SlideShare uma empresa Scribd logo
O meu Modelo de Jogo
O Modelo de Jogo, de uma forma simples existe para que os treinadores possam balizar as
suas ideias sobre como, quando e o que treinar numa equipa de futebol. Estas ideias devem
estar de acordo como os diferentes momentos do jogo, isto é, Organização Defensiva e
Ofensiva, Transições Defesa/Ataque e Ataque/Defesa e Esquemas Tácticos.
Estes são alguns aspectos a ter em conta
quando estamos a contruir o nosso modelo de jogo para equipas de futebol. Devemos definir
bem os nossos objectivos colectivos no que ao jogo jogado diz respeito. Após estas
considerações, estamos prontos para estruturar todo o processo de treino num ou em vários
sistemas tácticos de jogo, onde depois iremos trabalhar todos os momentos do jogo.
Os diferentes momentos do jogo, Organização Defensiva (quando a equipa não tem a bola),
Organização Ofensiva (quando a equipa tem a bola), Transições Defesa/Ataque (momento
exacto quando a equipa ganha a bola), Transições Ataque/Defesa (momeno exacto quando a
equipa perde a bola) e Esquemas Tácticos (cantos, livres, lançamentos, penáltis e pontapés
de baliza).
A Organização Defensiva da equipa diz respeito a todos os comportamentos técnico-tácticos
necessários para a defesa da nossa baliza. Aqui definem-se princípios comportamentais de
acção. Neste momento do jogo é muito importante definir que tipo de método de jogo
defensivo vai utilizar a equipa. Para além dos referidos na imagem ao lado, existem ainda o
método de jogo defensivo individual (homem-a-homem) e método misto.
Os métodos de jogo defensivos
exprimem a forma geral de organização das acções dos jogadores na defesa, estabelecendo
um conjunto de princípios que visam a racionalização do processo defensivo, para assegurar a
defesa da baliza e a recuperação da posse da bola. Estes métodos de jogo defensivos
contemplam alguns objectivos, tais como: constante estabilidade da organização da defesa
em qualquer das fases do processo; criar constantes condições desfavoráveis aos atacantes,
em termos de tempo, espaço e número para a concretização da acção defensiva; direccionar
os comportamentos técnico-tácticos dos adversários para fora dos caminhos da baliza,
levando-os para espaços de jogo menos perigosos.
As transições ofensivas, são momentos, que em função do método de jogo ofensivo utilizado
pela equipa, que podem desenvolver-se em pouco tempo o que pode levar a criar
desiquilibrios na defesa contrária. Estes momentos são caracterizados por uma mudança de
postura e comportamentos na procura da baliza adversária, podendo estar um e/ou vários
jogadores envolvidos.
A Organização Ofensiva da equipa diz respeito a todos os comportamentos técnico-tácticos necessários
para atacar a baliza adversária. Aqui definem-se princípios comportamentais de acção tal como na
Organização Defensiva. Neste momento do jogo é muito importante definir que tipo de método de jogo
ofensivo vai utilizar a equipa. Para além dos mencionados na imagem, existe ainda o método de jogo
ofensivo ataque rápido.
Estes métodos estabelecem a forma geral de organização das acções dos jogadores no ataque
estabelecendo umconjunto de princípios que visama racionalização do processo ofensivo, assegurando a
progressão/finalização e a manutenção da posse da bola. Existem três grandes objectivos coma utilização
destes métodos, são eles: a criação de condições mais favoráveis emtermos de, tempo, espaço e numero,
para a concretização dos objectivos do ataque, ou dos objectivos tácticos momentâneos da equipa,
levando o adversário ao erro; a contínua instabilidade da organização da defesa do adversário, em
qualquer das fases do processo ofensivo; e a execução da maior parte das acções técnico -tácticas
individuais e colectivas, em direcção à baliza adversária ou para as zonas vitais do terreno de jogo.
As transições defensivas, são no meu entender o momento do jogo mais complicado ou difícil
de contrariar e/ou treinar. Estes momentos são caracterizados por uma mudança de postura e
comportamentos na procura da defesa da nossa baliza. Tendo em conta os métodos de jogo
defensivos do modelo utilizados para tentar contrariar estas transições ofensivas (do ponto de
vista do adversário) será também extremamente necessário realizar uma análise exaustiva do
adversário de modo a conhecer as estratégias do mesmo e criar as estratégias necessárias
para anular esses mesmos comportamentos.
Nestes momentos, será necessária
alguma imaginação e muito treino no que respeita ás bolas paradas ofensivas. Em relação ás
bolas paradas defensivas será muito importante um estudo do adversário, para que possamos
adaptar a nossa maneira de defender esquemas tácticos ao adversário.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Creating behaviors in respect to the coach game model
Creating behaviors in respect to the coach game modelCreating behaviors in respect to the coach game model
Creating behaviors in respect to the coach game model
Vítor Gouveia
 
76 ejercicios tacticos_futbol
76 ejercicios tacticos_futbol76 ejercicios tacticos_futbol
76 ejercicios tacticos_futbol
Emilio Cardeno Duran
 
Periodização Tática - Exercícios
Periodização Tática - ExercíciosPeriodização Tática - Exercícios
Periodização Tática - Exercícios
Leandro Zago
 
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo AncelottiModelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
Fundação Real Madrid
 
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de JogoImplantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Fundação Real Madrid
 
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José MourinhoO Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
Renato Moreira
 
Ajax Training Sessions
Ajax Training SessionsAjax Training Sessions
Ajax Training Sessions
Renato Moreira
 
Modelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
Modelo de Jogo do Treinador Rui QuintaModelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
Modelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
Fundação Real Madrid
 
Coach Juan Carlos GARRIDO
Coach Juan Carlos GARRIDOCoach Juan Carlos GARRIDO
Coach Juan Carlos GARRIDO
Fundação Real Madrid
 
treino
 treino treino
treino
Hugo Ferreira
 
Preparing for competition the method of maurizio sarri
Preparing for competition   the method of maurizio sarriPreparing for competition   the method of maurizio sarri
Preparing for competition the method of maurizio sarri
David Lagar
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
João Carlos Costa
 
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmioMorfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
Bruno Malmo
 
ObservaçãO Jogo Vsc X Rio Ave
ObservaçãO Jogo   Vsc X Rio AveObservaçãO Jogo   Vsc X Rio Ave
ObservaçãO Jogo Vsc X Rio Ave
Ricardo Miguel Silva
 
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
oscarbarbedofaria
 
A Construção de uma Dinâmica
A Construção de uma DinâmicaA Construção de uma Dinâmica
A Construção de uma Dinâmica
Fundação Real Madrid
 
Treinos em construção
Treinos em construçãoTreinos em construção
Treinos em construção
Humberto Bettencourt
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
Fundação Real Madrid
 
João Aroso - Periodização do Treino no Futebol
João Aroso - Periodização do Treino no FutebolJoão Aroso - Periodização do Treino no Futebol
João Aroso - Periodização do Treino no Futebol
Fundação Real Madrid
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Fundação Real Madrid
 

Mais procurados (20)

Creating behaviors in respect to the coach game model
Creating behaviors in respect to the coach game modelCreating behaviors in respect to the coach game model
Creating behaviors in respect to the coach game model
 
76 ejercicios tacticos_futbol
76 ejercicios tacticos_futbol76 ejercicios tacticos_futbol
76 ejercicios tacticos_futbol
 
Periodização Tática - Exercícios
Periodização Tática - ExercíciosPeriodização Tática - Exercícios
Periodização Tática - Exercícios
 
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo AncelottiModelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
Modelo de Jogo e Morfociclo Padrão de Carlo Ancelotti
 
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de JogoImplantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
Implantação e Caraterização de um Modelo de Jogo
 
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José MourinhoO Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
O Modelo de Jogo do Real Madrid de José Mourinho
 
Ajax Training Sessions
Ajax Training SessionsAjax Training Sessions
Ajax Training Sessions
 
Modelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
Modelo de Jogo do Treinador Rui QuintaModelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
Modelo de Jogo do Treinador Rui Quinta
 
Coach Juan Carlos GARRIDO
Coach Juan Carlos GARRIDOCoach Juan Carlos GARRIDO
Coach Juan Carlos GARRIDO
 
treino
 treino treino
treino
 
Preparing for competition the method of maurizio sarri
Preparing for competition   the method of maurizio sarriPreparing for competition   the method of maurizio sarri
Preparing for competition the method of maurizio sarri
 
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costaOrganização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
Organização defensiva aula_braga2008_nivel_2_joão carlos costa
 
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmioMorfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
Morfociclo padrao para melhora de referenciais defensivos da equipe do grêmio
 
ObservaçãO Jogo Vsc X Rio Ave
ObservaçãO Jogo   Vsc X Rio AveObservaçãO Jogo   Vsc X Rio Ave
ObservaçãO Jogo Vsc X Rio Ave
 
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
José Mourinho - Modelo de jogo (FCP)
 
A Construção de uma Dinâmica
A Construção de uma DinâmicaA Construção de uma Dinâmica
A Construção de uma Dinâmica
 
Treinos em construção
Treinos em construçãoTreinos em construção
Treinos em construção
 
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de FutebolA Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
A Organização Dinâmica do Jogo de Futebol
 
João Aroso - Periodização do Treino no Futebol
João Aroso - Periodização do Treino no FutebolJoão Aroso - Periodização do Treino no Futebol
João Aroso - Periodização do Treino no Futebol
 
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de FutebolProgramação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
Programação, Periodização e Planificação do Treino de Futebol
 

Destaque

Planejamento 2013
Planejamento 2013Planejamento 2013
Planejamento 2013
Pet Esef
 
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudasReciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
Vila do Artesão
 
Jogos infantis
Jogos infantisJogos infantis
Jogos infantis
Sérgio Santos
 
O negócio do marketing esportivo
O negócio do marketing esportivoO negócio do marketing esportivo
O negócio do marketing esportivo
Universidade Estadual de Londrina, PR
 
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
Henrique Bayer
 
Desportos coletivos passar pc - trabalho desporto
Desportos coletivos   passar pc - trabalho desportoDesportos coletivos   passar pc - trabalho desporto
Desportos coletivos passar pc - trabalho desporto
Sérgio Santos
 
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorte
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorteEstrela de cinco pontas por dobradura e recorte
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorte
João Carlos Vieira Sampaio
 
Plano de aula 229 de julho a 3 de agosto
Plano de aula 229 de julho a 3 de agostoPlano de aula 229 de julho a 3 de agosto
Plano de aula 229 de julho a 3 de agosto
Henrique Bayer
 
Esportes coletivos a família dos jogos
Esportes coletivos  a família dos jogosEsportes coletivos  a família dos jogos
Esportes coletivos a família dos jogos
ivanbagnara
 
Planejamento educacao fisica
Planejamento educacao fisicaPlanejamento educacao fisica
Planejamento educacao fisica
Marcia Miranda
 
Planejamento anual 2014 - 1º ano
Planejamento anual   2014 - 1º anoPlanejamento anual   2014 - 1º ano
Planejamento anual 2014 - 1º ano
Jacky Rocha
 
Apres. ed. física
Apres. ed. física Apres. ed. física
Apres. ed. física
Leandro Colodro
 
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINOHISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
Marco Ferreira
 
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
christianceapcursos
 
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014
manuelacarvalho
 
Plano de folclorico infantil 3 de simone drumond1
Plano de folclorico   infantil 3 de simone drumond1Plano de folclorico   infantil 3 de simone drumond1
Plano de folclorico infantil 3 de simone drumond1
SimoneHelenDrumond
 

Destaque (20)

Planejamento 2013
Planejamento 2013Planejamento 2013
Planejamento 2013
 
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudasReciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
Reciclagem de cascas de ovos num pequeno arranjo com mudas
 
Dobraduras
DobradurasDobraduras
Dobraduras
 
Jogos infantis
Jogos infantisJogos infantis
Jogos infantis
 
O negócio do marketing esportivo
O negócio do marketing esportivoO negócio do marketing esportivo
O negócio do marketing esportivo
 
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
Plano de aula de 20 a 25 de maio 2013..
 
Desportos coletivos passar pc - trabalho desporto
Desportos coletivos   passar pc - trabalho desportoDesportos coletivos   passar pc - trabalho desporto
Desportos coletivos passar pc - trabalho desporto
 
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorte
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorteEstrela de cinco pontas por dobradura e recorte
Estrela de cinco pontas por dobradura e recorte
 
Plano de aula 229 de julho a 3 de agosto
Plano de aula 229 de julho a 3 de agostoPlano de aula 229 de julho a 3 de agosto
Plano de aula 229 de julho a 3 de agosto
 
Esportes coletivos a família dos jogos
Esportes coletivos  a família dos jogosEsportes coletivos  a família dos jogos
Esportes coletivos a família dos jogos
 
Planejamento educacao fisica
Planejamento educacao fisicaPlanejamento educacao fisica
Planejamento educacao fisica
 
Planejamento anual 2014 - 1º ano
Planejamento anual   2014 - 1º anoPlanejamento anual   2014 - 1º ano
Planejamento anual 2014 - 1º ano
 
Apres. ed. física
Apres. ed. física Apres. ed. física
Apres. ed. física
 
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINOHISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ACOPLADA AOS MODELOS DE ENSINO
 
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
A CONTRIBUIÇÃO DOS JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ENSI...
 
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 3° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 3° ano 1° bimestre 2012
 
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
 
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012Planejamento de física 2° ano   1° bimestre 2012
Planejamento de física 2° ano 1° bimestre 2012
 
Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014Planifi e fisica 7 ano 2014
Planifi e fisica 7 ano 2014
 
Plano de folclorico infantil 3 de simone drumond1
Plano de folclorico   infantil 3 de simone drumond1Plano de folclorico   infantil 3 de simone drumond1
Plano de folclorico infantil 3 de simone drumond1
 

Semelhante a Exemplo modelo de jogo

Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcaçãoFutsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
Ivo Volmir Ribas
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
carlosmoreira
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
carlosmoreira
 
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidadeTÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TavaresJana
 
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebolDas situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
Douglas dos Santos Taborda
 
A mpb, um meio, não um fim joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
A mpb, um meio, não um fim   joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004A mpb, um meio, não um fim   joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
A mpb, um meio, não um fim joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
João Carlos Costa
 
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebolMetodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
DaniloAlmeida442192
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Fundação Real Madrid
 
Jogo ofensivo
Jogo ofensivoJogo ofensivo
Jogo ofensivo
Fernando Farias
 
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
Pedro Moutinho Vieira 🇵🇹
 
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
Pedro Moutinho Vieira 🇵🇹
 
Princípios Operacionais de Transição
Princípios Operacionais de TransiçãoPrincípios Operacionais de Transição
Princípios Operacionais de Transição
Leandro Zago
 
Projecto _os luvinhas
Projecto  _os luvinhasProjecto  _os luvinhas
Projecto _os luvinhas
Marco Pereira
 
Pressão e Pressing
Pressão e PressingPressão e Pressing
Pressão e Pressing
Leandro Zago
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
Leandro Zago
 
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebolCaracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
Filipe Campos
 
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Rafael Hackbarth
 
Pafd modulo futebol invariantes do jogo
Pafd   modulo futebol invariantes do jogoPafd   modulo futebol invariantes do jogo
Pafd modulo futebol invariantes do jogo
Vitor Henriques
 
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Bruno Comelli
 
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebolTáticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
Marcos Dieison
 

Semelhante a Exemplo modelo de jogo (20)

Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcaçãoFutsal Sistema de jogo e noção de marcação
Futsal Sistema de jogo e noção de marcação
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
 
Futebol 7
Futebol 7Futebol 7
Futebol 7
 
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidadeTÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
TÁTICA NO FUTEBOL (2).pptx fundamentos importantes técnicos da modalidade
 
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebolDas situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
Das situações do jogo ao ensino das fixações no handebol
 
A mpb, um meio, não um fim joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
A mpb, um meio, não um fim   joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004A mpb, um meio, não um fim   joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
A mpb, um meio, não um fim joão carlos costa (fcp & fcdef-up) 2004
 
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebolMetodologia do Ensino de Futsal e futebol
Metodologia do Ensino de Futsal e futebol
 
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do JogoSimplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo - Fases do Jogo
 
Jogo ofensivo
Jogo ofensivoJogo ofensivo
Jogo ofensivo
 
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira of Attack-Defense vs Youth-Senior in Professi...
 
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
Thesis of Pedro Moutinho Vieira - Transition Attack- Defense vs Youth-Senior ...
 
Princípios Operacionais de Transição
Princípios Operacionais de TransiçãoPrincípios Operacionais de Transição
Princípios Operacionais de Transição
 
Projecto _os luvinhas
Projecto  _os luvinhasProjecto  _os luvinhas
Projecto _os luvinhas
 
Pressão e Pressing
Pressão e PressingPressão e Pressing
Pressão e Pressing
 
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das ReferênciasO Jogo Coletivo e a Integração das Referências
O Jogo Coletivo e a Integração das Referências
 
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebolCaracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
Caracterização do método de jogo ofensivo contra ataque no futebol
 
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2Blog   3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
Blog 3º artigo - especificidade no treinamento -sistema - 1-4-4-2
 
Pafd modulo futebol invariantes do jogo
Pafd   modulo futebol invariantes do jogoPafd   modulo futebol invariantes do jogo
Pafd modulo futebol invariantes do jogo
 
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
Planificacaotaticadapretemporadaemequipesprofissionais 121015090808-phpapp01
 
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebolTáticas de defesa e ataque no basquetebol
Táticas de defesa e ataque no basquetebol
 

Mais de Sérgio Santos

Era uma vez o corpo humano os músculos (volume 1)
Era uma vez o corpo humano   os músculos (volume 1)Era uma vez o corpo humano   os músculos (volume 1)
Era uma vez o corpo humano os músculos (volume 1)
Sérgio Santos
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
Sérgio Santos
 
Aula estafetas
Aula estafetasAula estafetas
Aula estafetas
Sérgio Santos
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
Sérgio Santos
 
Atividades pre
Atividades preAtividades pre
Atividades pre
Sérgio Santos
 
Atividades pre
Atividades preAtividades pre
Atividades pre
Sérgio Santos
 

Mais de Sérgio Santos (6)

Era uma vez o corpo humano os músculos (volume 1)
Era uma vez o corpo humano   os músculos (volume 1)Era uma vez o corpo humano   os músculos (volume 1)
Era uma vez o corpo humano os músculos (volume 1)
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
 
Aula estafetas
Aula estafetasAula estafetas
Aula estafetas
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
 
Atividades pre
Atividades preAtividades pre
Atividades pre
 
Atividades pre
Atividades preAtividades pre
Atividades pre
 

Exemplo modelo de jogo

  • 1. O meu Modelo de Jogo O Modelo de Jogo, de uma forma simples existe para que os treinadores possam balizar as suas ideias sobre como, quando e o que treinar numa equipa de futebol. Estas ideias devem estar de acordo como os diferentes momentos do jogo, isto é, Organização Defensiva e Ofensiva, Transições Defesa/Ataque e Ataque/Defesa e Esquemas Tácticos. Estes são alguns aspectos a ter em conta quando estamos a contruir o nosso modelo de jogo para equipas de futebol. Devemos definir bem os nossos objectivos colectivos no que ao jogo jogado diz respeito. Após estas considerações, estamos prontos para estruturar todo o processo de treino num ou em vários sistemas tácticos de jogo, onde depois iremos trabalhar todos os momentos do jogo. Os diferentes momentos do jogo, Organização Defensiva (quando a equipa não tem a bola), Organização Ofensiva (quando a equipa tem a bola), Transições Defesa/Ataque (momento exacto quando a equipa ganha a bola), Transições Ataque/Defesa (momeno exacto quando a equipa perde a bola) e Esquemas Tácticos (cantos, livres, lançamentos, penáltis e pontapés de baliza).
  • 2. A Organização Defensiva da equipa diz respeito a todos os comportamentos técnico-tácticos necessários para a defesa da nossa baliza. Aqui definem-se princípios comportamentais de acção. Neste momento do jogo é muito importante definir que tipo de método de jogo defensivo vai utilizar a equipa. Para além dos referidos na imagem ao lado, existem ainda o método de jogo defensivo individual (homem-a-homem) e método misto. Os métodos de jogo defensivos exprimem a forma geral de organização das acções dos jogadores na defesa, estabelecendo um conjunto de princípios que visam a racionalização do processo defensivo, para assegurar a defesa da baliza e a recuperação da posse da bola. Estes métodos de jogo defensivos contemplam alguns objectivos, tais como: constante estabilidade da organização da defesa em qualquer das fases do processo; criar constantes condições desfavoráveis aos atacantes, em termos de tempo, espaço e número para a concretização da acção defensiva; direccionar os comportamentos técnico-tácticos dos adversários para fora dos caminhos da baliza, levando-os para espaços de jogo menos perigosos.
  • 3. As transições ofensivas, são momentos, que em função do método de jogo ofensivo utilizado pela equipa, que podem desenvolver-se em pouco tempo o que pode levar a criar desiquilibrios na defesa contrária. Estes momentos são caracterizados por uma mudança de postura e comportamentos na procura da baliza adversária, podendo estar um e/ou vários jogadores envolvidos. A Organização Ofensiva da equipa diz respeito a todos os comportamentos técnico-tácticos necessários para atacar a baliza adversária. Aqui definem-se princípios comportamentais de acção tal como na Organização Defensiva. Neste momento do jogo é muito importante definir que tipo de método de jogo ofensivo vai utilizar a equipa. Para além dos mencionados na imagem, existe ainda o método de jogo ofensivo ataque rápido. Estes métodos estabelecem a forma geral de organização das acções dos jogadores no ataque estabelecendo umconjunto de princípios que visama racionalização do processo ofensivo, assegurando a progressão/finalização e a manutenção da posse da bola. Existem três grandes objectivos coma utilização
  • 4. destes métodos, são eles: a criação de condições mais favoráveis emtermos de, tempo, espaço e numero, para a concretização dos objectivos do ataque, ou dos objectivos tácticos momentâneos da equipa, levando o adversário ao erro; a contínua instabilidade da organização da defesa do adversário, em qualquer das fases do processo ofensivo; e a execução da maior parte das acções técnico -tácticas individuais e colectivas, em direcção à baliza adversária ou para as zonas vitais do terreno de jogo. As transições defensivas, são no meu entender o momento do jogo mais complicado ou difícil de contrariar e/ou treinar. Estes momentos são caracterizados por uma mudança de postura e comportamentos na procura da defesa da nossa baliza. Tendo em conta os métodos de jogo defensivos do modelo utilizados para tentar contrariar estas transições ofensivas (do ponto de vista do adversário) será também extremamente necessário realizar uma análise exaustiva do adversário de modo a conhecer as estratégias do mesmo e criar as estratégias necessárias para anular esses mesmos comportamentos. Nestes momentos, será necessária alguma imaginação e muito treino no que respeita ás bolas paradas ofensivas. Em relação ás bolas paradas defensivas será muito importante um estudo do adversário, para que possamos adaptar a nossa maneira de defender esquemas tácticos ao adversário.