SlideShare uma empresa Scribd logo
Emprego do Sinal indicativo de Crase
CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de
Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só.
A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do
acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave.
A crase pode ser a fusão da preposição a com:
1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas.
2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro.
3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato.
4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é
possível enviar correspondência.
Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais
"a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático.
REGRAS PRÁTICAS
1 - Substitua a palavra feminina por uma masculina, de mesma natureza. Se aparecer a
combinação ao, é certo que OCORRERÁ crase antes do termo feminino:
Amanhã iremos ao colégio / à escola.
Prefiro o futebol ao voleibol / à natação.
Resolvi o problema / a questão.
Vou ao campo / à praia.
Eles foram ao parque / à praça.
2 - Substitua o termo regente da preposição a por outro que exija uma preposição
diferente (de, em, por). Se essas preposições não se contraírem com o artigo, ou seja, se
não surgirem as formas da(s), na(s) ou pela(s),
não haverá crase:
Refiro-me a você. (sem crase) - Gosto de você / Penso em você / Apaixonei-me por
você.
Refiro-me à menina. (com crase) - Gosto da menina / Penso na menina / Apaixonei-me
pela menina.
Começou a gritar. (sem crase) - Gosta de gritar / Insiste em gritar / Optou por gritar.
3 - Substitua verbos que transmitem a idéia de movimento (ir, voltar, vir, chegar etc.)
pelo verbo voltar. Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a
preposição "da", HAVERÁ crase:
Vou a Roma. / Voltei de Roma.
Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares.
Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça.
Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a preposição "da",
HAVERÁ crase:
Vou a Roma. / Voltei de Roma.
Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares.
Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça.
4 - A crase deve ser usada no caso de locuções, ou seja, reunião de palavras que
equivalem a uma só idéia. Se a locução começar por preposição e se o núcleo da
locução for palavra feminina, então haverá crase:
Gente à toa.
Vire à direita.
Tudo às claras.
Hoje à noite.
Navio à deriva.
Tudo às avessas.
No caso da locução "à moda de", a expressão "moda de" pode vir subentendida,
deixando apenas o "à" expresso, como nos exemplos que seguem:
Sapatos à Luiz XV.
Relógios à Santos Dummont.
Filé à milanesa.
Churrasco à gaúcha.
No caso de locuções relativas a horários, somente no caso de horas definidas e
especificadas ocorrerá a crase:
À meia-noite.
À uma hora.
À duas horas.
Às três e quarenta.

Casos Especiais e Dicas Práticas
CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de
Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só.
A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do
acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave.
A crase pode ser a fusão da preposição a com:
1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas.
2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro.
3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato.
4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é
possível enviar correspondência.
Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais
"a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático.

CASOS ESPECIAIS E DICAS
1 - Nome próprio geográfico
Em se tratando de nomes de lugar (cidade, estado, país, continente, planeta), o
fenômeno da crase acontece quando a palavra admite artigo "a".
Nestes casos, (nomes próprios geográficos), substitui-se o verbo da frase pelo verbo
"voltar" e caso resulte na expressão “voltar da”, há a confirmação da crase. Observe os
2 (dois) exemplos abaixo:
I. Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Grécia.
II. Nestas férias, viajaremos a (artigo) Roma.
Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar",
conforme proposto:
I. Voltamos DA Grécia há duas semanas.
II. Voltamos DE Roma há duas semanas.
Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar",
conforme proposto:
I. Voltamos DA Grécia há duas semanas.
II. Voltamos DE Roma há duas semanas.
Atenção:
A crase estará confirmada nas situações em que o nome geográfico apresentar-se
modificado por um adjunto adnominal. Veja o exemplo abaixo:
Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Roma histórica.
Dizemos: "Voltamos DE Roma" e "Voltamos DA Roma histórica".
2. Nomes de mulher
Para usar (ou não) crase com nome de mulher, temos que considerar três situações:
a) Quando chamamos a pessoa (mulher) pelo "primeiro nome" o uso da crase é
facultativo, com adiante se demonstra:
Exemplo 1.a
Gosto DE Magali.
Penso em Ana.
Contei a Magali o que falei a Ana.
Exemplo 2.a
Gosto DA Magali.
Penso na Ana.
Contei à Magali o que falei à Ana.
b) Antes de nomes de mulheres consideradas célebres, por não admitir artigo, NÃO
admite crase. Veja exemplos:
Exemplo 1.c O filme faz referência a Joana D’Arc.
Exemplo 2.c Retratou a Joana D’Arc como santa...
c) Pessoa não-especificada - Admite artigo facultativamente; por isso, o uso da crase
também é facultativo.
3. Números Cardinais
Antes de números cardinais NÃO se utiliza crase.
Exemplo: Vou embora daqui a quinze minutos.
4. Antes de pronomes possessivos
O uso da crase é facultativo. Neste caso, o melhor é aplicar a regra geral de substituir o
"feminino" pelo "masculino". Ao substituir um pronome possessivo feminino por um
pronome possessivo masculino encontramos a resposta quanto a ocorrência ou não de
crase. Veja a frase:
Dei férias a / à minha equipe.
Primeiramente vamos substituir o substantivo feminino equipe por um substantivo
masculino equivalente.
Dei férias a meu grupoOU Dei férias ao meu grupo.
Segue daí que: se no masculino, posso dizer a ou ao, então a crase é facultativa no
feminino.
Portanto, estão corretas as seguintes frases:
Dei férias a minha equipe.
Dei férias à minha equipe.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
sandra
 
A Crase
A CraseA Crase
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
Gedalias .
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
luisprista
 
Aula sobre crase
Aula sobre crase Aula sobre crase
Aula sobre crase
Elizabeth Vicente da Silva
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
Ivana Mayrink
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
catarinodilson
 
A crase
A craseA crase
A crase
Roberto Luiz
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
guest2efcd1
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
luisprista
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
Emanuel Hallef
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
nixsonmachado
 
A Crase
 A Crase   A Crase
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
Lala Cardozo
 
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
LeYa
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
luisprista
 

Mais procurados (19)

Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 27-28
 
Aula sobre crase
Aula sobre crase Aula sobre crase
Aula sobre crase
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
 
A crase
A craseA crase
A crase
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
 
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 19-20
 

Semelhante a Crase (à)

Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
Christiane Queiroz
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Ricardo Fidelis
 
Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
Christiane Queiroz
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
nilvaandrade
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
Lucas Lemos
 
Crase
CraseCrase
Crase
letieri11
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
EdnaSantos855118
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
Isabella Silva
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
guest2efcd1
 
Regencia nominal-powerpoint-crase
Regencia nominal-powerpoint-craseRegencia nominal-powerpoint-crase
Regencia nominal-powerpoint-crase
Gilson Malta
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
Ayla De Sá Marques
 
Crase
CraseCrase
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
ManuBarreto3
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
Ayla De Sá Marques
 
7 crase
7 crase7 crase
Crase
CraseCrase

Semelhante a Crase (à) (20)

Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase 2
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 
Regencia nominal-powerpoint-crase
Regencia nominal-powerpoint-craseRegencia nominal-powerpoint-crase
Regencia nominal-powerpoint-crase
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
7 crase
7 crase7 crase
7 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 

Mais de Camila Rodrigues

Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Camila Rodrigues
 
Texto verbal e não verbal
Texto verbal e não verbalTexto verbal e não verbal
Texto verbal e não verbal
Camila Rodrigues
 
Tempo e modo verbal
Tempo e modo verbalTempo e modo verbal
Tempo e modo verbal
Camila Rodrigues
 
Sintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do períodoSintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do período
Camila Rodrigues
 
Significação contextual e literal de palavras
Significação contextual e literal de palavrasSignificação contextual e literal de palavras
Significação contextual e literal de palavras
Camila Rodrigues
 
Sequência lógica de frases
Sequência lógica de frasesSequência lógica de frases
Sequência lógica de frases
Camila Rodrigues
 
Regras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráficaRegras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráfica
Camila Rodrigues
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
Camila Rodrigues
 
Pontuação
PontuaçãoPontuação
Pontuação
Camila Rodrigues
 
Emprego do z
Emprego do zEmprego do z
Emprego do z
Camila Rodrigues
 
Emprego do x
Emprego do xEmprego do x
Emprego do x
Camila Rodrigues
 
Emprego do ss
Emprego do ssEmprego do ss
Emprego do ss
Camila Rodrigues
 
Emprego do s
Emprego do sEmprego do s
Emprego do s
Camila Rodrigues
 
Emprego do j
Emprego do jEmprego do j
Emprego do j
Camila Rodrigues
 
Emprego do g
Emprego do gEmprego do g
Emprego do g
Camila Rodrigues
 
Emprego do ch
Emprego do chEmprego do ch
Emprego do ch
Camila Rodrigues
 
Emprego do ç
Emprego do çEmprego do ç
Emprego do ç
Camila Rodrigues
 
Concordância nominal e verbal regras gerais
Concordância nominal e verbal   regras geraisConcordância nominal e verbal   regras gerais
Concordância nominal e verbal regras gerais
Camila Rodrigues
 
Coesão e coerência
Coesão e coerênciaCoesão e coerência
Coesão e coerência
Camila Rodrigues
 
Classe gramatical das palavras
Classe gramatical das palavrasClasse gramatical das palavras
Classe gramatical das palavras
Camila Rodrigues
 

Mais de Camila Rodrigues (20)

Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Texto verbal e não verbal
Texto verbal e não verbalTexto verbal e não verbal
Texto verbal e não verbal
 
Tempo e modo verbal
Tempo e modo verbalTempo e modo verbal
Tempo e modo verbal
 
Sintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do períodoSintaxe da oração e do período
Sintaxe da oração e do período
 
Significação contextual e literal de palavras
Significação contextual e literal de palavrasSignificação contextual e literal de palavras
Significação contextual e literal de palavras
 
Sequência lógica de frases
Sequência lógica de frasesSequência lógica de frases
Sequência lógica de frases
 
Regras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráficaRegras de acentuação gráfica
Regras de acentuação gráfica
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Pontuação
PontuaçãoPontuação
Pontuação
 
Emprego do z
Emprego do zEmprego do z
Emprego do z
 
Emprego do x
Emprego do xEmprego do x
Emprego do x
 
Emprego do ss
Emprego do ssEmprego do ss
Emprego do ss
 
Emprego do s
Emprego do sEmprego do s
Emprego do s
 
Emprego do j
Emprego do jEmprego do j
Emprego do j
 
Emprego do g
Emprego do gEmprego do g
Emprego do g
 
Emprego do ch
Emprego do chEmprego do ch
Emprego do ch
 
Emprego do ç
Emprego do çEmprego do ç
Emprego do ç
 
Concordância nominal e verbal regras gerais
Concordância nominal e verbal   regras geraisConcordância nominal e verbal   regras gerais
Concordância nominal e verbal regras gerais
 
Coesão e coerência
Coesão e coerênciaCoesão e coerência
Coesão e coerência
 
Classe gramatical das palavras
Classe gramatical das palavrasClasse gramatical das palavras
Classe gramatical das palavras
 

Crase (à)

  • 1. Emprego do Sinal indicativo de Crase CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave. A crase pode ser a fusão da preposição a com: 1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas. 2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro. 3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato. 4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é possível enviar correspondência. Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais "a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático. REGRAS PRÁTICAS 1 - Substitua a palavra feminina por uma masculina, de mesma natureza. Se aparecer a combinação ao, é certo que OCORRERÁ crase antes do termo feminino: Amanhã iremos ao colégio / à escola. Prefiro o futebol ao voleibol / à natação. Resolvi o problema / a questão. Vou ao campo / à praia. Eles foram ao parque / à praça. 2 - Substitua o termo regente da preposição a por outro que exija uma preposição diferente (de, em, por). Se essas preposições não se contraírem com o artigo, ou seja, se não surgirem as formas da(s), na(s) ou pela(s), não haverá crase: Refiro-me a você. (sem crase) - Gosto de você / Penso em você / Apaixonei-me por você. Refiro-me à menina. (com crase) - Gosto da menina / Penso na menina / Apaixonei-me pela menina.
  • 2. Começou a gritar. (sem crase) - Gosta de gritar / Insiste em gritar / Optou por gritar. 3 - Substitua verbos que transmitem a idéia de movimento (ir, voltar, vir, chegar etc.) pelo verbo voltar. Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a preposição "da", HAVERÁ crase: Vou a Roma. / Voltei de Roma. Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares. Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça. Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a preposição "da", HAVERÁ crase: Vou a Roma. / Voltei de Roma. Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares. Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça. 4 - A crase deve ser usada no caso de locuções, ou seja, reunião de palavras que equivalem a uma só idéia. Se a locução começar por preposição e se o núcleo da locução for palavra feminina, então haverá crase: Gente à toa. Vire à direita. Tudo às claras. Hoje à noite. Navio à deriva. Tudo às avessas. No caso da locução "à moda de", a expressão "moda de" pode vir subentendida, deixando apenas o "à" expresso, como nos exemplos que seguem: Sapatos à Luiz XV. Relógios à Santos Dummont. Filé à milanesa. Churrasco à gaúcha. No caso de locuções relativas a horários, somente no caso de horas definidas e especificadas ocorrerá a crase:
  • 3. À meia-noite. À uma hora. À duas horas. Às três e quarenta. Casos Especiais e Dicas Práticas CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave. A crase pode ser a fusão da preposição a com: 1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas. 2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro. 3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato. 4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é possível enviar correspondência. Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais "a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático. CASOS ESPECIAIS E DICAS 1 - Nome próprio geográfico Em se tratando de nomes de lugar (cidade, estado, país, continente, planeta), o fenômeno da crase acontece quando a palavra admite artigo "a". Nestes casos, (nomes próprios geográficos), substitui-se o verbo da frase pelo verbo "voltar" e caso resulte na expressão “voltar da”, há a confirmação da crase. Observe os 2 (dois) exemplos abaixo: I. Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Grécia. II. Nestas férias, viajaremos a (artigo) Roma. Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar", conforme proposto:
  • 4. I. Voltamos DA Grécia há duas semanas. II. Voltamos DE Roma há duas semanas. Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar", conforme proposto: I. Voltamos DA Grécia há duas semanas. II. Voltamos DE Roma há duas semanas. Atenção: A crase estará confirmada nas situações em que o nome geográfico apresentar-se modificado por um adjunto adnominal. Veja o exemplo abaixo: Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Roma histórica. Dizemos: "Voltamos DE Roma" e "Voltamos DA Roma histórica". 2. Nomes de mulher Para usar (ou não) crase com nome de mulher, temos que considerar três situações: a) Quando chamamos a pessoa (mulher) pelo "primeiro nome" o uso da crase é facultativo, com adiante se demonstra: Exemplo 1.a Gosto DE Magali. Penso em Ana. Contei a Magali o que falei a Ana. Exemplo 2.a Gosto DA Magali. Penso na Ana. Contei à Magali o que falei à Ana. b) Antes de nomes de mulheres consideradas célebres, por não admitir artigo, NÃO admite crase. Veja exemplos: Exemplo 1.c O filme faz referência a Joana D’Arc. Exemplo 2.c Retratou a Joana D’Arc como santa...
  • 5. c) Pessoa não-especificada - Admite artigo facultativamente; por isso, o uso da crase também é facultativo. 3. Números Cardinais Antes de números cardinais NÃO se utiliza crase. Exemplo: Vou embora daqui a quinze minutos. 4. Antes de pronomes possessivos O uso da crase é facultativo. Neste caso, o melhor é aplicar a regra geral de substituir o "feminino" pelo "masculino". Ao substituir um pronome possessivo feminino por um pronome possessivo masculino encontramos a resposta quanto a ocorrência ou não de crase. Veja a frase: Dei férias a / à minha equipe. Primeiramente vamos substituir o substantivo feminino equipe por um substantivo masculino equivalente. Dei férias a meu grupoOU Dei férias ao meu grupo. Segue daí que: se no masculino, posso dizer a ou ao, então a crase é facultativa no feminino. Portanto, estão corretas as seguintes frases: Dei férias a minha equipe. Dei férias à minha equipe.