SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Você aqui verá um resumo sobre as revoluções
industriais
 1ª Revolução industrial
 2ª Revolução industrial
 3ª Revolução industrial
 Fazes do capitalismo: 1ª, 2ª, 3ª e 4ª
Revoluções industriais
1° Revolução industrial
 Ocorreu na Inglaterra, no final do século XVIII, logo mais países como a
França, Rússia, EUA, Alemanha e Holanda ingressaram nesse modo de
produção industrial.
 Características: Carvão como fonte de energia e a partir daí foi produzido
simultaneamente a maquina a vapor e a locomotivas. Ambas, foram
determinantes para o transporte de matéria-prima e distribuição de
mercadoria. A máquina a vapor foi importante na produção têxtil, antes
artesanal.
2ª Revolução industrial
 A partir de 1870, principais invenções foram: O emprego da energia elétrica,
o motor à explosão, os corantes sintéticos e a invenção do telégrafo. Em
1879 a criação da lâmpada incandescentes estabeleceu um importante
marco nos sistemas de iluminação dos grandes centros urbanos da época. O
petróleo que antes só possuía a função de sistemas de iluminação, passou a
ter uma nova função com o motor a combustão. O aço e o alumínio foram
amplamente usados pela sua melhor resistência e mobilidade.
3ª Revolução industrial
 Podemos dizer que ela ainda está acontecendo, também chamada de
revolução técno-cinetifica informacional, iniciou-se no século XX, suas
inovações no campo da informática.
Fazes do Capitalismo
1ª faze do capitalismo;
Comercio
 Durou do século XV ao XVIII
 Doutrina econômica mercantilista
 Estado interventor
 Poder = metais preciosos
 Emergência da burguesia
 Grandes navegações iniciam – Portugal, Espanha, França, Países baixos –
Busca por novas rotas comerciais.
2ª faze do capitalismo;
industrial
 Assim como o nome sugere, surgiu junta da 1° Revolução industrial, já
comentada.
 Durou de 1750 á 1870.
 Utilização de maquinas movidas a carvão mineral e aumento da produção e
do lucro.
 Expansão das redes de transporte terrestre (trens a vapor) e marítimo
(barco a vapor) = facilidade na circulação de pessoas, de matéria prima e
mercadorias.
 Comercio da lugar a produção.
 Trabalho passou a ser assalariado.
 O estado não intervém na economia = liberdade econômica.
Mais valina
Trabalhador
explorado
sem saber
Exploração proletária (mais de 16 horas de trabalho);
Divisão social do trabalho: Cada funcionário com uma
função.
 Primeira divisão internacional do trabalho
Países centrais Países periféricos
Industrializados Fornecem matéria prima
Produto acabado
Venda de matéria prima
3ª faze do capitalismo
financeiro/monopolista
 Coincide com a 2ª revolução industrial
 De 1870 á 1945
 Concentração e centralização do capital.
 Europa ocidental, Estados unidos, Japão e Rússia(URSS) -> Países que vão se
industrializar.
 Elevação da concorrência e crescimento acelerado de muitas empresas:
industrias, bancos...
 Novas tecnologia (motos a explosão) e novas fontes de energia (hidra)
eletricidade e combustível fósseis no processo produtivo.
 Crise de 1929 ligada á fordismo
Alta produção pois pensavam que, quanto mais
produzisse mais seria vendido. Não deu muito certo,
muitos produtos estocados, EUA sozinho produziu 3
vezes oque o MUNDO INTEIRO poderia consumir
O Gigante EUA sofre crise conhecida como a
crise de 1929, desencadeia uma crise global
Brasil, como maior vendedor de café, sofre a crise
já que seu maior comprador não tinha como
comprar, a economia era centrada em um único
produto, no caso o café, Brasil sofre também com
a crise.
4ª faze do capitalismo;
Informacional
 Coincide com a 3ª revolução industrial
 Avanços no sistema de telecomunicação (satélites artificiais / cabos de fibra
ótica).
 Surgimento do Toyotismo/produção flexivel (próximo slide mostra)
 Estado neoliberal
Surge o Toyotismo
 iniciou o Toyotismo, onde só produzia a demanda de pedidos.
 De 1945 á 1973 foi seu pico.
 Nos países desenvolvidos isso resultou em:
 Crescimento econômico estável;
 Melhoria do padrão de vida;
 Crises contidas;
 Expansão do capitalismo ás nações descolonizadas;
 Emergência de grandes conflitos sociais (movimento de direitos civis,
feminismo, antirracismo, contra –cultura...)
 Estabilidade econômica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
Os modos de produção
Os modos de produçãoOs modos de produção
Os modos de produção
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
A quarta revolução industrial klaus schwab
A quarta revolução industrial   klaus schwabA quarta revolução industrial   klaus schwab
A quarta revolução industrial klaus schwab
 
A 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução IndustrialA 2ª Revolução Industrial
A 2ª Revolução Industrial
 
Liberalismo
LiberalismoLiberalismo
Liberalismo
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 
Socialismo
SocialismoSocialismo
Socialismo
 
As revoluções industriais
As revoluções industriaisAs revoluções industriais
As revoluções industriais
 
Materialismo histórico
Materialismo histórico Materialismo histórico
Materialismo histórico
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
4 revolucao industrial
4 revolucao industrial4 revolucao industrial
4 revolucao industrial
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Evolução Histórica do Trabalho
Evolução Histórica  do TrabalhoEvolução Histórica  do Trabalho
Evolução Histórica do Trabalho
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
O impacto da tecnologia no mundo do trabalho
O impacto da tecnologia no mundo do trabalhoO impacto da tecnologia no mundo do trabalho
O impacto da tecnologia no mundo do trabalho
 
Segunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrialSegunda revolucao industrial
Segunda revolucao industrial
 

Destaque

educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llano
educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llanoeducacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llano
educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llanomaikialejo
 
Geo 8o homem_espaco_cap1_site
Geo 8o homem_espaco_cap1_siteGeo 8o homem_espaco_cap1_site
Geo 8o homem_espaco_cap1_siterdbtava
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrialeduardodemiranda
 
Estado novo e capitalismo industrial
Estado novo  e  capitalismo industrialEstado novo  e  capitalismo industrial
Estado novo e capitalismo industrialIlania Gonçalves
 
Indústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e SocialismoIndústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e Socialismoaroudus
 
Guerra de Canudos e Contestado
Guerra de Canudos e ContestadoGuerra de Canudos e Contestado
Guerra de Canudos e ContestadoDinho
 
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Wandick Rocha de Aquino
 
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo FinanceiroLiberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeirotubucci
 
Aula 02 artesanato, manufatura e indústria
Aula 02   artesanato, manufatura e indústriaAula 02   artesanato, manufatura e indústria
Aula 02 artesanato, manufatura e indústriaDaniel Alves
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoLeonardo Caputo
 
Fases do capitalismo nono ano
Fases do capitalismo nono anoFases do capitalismo nono ano
Fases do capitalismo nono anoFernanda Lopes
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoArtur Lara
 
Aula Sobre Capitalismo
Aula Sobre CapitalismoAula Sobre Capitalismo
Aula Sobre Capitalismoclauverlevy
 

Destaque (20)

Capitalismo
Capitalismo Capitalismo
Capitalismo
 
educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llano
educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llanoeducacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llano
educacion en la sociedad Capitalista por Miguel Llano
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Geo 8o homem_espaco_cap1_site
Geo 8o homem_espaco_cap1_siteGeo 8o homem_espaco_cap1_site
Geo 8o homem_espaco_cap1_site
 
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo IndustrialO Brasil na Era do Capitalismo Industrial
O Brasil na Era do Capitalismo Industrial
 
Estado novo e capitalismo industrial
Estado novo  e  capitalismo industrialEstado novo  e  capitalismo industrial
Estado novo e capitalismo industrial
 
A revolucao industrial
A revolucao industrialA revolucao industrial
A revolucao industrial
 
Indústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e SocialismoIndústria, Capitalismo e Socialismo
Indústria, Capitalismo e Socialismo
 
Guerra de Canudos e Contestado
Guerra de Canudos e ContestadoGuerra de Canudos e Contestado
Guerra de Canudos e Contestado
 
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
Práticas Financeiras e Contábeis - Aulas 1 e 2
 
Capitalismo e Imperialismo
Capitalismo e ImperialismoCapitalismo e Imperialismo
Capitalismo e Imperialismo
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo FinanceiroLiberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
Liberalismo Económico E Capitalismo Financeiro
 
Aula 02 artesanato, manufatura e indústria
Aula 02   artesanato, manufatura e indústriaAula 02   artesanato, manufatura e indústria
Aula 02 artesanato, manufatura e indústria
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
 
Fases do capitalismo nono ano
Fases do capitalismo nono anoFases do capitalismo nono ano
Fases do capitalismo nono ano
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Slides revolução industrial
Slides revolução industrialSlides revolução industrial
Slides revolução industrial
 
Aula Sobre Capitalismo
Aula Sobre CapitalismoAula Sobre Capitalismo
Aula Sobre Capitalismo
 

Semelhante a Revolução industrial e fazes do capitalismo

RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialAna Batista
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução IndustrialLaerciolns12
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrialNelia Salles Nantes
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrialNelia Salles Nantes
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrialNelia Salles Nantes
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrialNelia Salles Nantes
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxHitaloSantos8
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operáriosJornal Ovale
 
A Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIXA Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIXNuno Eusébio
 
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...Diego Avendaño
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialIury_corleone
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Paulo Roberto
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial Wendell Junior
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrialemillyalmeida
 
Revolução industrial/ Dicas Enem
Revolução industrial/ Dicas EnemRevolução industrial/ Dicas Enem
Revolução industrial/ Dicas EnemJoemille Leal
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesJanayna Lira
 

Semelhante a Revolução industrial e fazes do capitalismo (20)

Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
RevoluçAo Industrial
RevoluçAo IndustrialRevoluçAo Industrial
RevoluçAo Industrial
 
1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial1ª Revolução Industrial
1ª Revolução Industrial
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
Rindustrial
RindustrialRindustrial
Rindustrial
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
As fases da revolução industrial
As fases  da revolução industrialAs fases  da revolução industrial
As fases da revolução industrial
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
Movimentos operários
Movimentos operáriosMovimentos operários
Movimentos operários
 
A Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIXA Civilização Industrial no século XIX
A Civilização Industrial no século XIX
 
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...
A Segunda Revolução Industrial - Expansão do Capitalismo e Concentração de Ca...
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução Revolucao Industrial parte I: Introdução
Revolucao Industrial parte I: Introdução
 
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
Seminário de historia  2ª Revolução industrial Seminário de historia  2ª Revolução industrial
Seminário de historia 2ª Revolução industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução industrial/ Dicas Enem
Revolução industrial/ Dicas EnemRevolução industrial/ Dicas Enem
Revolução industrial/ Dicas Enem
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 

Mais de Kamila Joyce

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesKamila Joyce
 
Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório Kamila Joyce
 
Código de ética da radiologia
Código de ética da radiologiaCódigo de ética da radiologia
Código de ética da radiologiaKamila Joyce
 
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...Kamila Joyce
 
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPVPeça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPVKamila Joyce
 
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9Kamila Joyce
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaKamila Joyce
 
Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique CardosoKamila Joyce
 
Matrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programaçãoMatrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programaçãoKamila Joyce
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o PoderKamila Joyce
 
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole DigitalMini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole DigitalKamila Joyce
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoKamila Joyce
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoKamila Joyce
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoKamila Joyce
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoKamila Joyce
 
Evolução automotiva
Evolução automotivaEvolução automotiva
Evolução automotivaKamila Joyce
 

Mais de Kamila Joyce (20)

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
 
Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório
 
Código de ética da radiologia
Código de ética da radiologiaCódigo de ética da radiologia
Código de ética da radiologia
 
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
 
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPVPeça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
 
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da história
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Reino Metaphyta
Reino MetaphytaReino Metaphyta
Reino Metaphyta
 
Doenças vírais
Doenças víraisDoenças vírais
Doenças vírais
 
Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique Cardoso
 
Matrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programaçãoMatrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programação
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o Poder
 
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole DigitalMini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
 
Nicolau Maquiavel
Nicolau MaquiavelNicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evolução
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológico
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evolução
 
Evolução automotiva
Evolução automotivaEvolução automotiva
Evolução automotiva
 

Último

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 

Último (20)

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 

Revolução industrial e fazes do capitalismo

  • 1.
  • 2. Você aqui verá um resumo sobre as revoluções industriais  1ª Revolução industrial  2ª Revolução industrial  3ª Revolução industrial  Fazes do capitalismo: 1ª, 2ª, 3ª e 4ª
  • 4. 1° Revolução industrial  Ocorreu na Inglaterra, no final do século XVIII, logo mais países como a França, Rússia, EUA, Alemanha e Holanda ingressaram nesse modo de produção industrial.  Características: Carvão como fonte de energia e a partir daí foi produzido simultaneamente a maquina a vapor e a locomotivas. Ambas, foram determinantes para o transporte de matéria-prima e distribuição de mercadoria. A máquina a vapor foi importante na produção têxtil, antes artesanal.
  • 5.
  • 6. 2ª Revolução industrial  A partir de 1870, principais invenções foram: O emprego da energia elétrica, o motor à explosão, os corantes sintéticos e a invenção do telégrafo. Em 1879 a criação da lâmpada incandescentes estabeleceu um importante marco nos sistemas de iluminação dos grandes centros urbanos da época. O petróleo que antes só possuía a função de sistemas de iluminação, passou a ter uma nova função com o motor a combustão. O aço e o alumínio foram amplamente usados pela sua melhor resistência e mobilidade.
  • 7.
  • 8. 3ª Revolução industrial  Podemos dizer que ela ainda está acontecendo, também chamada de revolução técno-cinetifica informacional, iniciou-se no século XX, suas inovações no campo da informática.
  • 9.
  • 11. 1ª faze do capitalismo; Comercio  Durou do século XV ao XVIII  Doutrina econômica mercantilista  Estado interventor  Poder = metais preciosos  Emergência da burguesia  Grandes navegações iniciam – Portugal, Espanha, França, Países baixos – Busca por novas rotas comerciais.
  • 12. 2ª faze do capitalismo; industrial  Assim como o nome sugere, surgiu junta da 1° Revolução industrial, já comentada.  Durou de 1750 á 1870.  Utilização de maquinas movidas a carvão mineral e aumento da produção e do lucro.  Expansão das redes de transporte terrestre (trens a vapor) e marítimo (barco a vapor) = facilidade na circulação de pessoas, de matéria prima e mercadorias.  Comercio da lugar a produção.  Trabalho passou a ser assalariado.  O estado não intervém na economia = liberdade econômica.
  • 13. Mais valina Trabalhador explorado sem saber Exploração proletária (mais de 16 horas de trabalho); Divisão social do trabalho: Cada funcionário com uma função.  Primeira divisão internacional do trabalho Países centrais Países periféricos Industrializados Fornecem matéria prima Produto acabado Venda de matéria prima
  • 14. 3ª faze do capitalismo financeiro/monopolista  Coincide com a 2ª revolução industrial  De 1870 á 1945  Concentração e centralização do capital.  Europa ocidental, Estados unidos, Japão e Rússia(URSS) -> Países que vão se industrializar.  Elevação da concorrência e crescimento acelerado de muitas empresas: industrias, bancos...  Novas tecnologia (motos a explosão) e novas fontes de energia (hidra) eletricidade e combustível fósseis no processo produtivo.
  • 15.  Crise de 1929 ligada á fordismo Alta produção pois pensavam que, quanto mais produzisse mais seria vendido. Não deu muito certo, muitos produtos estocados, EUA sozinho produziu 3 vezes oque o MUNDO INTEIRO poderia consumir O Gigante EUA sofre crise conhecida como a crise de 1929, desencadeia uma crise global Brasil, como maior vendedor de café, sofre a crise já que seu maior comprador não tinha como comprar, a economia era centrada em um único produto, no caso o café, Brasil sofre também com a crise.
  • 16. 4ª faze do capitalismo; Informacional  Coincide com a 3ª revolução industrial  Avanços no sistema de telecomunicação (satélites artificiais / cabos de fibra ótica).  Surgimento do Toyotismo/produção flexivel (próximo slide mostra)  Estado neoliberal
  • 17. Surge o Toyotismo  iniciou o Toyotismo, onde só produzia a demanda de pedidos.  De 1945 á 1973 foi seu pico.  Nos países desenvolvidos isso resultou em:  Crescimento econômico estável;  Melhoria do padrão de vida;  Crises contidas;  Expansão do capitalismo ás nações descolonizadas;  Emergência de grandes conflitos sociais (movimento de direitos civis, feminismo, antirracismo, contra –cultura...)  Estabilidade econômica