guerraSegunda guerra
Segunda guerra
Fabiana Tonsis
 
Roma império
Roma impérioRoma império
Roma império
Fabiana Tonsis
 
Napoleoa bonaparte
Napoleoa bonaparteNapoleoa bonaparte
Napoleoa bonaparte
Fabiana Tonsis
 
Aula 06 mineração
Aula 06 mineraçãoAula 06 mineração
Aula 06 mineração
Fabiana Tonsis
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Fabiana Tonsis
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Fabiana Tonsis
 
Aula 06 fenicios e persas
Aula 06  fenicios e persasAula 06  fenicios e persas
Aula 06 fenicios e persas
Fabiana Tonsis
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
Fabiana Tonsis
 
1 independencia dos-eua
1 independencia dos-eua1 independencia dos-eua
1 independencia dos-eua
Fabiana Tonsis
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Fabiana Tonsis
 
Aula 03 imperialismo
Aula 03  imperialismoAula 03  imperialismo
Aula 03 imperialismo
Fabiana Tonsis
 
Aula 04 primeira guerra
Aula 04  primeira guerraAula 04  primeira guerra
Aula 04 primeira guerra
Fabiana Tonsis
 

Destaque (20)

Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Aula 04 colonizacao-inglesa
Aula 04  colonizacao-inglesaAula 04  colonizacao-inglesa
Aula 04 colonizacao-inglesa
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
Roma
RomaRoma
Roma
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreformaReforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
As cruzadas
As cruzadasAs cruzadas
As cruzadas
 
Vinda familia real
Vinda familia realVinda familia real
Vinda familia real
 
Segunda guerra
Segunda guerraSegunda guerra
Segunda guerra
 
Roma império
Roma impérioRoma império
Roma império
 
Napoleoa bonaparte
Napoleoa bonaparteNapoleoa bonaparte
Napoleoa bonaparte
 
Aula 06 mineração
Aula 06 mineraçãoAula 06 mineração
Aula 06 mineração
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Aula 06 fenicios e persas
Aula 06  fenicios e persasAula 06  fenicios e persas
Aula 06 fenicios e persas
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
1 independencia dos-eua
1 independencia dos-eua1 independencia dos-eua
1 independencia dos-eua
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
Aula 03 imperialismo
Aula 03  imperialismoAula 03  imperialismo
Aula 03 imperialismo
 
Aula 04 primeira guerra
Aula 04  primeira guerraAula 04  primeira guerra
Aula 04 primeira guerra
 

Semelhante a Segundo reinado

Segundo reinado
Segundo reinadoSegundo reinado
Segundo reinado
Fabiana Tonsis
 
O Segundo Reinado (1840 1889)
O Segundo Reinado (1840 1889)O Segundo Reinado (1840 1889)
O Segundo Reinado (1840 1889)
Alex Ferreira dos Santos
 
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
Charles Vilhena
 
Brasil monárquico
Brasil monárquicoBrasil monárquico
Brasil monárquico
Marcela Marangon Ribeiro
 
Segundo reinado 8ºano
Segundo reinado 8ºanoSegundo reinado 8ºano
Segundo reinado 8ºano
Edinaldo Farias
 
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIOBRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
Diego Bian Filo Moreira
 
II império brasileiro
II império brasileiroII império brasileiro
II império brasileiro
wdiuliaw
 
Dom pedro ii
Dom pedro iiDom pedro ii
Dom pedro ii
esculaxoviske
 
2º médio segundo reinado aulas 14 e 15
2º médio segundo reinado aulas 14 e 152º médio segundo reinado aulas 14 e 15
2º médio segundo reinado aulas 14 e 15
Lú Carvalho
 
O Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro IIO Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro II
Edilene Ruth Pereira
 
00 8º ano brasil império - resumão
00  8º ano   brasil império - resumão00  8º ano   brasil império - resumão
00 8º ano brasil império - resumão
Rafael Noronha
 
02 8º ano brasil império visão geral
02  8º ano   brasil império visão geral 02  8º ano   brasil império visão geral
02 8º ano brasil império visão geral
Rafael Noronha
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinado
Estude Mais
 
Aula 4 hist em
Aula 4   hist emAula 4   hist em
Aula 4 hist em
Walney M.F
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 
Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
Daniel Alves Bronstrup
 
Segundo reinado e a república
Segundo reinado e a repúblicaSegundo reinado e a república
Segundo reinado e a república
Francisco Neto
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Edilene Ruth Pereira
 
Segundo reinado e a república
Segundo reinado e a repúblicaSegundo reinado e a república
Segundo reinado e a república
ChicoBraun
 

Semelhante a Segundo reinado (20)

Segundo reinado
Segundo reinadoSegundo reinado
Segundo reinado
 
O Segundo Reinado (1840 1889)
O Segundo Reinado (1840 1889)O Segundo Reinado (1840 1889)
O Segundo Reinado (1840 1889)
 
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
Osegundoreinado1840 1889-090925112825-phpapp01
 
Brasil monárquico
Brasil monárquicoBrasil monárquico
Brasil monárquico
 
Segundo reinado 8ºano
Segundo reinado 8ºanoSegundo reinado 8ºano
Segundo reinado 8ºano
 
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIOBRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
 
II império brasileiro
II império brasileiroII império brasileiro
II império brasileiro
 
Dom pedro ii
Dom pedro iiDom pedro ii
Dom pedro ii
 
2º médio segundo reinado aulas 14 e 15
2º médio segundo reinado aulas 14 e 152º médio segundo reinado aulas 14 e 15
2º médio segundo reinado aulas 14 e 15
 
O Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro IIO Segundo Reinado - D. Pedro II
O Segundo Reinado - D. Pedro II
 
00 8º ano brasil império - resumão
00  8º ano   brasil império - resumão00  8º ano   brasil império - resumão
00 8º ano brasil império - resumão
 
02 8º ano brasil império visão geral
02  8º ano   brasil império visão geral 02  8º ano   brasil império visão geral
02 8º ano brasil império visão geral
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinado
 
Aula 4 hist em
Aula 4   hist emAula 4   hist em
Aula 4 hist em
 
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino FundamentalAbolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
Abolição e Proclamação da República no Brasil - Ensino Fundamental
 
Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012Brasil regencia e 2º império 2012
Brasil regencia e 2º império 2012
 
2° ano Primeiro Reinado e Regências
2° ano   Primeiro Reinado e Regências2° ano   Primeiro Reinado e Regências
2° ano Primeiro Reinado e Regências
 
Segundo reinado e a república
Segundo reinado e a repúblicaSegundo reinado e a república
Segundo reinado e a república
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Segundo reinado e a república
Segundo reinado e a repúblicaSegundo reinado e a república
Segundo reinado e a república
 

Mais de Fabiana Tonsis

Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Fabiana Tonsis
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Fabiana Tonsis
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Fabiana Tonsis
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Fabiana Tonsis
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
Fabiana Tonsis
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fabiana Tonsis
 
3 estados unidos -doutrina de monroe
3 estados unidos -doutrina de monroe3 estados unidos -doutrina de monroe
3 estados unidos -doutrina de monroe
Fabiana Tonsis
 
2 marcha para oeste
2  marcha para oeste2  marcha para oeste
2 marcha para oeste
Fabiana Tonsis
 
Aula 07 crise de 1929
Aula 07  crise de 1929Aula 07  crise de 1929
Aula 07 crise de 1929
Fabiana Tonsis
 
Grecia antiga
Grecia antigaGrecia antiga
Grecia antiga
Fabiana Tonsis
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
Fabiana Tonsis
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Fabiana Tonsis
 
Aula 06 holandeses no brasil
Aula 06  holandeses no brasilAula 06  holandeses no brasil
Aula 06 holandeses no brasil
Fabiana Tonsis
 

Mais de Fabiana Tonsis (14)

Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Aula 09 republica populista 1
Aula 09  republica populista 1Aula 09  republica populista 1
Aula 09 republica populista 1
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
3 estados unidos -doutrina de monroe
3 estados unidos -doutrina de monroe3 estados unidos -doutrina de monroe
3 estados unidos -doutrina de monroe
 
2 marcha para oeste
2  marcha para oeste2  marcha para oeste
2 marcha para oeste
 
Aula 07 crise de 1929
Aula 07  crise de 1929Aula 07  crise de 1929
Aula 07 crise de 1929
 
Grecia antiga
Grecia antigaGrecia antiga
Grecia antiga
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Aula 06 holandeses no brasil
Aula 06  holandeses no brasilAula 06  holandeses no brasil
Aula 06 holandeses no brasil
 

Último

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 

Segundo reinado

  • 1. O SEGUNDO REINADO (1840-1889)
  • 2.
  • 3. Campanha da Maioridade: Queremos D. Pedro II Embora não tenha idade A nação dispensa a lei E viva a maioridade.
  • 4. QUAL O MOTIVO DO GOLPE DE MAIORIDADE?
  • 5. O Golpe da Maioridade O menino Pedro de Alcântara, só poderia assumir o governo ao atingir 18 anos. Os representantes do Partido Liberal resolveram antecipá-la e deram o Golpe da Maioridade. Assim, com 15 anos, foi coroado imperador recebendo o título de D. Pedro II, dando início ao Segundo Reinado que durou 49 anos ( 1840 – 1889)
  • 6.
  • 7. Principais Características do Segundo Reinado 1. A Estabilidade Política; 2. Crises Externas ao Brasil; 3. O Movimento Abolicionista.
  • 8. 1. A Estabilidade Política D. Pedro II em seu governo procurou atender aos interesses dos ricos proprietários rurais que eram membros do Partido Liberal e do Partido Conservador.
  • 9.
  • 10. Para agradar os dois partidos D. Pedro II procurava alterná-los no poder.
  • 11. No entanto as primeiras eleições ficaram conhecidas como ELEIÇÕES DO CACETE Isto devido o fato dos liberais terem usado de violência e fraude nas eleições, roubando urnas, espancando eleitores adversários e pessoas falecidas votando. Os Conservadores pediram para D. Pedro II
  • 12. Com a finalidade de resolver os problemas de disputa pelos partidos D. Pedro II resolve instalar o PARLAMENTARISMO NO BRASIL que ficou conhecido como:
  • 13.
  • 14. Imperador Presidente do Conselho de Ministros Ministros Assembleia geral (Deputados e Senadores) NOMEIA ESCOLH E POVO VOTA Mas se o Imperador não gostar manda todo mundo embora e escolhe novamente.
  • 15. 01- Explique o que levou liberais e conservadores a defender a ideia de antecipação da maioridade. 02- Qual foi a solução encontrada pelo imperador diante do conflito entre liberais e conservadores. 03- Como funcionava o parlamentarismo brasileiro?
  • 16. 2. Crises externas ao Brasil A Guerra do Paraguai (1865-1870) O Paraguai tornou-se uma República independente em 1811, separando-se do Vice-Reino do Prata. Seu território não tem saída para o mar.
  • 17.
  • 18. No governo de Francisco Solano López, que teve início em 1862, o Paraguai não dependia de quase ninguém já que: (1) produzia todos os alimentos de que precisava. (2) tinha uma fábrica de armas e de pólvora. (3) terras produtivas em fazendas estatais. Enfim era um potência dentro da América do Sul.
  • 19. Por outro lado, o Paraguai não podia viver isolado, pois precisava vender seus produtos. Por isso, era importante que tivesse uma saída para o mar e o caminho possível era navegar através dos rios Paraguai, Paraná e da Prata, até chegar ao Oceano Atlântico.
  • 20. COMO CONSEGUIR SAÍDA PARA O MAR?
  • 21. Primeiro passo foi invadir Mato Grosso. Mais tarde queria anexar ao Paraguai o Rio Grande do Sul Mas para fazer isto precisaria invadir parte da Argentina. E depois quem seria o próximo alvo de Solano López? O Uruguai. Assim ,Brasil, Argentina e Uruguai estabelecem a Tríplice Aliança contra o Paraguai.
  • 22.
  • 23. POPULAÇÃO (1864): PAÍS SOLDADOS (1864): – TRÍPLICE ALIANÇA (BRA + ARG + URU)* X PAR 10 milhões BRASIL 18 mil 1,5 milhão ARGENTINA 8 mil 300 mil URUGUAI 1 mil 800 mil PARAGUAI 64 mil
  • 24.
  • 25. As principais consequências da Guerra do Paraguai foram: • Enriquecimento da Inglaterra, pois recebeu com juros o dinheiro que havia emprestado ao Brasil e a Argentina para financiar a guerra. Também havia vendido armas e equipamentos tanto para a Tríplice quanto para o Paraguai; • Destruição do Paraguai que ao final da guerra, dos seus 800 mil habitantes, restavam apenas 184 mil: três em cada quatro paraguaios haviam morrido nos combates.
  • 26. America do Sul em 1830.
  • 27.
  • 28. 01- Entre 1864 e 1870, a chamada Tríplice Aliança enfrentou o Paraguai em um conflito que ficou conhecido como Grande Guerra ou Guerra do Paraguai. a) Quais os países que formavam a Tríplice Aliança? b) Como se deu o início/ motivação do conflito entre o Brasil e o Paraguai? c) Qual a consequência deste conflito? d) Como ficou o Paraguai após guerra?
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32. 3. O Movimento Abolicionista Foram dois os fatores que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil: • A resistência por parte dos escravos; • Pressões internacionais, principalmente da Inglaterra;
  • 33. EVOLUÇÃO DAS LEIS Lei Eusébio de Queirós (1850) – Proibia o tráfico de escravos no Brasil; Lei do Ventre Livre (1871) – Determinava que os filhos de mulher escrava nascidos a partir daquela data seriam livres, mas continuariam na condição de propriedade do senhor até os 21 anos de idade;
  • 34. Lei do Sexagenário (1885) – Declarava livres os escravos com mais de 65 anos de idade; Lei Áurea (1888) – Declarava extinta a escravidão no Brasil.
  • 35. Em 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel, filha de Dom Pedro II, assina a Lei Áurea, que declarava textualmente extinta a escravidão no país, revogando-se todas as disposições em contrário. Por conta disso, o Barão de Cotegipe lhe teria dito: “A senhora
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40. QUAL A MAIOR CONSEQUÊNCIA DO FIM DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL PARA OS EX-ECRAVOS?
  • 41.
  • 42. 01- Quais os motivos que levaram o fim da escravidão? 02- Relate as Leis Abolicionistas. 03- Quais as consequências do fim da escravidão?