SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
A formaçãoA formação
dos Estadosdos Estados
NacionaisNacionais
Prof. Douglas Barraqui
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
 Idade Média, os poderes do rei restringiam-se basicamenteIdade Média, os poderes do rei restringiam-se basicamente
às terras que estavam sob seu domínio.às terras que estavam sob seu domínio.
RENASCIMENTO COMERCIALRENASCIMENTO COMERCIAL
E URBANOE URBANO
CRISE DOCRISE DO
FEUDALISMOFEUDALISMO
CENTRALIZAÇÃO DO PODER NASCENTRALIZAÇÃO DO PODER NAS
MÃOS DA MONARQUIAMÃOS DA MONARQUIA
O Absolutismo Monárquico
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
 A burguesia passou, então, a apoiar essa transferência deA burguesia passou, então, a apoiar essa transferência de
poder para o rei.poder para o rei.
 Dessa maneira, o rei poderia:Dessa maneira, o rei poderia:
Unificar a moeda,Unificar a moeda,
Estabelecer e unificar as leis,Estabelecer e unificar as leis,
Unificar os impostosUnificar os impostos
Unificar o sistema de pesos e medidasUnificar o sistema de pesos e medidas
FAVORECIMENTO DAFAVORECIMENTO DA
BURGUESIABURGUESIA
O Absolutismo Monárquico
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Os monarcas viram na aliança com a burguesia a oportunidadeOs monarcas viram na aliança com a burguesia a oportunidade
de recuperar sua esfera de influência junto aos aristocratas ede recuperar sua esfera de influência junto aos aristocratas e
clérigos.clérigos.
O Absolutismo Monárquico
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
SUSTENTAÇÃOSUSTENTAÇÃO
NOBREZANOBREZA IGREJAIGREJA
CAMPONÊSCAMPONÊS
BURGUÊSBURGUÊS
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
Nicolau Maquiavel
Obra:Obra: O PríncipeO Príncipe
Frase:Frase:
““os fins justificam os meiosos fins justificam os meios””
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
Thomas Hobbes
Obra:Obra: O LeviatãO Leviatã
Frase:Frase: ““o homem é o lobo doo homem é o lobo do
próprio homem”próprio homem”
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
Jean Bodin
““Teoria da autonomia do EstadoTeoria da autonomia do Estado””
O rei reina, porque é da vontade de DeusO rei reina, porque é da vontade de Deus
então só a Deus ele deve explicações.então só a Deus ele deve explicações.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
Jacques Bossuet
““Teoria divina dos reis”Teoria divina dos reis”
Frase:Frase:
““Um rei, uma fé, uma lei”Um rei, uma fé, uma lei”
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
Séc. VIII –Séc. VIII – MuçulmanosMuçulmanos
ocuparam a península Ibérica.ocuparam a península Ibérica.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
Séc. XISéc. XI - o rei ibérico- o rei ibérico
Afonso VIAfonso VI, dos reinos de, dos reinos de
Leão e Castela, transferiuLeão e Castela, transferiu
parapara Henrique deHenrique de
BorgonhaBorgonha, o Condado, o Condado
Portucalense.Portucalense.
Afonso VIAfonso VI Henrique de BorgonhaHenrique de Borgonha
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
1683 -1683 - Afonso VI morre eAfonso VI morre e
começaram disputas entre oscomeçaram disputas entre os
nobres de Leão e do Condadonobres de Leão e do Condado
Portucalense.Portucalense.
1139 - Afonso Henriques1139 - Afonso Henriques, filho, filho
de Henrique, rompeu com ode Henrique, rompeu com o
reino de Castela e proclamou-sereino de Castela e proclamou-se
rei das terras recebidas por seurei das terras recebidas por seu
pai. Realizou conquistaspai. Realizou conquistas
territoriais ao sul.territoriais ao sul.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
A Revolução de Avis
1383 -1383 - D. Fernando, da dinastia deD. Fernando, da dinastia de
Borgonha, morre sem deixarBorgonha, morre sem deixar
herdeiro homem.herdeiro homem.
Sua única filha,Sua única filha, BeatrizBeatriz, era casada, era casada
comcom D. JoãoD. João, rei de Castela., rei de Castela.
D. JoãoD. JoãoProf. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
A Revolução de Avis
Dona LeonorDona Leonor, Viúva de D. Fernando,, Viúva de D. Fernando,
tinha intenção de se unir ao conde detinha intenção de se unir ao conde de
Andeiros, do Condado da Galícia, e seAndeiros, do Condado da Galícia, e se
tornar Rainha do Reino Portugalense.tornar Rainha do Reino Portugalense.
A nobreza do sul estavam insatisfeitasA nobreza do sul estavam insatisfeitas
com a regência da rainha Leonor e nãocom a regência da rainha Leonor e não
viam com bons olhos a sucessão, queviam com bons olhos a sucessão, que
significaria a anexação de Portugal asignificaria a anexação de Portugal a
Castela.Castela.
Dona LeonorDona Leonor
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
A Revolução de Avis
Quando o rei de Castela, D. João, foiQuando o rei de Castela, D. João, foi
a Portugal para assumir a regência doa Portugal para assumir a regência do
trono, a população de Lisboa apoioutrono, a população de Lisboa apoiou
oo Mestre de AvisMestre de Avis, irmão bastardo do, irmão bastardo do
rei D. Fernando.rei D. Fernando.
Mestre da Casa de Avis,Mestre da Casa de Avis,
D. JoãoD. JoãoProf. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
A Revolução de Avis
O movimento armado provocou a fuga da rainha Leonor e a morte do condeO movimento armado provocou a fuga da rainha Leonor e a morte do conde
de Andeiros. O conflito, conhecido comode Andeiros. O conflito, conhecido como Batalha de AljubarrotaBatalha de Aljubarrota, foi, foi
vencido pelos partidários do mestre de Avis, e ele foi coroado D. João I, reivencido pelos partidários do mestre de Avis, e ele foi coroado D. João I, rei
de Portugal.de Portugal.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
A formação do reino de
Portugal
A Revolução de Avis
D. João ID. João I conseguiu reunir, em seu favor, osconseguiu reunir, em seu favor, os
setores mais influentes da sociedade portuguesa:setores mais influentes da sociedade portuguesa:
A nobreza;A nobreza;
Os comerciantes;Os comerciantes;
A burguesia;A burguesia;
Estabeleceu, assim, as bases para uma relativaEstabeleceu, assim, as bases para uma relativa
estabilidade, que foi fundamental para possibilitarestabilidade, que foi fundamental para possibilitar
a consolidação da independência e a expansão doa consolidação da independência e a expansão do
país.país.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
O Absolutismo Monárquico
Luís XIV “Luís XIV “O Rei Sol”O Rei Sol”Henrique VIIIHenrique VIII Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Referências:
• AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: história 7º ano.
São Paulo: Ática, 1º ed., 2012.
• CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes. História: ser
protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo: SM. 2010.
• COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino Médio.
8ª Ed. São Paulo: Saraiva 2005.
• Projeto Araribá: História – 7º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora Moderna,
2010. Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani.
• Uno: Sistema de Ensino – História – 7º ano. São Paulo: Grupo Santillana, 2011.
Editor Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani.
Prof. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com
Nota do autor:
• Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading. Outros,
porém, por questões de direitos autorais e direitos de imagens, não estão
disponíveis para serem baixados gratuitamente.
• Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar alguma
apresentação com um tema em especial, entre em contato comigo pelo E-mail
(ambientalhistoria@gmail.com).
• Visite minha página na internet:
• www.dougnahistoria.blogspot.com.br
Prof. Douglas Barraqui
_______________________
PROF. DE HISTÓRIA
(ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO, PRÉ-
VESTIBULAR E PRÉ-IFES)
TEL: (27) 99732-1315 / (27) 98889-1622
E-Mail: ambientalhistoria@gmail.com
Páginas na internet:
www.dougnahistoria.blogspot.com
www.ambietalhistoria.blogspot.comProf. Douglas Barraqui
www.dougnahistoria.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)Idade média:   Alta Idade Média (séc. v- x)
Idade média: Alta Idade Média (séc. v- x)
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
A Idade Moderna
A Idade ModernaA Idade Moderna
A Idade Moderna
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
A Revolução Inglesa
A Revolução InglesaA Revolução Inglesa
A Revolução Inglesa
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 

Destaque

Aula 3 a formação dos estados nacionais
Aula 3   a formação dos estados nacionaisAula 3   a formação dos estados nacionais
Aula 3 a formação dos estados nacionaisprofnelton
 
Formação do estado moderno - historia das RI
Formação do estado moderno - historia das RIFormação do estado moderno - historia das RI
Formação do estado moderno - historia das RIFelipe Hiago
 
Formação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeusFormação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeusdavincipatos
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoRamiro Bicca
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoRamiro Bicca
 
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismoEstados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismovr1a2011
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaCarlos Glufke
 
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas Vídeo Aulas Apoio
 
Formação do estado moderno
Formação do estado modernoFormação do estado moderno
Formação do estado modernomarcos ursi
 
Iluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaIluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaPaulo Alexandre
 
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão MarítimaRevisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão MarítimaJanaína Bindá
 
Formação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionaisFormação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionaisLeopoldo Galvão
 
Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1Jorge Basílio
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítimaClaudenilson da Silva
 
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.João Medeiros
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise  do Séc. XIVA Crise  do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIVHistN
 

Destaque (20)

Aula 3 a formação dos estados nacionais
Aula 3   a formação dos estados nacionaisAula 3   a formação dos estados nacionais
Aula 3 a formação dos estados nacionais
 
Estado moderno
Estado modernoEstado moderno
Estado moderno
 
Formação do estado moderno - historia das RI
Formação do estado moderno - historia das RIFormação do estado moderno - historia das RI
Formação do estado moderno - historia das RI
 
Formação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeusFormação dos estados modernos europeus
Formação dos estados modernos europeus
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
 
O absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado modernoO absolutismo e a formação do estado moderno
O absolutismo e a formação do estado moderno
 
O estado moderno
O estado modernoO estado moderno
O estado moderno
 
Estado Moderno
Estado ModernoEstado Moderno
Estado Moderno
 
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismoEstados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
 
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução FrancesaIluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
Iluminismo, Revolução Industrial e Revolução Francesa
 
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - História - Formação dos Estados Nacionais - Vídeo Aulas
 
Formação do estado moderno
Formação do estado modernoFormação do estado moderno
Formação do estado moderno
 
Iluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaIluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução Francesa
 
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão MarítimaRevisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
Revisão 7º ANO - ASSUNTO: Expansão Marítima
 
Formação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionaisFormação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionais
 
Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
 
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
O Fim do Antigo Regime, Revolução Francesa e Era Napoleônica.
 
A Crise do Séc. XIV
A Crise  do Séc. XIVA Crise  do Séc. XIV
A Crise do Séc. XIV
 

Semelhante a Formação dos Estados Nacionais

Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxAbsolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxJosReinaldoPereira3
 
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxAbsolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxJosReinaldoPereira3
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Wilton Moretto
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Wilton Moretto
 
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismoExpansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismovr1a2011
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Carmo Silva
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Carmo Silva
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Carmo Silva
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Carmo Silva
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragançaCarmo Silva
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragançaCarmo Silva
 
Preparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaPreparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaAna Barreiros
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoValéria Shoujofan
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugaldavidetavares
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de PortugalVitor Matias
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragançaCarmo Silva
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Carmo Silva
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragançaCarmo Silva
 

Semelhante a Formação dos Estados Nacionais (20)

Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxAbsolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
 
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptxAbsolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
Absolutismo Monárquico e o Estado Moderno.pptx
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
 
Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)Formação das monarquias nacionais (faag)
Formação das monarquias nacionais (faag)
 
Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal Ahistriadeportugal
Ahistriadeportugal
 
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismoExpansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
Expansão marítima e comercial absolutismo-mercantilismo
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1
 
Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1Dinastia de bragança 1
Dinastia de bragança 1
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
Preparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaPreparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédia
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
História de portugal
História de portugalHistória de portugal
História de portugal
 
História de Portugal
História de PortugalHistória de Portugal
História de Portugal
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 
Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2Dinastia de bragança 2
Dinastia de bragança 2
 
Dinastia de bragança
Dinastia de bragançaDinastia de bragança
Dinastia de bragança
 

Mais de Douglas Barraqui

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLADouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADEDouglas Barraqui
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃODouglas Barraqui
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGADouglas Barraqui
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASDouglas Barraqui
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERDouglas Barraqui
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALDouglas Barraqui
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?Douglas Barraqui
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINADouglas Barraqui
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaDouglas Barraqui
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãDouglas Barraqui
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaDouglas Barraqui
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasDouglas Barraqui
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDouglas Barraqui
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaDouglas Barraqui
 

Mais de Douglas Barraqui (20)

FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - MÓDULO 01 - O QUE É O SER HUMANO?
 
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DA AMÉRICA ESPANHOLA
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
 
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃOA BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
A BUSCA PELA VERDADE: SÓCRATES E PLATÃO
 
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGAOS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
OS PRIMÓRDIOS DA FILOSOFIA GREGA
 
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTASFORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS ABSOLUTISTAS
 
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBERSOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
SOCIOLOGIA - DURKHEIM E WEBER
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIALMÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
MÓDULO 01 – POSITIVISMO E REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
 
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
FILOSOFIA - O QUE É O SER HUMANO?
 
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINAHIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
HIROSHIMA - BIANCA REIS - DARWIN COLATINA
 
SEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRASEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRA
 
História da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônicaHistória da américa anglo saxônica
História da américa anglo saxônica
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do VietnãRevolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
Revolução Socialista na China e a Guerra do Vietnã
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento AvanzaReleitura das obras de Nice Nascimento Avanza
Releitura das obras de Nice Nascimento Avanza
 
Fenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persasFenícios, hebreus e persas
Fenícios, hebreus e persas
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
 

Último

As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 

Formação dos Estados Nacionais

  • 1. A formaçãoA formação dos Estadosdos Estados NacionaisNacionais Prof. Douglas Barraqui Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 2.  Idade Média, os poderes do rei restringiam-se basicamenteIdade Média, os poderes do rei restringiam-se basicamente às terras que estavam sob seu domínio.às terras que estavam sob seu domínio. RENASCIMENTO COMERCIALRENASCIMENTO COMERCIAL E URBANOE URBANO CRISE DOCRISE DO FEUDALISMOFEUDALISMO CENTRALIZAÇÃO DO PODER NASCENTRALIZAÇÃO DO PODER NAS MÃOS DA MONARQUIAMÃOS DA MONARQUIA O Absolutismo Monárquico Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 3.  A burguesia passou, então, a apoiar essa transferência deA burguesia passou, então, a apoiar essa transferência de poder para o rei.poder para o rei.  Dessa maneira, o rei poderia:Dessa maneira, o rei poderia: Unificar a moeda,Unificar a moeda, Estabelecer e unificar as leis,Estabelecer e unificar as leis, Unificar os impostosUnificar os impostos Unificar o sistema de pesos e medidasUnificar o sistema de pesos e medidas FAVORECIMENTO DAFAVORECIMENTO DA BURGUESIABURGUESIA O Absolutismo Monárquico Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 4. Os monarcas viram na aliança com a burguesia a oportunidadeOs monarcas viram na aliança com a burguesia a oportunidade de recuperar sua esfera de influência junto aos aristocratas ede recuperar sua esfera de influência junto aos aristocratas e clérigos.clérigos. O Absolutismo Monárquico Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 5. O Absolutismo Monárquico SUSTENTAÇÃOSUSTENTAÇÃO NOBREZANOBREZA IGREJAIGREJA CAMPONÊSCAMPONÊS BURGUÊSBURGUÊS Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 6. O Absolutismo Monárquico Nicolau Maquiavel Obra:Obra: O PríncipeO Príncipe Frase:Frase: ““os fins justificam os meiosos fins justificam os meios”” Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 7. O Absolutismo Monárquico Thomas Hobbes Obra:Obra: O LeviatãO Leviatã Frase:Frase: ““o homem é o lobo doo homem é o lobo do próprio homem”próprio homem” Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 8. O Absolutismo Monárquico Jean Bodin ““Teoria da autonomia do EstadoTeoria da autonomia do Estado”” O rei reina, porque é da vontade de DeusO rei reina, porque é da vontade de Deus então só a Deus ele deve explicações.então só a Deus ele deve explicações. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 9. O Absolutismo Monárquico Jacques Bossuet ““Teoria divina dos reis”Teoria divina dos reis” Frase:Frase: ““Um rei, uma fé, uma lei”Um rei, uma fé, uma lei” Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 10. A formação do reino de Portugal Séc. VIII –Séc. VIII – MuçulmanosMuçulmanos ocuparam a península Ibérica.ocuparam a península Ibérica. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 11. A formação do reino de Portugal Séc. XISéc. XI - o rei ibérico- o rei ibérico Afonso VIAfonso VI, dos reinos de, dos reinos de Leão e Castela, transferiuLeão e Castela, transferiu parapara Henrique deHenrique de BorgonhaBorgonha, o Condado, o Condado Portucalense.Portucalense. Afonso VIAfonso VI Henrique de BorgonhaHenrique de Borgonha Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 12. A formação do reino de Portugal 1683 -1683 - Afonso VI morre eAfonso VI morre e começaram disputas entre oscomeçaram disputas entre os nobres de Leão e do Condadonobres de Leão e do Condado Portucalense.Portucalense. 1139 - Afonso Henriques1139 - Afonso Henriques, filho, filho de Henrique, rompeu com ode Henrique, rompeu com o reino de Castela e proclamou-sereino de Castela e proclamou-se rei das terras recebidas por seurei das terras recebidas por seu pai. Realizou conquistaspai. Realizou conquistas territoriais ao sul.territoriais ao sul. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 13. A formação do reino de Portugal A Revolução de Avis 1383 -1383 - D. Fernando, da dinastia deD. Fernando, da dinastia de Borgonha, morre sem deixarBorgonha, morre sem deixar herdeiro homem.herdeiro homem. Sua única filha,Sua única filha, BeatrizBeatriz, era casada, era casada comcom D. JoãoD. João, rei de Castela., rei de Castela. D. JoãoD. JoãoProf. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 14. A formação do reino de Portugal A Revolução de Avis Dona LeonorDona Leonor, Viúva de D. Fernando,, Viúva de D. Fernando, tinha intenção de se unir ao conde detinha intenção de se unir ao conde de Andeiros, do Condado da Galícia, e seAndeiros, do Condado da Galícia, e se tornar Rainha do Reino Portugalense.tornar Rainha do Reino Portugalense. A nobreza do sul estavam insatisfeitasA nobreza do sul estavam insatisfeitas com a regência da rainha Leonor e nãocom a regência da rainha Leonor e não viam com bons olhos a sucessão, queviam com bons olhos a sucessão, que significaria a anexação de Portugal asignificaria a anexação de Portugal a Castela.Castela. Dona LeonorDona Leonor Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 15. A formação do reino de Portugal A Revolução de Avis Quando o rei de Castela, D. João, foiQuando o rei de Castela, D. João, foi a Portugal para assumir a regência doa Portugal para assumir a regência do trono, a população de Lisboa apoioutrono, a população de Lisboa apoiou oo Mestre de AvisMestre de Avis, irmão bastardo do, irmão bastardo do rei D. Fernando.rei D. Fernando. Mestre da Casa de Avis,Mestre da Casa de Avis, D. JoãoD. JoãoProf. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 16. A formação do reino de Portugal A Revolução de Avis O movimento armado provocou a fuga da rainha Leonor e a morte do condeO movimento armado provocou a fuga da rainha Leonor e a morte do conde de Andeiros. O conflito, conhecido comode Andeiros. O conflito, conhecido como Batalha de AljubarrotaBatalha de Aljubarrota, foi, foi vencido pelos partidários do mestre de Avis, e ele foi coroado D. João I, reivencido pelos partidários do mestre de Avis, e ele foi coroado D. João I, rei de Portugal.de Portugal. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 17. A formação do reino de Portugal A Revolução de Avis D. João ID. João I conseguiu reunir, em seu favor, osconseguiu reunir, em seu favor, os setores mais influentes da sociedade portuguesa:setores mais influentes da sociedade portuguesa: A nobreza;A nobreza; Os comerciantes;Os comerciantes; A burguesia;A burguesia; Estabeleceu, assim, as bases para uma relativaEstabeleceu, assim, as bases para uma relativa estabilidade, que foi fundamental para possibilitarestabilidade, que foi fundamental para possibilitar a consolidação da independência e a expansão doa consolidação da independência e a expansão do país.país. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 18. O Absolutismo Monárquico Luís XIV “Luís XIV “O Rei Sol”O Rei Sol”Henrique VIIIHenrique VIII Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 19. Referências: • AZEVEDO, Gislane Campos; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: história 7º ano. São Paulo: Ática, 1º ed., 2012. • CAPELLARI, Marcos Alexandre; NOGUEIRA, Fausto Henrique Gomes. História: ser protagonista - Volume único. Ensino Médio. 1ª Ed. São Paulo: SM. 2010. • COTRIM, Gilberto. História Global – Brasil e Geral. Volume Único. Ensino Médio. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva 2005. • Projeto Araribá: História – 7º ano. /Obra coletiva/ São Paulo: Editora Moderna, 2010. Editora Responsável: Maria Raquel Apolinário Melani. • Uno: Sistema de Ensino – História – 7º ano. São Paulo: Grupo Santillana, 2011. Editor Responsável: Angélica Pizzutto Pozzani. Prof. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com
  • 20. Nota do autor: • Muitos dos slides aqui postados estão disponíveis para dowloading. Outros, porém, por questões de direitos autorais e direitos de imagens, não estão disponíveis para serem baixados gratuitamente. • Caso você queira algum desses arquivos, ou mesmo encomendar alguma apresentação com um tema em especial, entre em contato comigo pelo E-mail (ambientalhistoria@gmail.com). • Visite minha página na internet: • www.dougnahistoria.blogspot.com.br Prof. Douglas Barraqui _______________________ PROF. DE HISTÓRIA (ENSINO FUNDAMENTAL / MÉDIO / PREPARATÓRIOS PARA CONCURSO, PRÉ- VESTIBULAR E PRÉ-IFES) TEL: (27) 99732-1315 / (27) 98889-1622 E-Mail: ambientalhistoria@gmail.com Páginas na internet: www.dougnahistoria.blogspot.com www.ambietalhistoria.blogspot.comProf. Douglas Barraqui www.dougnahistoria.blogspot.com