SlideShare uma empresa Scribd logo
IMERSÃO EM ELABORAÇÃO
DE PROJETOS PARA
EDITAIS EMPRESARIAIS E
PÚBLICOS – aula 4
SERVIÇOS
CRIANDO
CONSULTORIA
Terceiro Setor
Desenvolvimento
Institucional
Técnica
Jurídica
Gestão
Planejamento
Estratégico
Marketing e
Comunicação
Empresas
Responsabilidade
Social
Desenvolvimento
Sustentável
PALESTRAS
ASSESSORIA
EDITAIS
DICAS PARA
SOLICITAÇÃO
Uma proposta bem sucedida
 Possibilita verificar se o investimento resultará num impacto de longo
prazo (sustentabilidade)
 Aponta o desafio, os objetivos, metas e meios de avaliação para
enfrentá-lo
 Comprova que a organização tem capacidade, conta com líderes
capazes e comprometidos
 Apresenta maneiras inovadoras e consistentes para resolver
problemas
INVESTIMENTO
SOCIAL PRIVADO
Características
• Os ISPs estão
preocupados com os
resultados, as
transformações geradas
e a cumplicidade da
comunidade para com o
desenvolvimento da
ação
• Forte preocupação com
o monitoramento dos
projetos e a avaliação
de resultados
EDITAIS
Investidores passam a ser definidos
não apenas com base em vínculos ou
interesses de relacionamento da alta
gestão.
A seleção dos projetos passa pelo
crivo de especialistas que levam em
consideração a capacidade do proponente
em planejar, executar e avaliar o projeto,
agregando valor positivo à marca das
empresas ao mesmo tempo em que
atendem as necessidades sociais.
EDITAIS
Características
• Buscam a
democratização da
captação de recursos
para iniciativas
socioambientais.
• Sinaliza a seriedade do
investimento
• Seleção pública,
igualitária e com regras
bem definidas
EDITAIS
DICAS
1) Planeje e elabore todo o projeto ANTES do preenchimento do edital,
tenha um caso bem escrito: valores a captar e necessidades sociais
EDITAIS
DICAS
2) Esteja em dia com as obrigações fiscais, trabalhistas e estatutárias
EDITAIS
DICAS
3) Verifique o objetivo do edital e as áreas de investimento
socioambiental (atividades, áreas de atuação, etc.) – Muita pesquisa
sobre a empresa, instituto ou fundação
EDITAIS
DICAS
4) Verifique que tipo de organização pode ou não pode participar, se há
necessidade de contrapartidas
EDITAIS
DICAS
5) O desconhecimento das
instruções do edital ou o não
entendimento dificilmente
poderão ser aceitos como
razões para justificar
quaisquer erros ou
divergências
EDITAIS
DICAS
6) Fique atento para a
possibilidade de eventuais
aditamentos ou esclarecimentos
a respeito do edital
EDITAIS
DICAS
7) Verifique a forma correta de inscrição do projeto (via internet, correio,
etc.) além da data de início e término
DICAS
8) Confira se existem
formulários próprios, veja
também se o número de
caracteres está definido
EDITAIS
EDITAIS
DICAS
9) Veja se o edital exige que
documentos sejam
anexados, tais como
estatutos, atas, certidões,
etc.
EDITAIS
DICAS
10) Observe com quem
ficaram os eventuais
direitos autorais
relacionados ao projeto
(relatórios, vídeos,
imagens, músicas, etc.)
EDITAIS
DICAS
11) Veja se existe alguma
comissão ou mecanismo
para a resolução de casos
omissos
DICAS
12) Certifique-se do valor
máximo de investimento
socioambiental constante
do edital (veja os recursos
disponíveis, os critérios e
formas de desembolso)
EDITAIS
DICAS
13) Não esqueça de
verificar se existe algum
modelo a ser adotado para
cronograma físico-
financeiro
EDITAIS
DICAS
14) Observe as etapas e critérios de avaliação e seleção
dos projetos, inclusive quanto à possibilidade de eventuais
recursos
EDITAIS
DICAS
15) Veja os meios e prazos
para a divulgação dos
resultados
EDITAIS
DICAS
16) Analise as
contrapartidas exigidas
pelo investidor social
EDITAIS
EDITAIS
17) Verifique a maneira pela qual a implementação dos
projetos será acompanhada pelo investidor social
DICAS
18) Conheça
detalhadamente o
procedimento para
prestação de contas
EDITAIS
EDITAIS
19) Verifique os projetos contemplados nos anos anteriores por quem
propõe o edital analisando se a sua causa está incluída nas
prioridades da organização selecionada
Criação do banco de
dados
• Quero incentivar -
http://queroincentivar.com.br
• ABCR – www.captacao.org
• Gife – www.gife.org.br
• Brasilia.org – www.brasilia.org
• Patrolink – www.patrolink.com.br
• APF - www.apf.org.br
• facebook - editais culturais
• FUNARBE - www.financiar.org.br
• Governo – www.conlicitacao.com.br
PROSPECÇÃO
DE EDITAIS
EXERCÍCIO
Vamos analisar um projeto juntos?
http://www.gife.org.br/artigos_r
eportagens_editais.asp
http://captacao.org/recursos/e
ditais-abertos
http://www.brazilfoundation.org/portugues/
SelecaoProj2014.php
http://www.grandchallenges.ca/savi
ng-brains/
– http://foundationcenter.org/
– http://fundsforngos.org
– http://caleidoscop.org
– http://www.lacdonors.org
– http://grants.org
– http://www.iadb.org
–http://wingsweb.org
–http://ec.europa.eu/europeaid
NO MUNDO
Editais im 0215_aula_4_sha
NO MUNDO
1. EuropeAid
2. USAid
3. AusAid
4. DFID
5. BID
6. UNDEF
7. UN Women
8. UN Human Rights
9. UNPFII
10. Banco Mundial
11. ViiV
12. Bill & Melinda Gates
13. Comic Relief
14. NED
15. Open Society Foundations
16. Brazil Foundation
17. Child Evaluation Fund
18. IAF
19. Frida
20. Tourism Cares
Fontes
Internacionais
João Paulo
Vergueiro
jpverg@hotmail.com
Primeiras 20 Fontes
Internacionais
www.convenios.gov.br
https://www.youtube.com/watch?v=DqTZS
hCHmxY
http://www.pucsp.br/neats/dowload/palestras-04set-nova-lei/Lais-de-Figueiredo-
Lopes.pdf
https://www.youtube.com/watch?v=DqTZS
hCHmxY
https://www.youtube.com/watch?v=DqTZS
hCHmxY
“ Um sonho que se
sonha só,
é só um sonho que se
sonha só, mas sonho
que se sonha junto é
realidade “
Raul Seixas
MENSAGEM FINAL
"Para navegar contra a
corrente, são necessárias
condições raras: espírito de
aventura, coragem,
perseverança e paixão."
(Nise da Silveira)
www.criando.net
11 – 982-083-790
11-2307-4495
michel@criando.net
http://www.slideshare.net/micfre12
Go raibh
maith agat
Thanks
Toda
Hvala
Gracias
Obrigado
MerciArigato
감사합니다Danke
Gracie
Uma pessoa comprometida
faz tudo com atenção aos
detalhes. Ela presta
atenção em tudo que faz,
no detalhe do detalhe;
BIBLIOGRAFIA
ABONG. Um novo marco legal para as ONGs no Brasil – Fortalecendo a cidadania
e a participação democrática. São Paulo: ABONG, 2007.
ARMANI, Domingos Antônio. Sustentabilidade: desafio democrático. In: Secretaria
de Vigilância em Saúde, Coordenação Nacional de DST e Aids. (Org.).
Sustentabilidade: aids e sociedade civil em debate. Brasília: Ministério da Saúde, p.
9-14, 2004.
______ . O Sentido do planejamento na mobilização de recursos. In: Rogério
Renato Silva; Paula Lubambo. (Org.). Mobilizar a experiência do programa de
formação em mobilização de recursos da Aliança Interage. Recife: Aliança
Interage, p. 71-74, 2008.
ASHOKA EMPREENDEDORES SOCIAIS E MCKINSEY & COMPANY. Negócios
sociais sustentáveis: estratégias inovadoras para o desenvolvimento social. São
Paulo: Peirópolis, 2006.
AZEVEDO, Tasso Rezende. Buscando recursos para seus projetos. Ed. Texto
Novo,1998.
BARBOSA, Maria Nazaré Lins; OLIVEIRA, Carolina Felippe. Manual de ONGs:
Guia Prático de Orientação Jurídica. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001.
BIGLIONE, Ana; WOODS, Marcia K. Guia prático de marketing relacionado a
BIBLIOGRAFIA
BOHÓRQUEZ-HERRERA, Carolina. Negócios Sociais: Um estudo de caso da
empresa Midiacom.net (Aquiraz – CE). São Paulo: PUC-SP, 2013.
BORZAGA, C.; SANTUARI, A. New trends in the non-profit sector in Europe: The
emergence of social entrepreneurship. The Non-profit Sector in a Changing
Economy, p.31-59, 2003.
BRASIL. Demonstrativo dos gastos tributários Estimativas bases efetivas – 2010:
Série 2008 a 2012. Brasilia: Ministério da Fazenda, Receita Federal, 2013.
<www.receita.fazenda.gov.br/publico/estudotributario/BensTributarios/2010/DGTEfe
tivoAC2010Serie2008a2012.pdf> acesso em: 02/01/2014.
BRITO, M.; MELO, M. E. (org). Hábitos de doar e captar recursos no Brasil. São
Paulo: Peirópolis, 2007.
BRUCE, Andy & LANGDON, Ken. Você sabe gerenciar projetos. São Paulo:
Editora SENAC SP, 2008.
BULGARELLI, R. Diversos somos todos: valorização, promoção e gestão da
diversidade nas organizações. São Paulo: Cultura, 2009.
CARTER, Cheryl; QUICK, James Aaron. How to Write a Grant Proposal (Wiley
Nonprofit Law, Finance and Management Series).
www.wiley.com/WileyCDA/Section/id-
300271.html?sort=DATE&sortDirection=DESC&page=3
CESNIK, Fábio de Sá. Guia do Incentivo à Cultura. 3ª Ed., São Paulo: Ed. Manole,
2012.
CICONTE, Barbara K. e JACOB, Jeanne Gerda. FundRaising Basics: a complete
guide. Aspen: Aspen Publication, 1997.
COMINI, Graziella Maria. Negócios Sociais e Inclusivos. São Paulo: Instituto
Walmart, 2011. Disponível em:
<http://www.ruscheleassociados.com.br/pdf/panorama2.pdf> Acesso em: 15 nov.
2013.
COMINI, Graziella Maria; ASSAD, Fernando; FISCHER, Rosa Maria. Social
Business in Brazil, 2013.
CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SÃO PAULO. Fundos dos
Direitos da Criança e do Adolescente www.crcsp.org.br
COSTA, Daniela Pais. Prestação de Contas. In Terceiro Setor: temas polêmicos.
São Paulo: Ed. Peirópolis, (p13-44), 2005.
CRUZ, Célia; ESTRAVIZ, Marcelo. Captação de Diferentes Recursos para
Organizações Sem Fins Lucrativos. São Paulo: Ed. Global e Fonte, 2000.
DAW, Jocelyne. Cause marketing for nonprofits. New Jersey, US: John Wiley &
Sons, 2006.
DOWBOR, L. Democracia econômica, São Paulo: Vozes, 2012. Versão atualizada
em 31 de julho de 2012. Disponível em: <http://dowbor.org/2008/01/democracia-
DRUCKER, Peter. Administração de organizações sem fins lucrativos: princípios e
práticas. São Paulo: Ed. Pioneira, 1994.
DUHIGG, Charles. O poder do hábito – Por que fazemos o que fazemos na vida e
nos negócios. Rio de Janeiro: Ed.Objetiva, 2012.
EDLES, L. Peter. Fundraising: Hands-on Tactics for NonProfit Groups. McGraw-Hill,
Inc.
EPPLER, Matin J.; PFISTER, Roland A. Comunicação Visual, Elsevier, 2014.
FERNANDES, Rubem César. Privado porém público: o terceiro setor na América
Latina. 2.ed. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.
FERRAREZI, Elisabete. OSCIP passo a passo. AED. Agência de Educação para o
desenvolvimento.
FISCHER, Rosa Maria. O desafio da colaboração; práticas de responsabilidade
social entre empresas e terceiro setor. São Paulo: Editora Gente, 2002.
FREUND, Tomas A Relação Entre Voluntários e Profissionais Numa Organização do
Terceiro Setor: Existe Um Duplo Comando?. São Paulo: Revista Integração/ FGV,
2006. http://integracao.fgvsp.br/ano9/10/index.htm
FUNDAÇÃO ABRINQ. Incentivos Fiscais Em Benefício de criança e Adolescente.
GIFE: Grupo de institutos e fundações e empresas. Censo GIFE 2009- 2010.
Disponível em: <http://censo.gife.org.br/bloco3.asp> Acesso em: 14 de julho 2013.
GUIA DO FUNDO PRÓ-INFÂNCIA DE PORTO ALEGRE
GLOBAL REPORTING INITIATIVE – GRI. Diretrizes para relatório de
sustentabilidade – DRS, Versão 3.0, SP, 2006.
HART, T.; GREENFIELD, J.M.; JOHNSTON, M. Nonprofit internet strategies: best
practices for marketing, communications and fundraising. Hoboken, EU: John
Wiley&Sons, 2005.
HAZARD, B. L. Online Fundraising at ARL Libraries. J. Acad. Librarianship, v.29,
n.1, p. 8–15, 2003.
HITT, M.A.; IRELAND, R.D.; HOSKISSON, R.E. Administração estratégica. São
Paulo: Cengage Learning, 2008.
HUDSON, Mike. Administrando Organizações do Terceiro Setor. São Paulo:
Makron Books, 1999.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITICA (IBGE). As fundações
privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil, 2010. Rio de Janeiro: IBGE,
2012.
INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO INVESTIMENTO SOCIAL (IDIS).
The World Giving Index 2010. Disponível em: <www.idis.org.br/biblioteca/pesquisas
/globalgivingreport_2010.pdf/view>. Acesso em: 14 de julho de 2013.
INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). A iniciativa privada e
o espírito público: um retrato da ação social das empresas no Brasil. Brasília: IPEA,
JUNQUEIRA, Luciano Antônio Prates. Gestão Social: Organização, Parceria e
Redes Sociais IN:CANÇADO, A.C.; SILVA Jr, J. T.; SCHOMMER, P. C.; RIGO, A.
S. (orgs) Os desafios da formação em gestão social. Palmas: coleção Enapegs
p.87 -103. 2008.
______. Organizações sem fins lucrativos e redes na gestão de políticas sociais,
Caderno de Administração PUC-SP, nº 3, p 101-126. 2000.
KAHNEMAN, Daniel. Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar. São Paulo: Ed.
Objetiva, 2012.
KANTER, B.; PAINE, K.D. Measuring the networked nonprofit: using data to
change the world. São Francisco: John Wiley&Sons, 2012.
KAPLAN, Allan. Artista do Invisível: O processo social e o profissional de
desenvolvimento. São Paulo: Instituto Fonte e Ed. Peirópolis, 2002.
KANTER, Beth; PAINE, Katie Delahaye. Measuring the networked nonprofit: Using
data to change the world. São Francisco, EUA: John Wiley&Sons INC, 2012.
KELLEY, Daniel Q. Dinheiro para sua Causa. Ed. TextoNovo, 1994.
KISIL, Marcos; FABIANI Paula Jancso; Alvarez, Rodrigo. Fundos patrimoniais:
criação e gestão no Brasil. São Paulo: Zeppelini, 2012.
KOTLER, Phillip; LEE, N.R. Marketing contra a pobreza: as ferramentas para da
mudança social para formuladores de políticas, empreendedores, ONGs,
empresas e governos. Porto Alegre: Bookman, 2010.
LANDIM, leilah; BERES, Neide. Ocupação, despesas e recursos: as organizações
sem fins lucrativos no Brasil. Rio de Janeiro: Nau editora, 1999.
LANDIM, Leilah.CARVALHO, Luiz Antonio. Projeto transparência e prestação de
contas da sociedade civil na América Latina. Caso: Brasil. Rio de Janeiro:
NUPEF/RITS / NASP/UFRJ, (p. 02-26), 2006-2007.
LARROUDÉ, Elisa Rodrigues Alves. Accountability de organizações do espaço
público não-estatal: uma apreciação crítica da regulação brasileira. Dissertação de
mestrado na FGV-EAESP, São Paulo: FGV, 2006.
MENDONÇA, Patricia Maria E. (coord). Pesquisa arquitetura institucional de apoio
às organizações da sociedade civil no Brasil: Apresentação e resumo executivo São
Paulo: Articulação D# - Diálogos, Direitos e Democracia e CEAPG – Centro de
Estudos em Administração Pública e Governo da ESASP – FGV, fevereiro de 2013.
Disponível em:
<http://ceapg.fgv.br/sites/ceapg.fgv.br/files/arquivos/pesquisa_Apoio_OS/rf_apres_r
esumo _executivo.pdf>. Acesso em: 14 de julho de 2013.
MEREGE, Luis Carlos. Terceiro Setor: a arte de administrar sonhos. São Paulo:
Plêiade, 2009.
MINTZBERG, Henry. Ascensão e Queda do Planejamento Estratégico. Porto
Alegre: Bookman, 2004.
MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia: Um roteiro
MISOCZKY, Maria Ceci. Abordagem de redes no estudo de movimentos sociais:
entre o modelo e a metáfora. Rio de Janeiro: RAP v.43 n.5, p.1147-1180, 2009.
NANUS, Burt. Liderança para o Terceiro Setor: Estratégias de sucesso para
organizações sem fins lucrativos, São Paulo, 2000.
NORIEGA, Maria Elena e MURRAY, Milton. Apoio Financeiro: Como Conseguir.
Editora TextoNovo.
NOVAES, Regina. Hábitos de doar: motivações pessoais e as múltiplas versões do
“espírito da dádiva”. In: BRITO, M.; MELO, M.E.(orgs.). Hábitos de doar e captar
recursos no Brasil, São Paulo: Peirópolis, p. 17–56, 2007.
OLIVEIRA, J. A. P. Empresas na Sociedade: sustentabilidade e responsabilidade
social. São Paulo: Ed. Campus, 2008.
OLIVIERI, Cristiane; NATALE, Edson.(Org). Guia brasileiro de produção cultural
2010-2011, São Paulo: SESC SP, 2010.
PAES, José Eduardo Sabo. Fundações e entidades de interesse social: aspectos
jurídicos, administrativos, contábeis e tributários. 5. ed. rev., atual. e ampl. de acordo
com a Lei nº 10.406, de 10.1.2002 (Novo Código Civil brasileiro). Brasília: Brasília
Jurídica, 2004.
PARIZZI, Elaine Thomé. Manual técnico sobre as leis de incentivo à cultura. Cuiabá
MT: Carlini & Caniato editorial, 2011.
PELIANO, A. M. M. (coord). A iniciativa privada e o espírito publico: A evolução da
ação social das empresas privadas no Brasil. Brasilia: IPEA 2006. Disponível em:
<http://www.ipea.gov.br/acaosocial/IMG/pdf/doc-28.pdf>. Acesso em: 14 de julho de
2013.
PEREIRA, Custódio. Captação de recursos: FundRaising. SãoPaulo: Ed.
Mackenzie, 2011.
PEREZ, C.P.; JUNQUEIRA l.P. (orgs.) Voluntariado e a gestão das políticas sociais.
São Paulo: Futura, 2002.
PEREZ, L. Mobilização de indivíduos: é preciso pedir. Filantropia, São Paulo, v. 41,
2009. Disponível em: <www.revistafilantropia.org.br>. Acesso em: 14 de julho 2013.
PEZZULLO, S. Desenvolvendo sua organização; um guia de sustentabilidade para
ONGs. São Paulo: SENAC SP, Fund. Abrinq e International Youth Foundation,
2003.
PRAHALAD, C. K. A riqueza na base da pirâmide. São Paulo: Artmed, 2008.
PRAHALAD, C. K., HART, S.L. The Fortune at the Bottom of the Pyramid. Strategy
+ Business, 2002.
PROCHNOW, M.; SCHAFFER, W.B. Pequeno manual para elaboração de projetos.
Porto Alegre: UFRS, 1999.
RATTNER, Henrique. Sustentabilidade - uma visão humanista. Campinas: Ambiente
soc. no.5, July/Dec. p. 233-. 240.1999.
ROSS, Bernard; SEGAL,Clare. The influential fundraiser: Using the psychology of
persuasion to achieve outstanding results. São Francisco, USA: John Wiley & sons
inc., 2009.
SACHS, Igancy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável: idéias
sustentáveis. 4. Ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.
SALAMON, L. M., et al. Global Civil Society: dimensions of the nonprofit sector.
Baltimore, US: The John Hopkins Center for Civil Society Studies, 1999.
SAUL, Jason. The end of fundraising: Raise more money by selling your impact.
São Francisco, EUA: John Wiley&Sons INC, 2011.
SEKN. Socially inclusive business. Engaiging the poor through market initiatives in
iberoamerica. Social Enterprise Knoledge Network. Cambridge, Massachussets:
Harvard University Publishing, 2010.
SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das
Letras, 2000.
SENAC (SP) / FUNDAÇÃO ABRINQ, Guia de Gestão: para quem dirige entidades
sociais.
SILVA, Antônio Luiz de Paula. Utilizando o planejamento como ferramenta de
aprendizagem. São Paulo: Global e Instituto Fonte, 2001.
SZAZI, Eduardo. (org). Terceiro Setor: temas polêmicos 1. São Paulo: Gife e
Fundação Peirópolis, 2004.
TEODÓSIO, Armindo dos Santos de Sousa, COMINI, Graziella. Inclusive business
and poverty: prospects in the Brazilian context. Revista de Administração da
Universidade de São Paulo, v. 47, n.3, 2012.
TRAVAGLINI, C; BANDINI, F.; MANCINONE, K. Social enterprise across Europe: a
comparative study on legal frameworks and governance structures. Report, 2008.
TIISEL, Danilo. (org) Capatação de recursos para o Terceiro Setor – Aspectos
jurídicos. São Paulo: OAB-SP, 2011. Disponível em:
<www.oabsp.org.br/.../cartilhas/captacao _aspjur21092011%20revisada.pdf>
acesso em: 12 jan. 2014.
TOZZI, José Antônio. Prestação de contas no terceiro setor: a dicotomia do marco
regulatório. São Paulo: PUC-SP. 2010.
WEIL, Pierre TOMPAKOW, Roland. O corpo fala: A linguagem silenciosa da
comunicação não-verbal. 62 edição, Petrópolis, RJ: Ed vozes, 2001.
YUNUS, M. Banker to the poor: Micro-lending and the battle against world poverty.
New York: Founder of the Grameer Bank, 2003.
______. Criando um negócio social, Rio de Janeiro: Campus, 2010.
.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula editais 0515 sha
Aula editais 0515 shaAula editais 0515 sha
Aula editais 0515 sha
Michel Freller
 
Projeto ALI
Projeto ALIProjeto ALI
Projeto ALI
calixtomanager
 
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
Michel Freller
 
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
ABCR
 
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGsFerramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
Michel Freller
 
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
PFC Internacional
 
Livro Captação De Recursos
Livro Captação De RecursosLivro Captação De Recursos
Livro Captação De Recursos
Leonardo Leitao
 
Editais im 0215_aula1_sha
Editais im 0215_aula1_shaEditais im 0215_aula1_sha
Editais im 0215_aula1_sha
Michel Freller
 
Planejamento flac 2013a
Planejamento flac 2013aPlanejamento flac 2013a
Planejamento flac 2013a
Michel Freller
 
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
Rodrigo Alvarez
 
6
66
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
Marcos Da Cruz
 
Empresas 0715 sha
Empresas 0715 shaEmpresas 0715 sha
Empresas 0715 sha
Michel Freller
 
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
Mobiliza Consultoria
 
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOSCAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Dialogus Consultoria
 
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro SetorIncentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Michel Freller
 
4 estratégias 0315
4 estratégias 03154 estratégias 0315
4 estratégias 0315
Michel Freller
 
Aula de Captação de Recursos - parte 2
Aula de Captação de Recursos - parte 2Aula de Captação de Recursos - parte 2
Aula de Captação de Recursos - parte 2
Flavia Amorim
 
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MFGeração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
Michel Freller
 
Elaboração de projetos Sociais
Elaboração de projetos SociaisElaboração de projetos Sociais
Elaboração de projetos Sociais
Daniel Motta
 

Mais procurados (20)

Aula editais 0515 sha
Aula editais 0515 shaAula editais 0515 sha
Aula editais 0515 sha
 
Projeto ALI
Projeto ALIProjeto ALI
Projeto ALI
 
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
Captação de recursos GESC - CeA, Roche, FISESP_0815
 
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
Festival 2016 - Como a transparência na gestão possibilita ampliar a captação...
 
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGsFerramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
Ferramentas de Planejamento e Gestão para ONGs
 
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
PAULO FRANÇA - Palestra sobre "Captação de Recursos para Projetos" na Assembl...
 
Livro Captação De Recursos
Livro Captação De RecursosLivro Captação De Recursos
Livro Captação De Recursos
 
Editais im 0215_aula1_sha
Editais im 0215_aula1_shaEditais im 0215_aula1_sha
Editais im 0215_aula1_sha
 
Planejamento flac 2013a
Planejamento flac 2013aPlanejamento flac 2013a
Planejamento flac 2013a
 
Plano de captação de recursos
Plano de captação de recursosPlano de captação de recursos
Plano de captação de recursos
 
6
66
6
 
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
Apresentação do Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos no Ter...
 
Empresas 0715 sha
Empresas 0715 shaEmpresas 0715 sha
Empresas 0715 sha
 
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
Como começar "do zero" um programa de captação de recursos com indivíduos.
 
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOSCAPTAÇÃO DE RECURSOS
CAPTAÇÃO DE RECURSOS
 
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro SetorIncentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
Incentivos Fiscais 2.0 - Como captar recursos para o Terceiro Setor
 
4 estratégias 0315
4 estratégias 03154 estratégias 0315
4 estratégias 0315
 
Aula de Captação de Recursos - parte 2
Aula de Captação de Recursos - parte 2Aula de Captação de Recursos - parte 2
Aula de Captação de Recursos - parte 2
 
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MFGeração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
Geração de renda própria - dissertação de mestrado PUC MF
 
Elaboração de projetos Sociais
Elaboração de projetos SociaisElaboração de projetos Sociais
Elaboração de projetos Sociais
 

Destaque

'Please Re-Tweet Me' campaign
'Please Re-Tweet Me' campaign 'Please Re-Tweet Me' campaign
'Please Re-Tweet Me' campaign
CharityComms
 
Especial decoracao / Tradaq Permuta
Especial decoracao / Tradaq PermutaEspecial decoracao / Tradaq Permuta
Especial decoracao / Tradaq Permuta
Tradaq
 
MKs_docm.T_9
MKs_docm.T_9MKs_docm.T_9
MKs_docm.T_9
Manoj Kumar
 
Aguias de Aço- Tradicional Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
Aguias de Aço- Tradicional   Moto Clube Mineiro 100% Harley DavidsonAguias de Aço- Tradicional   Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
Aguias de Aço- Tradicional Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
claudia #cmdterra
 
Encontro Motociclístico de Penedo-RJ de 2013
Encontro Motociclístico de  Penedo-RJ de 2013Encontro Motociclístico de  Penedo-RJ de 2013
Encontro Motociclístico de Penedo-RJ de 2013
claudia #cmdterra
 
Projeto Inter3
Projeto Inter3Projeto Inter3
Projeto Inter3
Paola Trebbi
 
Financiación de Emprendedores
Financiación de EmprendedoresFinanciación de Emprendedores
Financiación de Emprendedores
Daniel Bruellmann
 
apresentacao
apresentacaoapresentacao
apresentacao
af26teste
 
Responsabilidade Social- Dever de Todos-
Responsabilidade Social- Dever de Todos-Responsabilidade Social- Dever de Todos-
Responsabilidade Social- Dever de Todos-
Patrícia Siffert
 
Ação Popular da "Casa Rosa"
Ação Popular da "Casa Rosa"Ação Popular da "Casa Rosa"
Ação Popular da "Casa Rosa"
Manolo Del Olmo
 
Multimeter Project-Abby Reisner
Multimeter Project-Abby ReisnerMultimeter Project-Abby Reisner
Multimeter Project-Abby Reisner
Areisner
 
Inter3
Inter3Inter3
Inter3
Paola Trebbi
 
Reduce, Reuse, Recycle
Reduce, Reuse, RecycleReduce, Reuse, Recycle
Reduce, Reuse, Recycle
9bLaura
 
Turismo e a Internet
Turismo e a  InternetTurismo e a  Internet
Turismo e a Internet
Marcel Caraciolo
 
TCC - Marketing Político
TCC - Marketing PolíticoTCC - Marketing Político
TCC - Marketing Político
Cíntia Luna
 
Eventos pdf
Eventos pdfEventos pdf
Eventos pdf
Patrícia Ventura
 
Case Ventura Corporate Towers
Case Ventura Corporate TowersCase Ventura Corporate Towers
Case Ventura Corporate Towers
PELOSI PELOSI
 
Sites de moda
Sites de modaSites de moda
Sites de moda
possofazermoda
 
Links Variados
Links VariadosLinks Variados
Links Variados
CEU CEI Jaçanã
 

Destaque (19)

'Please Re-Tweet Me' campaign
'Please Re-Tweet Me' campaign 'Please Re-Tweet Me' campaign
'Please Re-Tweet Me' campaign
 
Especial decoracao / Tradaq Permuta
Especial decoracao / Tradaq PermutaEspecial decoracao / Tradaq Permuta
Especial decoracao / Tradaq Permuta
 
MKs_docm.T_9
MKs_docm.T_9MKs_docm.T_9
MKs_docm.T_9
 
Aguias de Aço- Tradicional Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
Aguias de Aço- Tradicional   Moto Clube Mineiro 100% Harley DavidsonAguias de Aço- Tradicional   Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
Aguias de Aço- Tradicional Moto Clube Mineiro 100% Harley Davidson
 
Encontro Motociclístico de Penedo-RJ de 2013
Encontro Motociclístico de  Penedo-RJ de 2013Encontro Motociclístico de  Penedo-RJ de 2013
Encontro Motociclístico de Penedo-RJ de 2013
 
Projeto Inter3
Projeto Inter3Projeto Inter3
Projeto Inter3
 
Financiación de Emprendedores
Financiación de EmprendedoresFinanciación de Emprendedores
Financiación de Emprendedores
 
apresentacao
apresentacaoapresentacao
apresentacao
 
Responsabilidade Social- Dever de Todos-
Responsabilidade Social- Dever de Todos-Responsabilidade Social- Dever de Todos-
Responsabilidade Social- Dever de Todos-
 
Ação Popular da "Casa Rosa"
Ação Popular da "Casa Rosa"Ação Popular da "Casa Rosa"
Ação Popular da "Casa Rosa"
 
Multimeter Project-Abby Reisner
Multimeter Project-Abby ReisnerMultimeter Project-Abby Reisner
Multimeter Project-Abby Reisner
 
Inter3
Inter3Inter3
Inter3
 
Reduce, Reuse, Recycle
Reduce, Reuse, RecycleReduce, Reuse, Recycle
Reduce, Reuse, Recycle
 
Turismo e a Internet
Turismo e a  InternetTurismo e a  Internet
Turismo e a Internet
 
TCC - Marketing Político
TCC - Marketing PolíticoTCC - Marketing Político
TCC - Marketing Político
 
Eventos pdf
Eventos pdfEventos pdf
Eventos pdf
 
Case Ventura Corporate Towers
Case Ventura Corporate TowersCase Ventura Corporate Towers
Case Ventura Corporate Towers
 
Sites de moda
Sites de modaSites de moda
Sites de moda
 
Links Variados
Links VariadosLinks Variados
Links Variados
 

Semelhante a Editais im 0215_aula_4_sha

Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
IDIS
 
Festival 2016 - Transparência
Festival 2016 - TransparênciaFestival 2016 - Transparência
Festival 2016 - Transparência
ABCR
 
Elaboração de Projetos Sociais
Elaboração de Projetos SociaisElaboração de Projetos Sociais
Elaboração de Projetos Sociais
Dialogus Consultoria
 
Diagnostico comunidade Costa Valley
Diagnostico comunidade Costa ValleyDiagnostico comunidade Costa Valley
Diagnostico comunidade Costa Valley
Jones Augusto Boeck
 
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
ABCR
 
Avaliação para o investimento social privado: metodologias
Avaliação para   o investimento  social privado:  metodologiasAvaliação para   o investimento  social privado:  metodologias
Avaliação para o investimento social privado: metodologias
ONGestão
 
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
Aghata Gonsalves
 
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação AbrinqMobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
Fundação Abrinq
 
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Social Good Brasil
 
Planejamento estratégico em filantropia gestão de planejamento 2010
Planejamento estratégico em filantropia   gestão de planejamento 2010Planejamento estratégico em filantropia   gestão de planejamento 2010
Planejamento estratégico em filantropia gestão de planejamento 2010
Adauto César
 
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto SocialCase Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Instituto de Cidadania Empresarial do Maranhão
 
Apostila captacao recursos
Apostila captacao recursosApostila captacao recursos
Apostila captacao recursos
André Lage Meira
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Bruno Rabelo
 
Editais e convocatórias
Editais e convocatóriasEditais e convocatórias
Editais e convocatórias
André Martinez
 
portfolio projeto extensionista ANHANGUERA
portfolio projeto extensionista ANHANGUERAportfolio projeto extensionista ANHANGUERA
portfolio projeto extensionista ANHANGUERA
monografaciltcc
 
Avaliação para o investimento social privado - metodologias
Avaliação para o investimento social privado - metodologiasAvaliação para o investimento social privado - metodologias
Avaliação para o investimento social privado - metodologias
Bruno Rabelo
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
Michel Freller
 
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Fundação Abrinq
 
Editais 0712 slide
Editais 0712 slideEditais 0712 slide
Editais 0712 slide
Michel Freller
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
Squadra Assessoria e Consultoria
 

Semelhante a Editais im 0215_aula_4_sha (20)

Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
 
Festival 2016 - Transparência
Festival 2016 - TransparênciaFestival 2016 - Transparência
Festival 2016 - Transparência
 
Elaboração de Projetos Sociais
Elaboração de Projetos SociaisElaboração de Projetos Sociais
Elaboração de Projetos Sociais
 
Diagnostico comunidade Costa Valley
Diagnostico comunidade Costa ValleyDiagnostico comunidade Costa Valley
Diagnostico comunidade Costa Valley
 
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
Festival ABCR - O outro lado da mesa dos projetos e editais: como as empresas...
 
Avaliação para o investimento social privado: metodologias
Avaliação para   o investimento  social privado:  metodologiasAvaliação para   o investimento  social privado:  metodologias
Avaliação para o investimento social privado: metodologias
 
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
Elaboração de Projetos - CMDCA FLORIPA 01/08/2016
 
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação AbrinqMobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
Mobilização de Recursos, por Instituto Fonte e Fundação Abrinq
 
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
Versão enxuta - Relatório do Social Good Brasil 2015
 
Planejamento estratégico em filantropia gestão de planejamento 2010
Planejamento estratégico em filantropia   gestão de planejamento 2010Planejamento estratégico em filantropia   gestão de planejamento 2010
Planejamento estratégico em filantropia gestão de planejamento 2010
 
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto SocialCase Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
 
Apostila captacao recursos
Apostila captacao recursosApostila captacao recursos
Apostila captacao recursos
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
 
Editais e convocatórias
Editais e convocatóriasEditais e convocatórias
Editais e convocatórias
 
portfolio projeto extensionista ANHANGUERA
portfolio projeto extensionista ANHANGUERAportfolio projeto extensionista ANHANGUERA
portfolio projeto extensionista ANHANGUERA
 
Avaliação para o investimento social privado - metodologias
Avaliação para o investimento social privado - metodologiasAvaliação para o investimento social privado - metodologias
Avaliação para o investimento social privado - metodologias
 
Editais 1112 shareb
Editais 1112 sharebEditais 1112 shareb
Editais 1112 shareb
 
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
Lançamento Guias da Coleção Empresa Amiga da Criança
 
Editais 0712 slide
Editais 0712 slideEditais 0712 slide
Editais 0712 slide
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
 

Mais de Michel Freller

INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos - UPF ou OSCI...
INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos  - UPF ou OSCI...INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos  - UPF ou OSCI...
INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos - UPF ou OSCI...
Michel Freller
 
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel frellerLivro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Michel Freller
 
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel frellerLivro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Michel Freller
 
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel FrellerIncentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Michel Freller
 
Estrategias imp final_1015
Estrategias imp final_1015Estrategias imp final_1015
Estrategias imp final_1015
Michel Freller
 
Incentivos fiscais 0915 cult
Incentivos fiscais 0915 cultIncentivos fiscais 0915 cult
Incentivos fiscais 0915 cult
Michel Freller
 
Dialogos da filantropia 040715 sha
Dialogos da filantropia 040715 shaDialogos da filantropia 040715 sha
Dialogos da filantropia 040715 sha
Michel Freller
 
4estratgias0315 sha
4estratgias0315 sha4estratgias0315 sha
4estratgias0315 sha
Michel Freller
 
Masterclass cultura michel&suellen
Masterclass cultura michel&suellenMasterclass cultura michel&suellen
Masterclass cultura michel&suellen
Michel Freller
 
Tese elisa accountability
Tese elisa accountabilityTese elisa accountability
Tese elisa accountability
Michel Freller
 
Empresas e marketing relação
Empresas e marketing relaçãoEmpresas e marketing relação
Empresas e marketing relação
Michel Freller
 
Editais im 0215_aula_3_sha
Editais im 0215_aula_3_shaEditais im 0215_aula_3_sha
Editais im 0215_aula_3_sha
Michel Freller
 
100 Fontes Internacionais de Recursos
100 Fontes Internacionais de Recursos100 Fontes Internacionais de Recursos
100 Fontes Internacionais de Recursos
Michel Freller
 
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
Michel Freller
 
Como prestar contas para Projetos Incentivados
Como prestar contas para Projetos IncentivadosComo prestar contas para Projetos Incentivados
Como prestar contas para Projetos Incentivados
Michel Freller
 
Aula editais 08 2014 3.0
Aula editais 08 2014 3.0Aula editais 08 2014 3.0
Aula editais 08 2014 3.0
Michel Freller
 
Cem fontes internacionais
Cem fontes internacionaisCem fontes internacionais
Cem fontes internacionais
Michel Freller
 

Mais de Michel Freller (17)

INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos - UPF ou OSCI...
INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos  - UPF ou OSCI...INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos  - UPF ou OSCI...
INCENTIVOS FISCAIS - Doação para entidades sem fins lucrativos - UPF ou OSCI...
 
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel frellerLivro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
 
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel frellerLivro guia sobre_incentivos_michel freller
Livro guia sobre_incentivos_michel freller
 
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel FrellerIncentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
Incentivos Fiscais Federais para a Captação de Recursos, por Michel Freller
 
Estrategias imp final_1015
Estrategias imp final_1015Estrategias imp final_1015
Estrategias imp final_1015
 
Incentivos fiscais 0915 cult
Incentivos fiscais 0915 cultIncentivos fiscais 0915 cult
Incentivos fiscais 0915 cult
 
Dialogos da filantropia 040715 sha
Dialogos da filantropia 040715 shaDialogos da filantropia 040715 sha
Dialogos da filantropia 040715 sha
 
4estratgias0315 sha
4estratgias0315 sha4estratgias0315 sha
4estratgias0315 sha
 
Masterclass cultura michel&suellen
Masterclass cultura michel&suellenMasterclass cultura michel&suellen
Masterclass cultura michel&suellen
 
Tese elisa accountability
Tese elisa accountabilityTese elisa accountability
Tese elisa accountability
 
Empresas e marketing relação
Empresas e marketing relaçãoEmpresas e marketing relação
Empresas e marketing relação
 
Editais im 0215_aula_3_sha
Editais im 0215_aula_3_shaEditais im 0215_aula_3_sha
Editais im 0215_aula_3_sha
 
100 Fontes Internacionais de Recursos
100 Fontes Internacionais de Recursos100 Fontes Internacionais de Recursos
100 Fontes Internacionais de Recursos
 
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
Economia criativa e Captação de recursos na área cultural
 
Como prestar contas para Projetos Incentivados
Como prestar contas para Projetos IncentivadosComo prestar contas para Projetos Incentivados
Como prestar contas para Projetos Incentivados
 
Aula editais 08 2014 3.0
Aula editais 08 2014 3.0Aula editais 08 2014 3.0
Aula editais 08 2014 3.0
 
Cem fontes internacionais
Cem fontes internacionaisCem fontes internacionais
Cem fontes internacionais
 

Último

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
InsttLcioEvangelista
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Dantas
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Renan Batista Bitcoin
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Paulo Emerson Pereira
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
rihabkorbi24
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
AlfeuBuriti1
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
Paulo Emerson Pereira
 

Último (7)

7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
7 - Gerenciamento e Economia de Sistemas de Operações Logísticas.pdf
 
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdfVeronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
Veronica Daniel Dantas Opportunity Recebe 5 Premios Ademi.pdf
 
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoedaRevolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
Revolução da inclusão financeira: Benefícios da criptomoeda
 
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCCEstudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
Estudo de caso apresenta ao Projeto Integrado Multidisciplinar - TCC
 
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMETRESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
RESTAURANT MANORA HOTEL SINDBAD HAMMAMET
 
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdfGUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
GUIA DE EMPRESA PEDAGOGICA PARA ALUNOS.pdf
 
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
A ADEQUAÇÃO À LGPD DA UNIVERSIDADE UNIVAZADA: UM ESTUDO DE CASO FICTÍCIO DE U...
 

Editais im 0215_aula_4_sha

  • 1. IMERSÃO EM ELABORAÇÃO DE PROJETOS PARA EDITAIS EMPRESARIAIS E PÚBLICOS – aula 4
  • 4. DICAS PARA SOLICITAÇÃO Uma proposta bem sucedida  Possibilita verificar se o investimento resultará num impacto de longo prazo (sustentabilidade)  Aponta o desafio, os objetivos, metas e meios de avaliação para enfrentá-lo  Comprova que a organização tem capacidade, conta com líderes capazes e comprometidos  Apresenta maneiras inovadoras e consistentes para resolver problemas
  • 5. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO Características • Os ISPs estão preocupados com os resultados, as transformações geradas e a cumplicidade da comunidade para com o desenvolvimento da ação • Forte preocupação com o monitoramento dos projetos e a avaliação de resultados
  • 6. EDITAIS Investidores passam a ser definidos não apenas com base em vínculos ou interesses de relacionamento da alta gestão. A seleção dos projetos passa pelo crivo de especialistas que levam em consideração a capacidade do proponente em planejar, executar e avaliar o projeto, agregando valor positivo à marca das empresas ao mesmo tempo em que atendem as necessidades sociais.
  • 7. EDITAIS Características • Buscam a democratização da captação de recursos para iniciativas socioambientais. • Sinaliza a seriedade do investimento • Seleção pública, igualitária e com regras bem definidas
  • 8. EDITAIS DICAS 1) Planeje e elabore todo o projeto ANTES do preenchimento do edital, tenha um caso bem escrito: valores a captar e necessidades sociais
  • 9. EDITAIS DICAS 2) Esteja em dia com as obrigações fiscais, trabalhistas e estatutárias
  • 10. EDITAIS DICAS 3) Verifique o objetivo do edital e as áreas de investimento socioambiental (atividades, áreas de atuação, etc.) – Muita pesquisa sobre a empresa, instituto ou fundação
  • 11. EDITAIS DICAS 4) Verifique que tipo de organização pode ou não pode participar, se há necessidade de contrapartidas
  • 12. EDITAIS DICAS 5) O desconhecimento das instruções do edital ou o não entendimento dificilmente poderão ser aceitos como razões para justificar quaisquer erros ou divergências
  • 13. EDITAIS DICAS 6) Fique atento para a possibilidade de eventuais aditamentos ou esclarecimentos a respeito do edital
  • 14. EDITAIS DICAS 7) Verifique a forma correta de inscrição do projeto (via internet, correio, etc.) além da data de início e término
  • 15. DICAS 8) Confira se existem formulários próprios, veja também se o número de caracteres está definido EDITAIS
  • 16. EDITAIS DICAS 9) Veja se o edital exige que documentos sejam anexados, tais como estatutos, atas, certidões, etc.
  • 17. EDITAIS DICAS 10) Observe com quem ficaram os eventuais direitos autorais relacionados ao projeto (relatórios, vídeos, imagens, músicas, etc.)
  • 18. EDITAIS DICAS 11) Veja se existe alguma comissão ou mecanismo para a resolução de casos omissos
  • 19. DICAS 12) Certifique-se do valor máximo de investimento socioambiental constante do edital (veja os recursos disponíveis, os critérios e formas de desembolso) EDITAIS
  • 20. DICAS 13) Não esqueça de verificar se existe algum modelo a ser adotado para cronograma físico- financeiro EDITAIS
  • 21. DICAS 14) Observe as etapas e critérios de avaliação e seleção dos projetos, inclusive quanto à possibilidade de eventuais recursos EDITAIS
  • 22. DICAS 15) Veja os meios e prazos para a divulgação dos resultados EDITAIS
  • 23. DICAS 16) Analise as contrapartidas exigidas pelo investidor social EDITAIS
  • 24. EDITAIS 17) Verifique a maneira pela qual a implementação dos projetos será acompanhada pelo investidor social
  • 25. DICAS 18) Conheça detalhadamente o procedimento para prestação de contas EDITAIS
  • 26. EDITAIS 19) Verifique os projetos contemplados nos anos anteriores por quem propõe o edital analisando se a sua causa está incluída nas prioridades da organização selecionada
  • 27. Criação do banco de dados • Quero incentivar - http://queroincentivar.com.br • ABCR – www.captacao.org • Gife – www.gife.org.br • Brasilia.org – www.brasilia.org • Patrolink – www.patrolink.com.br • APF - www.apf.org.br • facebook - editais culturais • FUNARBE - www.financiar.org.br • Governo – www.conlicitacao.com.br PROSPECÇÃO DE EDITAIS
  • 28. EXERCÍCIO Vamos analisar um projeto juntos? http://www.gife.org.br/artigos_r eportagens_editais.asp http://captacao.org/recursos/e ditais-abertos http://www.brazilfoundation.org/portugues/ SelecaoProj2014.php http://www.grandchallenges.ca/savi ng-brains/
  • 29. – http://foundationcenter.org/ – http://fundsforngos.org – http://caleidoscop.org – http://www.lacdonors.org – http://grants.org – http://www.iadb.org –http://wingsweb.org –http://ec.europa.eu/europeaid NO MUNDO
  • 31. NO MUNDO 1. EuropeAid 2. USAid 3. AusAid 4. DFID 5. BID 6. UNDEF 7. UN Women 8. UN Human Rights 9. UNPFII 10. Banco Mundial 11. ViiV 12. Bill & Melinda Gates 13. Comic Relief 14. NED 15. Open Society Foundations 16. Brazil Foundation 17. Child Evaluation Fund 18. IAF 19. Frida 20. Tourism Cares Fontes Internacionais João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Primeiras 20 Fontes Internacionais
  • 36. “ Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade “ Raul Seixas
  • 37. MENSAGEM FINAL "Para navegar contra a corrente, são necessárias condições raras: espírito de aventura, coragem, perseverança e paixão." (Nise da Silveira)
  • 38. www.criando.net 11 – 982-083-790 11-2307-4495 michel@criando.net http://www.slideshare.net/micfre12 Go raibh maith agat Thanks Toda Hvala Gracias Obrigado MerciArigato 감사합니다Danke Gracie
  • 39. Uma pessoa comprometida faz tudo com atenção aos detalhes. Ela presta atenção em tudo que faz, no detalhe do detalhe;
  • 41. ABONG. Um novo marco legal para as ONGs no Brasil – Fortalecendo a cidadania e a participação democrática. São Paulo: ABONG, 2007. ARMANI, Domingos Antônio. Sustentabilidade: desafio democrático. In: Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação Nacional de DST e Aids. (Org.). Sustentabilidade: aids e sociedade civil em debate. Brasília: Ministério da Saúde, p. 9-14, 2004. ______ . O Sentido do planejamento na mobilização de recursos. In: Rogério Renato Silva; Paula Lubambo. (Org.). Mobilizar a experiência do programa de formação em mobilização de recursos da Aliança Interage. Recife: Aliança Interage, p. 71-74, 2008. ASHOKA EMPREENDEDORES SOCIAIS E MCKINSEY & COMPANY. Negócios sociais sustentáveis: estratégias inovadoras para o desenvolvimento social. São Paulo: Peirópolis, 2006. AZEVEDO, Tasso Rezende. Buscando recursos para seus projetos. Ed. Texto Novo,1998. BARBOSA, Maria Nazaré Lins; OLIVEIRA, Carolina Felippe. Manual de ONGs: Guia Prático de Orientação Jurídica. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001. BIGLIONE, Ana; WOODS, Marcia K. Guia prático de marketing relacionado a BIBLIOGRAFIA
  • 42. BOHÓRQUEZ-HERRERA, Carolina. Negócios Sociais: Um estudo de caso da empresa Midiacom.net (Aquiraz – CE). São Paulo: PUC-SP, 2013. BORZAGA, C.; SANTUARI, A. New trends in the non-profit sector in Europe: The emergence of social entrepreneurship. The Non-profit Sector in a Changing Economy, p.31-59, 2003. BRASIL. Demonstrativo dos gastos tributários Estimativas bases efetivas – 2010: Série 2008 a 2012. Brasilia: Ministério da Fazenda, Receita Federal, 2013. <www.receita.fazenda.gov.br/publico/estudotributario/BensTributarios/2010/DGTEfe tivoAC2010Serie2008a2012.pdf> acesso em: 02/01/2014. BRITO, M.; MELO, M. E. (org). Hábitos de doar e captar recursos no Brasil. São Paulo: Peirópolis, 2007. BRUCE, Andy & LANGDON, Ken. Você sabe gerenciar projetos. São Paulo: Editora SENAC SP, 2008. BULGARELLI, R. Diversos somos todos: valorização, promoção e gestão da diversidade nas organizações. São Paulo: Cultura, 2009. CARTER, Cheryl; QUICK, James Aaron. How to Write a Grant Proposal (Wiley Nonprofit Law, Finance and Management Series). www.wiley.com/WileyCDA/Section/id- 300271.html?sort=DATE&sortDirection=DESC&page=3
  • 43. CESNIK, Fábio de Sá. Guia do Incentivo à Cultura. 3ª Ed., São Paulo: Ed. Manole, 2012. CICONTE, Barbara K. e JACOB, Jeanne Gerda. FundRaising Basics: a complete guide. Aspen: Aspen Publication, 1997. COMINI, Graziella Maria. Negócios Sociais e Inclusivos. São Paulo: Instituto Walmart, 2011. Disponível em: <http://www.ruscheleassociados.com.br/pdf/panorama2.pdf> Acesso em: 15 nov. 2013. COMINI, Graziella Maria; ASSAD, Fernando; FISCHER, Rosa Maria. Social Business in Brazil, 2013. CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE SÃO PAULO. Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente www.crcsp.org.br COSTA, Daniela Pais. Prestação de Contas. In Terceiro Setor: temas polêmicos. São Paulo: Ed. Peirópolis, (p13-44), 2005. CRUZ, Célia; ESTRAVIZ, Marcelo. Captação de Diferentes Recursos para Organizações Sem Fins Lucrativos. São Paulo: Ed. Global e Fonte, 2000. DAW, Jocelyne. Cause marketing for nonprofits. New Jersey, US: John Wiley & Sons, 2006. DOWBOR, L. Democracia econômica, São Paulo: Vozes, 2012. Versão atualizada em 31 de julho de 2012. Disponível em: <http://dowbor.org/2008/01/democracia-
  • 44. DRUCKER, Peter. Administração de organizações sem fins lucrativos: princípios e práticas. São Paulo: Ed. Pioneira, 1994. DUHIGG, Charles. O poder do hábito – Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios. Rio de Janeiro: Ed.Objetiva, 2012. EDLES, L. Peter. Fundraising: Hands-on Tactics for NonProfit Groups. McGraw-Hill, Inc. EPPLER, Matin J.; PFISTER, Roland A. Comunicação Visual, Elsevier, 2014. FERNANDES, Rubem César. Privado porém público: o terceiro setor na América Latina. 2.ed. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994. FERRAREZI, Elisabete. OSCIP passo a passo. AED. Agência de Educação para o desenvolvimento. FISCHER, Rosa Maria. O desafio da colaboração; práticas de responsabilidade social entre empresas e terceiro setor. São Paulo: Editora Gente, 2002. FREUND, Tomas A Relação Entre Voluntários e Profissionais Numa Organização do Terceiro Setor: Existe Um Duplo Comando?. São Paulo: Revista Integração/ FGV, 2006. http://integracao.fgvsp.br/ano9/10/index.htm FUNDAÇÃO ABRINQ. Incentivos Fiscais Em Benefício de criança e Adolescente. GIFE: Grupo de institutos e fundações e empresas. Censo GIFE 2009- 2010. Disponível em: <http://censo.gife.org.br/bloco3.asp> Acesso em: 14 de julho 2013.
  • 45. GUIA DO FUNDO PRÓ-INFÂNCIA DE PORTO ALEGRE GLOBAL REPORTING INITIATIVE – GRI. Diretrizes para relatório de sustentabilidade – DRS, Versão 3.0, SP, 2006. HART, T.; GREENFIELD, J.M.; JOHNSTON, M. Nonprofit internet strategies: best practices for marketing, communications and fundraising. Hoboken, EU: John Wiley&Sons, 2005. HAZARD, B. L. Online Fundraising at ARL Libraries. J. Acad. Librarianship, v.29, n.1, p. 8–15, 2003. HITT, M.A.; IRELAND, R.D.; HOSKISSON, R.E. Administração estratégica. São Paulo: Cengage Learning, 2008. HUDSON, Mike. Administrando Organizações do Terceiro Setor. São Paulo: Makron Books, 1999. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITICA (IBGE). As fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil, 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO INVESTIMENTO SOCIAL (IDIS). The World Giving Index 2010. Disponível em: <www.idis.org.br/biblioteca/pesquisas /globalgivingreport_2010.pdf/view>. Acesso em: 14 de julho de 2013. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). A iniciativa privada e o espírito público: um retrato da ação social das empresas no Brasil. Brasília: IPEA,
  • 46. JUNQUEIRA, Luciano Antônio Prates. Gestão Social: Organização, Parceria e Redes Sociais IN:CANÇADO, A.C.; SILVA Jr, J. T.; SCHOMMER, P. C.; RIGO, A. S. (orgs) Os desafios da formação em gestão social. Palmas: coleção Enapegs p.87 -103. 2008. ______. Organizações sem fins lucrativos e redes na gestão de políticas sociais, Caderno de Administração PUC-SP, nº 3, p 101-126. 2000. KAHNEMAN, Daniel. Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar. São Paulo: Ed. Objetiva, 2012. KANTER, B.; PAINE, K.D. Measuring the networked nonprofit: using data to change the world. São Francisco: John Wiley&Sons, 2012. KAPLAN, Allan. Artista do Invisível: O processo social e o profissional de desenvolvimento. São Paulo: Instituto Fonte e Ed. Peirópolis, 2002. KANTER, Beth; PAINE, Katie Delahaye. Measuring the networked nonprofit: Using data to change the world. São Francisco, EUA: John Wiley&Sons INC, 2012. KELLEY, Daniel Q. Dinheiro para sua Causa. Ed. TextoNovo, 1994. KISIL, Marcos; FABIANI Paula Jancso; Alvarez, Rodrigo. Fundos patrimoniais: criação e gestão no Brasil. São Paulo: Zeppelini, 2012. KOTLER, Phillip; LEE, N.R. Marketing contra a pobreza: as ferramentas para da mudança social para formuladores de políticas, empreendedores, ONGs, empresas e governos. Porto Alegre: Bookman, 2010.
  • 47. LANDIM, leilah; BERES, Neide. Ocupação, despesas e recursos: as organizações sem fins lucrativos no Brasil. Rio de Janeiro: Nau editora, 1999. LANDIM, Leilah.CARVALHO, Luiz Antonio. Projeto transparência e prestação de contas da sociedade civil na América Latina. Caso: Brasil. Rio de Janeiro: NUPEF/RITS / NASP/UFRJ, (p. 02-26), 2006-2007. LARROUDÉ, Elisa Rodrigues Alves. Accountability de organizações do espaço público não-estatal: uma apreciação crítica da regulação brasileira. Dissertação de mestrado na FGV-EAESP, São Paulo: FGV, 2006. MENDONÇA, Patricia Maria E. (coord). Pesquisa arquitetura institucional de apoio às organizações da sociedade civil no Brasil: Apresentação e resumo executivo São Paulo: Articulação D# - Diálogos, Direitos e Democracia e CEAPG – Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da ESASP – FGV, fevereiro de 2013. Disponível em: <http://ceapg.fgv.br/sites/ceapg.fgv.br/files/arquivos/pesquisa_Apoio_OS/rf_apres_r esumo _executivo.pdf>. Acesso em: 14 de julho de 2013. MEREGE, Luis Carlos. Terceiro Setor: a arte de administrar sonhos. São Paulo: Plêiade, 2009. MINTZBERG, Henry. Ascensão e Queda do Planejamento Estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2004. MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári de estratégia: Um roteiro
  • 48. MISOCZKY, Maria Ceci. Abordagem de redes no estudo de movimentos sociais: entre o modelo e a metáfora. Rio de Janeiro: RAP v.43 n.5, p.1147-1180, 2009. NANUS, Burt. Liderança para o Terceiro Setor: Estratégias de sucesso para organizações sem fins lucrativos, São Paulo, 2000. NORIEGA, Maria Elena e MURRAY, Milton. Apoio Financeiro: Como Conseguir. Editora TextoNovo. NOVAES, Regina. Hábitos de doar: motivações pessoais e as múltiplas versões do “espírito da dádiva”. In: BRITO, M.; MELO, M.E.(orgs.). Hábitos de doar e captar recursos no Brasil, São Paulo: Peirópolis, p. 17–56, 2007. OLIVEIRA, J. A. P. Empresas na Sociedade: sustentabilidade e responsabilidade social. São Paulo: Ed. Campus, 2008. OLIVIERI, Cristiane; NATALE, Edson.(Org). Guia brasileiro de produção cultural 2010-2011, São Paulo: SESC SP, 2010. PAES, José Eduardo Sabo. Fundações e entidades de interesse social: aspectos jurídicos, administrativos, contábeis e tributários. 5. ed. rev., atual. e ampl. de acordo com a Lei nº 10.406, de 10.1.2002 (Novo Código Civil brasileiro). Brasília: Brasília Jurídica, 2004. PARIZZI, Elaine Thomé. Manual técnico sobre as leis de incentivo à cultura. Cuiabá MT: Carlini & Caniato editorial, 2011.
  • 49. PELIANO, A. M. M. (coord). A iniciativa privada e o espírito publico: A evolução da ação social das empresas privadas no Brasil. Brasilia: IPEA 2006. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/acaosocial/IMG/pdf/doc-28.pdf>. Acesso em: 14 de julho de 2013. PEREIRA, Custódio. Captação de recursos: FundRaising. SãoPaulo: Ed. Mackenzie, 2011. PEREZ, C.P.; JUNQUEIRA l.P. (orgs.) Voluntariado e a gestão das políticas sociais. São Paulo: Futura, 2002. PEREZ, L. Mobilização de indivíduos: é preciso pedir. Filantropia, São Paulo, v. 41, 2009. Disponível em: <www.revistafilantropia.org.br>. Acesso em: 14 de julho 2013. PEZZULLO, S. Desenvolvendo sua organização; um guia de sustentabilidade para ONGs. São Paulo: SENAC SP, Fund. Abrinq e International Youth Foundation, 2003. PRAHALAD, C. K. A riqueza na base da pirâmide. São Paulo: Artmed, 2008. PRAHALAD, C. K., HART, S.L. The Fortune at the Bottom of the Pyramid. Strategy + Business, 2002. PROCHNOW, M.; SCHAFFER, W.B. Pequeno manual para elaboração de projetos. Porto Alegre: UFRS, 1999. RATTNER, Henrique. Sustentabilidade - uma visão humanista. Campinas: Ambiente soc. no.5, July/Dec. p. 233-. 240.1999.
  • 50. ROSS, Bernard; SEGAL,Clare. The influential fundraiser: Using the psychology of persuasion to achieve outstanding results. São Francisco, USA: John Wiley & sons inc., 2009. SACHS, Igancy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável: idéias sustentáveis. 4. Ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2002. SALAMON, L. M., et al. Global Civil Society: dimensions of the nonprofit sector. Baltimore, US: The John Hopkins Center for Civil Society Studies, 1999. SAUL, Jason. The end of fundraising: Raise more money by selling your impact. São Francisco, EUA: John Wiley&Sons INC, 2011. SEKN. Socially inclusive business. Engaiging the poor through market initiatives in iberoamerica. Social Enterprise Knoledge Network. Cambridge, Massachussets: Harvard University Publishing, 2010. SEN, Amartya. Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. SENAC (SP) / FUNDAÇÃO ABRINQ, Guia de Gestão: para quem dirige entidades sociais. SILVA, Antônio Luiz de Paula. Utilizando o planejamento como ferramenta de aprendizagem. São Paulo: Global e Instituto Fonte, 2001. SZAZI, Eduardo. (org). Terceiro Setor: temas polêmicos 1. São Paulo: Gife e Fundação Peirópolis, 2004.
  • 51. TEODÓSIO, Armindo dos Santos de Sousa, COMINI, Graziella. Inclusive business and poverty: prospects in the Brazilian context. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 47, n.3, 2012. TRAVAGLINI, C; BANDINI, F.; MANCINONE, K. Social enterprise across Europe: a comparative study on legal frameworks and governance structures. Report, 2008. TIISEL, Danilo. (org) Capatação de recursos para o Terceiro Setor – Aspectos jurídicos. São Paulo: OAB-SP, 2011. Disponível em: <www.oabsp.org.br/.../cartilhas/captacao _aspjur21092011%20revisada.pdf> acesso em: 12 jan. 2014. TOZZI, José Antônio. Prestação de contas no terceiro setor: a dicotomia do marco regulatório. São Paulo: PUC-SP. 2010. WEIL, Pierre TOMPAKOW, Roland. O corpo fala: A linguagem silenciosa da comunicação não-verbal. 62 edição, Petrópolis, RJ: Ed vozes, 2001. YUNUS, M. Banker to the poor: Micro-lending and the battle against world poverty. New York: Founder of the Grameer Bank, 2003. ______. Criando um negócio social, Rio de Janeiro: Campus, 2010. .