SlideShare uma empresa Scribd logo
Inovações no Investimento Social Privado



                 Marcos Kisil

                      IDIS
               mkisil@idis.org.br
      Belo Horizonte, 24 de junho de 2010
O MUNDO NO SÉCULO XXI

• Crescimento populacional

• Urbanização

• Inovações tecnológicas

• Globalização

• Novos padrões de consumo

• Disseminação de informações em tempo real
O MUNDO NO SÉCULO XXI

• Pressão sobre os recursos naturais
• Demanda crescente por energia
• Poluição
• Mudança climática global
• Perda de biodiversidade
• Aumento da pobreza, da exclusão e das
desigualdades sociais
Contexto Social Brasileiro
                     73º
                     73º lugar no
                     ranking do IDH   Dentre as 10 maiores
                                      economias do mundo




                                               22 milhões de
                                               analfabetos

                                                      bá
                                               Ensino básico:
                                               ranking da Unesco
Concentraç
Concentração de Renda                           número 74 (2006)
50% dos mais pobres                             número 88 (2009)
deté
detém a mesma quantidade
de recursos que os 1% mais ricos
                                      Negligêcia com
                                      DI 0-3 anos
RESPONSABILIDADE DE QUEM?

•   Governo – deveres constitucionais
•   Sociedade Civil – deveres de cidadania
•   Empresas - ???
FATORES
• CRISE DO SETOR PÚBLICO

• SURGIMENTO DO TERCEIRO SETOR

 (ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL)

• PREVALÊNCIA DO MERCADO

  – LIVRE INICIATIVA

  – EMPREENDORISMO ECONOMICO/ SOCIAL

  – RESPONSABILIDADE SOCIAL
EMPRESA E O SOCIAL
                  Contexto
• ESTADOS UNIDOS:
  – Premia Indivíduo
  – Responsabilidade Individual
• EUROPA
  – Paga-se Imposto
  – Responsabilidade do Estado
• BRASIL
  – Pune-se o indivíduo: pobreza
  – Governo: não arrecada/gasta mal
  – Baixa Responsabilidade Individual (“levar
    vantagem”)
  – Responsabilidade Estado Parcial (e política)
  – Responsabilidade Empresarial
Poder e recursos do setor privado




  Walmart é a 6a entidade        A riqueza de Bill Gates é
  geradora de renda (revenue-    maior que o PIB de
  producing) no mundo.           muitos países, incluindo
  Somente os governos dos        Marrocos, Vietnam e
  EEUU, Alemanha, UK, Italia e   Kuwait.
  Japão produzem mais.
Poder e recursos do setor privado




Fluxo de Capital para os países em desenvolvimento

           Setor Governamental: 70%
   1970    Setor Privado: 30%




           Setor Governamental : 20%
    2003   Setor Privado: 80%
Número de Milionarios, 2003



Norte America           Europa
2,500,000               2,600,000
                                                Asia/Pacifico
                           Medio Oriente        2,000,000
                           200,000

                      Africa
                      100,000
        America Latina
        300,000



                                  Fuente: World Wealth Report 2004 CapGemini and Merrill Lynch
SITUAÇÃO DO INVESTIMENTO SOCIAL NO
                    BRASIL

            PESQUISA IPEA
              (junho de 2008)

• 59% das 782 mil empresas pesquisadas
  (462.000) realizam algum tipo de
  investimento social;

• 39% das 462.000 empresas têm intenção de
  ampliar.
CLIPPING
“... As empresas devem, portanto, ir além da
retórica enfeitada de seus folhetos, mostrando
feitos reais e ações que demonstrem seu lado
bom de cidadania. Para tanto, é preciso que as
empresas (1)devolvam algo de significativo à
comunidade em que operam, (2) tratem seus
clientes como consumidores inteligentes, (3)
tenham um comportamento ético que vá além
da simples obediência às leis, e (4) ouçam e
consultem ONGs responsáveis...”

                     Financial Times, 7/12/99, Special Section, p. VII
Conceito de Investimento Social


 Recursos financeiros ou outros bens materiais, ou serviços,
 ou talentos, ou tempo que indivíduos, famílias, ou empresas,
 movidos por suas responsabilidades sociais, de maneira
 voluntária e planejada, são direcionados ao atendimento de
 necessidades, causas, direitos oue fazem a sociedade mais
 justa e sustentável.

                          IDIS
Estratégia corporativa

                                VALORES
  SUSTENTABILIDADE


                           CÓDIGO DE ÉTICA
RESPONSABILIDADE
     SOCIAL
  CORPORATIVA
                          CÓDIGOS DE CONDUTA
                         (diferentes stakeholders)


                                                     PÚBLICO EXTERNO
       PÚBLICO INTERNO
                                                        Governo
  Shareholders Colaboradores
                                                       Sociedade
    Fornecedores Clientes
                                                      Comunidades

                                            INVESTIMENTO
                                               SOCIAL
SITUAÇÃO DO INVESTIMENTO SOCIAL NO BRASIL
                IDIS – Vários Estudos


     O Brasil desconhece quanto é o investimento
     social privado (não existe agencia de governo que
     contabiliza este valor)
     comunidades não tem informações sobre
     filantropia e investimento social que recebem;
     empresas não têm informações sobre o produto e
     impacto do investimento social que realizam;
     esforços são isolados;
     distribuição é casuística;
     atitude paternalístia dos doadores;
     relação com receptor termina na doação;
     falta prioridade;
     falta controle e avaliação;
     falta profissionais;
     falta eficiência e eficácia.
DO ASSISTENCIALISMO AO INVESTIMENTO SOCIAL

                                           INVESTIMENTO
ASSISTENCIALISMO
                       Requerimentos          SOCIAL
   • Paternalista
                       para a mudança
   • Reagir ao                                •Desenvolvimento
     presente
                                              •Projetar o
   • Centrado no         Passar de uma        futuro
     interess só da      posiçáo reativa
     empresa                                  •Centrar no
                         para pró-ativa
   • Preocupado                               receptor final da
     com problema                             a;áo
     visível
                            Planejar          •Foco em resultados
   • Boas
     intenções,                               •Alinhamento
     mas...                                   estratégico
                          •Capacitar-se
   • NÃO MUDA
     STATUS QUO

                       Investir além do
                      cumprimento legal
Investimento Social

•   entender porque investir
•   saber o que esperar do investimento
•   taxa de retorno por unidade de
    investimento
•   tempo de maturidade do investimento
    para obter resultados
•   riscos envolvidos
•   monitoramento permanente
ATUAR DE MANEIRA
               PRÓ-ATIVA

• DESENVOLVER PLANEJAMENTO
  ESTRATÉGICO
• TER FOCO
• TER PROGRAMAS
• IDENTIFICAR IDÉIAS
• IDENTIFICAR EMPREENDEDORES SOCIAIS
  (Indivíduos)
• IDENTIFICAR ORGANIZAÇÕES PARCEIRAS
• IDENTIFICAR OPORTUNIDADES
UM BOM INVESTIMENTO SOCIAL


• CATALISADOR: abrevia resultados

• ALAVANCADOR: atrai novos parceiros

• INOVADOR: ocupa novo “nicho”

• PROVOCADOR DE MUDANÇAS:
 sustentabilidade e institucionalização
Novos Modelos de Investimento

• Venture philanthropy



• Fundação Comunitária
Venture Philanthropy: requisitos
Contribuição Financeira do Investidor
             Regulares durante um periodo de tempo estipulado

             Flexibilidade de montante de acordo com sucesso do trabalho

             Não põe recurso na criação de um fundo patrimonial


  Educar o Investidor
             Entender seu papel neste tipo de investimento

             Aprender a obter e analisar informação sobre a organização que
             pretende apoiar

             Saber traduzir sua experiencia do setor privado lucrativo para
             organizações sem fins lucrativos
             Saber a ter paciencia sobre resultados mais demorados
Venture Philanthropy - Caracterísitcas

    Metafora para o “Venture Capital“
                             Capital“


                 - Proximidade do investidor com o “negócio“
                                                    negó cio“
                 - Construir a capacidade organizacional da organização
                                                            organizaç
                 - Avaliar o progresso conseguido
                 - Prover apoio financeiro e gerencial


    Ação entre Pares


                 - Troca de experiencia para aprendizado comum
                 - Busca de sócios no investimento
                            só
                 - Possibilidade de comparação e busca de benchmarking
                                    comparaç
Fundação Comunitária


• Foco Geográfico
• Decisões da comunidade sobre
  doações
• Cria e Administra Fundo Patrimonial
• Investidores múltiplos
• Variedade de Propósitos
• Transparencia para Controle Social
Fundação Comunitária
                     Intenção do
                      Investidor




Gestão                                 Serviços aos
Profissional                           Investidores




                  Ações Comunitárias
Elementos Nucleares


• CAUSA/FOCO

• LIDERANÇA

• ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

• PROFISSIONALIZAÇÃO
Muito obrigado!




mkisil@idis.org.br
 www.idis.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
Tânia Lucas
 
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIAAPRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
INSTITUTO VOZ POPULAR
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
Rogerio Terra
 
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
Gabriel Cardoso
 
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
ejaes
 
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo RibeiroAula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
Pablo Ribeiro
 
Empreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começarEmpreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começar
Felipe Carvalho
 
Editais im 0215_aula_4_sha
Editais im 0215_aula_4_shaEditais im 0215_aula_4_sha
Editais im 0215_aula_4_sha
Michel Freller
 
Empreendedorismo social é para você?
Empreendedorismo social é para você?Empreendedorismo social é para você?
Empreendedorismo social é para você?
Criativa EaD
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro SetorAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Prof. Leonardo Rocha
 
Nota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
Nota técnica: Fundos Patrimoniais FilantrópicosNota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
Nota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
IDIS
 
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIALAPRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
INSTITUTO VOZ POPULAR
 
Negócios sociais: conceito e impacto
Negócios sociais: conceito e impactoNegócios sociais: conceito e impacto
Negócios sociais: conceito e impacto
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Economia solidária
Economia solidáriaEconomia solidária
Economia solidária
Alana Silva
 
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
Tecnologia e Mídias Digitais, PUC
 
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
Miguel Franzen
 
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii unEconomia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
Tarciana Ananias
 
Negocios impacto 1212 share
Negocios impacto 1212 shareNegocios impacto 1212 share
Negocios impacto 1212 share
Michel Freller
 
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo socialMude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
Gabriel Cardoso
 

Mais procurados (19)

Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
 
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIAAPRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
APRESENTAÇÃO O QUE É ECONOMIA SOLIDÁRIA
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
 
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
Mude, Você, o Mundo: o poder dos negócios sociais!
 
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
PEC-EJA: Experiências em Economia Solidária (Módulo 2)
 
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo RibeiroAula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
Aula de Empreendedorismo Social - Pablo Ribeiro
 
Empreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começarEmpreendedorismo Social: é hora de começar
Empreendedorismo Social: é hora de começar
 
Editais im 0215_aula_4_sha
Editais im 0215_aula_4_shaEditais im 0215_aula_4_sha
Editais im 0215_aula_4_sha
 
Empreendedorismo social é para você?
Empreendedorismo social é para você?Empreendedorismo social é para você?
Empreendedorismo social é para você?
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro SetorAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Terceiro Setor
 
Nota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
Nota técnica: Fundos Patrimoniais FilantrópicosNota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
Nota técnica: Fundos Patrimoniais Filantrópicos
 
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIALAPRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
APRESENTAÇÃO - EMPREENDEDORISMO SOCIAL
 
Negócios sociais: conceito e impacto
Negócios sociais: conceito e impactoNegócios sociais: conceito e impacto
Negócios sociais: conceito e impacto
 
Economia solidária
Economia solidáriaEconomia solidária
Economia solidária
 
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
Empreendedorismo na Era Tecnológica: Empreendedorismo x Empreendedorismo Soci...
 
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
Economia Solidária - Bruno e Miguel (ThEbRoKaToR)
 
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii unEconomia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
Economia solidaria cooperacao autogestao turismo atual ii un
 
Negocios impacto 1212 share
Negocios impacto 1212 shareNegocios impacto 1212 share
Negocios impacto 1212 share
 
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo socialMude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
Mude, Você, o Mundo: o poder do empreendedorismo social
 

Destaque

Cuantificadores Difusos-PostgreSQLf
Cuantificadores Difusos-PostgreSQLfCuantificadores Difusos-PostgreSQLf
Cuantificadores Difusos-PostgreSQLf
Gustavo Bazan Maal
 
Roteiro orientado para_pesquisas_web
Roteiro orientado para_pesquisas_webRoteiro orientado para_pesquisas_web
Roteiro orientado para_pesquisas_web
UFJF
 
Diseño de la puesta en marcha
Diseño de la puesta en marchaDiseño de la puesta en marcha
Diseño de la puesta en marcha
Jose Manuel Arciniega Osuna
 
Pontal da Areia
Pontal da AreiaPontal da Areia
Pontal da Areia
Aristides Alves
 
Rossi Multi Business
Rossi Multi BusinessRossi Multi Business
Rossi Multi Business
Aristides Alves
 
Presentación eGANE
Presentación eGANEPresentación eGANE
Presentación eGANE
Jose Leonardo Galvez
 
Ley de solidaridad en la educacion
Ley de solidaridad en la educacionLey de solidaridad en la educacion
Ley de solidaridad en la educacion
Rosa Goti
 
Priyanka Thakur NEW CV
Priyanka Thakur NEW CVPriyanka Thakur NEW CV
Priyanka Thakur NEW CV
Priyanka Thakur
 

Destaque (8)

Cuantificadores Difusos-PostgreSQLf
Cuantificadores Difusos-PostgreSQLfCuantificadores Difusos-PostgreSQLf
Cuantificadores Difusos-PostgreSQLf
 
Roteiro orientado para_pesquisas_web
Roteiro orientado para_pesquisas_webRoteiro orientado para_pesquisas_web
Roteiro orientado para_pesquisas_web
 
Diseño de la puesta en marcha
Diseño de la puesta en marchaDiseño de la puesta en marcha
Diseño de la puesta en marcha
 
Pontal da Areia
Pontal da AreiaPontal da Areia
Pontal da Areia
 
Rossi Multi Business
Rossi Multi BusinessRossi Multi Business
Rossi Multi Business
 
Presentación eGANE
Presentación eGANEPresentación eGANE
Presentación eGANE
 
Ley de solidaridad en la educacion
Ley de solidaridad en la educacionLey de solidaridad en la educacion
Ley de solidaridad en la educacion
 
Priyanka Thakur NEW CV
Priyanka Thakur NEW CVPriyanka Thakur NEW CV
Priyanka Thakur NEW CV
 

Semelhante a Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho

Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
Patricia Melero
 
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
udipssporto
 
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de RecursosOficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
contatofemama
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
IDIS
 
Editais 0712 slide
Editais 0712 slideEditais 0712 slide
Editais 0712 slide
Michel Freller
 
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no BrasilCenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Rodrigo Alvarez
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
Michel Freller
 
Presentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 CapitalPresentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 Capital
HSG Hub São Paulo
 
Apresentacao Institucional
Apresentacao InstitucionalApresentacao Institucional
Apresentacao Institucional
IDIS
 
Captação cogea 0313
Captação cogea 0313Captação cogea 0313
Captação cogea 0313
Michel Freller
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Bruno Rabelo
 
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
FIFE2014
 
Desafio Local
Desafio LocalDesafio Local
Desafio Local
WORKRESULT
 
Negocios impacto 1212 sha
Negocios impacto 1212 shaNegocios impacto 1212 sha
Negocios impacto 1212 sha
Michel Freller
 
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
IDIS
 
ProtóTipo A
ProtóTipo AProtóTipo A
Geração dialogos 0912_share
Geração dialogos 0912_shareGeração dialogos 0912_share
Geração dialogos 0912_share
Michel Freller
 
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
ExpoGestão
 
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais - Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
inovaDay .
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
ExpoGestão
 

Semelhante a Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho (20)

Responsabilidade Social
Responsabilidade SocialResponsabilidade Social
Responsabilidade Social
 
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
Apresentação Projecto CAERUS 16.02.2011
 
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de RecursosOficina Femama - Mobilização de Recursos
Oficina Femama - Mobilização de Recursos
 
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
Estudo ‘Da Prosperidade ao Propósito’, sobre a filantropia entre famílias de ...
 
Editais 0712 slide
Editais 0712 slideEditais 0712 slide
Editais 0712 slide
 
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no BrasilCenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
Cenário e tendências do Investimento Social Privado no Brasil
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
 
Presentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 CapitalPresentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 Capital
 
Apresentacao Institucional
Apresentacao InstitucionalApresentacao Institucional
Apresentacao Institucional
 
Captação cogea 0313
Captação cogea 0313Captação cogea 0313
Captação cogea 0313
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
 
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
 
Desafio Local
Desafio LocalDesafio Local
Desafio Local
 
Negocios impacto 1212 sha
Negocios impacto 1212 shaNegocios impacto 1212 sha
Negocios impacto 1212 sha
 
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
 
ProtóTipo A
ProtóTipo AProtóTipo A
ProtóTipo A
 
Geração dialogos 0912_share
Geração dialogos 0912_shareGeração dialogos 0912_share
Geração dialogos 0912_share
 
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
ExpoGestão 2020 - Gino Oyamada - Governança na empresa familiar: a construção...
 
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais - Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
Maure Pessanha e Antonio Moraes: Negócios Sociais -
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
 

Mais de Instituto Hartmann Regueira

Video pdg itau-arinos
Video pdg itau-arinosVideo pdg itau-arinos
Video pdg itau-arinos
Instituto Hartmann Regueira
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
Instituto Hartmann Regueira
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
Instituto Hartmann Regueira
 
Bullying - Qualidade das Relações
Bullying - Qualidade das RelaçõesBullying - Qualidade das Relações
Bullying - Qualidade das Relações
Instituto Hartmann Regueira
 
O Bullying como ato infracional
O Bullying como ato infracionalO Bullying como ato infracional
O Bullying como ato infracional
Instituto Hartmann Regueira
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
Instituto Hartmann Regueira
 
Bullying - Estratégias bem sucedidas
Bullying - Estratégias bem sucedidas Bullying - Estratégias bem sucedidas
Bullying - Estratégias bem sucedidas
Instituto Hartmann Regueira
 
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia CostaPainel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
Instituto Hartmann Regueira
 
Bullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolarBullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolar
Instituto Hartmann Regueira
 
Violência: desta vez é conosco!
Violência: desta vez é conosco!Violência: desta vez é conosco!
Violência: desta vez é conosco!
Instituto Hartmann Regueira
 
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria FloresFis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
Instituto Hartmann Regueira
 
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
Instituto Hartmann Regueira
 
Fis3 Jorge Duarte
Fis3 Jorge DuarteFis3 Jorge Duarte
Fis3 Jorge Duarte
Instituto Hartmann Regueira
 
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueiraFis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
Instituto Hartmann Regueira
 
Posicionamento ihr
Posicionamento ihrPosicionamento ihr
Posicionamento ihr
Instituto Hartmann Regueira
 
Twitter a favor das organizações sociais
Twitter a favor das organizações sociaisTwitter a favor das organizações sociais
Twitter a favor das organizações sociais
Instituto Hartmann Regueira
 

Mais de Instituto Hartmann Regueira (16)

Video pdg itau-arinos
Video pdg itau-arinosVideo pdg itau-arinos
Video pdg itau-arinos
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
 
Bullying - Qualidade das Relações
Bullying - Qualidade das RelaçõesBullying - Qualidade das Relações
Bullying - Qualidade das Relações
 
O Bullying como ato infracional
O Bullying como ato infracionalO Bullying como ato infracional
O Bullying como ato infracional
 
O Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracionalO Bullying como um ato infracional
O Bullying como um ato infracional
 
Bullying - Estratégias bem sucedidas
Bullying - Estratégias bem sucedidas Bullying - Estratégias bem sucedidas
Bullying - Estratégias bem sucedidas
 
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia CostaPainel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
Painel sobre Bullying e ato infracional, com Dra. Ana Carolina Garcia Costa
 
Bullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolarBullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolar
 
Violência: desta vez é conosco!
Violência: desta vez é conosco!Violência: desta vez é conosco!
Violência: desta vez é conosco!
 
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria FloresFis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
Fis4 Sylvia Bojunga e Valéria Flores
 
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
Fis3 Armindo Teodósio (Téo)
 
Fis3 Jorge Duarte
Fis3 Jorge DuarteFis3 Jorge Duarte
Fis3 Jorge Duarte
 
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueiraFis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
Fis1 2010 fernando rossetti e marcus regueira
 
Posicionamento ihr
Posicionamento ihrPosicionamento ihr
Posicionamento ihr
 
Twitter a favor das organizações sociais
Twitter a favor das organizações sociaisTwitter a favor das organizações sociais
Twitter a favor das organizações sociais
 

Fis2 marcos kisil e paulo cesar coelho

  • 1. Inovações no Investimento Social Privado Marcos Kisil IDIS mkisil@idis.org.br Belo Horizonte, 24 de junho de 2010
  • 2. O MUNDO NO SÉCULO XXI • Crescimento populacional • Urbanização • Inovações tecnológicas • Globalização • Novos padrões de consumo • Disseminação de informações em tempo real
  • 3. O MUNDO NO SÉCULO XXI • Pressão sobre os recursos naturais • Demanda crescente por energia • Poluição • Mudança climática global • Perda de biodiversidade • Aumento da pobreza, da exclusão e das desigualdades sociais
  • 4. Contexto Social Brasileiro 73º 73º lugar no ranking do IDH Dentre as 10 maiores economias do mundo 22 milhões de analfabetos bá Ensino básico: ranking da Unesco Concentraç Concentração de Renda número 74 (2006) 50% dos mais pobres número 88 (2009) deté detém a mesma quantidade de recursos que os 1% mais ricos Negligêcia com DI 0-3 anos
  • 5. RESPONSABILIDADE DE QUEM? • Governo – deveres constitucionais • Sociedade Civil – deveres de cidadania • Empresas - ???
  • 6. FATORES • CRISE DO SETOR PÚBLICO • SURGIMENTO DO TERCEIRO SETOR (ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL) • PREVALÊNCIA DO MERCADO – LIVRE INICIATIVA – EMPREENDORISMO ECONOMICO/ SOCIAL – RESPONSABILIDADE SOCIAL
  • 7. EMPRESA E O SOCIAL Contexto • ESTADOS UNIDOS: – Premia Indivíduo – Responsabilidade Individual • EUROPA – Paga-se Imposto – Responsabilidade do Estado • BRASIL – Pune-se o indivíduo: pobreza – Governo: não arrecada/gasta mal – Baixa Responsabilidade Individual (“levar vantagem”) – Responsabilidade Estado Parcial (e política) – Responsabilidade Empresarial
  • 8. Poder e recursos do setor privado Walmart é a 6a entidade A riqueza de Bill Gates é geradora de renda (revenue- maior que o PIB de producing) no mundo. muitos países, incluindo Somente os governos dos Marrocos, Vietnam e EEUU, Alemanha, UK, Italia e Kuwait. Japão produzem mais.
  • 9. Poder e recursos do setor privado Fluxo de Capital para os países em desenvolvimento Setor Governamental: 70% 1970 Setor Privado: 30% Setor Governamental : 20% 2003 Setor Privado: 80%
  • 10. Número de Milionarios, 2003 Norte America Europa 2,500,000 2,600,000 Asia/Pacifico Medio Oriente 2,000,000 200,000 Africa 100,000 America Latina 300,000 Fuente: World Wealth Report 2004 CapGemini and Merrill Lynch
  • 11. SITUAÇÃO DO INVESTIMENTO SOCIAL NO BRASIL PESQUISA IPEA (junho de 2008) • 59% das 782 mil empresas pesquisadas (462.000) realizam algum tipo de investimento social; • 39% das 462.000 empresas têm intenção de ampliar.
  • 12. CLIPPING “... As empresas devem, portanto, ir além da retórica enfeitada de seus folhetos, mostrando feitos reais e ações que demonstrem seu lado bom de cidadania. Para tanto, é preciso que as empresas (1)devolvam algo de significativo à comunidade em que operam, (2) tratem seus clientes como consumidores inteligentes, (3) tenham um comportamento ético que vá além da simples obediência às leis, e (4) ouçam e consultem ONGs responsáveis...” Financial Times, 7/12/99, Special Section, p. VII
  • 13. Conceito de Investimento Social Recursos financeiros ou outros bens materiais, ou serviços, ou talentos, ou tempo que indivíduos, famílias, ou empresas, movidos por suas responsabilidades sociais, de maneira voluntária e planejada, são direcionados ao atendimento de necessidades, causas, direitos oue fazem a sociedade mais justa e sustentável. IDIS
  • 14. Estratégia corporativa VALORES SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE ÉTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA CÓDIGOS DE CONDUTA (diferentes stakeholders) PÚBLICO EXTERNO PÚBLICO INTERNO Governo Shareholders Colaboradores Sociedade Fornecedores Clientes Comunidades INVESTIMENTO SOCIAL
  • 15. SITUAÇÃO DO INVESTIMENTO SOCIAL NO BRASIL IDIS – Vários Estudos O Brasil desconhece quanto é o investimento social privado (não existe agencia de governo que contabiliza este valor) comunidades não tem informações sobre filantropia e investimento social que recebem; empresas não têm informações sobre o produto e impacto do investimento social que realizam; esforços são isolados; distribuição é casuística; atitude paternalístia dos doadores; relação com receptor termina na doação; falta prioridade; falta controle e avaliação; falta profissionais; falta eficiência e eficácia.
  • 16. DO ASSISTENCIALISMO AO INVESTIMENTO SOCIAL INVESTIMENTO ASSISTENCIALISMO Requerimentos SOCIAL • Paternalista para a mudança • Reagir ao •Desenvolvimento presente •Projetar o • Centrado no Passar de uma futuro interess só da posiçáo reativa empresa •Centrar no para pró-ativa • Preocupado receptor final da com problema a;áo visível Planejar •Foco em resultados • Boas intenções, •Alinhamento mas... estratégico •Capacitar-se • NÃO MUDA STATUS QUO Investir além do cumprimento legal
  • 17. Investimento Social • entender porque investir • saber o que esperar do investimento • taxa de retorno por unidade de investimento • tempo de maturidade do investimento para obter resultados • riscos envolvidos • monitoramento permanente
  • 18. ATUAR DE MANEIRA PRÓ-ATIVA • DESENVOLVER PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO • TER FOCO • TER PROGRAMAS • IDENTIFICAR IDÉIAS • IDENTIFICAR EMPREENDEDORES SOCIAIS (Indivíduos) • IDENTIFICAR ORGANIZAÇÕES PARCEIRAS • IDENTIFICAR OPORTUNIDADES
  • 19. UM BOM INVESTIMENTO SOCIAL • CATALISADOR: abrevia resultados • ALAVANCADOR: atrai novos parceiros • INOVADOR: ocupa novo “nicho” • PROVOCADOR DE MUDANÇAS: sustentabilidade e institucionalização
  • 20. Novos Modelos de Investimento • Venture philanthropy • Fundação Comunitária
  • 21. Venture Philanthropy: requisitos Contribuição Financeira do Investidor Regulares durante um periodo de tempo estipulado Flexibilidade de montante de acordo com sucesso do trabalho Não põe recurso na criação de um fundo patrimonial Educar o Investidor Entender seu papel neste tipo de investimento Aprender a obter e analisar informação sobre a organização que pretende apoiar Saber traduzir sua experiencia do setor privado lucrativo para organizações sem fins lucrativos Saber a ter paciencia sobre resultados mais demorados
  • 22. Venture Philanthropy - Caracterísitcas Metafora para o “Venture Capital“ Capital“ - Proximidade do investidor com o “negócio“ negó cio“ - Construir a capacidade organizacional da organização organizaç - Avaliar o progresso conseguido - Prover apoio financeiro e gerencial Ação entre Pares - Troca de experiencia para aprendizado comum - Busca de sócios no investimento só - Possibilidade de comparação e busca de benchmarking comparaç
  • 23. Fundação Comunitária • Foco Geográfico • Decisões da comunidade sobre doações • Cria e Administra Fundo Patrimonial • Investidores múltiplos • Variedade de Propósitos • Transparencia para Controle Social
  • 24. Fundação Comunitária Intenção do Investidor Gestão Serviços aos Profissional Investidores Ações Comunitárias
  • 25. Elementos Nucleares • CAUSA/FOCO • LIDERANÇA • ESTRUTURA ORGANIZACIONAL • PROFISSIONALIZAÇÃO