SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
A crase
O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração
da preposição "a" com:


   artigo feminino "a" ou "as".
   o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).
   o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"
   o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as".



Regras de verificação
Para saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acento
grave) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação:

1) substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição,
o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável. Exemplos:

Pedro viajou à Região Nordeste: com crase, porque equivale a Pedro viajou para a Região
Nordeste

O autor dedicou o livro a sua esposa; sem crase em português do Brasil, porque equivale a O
autor dedicou o livro para sua esposa; mas com crase em português de Portugal,O autor
dedicou o livropara a sua esposa.

2) troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivo
masculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável.
Exemplos:

Prestou relevantes serviços à comunidade; com crase, porque ao se trocar o complemento -
Prestou relevantes serviços ao povo - aparece a combinação ao.

Chegarei daqui a uma hora; sem crase, porque ao se trocar o complemento - Chegarei daqui a
um minuto - não aparece a combinação ao.

Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes
pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem
significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com
palavras repetidas (dia a dia).
Crase facultativa
A crase é facultativa nos seguintes casos:


   Antes de nome próprio feminino:

Refiro-me à (a) Fernanda.


   Antes de pronome possessivo feminino:

Dirija-se à (a) sua fazenda.


   Depois da preposição até:

Dirija-se até à (a) porta.

Crase facultativa

A crase é facultativa nos seguintes casos:


   Antes de nome próprio feminino:

Refiro-me à (a) Fernanda.

Antes de pronome possessivo feminino:

Dirija-se à (a) sua fazenda.

Depois da preposição até:

Dirija-se até à (a) porta.

Casos Proibidos
O uso da crase é proibido:

        Antes do emprego de verbos:

Preços a combinar.


   Antes de substantivos masculinos:

Passear a Cavalo


   Antes de numerais:

Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00.


   Antes de plural sem o emprego do artigo definido as:

a brilhantes cientistas
   Após o uso de preposições:

Antes a descoberta o cientista gritou.


   Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção
    da terceira pessoa):

Entregue o relatório a ela. (Pessoal)

Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo)

Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido)

Jamais dei dinheiro a ninguém. (Relativos)

Atenção (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelas
podem levar crase):

Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo)


   Entre substantivos idênticos:

Menino, vais tomar essa sopa gota a gota!


   A exceção de:

É preciso declarar guerra à guerra!


   Antes de topônimos de cidades que não admitem a:

Vou a Lisboa.

Obs.: Substituir por: "Estou na" ou "Vim da" (vai crase) - "Estou em" ou "Vim de" (não vai
crase). Ex: Vou a Brasília. - Estou em Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase), Estou na
Brasília. Vim da Brasília.(não concorda). Ex: Vou a Bahia. - Estou em Bahia. Vim de Bahia.(não
vai crase), Estou na Bahia. Vim da Bahia.(concorda e vai crase então).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Gramática crase
Gramática craseGramática crase
Gramática crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
 
CRASE
CRASECRASE
CRASE
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Crase 1
Crase 1Crase 1
Crase 1
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase 2
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Crase (à)
Crase (à)Crase (à)
Crase (à)
 

Semelhante a Fichamento (20)

Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
A crase
A craseA crase
A crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-077 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
7 estude-o-uso-dos-pronomes-faça-o-download-do-anexo-07
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
CRASE.pptx
CRASE.pptxCRASE.pptx
CRASE.pptx
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.
 
7 crase
7 crase7 crase
7 crase
 
Novas Regras de Ortografia
Novas Regras de OrtografiaNovas Regras de Ortografia
Novas Regras de Ortografia
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 

Último

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 

Fichamento

  • 1. A crase O termo crase significa fusão, junção. Em português, a crase é o nome que se dá à contração da preposição "a" com:  artigo feminino "a" ou "as".  o "a" dos pronomes "aquele"(s), "aquela"(s), "aquilo", "aqueloutro"(s) e "aqueloutra" (s).  o "a" do pronome relativo "a qual" e "as quais"  o "a" do pronome demonstrativo "a" ou "as". Regras de verificação Para saber se a crase é aplicável, ou seja, se deve ser usada a contração à (com acento grave) em vez da preposição a (sem acento), aplique-se uma das regras de verificação: 1) substitui-se a preposição a por outra preposição, como em ou para; se, com a substituição, o artigo definido a permanecer, então a crase é aplicável. Exemplos: Pedro viajou à Região Nordeste: com crase, porque equivale a Pedro viajou para a Região Nordeste O autor dedicou o livro a sua esposa; sem crase em português do Brasil, porque equivale a O autor dedicou o livro para sua esposa; mas com crase em português de Portugal,O autor dedicou o livropara a sua esposa. 2) troca-se o complemento nominal, após "a", de um substantivo feminino para um substantivo masculino; se, com a troca, for necessário o uso da combinação ao, então a crase é aplicável. Exemplos: Prestou relevantes serviços à comunidade; com crase, porque ao se trocar o complemento - Prestou relevantes serviços ao povo - aparece a combinação ao. Chegarei daqui a uma hora; sem crase, porque ao se trocar o complemento - Chegarei daqui a um minuto - não aparece a combinação ao. Importante: A crase não ocorre: antes de palavras masculinas; antes de verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando tem significado do próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia).
  • 2. Crase facultativa A crase é facultativa nos seguintes casos:  Antes de nome próprio feminino: Refiro-me à (a) Fernanda.  Antes de pronome possessivo feminino: Dirija-se à (a) sua fazenda.  Depois da preposição até: Dirija-se até à (a) porta. Crase facultativa A crase é facultativa nos seguintes casos:  Antes de nome próprio feminino: Refiro-me à (a) Fernanda. Antes de pronome possessivo feminino: Dirija-se à (a) sua fazenda. Depois da preposição até: Dirija-se até à (a) porta. Casos Proibidos O uso da crase é proibido: Antes do emprego de verbos: Preços a combinar.  Antes de substantivos masculinos: Passear a Cavalo  Antes de numerais: Encontramos o produto numa faixa de preço que vai de R$120,00 a R$ 150,00.  Antes de plural sem o emprego do artigo definido as: a brilhantes cientistas
  • 3. Após o uso de preposições: Antes a descoberta o cientista gritou.  Antes de pronomes indefinidos, pessoais, relativos ou demonstrativos (com exceção da terceira pessoa): Entregue o relatório a ela. (Pessoal) Dei nota zero a esta aluna. (Demonstrativo) Permiti apenas a uma mulher conhecer-me. (Indefinido) Jamais dei dinheiro a ninguém. (Relativos) Atenção (Pronomes demonstrativos de 3ª pessoa, aquele, aquela, aqueles, aquelas podem levar crase): Entreguei as chaves àquela mulher. (Demonstrativo)  Entre substantivos idênticos: Menino, vais tomar essa sopa gota a gota!  A exceção de: É preciso declarar guerra à guerra!  Antes de topônimos de cidades que não admitem a: Vou a Lisboa. Obs.: Substituir por: "Estou na" ou "Vim da" (vai crase) - "Estou em" ou "Vim de" (não vai crase). Ex: Vou a Brasília. - Estou em Brasília. Vim de Brasília.(não vai crase), Estou na Brasília. Vim da Brasília.(não concorda). Ex: Vou a Bahia. - Estou em Bahia. Vim de Bahia.(não vai crase), Estou na Bahia. Vim da Bahia.(concorda e vai crase então).