A história de portugal

1.157 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
39
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A história de portugal

  1. 1. A história de Portugal
  2. 2. A história de uma localidade • Todas as localidades têm uma história, um passado. • Os monumentos ou acontecimentos têm um significado ou explicação da sua origem. • Os pelourinhos significam que naquela localidade se podia aplicar a justiça. A FORMAÇÃO DE PORTUGAL
  3. 3.  Para estudarmos o passado de uma localidade podemos recorrer a: • Fontes orais • Fontes documentais A história de uma localidade
  4. 4. Fontes orais • São as informações que se obtêm a falar com as pessoas. • Podemos perguntar às pessoas idosas como viviam, em que trabalhavam, como se divertiam.
  5. 5. Fontes documentais • São as informações obtidas nos documentos escritos que existem nos livros e nos arquivos de informação.
  6. 6. Automóvel antigo Venda em feiras
  7. 7. Museu Soares dos Reis Carta de foral
  8. 8. Vestuário antigo
  9. 9.  Fazendo perguntas às pessoas mais idosas.
  10. 10. • Foi a partir do nascimento de Cristo que se passou a fazer a contagem do tempo. Como contamos o tempo histórico? Existem dois períodos de tempo: • antes de Cristo (a.C.) • depois de Cristo (d. C.)
  11. 11. Para ajudar a localizar o tempo, usa-se o friso cronológico. Esquema onde se assinalam por ordem os acontecimentos, começando dos mais antigos para os mais recentes. Friso cronológico
  12. 12. A origem de Portugal • A Península Ibérica é habitada há muitos milhares de anos. • Os Povos que habitavam a Península Ibéria eram Nómadas, viviam da caça, da pesca e dos frutos silvestres. Com a descoberta da agricultura, estes povos vão-se fixando junto dos rios e das terras mais férteis e constroem povoações.
  13. 13. • Iniciam-se as primeiras invasões. A origem de Portugal • Os Iberos foram o primeiro povo a habitar a Península Ibérica. Vieram do centro da Europa. • Mais tarde, surgiu um povo guerreiro e agricultor – os Celtas. • Os Iberos e os Celtas acabaram por se unir, dando origem aos Celtiberos, aos Lusitanos e a outros povos. • Celtas • Vaso celta
  14. 14. A origem de Portugal • Estes primeiros povos viviam em castros no cimo dos montes para se defenderem.
  15. 15. • Vindos do Mar Mediterrâneo, surgiram outros povos mais evoluídos. Os Fenícios, os Gregos e os Cartagineses. A origem de Portugal • Estes povos ensinaram aos da Península Ibérica a exploração mineira, a conservação do peixe com o sal e a produção do vinho e do azeite. • Também divulgaram a escrita alfabética.
  16. 16. Outros povos ocuparam a Península Ibérica • Ponte romana Os Romanos foram um povo proveniente de Roma. Os Romanos trouxeram alguns dos seus costumes para a Península Ibérica. •Desenvolveram as culturas do trigo, da vinha e da oliveira. •Criaram indústrias de tecelagem, as minas as pedreiras e as olarias. •Criaram locais de comércio e usavam a moeda. •Construíram estradas e pontes. •Trouxeram o latim e a religião cristã. • Legionário romano
  17. 17. Outros povos ocuparam a Península Ibérica • Viriato foi um corajoso pastor lusitano que, nos montes Hermínios (Serra da Estrela), reuniu milhares de lusitanos que lutaram contra os romanos. • Foi assassinado por três companheiros, contratados pelos romanos. Viriato • Viriato
  18. 18. Outros povos ocuparam a Península Ibérica Os Visigodos, no séc. V, invadiram a Península Ibérica e o Império Romano. Como eram menos evoluídos que os Romanos adoptaram a cultura romana e converteram- se à religião cristã. Os Visigodos Eram chamados de bárbaros porque não falavam latim.
  19. 19. Outros povos ocuparam a Península Ibérica • No ano de 711, a Península Ibérica foi invadida pelos Muçulmanos. Estes falavam a língua árabe e tinham uma cultura avançada. Os Muçulmanos Desenvolveram-se em muitas áreas: •Agricultura - introduziram a nora e várias culturas (amendoeira e laranjeira). •Matemática - introduziram a numeração árabe. •Ciência - Deixaram invenções como a bússola. Este povo conquistou quase toda a Península, com excepção de uma pequena região a norte que continuou cristã. • Nora • Bússola • Chaminé
  20. 20. A formação de Portugal • Na Península Ibérica havia populações cristãs que se opunham à presença dos Muçulmanos. • O rei de Leão e Castela, D. Afonso VI, auxiliado por cavaleiros cristãos vindos de outros reinos, como a França, lutou contra os Muçulmanos para lhes conquistar as terras. • Após a primeira vitória sobre os Muçulmanos formaram-se os reinos de Leão, Castela, Navarra e Aragão. • Cruzados
  21. 21. A formação de Portugal • Entre os cavaleiros que lutaram ao lado de D. Afonso VI, houve um que se destacou nas batalhas, D. Henrique de Borgonha. Para o compensar pela ajuda prestada o rei deu- lhe a sua filha D. Teresa em casamento. Casaram e foram viver para o Castelo de Guimarães. Tiveram um filho a que chamaram Afonso Henriques. O Condado Portucalense • D. Afonso Henriques
  22. 22. A formação de Portugal • D. Henrique sonhava tornar o Condado Portucalense independente, mas morreu sem o conseguir. • Ocupou o lugar do pai, D, Afonso Henriques, só que como este tinha apenas 3 anos de idade, a sua mãe D. Teresa passou a governar o Reino. • D. Afonso Henriques ao completar dezasseis anos de idade, e com o sonho de tornar o Condado Portucalense independente, tentou tomar pela força o governo do Condado. Lutou contra a sua própria mãe, D. Teresa e derrotou-a na Batalha de S. Mamede, em 1128, perto de Guimarães. O Condado Portucalense
  23. 23. A formação de Portugal • Em 1143, D. Afonso VII assina um tratado de Paz (Tratado de Zamora), com D. Afonso Henriques. • Nesse tratado o rei D, Afonso VII aceita a Independência de Portugal. O Condado Portucalense passou a chamar- se Reino de Portugal e D. Afonso Henriques passou a ser o 1º REI DE PORTUGAL. D. Afonso Henriques
  24. 24. A formação de Portugal O reino de Portugal •D. Afonso Henriques prosseguiu a sua reconquista. Com o objectivo de lutar contra os mouros conquistou as cidades de Santarém, Lisboa, Alcácer do Sal e Beja. • D. Afonso Henriques morre em 6 de Dezembro 1185, aos 74 anos de idade, na cidade de Coimbra.
  25. 25. • Após a reconquista, os reis passaram a preocupar-se com o desenvolvimento económico do reino. • D. Dinis, no seu reinado, tomou várias medidas: • Agricultura – mandou semear pinhais (pinhal de Leiria) • Comércio – mandou criar feiras. • Pesca – protegeu os pescadores • Cultura – fundou a Universidade de Coimbra Como se desenvolveu Portugal? A agricultura e o comércio • Universidade de Coimbra • D. Dinis A EXPANSÃO DE PORTUGAL
  26. 26. • Em 1383, quando D. Fernando morreu, Portugal corria o risco de perder a sua independência, pois a sua única filha D. Beatriz tinha casado com o rei de Castela. • A população dividiu-se entre os que apoiavam D. Beatriz e a sua mãe D. Leonor Teles, e os que apoiavam o Mestre de Avis. • Houve várias revoltas e travaram-se várias batalhas entre portugueses e castelhanos. • Em 1385, D. João Mestre de Avis, foi aclamado Rei de Portugal nas cortes de Coimbra. Com D. João I iniciou-se a dinastia de Avis. A dinastia de Avis • Mestre de Avis
  27. 27. A dinastia de Avis Os castelhanos invadiram novamente o nosso país, travando-se a Batalha de Aljubarrota, onde foram derrotados. A vitória do exército português garantiu novamente a independência de Portugal. • Mosteiro da Batalha • Batalha de Aljubarrota
  28. 28. Que terras descobriram os portugueses? A expansão marítima No séc. XIV Portugal atravessava uma grave crise económica. Os portugueses iniciaram, então, a expansão marítima, procurando noutros lugares, produtos que faltavam no Reino, assim como melhores condições de vida, novos locais de comércio e novas riquezas. Por outro lado os portugueses também queriam expandir a fé cristã.
  29. 29. Um dos filhos de D. João I, o infante D. Henrique foi o grande impulsionador dos descobrimentos. A expansão marítima
  30. 30. A expansão marítima Durante o séc. XV, vários navegadores descobriram novas terras. 1415- Conquista de Ceuta. 1434- Gil Eanes passa o Cabo Bojador. 1487- Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança. 1498- Vasco da Gama descobre o caminha marítimo para a Índia. 1500- Pedro Álvares Cabral descobre o Brasil.
  31. 31. A expansão marítima 1434- Gil Eanes passa o Cabo Bojador.
  32. 32. A expansão marítima 1487- Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança.
  33. 33. A expansão marítima 1498- Vasco da Gama descobre o caminha marítimo para a Índia. • Vasco da Gama
  34. 34. A expansão marítima Luís Vaz de Camões foi o poeta português que contou a viagem de Vasco da Gama à Índia. Esses feitos foram descritos no maior poema português - «Os Lusíadas».
  35. 35. A expansão marítima 1500- Pedro Álvares Cabral descobre o Brasil.
  36. 36. Os descobrimentos são caracterizados por grandes trocas comerciais: oOuro e pedras preciosas oAçúcar oMarfim oMalaguetas oEscravos oTabaco oSeda oEspeciarias ( Pimenta, canela, noz-moscada e cravinho) oPorcelanas chinesas A expansão marítima
  37. 37. Como aproveitaram os portugueses as terras descobertas? Portugal após os descobrimentos Os portugueses chegaram a quase todas as partes do mundo e aí conheceram outros povos e costumes. No séc. XVIII, Portugal possuía um grande império que se estendia por três continentes: Africa, Ásia e América.
  38. 38. O domínio Filipino e a restauração da Independência Em 1578, D. Sebastião morre na Batalha de Álcácer Quibir, colocando novamente o problema da sucessão do trono, visto que este não era casado e não tinha filhos. Devido à morte deste rei, Portugal perdeu a independência e entre 1580 e 1640, o país foi governado por reis espanhóis Rei D. Sebastião No dia 1 de Dezembro de 1640 um grupo de nobres portugueses prendeu a duquesa de Mântua, que representava o rei espanhol D. Filipe III no nosso país. Aclamaram D. João IV (Duque de Bragança) como rei de Portugal.
  39. 39. O império português nos séculos XVII e XVIII O Brasil foi a maior colónia portuguesa. De lá vinha açúcar, tabaco, cacau, algodão e ouro. Com o ouro e diamantes construíram-se grandes palácios como o de Mafra e Queluz.
  40. 40. O fim da Monarquia Desde D. Afonso Henriques que o chefe do Estado era o rei. O rei governa toda a vida e quando morre sucede-lhe o filho mais velho. Em Portugal existiram 33 reis repartidos por 4 dinastias. A dinastia acaba quando não há descendentes ou quando é escolhido um rei de outra família para reinar. Em 1908, o rei D. Carlos I e o príncipe D. Luís Filipe são assassinados no Terreiro do Paço em Lisboa.
  41. 41. O fim da Monarquia Rei D. Manuel II D. Manuel II ascende ao trono após a morte do pai e do irmão. No dia 4 de Outubro de 1910 estala em Lisboa uma revolta republicana chefiada por Machado dos Santos e no dia 5 de Outubro em 1910 é proclamada a República. O rei D. Manuel II abandona Portugal, com destino ao exílio na Inglaterra onde morreu. A Monarquia durou em Portugal desde 1143 até 1910.
  42. 42. PORTUGAL NO SÉC. XX A implantação da República Na República o Presidente representa o país por um período de 5 anos e é escolhido por todos os cidadãos através de eleições. O 1º Presidente da República foi o Dr. Manuel de Arriaga. Após uma revolta chefiada por Machado dos Santos , no dia 5 de Outubro em 1910 é proclamada a República.
  43. 43. O Estado Novo Em 1911 foi elaborada a Constituição, onde estava escrita a lei que regulamentava os direitos e deveres dos cidadãos, bem como a organização política do estado. Apesar de todas as modificações e de se viver em democracia a situação do País continuava a ser muito difícil. A 28 de Maio de 1926, deu-se um golpe militar chefiado pelo General Gomes da Costa. O Parlamento foi dissolvido e iniciou-se uma ditadura militar.
  44. 44. O Estado Novo Ditadura – O poder centrava-se apenas numa pessoa num só partido. As pessoas não tinham liberdade de dar as suas opiniões, nem de se reunir para contestar o governo, pois podias ser presas. Este regime proibiu: Partidos políticos Liberdade sindical Greves Liberdade de imprensa O período de ditadura militar durou 48 anos e a sua principal figura foi o ministro das Finanças o professor Oliveira Salazar. Oliveira Salazar
  45. 45. A Revolução dos Cravos O descontentamento da população em relação à ditadura, a guerra no Ultramar levou a que no dia 25 de Abril de 1974 alguns jovens militares iniciassem um movimento contra a ditadura. O povo saiu à rua dando vivas à liberdade. Nesse dia terminou a ditadura militar e instaurou-se a democracia.
  46. 46. Presidentes democráticos O general Spínola assumiu a presidência após o 25 de Abril. O actual presidente da República é o Dr. Jorge Sampaio. O 1º Presidente eleito após a revolução do 25 de Abril foi o General Ramalho Eanes.
  47. 47. O poder central e o poder local Assembleia da República O poder central e local dirigem o País. Os órgãos de poder central são: Presidente da República – É eleito por 5 anos, representa o País, nomeia e demite o 1º ministro e ordena a publicação das leis feitas na Assembleia da República. Assembleia da República – Faz as leis e controla o governo. É formado pelos deputados que são eleitos de 4 em 4 anos. Governo – Governa o País. É formado pelo 1º ministro e pelos vários ministros. Os órgãos do poder local são: Câmara Municipal Assembleia Municipal Junta de Freguesia
  48. 48. Símbolos nacionais Bandeira Hino Nacional
  49. 49. Bandeira As cinco quinas simbolizam os 5 reis mouros que D. Afonso Henriques venceu na batalha de Ourique.   O escudo branco com os cinco pequenos escudos azuis dentro representa o estandarte de D. Afonso Henriques.   Os pontos dentro das quinas representam as cinco chagas de Cristo. Segundo a lenda na batalha de Ourique, Jesus Cristo crucificado apareceu a D. Afonso Henriques, e disse: "Com este sinal (o escudo branco), vencerás!". Contando as chagas e duplicando por dois as chagas da quina do meio, perfaz-se a soma de 30, representando os 30 dinheiros que Judas recebeu por ter traído Cristo.   Os sete castelos simbolizam as localidades fortificadas que D. Afonso Henriques conquistou aos Mouros.   A esfera armilar simboliza o mundo que os navegadores portugueses descobriram nos séculos XV e XVI e os povos com quem trocaram ideias e comércio.   O verde simboliza a esperança.    O vermelho simboliza a coragem e o sangue dos Portugueses mortos em combate... 
  50. 50. Hino Nacional “A Portuguesa” Heróis do mar, nobre Povo, Nação valente, imortal Levantai hoje de novo O esplendor de Portugal! Entre as brumas da memória, Ó Pátria, sente-se a voz Dos teus egrégios avós, Que há-de guiar-te à vitória! Às armas, às armas! Sobre a terra, sobre o mar, Às armas, às armas! Pela Pátria lutar Contra os canhões marchar, marchar. Foi composto em 1981. Poema de Henriques Lopes de Mendonça e música de Alfredo Keil. Foi adoptado como hino nacional após a implantação da República, em 1910.
  51. 51. Feriados Nacionais O país comemora ao longo do ano acontecimentos que foram importantes ao longo da sua história. 25 de Abril, Dia da Liberdade – comemora a revolução militar que terminou com a ditadura e instaurou a democracia. 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalhador – comemora a luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho, salários, horários, regalias sociais. 10 de Junho, Dia de Portugal de Camões e das Comunidades – comemora-se o aniversário da morte de Camões. 5 de Outubro, Dia da Proclamação da República – assinala o fim do regime monárquico e a implantação do Regime republicano. 1º de Dezembro, Dia da Restauração da Independência – após um domínio espanhol de 60 anos, Portugal recupera a independência nacional.
  52. 52. A Bandeira Nacional ao longo dos tempos A primeira bandeira é do tempo de D. Afonso Henriques. Desde essa altura surgiram várias bandeira e a actual existe desde 1910, a partir da Implantação da República.
  53. 53. 1143 – 2010 Quantos anos tem Portugal?

×