SlideShare uma empresa Scribd logo
ENSINO VIRTUAL 3º CICLO

     HISTÓRIA 8º ANO




Século XIV
UM SÉCULO DE DE DIFICULDADES – A FOME, A GUERRA E A PESTE.
------------------------------------------------------------------------------------------------------
O EXPANSIONISMO EUROPEU: MOTIVOS, CONDIÇÕES E RUMOS.
------------------------------------------------------------------------------------------------------
PERGUNTAS DE INTERPRETAÇÃO SOBRE O PROBLEMA DA SUCESSÃO
AO TRONO.
CONSEQUÊNCIAS DA CRISE
                  CRISES E REVOLUÇÃO
                      SÉCULO XIV
             Na Europa, devido à fome, peste e guerra:

   Quebra populacional       Diminuição da
                                População



                Desvalorização da Moeda
       Provocou grave crise económica e grande agitação
        social nos campos e cidade.
(CONTINUAÇÃO)
                              
          




De um lado Beatriz de Castela             Do outro D. João Mestre de Avis
                             Em 1383 graças a:
Apoio popular nas cortes de coimbra|Vitória naval na batalha de Aljubarrota

A fação do mestre de Avis triunfa D.João I, rei de Portugal (nova dinastia de
   Avis).
O SURTO DA EXPANSÃO PORTUGUESA

Sociais (a nova sociedade pós 1385)
Geográficas (situação e tradição marítima dos
 portugueses.)
Técnicas (progressos na ciência e técnica
 náuticas: embarcações, instrumentos,
 cartografia)
MOTIVAÇÕES
ECONÓMICAS
 - Carência de cereais, ouro ,escravos,
  plantas tintureiras, especiarias.
 - Alargamento da área das especiarias.
MOTIVAÇÕES RELIGIOSAS

 «Espírito de cruzada» na luta contra os
  muçulmanos.
 Espalhar a fé Cristã.
EXPANSÃO PORTUGUESA =

   Rumo atlântico ocidental

   Madeira

   Açores
RUMO AO NORTE DE ÁFRICA
   Ceuta

   Outras praças marroquinas
RUMO ATLÂNTICO SUL

   Exploração da costa Ocidental

   Índia

   Brasil
A BATALHA DE ALJUBARROTA

 Depois da batalha de Aljubarrota
 Em agradecimento desta vitória, D.João
  mandou erguer o Mosteiro de Santa Maria da
  Vitória, na Batalha (terra) a poucos km de
  Aljubarrota.
 D.João ajudou os ingleses nas guerras contra
  Castela. Para firmar o Tratado casou com
  D.Filipa de Lencastre (inglesa).
 Este casamento deu origem à inclina geração.
PERGUNTAS DE INTERPRETAÇÃO
   1- Refere 3 causas da crise do século XIV.
   2- Explica quem era o mestre de Avis e quem o apoiou.
   3- Indica os diferentes interesses na expansão por parte do Clero,
    Nobreza, Burguesia e Povo.
   4- Indica as datas dos acontecimentos que se seguem:
   4.1- Passagem do cabo da Boa Esperança/ das Tormentas.
   4.2- Início da expansão marítima portuguesa.
   4.3- Chegada dos portugueses à Índia.
   4.4- Passagem do cabo Bojador.
   4.5- Tratado de Tordesilhas
   4.1.1- Responde às perguntas que se seguem:
   a) Quem passou o cabo das Tormentas?
   b) Quem conquistou a Índia?
   c) Para que serviu o Tratado de Tordesilhas?
FINAL
   Parabéns! Se conseguiste perceber tudo e acertaste nos
    exercícios, estás com positiva!


   Bem, se estás com algumas dúvidas e não percebeste a matéria
    tens de estudar mais e a tua nota está entre a negativa e a
    positiva.



   Oh.. Se estás com muitas dificuldades deves consultar os teus
    pais o teu professor(a) e esclarecer as dúvidas, a tua nota é
    negativa.
NOTAS

   Esta apresentação interativa foi escrita com
    o novo acordo ortográfico.

Obrigado! A equipa, ENSINO VIRTUAL 3º
 CICLO.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História o expansionismo europeu
História o expansionismo europeuHistória o expansionismo europeu
História o expansionismo europeu
Gabriela Vasconcelos
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
pdalvares
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
danielafirmino3
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
Luís Ferreira
 
Teste 6 descobrimentos correção
Teste 6 descobrimentos  correçãoTeste 6 descobrimentos  correção
Teste 6 descobrimentos correção
Ana Pereira
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
anabelasilvasobral
 
A prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansãoA prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansão
Maria Gomes
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
victorjunio82
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
Beatriz Silva
 
Rumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentistaRumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentista
immss
 
Expansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentesExpansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentes
Edenilson Morais
 
História resumos
História resumosHistória resumos
História resumos
meggytoscano
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
Catarina Sequeira
 
Comércio à escala mundial
Comércio à escala mundialComércio à escala mundial
Comércio à escala mundial
Maria Gomes
 
3 expansao maritima-europeia
3 expansao maritima-europeia3 expansao maritima-europeia
3 expansao maritima-europeia
Lucas Cechinel
 
O imperio português e espanhol
O imperio português e espanholO imperio português e espanhol
O imperio português e espanhol
Marco Silva
 
O império português do oriente parte 2
O império português do oriente   parte 2O império português do oriente   parte 2
O império português do oriente parte 2
anabelasilvasobral
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
Carla Freitas
 
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
Maria Gomes
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
Niela Tuani
 

Mais procurados (20)

História o expansionismo europeu
História o expansionismo europeuHistória o expansionismo europeu
História o expansionismo europeu
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
 
Teste 6 descobrimentos correção
Teste 6 descobrimentos  correçãoTeste 6 descobrimentos  correção
Teste 6 descobrimentos correção
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
 
A prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansãoA prioridade portuguesa na expansão
A prioridade portuguesa na expansão
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
 
Rumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentistaRumos da expansão quatrocentista
Rumos da expansão quatrocentista
 
Expansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentesExpansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentes
 
História resumos
História resumosHistória resumos
História resumos
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
Comércio à escala mundial
Comércio à escala mundialComércio à escala mundial
Comércio à escala mundial
 
3 expansao maritima-europeia
3 expansao maritima-europeia3 expansao maritima-europeia
3 expansao maritima-europeia
 
O imperio português e espanhol
O imperio português e espanholO imperio português e espanhol
O imperio português e espanhol
 
O império português do oriente parte 2
O império português do oriente   parte 2O império português do oriente   parte 2
O império português do oriente parte 2
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
 
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVIIA Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
A Expansão Marítima Europeia nos séculos XV e XVII
 

Destaque

Unidade 1 o expansionismo europeu
Unidade 1 o expansionismo europeuUnidade 1 o expansionismo europeu
Unidade 1 o expansionismo europeu
Vítor Santos
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
borgia
 
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraTeste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Zé Mário
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu inessalgado
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vida
Catir
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
Catir
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistema
Catir
 
E2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogueE2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogue
Vítor Santos
 
Sistema terra
Sistema terraSistema terra
Sistema terra
nelsonesim
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
Catir
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
Catir
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
Catir
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
Catir
 
A célula
A célulaA célula
A célula
Catir
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
mariacarmoteixeira
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
Catir
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
cn2012
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
hugo dias
 
A célula
A célulaA célula
A célula
catiacsantos
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
Leonardo Alves
 

Destaque (20)

Unidade 1 o expansionismo europeu
Unidade 1 o expansionismo europeuUnidade 1 o expansionismo europeu
Unidade 1 o expansionismo europeu
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
 
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraTeste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto Editora
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vida
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistema
 
E2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogueE2 renascimento e reforma blogue
E2 renascimento e reforma blogue
 
Sistema terra
Sistema terraSistema terra
Sistema terra
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 

Semelhante a Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO

Exp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima EdwardsExp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima Edwards
José Miguel Dos Santos
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
cattonia
 
Exp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima EdwardsExp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima Edwards
guestea132d
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
cattonia
 
Início expansão.pptx
Início expansão.pptxInício expansão.pptx
Início expansão.pptx
Conceio10
 
História
HistóriaHistória
História
Ines Ferreira
 
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XVExpansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
lenapinto
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
borgia
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
telmascapelo
 
hgpa5_ppt_c2.pptx
hgpa5_ppt_c2.pptxhgpa5_ppt_c2.pptx
hgpa5_ppt_c2.pptx
mariagrave
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesa
sandrabranco
 
Descobrimentos
DescobrimentosDescobrimentos
Descobrimentos
David_Costa_30
 
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
JoselitoPereira4
 
Navegações portuguesas
Navegações portuguesasNavegações portuguesas
Navegações portuguesas
LuizRobertodosSantos
 
As Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdfAs Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdf
DouglasCoelho40
 
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxkAs grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
AntonioVieira539017
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
Douglas Barraqui
 
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica AlbufeiraCatalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Museu Filatelia Sérgio Pedro
 
expansão portuguesa.pdf
expansão portuguesa.pdfexpansão portuguesa.pdf
expansão portuguesa.pdf
CarlaSilva639671
 
Regência mãe
Regência mãeRegência mãe
Regência mãe
Alessandra Bertão Ribas
 

Semelhante a Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO (20)

Exp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima EdwardsExp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima Edwards
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
 
Exp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima EdwardsExp.MaríTima Edwards
Exp.MaríTima Edwards
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
 
Início expansão.pptx
Início expansão.pptxInício expansão.pptx
Início expansão.pptx
 
História
HistóriaHistória
História
 
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XVExpansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
Expansão Marítima- Descobrimentos Portugueses século XV
 
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
hgpa5_ppt_c2.pptx
hgpa5_ppt_c2.pptxhgpa5_ppt_c2.pptx
hgpa5_ppt_c2.pptx
 
A expansao Portuguesa
A expansao PortuguesaA expansao Portuguesa
A expansao Portuguesa
 
Descobrimentos
DescobrimentosDescobrimentos
Descobrimentos
 
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
5.1 - O expansionismo europeu A expansao portuguesa 1.ppt
 
Navegações portuguesas
Navegações portuguesasNavegações portuguesas
Navegações portuguesas
 
As Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdfAs Grandes Navegações2.pdf
As Grandes Navegações2.pdf
 
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxkAs grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
As grandes navegações_QUIZ 7º Anllllllllllllllllllllllllllllllllo.pptxk
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica AlbufeiraCatalogo Mostra filatélica Albufeira
Catalogo Mostra filatélica Albufeira
 
expansão portuguesa.pdf
expansão portuguesa.pdfexpansão portuguesa.pdf
expansão portuguesa.pdf
 
Regência mãe
Regência mãeRegência mãe
Regência mãe
 

Último

socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 

Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO

  • 1. ENSINO VIRTUAL 3º CICLO HISTÓRIA 8º ANO Século XIV UM SÉCULO DE DE DIFICULDADES – A FOME, A GUERRA E A PESTE. ------------------------------------------------------------------------------------------------------ O EXPANSIONISMO EUROPEU: MOTIVOS, CONDIÇÕES E RUMOS. ------------------------------------------------------------------------------------------------------ PERGUNTAS DE INTERPRETAÇÃO SOBRE O PROBLEMA DA SUCESSÃO AO TRONO.
  • 2. CONSEQUÊNCIAS DA CRISE  CRISES E REVOLUÇÃO  SÉCULO XIV  Na Europa, devido à fome, peste e guerra:  Quebra populacional Diminuição da População Desvalorização da Moeda Provocou grave crise económica e grande agitação social nos campos e cidade.
  • 3. (CONTINUAÇÃO)   De um lado Beatriz de Castela Do outro D. João Mestre de Avis Em 1383 graças a: Apoio popular nas cortes de coimbra|Vitória naval na batalha de Aljubarrota A fação do mestre de Avis triunfa D.João I, rei de Portugal (nova dinastia de Avis).
  • 4. O SURTO DA EXPANSÃO PORTUGUESA Sociais (a nova sociedade pós 1385) Geográficas (situação e tradição marítima dos portugueses.) Técnicas (progressos na ciência e técnica náuticas: embarcações, instrumentos, cartografia)
  • 5. MOTIVAÇÕES ECONÓMICAS  - Carência de cereais, ouro ,escravos, plantas tintureiras, especiarias.  - Alargamento da área das especiarias.
  • 6. MOTIVAÇÕES RELIGIOSAS  «Espírito de cruzada» na luta contra os muçulmanos.  Espalhar a fé Cristã.
  • 7. EXPANSÃO PORTUGUESA =  Rumo atlântico ocidental  Madeira  Açores
  • 8. RUMO AO NORTE DE ÁFRICA  Ceuta  Outras praças marroquinas
  • 9. RUMO ATLÂNTICO SUL  Exploração da costa Ocidental  Índia  Brasil
  • 10. A BATALHA DE ALJUBARROTA  Depois da batalha de Aljubarrota  Em agradecimento desta vitória, D.João mandou erguer o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha (terra) a poucos km de Aljubarrota.  D.João ajudou os ingleses nas guerras contra Castela. Para firmar o Tratado casou com D.Filipa de Lencastre (inglesa).  Este casamento deu origem à inclina geração.
  • 11. PERGUNTAS DE INTERPRETAÇÃO  1- Refere 3 causas da crise do século XIV.  2- Explica quem era o mestre de Avis e quem o apoiou.  3- Indica os diferentes interesses na expansão por parte do Clero, Nobreza, Burguesia e Povo.  4- Indica as datas dos acontecimentos que se seguem:  4.1- Passagem do cabo da Boa Esperança/ das Tormentas.  4.2- Início da expansão marítima portuguesa.  4.3- Chegada dos portugueses à Índia.  4.4- Passagem do cabo Bojador.  4.5- Tratado de Tordesilhas  4.1.1- Responde às perguntas que se seguem:  a) Quem passou o cabo das Tormentas?  b) Quem conquistou a Índia?  c) Para que serviu o Tratado de Tordesilhas?
  • 12. FINAL  Parabéns! Se conseguiste perceber tudo e acertaste nos exercícios, estás com positiva!  Bem, se estás com algumas dúvidas e não percebeste a matéria tens de estudar mais e a tua nota está entre a negativa e a positiva.  Oh.. Se estás com muitas dificuldades deves consultar os teus pais o teu professor(a) e esclarecer as dúvidas, a tua nota é negativa.
  • 13. NOTAS  Esta apresentação interativa foi escrita com o novo acordo ortográfico. Obrigado! A equipa, ENSINO VIRTUAL 3º CICLO.