SlideShare uma empresa Scribd logo
Fluxo de energia




Nos ecossistemas, entre as relações alimentares dos seres
    vivos, ocorrem transferências de matéria e energia
O conjunto de seres vivos
de uma comunidade que
se alimentam e servem
de alimento uns aos
outros constitui uma
cadeia alimentar ou
cadeia trófica.
Numa cadeia alimentar, cada ser vivo ocupa uma determinada
posição, designada nível trófico (do grego trophos-alimento), de
acordo com a fonte principal de alimento
• Cadeia alimentar – sequência de seres vivos em
  que cada um se alimenta do organismo que o
  precede e serve de alimento ao que se segue

• Nível trófico – posição que cada ser vivo ocupa
  numa cadeia alimentar
Nas diferentes cadeias alimentares
podemos encontrar, normalmente, três
tipos de categorias de seres vivos:


• produtores,

• consumidores,

• decompositores.
• Os produtores são seres vivos
capazes de produzir o seu
próprio alimento; fabricam
matéria orgânica a partir de
substâncias minerais que
retiram do meio
• são também designados
autotróficos.
• Ocupam o 1.°nível trófico.
• exemplos de produtores:
plantas e algas fotossintéticas
Os consumidores são seres vivos heterotróficos que se
alimentam directa ou indirectamente da matéria
orgânica produzida pelos produtores.
• ou consumidores de 1ª ordem
• são herbívoros e alimentam-se exclusivamente dos
produtores.
• ocupam o 2.°nível trófico.
•Ou de 2ªordem

•Designam-se predadores ou
carnívoros e subsistem à
custa dos herbívoros.

•Ocupam o 3.°nível trófico.
• Existem ainda consumidores de 3ª ordem,
  de 4ª ordem e assim sucessivamente.

• Contudo, as cadeias alimentares são, de
  uma maneira geral, curtas, não contendo
  mais do que cinco ou seis níveis tróficos
Os decompositores são seres
vivos heterotróficos que
transformam a matéria
orgânica, em matéria
mineral que é devolvida ao
solo .

As bactérias e os fungos
desempenham este papel.


São os decompositores que
asseguram o retorno
progressivo ao solo da
matéria mineral, sendo esta
utilizada pelos produtores
que sintetizam de novo
matéria orgânica.
Produtores              Consumidores de 1ª ordem   Consumidores de 2ª ordem




       Decompositores
Características das Cadeias Alimentares
• Ao longo de uma cadeia alimentar, o número de
  seres vivos diminui;

• Ao longo de uma cadeia alimentar, ocorre uma
  diminuição progressiva da quantidade de matéria
  transferida;

• Os seres vivos gastam, nas suas actividades vitais,
  parte da energia que recebem. Por isso, é
  transferida para o nível trófico seguinte uma parte
  da energia disponível em cada nível trófico.
• Em todos os níveis vai ser libertada energia para o
  meio, sob a forma de calor que não é reaproveitado.
  Desta forma, a energia, ao ser transferida para o
  nível trófico seguinte, vai diminuindo;

• Quanto mais curta for a cadeia alimentar, maior, é o
  aproveitamento de energia;

• Como a energia disponível torna-se mínima ao longo
  das cadeias alimentares, geralmente, estas não têm
  mais que cinco níveis tróficos.

• O FLUXO DE ENERGIA É UNIDIRECCIONAL nos
  ecossistemas!
• Na Natureza, as interacções alimentares são
  complexas, existindo teias alimentares que
  constituem relações tróficas mais abrangentes
  (cada espécie pode servir de alimento a várias
  outras e apresentar preferências alimentares
  diversificadas).

• Em cada comunidade, existem várias cadeias
  alimentares interligadas que constituem uma rede
  ou teia alimentar.
Exemplo de uma teia alimentar
http://ciencias8ano.wordpress.com

                  Profª Catarina Reis
                          2009/2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Bio Sem Limites
 
A biologia da conservação
A biologia da conservaçãoA biologia da conservação
A biologia da conservação
Gabriela de Lima
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Gabriela de Lima
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Patrícia Silva
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
Sérgio Luiz
 
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Dinâmica de Populações
Dinâmica de PopulaçõesDinâmica de Populações
Dinâmica de Populações
Turma Olímpica
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
MenadeJesus
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
Plínio Gonçalves
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
Nelson Costa
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Jézili Dias
 
Energia Fontes E Formas De Energia
Energia   Fontes E Formas De EnergiaEnergia   Fontes E Formas De Energia
Energia Fontes E Formas De Energia
João França
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
isabelalexandrapinto
 
Adaptação
AdaptaçãoAdaptação
Adaptação
unesp
 
Fluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matériaFluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matéria
Carlos Priante
 

Mais procurados (20)

Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
Aula Biologia: Bases da Ecologia [1° Ano do Ensino Médio]
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
A biologia da conservação
A biologia da conservaçãoA biologia da conservação
A biologia da conservação
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Ecossistemas e Biomas
Ecossistemas e BiomasEcossistemas e Biomas
Ecossistemas e Biomas
 
Dinâmica de Populações
Dinâmica de PopulaçõesDinâmica de Populações
Dinâmica de Populações
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
 
Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Energia Fontes E Formas De Energia
Energia   Fontes E Formas De EnergiaEnergia   Fontes E Formas De Energia
Energia Fontes E Formas De Energia
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
 
Adaptação
AdaptaçãoAdaptação
Adaptação
 
Fluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matériaFluxo de energia e ciclo da matéria
Fluxo de energia e ciclo da matéria
 

Destaque

Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
Catir
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
Catir
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
Catir
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
mariacarmoteixeira
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
Catir
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
Catir
 
A célula
A célulaA célula
A célula
Catir
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
cn2012
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
hugo dias
 
A célula
A célulaA célula
A célula
catiacsantos
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistema
Catir
 
Sistema terra
Sistema terraSistema terra
Sistema terra
nelsonesim
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vida
Catir
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
Catir
 
O ciclo das rochas
O ciclo das rochasO ciclo das rochas
O ciclo das rochas
Catir
 
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturaisteste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
Andrea Japoneza
 
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICAI - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
sandranascimento
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
Leonardo Alves
 
Programa de ciências naturais 8º ano
Programa de ciências naturais 8º anoPrograma de ciências naturais 8º ano
Programa de ciências naturais 8º ano
Catir
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
Catir
 

Destaque (20)

Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A Terra como um sistema
A Terra como um sistemaA Terra como um sistema
A Terra como um sistema
 
Sistema terra
Sistema terraSistema terra
Sistema terra
 
Terra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vidaTerra - um planeta com vida
Terra - um planeta com vida
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
 
O ciclo das rochas
O ciclo das rochasO ciclo das rochas
O ciclo das rochas
 
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturaisteste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
teste de avaliação - 8ºano - Ciências Naturais
 
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICAI - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 
Programa de ciências naturais 8º ano
Programa de ciências naturais 8º anoPrograma de ciências naturais 8º ano
Programa de ciências naturais 8º ano
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
 

Semelhante a Fluxo de energia

Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
8ºC
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Nuno Coelho
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Angela Boucinha
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Leonardo Alves
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
helder raposo
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
Werner Mendoza Blanco
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
Suely namaste
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
Bio Sem Limites
 
Cadeias e teias
Cadeias e teiasCadeias e teias
Cadeias e teias
Carla Martins
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Particular
 
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
Colégio Batista de Mantena
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
Angela Boucinha
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Cristina Vitória
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentar Cadeia alimentar
Cadeia alimentar
Lucilo Campos
 
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
Valeria Luiz Levi Oliveira
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
LarissiFial
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
Andrea Barreto
 
Cadeia Teia E PirâMides
Cadeia Teia E PirâMidesCadeia Teia E PirâMides
Cadeia Teia E PirâMides
Sérgio Luiz
 

Semelhante a Fluxo de energia (20)

Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxos De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
 
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02[1]
 
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
Fluxodeenergiaeciclodematria 110124163018-phpapp02
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
 
Cadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias AlimentaresCadeias e Teias Alimentares
Cadeias e Teias Alimentares
 
Cadeias e teias
Cadeias e teiasCadeias e teias
Cadeias e teias
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
2016 Frente 3 módulo 11 ecologia
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria iiFluxos de energia e ciclo de matéria ii
Fluxos de energia e ciclo de matéria ii
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentar Cadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)Ecossistemas   matéria e energia (2) (1)
Ecossistemas matéria e energia (2) (1)
 
Relações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.pptRelações Alimentares.ppt
Relações Alimentares.ppt
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Cadeia Teia E PirâMides
Cadeia Teia E PirâMidesCadeia Teia E PirâMides
Cadeia Teia E PirâMides
 

Mais de Catir

Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º anoExercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Catir
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Catir
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
Catir
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
Catir
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
Catir
 
Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1
Catir
 
Paisagens geológicas
Paisagens geológicasPaisagens geológicas
Paisagens geológicas
Catir
 
História das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasHistória das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em Ciências
Catir
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
Catir
 
o sistema respiratório
o sistema respiratórioo sistema respiratório
o sistema respiratório
Catir
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
Catir
 
Algumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatórioAlgumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatório
Catir
 
Tipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguíneaTipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguínea
Catir
 
O ciclo cardíaco
O ciclo cardíacoO ciclo cardíaco
O ciclo cardíaco
Catir
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coração
Catir
 
Constituição do sangue
Constituição do sangueConstituição do sangue
Constituição do sangue
Catir
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Catir
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
Catir
 
Sistema neuro-hormonal
Sistema neuro-hormonalSistema neuro-hormonal
Sistema neuro-hormonal
Catir
 
DST
DSTDST
DST
Catir
 

Mais de Catir (20)

Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º anoExercícios de Exames de Geologia de 10º ano
Exercícios de Exames de Geologia de 10º ano
 
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 anoExercícios de aplicação Geologia 10 ano
Exercícios de aplicação Geologia 10 ano
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
Os minerais e as suas características
Os minerais e as suas característicasOs minerais e as suas características
Os minerais e as suas características
 
Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1Dinâmica externa da Terra -1
Dinâmica externa da Terra -1
 
Paisagens geológicas
Paisagens geológicasPaisagens geológicas
Paisagens geológicas
 
História das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasHistória das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em Ciências
 
Sistema digestivo
Sistema digestivoSistema digestivo
Sistema digestivo
 
o sistema respiratório
o sistema respiratórioo sistema respiratório
o sistema respiratório
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
 
Algumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatórioAlgumas perturbações do sistema circulatório
Algumas perturbações do sistema circulatório
 
Tipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguíneaTipos de circulação sanguínea
Tipos de circulação sanguínea
 
O ciclo cardíaco
O ciclo cardíacoO ciclo cardíaco
O ciclo cardíaco
 
Anatomia do coração
Anatomia do coraçãoAnatomia do coração
Anatomia do coração
 
Constituição do sangue
Constituição do sangueConstituição do sangue
Constituição do sangue
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
 
Sistema neuro-hormonal
Sistema neuro-hormonalSistema neuro-hormonal
Sistema neuro-hormonal
 
DST
DSTDST
DST
 

Último

APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 

Fluxo de energia

  • 1. Fluxo de energia Nos ecossistemas, entre as relações alimentares dos seres vivos, ocorrem transferências de matéria e energia
  • 2. O conjunto de seres vivos de uma comunidade que se alimentam e servem de alimento uns aos outros constitui uma cadeia alimentar ou cadeia trófica.
  • 3. Numa cadeia alimentar, cada ser vivo ocupa uma determinada posição, designada nível trófico (do grego trophos-alimento), de acordo com a fonte principal de alimento
  • 4. • Cadeia alimentar – sequência de seres vivos em que cada um se alimenta do organismo que o precede e serve de alimento ao que se segue • Nível trófico – posição que cada ser vivo ocupa numa cadeia alimentar
  • 5. Nas diferentes cadeias alimentares podemos encontrar, normalmente, três tipos de categorias de seres vivos: • produtores, • consumidores, • decompositores.
  • 6. • Os produtores são seres vivos capazes de produzir o seu próprio alimento; fabricam matéria orgânica a partir de substâncias minerais que retiram do meio • são também designados autotróficos. • Ocupam o 1.°nível trófico. • exemplos de produtores: plantas e algas fotossintéticas
  • 7. Os consumidores são seres vivos heterotróficos que se alimentam directa ou indirectamente da matéria orgânica produzida pelos produtores.
  • 8. • ou consumidores de 1ª ordem • são herbívoros e alimentam-se exclusivamente dos produtores. • ocupam o 2.°nível trófico.
  • 9. •Ou de 2ªordem •Designam-se predadores ou carnívoros e subsistem à custa dos herbívoros. •Ocupam o 3.°nível trófico.
  • 10. • Existem ainda consumidores de 3ª ordem, de 4ª ordem e assim sucessivamente. • Contudo, as cadeias alimentares são, de uma maneira geral, curtas, não contendo mais do que cinco ou seis níveis tróficos
  • 11. Os decompositores são seres vivos heterotróficos que transformam a matéria orgânica, em matéria mineral que é devolvida ao solo . As bactérias e os fungos desempenham este papel. São os decompositores que asseguram o retorno progressivo ao solo da matéria mineral, sendo esta utilizada pelos produtores que sintetizam de novo matéria orgânica.
  • 12. Produtores Consumidores de 1ª ordem Consumidores de 2ª ordem Decompositores
  • 13. Características das Cadeias Alimentares • Ao longo de uma cadeia alimentar, o número de seres vivos diminui; • Ao longo de uma cadeia alimentar, ocorre uma diminuição progressiva da quantidade de matéria transferida; • Os seres vivos gastam, nas suas actividades vitais, parte da energia que recebem. Por isso, é transferida para o nível trófico seguinte uma parte da energia disponível em cada nível trófico.
  • 14. • Em todos os níveis vai ser libertada energia para o meio, sob a forma de calor que não é reaproveitado. Desta forma, a energia, ao ser transferida para o nível trófico seguinte, vai diminuindo; • Quanto mais curta for a cadeia alimentar, maior, é o aproveitamento de energia; • Como a energia disponível torna-se mínima ao longo das cadeias alimentares, geralmente, estas não têm mais que cinco níveis tróficos. • O FLUXO DE ENERGIA É UNIDIRECCIONAL nos ecossistemas!
  • 15. • Na Natureza, as interacções alimentares são complexas, existindo teias alimentares que constituem relações tróficas mais abrangentes (cada espécie pode servir de alimento a várias outras e apresentar preferências alimentares diversificadas). • Em cada comunidade, existem várias cadeias alimentares interligadas que constituem uma rede ou teia alimentar.
  • 16. Exemplo de uma teia alimentar
  • 17. http://ciencias8ano.wordpress.com Profª Catarina Reis 2009/2010