SlideShare uma empresa Scribd logo
A crase
O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração
da preposição "a" com:


   artigo feminino "a" ou "as".
   o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).
   o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"
   o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".



Regras de verificação
Para saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acento
grave) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação:

1) substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição,
o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável. Exemplos:

Pedro viajou à Região Nordeste: com crase, porque equivale a Pedro viajou para a Região
Nordeste

O autor dedicou o livro a sua esposa; sem crase em português do Brasil, porque equivale a O
autor dedicou o livro para sua esposa; mas com crase em português de Portugal,O autor
dedicou o livropara a sua esposa.

2) troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivo
masculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável.
Exemplos:

Prestou relevantes serviços à comunidade; com crase, porque ao se trocar o complemento -
Prestou relevantes serviços ao povo - aparece a combinação ao.

Chegarei daqui a uma hora; sem crase, porque ao se trocar o complemento - Chegarei daqui a
um minuto - não aparece a combinação ao.

Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes
pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem
significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com
palavras repetidas (dia a dia).
Crase facultativa
A crase é facultativa nos seguintes casos:


   Antes de nome próprio feminino:

Refiro-me à (a) Fernanda.


   Antes de pronome possessivo feminino:

Dirija-se à (a) sua fazenda.


   Depois da preposição até:

Dirija-se até à (a) porta.

Crase facultativa

A crase é facultativa nos seguintes casos:


   Antes de nome próprio feminino:

Refiro-me à (a) Fernanda.

Antes de pronome possessivo feminino:

Dirija-se à (a) sua fazenda.

Depois da preposição até:

Dirija-se até à (a) porta.

Casos Proibidos
O uso da crase é proibido:

        Antes do emprego de verbos:

Preços a combinar.


   Antes de substantivos masculinos:

Passear a Cavalo


   Antes de numerais:

Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00.


   Antes de plural sem o emprego do artigo definido as:

a brilhantes cientistas
   Após o uso de preposições:

Antes a descoberta o cientista gritou.


   Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção
    da terceira pessoa):

Entregue o relatório a ela. (Pessoal)

Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo)

Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido)

Jamais dei dinheiro a ninguém. (Relativos)

Atenção (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelas
podem levar crase):

Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo)


   Entre substantivos idênticos:

Menino, vais tomar essa sopa gota a gota!


   A exceção de:

É preciso declarar guerra à guerra!


   Antes de topônimos de cidades que não admitem a:

Vou a Lisboa.

Obs.: Substituir por: "Estou na" ou "Vim da" (vai crase) - "Estou em" ou "Vim de" (não vai
crase). Ex: Vou a Brasília. - Estou em Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase), Estou na
Brasília. Vim da Brasília.(não concorda). Ex: Vou a Bahia. - Estou em Bahia. Vim de Bahia.(não
vai crase), Estou na Bahia. Vim da Bahia.(concorda e vai crase então).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
Francisco
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
Tio Hatiro
 
Gramática crase
Gramática craseGramática crase
Gramática crase
Walter Mendes
 
Crase
CraseCrase
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
Jaiza Nobre
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
sandra
 
Crase
CraseCrase
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
catarinodilson
 
CRASE
CRASECRASE
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
Gedalias .
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
Lucas Lemos
 
A Crase
 A Crase   A Crase
Crase 1
Crase 1Crase 1
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
guest2efcd1
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
A Crase
A CraseA Crase
Crase (à)
Crase (à)Crase (à)
Crase (à)
Camila Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Gramática crase
Gramática craseGramática crase
Gramática crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
 
CRASE
CRASECRASE
CRASE
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Crase 1
Crase 1Crase 1
Crase 1
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase 2
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Crase (à)
Crase (à)Crase (à)
Crase (à)
 

Semelhante a Fichamento

Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
nilvaandrade
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
ManuBarreto3
 
A crase
A craseA crase
A crase
Roberto Luiz
 
Crase
CraseCrase
Crase
letieri11
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase
CraseCrase
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
Christiane Queiroz
 
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-077 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
marcelestevao
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
Isabella Silva
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
EdnaSantos855118
 
CRASE.pptx
CRASE.pptxCRASE.pptx
CRASE.pptx
FtimaDantas7
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Ricardo Fidelis
 
Crase
CraseCrase
Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.
Tania Kraus
 
7 crase
7 crase7 crase
Novas Regras de Ortografia
Novas Regras de OrtografiaNovas Regras de Ortografia
Novas Regras de Ortografia
rodrigogsilvestre
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
claudianavegante
 

Semelhante a Fichamento (20)

Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
A crase
A craseA crase
A crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
 
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-077 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
CRASE.pptx
CRASE.pptxCRASE.pptx
CRASE.pptx
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.
 
7 crase
7 crase7 crase
7 crase
 
Novas Regras de Ortografia
Novas Regras de OrtografiaNovas Regras de Ortografia
Novas Regras de Ortografia
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 

Último

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 

Último (20)

Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 

Fichamento

  • 1. A crase O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração da preposição "a" com:  artigo feminino "a" ou "as".  o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).  o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"  o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as". Regras de verificação Para saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acento grave) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação: 1) substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição, o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável. Exemplos: Pedro viajou à Região Nordeste: com crase, porque equivale a Pedro viajou para a Região Nordeste O autor dedicou o livro a sua esposa; sem crase em português do Brasil, porque equivale a O autor dedicou o livro para sua esposa; mas com crase em português de Portugal,O autor dedicou o livropara a sua esposa. 2) troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivo masculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável. Exemplos: Prestou relevantes serviços à comunidade; com crase, porque ao se trocar o complemento - Prestou relevantes serviços ao povo - aparece a combinação ao. Chegarei daqui a uma hora; sem crase, porque ao se trocar o complemento - Chegarei daqui a um minuto - não aparece a combinação ao. Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).
  • 2. Crase facultativa A crase é facultativa nos seguintes casos:  Antes de nome próprio feminino: Refiro-me à (a) Fernanda.  Antes de pronome possessivo feminino: Dirija-se à (a) sua fazenda.  Depois da preposição até: Dirija-se até à (a) porta. Crase facultativa A crase é facultativa nos seguintes casos:  Antes de nome próprio feminino: Refiro-me à (a) Fernanda. Antes de pronome possessivo feminino: Dirija-se à (a) sua fazenda. Depois da preposição até: Dirija-se até à (a) porta. Casos Proibidos O uso da crase é proibido: Antes do emprego de verbos: Preços a combinar.  Antes de substantivos masculinos: Passear a Cavalo  Antes de numerais: Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00.  Antes de plural sem o emprego do artigo definido as: a brilhantes cientistas
  • 3. Após o uso de preposições: Antes a descoberta o cientista gritou.  Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção da terceira pessoa): Entregue o relatório a ela. (Pessoal) Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo) Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido) Jamais dei dinheiro a ninguém. (Relativos) Atenção (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelas podem levar crase): Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo)  Entre substantivos idênticos: Menino, vais tomar essa sopa gota a gota!  A exceção de: É preciso declarar guerra à guerra!  Antes de topônimos de cidades que não admitem a: Vou a Lisboa. Obs.: Substituir por: "Estou na" ou "Vim da" (vai crase) - "Estou em" ou "Vim de" (não vai crase). Ex: Vou a Brasília. - Estou em Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase), Estou na Brasília. Vim da Brasília.(não concorda). Ex: Vou a Bahia. - Estou em Bahia. Vim de Bahia.(não vai crase), Estou na Bahia. Vim da Bahia.(concorda e vai crase então).